MAIL ENVIADOS PARA AMIGOS

FORMAÇÃO DE PESSOAS: O EGOÍSMO E A MODÉSTIA; A
HUMILDADE E O ALTRUÍSMO.

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com.br
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Fri. 26 Aug., 2011. 00000

Aos meus amigos-médicos e TODOS demais internautas,
reza a boa 'educ-ação', que se agradeça, e de 'cor-ação';
à críticas recebidas, que me foram sempre para o bem, no
sentido de manter se está ok; no sentido de melhorar, se
nem tanto.
Agradeço à todos os quase 60 colegas que estão em
rede na internet, por ocasião da organização da festa co-
memorativa dos nossos 25 anos de formatura, em dezem-
bro de 1986, pela Faculdade de Medicina da Universidade
Federal do Rio Grande do Sul.
Não esquecerei das sinceras palavras de incentivo,
que enviaram-me, principalmente relativo ao email "Retro-
visor", mas em vários outros também.
Não é novidade para mim, nem para vocês, que confe-
tes e serpentinas me servem.
Certa feita li algo que me caiu justo. Conforme já men-
cionei, nada tenho contra certos livros de auto-ajuda. Muito
das críticas que a eles se faz, são decorrentes que as pesso-
as querem soluções mágicas, não querem se esforçar para
botar em prática o que lêem.
Foi em algum livro desta temática que encontrei, pela
primeira e única vez, a grande diferença que existe em sig-
nificado e significância, entre duas palavras que, para mim,
até então, soavam como meros sinônimos: 'modesto' e 'hu-
milde'.
'Modesto' é aquele que se faz de humilde para receber
confetes. Guarda relação com imaturidade, necessidade de a-
parecer, carência e assim vai. Nisto eu sempre fui perito.
A modéstia é filha do egoísmo.
J á 'humilde' é aquele que, verdadeiramente, conhece ra-
zoavelmente bem suas limitações, e sabe se auto-colocar no
lugar, deixando de ser tão espaçoso. Tem a ver com maturi-
dade, auto-conhecimento e 're-conhecimento' da suas fragili-
dades, frustrações e maldades. Nada a ver com o inadequado
uso relativo à palavra 'pobreza (financeira)'; até porque é per-
tinente ao campo semânticoA da palavra 'riqueza(psíquica)',
que qualquer pessoa poderá atingir, independentemente de
sua situação sócio-econômica.
Eu acho a conquista da humildade, a mais difícil realiza-
ção de uma pessoa, pelo efeito sombra dos mecanismos de de-
fesa do ego, dentre os quais, o projetivo; minha principal arma
para livrar-me dos meus 'podres', vendo-os nos outros, mas
nunca em mim!... É menos doloroso assim, não acham? Mas
impede o crescimento, filho da dor. É aquela tal frase: 'crise é
oportunidade'. Para refletir, ponderar, decidir, agir, e memori-
zar para 'a-preender' a lição, reaplicável num futuro, se neces-
sário for; ou auxiliar alguém que precisa deste aprendizado, não
raro os filhos. É o pai experiente.
A humildade é mãe do altruísmo.
Mas este amadurecimento psíquico, não guarda conotação
necessária com a idade, embora seja de se esperar nos mais i-
dosos, pelo somatório de mais experiências. No entanto, sem-
pre temos aqueles vários que não evoluem, até involuindo à
menos que nada com o passar dos anos, em contraste com jo-
vens que amadurecem cedo. Porém cuidado, maduro demais cai
do galho e apodrece.
Aí comecei a entender o "conhece-te a ti mesmo", difícil de
achar dentre o "só sei que nada sei" de mim mesmo, por minhas
próprias negações.
Ricardo Bing Reis.

MAIL ENVIADOS PARA AMIGOS

MODÉSTIA E HUMILDADE.

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com.br
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Fri. 26 Aug., 2011. 00000

Aos meus amigos-médicos e TODOS demais internautas,
reza a boa 'educ-ação', que se agradeça, e de 'cor-ação';
à críticas recebidas, que me foram sempre para o bem, no
sentido de manter se está ok; no sentido de melhorar, se
nem tanto.
Agradeço à todos os quase 60 colegas que estão em
rede na internet, por ocasião da organização da festa co-
memorativa dos nossos 25 anos de formatura, em dezem-
bro de 1986, pela Faculdade de Medicina da Universidade
Federal do Rio Grande do Sul.
Não esquecerei das sinceras palavras de incentivo,
que enviaram-me, principalmente relativo ao email "Retro-
visor", mas em vários outros também.
Não é novidade para mim, nem para vocês, que confe-
tes e serpentinas me servem.
Certa feita li algo que me caiu justo. Conforme já men-
cionei, nada tenho contra certos livros de auto-ajuda. Muito
das críticas que a eles se faz, são decorrentes que as pesso-
as querem soluções mágicas, não querem se esforçar para
botar em prática o que lêem.
Foi em algum livro desta temática que encontrei, pela
primeira e única vez, a grande diferença que existe em sig-
nificado e significância, entre duas palavras que, para mim,
até então, soavam como meros sinônimos: 'modesto' e 'hu-
milde'.
'Modesto' é aquele que se faz de humilde para receber
confetes. Guarda relação com imaturidade, necessidade de a-
parecer, carência e assim vai. Nisto eu sempre fui perito.
Já 'humilde' é aquele que, verdadeiramente, conhece ra-
zoavelmente bem su as limitações, e sabe se auto-colocar no
lugar, deixando de ser tão espaçoso. Tem a ver com maturi-
dade, auto-conhecimento e 're-conhecimento' da suas fragili-
dades, frustrações e maldades. Nada a ver com o inadequado
uso relativo à palavra 'pobreza (financeira)'; até porque é per-
tinente ao campo semântico da palavra 'riqueza(psíquica)',
que qualquer pessoa poderá atingir, independentemente de
sua situação sócio-econômica.
Eu acho a conquista da humildade, a mais difícil realiza-
ção de uma pessoa, pelo efeito sombra dos mecanismos de de-
fesa do ego, dentre os quais, o projetivo; minha principal arma
para livrar-me dos meus 'podres', vendo-os nos outros, mas
nunca em mim!... É menos doloroso assim, não acham? Mas
impede o crescimento, filho da dor. É aquela tal frase: 'crise é
oportunidade'. Para refletir, ponderar, decidir, agir, e memori-
zar para 'a-preender' a lição, reaplicável num futuro, se neces-
sário for; ou auxiliar alguém que precisa deste aprendizado, não
raro os filhos. É o pai experiente.
Mas este amadurecimento psíquico, não guarda conotação
necessária com a idade, embora seja de se esperar nos mais i-
dosos, pelo somatório de mais experiências. No entanto, sem-
pre temos aqueles vários que não evoluem, até involuindo à
menos que nada com o passar dos anos, em contraste com jo-
vens que amadurecem cedo. Porém cuidado, maduro demais cai
do galho e apodrece.
Aí comecei a entender o "conhece-te a ti mesmo", difícil de
achar dentre o "só sei que nada sei" de mim mesmo, por minhas
próprias negações.
Ricardo Bing Reis.

MAIL ENVIADOS PARA AMIGOS

TRABALHO, TEMPO LIVRE, PATERNIDADE.

From: redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Sat, 27 Aug 2011 03:16:04 +0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS demais internautas,
não tenho vocação para jornadas de 10 ou 12 horas, co-
mo vejo muitos. Até gostaria de ser meio assim, mas não
é meu perfil e não vou violentar minha natureza.
Sempre que tentei forçar minha natureza, me dei mal.
Começo a somatizar, fico agressivo e deprimido. Cada
um tem seu limiar, e o meu é baixo.
Não confunda perder dinheiro com deixar de ganhar di-
nheiro. Demorei para diferenciar. No início, achava que dei-
xar de ganhar era perder. Hoje vejo que perder é deixar es-
capar o já conquistado.
Já perdi também, e isto ajuda em 'insights'.
Agora, deixar de ganhar é uma opção, uma troca de di-
nheiro por tempo; e tempo é a palavra chave da minha vi-
da. Tempo é, para mim, o bem pessoal mais precioso.
Tempo livre para fazer o que quiser, mas, por outro lado,
não gosto de ficar parado, gosto de usar o tempo para fazer
coisas criativas, mesmo que não levem a nada e, muitíssimo
principalmente, para minha família. Busco minhas filhas no
colégio, ajudo no banho, ajudo nos temas, conto estorinhas,
acordo nas noites de temporal para dormir com elas quando
chamam...
; Ainda outro dia minha secretária anotou e me deu recado
de minha esposa, também médica: ... 'vou atrasar por causa
de uma cirurgia de urgência que surgiu. Então, pegar a 'pe-
quena' na escolinha e dar banho, dar janta e brincar de Bar-
bie!'...
Elas tem 9 e 4 anos.
Faço tudo que posso como pai. Ainda assim, as coisas po-
dem não dar certo, no entanto, nunca sentirei culpa se isto
acontecer, pois jamais terá sido por omissão ou falta de zelo.
Mas fazer tudo isto exige tempo, muuiiiiiiiiita paciência e
tolerância.
E não me venham com a lorota de que mais importante é
a qualidade da relação, pois para atingí-la, precisarás do tem-
po.
Ricardo Bing Reis.

ÓCIO CRIATIVO.

From: redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Sat,. 27 Aug 2011 03:16:04 +0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS demais internautas,
não sei se chegaria ao ponto de dizer que seria bem me-
nos descontente se simplesmente não trabalhasse.
Acho que tenho um perfil que me permitiria isto sem me
entediar.
No verão, como o movimento é pequeno, do Natal ao fim
do carnaval, trabalho uma média de apenas 8 dias nestes 2
meses, ou seja, 1 dia por semana na média final.
O dinheiro não me fascina tanto, embora precise de uma
soma mínima mensal não tão pequena para pagar todas des-
pesas. Mas quase não tenho sobras e jamas serei rico.
Mas para poder viver assim, nunca posso cair na minha ten-
tação narcísica de querer ser mais do que sou, ou querer ter
mais do que posso, ou pior, muito pior, aparentar ser o que
não sou, por ostentação.
Ricardo Bing Reis.

 

MAIL ENVIADOS PARA AMIGOS

DESENCADEAMENTO DE EMOÇÕES E SENTIMENTOS
NO ALTRUÍSTA.

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Fri, 2 Sep 2011 23:50:42 +0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS internautas,
aquele boa pessoa que procura ajudar estas que
padecem, por transtornos e/ou distúrbios menta-
is; ou ainda somáticos (por doenças localizadas ou
sistêmicas), podem ter um turbilão de emoções e
sentimentos, perfeitamente compreensíveis, tolerá-
veis, aceitáveis e, por que não dizer, esperados e
salutares: compaixão/pena que espera-se, seja o
predominante; mas também raiva, culpa e medo.
Imagino que a pessoa que se dispõe a ajudar te-
nha um nível no mínimo bom de altruísmo, o que é
louvável. Assim, lhe é inerente a compaixão.
Este sentimento é tão óbvio que o Pedro Bó iden-
tificaria. Já os demais sentimentos que listei, são a-
penas suposições minhas, pois não são tão óbvios as-
sim, pelo menos para um não profissional da área da
psicologia.
Se você ajuda, e de verdade(!), se desgasta e só
por aí já temos o cansaço, astenia, talvez dores no
corpo, sonolência, sono, sentimento de fraqueza, té-
dio e finalmente, desânimo e depressão.
Aquela linhagem, por continuidade incessante,sem
períodos de alívio ou remissão, leva, por est ímulo re-
petitivo, à irritabilidade, pois estamos falando de se-
res humanos e não de robôs. Justifica-se a raiva. Se
não aparecer, suspeite-se de 'corpo mole'.
Simplesmente por sentir irritabilidade ou raiva pa-
ra com quem está padecendo, sobrevém, neste altru-
ísta e, justo por sê-lo, sentimento de culpa, como se
cruel fosse.
Medo; de ficar igualmente padecente. Ou de tudo
acabar mal. Ou ainda, se crente, de ser punido pelas
'Forças do Além', caso não cumpra suas funções terre-
nas pré destinadas, ficando à deriva dele, que o con-
duziria à arder nas labaredas do inferno vulcânico...
Calma, não misture todas estas emoções (e senti-
mentos) descritos.
Saiba separá-las, saiba analisá-las, saiba entendê
-las e não se permita falsas concAlusões, para não cair
no círculo vicioso do turbilhão de emoções negativas,
colocando-se no caos e, ao fim, passando você a não
ter mais condições de ajudar, exigindo-se o auto afas-
tamento e; quiçá, passar a ser uma pessoa doente e
difícil de ajudar. O que piora o já não bom.
Observação: pela minha classificação não-oficial,
teríamos como emoções a raiva, o medo e a depres-
são. Como sentimentos citados, os seguintes: compai-
xão/pena e a culpa.
Ricardo Bing Reis.

MAIL ENVIADOS PARA AMIGOS

FORMAÇÃO DE PESSOAS: O EGOÍSMO E A MODÉSTIA; A
HUMILDADE E O ALTRUÍSMO.

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com.br
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Fri. 26 Aug., 2011. 00000

Aos meus amigos-médicos e TODOS demais internautas,
reza a boa 'educ-ação', que se agradeça, e de 'cor-ação';
à críticas recebidas, que me foram sempre para o bem, no
sentido de manter se está ok; no sentido de melhorar, se
nem tanto.
Agradeço à todos os quase 60 colegas que estão em
rede na internet, por ocasião da organização da festa co-
memorativa dos nossos 25 anos de formatura, em dezem-
bro de 1986, pela Faculdade de Medicina da Universidade
Federal do Rio Grande do Sul.
Não esquecerei das sinceras palavras de incentivo,
que enviaram-me, principalmente relativo ao email "Retro-
visor", mas em vários outros também.
Não é novidade para mim, nem para vocês, que confe-
tes e serpentinas me servem.
Certa feita li algo que me caiu justo. Conforme já men-
cionei, nada tenho contra certos livros de auto-ajuda. Muito
das críticas que a eles se faz, são decorrentes que as pesso-
as querem soluções mágicas, não querem se esforçar para
botar em prática o que lêem.
Foi em algum livro desta temática que encontrei, pela
primeira e única vez, a grande diferença que existe em sig-
nificado e significância, entre duas palavras que, para mim,
até então, soavam como meros sinônimos: 'modesto' e 'hu-
milde'.
'Modesto' é aquele que se faz de humilde para receber
confetes. Guarda relação com imaturidade, necessidade de a-
parecer, carência e assim vai. Nisto eu sempre fui perito.
A modéstia é filha do egoísmo.
J á 'humilde' é aquele que, verdadeiramente, conhece ra-
zoavelmente bem suas limitações, e sabe se auto-colocar no
lugar, deixando de ser tão espaçoso. Tem a ver com maturi-
dade, auto-conhecimento e 're-conhecimento' da suas fragili-
dades, frustrações e maldades. Nada a ver com o inadequado
uso relativo à palavra 'pobreza (financeira)'; até porque é per-
tinente ao campo semânticoA da palavra 'riqueza(psíquica)',
que qualquer pessoa poderá atingir, independentemente de
sua situação sócio-econômica.
Eu acho a conquista da humildade, a mais difícil realiza-
ção de uma pessoa, pelo efeito sombra dos mecanismos de de-
fesa do ego, dentre os quais, o projetivo; minha principal arma
para livrar-me dos meus 'podres', vendo-os nos outros, mas
nunca em mim!... É menos doloroso assim, não acham? Mas
impede o crescimento, filho da dor. É aquela tal frase: 'crise é
oportunidade'. Para refletir, ponderar, decidir, agir, e memori-
zar para 'a-preender' a lição, reaplicável num futuro, se neces-
sário for; ou auxiliar alguém que precisa deste aprendizado, não
raro os filhos. É o pai experiente.
A humildade é mãe do altruísmo.
Mas este amadurecimento psíquico, não guarda conotação
necessária com a idade, embora seja de se esperar nos mais i-
dosos, pelo somatório de mais experiências. No entanto, sem-
pre temos aqueles vários que não evoluem, até involuindo à
menos que nada com o passar dos anos, em contraste com jo-
vens que amadurecem cedo. Porém cuidado, maduro demais cai
do galho e apodrece.
Aí comecei a entender o "conhece-te a ti mesmo", difícil de
achar dentre o "só sei que nada sei" de mim mesmo, por minhas
próprias negações.
Ricardo Bing Reis.

MAIL ENVIADOS PARA AMIGOS

IDOSOS QUE 'DESAMADURECEM' E OS ASTRONAUTAS.

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: 14 Sat. Jan 2012 0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS demais internautas,
minha esposa acaba de comentar comigo que estou fi-
cando como estes idosos que amadurecem e depois 'de-
samadurecem'.
Tal certos avós, que já viveram muitas coisas, adquiri-
ram saberes empíricos ou não; conhecem menos mal os
caminhos e descaminhos da vida.
No entanto, ao invés de botarem em prática a democra-
cia que, supostamente deveria vir na carona, sobem num
pedestal da soberba do saber. Oniciência.
Ao invés de, agora sim, mais do que nunca, saber ouvir,
recusam-se, na impáfia do 'não preciso mais aprender na-
da'.
Se é assim, nada aprenderam de fato durante a vida.
Por isto o título, amadurecem e depois 'desamadurecem'.
É uma espécie de 'A volta dos que não foram'.
Ela me fez este comentário baseado no fato de eu estar
'meio no ar' nos últimos tempos; como que em 'crises de au-
sência' ou 'déficits de atenção'. Em suma, no mundo da lua.
Mas como contar a ela que em verdade em boa parte do
tempo fico concatenando as idéias apartir dos acontecidos
no dia-a-dia. Tentando entendê-los!
Como explicar que, quem escreve, parece ficar como que
constantemente brotando idéias a escrever.
E que, no âmago, é uma sensação desagradável também
para este 'astronauta que está sempre no mundo da lua'.
Escrever é uma cachaça.
Estou introduzido no mundo do 'texto-adição'.
Escrevi em generalização, extensivo à maioria dos escrito-
res; de que quem escreve tem esta tendência. Mas o fiz sem
conhecimento de causa.
Dei-me esta liberdade pois, em revista, o cronista mencio-
nou que estava jogando tênis de praia com sua esposa, en-
quanto concatenava mentalmente a coluna que escreveria ao
chegar em casa.
E, assim, estava jogando muito mal.
Mas, para a esposa não se sentir redizida frente ao texto,
botou a justificativa na raquete, que estaria muito pesada.
Então aí, citou que isto é comum entre escritores.
Minha esposa ainda reiterou que na semana findoura, em
que estivemos no Rio de Janeiro, nos vários passeios com
nossas 2 filhas, eu estava muitas vezes como que só de 'cor-
po presente', quase nada como 'pai efetivo'. Certamente co-
mo 'marido efetivo' também não.
Reconheço que fui burocrático em minhas funções de pai
neste período.
Agora pergunto: o que é melhor, ou 'menos pior'?
Deixar assim, e passar por pai insuficientemente bom, ou
falar a verdade e ser visto como um aficcionado, um pai des-
naturado e que troca a atenção requerida pela família por u-
ma fixação textual?
Pior ainda não sendo eu, sequer, um profissional do ramo!
Resposta pessoal: vou enviar este email para ela.
Não vai dar para isto seguir desta forma.
Pode ser dificuldade de principiante. E será. Apenas.
Ricardo Bing Reis.

_____________________________________________

ORGANIZAÇÃO 'MÉDICOS SEM FRONTEIRAS' > NÃO RARO, O ALTRUÍSMO FICA APENAS NO CAMPO TEÓRICO. ATUE SUA BONDADE, CONTRIBUINDO MENSALMENTE COM O INACREDITAVELMENTE AINDA EXISTENTE MUNDO DE MISÉRIAS E MAZELAS. NÃO APENAS EM ESPÍRITO NATALINO, MAS MENSALMENTE

Ricardo Bing Reis TRISTE REALIDADE > Para mim, é muito angustiante ter que me deparar com certas realidades. Prefiro 'apagar' da minha cabeça certas coisas para poder seguir em frente. Mas que este mundo continua de mal à pior, continua. E, se você pensa que não, saia de sua zona de conforto e assista à este vídeo perturbador. Fico constrangido por um lado em postar, mas o primeiro passo para este cenário mudar é (deixando de lado a estranha repetição terminológica), NÂO NEGAR.
22 de dezembro de 2012 às 15:17

 

POSTADO EM REDES SOCIAIS

Os Quatro Natais - Ricardo Bing Reis NATAL NÚMERO 1 > O DOS PRESENTES: Este é o que interessa para o comércio, para o governo incrementar o PIB. É o Natal para o qual (quase) toda mídia se dedica. E, na onda tsunâmica do senso comum, enraizado desde a infância (onde as crianças já fazem lista de presentes que desejam em frente à TV); fica estabelecido quem pode mais com sua carteira. Quem tem mais tende a dar mais e vice-versa. É o Natal Frio/Material, embora também tenha seu valor, não somente financeiro. Tem sua importância, se considerarmos o simbolismo.
23 de dezembro de 2012 às 22:43

Ricardo Bing Reis NATAL NÚMERO 2 > O DAS FESTAS: Imagino que muitas pessoas gostariam muito de pular este. Não é raro ter que, no Natal, rever pessoas com a qual se atrita, desde familiares como pais e irmãos, até parentes afastados e amigos(?). Ou aquele cara chato que acha saber tudo sobre tudo, e vem te ensinar a tratar pneumonia sendo tu médico, ou matemática, sendo tu engenheiro. Ou ainda aqueles outros chatos, que contam vantagens, até de fundo mentiroso. Não duvidaria que boa parcela dos frequentadores destas festas, se anestesie emocionalmente na bebida alcoólica, para ver mais suportavelmente o tempo passar. Mas pode sim ser muito bom.
23 de dezembro de 2012 às 22:49

Ricardo Bing Reis NATAL NÚMERO 3 > O DAS EMOÇÕES E SENTIMENTOS PESSOAIS: Suponho que são muito variados. Pode oscilar entre tristeza, ansiedade, irritabilidade; tudo para consigo, para com o(s) outro(s), para com todos e tudo. Bem como podem ser mistos (sequenciais) ou misturados (turbilhão). E, os motivos disto podem ser os mais variados possíveis. São orgânicos combinados com ambientais. Quem ousaria listá-los? A indiferença pode parecer grotesca, mas há de ser respeitada e não significa, de forma alguma, na minha opinião, um coração vazio. Só não se pode deixar uma eventual raiva tomar conta de si por mais de 10 minutos, pois ela sim é o maior estraga prazer, de você e dos outros.
23 de dezembro de 2012 às 22:57

Ricardo Bing Reis NATAL NÚMERO 4 > O DOS OUTROS: Este seria aquele em que pensamos no bem estar das outras pessoas. Não destas pessoas que já estão suficientemente bem, mas sim naquelas quase em miséria, ou já. Aqueles que não tem presentes, que não tem festas, que sentem fome e que mal conseguem prover a si mesmas. E, observe que iniciei com a palavra 'seria', pois este Natal praticamente não existe mais. O dinheirismo, a vida direcionada à ele dinheiro, não deixa espaço e tempo para estas milhares de pessoas.
23 de dezembro de 2012 às 23:02

Ricardo Bing Reis COMENTÁRIO > Os Natais de número 1, 2 e 3; são todos de 24 horas. O Natal de número 4, é de 365 dias. Logo, o verdadeiro Natal é o de número 4, saudável para quem doa, saudável para quem recebe; e perene. Quem se dedica ao Natal número 4, leva o Natal 1 e 2 do jeito que vier, sem problemas; visto que você os sobrevoa. E, se você os sobrevoa, o de número 3 será superável, pois o sentimento de 'dever opcional' cumprido é de plenitude e colúio com o mundo, sensação de que sua passagem por ele, mundo, está fazendo diferença para melhor, e que não és um mero sugador de fatores para seu único bem viver (e dos seus). Refiro-me a ajudar quem você sequer conhece. Aparentemente tão etéreo quanto a espressão 'espírito de Natal', com o diferencial que é REAL E EFETIVO (sem que isto implique em filosofias transcendentais). E, reitero, este Natal ou é de ano inteiro ou não é. Digo isto pois guarda íntima relação com perfil de personalidade e caráter. Endógeno, ambiental ou adquirido por elaboração psíquica. Por isto é de 365 dias, não é 'forçado', é 'natural e espontâneo'. Você É assim ou NÃO É.
23 de dezembro de 2012 às 23:17

Ricardo Bing Reis CONCLUINDO > Seja justo consigo mesmo e procure fazer um insight bem ponderado. Sua passagem pelo mundo, até aqui, tem feito realmente diferença à ele? Se você respondeu-se que sim, ótimo. Se você tem dúvida, é porque não. Você acha a teoria legal, mas você não age? Considere que sem realizar, você está apenas enganando a si mesmo. Neste caso, você não sabe o que é o Natal de número 4; mas está a tempo de conhecê-lo. Elabore-se, pois isto o abrirá ao outro, o que, em última instância, é o amadurecimento de sua psico-mente. Dica: se você leu tudo isto, a tendência é que sejas um altruísta; os egoístas não lêem sobre Natal.
23 de dezembro de 2012 às 23:25

POSTADO EM REDES SOCIAIS

'HUNGRY LIKE THE WOLF' > VAMOS DAR UMA VIRADA DE MESA PARA PÔR A MESA DOS MILHARES QUE, ABOMINAVELMENTE, AINDA MORREM DE INANIÇÃO; NESTE 'ADMIRÁVEL MUNDO NOVO'Ricardo Bing Reis PARA A VIRADA DE MESA PONDO A MESA, FAÇA SUAS DOAÇÕES VIA ORGANIZAÇÃO 'MÉDICOS SEM FRONTEIRAS', NO 'WEB SITE' > www.msf.org.br

Ajuda Humanitária | Médicos Sem Fronteiras
www.msf.org.br
Médicos Sem Fronteiras é uma organização médico-humanitária internacional, independente e comprometida em levar ajuda e cuidados médicos a vítimas de epidemias, catástrofes, fome e conflitos.
23 de dezembro de 2012 às 03:04 ·

_____________________________________________

POR JOHN LENNON > CENAS MUITO FORTES, LAMENTAVELMENTE VERÍDICAS. SE VOCÊ TEM DIFICULDADES EM CONTROLAR SUAS EMOÇÕES, É BEM MELHOR NÃO ASSISTIR.

