EMAIL ENVIADOS PARA AMIGOS

CHATICES COTIDIANAS: SOBRECARGAS PERIGOSAS.

From: redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.bR
Date: Sat. Nov. 05/2011 00000000

Aos nossos amigos-médicos e TODOS demais internautas,
para mim, o principal agente de mortalidade no mudo atual
e futuro, caso ainda não seja, tenderá a ser o o estresse.
O estresse é um monstro, que desregula todo o corpo hu-
mano, liberando adrenalina que descompensa todo sistema
cárdiovascular com arritmias, hipertensão, etc. Resulta em
infartos do miocárdio, AVC isquêmico ou hemorrágico,
Também desencadeia liberação de cortisol na supra-renal
para elevação sérica, desregulando o corpo bioquimicamente,
liberando mais radicais livres e dificultando ação dos anti-oxi-
dantes.
Além de suprimir parte da atividade do sistema imunológi-
co, predispondo a muitos tipos de cânceres.
E vida 'de tempo livre' canalizada de um hobby criativo pa
ra a 'indústria da diversão virtual', que é expressão já pré-exis-
tente. Convenhamos, o mundo virtual em excesso é meio neu-
rotizante, embora não para todos. E a neurotização, aumenta
ainda mais o estresse, piorando o que já não estava bom.
O estresse bom é a força motriz da atividade e ânimo, sendo
de grau leve à moderado, benéfico, chamado eustresse.
O descompensado, é uma praga que só cede com mudança
dos hábitos de vida, dito distresse. Evitá-lo, corresponde a me-
lhorar o que se dá o nome de uma expressão que me soa desa-
gradável, de tão batida: 'qualidade de vida'. Observem que sem-
pre que se fala nisto, agrega-se conteúdos de exercícios e dieta,
como se isso fosse qualidade de vida... Nunca se menciona a-
gir na fonte do estresse, ou seja, vida acelerada e que precisa
desacelerar.
Desacelerar a vida é 'remediar', eficiente; fazer exercícios e
dieta é 'atenuar', que sempre resulta em ajuda parcial, quando
muito.
Esta continuação também vai continuar.
Ricardo Bing Reis.

   

EMAIL ENVIADOS PARA AMIGOS

CHATICES COTIDIANAS: SOBRECARGAS EM AFAZERES
FAMILIARES.

From: redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.bR
Date: Sat. Nov. 05/2011 00000000

Aos nossos amigos-médicos e TODOS demais internautas,
comentei que em 1900, a espectativa média de vida de um
cidadão europeu de boas condições de vida era de aproxi-
madamente 40 anos. E, para aquele de países 'sub-desen-
volvidos', aproximadamente 30 anos.
Também comentei que podemos ter uma surpresa. Ao in-
vés de evoluir para 100 anos ou mais em 2050, talvez tenha-
mos uma surpresa: um 'retrocesso relativo' por estagnação
da espectativa de vida em aproximadamente 80 anos.
Comentei que nossos pais, que estão pelos 80 anos, tive-
ram uma vida menos industrializada que a nossa que beira-
mos os 50 anos.
E completei sobre o estresse, que na época deles era bem
menor, tanto no trabalho, onde a pressão por metas era me-
nor, quanto no cuidado da família. Na nossa infância, podía-
mos brincar sozinhoa aos 10 anos de idade pois a criminalida-
de para com as crianças era mínima. Hoje é grande, desde a
pedofilia até sequestros, neste mundo maluco. Desta forma,
o cuidado dos filhos agregou o papel de guarda-costa; e, não
podendo deixá-los sozinhos, caracterizando brincadeiras esti-
lo 'pais-monitoradas' por 'pais-vigilantes', resulta que surgem
os 'pais-recreacionistas'. Por melhor que seja para convivên-
cia, e o é, pode tornar-se um fator a mais de estresse, justo
no momento em que se esperaria o desestressamento.
Não bastasse, principalmente por volta dos 50, surge fato
novo. Nossos pais, que nos cuidaram 20 anos; envelheceram
e também exigem nossa atenção por 30 anos. Nunca antes is-
to ocorrera, pois os pais tendiam a morrer por volta dos 60, e,
com isto, passamos a ter atribuições familiares duplas. São
2 famílias a zelar, a descendente (filhos) e a ascendente (pa-
is). Sendo que o ascendente tende a vir recheado de doenças.
É assim pelo menos para aqueles que se importan com su-
as famílias, nos 2 sentidos vetoriais. Há, e como, aqueles que
não estão nem aí, quer para uma, quer para outra.
É o estresse familiar duplo que se agrega ao laboral. O fami-
liar exige dinheiro, e muito nos dias atuais, já que um filho cus-
ta boa soma mensal, em colégios, cursos, esportes, arte. Além
de transportes para eles, etc. Fruto do mundo competitivo, que
exige um preparo neurótico (e caro) de nossas crianças. E este
é mais um diferencial que não existia nestas proporções para os
nossos pais.
É o exterminador estresse da inadequada e insalubre vida
moderna. Esta, lhe engana, te oferecendo o consumismo como
presente para suas frustrações. Não resolve e, ainda pior, é co-
mo uma maçã envenenada.
Ora, se a frustração é irmã da infelicidade, saiba que esta
gera angústia que, pela psicossomatização, desencadeia mais
estresse ainda, formando aquele círculo vicioso que citei antes.
E, se isto posto está correto, concluo que infelicidade mata.
Ricardo Bing Reis.

EMAIL ENVIADOS PARA AMIGOS

CHATICES COTIDIANAS: SOBRECARGAS.

From: redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.bR
Date: Sat. Nov. 05/2011 00000000

Aos nossos amigos-médicos e TODOS demais internautas,
mencionei em outro texto, de forma otimista, mas receosa
do contrário, acreditar que, no futuro, o 'senso comum' se-
rá como hoje é o 'senso restrito', e, consequentemente, vi-
ce-versa.
Sem que isto signifique a tal 'vida alternativa desapega-
da'; e muitas vezes até piegas, e sim 'apegada ao necessá-
rio', sem consumismo mas com consumo, consciente e mo-
derado. Sempre pergunte-se:
'Eu realmente preciso disto que estou querendo neste mo-
mento'? 'A aquisição compensa e justifica o que terei que
trabalhar a mais para efetivá-la'?
Se isto ocorrer, estas mudanças de hábitos que induziri-
am uma reduçãos do estresse das pessoas, culminará com
um aumento da expectativa de vida das pessoas; aliado aos
avanços da medicina.
Digo isto pois desconfio que o estresse é o grande vilão
da atualidade, por si só, e porque traz na mesma esteira
os demais 'sorrateiros inimigos da sua vida'.
Caso os níveis de estresse das pessoas permaneçam nos
mesmos níveis atuais, a despeito dos avanços da medicina
e da sociedade em geral (sob a ótica de melhorias em infra-
estrutura, saneamento e saúde pública); temo por uma re-
dução na espectativa de vida que temos neste início dos a-
nos 2.000, que beira os 80 anos em países desenvolvidos.
Em 1900, a espectativa média de vida de um cidadão eu-
ropeu de boas condições de vida era de aproximadamente
40 anos. E, para aquele de países 'sub-desenvolvidos', a-
proximadamente 30 anos.
Pois podemos ter uma surpresa. Ao invés de evoluir para
100 anos ou mais em 2050, talvez tenhamos um 'retroces-
so relativo' por estagnação da espectativa de vida em apro-
ximadamente 80 anos.
Mas isto, repito, não passa de uma conjectura. E, quan-
tas e quantas previsões erradas se fez até agora? Mais se
fez previsões certas ou previsões erradas?
Nade contra a corrente e salve-se o quanto e enquanto pu-
der.
Entre em um 'círculo virtuoso' que, se não é garantia de fe-
licidade, muito provavelmente te será um fator gerador de
menor descontentamento, irmão da infelicidade.
Ricardo Bing Reis.

EMAIL ENVIADOS PARA AMIGOS

CHATICES COTIDIANAS: CERTAS FAMÍLIAS.

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986_ufrgs@provedor.com
Date: Tue, 26 Jul 2011 19:50:38 +0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS demais internautas,
irritação é muito comum no casamento. Quer entre o ca-
sal, quer para com os filhos.
Se você é casado, tem 98,73% de chance de estar lem-
brando do seu casamento.
Observo que existe 1,27% de casais que não se irritam,
nem uni nem bilateralmente. É o casal margarina, que de-
ve ser até, quiçá, meio chato.
Mas há de se fazer justiça, existem aqueles de belo colúio.
Ouvi um programa de interatividade no rádio em AM, en-
tre participantes e um psiquiatra respondendo. Foi então que
uma interlocutora perguntou por que hoje tem-se tantas pes-
soas morando sozinhas.
Respondeu que pensam 'antes estar sozinhas que mal a-
companhadas'. E, completou: ...'como toda pessoa casada é
mal acompanhada, por consequência, temos esta derrama de
divórcios por aí'... Mas notei que quis mais é fazer uma gra-
ça que de fato, daquilo, um fato. Exagerou?
Mas as risadas do pessoal no estúdio foram daquelas boas
de ouvir.
E mais aqueles que dizem: 'se queres desunir um casal,
basta uní-lo'!
Já esta semana, li reportagem onde se relatava que, atual-
mente, no Brasil, 40% dos casais são da modalidade 'relação
estável', ou seja, moram juntos mas não são casados 'no pa-
pel'.
Ricardo Bing Reis.

EMAIL ENVIADOS PARA AMIGOS

CHATICES COTIDIANAS: CERTAS VIDAS(?) DE CASADO.

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986_ufrgs@provedor.com
Date: Tue, 26 Jul 2011 19:50:38 +0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS os demais internautas,
já vi casal se implicar, brigar todos os dias e o dia todo e nun-
ca se separar, embora ameaças diárias, por 50 anos corridos;
e, ao morrer um, o outro fica falando saudosamente do faleci-
do, vindo a morrer não muito depois pela angústia da solidão,
do vazio deixado pelo outro, à Romeu e Julieta. Como explicar
isto?
Outra. Falta de dinheiro pode causar um clima de insegu-
rança tal que acaba por desencadear raiva por sentir-se prolon-
gadamente ameaçado pelo medo e geralmente um acaba cul-
pando o outro; até dizendo algo indevido.
Pronto, é o estopim para a separação. Não é fácil um casa-
mento resistir à prolongada e/ou grave crise financeira sem que
tenha uma fundação muito sólida do relacionamento.
Proteja seu casamento não contraindo dívidas que possam
se tornar difíceis de pagar.
Ainda mais. As pessoas cri-cri, perfeccionistas e que exigem
o mesmo de seu companheiro. Como se aquele comportamen-
to dele, cri-cri, fosse o correto - e sempre se acham o correto do
casal!
Acabam irritando-se ainda mais, posto que sempre já estão
irritadas. E, pela cricrilhice, tenta lhe trazer ao mesmo patamar.
Cuidado, este tipo de pessoa nunca parará de contra-argu-
mentar, melhor ainda para ela, se for em tons progressivamente
mais alto e irritadiço.
É a gritaria generalizada. Talvez seja este bom exemplo de
família caótica. Péssimo ambiente para crianças.
Este texto foi escrito primariamente sobre o tema irritabilida-
de, mas tomou este rumo de terapia de casal e/ou família, mas
não era este o objetivo inicial.
É que, em se tratando desta temática, casamento muitas ve-
zes casa.
Ricardo Bing Reis.