Ricardo Bing Reis AJUDE A MUDAR ESTA REALIDADE: ponha seu pingo de água para formar o Oceano> www.msf.org.br

Ajuda Humanitária | Médicos Sem Fronteiras
www.msf.org.br
Médicos Sem Fronteiras é uma organização médico-humanitária internacional, independente e comprometida em levar ajuda e cuidados médicos a vítimas de epidemias, catástrofes, fome e conflitos.
22 de dezembro de 2012 às 15:27

Ricardo Bing Reis Faça como John Lennon. Preocupe-se com o mundo. Com 57 reais, preço de 1 pizza, pode-se: 1- ou fornecer vacina contra o sarampo para 72 crianças; 2- ou fornecer leite enriquecido para 22 crianças gravemente desnutridas. Assim, veja que já se faz muito, por pouco! E por aí seguem os benefícios, progressivamente maiores com o aumento das doações.
22 de dezembro de 2012 às 23:03

Ricardo Bing Reis As comemorações de final de ano são esperadas com ansiedade por grande parte das pessoas. Trata-se de um período propício para a realização de um balanço do ano que passou e da formação de planos para o que está por vir. Ao invés de se auto impor metas para o ano seguinte, ainda geralmente INDIVIDUALISTAS, que tal: 1- Comemorar estar vivo; 2- Se doente, concentrar-se em cultivar a esperança de seu único desejo de então se realizar: ficar são; 3- Promover o mesmo para os nossos semelhantes miseráveis espalhados pelo mundo, como na África. Fazer uma ÚNICA promessa como meta de ano, de ajudar os pobres, por exemplo via 'Médicos Sem Fronteiras'. É a MAIOR GRANDEZA que se pode aspirar. E, tenha certeza que, tal ato, lhe trará uma sensacional sensação de 'dever opcional' cumprido. É muito gratificante ver seu boleto quitado.
22 de dezembro de 2012 às 23:16

Ricardo Bing Reis A doação faz ao provedor, um bem proporcionalmente tão grande quanto o benefício tido pelo vetor da benevolência. Doação, é o melhor presente de Natal (e de todos os meses do ano) que alguém pode se dar. É o comprovante quitado da auto-estima em alta.
22 de dezembro de 2012 às 23:20

Coração Egocêntrico

Ricardo Bing Reis Por que alguém se deixaria ter suas energias sugadas por outros? Pergunto pois alguns permitem. Mas imagino que nem são tantos. E, também imagino que, os sugados, odeiem o parasita, submetendo-se via masoquismo, que seria uma variante da baixa auto-estima. O masoquismo seria um auto-sadismo? Pensando um pouco pelo outro lado, aquele que parasita (um tanto quanto sádico), imagina-se amado pela simples presença física do explorado? Talvez, cegado pelo seu egoísmo. Este, só tem olhos para si mesmo; e ouvidos para ninguém.
21 de dezembro de 2012 às 13:34

Ricardo Bing Reis Egocentrismo ou egoísmo me remetem sempre à lembrança do 'sete pecados capitais', não sob a ótica esotérica e/ou místico-religiosa, mas sim pela aculturação comportamental das pessoas. Pode até parecer fácil para muitos, mas eu tenho certa dificuldade em fazer diferenciações semânticas em relação aos descritos 'seven', acho que por São Tomás de Aquino, se não fôr Dante Alighieri, ou ambos, ou nenhum.
22 de dezembro de 2012 às 09:56

Ricardo Bing Reis Tenho para mim, que os seven seriam filhos do egoísmo/egocentrismo, o qual, pelos seus individualismos exagerados, causaria prejuízo ao coletivo, ao social, à comunidade. Assim, normas sociais intencionariam dar limites à estas pessoas que estrapolariam o bom senso. Visto não ser possível policiar todo mundo, todos os dias e os dias inteiros, talvez tenha-se, por isto, idealizado um auto-policiamento mediante reforço de um super-ego pelos Dez Mandamentos e Sete Pecados Capitais, para citar apenas 2 exemplos dentre muitas normatizações, códigos, etc.
22 de dezembro de 2012 às 10:01

Ricardo Bing Reis Certa vez, um professor na faculdade me referiu uma frase que não mais esqueci: 'Quer 5(?); então pede 10(!)'. Desta forma, tentando corrigir a sociedade mediante poda dos contra-producentes egoístas/egocêntricos, talvez tenha-se conseguido sim algo significativo em relação aos espaçosos e folgados; mas, desconfio que até tenha ocorrido mais hiper-correções, com relação a quem não precisava. Desta forma, é possível que tenha-se 'fabricado' um número exagerado de severos reprimidos (os popularmente ditos recalcados), o que talvez seja o tal outrora denominado neurótico e suas variantes.
22 de dezembro de 2012 às 10:08

Ricardo Bing Reis Dicionário > Egoísmo: termo com origem ligada ao latim 'ego', 'eu'. Individualismo e indiferença perante ao próximo. Mesquinhez, ganância, misantropia, orgulho, vaidade, presunção, narcisismo. Frase exemplo - 'O egoísmo é seu maior defeito. Seu extremo egoísmo impedia-o de reconhecer os méritos alheios'. Antônimos: generosidade, caridade, renúncia, altruísmo, filantropia, humildade.
22 de dezembro de 2012 às 10:17

Ricardo Bing Reis Lendo esta definição ao dicionário, parece claro que egoísmo não é excesso de auto-estima. O egoísmo é justo a pedra no caminho da busca da auto-estima. Enquanto o egoísmo é extremado, e, como todos extremos, inadequado, a auto-estima é moderada por ponderação. Também me ficou razoavelmente claro que os seven seriam mesmo filhos do egocentrismo, visto estarem citados dentre pertencentes ao mesmo campo semântico.
22 de dezembro de 2012 às 10:20

Ricardo Bing Reis Se tudo isto fôr correto, o egoísmo seria a fonte de todas as maldades e inadequações das pessoas e do mundo. Tudo, direta ou indiretamente, emanaria dele. Ao fim, seria o demônio da humanidade, no sentido metafórico. E, a Bíblia e outros Livros Sagrados não teriam também sido metafóricos mas com fins bem intencionados de manutenção da ordem social nos povos? Neste caso, a religiosidade teria tido e ainda teria uma fundamental função social, embora menosprezada por muitos e muitos. Se estamos ainda aqui, boa parcela teria sido por estes mandamentos, códigos e normativas (a despeito das hiper-correções)?
22 de dezembro de 2012 às 10:25

Ricardo Bing Reis Dicionário > Egoísta: individualista, pessoa preocupada exclusivamente com os próprios interesses; egocêntrico, autocentrado. Narcisista, orgulhoso, presunçoso, pretencioso, pedante. Frases exemplos: 'Pessoas egoístas acreditam que todos os atos são motivados por interesses pessoais. A dificuldade de admitir falhas provém do temperamento egoísta'. / 'Os egoístas podem ter problemas para trabalhar em equipe'. Antônimos: generoso, caridoso, altruísta, abnegado, simples, humilde.
22 de dezembro de 2012 às 10:32

Ricardo Bing Reis Assim como ocorre comigo (com meu ego), julgo que é impossível não se ver nestas definições. Até porque, se 'egoísmo' vem de 'ego' e este, significa 'eu', como não ser assim se cada qual de nós é um 'eu'. O diferencial está no exagero. E tal exagero é difícil de ver em nós mesmos. Daí a dificuldade de ponderar-se; ponderação que caracterizaria a maturidade, a resiliência, a tolerância (não no sentido pedante de 'eu te tolero', mas no sentido de acolhimento). E, basear-se na análise dos outros pode ser perigoso, já que podem vir carregadas de interesses secundários para fazer de ti um tolo, visando tirar de ti mais do que se é coerente e saudável; isto é, parasitando-te. Assim sendo, muitas vezes pode ser necessária uma intervenção com 'neutralidade', que pode vir de amigos, o que tem efeito psicoterápico, mas principalmente por 'psicoterapeutas', que detém a técnica. Os amigos, que não detém a técnica psicanalítica, podem pecar por adulação.
22 de dezembro de 2012 às 10:44

Ricardo Bing Reis A palavra 'narcisismo' a mim causa certa confusão. Penso que temos o narcisismo externo da parte física, e o narcisismo interno da parte psico-mental. Se o narcisismo fôr um excessivo 'gostar de si mesmo', é prejudicial. Já o 'gostar de si mesmo', sem os excessos, acho, seria a auto-estima. Neste caso, o narcisismo seria também uma pedra no caminho da busca da auto-estima, tanto o externo quanto o interno.
22 de dezembro de 2012 às 10:48

Ricardo Bing Reis Tendo em vista que o narcisismo cega e ensurdece o portador, ele vai traçando uma vida de perdas ocultas e sorrateiras. Tende a chegar em um ponto em que questionar-se-á (acho que esta escrita está errada mas achei bonita) por que as pessoas verdadeiras se afastam dele, e/ou porque as pessoas falsas se aproximam dele por interesses secundários? Tendo em vista que não se vê e não ouve os avisos prévios, acaba ainda por julgar-se injustiçado. Ou, por mecanismo de defesa, se agarra na crença de que o mundo é assim mesmo e que todos só pensam em si mesmos. No entanto, se não burro fôr, poderá constatar o que o próprio povo ecoa: 'aqui se faz (de ruim), aqui se paga'.
22 de dezembro de 2012 às 10:54

Ricardo Bing Reis 'A banca paga e recebe' & 'Cada um tem a vida que merece' > Se, por exemplo, o egoísta tenha canalizado seu egoísmo para o dinheirismo, terá sido a banca que recebeu em dinheiro papel, mas que terá pago em carência afetiva. Tendo em vista que não somos um gélido cofre bancário, para onde tenderá esta balança? Acho que não será para o lado do caloroso a afagante afeto dos seus familiares, amigos e admiradores (muito embora, possa sim haver uma proximidade deles, mas burocrática e não genuína). Conclui-se daí, que trocar o 'papel-moeda do poder' em detrimento do afeto humano, resultará no merecimento de uma consequente vida carente, a qual se auto impôs. É tão pobre que só tem dinheiro.
22 de dezembro de 2012 às 11:09

Ricardo Bing Reis 'O mundo é dos espertos' & 'Que Deus te pague' > Pelo que escrevi, e mantendo a coerência e bom senso, estas 2 frases poderiam ter pertinência. A primeira, por não ser verdadeira, pois o espaçoso tende a ficar isolado em sua imensidão. A segunda, também, porque ainda aqui se teria a compensação por ficar amparado em sua grandeza. Agora, se Deus ainda vai dar um pagamento extra, aí já não tenho a menor condição de saber, embora tenha fé.
22 de dezembro de 2012 às 12:36

_____________________________________________

ATO DE GRANDEZA > E surpreende como este procedimento é muito mais simples do que se imagina.

Ricardo Bing Reis Tende a não ser doloroso. O candidato à doador, passa por bateria de exames para constatar estar ou não apto. Caso não esteja, pode participar divulgando as campanhas, tanto quanto as campanhas para doação de sangue.
24 de dezembro de 2012 às 16:30

_____________________________________________

GRANDEZA > DOADORES DE SANGUE SÃO DOADORES DE VIDA: Infelizmente, em geral, apenas pensamos nisto quando estamos a precisar, para nós mesmos ou parentes e amigos. Não seríamos, assim, nada mais que sanguessugas?

_____________________________________________

TRÂNSITO > Ainda mais que a circunstância retratada, o tônica nas ruas e avenidas parece ser a irritação. Os motoristas se cortam a frente sem colocar sinal pisca; e, principalmente, ignoram as filas de carros para conversão ao acessar outra via, correndo por fora e tomando a dianteira lá na frente, ignorando e menosprezando à todos. Insistem em querer insinuar serem superiores aos outros que estão enfileirados. Vale para homens, mulheres, jovens e idosos. Parece que os mais educados são os jovens. Levo fé na juventude. Ainda acho que a geração que está chegando, fará o que a minha não fêz. Embora não seja difícil tal tarefa.

_____________________________________________

DOAÇÃO DE ÓRGÃOS > É MUITO INSUFICIENTE. ASSIM, OBSERVE POR ANALOGIOA, A ANGÚSTIA DO PADECENTE QUE ESPERA PACIENTEMENTE(?) E/OU AFLITAMENTE(!), PELA SUA VEZ DE RECEBER O ÓRGÃO QUE NECESSITA, PARA SOBREVIVER. SIM, É QUESTÃO DE VIDA OU DE MORTE.... COLABORE COM SUA GRANDEZA, SENDO UM DOADOR. >> VÍDEO DE APENAS 1 MINUTO.

TÉCNICOS DE ENFERMAGEM > OFÍCIO QUE EXIGE MUITA DEDICAÇÃO, ATENÇÃO, AUTO-CONTROLE E PACIÊNCIA. A LIDA DIÁRIA, ÀS VEZES SOB PLANTÕES, NO CONTADO DIRETO E CONSTANTE AO ENFERMO BAIXADO, É MUITO DESGASTANTE. O TRATO COM PESSOAS É SEMPRE ESTRESSANTE, PRINCIPALMENTE EM SE TRATANDO DE DOENTES, FAMILIARES DE DOENTES E 'PESSOAS DIFÍCEIS'. NÃO RARO, O TRABALHO AINDA É BRAÇAL (REMOÇÕES, ETC). SÓ QUEM CONVIVE SABE AVALIAR. POUCO RECONHECIDOS E POUCO VALORIZADOS.

Ricardo Bing Reis Dentro de um hospital, passam despercebidos, como se fossem invisíveis. Somente se tornam visíveis, quando para serem xingados pelos maus serviços prestados pelo Sistema de Saúde, como se eles fossem culpados da problemática da Saúde(?) Pública.
16 de novembro de 2012 às 11:46

_____________________________________________

OLHE?

_____________________________________________

CONFORME EM TROCA DE EMAIL ENTRE EU E AMIGO HÁ EXATOS 7 DIAS, ALÉM DISTO TUDO MENCIONADO, TALVEZ O MAIS INCRÍVEL É QUE SÃO TOTALMENTE DESPROVIDOS DE RANCOR. VOCÊ PODE FICAR DEVENDO E ELE NUNCA VEM COBRAR A DESFEITA!

_____________________________________________

SRD > A mim, parece um contra-senso, comprar animais de raça com tantos coitados por aí perambulando à esmo, miseravelmente. Aqui em casa, adotamos 2 gatos vira-latas. No entanto, nada contra quem compra, desde que os tratem como merecem.

_____________________________________________

DESEMPREGO E AMIGOS > Ouvi, há 30 minutos, na rádio CBN, o comentário de Max Gheringer, no seu programa-flash dito 'Mundo Corporativo'. Ouvinte, escreveu-lhe que foi demitida e, desempregada, recorreu às redes sociais. Referiu também ter, literalmente, milhares de amigos virtuais, pois participava de várias redes. E, teve uma grande decepção. Nada mais recebeu que algumas mensagens de consolo e estímulo. Nenhum sequer solicitou que enviasse seu currículo para tentar ajudar.

Ricardo Bing Reis Comentário dele, Max Gheringer > a maioria das redes sociais são de usuários que meramente procuram diversão. Algumas raras, são voltadas para perfis profissionais. No entanto, mesmo nestas, a maioria são amigos que não se conhecem pessoalmente. E, como indicar alguém que não se conhece por encontros pessoais e de amizades reais? Pessoalmente, há não muito, eu escrevi que os verdadeiros amigos são aqueles mais da infância e adolescência, que conhecem a tua trajetória de vida, 'in vivo'. Embora possa não ser assim. E, coincidentemente, o condutor do comentário complementou que ela deveria contactar seus amigos da infância e adolescência, e 1 à 1, em conversa pessoal; nada de via redes sociais. Isto porquê, são os únicos que pegariam o telefone buscando fazer contatos com seus afins, para ajudar você. O desemprego tende a ser período aflitivo!
26 de junho de 2012 às 00:22

_____________________________________________

BRAZIL' > 'Este é um país que vai prá frente'!... Reportagem é desatualizada, de 2001. Agora perguntaria: a reportagem está desatualizada, mas a realidade não poderia ser ainda atual? Caso sim, passou a reportagem, mas não teria ficado lá a pobreza, a miséria e o sofrimanto humano extremo (com mortes por todos os lados), ainda até agora? Não sei responder. Mas não me surpreenderia nem um pouco se a resposta fosse sim.

Ricardo Bing Reis Faça alguma coisa ajudando via 'Médicos Sem Fronteiras' > www.msf.com
MSF.COM
www.msf.com
If you received SPAM that contains a return address that appears to be @msf.com, please read the SPAM policy located here.
24 de junho de 2012 às 03:44

_____________________________________________

GRANDEZA. - DOAÇÃO DE MEDULA

_____________________________________________

SOLUÇÕES MÁGICAS > Não solucionam. Se milagres existem, não se tem visto realizarem-se na África. Heróis são como deuses criados pelos homens, não que Deus inexista. Não precisamos de heróis, nem milagres, mas de mutirões, como 'Médicos Sem Fronteiras'. Aqui, Tina Turner, fisicamente, mais parece uma deusa, em Mad Max. Mulher de história de vida admirável, como pode-se ler no rodapé do vídeo. www.msf.com

_____________________________________________

BRASIL MISERÁVEL > 'Ó Pátria amada, idolatrada, salve, salve'... 'Terra adorada'... 'Pátria amada ó Brasil'... A África em nós. 'Ordem e Progresso'. Ouvi no rádio, que o governo teria determinado uma reclassificação do que seria classe A, B, C, D, E. E adotou um critério em que, seria 'classe C', aquelas famílias que tivessem uma renda mensal de 300 reais por membro da família. Assim, famílias de 4 pessoas, com renda de 1.200 reais mensais, já seriam da 'classe C'. Isto seria o porquê da 'evolução' de grande parte do povo brasileiro ter passado das 'classes D e E' para 'C' recentemente? Seria um artifício matemático (pelo menos em significativa) parte? Espero que não. Espero que não tenhamos sido vítimas de um engodo. Caso tenhamos sido, o que sobra para estes 16 milhões de brasileiros (quase 10% da população) da 'classe E', que nem por artifícios matemáticos conseguem deixar a classe E (e 'D'); sendo assim, os da 'classe E', inevitavelmente miseráveis, vivendo, cada, com menos de 70 reais por mês! 'Médicos Sem Fronteiras' também tem 'um braço' Brasil.

BRASIL MISERÁVEL CONT

Ricardo Bing Reis Faça alguma coisa, contribuindo via 'Médicos Sem Fronteiras' > www.msf.com
MSF.COM
www.msf.com
If you received SPAM that contains a return address that appears to be @msf.com, please read the SPAM policy located here.
24 de junho de 2012 às 03:47 ·

BRASIL MISERÁVEL > A miséria africana também 'resplandece(!)' no Brasil. Ordem e Progresso.

Ricardo Bing Reis Faça alguma coisa, contribuindo via 'Médicos Sem Fronteiras' > www.msf.com
MSF.COM
www.msf.com
If you received SPAM that contains a return address that appears to be @msf.com, please read the SPAM policy located here.
24 de junho de 2012 às 03:46

_____________________________________________

ÁFRICA > Esta magnífica música é do filme 'Tarzan'. E, Tarzan, é filho direto da África; e da generosidade dos primatas. Por exercício de raciocínio, nos remeteria à temática de nossa ingratidão para com os primatas e todos os demais animais. Para com a Natureza toda. Somos devedores. E, não bastasse, milhares de pessoas vivem, nesta mesma África, em condições de miséria. Sub-humanas. É legal isto? Faça alguma coisa, contribuindo com 'Médicos Sem Fronteiras'. Tenha certeza que, alguém, lá, dirá, para seu íntimo, sobre você, sem conhecê-lo, 'You will be in my heart'. O escrito é insignificante para você? Caso sim, reveja-se: você está fazendo sua passagem pelo mundo valer a pena para o MUNDO, ou seja, também para os outros? Ou só lhe interessa você e seus familiares. Ou ainda uma vez, nem isto, apenas você por você mesmo?

Ricardo Bing Reis www.msf.com
MSF.COM
www.msf.com
If you received SPAM that contains a return address that appears to be @msf.com, please read the SPAM policy located here.
23 de junho de 2012 às 23:32 ·

_____________________________________________

ÁFRICA > Transcendendo no pensar, mas dentro do mundo real: você já imaginou que poderia ter nascido na África? Este vídeo, também chamado '2 mundos', seria, por meu artifício, a divisão entre o mundo em que não-nascemos (não-África) e o mundo onde poderíamos ter nascido (África). Ao mesmo tempo, mirando o globo que tenho aqui nas proximidades, vejo apenas 1 planeta, 1 mundo; e não 2. Não bastasse, o vídeo é 'poliglota', como que chamando a todos para ajudar. Assim, há algo de muito errado em tudo isto. 'The Police' entitulou música de forma pertinente: 'One world (and not five), is enough for all of us'... Faça alguam coisa via 'Médicos Sem Fronteiras'.

Ricardo Bing Reis www.msf.com
MSF.COM
www.msf.com
If you received SPAM that contains a return address that appears to be @msf.com, please read the SPAM policy located here.
23 de junho de 2012 às 23:30

Ricardo Bing Reis Costumo citar a África, como um exemplo mais aberrante, mas vários são os demais lugares do mundo em condições semelhantes, inclusive, lamentavelmente, o Brasil, onde até Esquistossomose, ainda existe...
24 de junho de 2012 às 00:35

_____________________________________________

MUNDO > Uma visão do mundo, por Albert Einstein. Seguindo a linha 'Imagine Peace & Give Peace a Chance'.