CHATICES COTIDIANAS: 'CRIANÇAS IRRITADIÇAS'.

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986_ufrgs@provedor.com
Date: Tue, 26 Jul 2011 19:50:38 +0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS os demais internautas,
temos aquelas crianças que, muito pequenas ainda, 2 anos
ou menos, já externam um temperamento forte e alto grau
de raiva.
Sobrevém a teimosia, a birra e ataques de fúria; em casa
ou ambientes públicos, principalmente em lojas de brinque-
dos, shoppings e supermercados.
Caso seja genético e tal característica tenha sido herdada
da mãe, tem ela, a mãe, agora, a chance de ver na filha co-
mo é para uma outra pessoa lidar com ela, irritadiça e que
paga geral; sobrando quase sempre mais para o marido.
Vice-versa se a irritabilidade do bebê-criança veio da gené-
tica paterna.
Seria o 'aqui se faz, aqui se paga'(?): peça que a genética
mesmo te prega, também vista como 'o feitiço contra o feiti-
ceiro' e 'o fruto -também o não doce- sempre cai perto do pé'.
E, seguindo nesta linha do agro-negócio, 'cada um colhe o
que planta'.
Classifiquei como 'chatice', já que faz parte de cotidianos;
e é plenamente corrigível. Não por sub-estimar a situação ou
pejorativamente.
Ricardo Bing Reis.

GRANDES PERDAS: PAIS PERTURBADOS PELO
TRABALHO.

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
Date: Mon, 25 July 2011 0000

Aos meus amigos-médicos TODOS demais internautas,
quando aluno da disciplina de Psiquiatria na Faculdade
de Medicina da UFRGS, um professor mencionou certo
trabalho científico que apontava que, dentre as profis-
sões, a que tinha maior número relativo de alcoólatras
eram os médicos.
Em casa de ferreito, o espeto é de pau mesmo.
Quase todos médicos são 'workaholics', como se isso
fosse uma virtude. Seu trabalho é sim virtuoso, mas a
forma como exercem, em sua maioria não o é, pois sa-
crificam a si e, bem pior, aos seus. E a conta vem...
E, pasmem, dentre estes, os psiquiatras eram os ma-
is numerosos!
Talvez só tenha me pasmado mais ainda quando sou-
be que filho de um psiquiatra, não sei da onde, se suici-
dara. Para minha tola fantasia até então, isto, pela Lógi-
ca, não seria lógico.
Era espeto de pau demais em casa de ferreiro...
'Tô fora'.
Ricardo Bing Reis.

GRANDES PERDAS: POR OMISSÃO DOS PAIS.

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Mon, 25 July 2011 0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS demais internautas,
pais, tão legaizinhos quanto omissos e preguiçosos, são
aqueles que liberam à libertinagem seus adolescentes pa-
ra ir ao Show de Rock ou outros, calibrando-se com gar-
rafas de vodka pura, caipiras de cachaça 3 litros com 1
limão, etc.
Nada contra o Rock, minha paixão musical.
Alguns tem que ser levados ao local, pelos amigos, a-
partir do centro do balneário.
Também(!), ao sair de sua mansão, de condomínios mi-
rabolantes, onde reina a felicidade palacial, seus megalo-
pais estavam oferecendo uma ceia aos vizinhos do condo-
mínio, todos bacanóides, nem tendo visto que saíram os fi-
lhos-perfeitos, até sem avisar para onde iam.
Com quem saíram? Como são as famílias destes amigos,
quais seus antecedentes comportamentais?
Dá trabalho para buscar estas informações, pois elas
tem que ser garimpadas do dia-a-dia de seu filho.
E como fazer isto, se você não participa da vida dele de
forma efetiva, no máximo fisicamente, ou nem isto?!
Ricardo Bing Reis.

GRANDES PERDAS: PAIS INCOMPETENTES(?).

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Mon, 25 July 2011 0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS demais internautas,
já a filha de chique casal é encontrada alcoolizada em ba-
nheiros das festas em que se mete, com apenas 12 anos.
Como se sentem os pais desta jovem?
Isto eu gostaria de saber, pois o pai passava operando
das 6hs da manhã até 22hs da noite, todos os dias e nunca
via sua filha, pois ao sair, ela estava dormindo, e ao voltar,
já tinha ido dormir de novo, durante toda a infância dela.
Não seria este pai como que um desconhecido para a fi-
lha, nestes 12 anos? Não se sente ela abandonada? Tal e
qual pais que realmente fogem de casa deixando a família
para trás, em desprezo? Aí que não sei.
Sente culpa por ter sido pai ausente; ou injustiçado, por
ter dado a ela tudo que ela sempre pediu, por resultado dos
dividendos de seu 'workaholiquismo'. E aquela ganância to-
da foi para dar tudo à ela ou à ele mesmo?
Faltou apenas dar carinho, 'mas por falta de tempo', mas
quem se importa com isto neste mundo de hoje, não é mes-
mo?
'Ela sempre teve tudo que quis! O que faltou? Parece que
quanto mais se dá, mais querem'!...
Mundo onde, tendo uma mega-TV e um mega-computa-
dor no quarto, todo mundo é feliz, pelo manual do 'soy louco
por ti América'.
Acho que este pai culparia a esposa, que pelo visto con-
traporia 'mas eu disse para ela'..." enquanto ficava com sua
malha enfiada na academia diuturnamente. E esta, sente-se
como? Acho que talvez a filha seja um estorvo para suas fa-
çanhas pessoais.
Para este casal, a filha é caso de psiquiatra, que deverá
fazer com 12 comprimidos diários o que eles dois não fize-
ram diariamente nos 12 anos.
Pais incompetentes, com atenuante de serem mais burros
que a premissa.
Ricardo Bing Reis.

PERDAS GRAVES: DOENÇAS DO DESENVOLVIMENTO.

From: redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Sat. Nov. 05/2011 00000000

Aos nossos amigos-médicos e TODOS demais internautas,
segundo pesquisas recentes, 2/3 das mortes por doenças
crônicas não-infecciosas, são geradas pelos citados sorra-
teiros e traiçoeiros inimigos da sua vida, através de doen-
ças por eles causadas, com destaque para as vasculopati-
as e cânceres.
São as chamadas 'doenças do desenvolvimento'; já que
tem muito a ver com o estilo de vida moderno.
Se, como visto, a maior parte destes inimigos são evitá-
veis, e, pior ainda, popularmente sabidamente patogênicos,
não se poderia chamar estas afecções de 'doenças do desen-
volvimento', pois são inerentes à mentes não-emocionalmen-
te equilibradas, embora possam ser muito intelectualizados.
Poder-se-ia dizer que são fruto de desajuste emocional.
Sendo isto correto, não fica difícil reconhecer estas afec-
ções como 'doenças do sub-desenvolvimento emocional'.
E, se de novo correto, o quanto antes o 'mundo moderno'
passar à obsoleto, melhor será.
Pelo menos para as pessoas; talvez nem tanto para a in-
dústria de tabaco, bebidas alcoólicas, comidas gordurosas e
açucaradas, de remédios, etc.
Além do narcotráfico.
Ricardo Bing Reis.

GRANDES PERDAS: INIMIGOS SORRATEIROS.

From: redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Sat. Nov. 05/2011 00000000

Aos nossos amigos-médicos e TODOS demais internautas,
quando os sintomas e sinais aparecem, muitas vezes a do-
ença resultante da ação prolongada dos 'sorrateiros inimi-
gos', já está em estágio avançado.
E, estes sintomas e sinais, muitas vezes, quando sur-
gem, o fazem em formas inespecíficas, vagas, tênues, que
passam por 'mal-estar que vai passar!'...
Sintomas como tontura e fraqueza, por exemplo, mui-
tas vezes não recebem a atenção que merecem, principal-
mente se brandos.
Aprenda a valorizar os avisos do seu corpo, por mais le-
ves e insignificantes que pareçam. Sempre procure u médi-
co e desconfie, sem medo de 'pagar um mico' de ser rotula-
do de'paranóico', 'hipocondríaco', 'histérico', 'psicossomati-
zador', 'estressado'.
Não se esqueça de 2 ditados:
1- 'Onde há fumaça, há fogo'; e, complementando, se não
tiver, melhor;
2- 'O seguro morreu de velho'; e, complementando, se não
deu, tentou-se.
Por órgãos-alvo, entanda-se o(s) órgão(s) que estão sen-
do alvo de ataque dos sorrateiros inimigos.
E digo inimigos da sua vida, pois as doenças por eles ge-
radas, muitíssimo frequentemente são causadoras da morte
deste padecente.
Segundo pesquisas recentes, 2/3 das mortes por doenças
crônicas não infecciosas, são geradas pelos citados 'sorratei-
ros e traiçoeiros inimigos da sua vida', através de doenças por
eles desencadeadas, com destaque para as vasculopatias e
cânceres. São as chamadas 'doenças do desenvolvimento'; já
que tem muito a ver com o estilo de vida moderno.
Ricardo Bing Reis.

GRANDES PERDAS: ESTRAPOLANDO LIMITES.

From: redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Sat. Nov. 05/2011 00000000

Aos nossos amigos-médicos e TODOS demais internautas,
ainda se (veja bem, eu disse se), algum alguém, um dia,
disser que existe uma tal de 'indústria do workaholic', não
duvidaria.
Imagino uma espécie de publicidade e propagando mi-
rando o 'american way of life': trabalhar feito um maluco,
para produzir e faturar muito; e depois gastar 'devolvendo'
o dinheiro ao adquirir carros e propriedades mirabolantes,
luxos desnecessários.
Obviamente que tudo isto tem um custo, e este custo se
chama estesse. E, por ele, há muito grande chance de infar-
tar-se entre os 60 e 70 anos, o que tornaria tudo isto mais
perfeito para esta fictícia 'indústria do workaholic', já que es-
te tolo terá pagado uma aposentadoria por toda sua exis-
tência e, na hora de usufruir, sai de cena.
Passe a régua, some e veja o lucro desta suposta 'indús-
tria': você gera, você devolve e morre quando teria direito a
algum retorno.
Como isca, você se deixou fisgar por uma 'vida melhor,
por ter coisas', esquecendo que, muitas vezes, para 'ter uma
vida melhor'', há de se 'ter tempo livre', para 'ser' e 'ócio cri-
ativo'.
Seja esperto, fique ligado nas artimanhas do capitalismo
selvagem...
Desta forma, os verdadeiros sorrateiros e traiçoeiros ini-
migos da sua vida, seria esta tal suposta 'indústria dos worka-
holics', tentando fisgá-lo pela ingenuidade, através de maté-
rias 'sérias' nos rádios, revistas, jornais, televisão, panfletos
e toda ordem de publicidade e propaganda, via multimídias.
Lembre-se de mais estas tendências:
1- 'Quem tudo quer, tudo perde'... ;
2- 'Devagar se vai ao longe'... ;
3- 'Corrida da lebre e da tartaruga'... ;
4- 'Quem ri por último, ri melhor'...
Sem que isto se transforme na apologia da lerdeza, da
preguiça, da desistência e do derrotismo.
Há que se lutar sempre por melhorias.
Mas respeitando seus limites.
Ricardo Bing Reis.

GRANDES PERDAS: MARIA VAI COM AS OUTRAS.

From: redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Sat. Nov. 05/2011 00000000

Aos nossos amigos-médicos e TODOS demais internautas,
se alguém me ouvisse, diria: 'seja esperto; fique ligado nas
artimanhas do capitalismo selvagem e 'blinde-se' em prol da
sua saúde física, mental e psíquica'.
Aqui, faz-se necessário um amadurecimento psíquico, de
um preparo, que te 'tire do sistema social vigente', ou senso
comum; e que te coloque no 'stricto sensu' (que, à luz dos
componentes do 'latu sensu' - quase todo mundo -, é um
'maluco beleza e/ou incompetente').
É muito difícil, pois, além de convencer e vencer a si mes-
mo, vítima desta lavagem cerebral desde 2 anos de idade (ou
antes, contaminando seu inconsciente e consciente), terá que
também estar preparado para lidar com o senso comum, que
tentará te repuxar ao sistema.
Os pertencentes ao sistema, não toleram bem o diferente,
pelo menos este tipo de diferente.
Talvez não seja de comentar-se com 'qualquer um', mas a-
penas com certos 'alguns poucos'; como quando da orientação
de seus filhos pré-adolescentes e adolescentes.
Ricardo Bing Reis.

GRANDES PERDAS: ESTRESSE CONTINUADO.

From: redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.bR
Date: Sat. Nov. 05/2011 00000000

Aos nossos amigos-médicos e TODOS demais internautas,
mencionei em outro texto, de forma otimista, mas receosa
do contrário, acreditar que, no futuro, o 'senso comum' se-
rá como hoje é o 'senso restrito', e, consequentemente, vi-
ce-versa.
Sem que isto signifique a tal 'vida alternativa desapega-
da'; e muitas vezes até piegas, e sim 'apegada ao necessá-
rio', sem consumismo mas com consumo, consciente e mo-
derado. Sempre pergunte-se:
'Eu realmente preciso disto que estou querendo neste mo-
mento'? 'A aquisição compensa e justifica o que terei que
trabalhar a mais para efetivá-la'?
Se isto ocorrer, estas mudanças de hábitos que induziri-
am uma reduçãos do estresse das pessoas, culminará com
um aumento da expectativa de vida das pessoas; aliado aos
avanços da medicina.
Digo isto, pois desconfio que o estresse é o grande vilão
da atualidade, por si só, e porque traz na mesma esteira
os demais 'sorrateiros inimigos da sua vida'.
Caso os níveis de estresse das pessoas permaneçam nos
mesmos níveis atuais, a despeito dos avanços da medicina
e da sociedade em geral (sob a ótica de melhorias em infra-
estrutura, saneamento e saúde pública); temo por uma re-
dução na espectativa de vida que temos neste início dos a-
nos 2.000, que beira os 80 anos em países desenvolvidos.
Ricardo Bing Reis.

GRANDES PERDAS: ABREVIANDO SUA VIDA.

From: redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.bR
Date: Sat. Nov. 05/2011 00000000

Aos nossos amigos-médicos e TODOS demais internautas,
em 1900, a espectativa média de vida de um cidadão eu-
ropeu de boas condições de vida era de aproximadamente
40 anos. E, para aquele de países 'sub-desenvolvidos', a-
proximadamente 30 anos.
No final do mesmo século já era de 70 à 80 anos, nos
mesmos locais.
Pois podemos ter uma surpresa. Ao invés de evoluir para
100 anos ou mais em 2050, talvez tenhamos um 'retroces-
so relativo' por estagnação da espectativa de vida em apro-
ximadamente 80 anos. Ou absoluto, se menos de 80 anos.
Minha conjectura se baseia no fato de nossos pais que es-
tão próximo dos 80, tiveram uma vida menos industrializada
que a nossa; mais saudável, à base d arroz com feijão e sa-
lada, com suco e água. Refrigerante, somente em festas...
Hoje em dia, tudo é 'indústria' disto e 'indústria' daquilo, a
única coisa que nunca é de fato, é indústria de fato. Tanto
que me senti à vontade para inventar a expressão 'indústria
do workholic'. Nestes casos todos, a palavra 'indústria' vem
num sentido metafórico de 'produção' de algo, mesmo que
este algo sejam meros hábitos e costumes humanos.
Mas agora inventarei uma nova expressão, onde o menci-
onado é meramente o que de fato é: 'indústria da indústria'.
Aqui, 'indústria' é no sentido real e não metafórico.
Por que tudo lembrei de inventar esta bobagem?
Porque a 'indústria da indústria' é uma das minhas princi-
pais preocupações na gênese de senões para a perspectiva
de vida continuar aumentando. Os produtos industrializados
são tomados de substâncias que suspeito serem, no mínimo,
meio tóxicas: carnes de maturação acelerada por hormõnios,
gorduras, conservantes, agrotóxicos (em frutas, verduras e
legumes), conservantes (em enlatadaos, engarrafados, en-
cartonador, ensacados), adoçantes (em produtos light e di-
et), corantes (em tudo artificialmente colorido, e quase em
tudo!), alimentos transgênicos. Além dos entoxicantes pela
própria natureza, como o tabaco (mais de 4.000 substâncias
tóxicas), bebidas alcoólicas e drogas. Também a poluição.
Ricardo Bing Reis.

GRANDES PERDAS: O DISTRESSE.

From: redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.bR
Date: Sat. Nov. 05/2011 00000000

Aos nossos amigos-médicos e TODOS demais internautas,
para mim, o principal agente de mortalidade no mudo atual
e futuro, caso ainda não seja, tenderá a ser o o estresse.
O estresse é um monstro, que desregula todo o corpo hu-
mano, liberando adrenalina que descompensa todo sistema
cárdiovascular com arritmias, hipertensão, etc. Resulta em
infartos do miocárdio, AVC isquêmico ou hemorrágico,
Também desencadeia liberação de cortisol na supra-renal
para elevação sérica, desregulando o corpo bioquimicamente,
liberando mais radicais livres e dificultando ação dos anti-oxi-
dantes.
Além de suprimir parte da atividade do sistema imunológi-
co, predispondo a muitos tipos de cânceres.
E vida 'de tempo livre' canalizada de um hobby criativo pa
ra a 'indústria da diversão virtual', que é expressão já pré-exis-
tente. Convenhamos, o mundo virtual em excesso é meio neu-
rotizante, embora não para todos. E a neurotização, aumenta
ainda mais o estresse, piorando o que já não estava bom.
O estresse bom é a força motriz da atividade e ânimo, sendo
de grau leve à moderado, benéfico, chamado eustresse.
O descompensado, é uma praga que só cede com mudança
dos hábitos de vida, dito distresse. Evitá-lo, corresponde a me-
lhorar o que se dá o nome de uma expressão que me soa desa-
gradável, de tão batida: 'qualidade de vida'. Observem que sem-
pre que se fala nisto, agrega-se conteúdos de exercícios e dieta,
como se isso fosse qualidade de vida... Nunca se menciona a-
gir na fonte do estresse, ou seja, vida acelerada e que precisa
desacelerar.
Desacelerar a vida é 'remediar', eficiente; fazer exercícios e
dieta é 'atenuar', que sempre resulta em ajuda parcial, mas de
importância também.
Ricardo Bing Reis.

GRANDES PERDAS: ESTRESSE 'DISSEMINADO'.

From: redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.bR
Date: Sat. Nov. 05/2011 00000000

Aos nossos amigos-médicos e TODOS demais internautas,
comentei que em 1900, a espectativa média de vida de um
cidadão europeu de boas condições de vida era de aproxi-
madamente 40 anos. E, para aquele de países 'sub-desen-
volvidos', aproximadamente 30 anos.
Também comentei que podemos ter uma surpresa. Ao in-
vés de evoluir para 100 anos ou mais em 2050, talvez tenha-
mos uma surpresa: um 'retrocesso relativo' por estagnação
da espectativa de vida em aproximadamente 80 anos.
Comentei que nossos pais, que estão pelos 80 anos, tive-
ram uma vida menos industrializada que a nossa que beira-
mos os 50 anos.
E completei sobre o estresse, que na época deles era bem
menor, tanto no trabalho, onde a pressão por metas era me-
nor, quanto no cuidado da família. Na nossa infância, podía-
mos brincar sozinhoa aos 10 anos de idade pois a criminalida-
de para com as crianças era mínima. Hoje é grande, desde a
pedofilia até sequestros, neste mundo maluco. Desta forma,
o cuidado dos filhos agregou o papel de guarda-costa; e, não
podendo deixá-los sozinhos, caracterizando brincadeiras esti-
lo 'pais-monitoradas' por 'pais-vigilantes', resulta que surgem
os 'pais-recreacionistas'. Por melhor que seja para convivên-
cia, e o é, pode tornar-se um fator a mais de estresse, justo
no momento em que se esperaria o desestressamento.
Não bastasse, principalmente por volta dos 50, surge fato
novo. Nossos pais, que nos cuidaram 20 anos; envelheceram
e também exigem nossa atenção por 30 anos. Nunca antes is-
to ocorrera, pois os pais tendiam a morrer por volta dos 60, e,
com isto, passamos a ter atribuições familiares duplas. São
2 famílias a zelar, a descendente (filhos) e a ascendente (pa-
is). Sendo que o ascendente tende a vir recheado de doenças.
É assim pelo menos para aqueles que se importan com su-
as famílias, nos 2 sentidos vetoriais. Há, e como, aqueles que
não estão nem aí, quer para uma, quer para outra.
É o estresse familiar duplo que se agrega ao laboral. O fami-
liar exige dinheiro, e muito nos dias atuais, já que um filho cus-
ta boa soma mensal, em colégios, cursos, esportes, arte. Além
de transportes para eles, etc. Fruto do mundo competitivo, que
exige um preparo neurótico (e caro) de nossas crianças. E este
é mais um diferencial que não existia nestas proporções para os
nossos pais.
É o exterminador estresse da inadequada e insalubre vida
moderna. Esta, lhe engana, te oferecendo o consumismo como
presente para suas frustrações. Não resolve e, ainda pior, é co-
mo uma maçã envenenada.
Ora, se a frustração é irmã da infelicidade, saiba que esta
gera angústia que, pela psicossomatização, desencadeia mais
estresse ainda, formando aquele círculo vicioso que citei antes.
E, se isto posto está correto, concluo que infelicidade mata.
Ricardo Bing Reis.