Ricardo Bing Reis Ajude a melhorar o mundo. Contribua com 'Médicos Sem Fronteiras' > www.msf.com
MSF.COM
www.msf.com
If you received SPAM that contains a return address that appears to be @msf.com, please read the SPAM policy located here.
23 de junho de 2012 às 22:51

_____________________________________________

EVOLUÇÃO: APOGEU E OCASO > A Antropologia Biológica é repleta de sucessos (Evolução). A Antropologia Social, acaba por ter que abordar a ganância do 'Homo Sapiens Sapiens sp'; ou 'Homem Moderno' (Involução)

_____________________________________________

GRANDEZA. - BOMBEIRO

_____________________________________________

MÉDICOS SEM FRONTEIRAS > PROFISSÃO REPÓRTER / REDE GLOBO > CREDIBILIDADE.

_____________________________________________

NÃO DEIXE DE ASSISTIR > DURA MUITO MENOS QUE UM INTERVALO DE NOVELA. 'MÉDICOS SEM FRONTEIRAS'.

ALTRUÍSMO > Carência física, afetiva e agradecimento. Há retorno melhor?

Ricardo Bing Reis www.msf.com
MSF.COM
www.msf.com
If you received SPAM that contains a return address that appears to be @msf.com, please read the SPAM policy located here.
10 de junho de 2012 às 00:39

MÃES VITORIOSAS > VEJA NO SITE DE 'MÉDICOS SEM FRONTEIRAS', SOBRE A AFLITANTE MATERNIDADE NA ÁFRICA.

Ricardo Bing Reis 'Admirável mundo novo' e evidências do fracasso da humanidade até agora: milhares de crianças morrerem na Àfrica, até por surto de sarampo, doença totalmente evitável por vacinação, o que expõe a fragilidade das crianças e falta de políticas preventivas básicas; permitindo assim, mortes por epidemias que sequer ainda deveriam existir ou, ao menos, serem fatais. A mim parece estranho que pessoas tenham carros mirabolantes e todo tipo de iCoisas e não doem o valor de 1 pizza por uma causa destas. Não estou querendo ser gerador de 'culpa', mas sim alertar à contra-sensos e falta de humanidade; um pouco de falta de bondade...
3 de junho de 2012 às 13:56

EXEMPLO DE RETORNO DE 'MÉDICOS SEM FRONTEIRAS' POR ATIVIDADES DESEMPENHADAS EM MAIO DE 2012. VEJA PARA ONDE FOI SUA CONTRIBUIÇÃO. NÃO VALEU A PENA?

_____________________________________________

ÁFRICA > O abandonado continente-mãe. Prova viva(?) do fracasso da humanidade? Faça alguma coisa de prático, colabore com 'Médicos Sem Fronteiras'. www.msf.com

SOLIDARIEDADE > OUVI SOBRE, NO RÁDIO, HOJE. NÃO TEM RELAÇÃO COM 'SOLIDÃO'; EMBORA AJUDE PESSOAS E COMUNIDADES ABANDONADAS E/OU EXCLUÍDAS DO CONTEXTO MUNDIAL. A PALAVRA 'SOLIDARIDADE' GUARDARIA CONOTAÇÃO COM 'SÓLIDO', SERIA VOCÊ 'CON-SOLIDAR' COMPORTAMENTO COOPERATIVO COM QUEM VOCÊ, MUITAS VEZES, SEQUER CONHECE. É A AÇÃO SÓLIDA, EM MONOBLOCO, EM PROL DO OUTRO. E, QUEM ASSIM AGE, AINDA EXPLICITA 'SOLIDEZ' DE PERSONALIDADE E DE CARÁTER; MENTE SÓLIDA, MADURA, ALTRUÍSTA. O ALTRUÍSMO É CARACTERÍSTICA DE PSIQUISMO SOFISTICADO, DESDE QUE NÃO ATINJA UM NÍVEL DE AUTO-PREJUÍZO. SIGNIFICA PENSAR QUE O MUNDO NÃO É SOMENTE ELE E SEUS PROBLEMAS, MAS ELE É APENAS MAIS UM; E QUE, SUA PASSAGEM PELO MUNDO, FÊZ, FAZ E FARÁ DIFERENÇA; E, NÃO SER ELA, O 'DIFERENTE' OU A 'DIFERENÇA'. INCLUI ATITUDES NO BRASIL, PELO MUNDO, PRINCIPALMENTE ÁFRICA, ZÊLO PELOS ANIMAIS, AMBIENTE, ETC. HOJE MESMO ATENDI FUNCIUONÁRIO DO 'IBGE' COM 58 ANOS EM VIAS DE SE APOSENTAR EM 2 ANOS. E, MENCIONOU, QUE JÁ ESTÁ PROCURANDO ATIVIDADE EM ALGUM SERVIÇO SOCIAL VOLUNTÁRIO PARA NÃO FICAR EM CASA SE DEPRIMINDO. www.msf.com

Ricardo Bing Reis www.msf.com
MSF.COM
www.msf.com
If you received SPAM that contains a return address that appears to be @msf.com, please read the SPAM policy located here.
30 de maio de 2012 às 22:50 ·

Ricardo Bing Reis POR ISTO ACHO QUE OS POLÍTICOS PODERIAM SER APOSENTADOS, VOLUNTÁRIOS, SEM FINS LUCRATIVOS; QUE PROCURAM FAZER ALGO DE ÚTIL EM SUAS VIDAS PARA OS OUTROS; À FICAR EM CASA, SE DEPRIMINDO. HAVERIA FILA DE VOLUNTÁRIOS, MESMO SEM SIGILO BANCÁRIO E TELEFÔNICO.
30 de maio de 2012 às 22:52

ISTO NÃO SERIA FUNÇÃO DO GOVERNO, DESCONTANDO DOS NOSSOS IMPOSTOS JÁ PAGOS? O PAÍS NÃO TEM VERBAS PARA ACIDENTES NATURAIS? SEMPRE ACABA O POVO TENDO QUE FAZER AS VEZES DO GOVERNO! MAIS UM ERRO. RELEMBRANDO: PAGAMOS MAIS DE 30% DE IMPOSTOS DIRETOS, E O GOVERNO RETORNA APENAS 10% EM MELHORIAS. CAOS.

_____________________________________________

O MUNDO JÁ ESTARIA EM SITUAÇÃO PRÉ-APOCALÍPTICA? ACHO QUE NÃO. A PREVENÇÃO URGE; MAS A REMEDIAÇÃO TALVEZ NÃO TARDE TANTO QUANTO AINDA NEM SE COGITA MUITO. ACHO, QUE EM MÉDIO PRAZO, A ENGENHARIA GENÉTICA E A FÍSICA APLICADA, OBTERÃO AVANÇOS QUE NOS PERMITAM RECUPERAR RAZOAVELMENTE O TERRENO PERDIDO E, NUM 'FUTURO AINDA MAIS FUTURO', AS COISAS PODERIAM FICAR ECOLOGICAMENTE MELHOR DO QUE JAMAIS CHEGARAM A SER. INCLUSIVE ATENUAÇÕES IMPORTANTES NOS ACIDENTES NATURAIS, E SUAS REPERCUSSÕES NAS MISÉRIAS HUMANAS. OTIMISMO EXAGERADO? SEMPRE QUE O SER HUMANO SE 'PÔS À PROVA', ATÉ HOJE, 'DEU PROVA' DE SUA CAPACIDADE. MAS, É CLARO QUE A 'SORTE' PODE ACABAR. NÃO CUSTA NADA DEIXAR ALGUMAS 'ARCAS DE NOÉ' ATRACADAS NOS PORTOS.

Ricardo Bing Reis E 'BUDA', QUE SUGERE ...'NÃO NOS PREOCUPEMOS COM O FUTURO, NEM NOS ADIANTEMOS AOS PROBLEMAS'...; FICA COM O DISCURSO DE ABERTURA?
19 de maio de 2012 às 04:26 ·

BOM SENSO (RESTRITO) E O SENSO COMUM (NÃO TÃO BOM!...).

Ricardo Bing Reis ACHO QUE NÃO SE TRATA SÓ DE CRIATIVIDADE, MAS MUITO MAIS AINDA POR ESFORÇO, OBSTINAÇÃO E VONTADE DE FAZER ALGO PELOS OUTROS, POR MERO ALTRUÍSMO. PASSAR PELO MUNDO, DE UMA FORMA DESTA PASSAGEM TER VALIDO A PENA PARA O MUNDO; E NÃO SÓ PARA ELE MESMO. TODO AQUELE DO 'SALVE-SE QUEM PUDER', TERÁ UMA PASSAGEM DESPREZÍVEL E ATÉ TERÁ SUBTRAÍDO, DESTE JÁ MUITO CARENTE MUNDO. SÃO AQUELES QUE SE NÃO TIVESSEM NASCIDO, EM NADA MUDARIA A REALIDADE, OU ATÉ MELHOR SERIA, TRISTEMENTE, QUE NEM TIVESSE NASCIDO.
18 de maio de 2012 às 20:31 ·

_____________________________________________

Adoção ou compra de pets: conheça direitos e deveres

Ricardo Bing Reis ADOÇÃO DE 'PETS' > Com tantos animais de rua abandonados por aí, poder-se-ia até considerar um contra-senso comprar animais de raça. Aqui em casa, minhas filhas tem 2 gatos 'vira-latas' e, difícil imaginar como 2 animaizinhos tão dóceis andavam por aí à desgraça.
17 de junho de 2012 às 18:38

DIA DAS MÃES > HOMENAGEM ALTERNATIVA Á MÃE-NATUREZA E SEU VENTRE 'MÃE-ÁFRICA'. DESTE VENTRE, NASCERAM TODOS OS SERES HUMANOS, POR CONTINUIDADE. ESTE DESFECHO, ABORDA A MISCIGENAÇÃO.

DIA DAS MÃES > MINHA HOMENAGEM INUSITADA: PARABÉNS À 'MÃE-NATUREZA'; QUE 'FIAT LUX' À MÃE-ÁFRICA, MÃE DE TODOS OS SERES HUMANOS DE TODOS OS OUTROS CONTINENTES. E, A ÁFRICA, HOJE LEITO DE MUITAS MORTES, É O BERÇO DE TODAS AS VIDAS HUMANAS. E, EM HOMENAGEM À ESTE 'CONTINENTE-ANTROPO-BIOGENÉTICO', MAIS UMA MÚSICA DE ETNIA AFRO-DESCENDENTE. E, SE TODOS SOMOS FILHOS DA ÁFRICA, NÃO SÓ OS AFRICANOS SÃO AFRO-DESCENDENTES, E SIM, SOMOS TODOS OS 7 BILHÕES QUE ESTAMOS AQUI. OU EXISTE A NETA SEM TER EXISTIDO A AVÓ?

E, SE OS ANIMAIS, DE ALGUMA FORMA IMAGINÁRIA, SE ORGANIZASSEM E FIZESSEM CONOSCO, SERES 'DES-HUMANOS', O QUE NÓS FAZEMOS COM ELES, ANIMAIS (?)!... TENTE REALIZAR ISTO EM SUA MENTE. NÃO ENTRARÍAMOS TODOS EM 'SÍNDROME DO PÂNICO'?

HISTÓRIA NATURAL > SENDO O CÉREBRO HUMANO UM DE SEUS FRUTOS, CABERÁ A ELE MESMO CLASSIFICAR-SE COMO PIOR OU MELHOR CRIAÇÃO DA NATUREZA. SE SOUBER RETIFICAR TUDO DE ERRADO JÁ FEZ PARA COM A 'NATUREZA SUA MÃE CRIADORA'; E, PROTEGÊ-LA; TALVEZ SE CANDIDATE. DIGO TALVEZ, POIS, COMO VISTO NESTE VÍDEO, A CONCORRÊNCIA É GRANDE. PELO MENOS ATÉ ESTE MOMENTO, PENSO QUE, MUITO MAIS ATRAPALHAMOS O MUNDO, QUE AJUDAMOS. ACRESCENTARIA AINDA QUE, SE ELE, MUNDO, AINDA CONSEGUE SER O QUE É, O É, À DESPEITO DE NÓS. NOSSO EGOÍSMO, SERIA O MOTIVO DE EU, PARTICULARMENTE, CLASSIFICASSE, POR ENQUANTO, O CÉREBRO HUMANO COMO O GRANDE ERRO DA NATUREZA. POR ENQUANTO, REITERO.

CONHEÇO BOAS PESSOAS QUE SÃO INDIFERENTES AOS ANIMAIS. INDIFERENTE NÃO SIGNIFICA AVESSOS. MAS ESTOU 93% MAIS INCLINADO A CONCORDAR COM A FRASE, DO QUE NÃO.

PROFISSIONAL DA ÁREA DA SAÚDE DIFERENTE DISTO, PRECISA TROCAR DE OFÍCIO.

INICIATIVA DE JOVENS BRASILEIROS. www.osonhobrasileiro.com.br www.pesquisa.osonhobrasileiro.com.br TAMBÉM PELO FACEBOOK; E SUGIRO 'CURTIR'. NESTAS HORAS É QUE PENSO DEVESSE HAVER OUTRA OPÇÃO NO FACEBOOK > 'parabéns'.

Ricardo Bing Reis PERTENÇO À GERAÇÃO 'PAZ E AMOR'; DOS FINS DOS ANOS 60; EMBORA NUNCA TENHA SIDO 'BIXO-GRILO'. AQUELA QUE PENSAVA QUE MUDARIA O MUNDO. HOJE ACHO QUE SE ESTA TURMA DE JOVENS QUE ESTÁ CHEGANDO REPETIR A MINHA, SÓ TEREMOS A LAMENTAR. PENSO QUE AS COISAS NÃO ESTÃO INDO POR UM CAMINHO MUITO BOM. O NARCISISMO NUNCA ESTEVE TÃO INFLAMADO. MAS TENHO FÉ NOS NOSSOS DESCENDENTES.
9 de abril de 2012 às 20:48 ·

Ricardo Bing Reis GARIMPEI NO FACEBOOK > "POVO QUE ELEGE CORRUPTOS NÃO É VÍTIMA, É CÚMPLICE". NÃO VALE APENAS PARA O BRASIL, EM TODOS OS TEMPOS; MAS PARA O MUNDO, EM TODOS OS TEMPOS...
20 de setembro de 2012 às 15:26

MENDIGO OU INDIGENTE > VIVEM EM CODIÇÕES SUB-HUMANAS, MISERÁVEIS, INDIGNAS. INCRIVELMENTE, PARA MINHA SURPRESA EXTREMA, ONDE VI O MAIOR AGLOMERADO DE MENDIGOS, POR IRONIA OU NÃO-ACASO, FOI NAS RUAS EM CERCANIAS DO PRÉDIO DA 'ONU' EM NEW YORK, EM 1995. 3 OU 4 TRANSVERSAIS TOMADAS POR 1 OU 2 QUARTEIRÕES CADA. ESPANTOSO. DORMINDO EM CAIXAS DE PAPELÃO, À ZERO GRAU. NO BAIRRO ONDE TENHO MINHA CLÍNICA MÉDICA, VOLTA E MEIA OCORREM CICLOS DE APARECIMENTO DE MENDIGOS. E, JÁ CONVERSEI REITERADAS VEZES COM APROXIMADAMENTE 10 DELES. DESTES, 2 ERAM, À MEU JUÍZO, DE MÁ ÍNDOLE. OS DEMAIS, TODOS ME CAUSARAM GRANDE ESPANTO, PARA MINHA VISÃO ATÉ ENTÃO PRECONCEITUOSA: VIVEM EM CONDIÇÕES SUB-HUMANAS MAS SÃO MUITO HUMANOS; SÃO MATERIALMENTE MISERÁVEIS, MAS NÃO DE CARÁTER MISERÁVEL; SÃO DE VIDA INDIGNA CONSIGO MESMOS, MAS TEM DIGNIDADE MORAL. SÃO MUITO SUPERIORES COMO PESSOAS QUE A GRANDE MAIORIA DOS 'BACANAS'. O QUE SE PASSA PARA UMA PESSOA CHEGAR À ESTAS CONDIÇÕES EU JÁ NÃO ENTENDO BEM. LI UM VASTO ARTIGO NA 'FOLHA DE SÃO PAULO' HÁ UNS 12 ANOS, MAS NÃO LEMBRO MUITO DO CONTEÚDO. FALAVA-SE EM ALCOOLISMO (E DROGADIÇÃO) QUE NÃO PODERIA SER EXERCIDO EM CASA OU ALBERGUES, FALAVA-SE EM DOENÇAS MENTAIS, 'FORÇAS OCULTAS', ETC. OU TUDO ISTO JUNTO. CONHECI UM QUE BEBIA ÁLCOOL DE POSTO DE GASOLINA POR SER MAIS FORTE E BARATO. FIQUEI SABENDO DEPOIS QUE MORREU POR EX-SANGUINEAÇÃO MACIÇA VIA ORALPOR VARIZES ESOFÁGICAS ROTAS. MAS, PARA CONSTATAEM O QUE DIGO, REPAREM COMO OS CÃES DE RUA GOSTAM DELES, E ELES, DOS CÃES DE RUA. PARA MIM, ISTO DIZ MUITO. E, SUSPEITO QUE JESUS VIVIA EM CONDIÇÕES PRÓXIMAS À MENDICÂNCIA, POIS ELE E SEUS 12 APÓSTULOS PEREGRINAVAM, SEM PODER TRABALHAR POR FALTA DE LOCAL FIXO. FORAM TRABALHADORES, MAS NÃO ESTAVAM TRABALHADORES. TANTO QUE JESUS, EM PASSAGEM BÍBICA QUE NÃO LEMBRO ONDE, DISSE SER A FAVOR DA ESMOLA, ATÉ PORQUE ELE VIVIA DE ESMOLAS. QUANTO À ESTA PASAGEM DE JESUS, EU NÃO SEI DAR CERTEZA POIS NÃO ESTAVA LÁ E NÃO SOU UM EXPERT EM BÍBLIA. MASQUANTO AO RESTO RELATADO, POSSO SIM DAR MEU TESTEMUNHO POIS VIVENCIEI.

Ricardo Bing Reis COM RELAÇÃO ÀS ESMOLAS: OBSERVO AS CIRCUNSTÂNCIAS. CASO TRATE-SE DE UMA PESSOA JOVEM HÍGIDA, PASSÍVEL DE LEVANTAR SACOS DE CIMENTO, NÃO DOU AJUDA, POIS NESTE CASO ESPECÍFICO, JULGO ESTAR FOMENTANDO A 'VADIAGEM'. NO ENTANTO, SE OBSERVO TRATAR-SE DE UMA PESSOA COM GRAVES DEFICIÊNCIAS OU DOENÇA, INCAPACITANTE PARA TRABALHAR E, ESTANDO EM CONDIÇÕES DE MISÉRIA, AJUDO. E O FAÇO SEM A MENOR DÚVIDA, SEM O MENOR CONSTRANGIMENTO, SEM A MENOR PREOCUPAÇÃO COM ORIENTAÇÕES DA MÍDIA EM CONTRÁRIO (POIS ESTARIA PREJUDICANDO A AÇÃO DE ORGANIZAÇÕES SOCIAIS). ACEITO TODAS OPINIÕES EM CONTRÁRIO, MAS PENSO ASSIM, PELO MENOS NAS CIRCUNSTÂNCIAS ATUAIS DA NOSSA SOCIEDADE.
8 de abril de 2012 às 03:35 ·

 

'MÉDICOS SEM FRONTEIRAS' > CASO VOCÊ SEJA UMA PESSOA QUE TEM ORIENTAÇÃO MÉDICA DE RESTRIÇÕES À EMOÇÕES FORTES; INSISTO PARA QUE NÃO ASSISTA ESTE VÍDEO. POR OUTRO LADO, PODERÁ 'ESTRAGAR O DIA' DE QUEM ASSISTIR. MAS, MAIS VALE ESTRAGAR UM QUE OUTRO DIA SEU, DESDE QUE ISTO, LEVE VOCÊ A TOMAR PROVIDÊNCIAS PARA AQUELES QUE TEM TODOS OS SEUS DIAS 'ESTRAGADOS'. A FORMA MAIS PRÁTICA E RACIONAL DE AJUDAR, É 'INVESTIR' SUA BOA VONTADE ALTRUÍSTA (MAIOR SINAL DE PSIQUISMO SOFISTICADO), EM UMA INSTITUIÇÃO ORGANIZADA E EXPERIENTE; PARA QUE SEU DINHEIRO E ESFORÇO NÃO RESULTE EM NADA.

Ricardo Bing Reis CONDIÇÕES DE VIDA 'SUB-HUMANAS'. SERIAM VIDAS MAIS CARENTES QUE DOS HOMINÍDEOS NA 'PRÉ-HISTÓRIA'? NÃO ACHO QUE SEJA TÃO DIFERENTE ASSIM!
7 de abril de 2012 às 21:07

Ricardo Bing Reis É O GRAU MAIS EXTREMO DO SOFRIMENTO HUMANO; E PRÉ-MORTE.
7 de abril de 2012 às 21:09

___________________________________________

'MÉDICOS SEM FRONTEIRAS' > COMO FAZER 'CONTATO'.

'MÉDICOS SEM FRONTEIRAS' > A MISÉRIA NO 'ADMIRÁVEL MUNDO NOVO'.

'MÉDICOS SEM FRONTEIRAS' > COMO DOAR.

Ricardo Bing Reis FAÇO MINHA DOAÇÃO MENSALMENTE E POSSO LHE GARANTIR QUE A SENSAÇÃO É MUITO BOA; DE PELO MENOS UMA PEQUENA PARTE DO NOSSO DEVER NO MUNDO SE CUMPRE POR AQUELA AJUDA.
7 de abril de 2012 às 20:59

DIA DA SAÚDE > TUDO QUE ENCONTREI HOJE EM ARTIGOS E REPORTAGENS À RESPEITO, ERA COM RELAÇÃO À SUA PRÓPRIA SAÚDE. E, COM RELAÇÃO À SAÚDE DOS MISERÁVEIS, DOENTES QUE SEQUER TEM ONDE BUSCAR RECURSOS? DESTA NINGUÉM FALA POR QUE? ACHO QUE POR ESQUECIMENTO, APENAS. MAS 'APENAS' NO SENTIDO DA CAUSA; POIS A 'CAUSA' É RELEVANTE. NÃO ADIANTA FICAR-SE POSTANDO MENSAGENS E FOTOS SOBRE O ASSUNTO, EMITIR E COMPARTILHAR OPINIÕES, COMO IRIA MINHA AVÓ, 'DA BOCA PARA FORA'. TOME ATITUDES. DAS QUE CONHEÇO, ACHO A MAIS PERTINENTE, CONTRIBUIR MENSALMENTE, PELO MENOS COM O MÍNIMO DE R$ 49,00 COM A INSTITUIÇÃO ALTRUÍSTA 'MÉDICOS SEM FRONTEIRAS'. É MENOS QUE AQUELA PIZZA (OU SIMILAR) QUE VOCÊ COME NÃO RARO. ISTO SIM É TOMAR ATITUDE, SEM ESPERAR ACONTECER POR MÃO DE POLÍTICOS INCOMPETENTES. VEJA OS DADOS NO SITE.

Ricardo Bing Reis www.msf.org

www.msf.org
www.msf.org
Médecins Sans Frontières is an international, independent organisation for medic...Ver mais
7 de abril de 2012 às 21:01 ·

ECOLOGIA > CANÇÃO SOBRE AS '3 MÁGICAS LETRAS R' > R-EDUZIR (O CONSUMO), R-EUTILIZAR (O ADQUIRIDO) E R-ECICLAR ( O LIXO).