GRANDES PERDAS: HIPER-CARGA DAS MULHERES.

From: redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.bR
Date: Sat. Nov. 05/2011 00000000

Aos nossos amigos-médicos e TODOS demais internautas,
completarei agora estes pensamentos resumidos a respei-
to do estresse e seus malefícios através do desencadea-
mento de ações lesivas via 'sorrateiros e traiçoeiros inimi-
gos da sua vida por lesões em órgãos-alvo'.
Esta parte final fica centrada a cerca de mais uma con-
jectura de possíveis fatores que poderiam diminuir a espec-
tativa de vida nos próximos 40 anos, ao invés do aumento
pelos avanços da medicina e condiçoes sociais de vida.
Até o final dos anos 60, basicamente quem trabalhava
era o homem, caracteristicamente provedor, enquanto a
mulher ficava em casa com a denominação 'do lar', zelan-
do pelos filhos e preparando o ambiente doméstico e fami-
liar. Supostamente menos estressante do que entrar no mer-
cado de trabalho.
Mas com o advento do anticoncepcional oral, a mulher
conquistou sua liberdade sexual, impulsionada pelos novos
valores sociais que emergiam em prol de uma maior autono-
mia das mulheres. E ganhou projeção social. E queimou su-
tiã em praça pública.
No entanto, enquanto a mulher entrava no mercado de
trabalho, o homem não fez tanto a contra-partida de maior
participação nos afazeres do lar. Os cuidados dos filhos con-
tinuaram a ter na mãe seu pilar de sustentação, por mais que
o homem participe, talvez explicável por razões encontráveis
na Antropologia Biológica.
Então, se antes dos anos 70 o homem trabalhava 'x' no
mercado de trabalho e, a mulher 'y' no lar; após o ingresso
é mais ou menos como se o homem permanecesse no mes-
mo 'x', enquato a mulher passou para 'x+y'.
Se eu estou certo, as mulheres passaram à uma condição
de hiper-correção, passando a ter uma carga de estresse mai-
or que dos homens nos dias atuais.
Assim, hoje são fortes candidatas a terem sucessivas situ-
ações de 'burn out', que em bom português significa 'estafa,
fadiga, queima total de si mesmo, torra-torra'. Parece até slo-
gan de liquidações em lojas.
E não está sendo diferente das espectativas frente à nova
realidade delas: aumentou muito o número de mulheres com
angústias laborais, infarto do miocárdio, câncer, etc.
Desta forma, elas poderão ser mais um fator indicativo no
sentido de uma possível, e aparente paradoxal, diminuição da
espectativa de vida de vida nos anos devir.
Chegarão as mulheres, um dia, a questionarem-se ter sido
uma boa entrarem no mercado de trabalho? Pelo menos um
percentual delas não pensará que como estava no tempo de
suas mães 'eram felizes e não sabiam'? Nesta vida eu não du-
vido de mais nada...
E, quando achava que este seria o texto final desta sequên-
cia, percebo que nasceu mais um nos meus neurônios...
Ricardo Bing Reis.
GRANDES PERDAS: ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO
HUMANO.

From: redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: 25 Frid. Oct, 2011 0000

Aos meus amigos-médicos e todos demais internautas,
já respondendo, à todos seres vivos passíveis de sofrer
e morrer; assim, a todos os Seres Humanos.
Mas o raciocínio, se prestará mais às pessoas não ex-
tremamente pobres. Explicarei porque no próximo tex-
to, enquanto que neste, faço alguns pareceres prelimi-
nares.
Nos países muito pobres, que beiram condições de
miserabilidade e situações até sub-humanas, o sofri-
mento é de tal forma e tal monta, que não sei definir
nem descrever, por nunca ter tido uma suficientemen-
te significativa experiência 'in vivo'.
Como todo médico brasileiro, já exerci a profissão
a comunidades carentes, mas não vivi o cotidiano des-
tas comunidades muito pobres.
Tenho histórias que julgo curiosas, relacionadas com
assistência médica à comunidades pobres, no meu pas-
sado médico e até do presente. Mas é assunto para ou-
tro bloco.
O Brasil tem regiões com IDH (Índice de Desenvolvi-
mento Humano) comparáveis com os das nações mais
ricas (G5), em contraste com suas outras regiões, com-
paráveis à pobreza de recantos africanos mais miserá-
veis.
Na formação teórica e prática de um médico no Bra-
sil, há de se estudar e exercer nestas duas realidades
distintas; até que, após formado, define-se por Medici-
na Comunitária ou de Especialista. Se é que este racio-
cínio pode, ao menos sucintamente, ser colocado desta
forma.
Ricardo Bing Reis.

GRANDES PERDAS: 5 MUNDOS EM 1.

From: redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: 25 Frid. Oct, 2011 0000

Aos meus amigos-médicos e todos demais internautas,
penso ser sempre sensato não escrever sobre o que não
se tem suficiente vivência.
Nestes locais, por exemplo, regiões da África, regiões
da América Latina e Ásia, as causas de morte, em supo-
sição minha, seriam mais ou menos assim:
1- 1/4 relacionadas à desnutrição;
2- 1/4 relacionadas à doenças infecto-contagiosas;
3- 1/4 relacionadas à acidentes (que incluem alcoo-
lismo, drogas, criminalidade, narcotráfico, etc);
4- 1/4 por outras causas.
Assim, temos aqui, as condições de vida e as doen-
ças, como causa de infelicidade.
Ou por outra, nestas vastas regiões do mundo, os fa-
tores patogênicos gerariam a infelicidade.
São os países 'Emergentes', que já foram chamados
outrora, de 'Sub-desenvolvidos' ou 'Países em Desenvol-
vimento'.
Outros estudiosos, aparentemente ainda mais criteri-
osos, dividiam este mesmo mundo em 5: primeiro, se-
gundo, terceiro, quarto e quinto mundo. O primeiro, da
riqueza, o quinto, da miséria.
Se tais classificadores são do 'primeiro mundo', e de-
vem ser, me pergunto se, através deste artifício, não es-
tariam, magicamente, se 'abduzindo' da pobreza do res-
to do planeta.
Digo planeta porque este, como que por um decreto,
alojaria 5 dele nele mesmo, sabidamente uno! Maluqui-
ce. Seria uma forma de negar que, se as coisas são co-
mo são, não seriam relacionadas a eles, ricos? Uma vez
que, estão em 'mundos diferentes', algo como se o pla-
neta fosse em formato de um cacho de uva (de cinco go-
mos); e não como uma esfera una.
Pois, assim sendo, tudo que acontece acolá, tem a ver
com o que acontece aqui e vice-versa, principalmente ago-
ra com o incremento da globalização (que, contrário ao que
se faz pensar, não é advento recente ligado à informática,
mas milenar; ou não se migrava e navegava há muito an-
tes de Cristo)?
Aqui, fechando a questão, lembro a saudosa banda de
rock 'The Police': 'One world is enough for all of us'...
Por outro lado, como veremos no próximo texto, os paí-
ses ricos, ditos 'Desenvolvidos', tem como 'causas mortis'
doenças que, ao contrário, são causadas pela infelicidade;
no meu ponto de vista.
Sintetizando. Enquanto nos países pobres as doenças,
grosso modo, geram a infelicidade; nos países ricos, a infe-
licidade, grosso modo, gera as doenças.
E as doenças são, no mais das vezes, a mãe geradora
das mortes.

Ricardo Bing Reis.

GRANDES PERDAS: DESEMPREGO E AFLIÇÃO.

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Sun, 7 Aug 2011 17:02:54 +0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS demais internautas,
'unce upon a time'..., um mundo que parecia ser bipolar.
Oscilava entre altos e baixos da economia, hora mal
aqui e bem lá, hora bem aqui e mal lá, hora bem em to-
dos lugares e hora mal em todos lugares.
Dona Benta me disse que sempre já foi assim antes,
na Primeira Guerra, na crise de 29, na Segunda Guerra,
na crise do petróleo, etc.
Aí, chegou 2008, e uma bolha econômica, com foco
imobiliário meio que arruinou o magnífico reino dos Esta-
dos Unidos, depois contaminando também vários outros
reinos, pelo mesmo sistema, como uma epidemia de sa-
rampo, varicela ou rubéola.
A sensação que se teria é de uma "falência" mundi-
al. Ou não seria?
Os Estados Unidos, Grécia, Irlanda, Portugal, Espa-
nha, Itália; poderiam ser citados como exemplos de ou-
tros Reinos atingidos. Isto até este momento de agosto de
2011!
Aí, vem a nova rainha do FMI e diz que a bola da vez
são os tais 5 reinos emergentes: Brasil, Rússia, Índia, Chi-
na e África do Sul. 'Brics'.
O reino da China teria uma poupança de 3 trilhões.
Mas não sei não, disse alguém.
Situação muito delicada, na opinião da tia Anastácia,
é a do reino do Brasil, pois é o nr.54 em educação/ensino
no mundo. Não teria como dar certo com este nível de ins-
trução!
A economia pode de fato ir bem em dados momen-
tos, mas há de se considerar se aquela melhora não se de-
veria aos encantados "fluxos de capitais", nome chique da-
do à bruxa malévola da "mega-economia mundial especula-
tiva", e suas artimanhas, maquiavelismos e necessidade e-
goísta de satisfação de sua insaciável ganância e voracida-
de pelo dinheiro.
O Rei Leão, chama isto de capitalismo selvagem.
Vem o desemprego e aflição.
E todos viveram felizes para sempre...
Ricardo Bing Reis.

GRANDES PERDAS: SOFRIMENTO E TERMINALIDADE.

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Sun, 5 Jun 2011 19:37:32 +0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS os demais internautas,
suponho que as pessoas conversem razoavelmente sobre so-
frimento humano, meio pouco sobre a velhice e quase nada,
ou nada, sobre a morte.
Sobre o estar morrendo e o morrer, mais árduo ainda.
Se o vetor da conversação for um simples exercício psico-
mental filosófico, já é difícil. Se o vetor da conversação for u-
ma terceira pessoa, um pouco mais difícil ainda. Se o vetor da
conversação for o outro interlocutor, é muito difícil para o que
está padecendo, mas também bastante para quem empresta
seus ouvidos e palavras.
Se o vetor da temática da conversação for nós mesmos,
é uma tarefa por demais espinhosa, que poucos conseguem su-
portar.
Assim, quando se fala sobre o sofrimento humano, do en-
velhecimento, da velhice, da morte, do estar morrendo ou do
morrer, tendemos a fazê-lo sobre o 'outro' e pouco ou quase na-
da, Deus me livre, de si mesmo.
Mesmo para nós médicos e, entre nós, mesmo entre os trei-
nados psiquiatras e oncologistas, há uma tendência natural da par-
te humana do ser humano, à compaixão.
Para nós médicos, isto é o cotidiano verbalizado e vivido, so-
frido-morrido, nos pacientes, que padecem pacenciosamente, ou
nem tanto.
Mas mesmo com toda esta carga médica de ver e ouvir, sobre
o sofrimento em pacientes (não raro também em amigos e familia-
res), as dificuldades tomam progressões até geométricas quando
tentamos analisar o sofrimento e a finitude de nós mesmos.
Talvez porque, à auto-compaixão, se some o medo e a ira fren-
te à situação.
Somente a maturidade nos traz a serenidade suficiente para con-
versar com a morte.
Principalmente em cartesianos, onde tendem a ser incluídos os
praticantes da ciência médica, que costumam racionalizar e, por ve-
zes, não tão bem raciocinar sobre.
No meio médico, muitos não falam em morrer, mas 'vir ao óbito'.
Ricardo Bing Reis.

SOFRIMETO HUMANO: POR PERDAS E/OU SOBRECARGA.

From: redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Sat. 13 Aug, 2011 09:59:42 00000
Aos meus amigos-médicos e TODOS os demais internautas,
me lembro bem que sob a ótica da psiquiatria e psicanálise,
a palavra luto não era usada apenas em conotação com um
processo por morte, conforme eu conhecia até então.
Era usada com significado de sofrimento em geral, não so-
mente por e pós morte.
E o 'sofrimento/luto' é gerado pelas 'perdas' diversas, as
mais variadas; tal situações ansiogênicas, situações depressi-
vas, situações de irritabilidade, situações de doenças, situa-
ções de dificuldades afetivas, situações de dificuldades famili-
ares, situações de dificuldades profissionais, situações de difi-
culdades financeiras; de toda ordem.
A consequência pode ser o 'pesar' e o 'pranto'.
O 'pesar' me lembra estar carregando algo pesado, que traz
dores nas costas, encurvado pelo peso do mundo, como naque-
la imagem do carregador do globo: 'Atlas'.
Até por isto, a primeira vértebra cervical também se chama
Atlas, pois carrega e suporta sobre si o crânio, ou cabeça, que
não deixa de ser uma esfera, bola, globo.
Quem não quer se livrar do peso?
Lembram da expressão 'burro de carga'? Os demais perce-
bem em um, tendência a fazer tudo sozinho, por culpa ou oni-
potência; que, no caso, igualmente, caracterizam baixa auto-es-
tima.
Se o 'luto' pode ser interpretado pura e simplesmente por
'sofrimento' e, as 'perdas', os desencadeantes, teríamos em 'per-
das' uma relação de causa e efeito com 'luto/sofrimento'. Logo,
toma sentido muito claro a frase de Sêneca de que 'morremos a
cada dia'. É verdade, temos perdas diárias, que geram sofrimen-
tos diários e estes, podem ser interpretados como lutos diários.
Sem falar no envelhecmento biológico, que se estabelece se-
gundo a segundo, mas que provavelmente ninguém pensa nisso
segundo a segundo, e nem deve.
Ricardo Bing Reis.

SOFRIMETO HUMANO: POR PERDAS E/OU SOBRECARGA.

From: redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Sat. 13 Aug, 2011 09:59:42 00000
Aos meus amigos-médicos e TODOS os demais internautas,
me lembro bem que sob a ótica da psiquiatria e psicanálise,
a palavra luto não era usada apenas em conotação com um
processo por morte, conforme eu conhecia até então.
Era usada com significado de sofrimento em geral, não so-
mente por e pós morte.
E o 'sofrimento/luto' é gerado pelas 'perdas' diversas, as
mais variadas; tal situações ansiogênicas, situações depressi-
vas, situações de irritabilidade, situações de doenças, situa-
ções de dificuldades afetivas, situações de dificuldades famili-
ares, situações de dificuldades profissionais, situações de difi-
culdades financeiras; de toda ordem.
A consequência pode ser o 'pesar' e o 'pranto'.
O 'pesar' me lembra estar carregando algo pesado, que traz
dores nas costas, encurvado pelo peso do mundo, como naque-
la imagem do carregador do globo: 'Atlas'.
Até por isto, a primeira vértebra cervical também se chama
Atlas, pois carrega e suporta sobre si o crânio, ou cabeça, que
não deixa de ser uma esfera, bola, globo.
Quem não quer se livrar do peso?
Lembram da expressão 'burro de carga'? Os demais perce-
bem em um, tendência a fazer tudo sozinho, por culpa ou oni-
potência; que, no caso, igualmente, caracterizam baixa auto-es-
tima.
Se o 'luto' pode ser interpretado pura e simplesmente por
'sofrimento' e, as 'perdas', os desencadeantes, teríamos em 'per-
das' uma relação de causa e efeito com 'luto/sofrimento'. Logo,
toma sentido muito claro a frase de Sêneca de que 'morremos a
cada dia'. É verdade, temos perdas diárias, que geram sofrimen-
tos diários e estes, podem ser interpretados como lutos diários.
Sem falar no envelhecmento biológico, que se estabelece se-
gundo a segundo, mas que provavelmente ninguém pensa nisso
segundo a segundo, e nem deve.
Ricardo Bing Reis.

SOFRIMETO HUMANO: PREOCUPAÇÕES DESCENDENTES.

From: redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Sat. 13 Aug, 2011 09:59:42 00000
Aos meus amigos-médicos e TODOS os demais internautas,
tenho uma preocupação recorrente com relação às minhas
filhas: e se precisarem de meu socorro no futuro, e, não es-
tiver eu, por algum motivo, em condições de ajudar; irei pro-
var de grande auto-desgosto.
Claro que consigo ver aqui uma boa dose de super-pro-
teção e excesso de compaixão. Mas não são todos os pais de-
dicados assim? Talvez devessem, excessos contidos.
Aí incluo dificuldades de saúde física, psíquicas, circuns-
tâncias afetivas e correlatas, perdas ou lutos em geral, perda
de entes queridos, e, lógico, também profissionais e financei-
ras (nada improváveis de acontecer hoje, em vidas tão mais
longas e com mercados de trabalho tão dinâmicos e oscilan-
tes).
Então, em se tratando de sofrimento humano, penso que
as piores circunstâncias devam estar relacionadas ao sofrimen-
to dos filhos, e não de nós mesmos.
E, apenas para dar continuidade, e pesando o pensamen-
to, pelo menos para o momento, acho que ainda pior que ver o
filho morto, é vê-lo morrendo.
Mas estou certo, isto sim, que um filho perdido deixa um
vazio impreenchível. Não é o pior dos sofrimentos humanos?
Estamos parcialmente preparados para ver ascendentes
e horizontais morrerem; mas nunca os filhos.
A inversão da ordem é cruel.
É o melhor uso, se é que tem, da desagradável expressão
'ninguém merece'.
Ricardo Bing Reis.

GRANDES PERDAS: A ESPERANÇA.

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Sun, 5 Jun 2011 19:37:32 +0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS os demais internautas,
há quem pense que o estudo em cadáveres, contato com do-
enças graves, contato com a terminalidade, contato com o
estar morrendo, contato com a morte, contato com tragédi-
as, contato com a dor, contato com o sofrimento humano,
necessidade em comunicar diagnósticos de maus prognósti-
cos e que podem trazer desesperança; nos fazem ficar pes-
soas aparentemente 'frias'.
De minha parte, esta suposta dose de frieza nunca veio,
e sinto que muitas vezes engulo em seco para dar notícias
ruins. Tenho dificuldades. Sem excessão, me supero e faço
meu trabalho conforme manda a ciência médica, mas sem-
pre com dor e grande dose de precaução.
Nunca, repito, nunca tirando a esperança do doente gra-
ve.
Lembro bem da frase "curar às vezes, melhorar muitas
vezes, consolar sempre". Tirar esperança, acho que nunca.
Para mim, não tirar a esperança do gravemente enfer-
mo é a melhor forma de consolar, mais, reduz a necessida-
de de consolo, embora ainda necessário.
E, o consolo, para mim, é uma mão estendida, fisica ou
metaforicamente, para aplacar o medo inerente, a raiva e a
depressão.
Ricardo Bing Reis.

GRANDES PERDAS: DESESPERANÇA.

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Sun, 5 Jun 2011 19:37:32 +0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS os demais internautas,
certa feita, uma paciente disse-me ter sofrido de uma do-
ença tida terminal e beirou a morte.
Mas houve uma até inesperada recuperação, acaban-
do dada por curada mediante quimioterapia com resultado
bem acima das espectativas.
E me disse: ..."não guardo tristeza, nem lamento e nem
pesar relativo àquela época; mas guardo isto sim um intrans-
ponível ódio pelo médico que havia me tirado todas esperan-
ças, já que aquele martelar constante em sua cabeça de que
qualquer esforço em nada resultaria, foi seu maior adversári-
o na manutenção do otimismo para a luta contra a doença.
Quem tira a esperança, tira a vida por antecipação, qui-
çá por não ter vida dento de si, odiar os outros, odiar a si
mesmo, coisas sado-masoquistas. Mas há quem fale em "sin-
ceridade verdadeira" acima de tudo e de todos... Respeito es-
ta forma de pensar, mas não concordo.
Para mim, a maior punição é comunicar casal de pais que
seu filho amado, de 2 ou 3 anos, por exemplo, tem uma doen-
ça grave.
Ou que, em conjectura, na cirurgia houve incidente, com
morte da criança, que estava hígida, em cirurgia eletiva, não de
urgência!
Por último, uma dúvida. Popularmente, diz-se que um tal
alguém está 'desenganado'. Se este tal alguém está desengana-
do, é porque teria sido enganado. E tal não-verdade teria então
sido retificada. É isso?
Quem é que engana? O médico? Quem desengana? O mes-
mo médico? Acho que não, julgo ser apenas uma expressão po-
pular.
Ricardo Bing Reis.

NEGANDO O SOFRIMENTO E A MORTE.