Ricardo Bing Reis QUANDO ME REFIRO AO CONSUMISMO, O FAÇO SEMPRE RELATIVO AO 'DESCONTENTAMENTO CRÔNICO DO SER HUMANO'. MAS TEMOS TAMBÉM ESTA IMPORTANTE FACETA ANTI-ECOLÓGICA DO CONSUMISMO.
6 de abril de 2012 às 23:00 ·

Ricardo Bing Reis OBJETIVO É EVITAR O 'ARMAGEDOM', OU 'FIM DO MUNDO'. NO LIVRO BÍBLICO DO 'APOCALIPSE', 'ARMAGEDOM' TERIA A CONOTAÇÃO DA 'BATALHA FINAL' ENTRE DEUS E O SER HUMANO POSSUÍDO PELO DEMÔNIO, OU SEJA, A 'BESTA HUMANA (666)'. OU COISA MEIO SEMELHANTE.
6 de abril de 2012 às 23:03

TEMPO > TEMOS; ATÉ QUE TERMINE. E, PARA MIM, TUDO QUE PRECISAMOS, É DE 'TEMPO LIVRE PARA O ÓCIO CRIATIVO' (MELHOR FORMA DE APLACAR SUFICIENTEMENTE BEM O 'DESCONTENTAMENTO CRÔNICO DO SER HUMANO'). CASO VOCÊ DISCORDE, AINDA ASSIM, VALE A PENA ASSISTIR O SHOW DE ARTE DE SALVADOR DALI, CICERONEADO PELO SHOW INSTRUMENTAL DO PINK FLOYD. AINDA NÃO GOSTOU? BEM, AÍ NÃO TEM JEITO.

SIMPLESMENTE MEU ÍDOLO.

Ricardo Bing Reis UM DOS MEUS 'PASSA-TEMPO' ERA DESENHAR E PINTAR EM TELA COM TINTA ÓLEO. JÁ AS 'LOUCURAS LOUCAS DE BOAS' DAS OBRAS DE DALI, SEMPRE ME FASCINARAM. QUE ESTRANHO FALAR EM 'PASSA-TEMPO', SE TUDO QUE QUEREMOS É QUE O TEMPO NÃO PASSE.
1 de abril de 2012 às 02:20

Ricardo Bing Reis O 'PASSA-TEMPO' SERIA UM RECURSO, PARA DESVIAR A ATENÇÃO DO ANSIOGÊNICO 'ETERNO DESCONTENTAMENTO INATO DO SER HUMANO'?
1 de abril de 2012 às 02:22 ·

HISTÓRIA DA CIVILIZAÇÃO > DESASTRES AMBIENTAIS CRÔNICOS E EVENTUAIS. DESCASOS COM A NATUREZA. O RISCO DA 'HISTÓRIA DA CIVILIZAÇÃO' RETROCEDER A SER, DE NOVO, UNICAMENTE A 'HISTÓRIA NATURAL(BEM OU MAL)'. SERIA O SOFRIMENTO HUMANO ATUAL EM TORNO DO MEDO DO FIM DO MUNDO; CIENTIFICAMENTE EMBASADO, EMBORA DE FORMA POLÊMICA. EU PREFIRO ACHAR QUE NÃO.

HISTÓRIA DA CIVILIZAÇÃO > EM VERDADE, SE AS COISAS AQUI RELATADAS SE CONFIRMASSEM, TERÍAMOS UMA NOVA CATEGORIA: PÓS-HISTÓRIA DA CIVILIZAÇÃO; E QUE, SERIA RELATADA, POR AUTOR HISTORIADOR PÓS-MORTEM. O DOCUMENTÁRIO REFERE CENAS FORTES. SEI DE MUITOS ADEPTOS DESTES DESCRITOS; EU, RESPEITOSAMENTE ÀQUELES, NÃO SOU UM DELES.

CHISTES, BOM HUMOR.

Ricardo Bing Reis SER BEM-HUMORADO E FAZER BRINCADEIRAS E CHISTES DE IMPROVISO, É EVIDÊNCIA MUITO FIEL DE ALTO GRAU DE INTELIGÊNCIA. DEMONSTRA INTIMIDADE COM ASSOCIAÇÕES LIVRES E QUASE MATEMÁTICAS, POR ENTRE UM ABSTRATO/PSIQUISMO; QUE PODE SER VISTO COMO UM UNIVERSO, INFINITO.
24 de março de 2012 às 19:26 ·

Ricardo Bing Reis O BOM HUMOR, TALVEZ SEJA A MELHOR FORMA DE REAGIR AO QUE SUPONHO SER 'DESCONTENTAMENTO CRÔNICO, INERENTE AO SER HUMANO'. ASSIM, É UMA AÇÃO REATIVA POSITIVA. INCORPORAR E ATUAR O MAU HUMOR, SERIA ENTÃO, UMA DESISTÊNCIA VIA NÃO ESFORÇO.
24 de março de 2012 às 19:30

RANCOR > OUVI MAX GHERINGER COMENTAR NO RÁDIO QUE, UM FAVOR CONCEDIDO, PERDE 25% DE SEU EFEITO A CADA ANO. ASSIM, EM QUATRO ANOS NÃO HAVERIA MAIS GRATIDÃO RELATIVA ÀQUILO. JÁ UMA OFENSA OU DESTRATO, SÓ FAZ CRESCER COM O PASSAR DO TEMPO. EVOLUINDO AO ÓDIO, SE ASSIM NÃO FOI DESDE O INÍCIO.

Ricardo Bing Reis CONCORDO 80%.
23 de março de 2012 às 00:39

CRESCENDO NA CRISE: QUANTAS E QUANTAS VEZES VOCÊ SE DEPARA COM REVÉSES? ESTÁ COM TUDO BEM PLANEJADO E PRONTO; ENTÃO ALGO ACONTECE E PARECE QUE TODA AQUELA ELABORAÇÃO CAI POR TERRA. E, QUANTAS E QUANTAS VEZES, CERTO TEMPO DEPOIS, SE DESCORTINA UMA SAÍDA, QUE ACABA POR SER AINDA MUITO MELHOR QUE A IDÉIA INICIAL. É BEM VERDADE TAMBÉM, QUE MUITAS VEZES NÃO É BEM ASSIM. MAS AQUI ENTRA O EXEMPLO DO 'GÊNESES'. QUANDO O EXCELENTE VOCALISTA PETER GABRIEL ANUNCIOU SEU DESLIGAMENTO DA BANDA PARA SEGUIR CARREIRA SOLO (E QUE FOI DE SUCESSO), PARECIA QUE A BANDA SE DESMANCHARIA. FOI ENTÃO QUE, EM INICIAL ADAPTAÇÃO, PHIL COLLINS ASSUMIU O VOCAL, ALÉM DA PERCUSSÃO, DA QUAL JÁ ERA ENCARREGADO. FOI ENTÃO QUE O MUNDO VIU SURGIR UM DOS MAIORES GÊNIOS DA HISTÓRIA DO ROCK E DA MÚSICA EM GERAL. DEPOIS, TAMBÉM EM CARREIRA SOLO, CRESCEU AINDA MAIS; SEM NUNCA ABANDONAR A BANDA DE ORIGEM, EM SHOWS ESPORÁDICOS. E, ASSIM TEM QUE SER A VIDA: SEM PENSAR EM ALTERNATIVAS FRENTE ÀS ADVERSIDADE, AO FIM, NADA, OU QUASE, SE FARÁ.

QUEM CALA, MUITAS VEZES, NÃO ESTÁ CONSENTINDO. APENAS ESTÁ TENTANDO DEIXAR RECOLHER-SE O ABELHEIRO. DEPOIS, TENTARÁ RESOLVER O IMPASSE OU POLÊMICO DE OUTRA FORMA. GRITARIA E RAIVA, IMPEDEM A RAZÃO, QUE, SE ADEQUADAMENTE CONCATENADA, É SERENA.

Ricardo Bing Reis DARWIN, UM DOS MAIORES GÊNIOS DA HUMANIDADE. SEMPRE SUSPEITEI QUE FREUD, EM BOA PARTE DE SUA OBRA, BASEOU-SE NO 'NATURE' DE DARWIN E NO 'NURTURE' DE SHAKESPEARE.
17 de março de 2012 às 02:30

SABENDO ONDE AS COBRAS ESTÃO, ACHO MAIS DIFÍCIL MATAR UM LEÃO POR DIA.

Ricardo Bing Reis É quase praxe, hoje, um agir em surdina em relação ao outro. Parece até que, o que mais se pensa, quando se conhece alguém ou vai trabalhar para alguém (ou instituição) é: 'Como é que vou tirar vantagens deste trouxa'? As evidências indicam ter atingido tal escala, que estar sendo ludibriado, aqui e ali, virou quase que uma certeza. A questão nem mais seria esta, mas 'quem, quando, onde e quanto(!)'.
18 de março de 2012 às 00:57

AMIGOS EXERCEM, POR CONVERSAS SINCERAS, EFEITOS PSICOTERÁPICOS DE APOIO.

_____________________________________________

SOMENTE UM TOLO PENSA SEMPRE DA MESMA FORMA. POIS, PARA MUDAR, IMPÕE-SE PENSAR. E VOCÊ JÁ VIU UM TOLO PENSANDO?

CONCORDO; MAS TER UM MÍNIMO DE DINHEIRO TAMBÉM É PRIMORDIAL.

Ricardo Bing Reis O DINHEIRO TRARIA UM ACRÉSCIMO DE BEM-ESTAR ATÉ UM CERTO PONTO; APARTIR DO QUAL ACRESCENTARIA MUITO POUCO A MAIS. MAS A FALTA, ISTO SIM, GERA ATÉ AFLIÇÃO.
4 de março de 2012 às 16:25

NOSTRADAMUS > JÁ EM 1972, ESTES ENGENHEIROS ELETRÔNICOS ALEMÃES ANTECIPARAM O POSTERIOR. FORAM OS PIONEIROS DA MÚSICA ELETRÔNICA, TECHNOMUSIC. O ESTILO EVOLUIRIA MESMO, 20 ANOS DEPOIS. E GEROU O BATE-ESTACA, DJS E TODO TIPO DE MÚSICA SEM MÚSICOS E SEM MÚSICA.

MUSICALIDADE > CONJECTURA DO PORQUÊ VÁRIAS PESSOAS GOSTAM DE DANÇAR. INTRA-ÚTERO, O FETO ESTÁ ENVOLTO PELO LÍQUIDO AMNIÓTICO, QUE INTERMEDIA O ESPAÇO ENTRE ELE E AS PAREDES MUSCULARES DO ÚTERO. COM O MOVIMENTO DE SOBE E DESCE, ALTERNADO, DOS QUADRIS DA SUA MÃE GESTANTE AO DEAMBULAR, ACOSTUMA-SE E APRECIA O MOVIMENTO PENDULAR. ISTO TAMBÉM JÁ JUSTIFICARIA PORQUE OS BEBÊS GOSTAM DE SER EMBALADOS PARA ADORMECER, PORQUE CRIANÇAS PEQUENAS GOSTAM DE BALANÇOS, GANGORRAS, RODA GIGANTE, ETC. E PORQUE A CRIANÇA NÃO FICA TONTA? PARA QUE TUDO ISTO SEJA POSSÍVEL, O SISTEMA LABIRÍNTICO É RUDIMENTAR EM TENRA IDADE, JUSTO PARA EVITAR INSTABILIDADE EM SEU EQUILÍBRIO. DAÍ PORQUE AS CRIANÇAS DIFICILMENTE SE QUEIXAM DE TONTURA, TANTO EM MAREAMENTO QUANTO GIRATÓRIA(VERTIGEM); EMBORA POSSA, COM RARIDADE, ESTAR PRESENTE NA INFÂNCIA.

MUSICALIDADE > CONJECTURA DE PORQUÊ GOSTAMOS DE MÚSICA. GUITARRA, DEMAIS INSTRUMENTOS DE CORDA, INSTRUMENTOS DE SOPRO: INTRA-ÚTERO, O FETO OUVE OS SONS INTERNOS DO FUNCIONAMENTO FISIOLÓGICO DO CORPO DE SUA MÃE GESTANTE. TAIS BARULHOS MENCIONADOS, SE ASSEMELHAM AOS RUÍDOS INTESTINAIS, MEDIANTE OS MOVIMENTOS PERISTÁLTICOS. SÃO OS METEORISMOS.

MUSICALIDADE > CONJECTURA DO PORQUÊ GOSTAMOS DE MÚSICA. A BATERIA: INTRA-ÚTERO, O FETO ESCUTA OS BARULHOS DO SISTEMA CÁRDIO-VASCULAR DA MÃE (QUE LHE ESTÁ GESTANDO). OS BATIMENTOS CARDÍACOS SOAM SEMELHANTE AOS 'TAMBORES'; ENQUANTO QUE O SOM DOS PRATOS METÁLICOS, O SOM DO FLUXO SANGUÍNEO CIRCULANDO RUIDOSAMENTE NOS GRANDES VASOS.

CONSUMO > CONHEÇO VÁRIAS PESSOAS QUE SENTEM UM PRAZER INDESCRITÍVEL AO FAZER COMPRAS. MULHERES E HOMENS. E, SE FOR EM 'OUTLETS' NOS ESTADOS UNIDOS, NEM SE FALA.

MANIA > NESTA CAPA DE DISCO, DAVID LEE ROTH SIMULA UM COMPORTAMENTO QUE ATÉ PODERIA SER INTERPRETADO COMO MANÍACO, POR EXCESSIVA FALTA DE MEDO.

MUSICALIDADE TEM FORTE RELAÇÃO COM FORMA DE VIDA. POR ISTO FAÇO POSTAGEM DE TANTOS VÍDEOS. NORTEARAM MINHA VIDA DE VIDA.

AJUDA HUMANITÁRIA.

Ricardo Bing Reis CARIDADE E COMPAIXÃO SÃO VALORES QUE DEVEM SER DESENVOLVIDOS E ESTIMULADOS. DIZEM RESPEITO À UM PSIQUISMO ELABORADO E SOFISTICADO.
26 de fevereiro de 2012 às 15:17

Ricardo Bing Reis CONSIDERANDO-SE QUE A MANUTENÇÃO DA ESPÉCIE COMO UM TODO É MAIS IMPORTANTE QUE DE UM INDIVÍDUO SEU ISOLADAMENTE; CONCLUI-SE QUE PARTE DO ALTRUÍSMO TAMBÉM É ORGÂNICO, DA ESTRUTURA NEURO-BIOQUÍMICA.
1 de março de 2012 às 16:39

TALVEZ SEJA O INVESTIMENTO MAIS IMPORTANTE, COMPLEXO E DELICADO DA VIDA DE MUITAS PESSOAS. É PARA SER FATOR DE FELICIDADE; MAS SEM CUIDADOS, PODE SER O CONTRÁRIO. PRINCIPALMENTE SE AS PARCELOS DO FINANCIAMENTO APERTAREM DEMAIS SUA VIDA POR 10, 20 E ATÉ 30 ANOS! NA HORA DE COMPRAR É MARAVILHOSO; NA HORA DE PAGAR, PODE VIRAR TRÁGICO. JUNTO COM CARROS, TENDEM A SER OS PRINCIPAIS FATORES DA DÍVIDA PÚBLICA, COM REFLEXOS DIRETOS NA ECONOMIA GERAL DE UM PAÍS. CUIDADO COM A EMPOLGAÇÃO DA MEGALOMANIA DA HORA.

Ricardo Bing Reis Comprometer renda que seria destinada à bem-estar, ensino, saúde e lazer; é, no mínimo, imprudência. Parece ser sensato, imaginar antes, a possibilidade de passar, por causa 'do sonho', 20 ou 30 anos no sufoco.
11 de janeiro de 2013 às 17:13

SEGINDO A LINHA DE 'IMAGINE PEACE & GIVE PEACE A CHANCE' > ELE É 'BORN IN USA' MAS CANTA 'WAR' DE 'FRANKIE GOES TO HOLLYWOOD'. A GUERRA É A ATUAÇÃO DA BESTA. A BESTA REFERIDA NA BÍBLIA SERIA A ALMA VENDIDA AO DEMÔNIO. MAS BESTA É UM QUADRÚPEDE, UM ANIMAL. ASSIM, TALVEZ PENSASSEM, NA ÉPOCA, QUE A NOSSA 'PARTE ANIMAL' ERA A ALMA VENDIDA AO DEMÔNIO. A ALMA BOA, ERA DO HOMEM, UM NÃO-ANIMAL. MAS SOMOS UMA ESTRUTURA BIPARTITE. DOIS EM UM. E, AO CONTRÁRIO DO QUE PREVIA A BÍBLIA, JUSTO A NOSSA PARTE ANIMAL É A MAIS JUSTA, SÓ AGREDINDO POR FUGA OU LUTA PELA SOBREVIVÈNCIA. JÁ O PSIQUISMO; BEM, ESTE DESCOLOU POR ABSTRAÇÃO DA MENTE ORGÂNICA, TOMOU ASAS E VOOU. E PARA O DINHEIRO. AS GUERRAS, A MIM PARECE, SEMPRE TEM UM FUNDO FINANCEIRO, SERIA A ALMA 'LITERALMENTE VENDIDA' AO DIABO, COISA DA BESTA 'SER DES-HUMANO'. FELIZMENTE, AINDA ACHO QUE O BEM É PELO MENOS '50% + 1' SUPERIOR AO MAL. SENÃO, NÃO ESTARÍAMOS MAIS AQUI.

'AMERICAN WAY OF LIFE' OU 'AMERICAN WAY OF DEATH'?

Ricardo Bing Reis A letra está disponível. É perfeita. A publicidade e a propaganda, veiculada pela multi-mídia, incutem na sua mente o 'money, money, money'. Então, você compra aquela mansão em Beverly Hills e descobre que sua infelicidade continua ali, dentro de você. Tarde demais, foste ludibriado. E o tempo decorrido não lhe será restituído. A vida é uma estrada sem retorno. Só tem ida. Planeje-se e cuide-se do senso comum.
26 de fevereiro de 2012 às 02:05 ·

SEGUINDO A LINHA 'IMAGINE PEACE & GIVE PEACE A CHANCE'.
SAI ANO, ENTRA ANO E NUNCA NADA MELHORA. POR ISTO, VÁ DIRETO AO PONTO. CONTRIBUA COM 'MÉDICOS SEM FRONTEIRAS'. NÃO ESPERE SOLUÇÃO POLÍTICA.

Ricardo Bing Reis VEJA EM 'SPIRIT OF THE MATERIAL WORLD' DO 'THE POLICE': ...'THERE IS NO POLITICAL SOLUTION'...
25 de fevereiro de 2012 às 23:23 ·

SEGUINDO A LINHA 'IMAGINE PEACE & GIVE PEACE A CHANCE'.
Quanto à política externa dos Estados Unidos, às vezes, até chego a pensar que talvez tenham, tácitamente, um acordo onde, os Republicanos batem e os Democratas assopram. E que, quiçá, houvesse cumplicidade entre eles. O lobo mau e o mocinho agindo em colúio. Acho, apenas.

SEGUINDO A LINHA 'IMAGINE PEACE & GIVE PEACE A CHANCE' > THE POLICE: ONE WORLD, AND NOT THREE. SEM COMENTÁRIOS.

ESTE QUADRO É UM COMPLEMENTO PARA O TRECHO SOBRE 'OS DO BEM ENFRENTAREM OS CANALHAS'. OS CANALHAS SÃO COVARDES. OS DO BEM, MUITO 'CORDEIRINHOS', PASSIVOS. DENUNCIE, COM PRECAUÇÕES.

Ricardo Bing Reis O espertinho e canalha não vêem a pessoa do bem como tal, mas sim como trouxa, paspalho, boca-aberta; que merece ser ludibriada. Julgam que o mundo é deles, 'mais fortes', por uma inadequada interpretação Darwiniana de 'Seleção Natrural'.
21 de fevereiro de 2012 às 23:24

ESTA EU ESTOU COMPARTILHANDO DE MIM PARA MIM MESMO; POR MIM MESMO. É A AUTO-ESTIMA(E ALTA-ESTIMA). E, PARA SER AUTO-ESTIMADO, O OUTRO TEM QUE ESTAR INCLUÍDO, EM ALTRUÍSMO. NADA MAIS ÓBVIO, JÁ QUE NÃO PODEMOS VIVER SOZINHOS E SEM AFETO. É RECEBENDO AFETO POR APEGO QUE VOCÊ ARQUITETA SUA AUTO-ESTIMA. ENTÃO, O 'EU' DA AUTO-ESTIMA É O REFLEXO ESPECULAR DO QUE FAZES PELO OUTRO, NUMA RELAÇÃO DE TROCA BIONÍVUCA; BOA PARA AMBOS. JÁ O 'EU' ISOLACIONISTA, ACABA POR SER BAIXA-ESTIMA, POIS TE PRIVA DOS AFETOS. VOCÊ ESVAZIA COMO BALÃO MAL AMARRADO. VI UM FILME BRASILEIRO CHAMADO 'EU', COM TARCÍSIO MEIRA E CRISTIANE TORLONE, DOS PRIMÓRDIOS DOS 70'S. O PROTAGONISTA 'CHUTOU O PAU DA BARRACA' E PASSOU A PENSAR APENAS EM SI, APARTIR DOS 50 ANOS. ERA CÔMICO E TRÁGICO. MAIS OU MENOS O QUE DEPOIS SE CHAMOU DE 'IDADE DO LOBO/LOBA'. É TAL RECAÍDA DE 'SÍNDROME DE PETER PAN', TAMBÉM CONHECIDO POR 'FOREVER YOUNG'; APENAS PARA CITAR O QUE SE TEM DE MAIS BATIDO POR AÍ. EGOÍSMO É O 'EU ME AMO, NÃO POSSO MAIS VIVER SEM MIM'. ENTÃO, EMBORA PAREÇA SEMELHANTE, É MUITÍSSIMO DIFERENTE DA AUTO-ESTIMA. PORQUE, ENQUANTO, NO PRIMEIRO, É ESTRUTURA UNA, NO SEGUNDO, MÚLTIPLA (APARTIR DO UNO).

FELIZ DOS CONTEMPLATIVOS, QUE ENCONTRAM SATISFAÇÃO PELA SIMPLES OBSERVAÇÃO, POR PASSEIOS (OU DE UMA VARANDA OU SACADA). FELIZES DOS CRIATIVOS QUE, DIVERTEM-SE POR SI, SABENDO E CURTINDO FICAR SOZINHOS, SEM QUE ISTO SIGNIFIQUE ISOLACIONISMO OU SOLIDÃO; MAS SOLIDEZ AO ESTAR SÓ. LAMENTÁVEL SERIA DEPENDER DE SHOPPINGS POR COMPRAS E COMPRAS?

Nas partes históricas das cidades, em geral temos a praça com o Parlamento(Poder Legislativo), Casa da Presidência(Poder Executivo) e Supremo Tribunal(Poder Judiciário). Curiosamente, do lado oposto, a Catedral(Poder do Vaticano). Coincidência? Em cidades pequenas, seria a prefeitura e a igreja do outro lado da praça. Quando da catequese, fui regado de idéias do bem. Cinco anos depois estudei 'As Cruzadas'. Cofesso que fiquei perplexo pelas contradições entre a teoria e a prática. Me senti ludibriado. E nós, eternos cordeiros! Isto nada tem a ver com espiritualidade. Religião tem conotação talvez até política, espiritualidade tem conotação altruística. Como disse Luís Fernando Veríssimo: 'sou ateu mas não sou praticante'. Estaria, na introdução, se referindo à parte política e, no complemento, à parte esotérica e/ou espiritual? Somente perguntando à ele.

Isto é verdade. A casa se constrói, o lar se constitui. Para casa, basta dinheiro (difícil de conquistar, é verdade); mas o lar exige o emocional (convenhamos, ainda muito mais difícil de conquistar).

FUNDAMENTAL: TEMPO LIVRE PARA ATIVIDADES PRAZEROSAS, POR ÓCIO CRIATIVO. E, ÁS VEZES, NÃO ESTAMOS DEPRIMIDOS, MAS COM FALTA DE PRAZER.