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Fri, 12 Aug 2011 19:37:32 +0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS os demais internautas,
em senso popular, parece ser feliz aquela pessoa que nem
sequer pensa na morte, tal e qual vi ainda hoje em reporta-
gem de rádio, onde idosa de 79 anos se dizia tão ocupada
com as medalhas que ainda vinha ganhando com a prática
obstinada da natação, que não lhe cabia espaço para pen-
sar na morte.
Ou será que não estaria nadando compulsivamente justo
para não ter tempo de pensar? Ou quiçá seus neurônios não
rendem...
Foi dada como exemplo de felicidade. E, vejam só, esta
ótica muitas vezes é corroborada por respeitadíssimos com-
pêndios de psiquiatria, onde os pensamentos sobre morte fa-
zem parte do perfil do deprimido, com "d" minúsculo (triste);
e/ou Deprimido com "D" maiúsculo (doente).
É uma prática de vista ocidentalizada, do american way of
life. Você recebe automaticamente o diagnóstico de Transtor-
no Alguma Coisa.
Como ser feliz sem antes saber como é a infelicidade?
Observe você que é bem mais fácil falar das desgraças que
acometem certos povos pobres demais, sendo assunto de to-
dos os dias e de até dias inteiros, nas ruas e mídia.
É a banalização do sofrimento humano e da morte coletiva,
acho que, por negação para poder suportar a dor da compai-
xão; para quem tem. Ou simplesmente indeferença, para aque-
le que não tem.
Ricardo Bing Reis.

PRESSA PARA SER FELIZ.

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Sun, 22 May 2011 02:56:41 +0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS os demais internautas,
a consequência de toda hiper-estimulação consumista dos i-
dosos talvez seja o egoísta "agora é minha vez de ser feliz",
ou "minha última chance".
Tento explicar o lado de desperdício afetivo que vem em
função deste novo pensar de vários, mas não todos, idosos:
a combinação da paternidade tardia (pela busca de prolonga-
do templo preparatório para solidez profissional, tanto em ho-
mens quanto em mulheres); com a maior longevidade dos i-
dosos, nos surpreendeu com uma situação inusitada; onde os
avós também o são tardios, muitos já com pouca ou nenhu-
ma paciência para ajudar os pais no cuidado dos netos, en-
quanto trabalham.
Assim, muitos já não podem participar tanto, mas outros
ainda podem e não o fazem pelo posto acima.
Parecem estar mais intolerantes e, aqui, muito talvez seja
efeito da cartilha "kit do se dar bem forever and ever", até por
que este tipo de comportamento não consta no manual do 'kit
felicidade senil', não é gerador de movimentação financeira.
A ordem está "agora é minha vez": faço a parte boa de vi-
sitar, mas não contem comigo na difícil hora de criar, educar e
ensinar, mesmo que por poucas horas semanais.
Isto é uma pena, pois criancinhas com meses ou 1 e 2 anos
acabam em creches e escolinhas.
Por melhor que seja a qualidade, nunca terão o carinho que
somente um avô/avó poderia dar, e que a minha me agraciou.
E olha que grande parte dos avós moram sozinhos.
E preferem ficar assim, em si.
Sabem quando temos estes feriadões em que todo mundo fo-
ge em d-efeito boiada para praia, serra ou exterior? Pois é, co-
mo me disse certa feita uma senhora paciente, de forma irônica:
'é a pressa para ser feliz'! E, não teríamos pressa daquilo que já
temos...
Estamos todos assim, com pressa para ser feliz, e
esquece o
idoso que, muitas vezes, o seu ser feliz está justo naquele neto.
Ricardo Bing Reis.

INFELICIDADE SEMPRE E SEMPRE.

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Sun, 22 May 2011 02:56:41 +0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS os demais internautas,
nada contra as beneces consumistas para os idosos, mas sim
contra o estigma de que tem que ser necessariamente este o
modo de vida para a felicidade do idoso.
E pode ser justo o causador de infelicidade, por frustração
de espectativas.
Se ficar em casa lendo um livro emprestado; bom, assim não
tem como ser feliz!
Ainda mais sem o último modelo de multi-processador na co-
zinha, mas que nunca usaria.
E agora as novidades tecnológicas, que a cada 30 dias lançam
modelos novos, ficando você sucessivamente obsoleto e fora do
mundo.
A tecnologia pode servir, em fantasia de alguns, como exten-
são de seus cérebros, tornando-os menos burros.
Mas só fazem aumentar suas burrices se pensando assim.
Por isto, filas para ser o primeiro a comprar, para ser o primeiro
a deixar de ser burro.
Ricardo Bing Reis.

CONJECTURANDO EXEMPLOS DE CIRCUNSTÂNCIAS DE
PESSOAS ALCOÓLATRAS
- PARTE PRIMEIRA -

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Mon, 25 July 2011 0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS demais internautas,
aproveito para anotar festas de jovens de 15 anos ou a-
té menos, regadas à bebidas alcoólicas e bares que fa-
zem vista grossa e vendem a menores.
Já sei que aquele metido à ultra-inteligente dirá, do
alto do seu saber soberbo, que um 'de maior' vai e com-
pra para os 'de menor'; ou que já chegam nas festas
'prontos', e assim por diante.
Pois vejam estes, que até a vovó Donalda e a Dona
Xepa também sabem disto e que, pela, sim, correta teo-
ria 'a ocasião faz o ladrão', está errado aquele sabichão
ao pregar que não ajuda o controle social.
Não disse que resolve, mas disse que ajuda.
Também vale para os adultos, que tem um bar pró-
ximo ao local de trabalho, fácil de frequentar.
Sem falar no pai, que ao sair o filho para uma festa,
lhe recomenda sensatamente a não beber, já com seu ha-
bitual noturno copo de whisky e cigarro na mão.
A criança e o adolescentes captam tudo, aprendem,
talvez até mais, por observação de como tu, pai ou mãe,
são no cotidiano, que no blá-blá-blá com ele.
Ricardo Bing Reis.

CONJECTURANDO EXEMPLOS DE CIRCUNSTÂNCIAS DE
PESSOAS ALCOÓLATRAS.
- PARTE SEGUNDA -


From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Mon, 25 July 2011 0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS demais internautas,
sua filha de 18 anos vai a uma festa e, não tendo bebido,
vem em baixa velocidade por cruzamento, e uma destas
Rurais-Surreais-2012, em 2011, dirigido por um bêbado,
faz um strike, levando junto o carro de sua filha contra o
muro, com trauma craniano, fraturas de clavícula e coste-
las, com perfuração pulmonar, chegando viva à UTI do H.
de Pronto Socorro, onde fica por 60 dias.
Após calvário, tem alta com sequelas, paraplégica, com
6 cirurgias ortopédicas e neurológicas. Como fica a cabeça
do pai deste imbecil predador, e, muito pior ainda, do pai
da inocente vítima?
Ainda pode acontecer de, sendo filho ou amigo de po-
lítico, juíz, promotor, etc; ser liberado. Disse apenas 'pode
ser(!)'. Temos os honestos em todos os ramos profissio-
nais, em maioria, quero crer eu.
É a velha sempre nova frase 'para os amigos tudo, pa-
ra os outros e/ou inimigos, a lei'!
Ricardo Bing Reis.

CONJECTURANDO EXEMPLOS DE CIRCUNSTÂNCIAS DE
PESSOAS ALCOÓLATRAS.
- PARTE TERCEIRA -

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Mon, 25 July 2011 0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS demais internautas,
continuando o escrito no texto 'quarto', penso se os pais
sentem culpa por terem sido ausentes; ou se sentem in-
justiçados por terem dado a ela tudo que ela sempre pe-
diu, por resultado dos dividendos de seu 'workaloquismo'.
E aquela ganância toda foi para dar tudo à ela ou à e-
le mesmo?
Faltou apenas dar carinho por 'falta de tempo', mas
quem se importa com isto, neste mundo de hoje, não é
mesmo?
'Ela sempre teve tudo que quis! O que faltou? Parece
que quanto mais se dá, mais querem'!...
Mundo onde, tendo uma mega-TV e um mega-compu-
tador no quarto, todo mundo é feliz, pelo manual do 'soy
louco por ti América'.
Acho que este pai culparia a esposa, que pelo visto con-
traporia 'mas eu disse para el'... Enquanto ficava com sua
malha enfiada na academia diuturnamente, em sua vida
de futilidades e realizações infantis. E esta, sente-se co-
mo? Acho que nem percebe-se...
Para este casal, a filha é caso de psiquiatra, que deve-
rá fazer com 12 comprimidos diários, o que eles dois, não
fizeram diariamente nos 12 anos.
Pais incompetentes, com atenuante de serem mais bur-
ros que a premissa.
Ricardo Bing Reis.

CONJECTURANDO EXEMPLOS DE CIRCUNSTÂNCIAS DE
PESSOAS ALCOÓLATRAS.
- PARTE QUARTA -

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Mon, 25 July 2011 0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS demais internautas,
já a filha de chique casal é encontrada alcoolizada em ba-
nheiros das festas em que se mete, com apenas 12 anos.
Como se sentem os pais desta jovem? Isto eu gostaria
de saber! O pai passava operando das 6hs da manhã até
22hs da noite, todos os dias e nunca via sua filha, pois ao
sair, ela estava dormindo, e ao voltar, já tinha ido dormir
de novo, durante toda a infância dela.
Não seria este pai como que um desconhecido para a
filha, nestes 12 anos?
Não se sente ela abandonada? Tal qual pais que real-
mente fogem de casa deixando a família para trás, em
desprezo? Aí que não sei.
Continua.
Ricardo Bing Reis.

CONJECTURANDO EXEMPLOS DE CIRCUNSTÂNCIAS DE
PESSOAS ALCOÓLATRAS.
- PARTE QUINTA -

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Mon, 25 July 2011 0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS demais internautas,
pais, tão legaizinhos quanto omissos e preguiçosos, são
aqueles que liberam à libertinagem seus adolescentes pa-
ra ir ao Show de Rock ou outros, calibrando-se com gar-
rafas de vodka pura, caipiras de cachaça 3 litros com 1
limão, etc.
Alguns tem que ser levados ao local, pelos amigos,
apartir do centro do balneário. Também(!), ao sair de sua
mansão, de condomínios mirabolantes, seus mega-pais es-
tavam oferecendo uma ceia aos vizinhos do condomínio, to-
dos bacanóides, bebendo muito, nem tendo visto que saí-
ram os filhos-perfeitos, até sem avisar para onde iam.
Com quem saíram? Como são as famílias destes ami-
gos, quais seus antecedentes comportamentais?
Dá trabalho para buscar estas informações, pois elas
tem que ser garimpadas do dia-a-dia de seu filho.
E como fazer isto se você não participa da vida dele
de forma efetiva, no máximo fisicamente, apenas de cor-
po presente, ou nem isto?!
Ricardo Bing Reis.

CONJECTURANDO EXEMPLOS DE CIRCUNSTÂNCIAS DE
PESSOAS ALCOÓLATRAS.
- PARTE SEXTA -

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Subject: Conjecturando... -6.
Date: Mon, 25 July 2011 0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS demais internautas,
você, casado com esta coroa, que, em casa, passa o dia
se ocupando com os afazeres domésticos regados à vinho
da colônia, que compra diariamente no boteco em garra-
fas de guaraná para disfarçar no trajeto, e ainda dizendo
ao atendente do balcão ser para você.
E aquela que não abre mão de suas 3 cervejinhas to-
das as noites. "Ai, aprendi nas rodinhas de pagode e nun-
ca mais me tirei este dengo!..."
O alcoolismo feminino é muito maior que imaginamos.
Talvez não percebamos por não estarmos mentalmente
programados para perceber indícios de bebida nas mulhe-
res quanto estamos para homens, dos quais mais disso se
espera.
Quem sabe em mulheres fique mais a impressão de ela
ser 'expansiva' ou 'é o jeito dela', pois, combinemos, as mu-
lheres falam bem mais que os homens...
Ricardo Bing Reis.

CONJECTURANDO EXEMPLOS DE CIRCUNSTÂNCIAS DE
PESSOAS ALCOÓLATRAS.
- PARTE SÉTIMA -


From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Subject: Conjecturando... -7.
Date: Mon, 25 July 2011 0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS demais internautas,
então, bebe o homem, bebe a mulher, bebe o hétero, be-
be o homo-afetivo, bebe o velho, bebe o coroa, bebe o a-
dolescente, bebe o padre, bebe a madre superior, bebe a
vadia, bebe o malandro, bebe o abstêmio.
Ficantes, ao beber, por vezes perdem a noção e ficam,
também, com herpes e/ou papiloma vírus (na língua boba,
na garganta profunda, no cólo do útero, pinto, ânus e ore-
lha).
E as outras DSTs, como aids, sífilis, gonorréia, por de-
suso de preservativo da marca "não dá nada, já dando".
Álcool suprime seu senso de precaução, te trazendo ro-
letas russas. E sempre tem 1 bala em 6.
Ricardo Bing Reis.

CONJECTURANDO EXEMPLOS DE CIRCUNSTÂNCIAS DE
PESSOAS ALCOÓLATRAS.
- PARTE OITAVA -

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Mon, 25 July 2011 0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS demais internautas,
outros querem se exibir num Dodge-Vipper e arrancam
à 100 milhas em 9 segundos, se esburrachando em um
pilar de viaduto, explodindo o carro, o que acaba sendo
de se lastimar; uma pena, pois era um Vipper.
Mas daquele motorista, parece que não era de se es-
perar nada de proveitoso. Não levando ao Além um ami-
go inocente como carona está de bom tamanho.
Vá dirigir uma Lamborghini-Diablo no inferno.
Como ficam os velhos pais de um idiota destes?
E os filhos?
E a esposa?
E os seus empregados na loja de cosméticos no cen-
tro da cidade, supondo ser empresário?
E seus credores? Bem, quem manda financiar malu-
cos...
Ricardo Bing Reis.

CONJECTURANDO EXEMPLOS DE CIRCUNSTÂNCIAS DE
PESSOAS ALCOÓLATRAS.
-PARTE NONA -

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Mon, 25 July 2011 0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS demais internautas,
como viram, bebe o rico, bebe o pobre. O pobre é cacha-
ceiro, o rico é degustador.
Aí você escolhe o degustado chique, podendo ser es-
pumante de Champagne de fato, whisky e o mais usual,
o vinho. Para todos efeitos, são pessoas elaboradas, sofis-
ticadas, degustadores do fruto da videira, que lembra 'vi-
da', mas que, em altas doses, passa de 'vida' à vilão, ele-
vando o nível das taxas de bilirrubinas, TGO e TGP.
Enquanto suas esposas tem varizes nas pernas, eles
as tem no esôfago. Deveriam se tratar dos males da men-
te com profissionais adequados e não se auto-medicando
com vino ou malte escocês.
Mas seus egos transbordantes de suas mentes onici-
entes não tem nada a aprender, apenas a ensinar. O ál-
cool é um brinde, seriado, à eles mesmos.
Mas é justo ele que sabe ser um incompetente, de u-
ma forma ou de outra, um incompetente. Agora saem os
goles do pseudo-requinte e entram os deglutidos golões
do recurso.
Alívio das dores da mente. Mas se parar, o efeito vai
-se passando e a praga do mal-estar onipresente ameaça
voltar e, a única saída para fugir deste martírio é ir sem-
pre em frente, golões pós golões.
Como ajudar a desfazer um círculo vicioso destes?
A maneira seria fazê-lo ver que o ponto é sua oniciên-
cia, mas o oniciente não se faz permitir aprender, até por-
que tudo sabe e ensina.
Não vai entrar. Algo de grave parece ter que acontecer
para o cabeçudo teimoso desconfiar de que talve z até ele
pode ter se enganado.
Ricardo Bing Reis.

CONJECTURANDO EXEMPLOS DE CIRCUNSTÂNCIAS DE
PESSOAS ALCOÓLATRAS.
- PARTE DÉCIMA -

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Mon, 25 July 2011 0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS demais internautas,
o pobre é bebum, alcoólatra, alcoolista, cachaceiro, pin-
guço, borracho.
Pela qualidade da bebida, tende a ter mais efeitos no-
civos do álcool, mas não se enganem os 'ricos', consumi-
dores de bebidas mais 'elaboradas', os ditos 'degustado-
res' já que também estão bem na mira da AR-15 do ál-
cool.
O álcool lhe contempla com câncer de boca, garganta,
laringe, esôfago, estômago.
Também cirrose hepática e em função desta, varizes
esofágicas que, se rotas, podem levar à morte por hemor-
ragia interna.
Também a pancreatite. Lesões cerebrais irreversíveis.
Se receber, associadamente, a fumaça dos tabacos,
se torna múltiplas vezes ainda mais demoníaco na gêne-
se daqueles cânceres descritos.
No Rio Grande do Sul temos uma cidade de nome cur-
to, Santo Antônio da Patrulha, grande produtora de cana
e seus derivados, dentre, cachaça. Incidência de câncer de
via aérea superior e digestiva alta, é como de padrão en-
dêmico, pelo preço quase gratuito, acompanhado do palhei-
ro.
Nestes que se permitem auto-vitimar, os bigodes são a-
marelos e as bocas com dentes aqui e ali... de tantas toxi-
nas.
Ricardo Bing Reis.

CONJECTURANDO EXEMPLOS DE CIRCUNSTÂNCIAS DE
PESSOAS ALCOÓLATRAS.
- PARTE DÉCIMA PRIMEIRA -

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Mon, 25 July 2011 0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS demais internautas,
o pai de uma amiga, após anos de alcoolismo e tabagis-
mo, teve diagnóstico de câncer de estômago, que logo in-
vadiu o pâncreas e o fígado, por contiguidade, além de
metástases ósseas na coluna vertebral torácica e no cé-
rebro.
De pé, em 30 dias estava no leito, cada vez mais imó-
vel por fraqueza, definhando; já beirando os 45 quilos nos
40 dias seguintes e, ao cabo de 60 dias no total, em fase
final de sua terminalidade.
Certa manhã, constataram que não mais acordaria. A-
qui se tem um luto complicado, pois mistura a dor da per-
da de um ente querido com a sensação de bem estar por
alívio do término daquele martírio, fato este que pode tra-
zer mais um componente emocional, o de culpa por sentir
alívio pela morte daquele querido.
Mas uma auto-análise da situação, aplaca a culpa, pois
o alívio é porque você justo se angustiava por ele, por amor,
e não por indiferença. O indiferente não sente culpa, pois
não se abalou com a dor dele, tampouco o gostava.
Sensação de bem estar pode sim fazer parte de um luto
coerente e humano.
Ricardo Bing Reis.

CONJECTURANDO EXEMPLOS DE CIRCUNSTÂNCIAS DE
PESSOAS ALCOÓLATRAS.
- PARTE DÉCIMA SEGUNDA -

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Subject: Conjecturando... -12.
Date: Mon, 25 July 2011 0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS demais internautas,
o álcool também pode lhe ajudar. Pode lhe ajudar à au-
mentar sua obesidade, descompensar suas lipidiopatias,
formando placas de ateroma nas artérias carótidas e ver-
tebrais, culminando em AVC isquêmico; ou, se preferires,
nas coronárias, com isquemia e até infarto do miocárdio.
Em suas pernas, a má vascularização te proporciona
claudicação intermitente.
Também temos um estilo magal de beber: lembram
do programa 'Chico Anísio Show' e "a cascavel...?" Pare-
cia ser um muambeiro de Ray-ban, cabelos longos pretos
lisamente lambidos para trás por gel, ondulando nas pon-
tas.
Um semi-caquético desvitaminado, presa fácil para o
bacilo da tuberculose.
Ricardo Bing Reis.

CONJECTURANDO EXEMPLOS DE CIRCUNSTÂNCIAS DE
PESSOAS ALCOÓLATRAS.
- PARTE DÉCIMA TERCEIRA -

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Mon, 25 July 2011 0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS demais internautas,
e você, político influente, cujo primo mata uma família in-
teira com seu carro flex, tendo sido constatado mais álco-
ol no bafômetro que no tanque, vai tirá-lo da prisão? Vai
deixá-lo lá? Que pepino, heim?
Um bom dentista, por anos se arrasta, perde a cliente-
la, a profissão, sua dignidade e envergonha sua família, a-
lém do rombo financeiro.
Médico famoso, de tanto beber anos e anos, morre de
cirrose hepática aos 55 anos!
Como manter a família unida numa situação destas, on-
de justo seu porto seguro é cambaleante, gerador de inse-
gurança(!)?
Ricardo Bing Reis.

CONJECTURANDO EXEMPLOS DE CIRCUNSTÂNCIAS DE
PESSOAS ALCOÓLATRAS.
- PARTE DÉCIMA QUARTA -

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Subject: Conjecturando... -14.
Date: Mon, 25 July 2011 0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS demais internautas,
pense naquele pai viúvo e oitentando, percebendo che-
gada de seu filho separado que com ele veio morar, per-
de a chave, escancara a campainha, acorda vizinhos, o a-
corda em sobressalto, briga covardemente com você e de-
pois nem consegue despir-se ao trocar de roupa para ir
deitar, pois já está deitado.
Como se sente este duplamente sofrido pai? E pior,
veio dirigindo. Por muita sorte não bateu e não matou ne-
nhum inocente. Desta vez! Avisar as autorides se impõe.
Ele, pai, fará?
As blitz são imperativas e o bafômetro obrigatório.
Ricardo Bing Reis.