SENDO MENOS INFELIZ > SE O SEU PASSADO INCOMODA, O PRESENTE TAMBÉM E, AS PERSPECTIVAS DE FUTURO IGUALMENTE; NADE CONTRA A CORRENTE E 'SALVE-SE' O QUANTO E ENQUANTO PUDER. PROCURE ENCONTRAR UM 'CÍRCULO VIRTUOSO', QUE, SE NÃO É GARANTIA DE FELICIDADE (E NADA PARECE SER), MUITO PROVAVELMENTE TE SERÁ UM FATOR GERADOR DE MENOR DESCONTENTAMENTO, IRMÃO DA INFELICIDADE. SE PRECISO FOR, CONSULTE PSIQUIATRA, USE MEDICAÇÃO, PROCURE PSICOTERAPEUTA, FAÇA PSICOTERAPIA, CONVERSE COM FAMILIARES E AMIGOS QUE VALHAM A PENA. E, DESTACARIA AINDA: PROCURE OBTER MAIS TEMPO LIVRE, PARA, NO ÓCIO CRIATIVO, FAZER AS COISAS QUE GOSTA. CONSIDERE, E COM CONVICÇÃO, QUE MUITAS VEZES NÃO ESTAMOS TRISTES/DEPRIMIDOS, MAS COM FALTA DE PRAZER. MUITAS VEZES NÃO ESTAMOS DOENTES, MAS COM FALTA DE SAÚDE. PROCURE COLECIONAR MAIS MOMENTOS DE ALEGRIA, MESMO NÃO ATINGINDO, A TALVEZ UTÓPICA E SURREAL 'FELICIDADE'. NÃO SE PREOCUPE COM ELA. SE, UM DIA VIER, VEIO. E, SE, NUNCA VIER, APENAS NÃO TERÁ VINDO. PROCURE DELETAR AS TRISTEZAS DELETÁVEIS, PARA TE AFASTAR AO MÁXIMO DAQUELA QUE, DE UMA CERTA FORMA, EM CONTRA-PARTIDA, SERIA O PANO DE FUNDO DA EXISTÊNCIA, O DESCONTENTAMENTO E SUA ÍNTIMA: A INFELICIDADE. SE EU PUDESSE DESTACAR ALGO, ESTE DESTAQUE SERIA: "BUSCAR SER MENOS INFELIZ DO QUE SERIA SUA TENDÊNCIA PESSOAL". É UMA MUITO GRANDE FORMA DE SUCESSO; É UMA FORMA NOBRE, DIGNA, DE SER VITORIOSO NUMA VIDA ONDE TUDO PARECE CONSPIRAR CONTRA. ESTE PENSAR DIMINUI EM VOCÊ A COBRANÇA DO 'TER QUE SER FELIZ'; DIMINUINDO, ASSIM, RELATIVAMENTE, O PESO A CARREGAR PARA ALCANÇAR O QUE, TALVEZ, SEJA INALCANÇÁVEL (FELICIDADE). SABER VALORIZAR, COMO SUFICIENTEMENTE SATISFATÓRIO, SER MENOS INFELIZ (EM RELAÇÃO A SI MESMO); FAZ COM QUE FIQUE MAIS FÁCIL SE APROXIMAR DA SATISFAÇÃO, JÁ QUE, ESTARÍAMOS ASSIM, VENDO O COPO METADE CHEIO; AO INVÉS DE METADE VAZIO. FECHANDO, PREOCUPE-SE COM MELHORIAS RELATIVAS A VOCÊ MESMO E EVITE, SEMPRE QUE POSSÍVEL, NECESSIDADES DE MELHORIAS ESTABELECIDAS POR COMPARAÇÃO À OUTREM.

Paciente ontem, na presença da esposa, comentou que completaram 60 anos de casados. E sem nenhuma briga, nunca. Fiz a óbvia pergunta: 'Qual o segredo'? Primeiro, introduziu dizendo que a cada palavra do homem, a mulher diz 10. 'E o que quer dizer'? -perguntei- . Completou: 'não falo a primeira palavra'...

Ricardo Bing Reis LAVAR A LOUÇA NO SÁBADO AJUDA COMO MARKETING SOMATÓRIO DE PONTOS, CRÉDITOS ESTES A SEREM ATENUANTES NO DECORRER DA SEMANA...
5 de maio de 2012 às 16:13

Salvo pessoas muito ricas, há de se planejar com antecedência, os rendimentos da velhice, dita terceira idade. E, em gastanças, isto vai ficando sempre para depois; e quando, o depois chega, não sobra nem para comprar a Hidroclorotiazida.

Seria a maior constatação de tolerância a manutenção de um relacionamento? Pelo menos para mim, o casamento é, antes de tudo, TOLERÂNCIA. De uma certa forma, todo mundo é chato. Assim como eu tenho que aguentar a chatice de minha esposa, ela tem que aguentar as minhas. Ou será que você não se acha chato?

Seria a maior constatação de tolerância CONT.

Ricardo Bing Reis Amigo perguntou o que quis dizer com chatices. Vou tentar 2 exemplos que me ocorreram e, depois ainda, tentar diferenciar de injustiça e ofensa. Incluindo, suposições sobre graus de tolerâncias e suas frequências.
29 de janeiro de 2012 às 19:03

Ricardo Bing Reis Exemplo 1> vindo pela free-way, no pedágio: 'Por que você escolheu esta guarita se naquela outra tinha 2 carros a menos'? Talvez seja de dizer que o sol atrapalhou a visão ou nada dizer; deixar por isto.
29 de janeiro de 2012 às 19:05

Ricardo Bing Reis Exemplo 2> você entra numa cafeteria em Bueno Aires com 'espírito de happy hour' e outro diz: 'vê se toma este café de uma vez para irmos embora'. Talvez seja de dizer que o café está muito quente ou, de novo, nada dizer.
29 de janeiro de 2012 às 19:08

Seria a maior constatação de tolerância CONT.

Ricardo Bing Reis Assim, chatices seriam observações ou atos que causam leves irritações; e que, não fosse por isto, seriam risível. Melhor relevar.
29 de janeiro de 2012 às 19:11

Ricardo Bing Reis Já as injustiças, causariam irritabilidade maior e parece que, nestes casos, um protesto se impõe. Tentarei 2 exemplos.
29 de janeiro de 2012 às 19:12

Ricardo Bing Reis Você constrói um prédio e, após muito esforço, conclui. O outro, que criticou a construção, faz a parte final medinte arquiteto; maquiando com gesso, iluminação e porcelanato. Aí diz: 'construímos meio à meio'!
29 de janeiro de 2012 às 19:17

Ricardo Bing Reis Segundo exemplo de injustiça. Você prefere colocar seu filho no colégio com 7 anos, para maior maturidade. Voto teimosamente vencido, a criança entra com 6. No quarto ano, a criança começa a raterar pois está com sinais de imaturidade. É então que o teimoso diz:'eu não te disse que deveríamos ter esperado mais 1 ano'?
29 de janeiro de 2012 às 19:21

Ricardo Bing Reis E, num grau de gravidade máximo, parece que estão as ofensas; desnecessárias exemplificar, até por motivos de deselegância em escritas no Facebook.
29 de janeiro de 2012 às 19:22

Ricardo Bing Reis Para a TOLERÂNCIA poder ser 'tolerante', as chatices podem ser cotidianas; as injustiças, raras; e as ofensas, próximas ao nunca.
29 de janeiro de 2012 às 19:25 ·

Ricardo Bing Reis Mas também não deixar passar todas as chatices, pois senão, teus filhos te tomarão por 'banana'. Não é nada fácil este 'slakeline'.
29 de janeiro de 2012 às 19:26

Astrologia à parte, da qual nada sei; ouvi ou li algo em torno de 'rico é aquele que sabe viver suficientemente bem com o que tem, e, até mais do que isto, suficientemente feliz com seus recursos'. Já a inveja, me parece fazer parte da Natureza humana, e força motriz de querer melhorar. Não canalizando à destruição, mas sim como estímulo para melhorar, é construtiva. Quem não tem inveja, estaria com a vida cinzenta?

Como aficcionado em Rock, ocorreu-me semana passada que ,os componentes das grandes bandas dos anos 60, 70, 80 estão muito envelhecidos. Estão na casa dos 70 anos. Digamos, em tese, que , em 15 anos, morram quase todos. O que será do Rock? Já nos anos 90 ele entrou na UTI e de 2000 para cá, muito pouco surgiu. Diria que há 20 anos o Rock está 'em ritmo agonizante'. Ainda surge algo como The Killers e The Strokes; mas nada que se compare à Gênesis, Yes, Rush, Supertramp, Pink Floyd, Rolling Stones, Beatles, Queen, Rod Stewart, Fleetwood Mac, The Police, Billy Idol, Elton John, Outfields, New Order, INXS, AC/DC, Man at Work, B'52, Talking Heads, The Smith, The Cars, David Bowie, Steve Winwood, Peter Framptom, The Cult, The Cure, Tears for Fears, Midnight Oil, Fine Young and Cannibals; e vários outros, que constituíram uma verdadeira avalanche de criatividade desde Elvis até 1990. Acho que nunca mais, nada parecido acontecerá na música. Quem viu e viveu, nunca esquecerá. Quem não, tem que se contentar com estas 'Ai, se eu te pego'...

Meu cunhado estava a preparar um pratão de salada de verduras e legumes. Todo 'vida saudável'. Não por ser o 'desmancha prazer', mas em compromissso com a lógica, perguntei-lhe: 'Este teu prato faz mais bem que mal'? Ao que, surpreso, me devolveu: 'Como assim'? Completei: já imaginaste a quantidade de agrotóxicos que tem nestes legumes e verduras? Em especial neste alface que parece uma folha de papel de seda verde de tão fino... Já imaginou os agrotóxicos nestas 2 faces embebidas? O mesmo vale para frutas. Quem garante que não ultrapassam até a casca por embebição/osmose? E sabemos que, vários agrotóxicos já foram condenados por serem, em verdade, mais 'venenos' que 'mocinhos'. Causariam, dentre outras coisas, câncer de fígado. E agora? Não estou fazendo a apologia do pânico. Também convivo com este dilema. Comer ou não comer? That's is the question. Acabo comendo, mas sem saber se o bem ou o mal; como uma maçã envenenada da bruxa para a Branca de Neve. Não que me considere parecido com ela, Branca de Neve. Bruxa, talvez. E ingiro eu, esposa, filhas. Pior as filhas, que podem viver ainda 100 anos, por terem 4 e 9. Acho que as coisas vão melhorar, mas não sem antes piorar. Orgânicos serão, ou já são, a solução? Seriam os chamados alimentos 'industrializados', hoje, 'menos péssimos' que os 'naturais'? Admirável mundo novo.Como diria minha avó: 'isto tudo já nada não sei'!...

Meu cunhado CONT.

Ricardo Bing Reis Seguindo nesta linha, alguém confia nos Adoçantes? Eu desconfio, embora não tenha lido nenhum estudo realmente significativo como carcinogênico. Ando desconfiando de muitas coisas no campom alimentar. Estou me tornando um 'paranóico da gastronomia'; algo como um 'gastrofóbico' (inventei agora!).
15 de janeiro de 2012 às 00:17

Ricardo Bing Reis Mas posso garantir que o Linfoma aumentou preocupantemente de incidência nos últimos 10 anos. Não se relaciona com alimentação, a princípio. Mas algo está acontecendo; e por se esclarecer.
15 de janeiro de 2012 às 00:19

Ricardo Bing Reis Ah, algo me diz que reaproveitar óleo de soja em frituras não é uma boa. Não me pergunte porque, senão terei que dizer que não sei de onde tirei esta. Feeling vale?
15 de janeiro de 2012 às 00:21

Ricardo Bing Reis Paulo, este site é excelente. Vou pesquisar sobre. Também tem um outro muito bom; que, se não me angano, se chama www.sistemanervoso.com.br ou muito parecido com isto. Terias ainda várias outras opções no meu site profissional: WWW.CLINICABINGREIS.COM.BR - Ver em Neurociências. Terás aí um trabalho 'enlouquecedor' que faço há 3 anos. Adiantado, mas ainda em construção. Abraço e muito obrigado.
15 de janeiro de 2012 às 13:45

Ricardo Bing Reis SUGIRO QUE SE CONVERSE COM UM MÉDICO NUTRÓLOGO OU NUTRICIONISTA SOBRE ESTES ASSUNTOS.
5 de maio de 2012 às 16:09

Meu cunhado CONT.

Ricardo Bing Reis Não sei mais o que é saudável e o que é nocivo. Se comeres frutas ou saladas, poderás estar comendo agrotóxicos. Se forem orgânicos, bactérias e outros microorganismos. Se industrializados (ensacados, acartonados, enlatados e outros): conservantes, corantes, aromatizantes e outros. Além das polêmicas que envolvem os transgênicos. Até certas 'água mineral' compradas às vezes parecem suspeitas! E os produtos adicionados ao pão? A mim parece que o melhor é comer pouco, sem ser anorético, óbvio.
28 de outubro de 2012 às 01:23

Ricardo Bing Reis O mundo hoje é um festival de ondas eletro-magnéticas. Tudo é meio wireless, etc. Se ondas passam as paredes, como tal de um mero radinho de pilha, por que não atravessariam nosso corpo? Mas pode ser apenas uma 'viagem' minha...
28 de outubro de 2012 às 01:26

Ricardo Bing Reis Há alguns dias, estava eu assistindo, na televisão, um renomado cirurgião cárdio-vascular citar que tomar 2 cálices de vinho por dia (1 no almoço e 1 na janta), traz benefícios vasculares e longevidade. Mas não esqueçamos que existe cálices onde 200 ml dão aspecto de apenas meia-taça, simulando pequena quantidade; quando, ao final do dia, a pessoa terá ingerido 400 ml, isto é, quase meio litro.
28 de outubro de 2012 às 01:32

Rcardo Bing Reis Nada como uma madrugada após a noite. Na manhã seguinte ao programa na televisão onde falara o cirurgião cárdio-vascular, ouvindo um programa no meu inseparável radinho de pilha, foi entrevistado um especialista em produção de vinhos. E, disse ele, com todas as letras, que os produtores de uva, hoje trabalham no limite do lucro. Visando não correr o risco de entrarem no vermelho, hiper carregam as videiras de agrotóxicos e que, quando da produção do vinho, não há como separar o agrotóxico, que, assim, vai junto para dentro da garrafa. Estaríamos tomando venenos nos vinhos, ao invés de somente o desejado Resveratrol (anti radicais-livres/anti-oxidante)? Não sei se estou sendo catastrófico ou reailista. Mas as informações estão por aí. Fisgue-as e tire suas próprias conclusões.
28 de outubro de 2012 às 01:39

 

ISTO SIM É ALTRUÍSMO ALTAMENTE PRODUCENTE.

Ricardo Bing Reis Li, não sei aonde, comentário de alguém 'sobre ser vergonhoso' pessoas alimentarem animais de estimação, enquanto crianças passam fome. Não sejamos excludentes. Pode-se, ambos, tratar bem os animais e socorrer os Seres Humanos carentes. Nada como ser o mais completo possível. Não se trata de beneficiar animais em detrimento de pessoas. Cuidar bem dos animais + Cuidar bem das pessoas. Tão simples quanto '1+1 é 2'.
14 de janeiro de 2012 às 00:23

Rasgue esta lista de metas. Vá fazendo tudo que for possível, dentro das circunstâncias, tal forem se apresentando. Exija apenas dar-se tempo livre para fazer as coisas que gosta. E, para distrair-se, você não precisa de um conversível como este aí da foto. Se precisas, reveja sua situação psico-mental. Mas é claro, cumpra suas funções laborais, pois a sensação do dever cumprido é básico. 2012 nada mais é que o décimo de segundo posterior após o último de 2011. Faça de sua vida uma continuidade, apenas aprendendo com os erros, ou seja, amadurecendo. Mas cuidado, maduro demais cai do galho e apodrece...

Se for de si mesmo, com certeza. Se for de algo, provável. Se for de alguém, este seu desprezo pelo outro terá seu preço. O sadismo pode virar contra você mesmo, em auto-sadismo, dito masoquismo.São duas faces de uma mesma moeda. Fofoca, só se boa demais!

 

'TEMPO LIVRE PARA A PRÁTICA DO ÓCIO CRIATIVO' > Não havendo a solução mágica da construção de uma Máquina do Tempo (de fazer tempo livre); e, também, não sendo ele, TEMPO, elástico para espichar-se (tal o dinheiro, que rasgaria!), haveria de se reduzir o período de trabalho. Para isso, impera-se sair do senso comum (que parece não ser um bom senso) do dinheirismo e consumismo, reduzindo gastos e dívidas desnecessárias (frutos de ganância, cobiça e narcisismo), por um bombardeio mídia induzido desde a infância, de quase todos nós. Dessa forma, liberta-se a pessoa do 'workaholicismo', criando-se/produzindo-se de forma prática e real, o TEMPO LIVRE (nosso BEM maior para viabilizar um ESTILO DE VIDA prazeroso e de genuíno BEM ESTAR - contrariando o preconizado por aquisição de coisas e coisas). Portanto, não adianta apenas teorizar papagaiando isso, há de se elaborar a ideia, PRATICAR e ATUAR.

'ÓCIO CRIATIVO NO TEMPO LIVRE' > É o meio de vida prazerosa. É o lazer. É o hobby. Ou os. É o modo de se ter uma vida suficientemente boa. Que não se confunda com tédio. A criatividade do fazer, é diferente do 'nadismo' da 'oligofrenia (oligo > seco / frênico > mente; acho)'. O tédio induziria à deterioração neurobioquímica do cérebro. Trabalhar é útil como preventivo disso. Acho que não trabalhar e/ou deixar-se afundar no ócio tedioso, é mesmo nocivo. Em contra partida, trabalhar por longos períodos (ainda mais sob pressão e estresse, não raro auto impostos), culminaria nesse mesmo efeito final. Apenas a moderação, de lado a lado, seria o BEM ESTAR.

ÁLCOOL > Tomar vinho virou algo tão divulgado como saudável, que disparou em vendas como produto. Até popularizou. Há 7 dias estive em um supermercado e observei o que vi depois em outros: corredores inteiros, bilateralmente preenchidos de garrafas de vinho em seus corredores, de baixo à cima. As pessoas estão somente tomando aquelas 2 pequenas taças diárias ou aquelas 2 taças gigantescas à aquário de peixinho dourado(?)... Virou sim água!

RIcardo Bing Reis Quem bebe vinho ou whisky de marca é degustador(?)! Quem bebe vinho ou whisky sem marca de grife é alcoólatra (?)!
8 de dezembro de 2013 às 14:34
·

Meu primo Gustavo Reis. Ele fez essa palestra para me servir de alento. hhh

Ken Robinson: How schools kill creativity | Video on TED.com
www.ted.com

Brené Brown: The power of vulnerability | Video on TED.com
www.ted.com

Ric Elias: 3 things I learned while my plane crashed | Video on TED.com

XLaura Knijnik Ótimas, Gustavo! Uma das minhas tops:- Bryan Stevenson: We need to talk about an injustice | Video on TED.com

Ricardo Bing Reis www.ted.com - TED: Ideas worth spreading
www.ted.com

Ricardo Bing Reis www.tedxunisinos.com.br

O Planeta Terra acomoda 3 Mundos. Não é interessante ter 3 em 1 (?), se 2 corpos não podem ocupar o mesmo lugar no espaço? Então, a divisão é econômica. Os ditos países ricos, formariam o Primeiro Mundo. Os medianos e emergentes, o Segundo Mundo. Os pobres (e até em situação de miserabilidade), o Terceiro. Bastante cômodo pensar que os miseráveis não são de seu mundo. Isso facilita a negação, facilita o aplacar da culpa (não necessariamente justificável, mas relativa aos sentimentos de cada pessoa). As pessoas do mal, nem pensam nisso. Quanto às pessoas do bem, algumas pensam e negam de imediato para não sofrerem; enquanto outras pensam e ainda tentam ajudar de alguma forma. É bastante plausível rotular essas pessoas do bem e que ainda 'fazem alguma coisa' de portadores da GRANDEZA.

Ricardo Bing Reis www.msf.org

Médecins Sans Frontières (MSF) International
www.msf.org

Não vejo mérito nenhum em ser escravo do trabalho. Muitos profissionais, de todas as áreas, dentre as quais médicos, acham-se importantes em terem seus tempos tomados pelo trabalho, como se aquilo traduzisse competência. Competência, para mim, é ter uma vida mais plena. E, como ter uma vida mais plena, se está tomada de forma estereotipada, bitolada, com viseiras. Muitos profissionais são extraordinários tecnicamente no que fazem. Infelizmente, ao trocar o foco para as coisas da vida tal é, pouco conseguem agregar para si e para os outros. E, não poderia ser diferente: se dispendeu todo seu tempo para uma atividade paradigmática, como ampliar seus horizontes? Ou será que, para ampliar os horizontes, não há de se ter tempo livre para o ócio criativo e introspectivo? Viver 12 horas por dia para o trabalho, demonstra uma certa deficiência na qualificação do ofício e/ou uma dificuldade de lidar com a vida em si e/ou uma ambição desproporcional(ganância). Ou qualquer outra coisa, exceto competência pessoal. Ou qualquer outra coisa, exceto saber viver. Ou qualquer outra coisa, exceto ter feito a vida valer a pena. Quem sequer consegue conversar serenamente com a temática 'velhice', com a temática 'terminalidade'; e, com a temática 'morte', muito possivelmente o faz por ainda não ter aproveitado a vida; visto ter sido um 'workaholic'. E, o mais estranho, é que tais pessoas se acham VIPs por serem escravos de si mesmos e da vida que escolheram. Por exemplo, ser médico, não implica em sentença de longas jornadas de trabalho; mas sim, no máximo médias (6 à 7 horas, para que possa desempenhar um bom trabalho, bem centrado, enquanto no exercício). Não consultaria com um médico que trabalha 12 horas por dia. Como não estar ele com a mente exausta? Quero eu, realmente, ser medicado por uma mente exausta? Sucesso não é ter toda agenda lotada todos os dias e o dia todo; sucesso não é ter rendimento máximo possível dentro da disponibilidade total de seu tempo. Ao contrário, sucesso é poder oferecer um trabalho qualificado, que lhe permita uma carga diária média, com muito tempo livre para as demais coisas que gosta de fazer; nunca esquecendo, ainda, da família. Lamentável dizer que sacrifica a própria família pelas obrigações. Obrigação é se esforçar para fazer bem feito o que você se propõe a fazer, da forma como se propõe, e pelo período de tempo que se propõe. Lamentável é não ser dono de sua própria vida. Lamentável é não poder decidir por si o que vai fazer, quando vai fazer, se é que vai fazer. Lamentável são obrigações suplementares auto impostas. São, ao fundo, incompetências de vida. Contudo, é apenas um ponto de vista meramente pessoal, que vai de encontro ao senso comum. Em verdade, o senso comum não pensa lá muito, trabalha como uma peça cega 'another brick in the wall' na engrenagem da revolução industrial; mal pensa, mau senso sendo. Há de saber impor limites à ganância. Há de saber dar-se tempo. Amar o que se faz, não significa fazer praticamente somente aquilo. Isso é um comportamento automático, mecânico e impensado. Olhar para trás na velhice e ver que gastou quase toda sua vida correndo atrás do relógio, correndo atrás dos afazeres, correndo atrás do dinheiro, correndo atrás nem sabe mais do que, deve ser frustrante.

Não vejo mérito nenhum em ser escravo do trabalho CONT.

Ricardo Bing Reis Onde escrevi 'competência', pode-se, igualmente, ler-se 'sucesso'. Artigos que garimpo sobre sucesso/competência, dissertam 4 páginas sobre trabalho, dinheiro, finanças, gastos, investimentos e coisas. Bem lá no final, nos 2 últimos não longos parágrafos, menciona-se que 'é sempre bom lembrar que trabalho e dinheiro não são tudo'. Aí vem uma observação sobre fazer exercícios e algo sobre família e lazer. Dá até uma sensação de serem artigos pré-moldados no afã de fazer soldadinhos não pensantes. Onde lê-se 'soldadinho', entenda-se trabalhadores, serviçais; que se tornam cegos e tolos consumidores; mantendo viva a máquina industrial, às custas da morte emocional dos soldadinhos.
20 de outubro de 2013 às 04:57 ·

Ricardo Bing Reis Li em algum lugar o conceito de que 'Felicidade é a sensação do dever cumprido'. Tal sensação, eu classificaria como apenas alegria pelo alívio em conseguir cumprir suas agendas sobrecarregadas, agendas maratonas. Mas daí, classificar isso como sendo fator de uma vida suficientemente feliz, é muito pobre, muito pouco. Talvez sirva para as várias pessoas 'tem que'. 'Tenho que' fazer tais coisas, 'tenho que' receber tantos clientes, 'tenho que' visitar tantos clientes, 'tenho que' atingir tais metas, 'tenho que' atender tantos pacientes, 'tenho que' fazer tantas cirurgias, 'tenho que' isso, 'tenho que' outras coisas. Alguns 'tem que', obviamente, 'tem que' mesmo. Entretanto, refiro-me aos 'tem que' onde a própria pessoa (perfeccionista, porém jamais perfeita, como todos!), se auto impõe, se auto cobra. E, o não conseguir cumprir os 'tem que' dispensáveis (auto impostos), tenderá a gerar frustração nessa pessoa 'temquista', obsessiva e compulsiva. Seriam como que pilhas de distresse. Para esses, o 'tem que' cumprido; ou ainda por outra, ter o 'dever cumprido', seria a felicidade (?) ou meramente um alívio por ter vencidos os 'tem que' daquele dia? Se for assim, 'tem é que mudar' a forma de ver a vida, com mais resiliência, com mais flexibilidade, com mais tolerância consigo mesmo (e para com os outros), com menos cobranças; sob pena de ver sua 'suficiente felicidade' ser apenas uma sequência de pequenos alívios durante o dia. Acho.
20 de outubro de 2013 às 16:48

Não vejo mérito nenhum em ser escravo do trabalho CONT.

Ricardo Bing Reis "Esperamos demais para fazer o que precisa ser feito, num mundo que só nos dá 1 dia de cada vez, sem nenhuma garantia do amanhã. Enquanto lamentamos que a vida é curta, agimos como se tivéssemos à nossa disposição um estoque inesgotável de tempo. Esperamos demais para sermos pais de nossos filhos pequenos, esquecendo quão curto é o tempo em que eles são pequenos, quão depressa a vida os faz crescer e irem embora. Esperamos demais para dar carinho aos nossos pais, irmãos e amigos. Quem sabe quão logo será tarde demais?... Esperamos demais nos bastidores, quando a vida tem um papel para desempenharmos no palco". Por Henry Sobell.
20 de outubro de 2013 às 21:18

Ricardo Bing Reis Acabo de atender senhora de 57 anos que abdicou de um salário de 24 mil reais líquido, em valores atualizados para hoje, há 7 anos. Era coordenadora-chefe de uma Assembleia Estadual, lidando todos os dias e o dia todo com os chefes da Assembleia, deputados estaduais, etc. Em função de seu cargo, havia a necessidade de estar à disposição em períodos maiores que os usuais. Trabalhava em média 12 horas por dia. E, não tinha 'vida própria'. Estava escrava do dinheiro, não conseguia desistir de uma salário tão alto. Mas a infelicidade crescia cada vez mais, até quando resolveu demitir-se, não apenas do cargo de chefia, mas de todo serviço público. Abriu um comércio próprio, uma microempresa; e, sua renda atual é 1/3 da que recebia na Assembleia. Em contra partida, diz-se nunca ter sido tão satisfeita, tão contente e até suficientemente feliz; visto que tem agora o tempo livre que nunca tivera; ainda sem as sobrecargas e exigências múltiplas. Hoje, se ela quer trabalhar vai, por quanto tempo quiser. Se não quer, vai passear com amigas, coisa que nem sabia como era fazer. Corroborou o que sempre preconizo: 'há de se dar tempo livre para a prática do ócio criativo (que varia de pessoa para pessoa, podendo ser uma simples e gratuita contemplação).
21 de outubro de 2013 às 15:01 ·

ALEGRIA DE VIVER > A simples contemplação de um dia sensacional não basta? Tem custo zero! Fechar-se em escritórios e correlatos, todos os dias e o dia todo, assim pensando, por mais que enriqueça, compensa? E, pensar que não são assim tão poucos, os que gostam de frio, trevas, chuva; e, boletos para pagar e pagar e pagar... Como sempre digo, o dinheiro não é isso tudo; não está com essa bola toda!

Ricardo Bing Reis Muitas pessoas não gostam de verão, claridade, sol, praia, alegria. Para estas pessoas, muitas vezes, já percebi, a alegria dos outros lhes irritam. Acho que não conseguem se inserir na alegria, acho que se sentem 'para trás'. Em última, seria, penso eu, um componente de inveja. A pessoa pode sentir-se fora do contexto social. Nada que uma caipirinha não resolvesse!... Preferem o inverno, onde quase todos ou boa parte, pela redução luminosa e diminuição na produção do hormônio estimulante melatonina, padecem de uma certa depressão fisiológica sazonal. Aí, sentem-se agregados à sociedade e menos distímicos do que de fato o são, pois o comparativo os alivia. Mas basta a primavera chegar...
17 de dezembro de 2013 às 15:51

Ricardo Bing Reis Ontem, no shopping, por feliz coincidência, encontrei sentado, veterano de 71 anos que reconheci. Fora meu professor de psiquiatria há uns 30 anos atrás ou mais um pouco. Nunca o esqueci, pois me flagrou em uma pegadinha. Perguntou qual achávamos ser a época do ano com maior índice de suicídio. De pronto acusei o inverno. Ele disse que era na primavera. No inverno, ficar um tanto triste beira normalidade. Ao entrar a primavera, os não de fato deprimidos vão se alegrando paulatinamente; e, os de fato deprimidos, se sentem para trás. Mediante a errônea sensação psíquica e fantasiosa de abandono (pelo grupo), acabam por cometar o ato de dar cabo a si mesmo.
17 de dezembro de 2013 às 15:56

Pessoal, estou tirando uma onda aqui em Atlântida. Abraço.

Ricardo Bing Reis Agora está começando a noitecer aqui; muitos raios e trovões, chuvarada e brisa de 90 km/h. O mar está começando a ficar um pouco mexido e as ondas estão aumentando de 1 a 2 metros a cada hora. Acho que de noite vai estar no ponto.
20 de setembro de 2013 às 18:37 ·

Pessoal, estou tirando uma onda CONT

Ricardo Bing Reis Ainda estou de sunga. Anoitecendo, costumo surfar de pijama.
20 de setembro de 2013 às 18:38

Ricardo Bing Reis Gostaria de registrar que estou surfando com uma planonda de isopor, pois não gosto das convencionais, 'que são para os fracos'.
20 de setembro de 2013 às 18:50 ·

Ricardo Bing Reis Desculpa, perdi o contato momentaneamente. É que peguei uma onda boa, passei por cima da Estrada do Mar, a onda se sobrepôs à Lagoa dos Quadros e quebrou pouco antes da BR 101. Caí na pista e fui atropelado por uma carreta da GM com 22 m de comprimento. Meu celular iLG foi cair no Morro da Borússia e achado ao lado daquela antena lá de cima. Está tudo bem, estou estável. Estou voltando porque peguei o repuxo daquela mesma onda que me trouxe.
20 de setembro de 2013 às 19:05 ·

Ricardo Bing Reis Estou com aquele cap chinês com guarda-chuva acoplado.
20 de setembro de 2013 às 19:42

Ricardo Bing Reis Não bastassem as adversidades, acabo de ter que tirar o Salva-Vidas da água, que estava a se afogar. Não..., não precisou de boca a boca!...
20 de setembro de 2013 às 19:50 ·

Pessoal, estou tirando uma ondaCONT

Ricardo Bing Reis Agora ficou bom. Liguei a lanterna do meu iLG e as ondas estão no ponto, por volta de 20 metros. Bom para quem gostaria de iniciar, aprender do zero.
20 de setembro de 2013 às 20:52 ·

Ricardo Bing Reis É uma Maverick.
22 de setembro de 2013 às 13:49

Ricardo Bing Reis Agora vim pegar meu Maverick que estava atolado na areia, para voltar. Veio uma turma muito legal e prestativa me ajudar. Desatolaram para mim o carro. E levaram meu relógio, minha carteira, cartão de crédito, cheques, CDs, casaco; e, minha sunga. Foi um belo fim de semana. Até semana que vem.
22 de setembro de 2013 às 14:17 ·

SE A RAZÃO DA FILOSOFIA É MESMOQUESTIONAR "QUAL O SENTIDO DA VIDA(?)"; EU, EM DESDOBRAMENTO UM TANTO TANGENCIAL DESTE OBJETO DE ESTUDO, PETULANTEMENTE, FILOSOPINARIA MEDIANTE UMA HIPOTÉTICA RESPOSTA A SEGUINTE QUESTÃO > "O QUE PODERIA SER CONSIDERADO O ÂMAGO DA VIDA ORGÂNICA(FÍSICA), DA VIDA MENTAL, DA VIDA PSÍQUICA E DA VIDA SOCIAL(COLETIVA)?... CERNE ESTE DA QUESTÃO QUE, SERIA EM SI (E POR SI SÓ, ISOLADAMENTE!), UMA POSSÍVEL JUSTIFICATIVA PRÁTICA E ABRANGENTE (AINDA QUE OCULTA/INCONSCIENTE), PARA ESTAS 4 VIDAS"?

SOCORRO(!!!), PRECISO DE AJUDA PARA ENTENDER... AFINAL, O QUE É A 'SAUDADE'?

Ricardo Bing Reis Observo aqui uma genuína alegria dentre os membros do grupo, de estarem juntos, curtindo aquele momento sublime (da união espontânea no compartilhar das coisas do dia a dia e do cotidiano). Sei, estão ali também profissionalmente gravando um vídeo comercial, mas 'deixam escapar' uma amizade verdadeira e divertida. Um 'happy hour' de longas horas, por dias frequentes...
4 de agosto de 2013 às 17:10 ·

SOCORRO(!!!), PRECISO DE AJUDA PARA ENTENDER CONT

Ricardo Bing Reis Comentários recebidos: 1- Saudade é a vontade de acariciar, beijar todos aqueles que estão, neste momento, morando geograficamente muito longe de mim (e que vejo 1 vez ao ano); por eu ter me mudado para longe. É um sentimento que vem todos os dias por é do agora, do momento imediato. Gera dor até física. É desagradável, pois imagino que as pessoas, como eu, não gostam de esperar tanto. Traz sofrimento, às vezes adormece um pouco, mas não tardo a perceber que lá vem ele de novo; 2- Saudade pode ser relativamente a perda de um grande amor. No caso, saudade de quando o tinha; e, que se desfez, por morte ou separação... ; 3- "A saudade é a presença de uma ausência" - supostamente Rubem Alves- ;
7 de agosto de 2013 às 13:53

Ricardo Bing Reis 4- Acredito que saudade é um sentimento muito legal, mas que também pode nos aprisionar. Viver o hoje, a simplicidade das coisas (que não raro complicamos), ajuda muito. Por exemplo, curtir muito os filhos quando pequenos, enquanto ainda crianças (visto que deixam-nos muita saudade depois quando adultos); e, não curti-los a tempo, deixa-nos a frustração da vivência perdida, perda esta que o tempo jamais te dará uma segunda chance de recuperar... ; 5- Saudade é o saldo de lembrança que fica, de algo de bom que já se foi...
7 de agosto de 2013 às 14:03

Ricardo Bing Reis 6- Acho que saudade é sempre um sentimento bom, é quando sentimos a falta 'positiva' de alguém, ou de algum lugar, ou de algum momento; e, somos invadidos por estes fatores em nossa mente, alma e corpo. Saudade me lembra 'O Pequeno Príncipe' e suas inúmeras frases fabulosas, tal: 'Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós'... Dos que passam por nossas vidas, temos maior ou menos saudade de uma ou de outra(s). Porém, a saudade pode tornar-se um sentimento negativo e virar saudosismo (se a pessoa hipervaloriza os momentos que se foram no tempo), e deixa de viver o agora...
7 de agosto de 2013 às 14:26

SOCORRO(!!!), PRECISO DE AJUDA PARA ENTENDER CONT

Ricardo Bing Reis 7- Saudade seria tudo aquilo que vivenciamos e que ficou profundamente gravado, de forma permanente. A saudade demonstra que aquele algo foi bom, que valeu a pena. São lembranças maravilhosas que nos fazem voltar no tempo e saborear aquilo de bom que ficou para trás, porém, eternizado por ser gravado na alma...
7 de agosto de 2013 às 14:32 ·

Ricardo Bing Reis Achei justo agora, por mero acaso: "Um dia, quando olhares para trás, verás que os dias mais belos terão sido aqueles em que tiveste que lutar"... - supostamente por Sigmund Freud - / Logo, se quiseres se lembrar com saudades, do dia de hoje no futuro, vá a luta!!!
7 de agosto de 2013 às 15:17 ·

Ricardo Bing Reis 8- Saudade seria a lembrança de tudo de bom que já se foi, e que não mais voltará. E, que às vezes nos instiga uma enorme vontade de girar o relógio da vida para trás... / 9- 'Saudade' seria a 'dor da alma'...
8 de agosto de 2013 às 15:44 ·

NÃO É BOA COMO UMA SERTANEJA NEM COMO UM FUNK; MAS, FAZER O QUÊ? VAI ESTA MESMO!...

NÃO É BOA COMO UMA SERTANEJA CONT

Ricardo Bing Reis Como fazer os jovens gostarem de rock? Alguns realmente gostam por gostar, outros, por influência do pai ou mãe; e, porque não dizer, avós(?). Mas gostar de rock não é assim tão fácil. Há de se 'acostumar o ouvido', e isto demanda muito tempo para ouvir as variações das centenas de bandas. As milhares de gravações dos anos 60, 70, 80 e 90; principalmente. Frente a este baixo estímulo, e 'estar fora de moda' para os novatos, ele, rock, agoniza. O que vejo por aí são as garotas cantarolando estas cantoras atuais com a voz em agudos todos tremidos, em vídeos ou postagens caseiras na internet; a partir das não tantas canções profissionais. Todas iguais, sempre as mesmas 10 músicas. São as cantoras 'enlatadas' do mundo atual. Que me desculpem os diversos fãs, mas uma das precursoras (falo apenas na aminha opinião); e, muito respeitosamente citando, é a Adele. É bem aquele tipo de voz que me refiro. Gemendo de sofrimento amoroso, amor pela vida e autocompaixão. Mas vá lá que seja... Voltando ao 'treinar o ouvido', lembro que comprei o primeiro disco do Dire Straits e todos amigos, mesmo amantes do rock, tiveram uma péssima primeira impressão. Depois de 15 dias, o disco estava em todos os lugares, menos lá em casa. Todo mundo gravando em fitas K7 em seus Tape Decks...
8 de agosto de 2013 às 14:42

NÃO É BOA COMO UMA SERTANEJA CONT

Ricardo Bing Reis Comentário interessante: "Ano passado, na formatura do sobrinho de 23 anos só tocou música sertaneja, que nada mais é do que a música caipira. O pai dele, meu irmão, introduziu-me o amor pelo Queen, Beatles e tantos outros. Teria ele se omitido? Quando entro no carro com minha filha, já coloco para tocar o Queen. Faço a minha parte, evitando sertaneja e funk". Particularmente uso a mesma tática. Ao fechar as portas, óbvio que ningué terá como sair. Então, coloco Rock a tocar, quiçá antidemocraticamente, quiçá ditatorialmente. Conhecem vários rocks; e, quando toca sertaneja e funk, pelo menos já sabem dizer: 'Tu não gostas desta, né pai'?
8 de agosto de 2013 às 14:48 ·

Ricardo Bing Reis Minha atitude pode ser de imposição. 'Deixar correr' seria, imagino, aderir à popularização da cultura vigente, com toda sua diversidade cultural. Mas ninguém é obrigado a gostar das músicas e dos costumes da diversidade; tanto quanto ninguém é obrigado a gostar de rock. Mas há de sim, respeitar-se ambos os lados, reciprocamente. Isto não impede tentativas de influenciar, que é um direito de cada pai, dar um rumo ao filho. No que vai dar, o futuro dirá. Os filhos é que farão suas escolhas finais; mas é confortante saber que você, pai, mostrou sua opção preferida. E, agora, vou ouvir Rolling Stones. Bye.
8 de agosto de 2013 às 14:59 ·

BEM INTERESSANTE ESTA. AGREGARIA, PREVER CIRCUNSTÂNCIAS.

Susana Fijtman Muito complexo meu caro...as pessoas tem visões e valores diferentes...acho que maturidade é a visão que se tem em relação a si mesmo e a compreensão que também somos diferentes e nem sempre necessidades iguais ...colocar-se no lugar do outro poderia ser uma forma de alimentar o egocentrismo que é o oposto do altruísmo.Abraços.
27 de julho de 2013 às 13:10

BEM INTERESSANTE ESTA. AGREGARIA, PREVER CIRCUNSTÂNCIAS.CONT

Kelitacarmina Mezarino Garcia Acredito que sim, colocar se no lugar do outro sim pode ser sinal de maturidade, por que maturidade começa com humildade y e preciso ser humilde de coração y pensamento para entender o lado oposto, deixando o lado arrogante do ser humano...
27 de julho de 2013 às 13:22

Rene Louis Oorts Mas isso chega quase ao limite do impossível.....pois a superioridade para isso deve ser enorme enorme...
27 de julho de 2013 às 14:21

Dilene Casteits É o que designamos de EMPATIA!
27 de julho de 2013 às 14:23

Dilene Casteits "A empatia é, segundo Hoffman (1981), a resposta afetiva vicária a outras pessoas, ou seja, uma resposta afetiva apropriada à situação de outra pessoa, e não à própria situação. O termo foi usado pela primeira vez no início do século XX, pelo filósofo alemão Theodor Lipps (1851-1914), "para indicar a relação entre o artista e o espectador que projeta a si mesmo na obra de arte." Na psicologia e nas neurociências contemporâneas a empatia é uma "espécie de inteligência emocional" e pode ser dividida em dois tipos: a cognitiva - relacionada à capacidade de compreender a perspectiva psicológica das outras pessoas; e a afetiva - relacionada à habilidade de experimentar reações emocionais por meio da observação da experiência alheia."
27 de julho de 2013 às 14:26

Susana Fijtman Inteligência emocional cognitiva ou afetiva são individuais e intransferíveis...no caso não podemos confundir Empatia com indução que seria proveniente do Id ... com o afastamento do Superego pode-se ter uma visão mais ampla das necessidades do outro.Humildade refere-se a qualidade daqueles que não tentam se projetar sobre as outras pessoas.
27 de julho de 2013 às 15:02 ·

BEM INTERESSANTE ESTA. AGREGARIA, PREVER CIRCUNSTÂNCIAS.CONT

Dilene Casteits Sentimento da empatia é detectado no cérebro
Redação do Diário da Saúde

Colocando-se no lugar do outro.
É possível compartilhar a dor que você observa em outra pessoa, mas que você nunca experimentou em seu próprio corpo?
Neurocientistas dos Estados Unidos utilizaram as mais sofisticadas técnicas de imageamento cerebral para tentar descobrir a resposta a esta questão. Eles estavam interessados em encontrar os fundamentos do sentimento da empatia diretamente nos circuitos do cérebro.
E eles encontraram, demonstrando que as pessoas capazes de sentir empatia - um sentimento geralmente descrito como a capacidade de se colocar no lugar do outro - sentem de fato o que percebem nas outras pessoas.

Perspectiva do outro

As imagens dos cérebros dos participantes do estudo mostram padrões similares de atividade neuronal quando as pessoas sentem suas próprias emoções e quando elas observam estas emoções em outras pessoas.

O estudo sugere que uma pessoa que nunca experimentou de fato um sentimento específico visto no outro tem dificuldade em ter empatia por meio do mecanismo chamado "espelhamento," que usa a própria experiência anterior para avaliar o sentimento do outro.

Em vez disso, a pessoa que sente a empatia utiliza um processo chamado "tomada de perspectiva," de natureza altamente inferencial.

Pessoas com insensibilidade à dor

"Pacientes com insensibilidade congênita à dor oferecem uma oportunidade única para testar esse modelo de empatia, explorando como a falta de representação da dor em si mesmo pode influenciar a percepção da dor dos outros," explica o Dr. Nicolas Danziger, do Hospital Pitie-Salpetriere, em Paris (França).

O Dr. Danziger e seus colegas já haviam descoberto anteriormente que os pacientes com insensibilidade congênita à dor (CIP - Congenital Insensitivity to Pain) subestimam a dor das outras pessoas quando não lhes é dada informação emocional suficiente.

Ou seja, estas pessoas dependem inteiramente de sua capacidade de empatia para avaliar de forma mais completa a dor das outras pessoas.

Ativação cerebral

Neste estudo, os pesquisadores usaram imagens de ressonância magnética funcional (fMRI) para comparar os padrões de ativação cerebral nos pacientes com CIP e em voluntários sem esta disfunção.

Foi pedido aos participantes que avaliassem o sentimento de uma pessoa em fotografias que mostravam expressões faciais de dor ou partes do corpo em situações que claramente estavam produzindo dor.

Os pacientes incapazes de sentir dor apresentaram uma menor ativação das regiões visuais do cérebro, um resultado que indica que a visão da dor dos outros desperta neles menos emoções.

Registro neurológico da empatia

Por outro lado, nos pacientes com CIP, mas não nos pacientes de controle, a capacidade para a empatia prevê com altíssima precisão a ativação das linhas centrais das estruturas cerebrais envolvidos nos processos ligados às suposições sobre o estado emocional das outras pessoas.

A ativação dessas estruturas centrais do cérebro, segundo os pesquisadores, é a assinatura do processo emocional-cognitivo acionado pela empatia. Como não possuem a experiência da dor arquivada em sua memória, os pacientes com CIP comprovam isso de forma inequívoca.

"Nossas descobertas destacam o papel essencial das estruturas centrais na tomada de perspectiva emocional e na capacidade de entender os sentimentos dos outros, mesmo sem qualquer experiência pessoal prévia desses sentimentos. É o desafio da empatia, frequentemente necessário durante as interações sociais humanas," diz o Dr. Danziger.
27 de julho de 2013 às 15:58

Susana Fijtman Concordo plenamente Dilene Casteits,empatia ocorre quando há um "ESPELHAMENTO DE SENTIMENTOS ESPECÍFICOS" que usa sua própria experiência anterior",Ego" chamado princípio de realidade...como estamos generalizando e pessoas tem sentimentos e perspectivas diferentes...como explanaste bem,não há como termos Empatia por todos,mas podemos ser Altruístas o homem pode ser bom e generoso naturalmente sem necessidade de intervenções culturais e sociais" Solidariedade",Desprendimento .
27 de julho de 2013 às 20:03

Dilene Casteits "Empatia e altruísmo

Dilene Casteits "Empatia e altruísmo

Pessoas com elevada empatia e capacidade de compreensão dos outros são mais altruístas.

Por sua vez, a capacidade de compreender as perspectivas dos outros já havia sido previamente associada com a maior atividade em uma região do cérebro conhecida como a junção temporoparietal.

Com base nestes resultados passados, Fehr e sua equipe levantaram a hipótese de que o tamanho da junção temporoparietal e seus níveis de ativação poderiam dar pistas sobre diferenças individuais quanto ao altruísmo.

A interpretação subjacente é de que o altruísmo é a empatia posta em ação, assim como a caridade é o amor em movimento.

As imagens de tomografia cerebral não deixaram dúvidas: quanto mais difícil é o ato altruístico - o experimento envolvia dar até todo o seu dinheiro para os outros - maior é a ativação da junção temporoparietal, algo não percebido naqueles que simplesmente preferem ficar com seu próprio dinheiro.

Além disso, essa maior ativação é suportada por uma junção temporoparietal fisicamente maior.

Treinando o altruísmo

"Nós elucidamos a relação entre o hardware e o software do comportamento altruístico humano," comemora Yosuke Morishima, coautor do estudo.

"Esses resultados são muito entusiasmantes para nós. Entretanto, ninguém deve ir logo tirando a conclusão de que o comportamento altruístico é determinado apenas pelos fatores biológicos," alerta o Dr. Fehr.

Segundo ele, os resultados levantam a questão fascinante de se é possível promover o desenvolvimento de regiões cerebrais que deem suporte ao comportamento altruístico."(Diário da Saúde)
27 de julho de 2013 às 20:10 · Editado ·

Dilene Casteits De acordo com uma pesquisa publicada na última edição da prestigiosa revista "Brain", os psicopatas têm um "interruptor de empatia" que os permite ligar e desligar essa capacidade de nos colocar no lugar do outro, dependendo da situação.
Eles pediram que 18 criminosos psicopatas assistissem a vídeos em que apareciam mãos realizando vários tipos de comportamento, seja apertando a mão (neutro), seja excluindo uma a outra, seja demonstrando afeto, seja causando dor. Enquanto isso, a atividade cerebral deles era monitorada através de Ressonância Magnética Funcional. Os resultados demonstraram que, diferentemente das pessoas normais, os psicopatas não ativavam normalmente as regiões do cérebro responsáveis pela empatia, diante do vídeo da dor. Porém, na sequência, os pesquisadores instruíram formalmente que os sujeitos psicopatas sentissem a dor do outro, e então viram que as regiões cerebrais da empatia ficavam ativas durante a visualização do vídeo que representava a dor.
De acordo com Christian Keysers, o principal autor da investigação, este resultado pode mudar a forma como encaramos os psicopatas:
"A visão predominante tem sido a de que eles são indivíduos frios, incapazes de sentir emoções, e incapazes de sentir as emoções dos outros. Nosso trabalho está demonstrando que as coisas não são tão simples assim. Eles não são pouco empáticos, apenas tem um interruptor de empatia que pode ser ligado ou desligado. No momento que vão cometer um crime, simplesmente o desligam" – disse Keysers, em entrevista à BBC News.
28 de julho de 2013 às 13:20 ·

Ricardo Bing Reis TENHO AQUI UM EXEMPLO DE TROCAS DE IDÉIAS (SOMATÓRIAS, COMPLEMENTARES; E, DISCORDANTES EM PARTE, AQUI OU ALI). POR PESSOAS MADURAS, TOLERANTES, DEMOCRÁTICAS E AGREGADORAS DE CONHECIMENTOS UMA DAS OUTRAS. É O BEM LIDAR COM O DIÁLOGO, QUE A MIM PARECE SER A MELHOR FORMA DE MAIS E MAIS APRENDER (E, TAMBÉM, NEGOCIAR, QUANDO FOR O CASO). ACHEI O ASSUNTO BEM MAIS COMPLEXO QUE EU IMAGINARA EM UM PRIMEIRO MOMENTO E FIQUEI DE LER E RELER PARA TENTAR ENTENDER MELHOR E FAZER UMA SÍNTESE. ACABEI CONCLUINDO QUE A TROCA DE INFORMAÇÕES, CONCEITOS E PARECERES PESSOAIS E COLETIVOS FORAM TÃO RICOS E INTELIGENTES, QUE FECHARAM-SE EM SI, EM CONCLUSÃO IMPLÍCITA. OS PRÓPRIOS COMENTÁRIOS, EM SOMATÓRIO, COMPROVAM NA PRÁTICA, O QUE, NO ENUNCIADO, ESTAVA ESCRITO EM TEORIA; SENÃO OBSERVE > "A CAPACIDADE DE SE COLOCAR NO LUGAR DO OUTRO É UMA DAS FUNÇÕES MAIS IMPORTANTES DA INTELIGÊNCIA. DEMONSTRA O GRAU DE MATURIDADE DO SER HUMANO"!! RESTOU-ME ENTÃO, ADMIRAR E FICAR FELIZ POR SABER QUE TENHO LEITORES TÃO INTELIGENTES E DE IDÉIAS ILUMINADAS. PARABÉNS E OBRIGADO.
8 de agosto de 2013 às 15:39

ATUALIZEI MINHA FOTO DE PERFIL PARA O DIA ATUAL, DE HOJE, JUSTO AOS 50 ANOS (26/07/1963 - 26/07/2013); E, MINHA FILHA JÁ ME SENTENCIOU: "COMO SEMPRE, COM CARA DE JÁ PENSANDO EM TUDO, MAS NÃO PENSANDO EM NADA!"...

Ricardo Bing Reis Esta minha filha, quanto mais gosta de mim, mais me atormenta com 'guerra psicológica'; é o tal 'fogo amigo'. Presenteou-me como uma nova escova de dentes, toda bem embrulhada como sendo uma joia, trazendo junto a que estava eu usando: as cerdas, não só estavam todas tortas, como amassadas, traduzindo que escovo meus dentes com muita força. Sendo ainda desalinhada, ainda mais devo escová-los de forma assimétrica. Com 11 anos, já aprendo mais com ela, que ela comigo. Mas eu já sabia que isto, mais cedo ou mais tarde, aconteceria...
26 de julho de 2013 às 12:52

Ricardo Bing Reis O 'Parabéns' é, imagino, por ter chegado. Não é nada fácil chegar aos 50. E, vejo pessoas com 80 e até 90. Fico a pensar como tais organismos suportam, visto que, como sempre digo, o Corpo Humano tem muita coisa por estragar... Quanto a parte psíquica do idoso, 'chegar', imagino, teria relação com um suficiente grau de 'bom humor', manifestação (exteriorizada e interiorizada naquela pessoa) do otimismo. O pessimismo envelhece mais; e, te leva a 7 palmos, (bem) mais rapidamente. Acho.
26 de julho de 2013 às 13:37

HOMEM ATINGIDO POR UM TIRO NO ABDOMEN E OUTRO NA CABEÇA.
NO PRONTO SOCORRO, APÓS A CIRURGIA, O MÉDICO VEM CONVERSAR COM A FAMÍLIA SE GABANDO:
- A CIRURGIA FOI ESTRONDOSO SUCESSO. TIREI A BALA, SUTUREI O ESTÔMAGO E LAVEI A CAVIDADE PERITONEAL. FICOU 10!!!...
- QUE BOM DOUTOR! E O TIRO NA CABEÇA?
- AH, ESTE FOI FATAL.

Ricardo Bing Reis Maria Madalena > e Jesus disse: - Que jogue a primeira pedra quem nunca errou! / Um homem se aproxima e desfere pedrada certeira na cabeça dela, que morre / Então, Jesus interpela: - Mas você nunca errou? / O homem: - Já sim, mas desta distância nunca erro. Observação: o descrito é mera descrição de chiste, sem qualquer intenção de juízo entre sagrado e profano.
10 de junho de 2013 às 22:28

Ricardo Bing Reis FREUD: Mas o que a figura de Sigmund Freud tem a ver com tudo isto? Pouco sei, embora eu mesmo tenha colocado. Lembro-me de 15 anos atrás, em estudo, que seriam 5 as formas de acessar o inconsciente do indivíduo. Acho que o sonho(durante o dormir, e não no 'sonhar acordado'), livre associações (seria a catarse??), atos falhos (lapsos??), chiste (piadas??); e, um outro que nunca consigo me lembrar. Já pensei que talvez fosse a hipnose, mas acho que não.
10 de junho de 2013 às 22:38

HOMEM ATINGIDO POR UM TIRO CONT

Ricardo Bing Reis Não consigo imaginar como se chegaria ao inconsciente através do chiste. Entretanto, caso sim, temos aqui uma grande utilidade para ele. Mas, do lado de cá do limite entre a cultura técnica de um psicanalista (que ficaria para vários degraus acima!); vejo, pessoalmente, uma hipótese sobre o efeito cerebral de uma piada: o 'gozo/gozado' de um chiste talvez seja o 'efeito do inesperado', da surpresa ao diferente do comum que se esperaria pela lógica do cotidiano. Este efeito cerebral de descarga súbita de endorfinas (e/ou outras) é fantástica, é instantaneamente prazerosa, de onde resultaria uma descarga no sentido eferente (para o exterior), que é o riso; ou, se de menor grau, um sorriso genuíno. Gosto muito de piadas, desde que inteligentes e bem curtas. Pastelão à 'Os Trapalhões', não gosto. Já o Chaves acaba me sendo gozado pela tamanha carga de ridículo que vem agregada. O gozo, então, imagino ser, em seu sentido mais amplo, o próprio prazer; tanto no chiste, quanto na diversão, quanto no orgasmo, quanto no gol de seu time, quanto ver no listão seu nome entre os aprovados no vestibular.
10 de junho de 2013 às 22:54 ·

Ricardo Bing Reis Os taxistas, pelo contato íntimo com várias e distintas pessoas, todos os dias e o dia todo, tornam-se verdadeiros filósofos/psicoterapeutas/sociólogos. O último, assim me sentenciou > 'Carro hoje em dia, é tal celulite... qualquer bundão tem'!...
16 de junho de 2013 às 17:16 ·

Ricardo Bing Reis Hoje no rádio, ouvi etimologista dissertar algo breve sobre o SONHO. E, lembrei-me destes comentários daqui, que ficaram muito pobres. O "sonho onírico" é aquele do quando se está dormindo (fisiologicamente). Pode e até tende a ser fundamentado em fantasias armazenadas, não raro, até do próprio dia corrente findo. Pode ser prazeroso, pode ser de sexualidade, pode ser de ansiedade para com o dia seguinte, pode ser um pesadelo. Em minha infância, fiquei marcado por um pesadelo muito estranho, que reiteradas vezes insistia em me visitar durante o sono. Nada de macabro ou de terror/horror noturno. Eram nuvens brancas que em forma de vapor iam se aproximando de mim, trazendo sensação crescente de opressão. Foi mais recentemente que percebi, por insight espontâneo, que aquelas nuvens opressoras em verdade eram minha mãe, que sempre me impôs um superego muito rígido. Hoje percebo que aquele superego que ela me impôs, paradoxalmente, muito bem me fez, pois não fosse por isto, teria um perfil de personalidade ainda mais espaçoso (na minha onipotência narcísica) do que já é. A minha mãe sabia o que estava fazendo. Ela estava (agora já adaptando para imaginário inventado por mim), me abordando com extintor de incêndio, para minha vida tomar um rumo menos vulcânico e mais viável.
22 de junho de 2013 às 02:56

HOMEM ATINGIDO POR UM TIRO CONT

Ricardo Bing Reis Já o SONHO ACORDADO é muito diferente. São as fantasias, que podem ser no sentido de 'ambições', objetivos de vida; que, lembre-se, exigem planejamento e estratégia de ação para realização; nada mágico caído do céu. A fantasia benéfica e construtiva, é aquela de aplicação prática, comedida, proporcional às exigências da realidade. Pode ser um casamento duradouro, empreender em uma empresa própria, prestar um vestibular compatível com suas aptidões, etc. Caso haja desproporcionalidade, isto é, seja algo não factível, trata-se de um DELÍRIO, pode-se então, estar-se diante de um mero exagerado mirabolante, um Maníaco; ou Pink e o Cérebro. Também não é de se estranhar rezas por milagres, que não acontecerão.
22 de junho de 2013 às 03:05

Ricardo Bing Reis Em falando de 'sonhar acordado', uma professora do segundo ano primário sugeriu a a minha mãe, que eu seguisse a profissão de astronauta, porque estava sempre no mundo da lua.
22 de junho de 2013 às 03:23

Ricardo Bing Reis Hoje eu 'viajo' em raciocínios do cotidiano médico, supondo coisas que ainda não tem comprovação científica. E, fico ansioso, visto que, suponho, quanto mais se pensa, se estuda; e, principalmente se pratica, mais aumenta a linha fronteiriça para com o desconhecido, o que me gera, naturalmente, a dita ansiedade (do não saber). Tenho um googlegroup de colegas de faculdade; troco este tipo de ideias que me inquietam com eles, e o que mais recebo de resposta é ..."menos, Bing Reis, menos!"... Em outro, escrevi que as novidades são tantas, com surgimento de novos vírus a cada ano, que até a otorrinolaringologia que sempre tendeu a ser mais objetiva, caiu em não mais ser, pela multifatoriedade diagnóstica. E, ao final, registrei que estou um médico cada vez mais socrático: 'só sei que nada sei'(!). Ao que recebi e-mail respondendo que 'saber-se que nada sabe', já é 'saber muito'! Nos ajuda a ser mais criterioso, prudente; e, não ultrapassar o limite do bom senso. Bom senso e bom humor sempre ajuda.
22 de junho de 2013 às 03:38

FOTO RICARDO BING REIS

Ricardo Bing Reis "DOIS PAÍSES INCRÍVEIS CHAMADOS BRASIL".
10 de junho de 2013 às 00:04

Ricardo Bing Reis Se tem um adjetivo positivo que reconheço em mim, é ver-me como um razoável democrata. Embora colorado, minha filha que hoje tem 11 anos, certa vez me disse que eu não deveria mais perder meu tempo tentando fazer dela uma colorada, que já seria definitivamente gremista. Aquilo me caiu à cabeça como um eletrochoque, não por intolerância, mas, pelo contrário, por não ter percebido isto antes com mais clareza. Já que é assim, pensei, dei a ela, eu mesmo, uma camiseta e uma grande bandeira do Grêmio. Ficou muito feliz e eu por ela, embora, por outro lado, lamentasse. Mas ser democrata é assim, tolerar no sentido de acolher as diversidades.
10 de junho de 2013 às 00:12

FOTO RICARDO BING REIS CONT

Ricardo Bing Reis HOJE, LEVANDO MINHA FILHA PARA CONHECER O ESTÁDIO 'ARENA GRÊMIO-OAS', PARA ASSISTIR BRASIL E FRANÇA, VI O INFERNO E O CÉU. NO TRAJETO, VI O QUE IMAGINAVA NÃO MAIS EXISTIR. ISTO CHOCOU-ME POR 2 MOTIVOS. MEU ATUAL GRAU DE ALIENAÇÃO REFERENTE À REALIDADE DO BRASIL. NOS TEMPOS DE FACULDADE, ESTAGIEI VÁRIAS VEZES EM VILAS DE PORTO ALEGRE, NOS POSTOS DE SAÚDE, COMO PARTE DO CURRÍCULO CONVENCIONAL DA FACULDADE. NAQUELA ÉPOCA, VI MUITA POBREZA E MISÉRIA. NESTA SEMANA QUE PASSOU, COMENTEI POR E-MAIL COM COLEGA QUE ME ACOMPANHAVA EM UMA DESTAS VILAS, QUE ATENDÍAMOS 20 CRIANÇAS QUASE DESNUTRIDAS OU JÁ DESNUTRIDAS, POR DIA, CADA UM, TODOS OS DIAS.
10 de junho de 2013 às 00:20

Ricardo Bing Reis JÁ QUE ESTAVA NO BANCO DO CARONA, FIQUEI OLHANDO PELA JANELA, A ENORME E INACREDITÁVEL FAVELA BEM NAS PROXIMIDADES DO ESTÁDIO. EM VERDADE, FRENTE A FRENTE AO ESTÁDIO. ERA UM MISTO DE POBREZA NÃO EXTREMADA COM NICHOS DE GRANDE E EXTENSA MISÉRIA.
10 de junho de 2013 às 00:22

Ricardo Bing Reis POR 2 OU 3 OCASIÕES, RUELAS IMUNDAS CORTAVAM AS FAVELAS NO SENTIDO LONGITUDINAL, DE FORMA QUE, DO CARRO, VISUALIZAVA-SE QUASE 1 QUILÔMETRO DE MISÉRIA. AGORA VEJO QUE, EU, TOLAMENTE, ESTOU ALIENADO NESTE MEU MUNDINHO DE IR E VIR AO TRABALHO E BUSCAR FILHAS NO COLÉGIO, RESTRITO A, TALVEZ, 15 QUILÔMETROS NO TOTAL DIÁRIO. PARECE PIOR QUE AS VILAS DOS ANOS 80! TAMBÉM ACOMPANHEI A INVASÃO DO 'COMPLEXO DO ALEMÃO' PELA TELEVISÃO HÁ, ACHO, 2 ANOS E, O QUADRO NO RIO DE JANEIRO, NEM DE PERTO, SE PARECIA AO QUE VI HOJE. EMBORA COM QUASE TODA CERTEZA, HAJA NO RIO, LUGARES PIORES OU PARELHOS.
10 de junho de 2013 às 00:29

FOTO RICARDO BING REIS CONT

Ricardo Bing Reis FIQUEI 40 MINUTOS ESTARRECIDO VENDO TODAS AQUELAS CENAS, VISTO QUE A FILA DE CARROS POUCO ANDAVA. E, AINDA MUITO PIOR, VI UM GAROTO TALVEZ DE 10 ANOS BEBENDO CERVEJA LITRÃO 'NO BICO'; ALÉM DE 2 GAROTOS COM FISIONOMIA DE PEQUENOS DELINQUENTES. SE ALGUÉM ME PERGUNTASSE COMO É A FISIONOMIA DE PEQUENOS DELINQUENTES, RESPONDERIA QUE NÃO HÁ ESPAÇO PARA HIPOCRISIA.
10 de junho de 2013 às 00:33 ·

Ricardo Bing Reis ESTA NÃO É A DESCRIÇÃO DO INFERNO EM VIDA? CASO CONCORDE-SE QUE SIM, TEMOS AQUI O PRIMEIRO DOS 2 BRASIS INCRÍVEIS; "O INFERNO DO BRASIL DA MISÉRIA"; UM SUBMUNDO, ONDE TUDO PODE ACONTECER. QUE TIPO DE VIDA TEM AS PESSOAS ALI? SÃO ACOSTUMADAS COM AQUELA VIDA POIS JÁ NASCERAM ALI? E OS CAOS FAMILIARES E SOCIAIS? NÃO QUE ISTO TUDO NÃO POSSA ACONTECER EM OUTRAS CLASSES, MAS QUE O TERRENO ALI É PROPÍCIO E ULTRA FÉRTIL PARA VIAS DE FATO DAS MAIS RUDIMENTARES EMOÇÕES HUMANAS, É. USEI A PALAVRA 'HUMANA' PARA AS PESSOAS, QUE TANTO QUANTO NÓS O SÃO; PORÉM , UM LOCAL DESUMANO!...
10 de junho de 2013 às 00:39

Ricardo Bing Reis E FIQUEI OLHANDO, CONCOMITANTEMENTE, O LARGO DA RUA, ONDE DESFILAVAM CARROS INCRÍVEIS, LUXUOSOS, COM PESSOAS BEM VESTIDAS. ESTES, TALVEZ NEM OLHASSEM PARA O LADO PARA NÃO VEREM O QUE NÃO QUEREM VER, OU QUE IGNORARAM, POR CÔMODA PREFERÊNCIA EM DIZER-SE: 'ESTE SUBMUNDO NÃO ME DIZ RESPEITO'! AO ESTILO 'NÃO TENHO NADA A VER COM TUDO ISTO'. PORÉM, QUERENDO OU NÃO, 'THE POLICE' TINHA RAZÃO AO GRAVAR 'ONE WORLD IS ENOUGHT FOR ALL OF US' (OU COISA PARECIDA). ORA, SE É MESMO 1 SÓ O MUNDO, TODOS TEMOS SIM A VER COM TUDO ISTO. COM CERTEZA, POR OUTRO LADO, MUITOS OUTROS ESTAVAM TAL EU, EMBASBACADOS COM TUDO AQUILO. IMAGINO QUE DOS CARROS LUXUOSOS POUCOS OLHARES TALVES PARTISSEM PARA A VILA; MAS TENHO CERTEZA, POR TER ME FIXADO, QUE OS OLHOS DE 'LÁ PARA RUA', ERAM DE FASCÍNIO. TODOS MIRAVAM AQUELE MOVIMENTO DE CARRÕES; E, CONDUZINDO PESSOAS QUE PAGAVAM 200 REAIS OU MAIS (POR CADA QUAL) PARA ASSITIR UM SIMPLES JOGO DE FUTEBOL. 200 REAIS QUE TALVEZ SEJA A RENDA MENSAL DE UMA FAMÍLIA DAQUELAS. NÃO SOU SOCIALISTA, MUITO MENOS COMUNISTA; NEM SEQUER TENHO FORTE ADMIRAÇÃO POR ESTAS POLÍTICAS ECONÔMICAS; MAS QUE A MISÉRIA CHOCA, CHOCA. OU DEVERIA. SALVO FORTE NEGAÇÃO EGOÍSTICA DA REALIDADE. ESTOU DESCREVENDO A POBREZA PELA POBREZA; O CONTRASTE PELO CONTRASTE; SEM INTERPRETAÇÕES DE JUÍZO DO QUE É CERTO OU ERRADO; DO QUE ISTO OU AQUILO!... APENAS DESCREVENDO FATOS.
10 de junho de 2013 às 00:56

FOTO RICARDO BING REIS CONT

Ricardo Bing Reis MAIS ALGUNS METROS, SURGE UM GIGANTE LUXUOSÍSSIMO, O ESTÁDIO 'ARENA GRÊMIO-OAS'. (QUASE) NADA PODE, NESTE MUNDO, SER MAIS CONTRASTANTE. AQUELE ESTÁDIO MAGNÍFICO, DANDO UM 'CHEGA PRÁ LÁ' NA VILA MISERÁVEL, É A CENA RIQUEZA/MISÉRIA MAIS EMBLEMÁTICA QUE VI NESTES 50 ANOS. UM ESTÁDIO AOS PADRÕES LONDRINOS DE CHELSEA OU ARSENAL; AO LADO DE UMA VILA AOS PADRÕES DE ETIÓPIA. NÃO FAZ SENTIDO. POIS ESTE ESTÁDIO, BEM COMO O BEIRA-RIO DO S.C. INTERNACIONAL, PODERIAM SER USADOS COMO SIMBOLISMO DA OUTRA FACE DESTE NOSSO PARADOXAL E RICO PAÍS CHAMADO BRASIL. CASO ISTO SEJA ASSIM MESMO, TEMOS, ENTÃO, AQUI, O SEGUNDO BRASIL (UMA 'ILHA DA FANTASIA'); O "PARADISÍACO BRASIL DA RIQUEZA". O BRAZIL, COM 'Z'; NÃO 'S'.
10 de junho de 2013 às 01:08

Ricardo Bing Reis Sociólogo, entrevistado em programa de rádio, sentenciou: "O BRASIL É O PAÍS DA ENGEMBRAÇÃO". Particularmente julgo que este comentário até possa ser um tanto cruel, contudo, considerando o descrito nos comentários acima, parece estar bem mais próximo da realidade do que da falácia. Basta olharmos ao redor para constatarmos o 'ENGEMBRATION SYSTEM'. Observável nas escolas públicas estaduais e municipais; observável nos postos de saúde e hospitais públicos; observável nos meios de comunicação, observável no sistema portuário, observável no sistema rodoviário (e ferroviário, que quase não existe). E, no meio urbano então, nem se fala. Uma peculiar forma de 'analisar' o carinho (ou desprezo) com que uma cidade é construída e mantida, é observar seu meio-fio. Desalinhado, é mal cuidada, na (quase) certa. Ruas de concreto são superiores. Já as ruas com calçamento de pedra, cujos consertos dos buracos são feitos com cobertura de asfalto, formam um mosaico do mau gosto. Calçadas distintas uma das outras e ainda desalinhadas, com buracos, nem se fala. Sacos de lixo na calçada e sistema de esgoto entupido por eles, desagregam valor por má educação de seus cidadãos. Calçadas sujas, postes de luz feitos de troncos de árvores (até tortas, com 20 cabos fixados a eles e luminárias sem a fonte de luz), má sinalização e má orientação para chegar-se aos pontos principais da cidade, dentre outras, completam a visão do inferno. Sem esquecer a falta de um plano diretor estético, onde se permite uma total falta de estilo da cidade (cada um constrói ao estilo que bem quiser, formando uma arquitetura urbanística com prédios que, ao somatório, criam um estilo anárquico). Uma verdadeira aula de 'Engembration System'. Morar em cidade de primeiro mundo e depois voltar à realidade de muitas cidades brasileiras, pode ser até traumático.
13 de julho de 2013 às 01:22

FOTO RICARDO BING REIS CONT

Ricardo Bing Reis ENGEMBRAÇÃO > procurei este termo no dicionário e nada encontrei. Inclusive com outras formas de escritas, pois minha gramática é péssima e não raro escrevo com muitos erros. Bem poderia ser o caso. Mas também nada achei em outras supostas variantes de escrita. Então, deduziria que é uma palavra coloquial, de uso popular, mas que não faz oficialmente parte da Língua Portuguesa. O que, particularmente, quis dizer com 'engembração', é algo feito 'de qualquer forma', algo adaptado, sem os devidos recursos e sem instrumental para a execução, algo feito às pressas, etc. Diria que a palavra mais coerente em sinônimo seria DESLEIXO (dicionário) > 'descuido, descaso, relaxamento, displicência, indiferença, sem aplicação, sem dedicação, sem empenho, sem interesse. Eu ainda acrescentaria que é algo que fazemos de forma a se livrar do ofício, por DESAMOR ao que se faz.
14 de julho de 2013 às 02:07

______________________________________

CÉREBRO E A MATURIDADE; E, A MATURIDADE CEREBRAL.

 

CÉREBRO E A MATURIDADE; E, A MATURIDADE CEREBRAL. CONT

Ricardo Bing Reis Tenho algumas restrições a esta linha de pensamento, embora, na maior parte, concorde. Tendo em vista o estilo de vida atual, em que as pessoas se expõe facilmente aos 'sorrateiros inimigos da vida', as coisas acabam por não ser bem assim. E, dentre os 'sorrateiros', destacaria como o principal, o estresse, seguido de muito perto pela obesidade e tabagismo. O alcoolismo não fica muito longe. Muitos 'bacanas' são alcoólatras mas a título de degustadores de vinhos sofisticados e, em nome desta sofisticação, tomam 1 garrafa por dia, talvez espumante. Sei de quem, após trabalho, chega em casa e toma 1/2 de whisky todos os dias. Em suma, 15 garrafas de whisky ao mês! Também o alcoolismo das mulheres, que outrora era mais disfarçado, agora nem tanto mais o é. Assim, observe que são fatores de risco para a vida por hábitos de vida, perfeitamente evitáveis. Depois sim, mais adiante, o diabetes, dislipidemias, etc, etc. Resulta que, já aos 60 anos, flagra-se Tomografias e Ressonâncias de Crânio apresentando vários focos dispersos de isquemia e até micro infartos cerebrais. Tudo isto traz Transtorno das Funções Cerebrais Superiores, dentre elas da memória, do raciocínio, audição, visão, equilíbrio e outros. Estes sintomas e sinais compõe as ditas Síndromes Cerebrais Orgânicas (SCO). Porém, em defesa do título do artigo ('Como a idade faz o cérebro florescer'), está a condicionante de tratar-se de um cérebro 'maduro', de uma pessoa amadurecida. Se pensarmos na pessoa que se expõe aos 'sorrateiros inimigos da vida' como sendo, pelo menos nesta faceta, imatura, o texto volta a ganhar maior sentido.
1 de junho de 2013 às 02:23 ·

Ricardo Bing Reis Sempre me esqueço de incluir (aos 'sorrateiros e traiçoeiros inimigos da sua vida mediante lesões em órgãos-alvo - principalmente cérebro, coração e rins'), as emoções responsáveis pelo desencadeamento do estresse/angústia; isto é, raiva/irritabilidade, medo/ansiedade e depressão/melancolia. E, até em função disto tudo, nunca deveria me esquecer de mencionar a drogadição. Entretanto, sempre esqueço.
2 de junho de 2013 às 03:01 ·

COMO INTERPRETARIAS ESTE RETRATO?

Ricardo Bing Reis Incríveis estas respostas. Somando todas e fazendo um raciocínio único, dá um texto complexo. Mas talvez aí estragasse. Causa-me espécie como cada qual pensa e/ou sente as coisas diferentemente. Estou chegando a conclusão (talvez tardiamente, talvez ainda a tempo), que, quando escrevo algo, estou me projetando naquele algo. Se for assim mesmo, tudo que escrevo é de mim para mim. E, aos outros, poderia servir apenas como curiosidade. Porém, curiosidade é uma coisa curiosa!... Escrever e/ou comentar algo verbalmente é, então, arriscadíssimo. Passar por louco, é fácil. Talvez apenas nem tanto quanto sê-lo. Tantas respostas distintas, me faz ver que a oniciência é a coisa mais estúpida que existe, ou por aí perto. O 'oniciente' (entre aspas, pois só Deus tudo sabe) sim, seria o mais louco dos loucos.
10 de maio de 2013 às 00:58

COMO INTERPRETARIAS ESTE RETRATO? CONT

Ricardo Bing Reis Algumas respostas de como interpretariam: 1- Muito calorrrr; 2- Liberdade; 3- Um Fim(!); 4- Inúmeras possibilidades; 5- Aquecimento Global (KKKK)... ; 6- Não há mais vida, nem o metal está resistindo; 7- Hora da preguiça; 8- Término e recomeço; 9- Término, porque o tempo passa (ele que é crucial para nós, precisamos dele para tudo, cronometramos tudo no nosso dia a dia). Se deixarmos passar, perdemos, porque não volta. Aí, acaba; 10- Recomeço pelo sol ao fundo, a luz que significa beleza, vida e esperança.
11 de julho de 2013 às 19:29

Ricardo Bing Reis 11- O tempo derretendo em nossa frente; 12- Ousadia daqueles que não temem usufruir da liberdade de expressão para exporem livremente o que pensam, tal o genial Salvador Dali, grande gênio, que leva o imaginário das pessoas à outros pensamentos e mundo dos sonhos; 12- Sendo o marcador do tempo uma invenção humana, Dali, em sua imaginação ilimitada, pode ter deformado este marcador, o relógio; 13- Sensação do tempo se esvaindo... a lerdeza...; 14- A obra é conhecida como 'A Persistência da Memória', período em que Dali foi influenciado por Freud. Ao meu ver, ela retrata o combate entre a vida interior e exterior, com ausência do tempo e a busca do espaço. // Como pode-se constatar, estava eu sendo verdadeiro quando mencionei que os comentários foram fantásticos.
11 de julho de 2013 às 19:41 ·

Ricardo Bing Reis Na falta de pensamento pessoalmente melhor; e, tomando carona com a genialidade de um garoto de 7 anos (algo que me foi contado por um paciente de 80 anos): ..."Um garoto de 7 anos me perguntou quem era o responsável pelos movimentos giratórios do Planeta Terra(?)! Perguntei porque tal preocupação(?); ao que me respondeu, que tal responsável, haveria de reduzir tal velocidade giratória, para o tempo passar mais devagar, para poder-se aproveitar melhor a vida, que passa tão rapidamente"!...
11 de julho de 2013 às 19:46

COMO INTERPRETARIAS ESTE RETRATO? CONT

Ricardo Bing Reis O idoso paciente, instigado, tentou 'tirar mais' daquele pequeno grande cérebro, perguntando: "Queres mais tempo pois tens estudado demais e pensa que no futuro trabalhará a ponto de não sobrar-lhe tempo para nada? Caso me diga que sim, te digo que desta forma, correndo atrás de muito dinheiro, és forte candidato a morrer cedo, pelo estresse. Então, estarias tendo o efeito inverso de seu desejo. Enquanto gostaria que os dias fossem mais compridos para 'viver mais' (mas estressando-se a mais nestes dias mais duradouros), viria a, paradoxalmente, morrer antes"!... Observação: claro que não com estas exatas palavras.
13 de julho de 2013 às 01:32

Ricardo Bing Reis E o garoto respondeu: "Não(!), gostaria de dias mais compridos (e, com isto, ao somatório, uma vida mais longa), para ter mais tempo disponível para fazer as coisas que eu gosto. Estudar e trabalhar dentro do necessário para satisfazer minhas necessidades e; então, usufruir do resto de um longo tempo para os prazeres". Observação: também não necessariamente com estas palavras.
13 de julho de 2013 às 01:35

Ricardo Bing Reis De onde este garoto de 7 anos tirou este pensamento que agrega desde geofísica (se é que se trata disto mesmo), até madura filosofia de vida (?). Ouviu alguém falar isto em casa, na televisão, na escola? Ou, genialmente, uniu sozinho todas estas premissas, para excelente análise; e, síntese conclusiva (?)!
13 de julho de 2013 às 01:39 ·

COMO INTERPRETARIAS ESTE RETRATO? CONT

Ricardo Bing Reis Fecho com este garoto. Pois, esta obra de Salvador Dali, dá-me a sensação do tempo se esvaindo. Quando jovem, tinha a sensação de que jamais envelheceria e, muito menos, que um dia morreria. Claro que sabia dos fatos devir, mas não os SENTIA como realidades. Chegando aos 50 anos, fico com a sensação de ter sido um desavisado, no sentido de que nunca recebi uma conversa ou aula sequer sobre a vida (e a velhice/morte) como ela(s) é (são). Alguns, aos 50, dizem sentirem-se como se 20 tivessem, e que, aos 50, estão na metade de suas vidas. Pobres pessoas, visto que a negação os impedirá de viver melhor (ou menos mal) este período devir. Em verdade, é mais sensato pensar que aos 50 já viveu-se 2/3 da sua existência, embora possa sim ser (bem) mais, mas também (bem) menos. Negar a realidade e dizer-se sentir-se tal aos 20, também é outra forma de negação, de cegueira. Este, pode não perceber que não há mais tempo para certos planos de longo prazo, visto não haver tanto longo prazo. Vai desperdiçar tempo e saúde (por distresse), que poderiam ser melhor aproveitados, por exemplo, em 'ócio criativo'. Aos, eu era 40 era bem mais ganancioso. 10 anos depois, 'livrei-me' de vários planos inúteis, o que deixou-me mais leve, respeitando melhor minhas limitações; e, me permitindo 'mais tempo livre para este tal ócio criativo', que, para mim, pode ser uma mera contemplação. Já o outro, cegado pela negação, continua, aos 50, com ritmo de 20, com planos inúteis de médio e longo prazo, se candidatando a um infarto do miocárdio ou cerebral. Não é uma atitude inteligente, por ser imatura. A maturidade parece ser 'falar serenamente com a velhice e a morte'; respeitando-se nas limitações e, assim, conseguindo tirar deste 1/3 de vida, o que de melhor ela, vida, poderá lhe oferecer (mesmo que seja menos, em relação aos 2/3 já transcorridos). Assim, o tempo esvaindo, nos alertaria para aproveitar a vida enquanto é tempo. Todos temos um certo número de horas para ainda viver, embora ninguém saiba quantas são. Não espere a última, para começar a pensar diferente. Vejo nos relógios derretendo, o tempo se esgotando. Vejo no deserto circundante, a vida seca que nos ameaça. Tente fazer desta estiagem (que muito ameaça vir), um terreno suficientemente fértil, apesar dos pesares.
13 de julho de 2013 às 02:04

COMO INTERPRETARIAS ESTE RETRATO? CONT

Ricardo Bing Reis Hoje, conversando com uma senhora durante consulta, disse-me ela que a neta dela de 11 anos, anda comentando com certa frequência o quanto 2013 está lhe passando rapidamente. Foi então que me lembrei de que minha filha de 11 anos fez o mesmo comentário, há poucos dias. Depois, nós lembramos que pelos anos 70, o ano era contado de Natal à Natal; e que aquele período era uma eternidade. Estaríamos sobrecarregando nossos filhos com atividades que reduzem demais seus tempos livres para brincar de fato? Uma atividade de 'passar o tempo', faz justo isto, ou seja, faz o tempo passar. É colégio, é inglês em tenra idade, é ballet, é piano, é desenho, é tênis, etc. Não estaríamos dando aos nossos filhos 'agendas lotadas'? Não deveriam as crianças terem vidas compatíveis com a vida de crianças e não de adultos? Sem falar nestes aparelhos tecnológicos, que fazem 1 hora parecer 10 minutos. Assim, aquele menino de 7 anos, que gostaria que os movimentos giratórios do Planeta fossem desacelerados, não está nem um pouco sozinho em sua prerrogativa.
17 de julho de 2013 às 23:35 ·

QUE SENSAÇÃO TE PASSA ESTE RETRATO?

Ricardo Bing Reis Os comentários, todos, trazem pensamentos interessantes, inclusive os cômicos. Esta foto, suponho, já está mais para antiga que para 'os últimos tempos'. Não sei de quando. Mas, a mim parece que nada é mais atual. Nunca imaginei que as coisas chegassem onde chegaram: é sacanagem (quase) para todos os lados. Parece que só vale a corrida atrás de dinheiro, pisando ou não nos outros. O fim (dinheiro), justifica os meios (pisar nos outros). Artimanhas e tentativas de um ludibriar o outro virou normalidade. Por exemplo, tudo que você tem, 'não tem conserto', tem que trocar por novo. Se tens uma goteira da tua calha, o diagnóstico do 'técnico', tende a ser de que teu telhado todo está condenado (e, 'deverás' fazer um novo, pela bagatela de 20 mil reais). Algo que pode ser consertado por 200 reais... E, talvez use o material do teu próprio telhado atual, para fazer o novo! E assim vamos!... Se é assim para quase tudo, não é de se espantar que o rosto retratado é de espanto. (Quase) tudo me espanta. Me vejo nesta foto, perplexo, sem o bigode.
10 de maio de 2013 às 01:13

Ricardo Bing Reis Tudo que é teu, vale pouco, tudo que te ofertam, vale muito. Resulta que vamos, paulatinamente, nos sentindo pobres e mais pobres, a despeito dos seus esforços. E, a auto-subestimação do esforço, parece-me gravíssimo. Você começa a sentir uma desvalorização de seus esforços. Desanima, de forma a seres, erroneamente, conduzido à pensar em 'luta inútil do cotidiano'. O 'quem desdém quer comprar' passou dos limites e está afetando as sinapses dos neurônios das pessoas de forma lesiva. Pelo menos para mim parece estar assim, em mais uma das minhas projeções de raciocínio.
10 de maio de 2013 às 01:23 ·

HOJE, 05 DE MAIO DE 2013, COMPLETA-SE 3 ANOS QUE MINHA MAMI SE FOI. SINTO UMA MISTURA DE TRISTEZA COM ALEGRIA. TRISTEZA PELA AUSÊNCIA; ALEGRIA PELA EDUCAÇÃO QUE ME IMPRIMIU. NO PRIMEIRO ANO, PREVALECEU A TRISTEZA; NO SEGUNDO, UM MISTO; E, AGORA, A ALEGRIA ESTÁ AVANÇANDO. BEIJO MINHA ILSE AMADA.

Ricardo Bing Reis Gitz, minha mãe faleceu pós 13 anos de luta contra 2 tipos distintos de Linfoma. Quando começaram a puncionar a Jugular dela para transfundir, me disse que desistira ali. Não poderia mais sequer querer viver. E, eu já sabia do prognóstico de dias que ela teria, de má qualidade.
5 de maio de 2013 às 22:58

Ricardo Bing Reis Numa manhã, suspendi o consultório e a fui ver baixada no Santa Rita da Santa Casa, setor de oncologia. Algo me dizia que o fim se prenunciava. Deus me agraciou com a oportunidade de eu ficar ao lado dela nas suas últimas 3 agonizantes horas, até a sutil pulsada final de sua Carótida. Então se foi para todo sempre.
5 de maio de 2013 às 23:01

Ricardo Bing Reis Feliz daquele que morre na presença de um ente amado, que lhe segure a mão.
5 de maio de 2013 às 23:03

A "EMPATIA" SERIA A GERADORA DO "ALTRUÍSMO"? E, "ALTRUÍSMO" É OUTRA COISA SENÃO "GRANDEZA"? SÃO 3 PALAVRAS NÃO MÁGICAS, MAS SIM REAIS, PARA QUEM É MAIS QUE UMA PESSOA; E SIM, GENTE!

Ricardo Bing Reis Há 3 dias estou sentindo uma discreta diminuição da força do membro inferior direito, pior no hálux e pé, do que na perna e coxa; porém todo. Como estou recém me recuperando de processo de sinusite, imaginei que poderia até ser um vírus causando uma encefalite. Tendo em vista que valorizo todos os sintomas, por mais fugazes que pareçam (tanto em mim quanto nos pacientes), hoje ainda, de pronto, liguei para meu amigo de anos, o neurocirurgião Eduardo Beck Paglioli; que disse-me para ir sem falta ao consultório dele às 14:30. Lá estava eu no horário marcado. Ao exame, constatou tratar-se de uma neurite de raízes motoras e sensitivas; de grau leve. Quadro periférico, sem relação com encefalite. E me medicou de acordo, pedindo que eu lhe ligue diariamente até remissão total dos sintomas. Mas o que me chamou a atenção, é que, via de regra, pela amizade, sempre o chamo de Eduardo ou até Dudu. Naquele momento em que meus reflexos eram testados no exame, estava eu na condição de paciente. Sou um 'padecente de fato' quando não estou legal em algo. Já consultei diversos colegas médicos e em todas circunstâncias sempre algo se encontrou, embora nunca até agora deveras grave, exceto diria, um pólipo pré maligno de intestino há 3 anos. Mas o real motivo deste comentário, é registrar que durante o exame, o chamei de 'Doutor', o que mostrou a mim mesmo o quanto eu estava mergulhado na minha condição de paciente, fragilizado e até temerário do diagnóstico que ainda não tivera. É como estar na presença de um pai que vai lhe acolher de uma dificuldade. Daí percebi, mais uma vez (embora com maior relevância hoje pelo medo de encefalite), o quanto é importante o ofício de ser médico. Talvez os pacientes, assim como aconteceu comigo, nos vejam como pais que vão ajudar você a aplacar ou atenua-los de suas mazelas. Assim, atender mal e com desprezo, é deixar de ser paternal, é deixar o semelhante na insegurança e na sensação de abandono. Pelo menos para mim ficou esta sensação. Ah, continuarei sem medo de procurar eventuais doenças pois, se um dia achar, espero achar na forma precoce e passível de tratamento com maior probabilidade de sucesso. Obrigado ao DOUTOR Eduardo Beck Paglioli (que no dia a dia continuarei a chamar de Dudu), pela qualidade da atenção.
1 de julho de 2013 às 21:36

A "EMPATIA" CONT

Ricardo Bing Reis Desprezo e descaso nosolhos de médicos atendentes, diria que é muito mais que frustrante. A palavra vai até além de frustrante, que já é um sentimento de grande força negativa. Diria, deixar a pessoa padecente na condição de "INDIGNIDADE". Nada pode ser pior, na relação de qualquer pessoa para qualquer pessoa, quanto mais entre médico-paciente, visto o paciente conferir a este, o que da mais precioso tem, a saúde de seu próprio corpo.
1 de julho de 2013 às 21:51

Ricardo Bing Reis Diria que desprezo e descaso nos olhos de um médico, é ainda mais que 'frustrante', uma palavra já, por si, carregada de enorme potencial negativo. Acho que tal comportamento deixa o padecente, já fragilizado, na condição de INDIGNIDADE, que seria uma palavra já bem próxima de CRUELDADE.
1 de julho de 2013 às 22:00

Ricardo Bing Reis E, como as circunstâncias parecem nunca virem ao acaso, depois da consulta, ainda hoje, fui buscar minhas filhas na escola. Foi quando vi um cão grande caído com as 2 patas dianteiras no meio da rua. E já estava ali um homem de uns 30 anos, de terno e gravata socorrendo o cão, pegando-o ao colo, mesmo sangrando (não muito) mas o suficiente para manchar sua roupa de qualidade. Estacionei o carro mais adiante assim que pude e voltei para averiguar o desfecho. Fui conversar com ele e me disse que fora ele mesmo o socorrista e que o colega dele, da mesma forma trajado, vinha saindo da vila das cercanias, trazendo o dono. Colocaram o carente dono dentro do carro de luxo de um deles, para levar o cão ao veterinário. Nenhum dos 2 havia sido o atropelador do cão, mas pessoas de grande poder de empatia, inclusive antropomórfica. Pessoas boas mesmo. E, antes que fossem, dei a mão em cumprimento para ambos e em bom tom de voz disse 'parabéns ao caráter de vocês'!... Percebi imediatamente que ambos ficaram perplexos com o que eu disse. Até que caiu a ficha e me agradeceram. Percebi de novo, o que já percebera antes: as pessoas não estão acostumadas a serem elogiadas; somente a serem criticadas. E, quando recebem um elogio, não sabem sequer o que dizer, ficando, acredite, embaraçadas. Já o atropelador fugiu, pois é uma Besta (não no sentido Animal Biológico, mas no sentido Bíblico do número 666; de demônio mesmo!). Ah, o cão está bem...
1 de julho de 2013 às 22:14 ·

Ricardo Bing Reis Isto tudo me dá esperança em um futuro melhor ao mundo que está aí.
1 de julho de 2013 às 22:15

The Beach Boys > Vi, não há muito mais que 60 dias, em canal multi-esportivo, que o surf até o final dos anos 60 era um esporte meramente 'have a fun'. Foi durante os anos 70, que grandes surfistas de ondas gigantes, não raro em surfadas fatais, começaram a cobrar pelas suas fotos e filmagens, revendiadas à programas e revistas especializadas em surf. Surgiram campeonatos muito competitivos. Atrás de significativas premiações, juntaram-se aos californianos e hawaianos ('surfing USA') os brilhantes sulafricanos e australianos. Deu-se aqui o 'boom' do surf mundial, como uma febre. Hoje, quase todo jovem é um 'beach boy'.

Ricardo Bing Reis Sendo eu de 63, meu embrião desenvolveu-se paralelamente ao embrião do surf cantado pelos Beach Boys (embora seja o surf ultra antigo pelos nativos hawaianos). E, nos anos 70, na adolescência, também vivi paralelamente ao 'boom' do surf. Digo paralelamente pois, paralelos são linhas que nunca se encontram, assim como nunca se encontraram eu e minhas tentativas de aderir a este esporte (que nunca foi generoso em me acolher). Minha incoordenação e desequilíbrio, me tiraram da água e me botaram na areia; onde havia, descobri depois, 2 vantagens: futebol de praia e belas mulheres.
23 de março de 2013 às 15:35

Ricardo Bing Reis É a 'Lei Darwiniana de Seleção Natural por Adaptação das Espécies'; também muito cientificamente conhecida por 'quem não tem cão caça com gato'.
23 de março de 2013 às 15:37 ·

A/C DIA DAS MULHERES.
HOMENAGEM JÁ VELHA E DESGASTADA COMO NOVA NOVIDADE.

Ricardo Bing Reis NÃO FOSSEM AS MULHERES, NÓS HOMENS NÃO ESTARÍAMOS AQUI; O QUE TÃO POUCO SERIA BOM PARA ELAS!... AHAHAHA
8 de março de 2013 às 18:04

Ricardo Bing Reis A Natureza fez da mulher o centro da preservação da espécie. É assim em todo Reino Animal. A prole será os exemplares da espécie no logo ali. E, nesta luta diária para esta árdua missão delas, cabe ao homem ser um competente vetor das necessidades das mulheres. Antropologicamente era o provedor quase específico. Hoje muitas vezes nem tanto. Parece um coadjuvante. Não deixa de ser. Mas um coadjuvante sem o qual as coisas não vão bem. Principalmente na educação dos filhos; o 'não' bem 'não' do pai se faz decisivo pelo resultado final do que resultará esta prole. Vejo na mulher a fonte, mas também vejo no homem, a chuva anti-estiagem. Sexismo é coisa de criança. Nós homens adultos, estamos prontos para nosso trabalho complementar. Eu.
8 de março de 2013 às 18:26

VOLTO DIA 12.
FÉRIAS É O PROCESSO ONDE OS CANSADOS FICAM EXAUSTOS?
PRECISAMOS DE FÉRIAS; E DEPOIS, ALGO PARA FAZER NAS FÉRIAS...

Ricardo Bing Reis ALGO ANTI-TÉDIO PARA FAZER NELA!...; SENÃO, O DESCONTENTAMENTO TOMA CONTA. AH TOMA SIM!
23 de janeiro de 2013 às 16:55

Ricardo Bing Reis Belo mar, um bom livro e olhos para apreciar a natureza afasta sim o tédio e relaxa, no mais das vezes.
17 de fevereiro de 2013 às 01:56 ·