CONJECTURANDO EXEMPLOS DE CIRCUNSTÂNCIAS DE
PESSOAS ALCOÓLATRAS.
- PARTE DÉCIMA QUINTA -


From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Subject: Conjecturando... -15.
Date: Mon, 25 July 2011 0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS demais internautas,
temos aquele gourmet ou churrasqueiro, que cozinha mas
não para comer, para beber.
Já pensou em acreditar de amigos que bebem juntos
via webcam, um em São Paulo e o outro em Toronto? Mas
existem.
São pinguços online. Tecno-borratchos.
Como fica a cabeça do filho de dez anos, que passa na
sala e vê seu pai nesta web-erração?
Ricardo Bing Reis.

CONJECTURANDO EXEMPLOS DE CIRCUNSTÂNCIAS DE
PESSOAS ALCOÓLATRAS.
- PARTE DÉCIMA SEXTA -


From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Mon, 25 July 2011 0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS demais internautas,
aquele seu amigo(?) desmiolado pede seu carro empres-
tado e você, mais desmiolado ainda, empresta.
Sai à noite e, de madrugada, bebum, resolve voltar
pela orla do balneário, atolando seu carro na areia fofa,
vindo agora o mar em onda prolongada para junto, tam-
bém encomendando uma ferrugem.
Vem ajudantes(?) que, te vendo ali encalacrado e tor-
to, desatolam para ti o carro, mas levam-o, talvez como
forma de retribuição à ajuda.
Será que o carro tinha seguro?
Como ajudar este cara que você tem vontade de 'tor-
cer o pescoço'?
Ricardo Bing Reis.

CONJECTURANDO EXEMPLOS DE CIRCUNSTÂNCIAS DE
PESSOAS ALCOÓLATRAS.
- PARTE DÉCIMA SÉTIMA -


From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Mon, 25 July 2011 0000

Aos meus amigos-médicos TODOS demais internautas,
outro ainda bebe e fica agressivo. Você desce a longa
escada de um bar em Buenos Aires, ou Venâncio Aires,
e fica lá embaixo esperando este amigo descer.
Então, ouve-se barulhos e a seguir ele desce as es-
cadas, mas rolando. Vai todo mundo para delegacia, vo-
cê junto; como acompanhante, mas vai!
Como ajudar este cara que você de novo tem vonta-
de de 'torcer o pescoço'.
Quando você menos espera, nestas noitadas de sol-
teiro, pode ser chamado à herói ou depender de um.
Alegrão levou um soco e caiu de cabeça ao lado da
roda de um carro que estava por arrancar. E, um herói
de ocasião, lhe arranca a cabeça dali antes que o carro
o fizesse.
Ricardo Bing Reis.

CONJECTURANDO EXEMPLOS DE CIRCUNSTÂNCIAS DE
PESSOAS ALCOÓLATRAS.
- PARTE DÉCIMA OITAVA -

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Subject: Conjecturando... -18.
Date: Mon, 25 July 2011 0000

Aos meus amigos-médicos TODOS demais internautas,
um chato pede carona para dupla de amigos que esta-
va se divertindo no bar Delírius.
É na beira da praia, mas sobre penhasco.
Para descer, cada qual tem que segurar o caronista
semi-inconsciente, um de cada lado. Sendo muito íngre-
me e com pedregulhos, o trio escorrega e se esfola to-
do por 10 metros de escorregões. O que fazer com um
cara destes?
Teu primo se separa da namorada que gostava, por
estranha iniciativa própria, mas aí cai na noite e se em-
bebeda de segunda à segunda, falando o tempo todo de-
la, enquanto bebe!
Ricardo Bing Reis.

CONJECTURANDO EXEMPLOS DE CIRCUNSTÂNCIAS DE
PESSOAS ALCOÓTRAS.
- PARTE DÉCIMA NONA -

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Mon, 25 July 2011 0000

Aos meus amigos-médicos TODOS demais internautas,
condutor hétero dá carona para 1 mulher que pega na
calçada. Aí descobre que é trans. Não sendo sua praia,
como fazer?
Erro triplo: beber demais, dirigir após e pegar des-
conhecidos na rua. A avó já avisara antes...
Outra. Cara toma todas e sai por aí de carro. Na es-
quina, consegue parar no sinal mas fica implicando com
o marombadíssimo pitt-bad-boy, carona do carro ao lado.
Este, desce e lhe dá um soco no ouvido, fraturando o
seu osso temporal, 'amassando' seu ouvido, trazendo sur-
dez definitiva neste ouvido e 7 dias na UTI, pós neuro-ci-
rurgia para reconstituir a base do crânio.
Novo soco aqui, seria como dar um soco direto no cé-
rebro, coisa que parece não ter.
Ricardo Bing Reis.

CONJECTURANDO EXEMPLOS DE CIRCUNSTÂNCIAS DE
PESSOAS ALCOÓLATRAS.
- PARTE VIGÉSIMA -

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Mon, 25 July 2011 0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS demais internautas,
quando aluno da disciplina de Psiquiatria na faculdade de
medicina, um professor mencionou certo trabalho cientí-
fico que apontava que, dentre as profissões, a que tinha
maior número relativo de alcoólatras eram os médicos.
E, pasmem, dentre estes, os psiquiatras eram os mais
numerosos!
Talvez só tenha me pasmado mais ainda quando soube
que filho de um psiquiatra, não sei da onde, se suicidara.
Era espeto de pau demais em casa de ferreiro...
Ricardo Bing Reis.

CONJECTURANDO EXEMPLOS DE CIRCUNSTÂNCIAS DE
PESSOAS ALCOÓLATRAS.
- PARTE VIGÉSIMA PRIMEIRA -

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Mon, 25 July 2011 0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS demais internautas,
alguns flanelinhas começam com cara limpa e logo, o o-
lhar, começa a mudar para fissurado, e o hálito para ce-
tônico.
A vida na rua tem seu caráter de 'no limite', há de se
ter muita força de vontade para vencer as investidas de-
moníacas.
Morador de rua, hoje nova denominação para mendi-
go, ingeria álcool durante, literalmente, todo tempo que
conseguia estar acordado. Chegou ao ponto de comprar
álcool em bomba de posto de gasolina, por ser mais "pu-
ro" e barato. Morreu na própria rua, na calçada, por ex-
sangüineação maciça pela boca, devido ao rompimento
súbito de varizes esofágicas, verdadeiro tsunami de san-
gue pela boca afora. Acredite, inacreditável!
Haveria como ajudar? Recusou todas investidas de Ór-
gõs Públicos da Saúde, fugindo.
Que sofrimento humano e que morte!
Que inferno dantesco ser alcoólatra, e talvez pior infer-
no ainda tentar ajudar um.
Ricardo Bing Reis.

CONJECTURANDO EXEMPLOS DE CIRCUNSTÂNCIAS DE
PESSOAS DROGADITAS DIFÍCEIS DE AJUDAR.
- PARTE PRIMEIRA -

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Sun. 21 Aug. 2011 13:43:24 00000

Aos meus amigos-médicos e TODOS demais internautas,
drogadição parece seguir uma sequência não obrigatória.
Seria iniciada pela dor do sofrimento mental, segui-
da pelo estímulo da nicotina do tabaco, então do álcool.
Aí viria o efeito supostamente ansiolítico da canabis
da "miconha", chegando-se agora a um grau de gravida-
de na cocaína. Depois, já chutando mais ainda o pau da
barraca, o crack e o óxi.
Comum também é o uso em arrastão, o cara vem a-
crescentando mais e mais tipos de drogas, em associa-
ções, ao invés de substituí-las.
Uma paciente me contou que houve um tempo em
que us ara tabaco, maconha, álcool e cocaína, associada-
mente e indistintamente, em festas muito loucas, onde
já ninguém mais sabia o que era de quem. Então, ficou
soro-positiva, tanto pelos métodos naturais, quanto por
compartilhar seringas contaminadas para veicular cocaí-
na endo-venosa, após perder noção de qualquer sentido
de auto-estima e preservação de integridade física e mo-
ral.
Acabou em Clínica Psiquiátrica e, em outra ocasião,
em unidade psiquiátrica de um hospital.
Ricardo Bing Reis.

CONJECTURANDO EXEMPLOS DE CIRCUNSTÂNCIAS DE
PESSOAS DROGADITAS DIFÍCEIS DE AJUDA.
- PARTE SEGUNDA -

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Sun. 21 Aug. 2011 13:43:24 00000

Aos meus amigos-médicos e TODOS demais internautas,
vejo muita diferença dos serviços psiquiátricos de hoje
dos de outrora, chamados de 'hospício' nos 70's.
Lembro de 1982 onde a disciplina de Psiquiatria nos
escalava dia que outro num 'Hospital- Hospício'.
Na época, eram aquelas salas de 100 metros quadra-
dos atrolhadas de doentes mentais, com uma única lâm-
pada de 60 watts...
Graças que hoje, ambientes assim, que mais mal do
que bem fazem, não existem mais. Que eu saiba e espe-
ro.
Ricardo Bing Reis.

CONJECTURANDO EXEMPLOS DE CIRCUNSTÂNCIAS DE
PESSOAS DROGADITAS. - PARTE TERCEIRA -

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Sun. 21 Aug. 2011 13:43:24 00000

Aos meus amigos-médicos e TODOS demais internautas,
o antigo lança-perfume, de uso mais para pique, teria
seu correspondente atual no ecstasy. O crack e óxi, no
passado, seria o LSD, droga do psicodélico, do final dos
60's.
Certa feita, alguém, em algum lugar, me disse que ex-
perimentara e passou por Síndrome do Pânico por "vivên-
cia viva" de estar caindo em queda livre da cratera de um
vulcão, numa viagem à velocidade da luz, no escuro, até
começar a sentir o calor do ardor do inferno, às lavas. Se
segurava nas bordas da cama como se fosse ajudar, por
força de reflexo, mas o que v iajava ao infinito era ele so-
bre o clochão. Bad trip!
É, acho que ele teria queimaduras de terceiro grau.
A vitrine melancólica do LSD foi Woodstock, em 1969,
que representou a liberdade, do caos e loucura coletiva.
Até gente nua em meio àqueles aglomerados.
Geração hyppie modelo 'paz e amor' que talvez não te-
nha dado em nada.
Há antiga discussão onde a música 'Lucy in the sky
with diamonds' dos Beatles, autoria de John Lennon, seria
uma descrição de 'trip' por efeito de LSD.
Não sei, mas que é fantástica, é, principalmente na re-
gravação pelo Elton John.
Uma super-ultra-mega-maconha, sob o ponto de vista
de efeito seria a morfina e uma power-morfina seria a sua
derivada e 10 vezes mais concentrada, a heroína. Muito pro-
duzidas em laboratórios clandestinos no Afeganistão, reino
da papoula, planta esta que se desenvolve bem em climas
semi-áridos; acho eu.
A morfina tem maravilhoso uso médico como forte anal-
gésico, aliviando as dores somáticas mais intensas, agregan-
do ainda à isto, uma sensação de bem estar por efeito dire-
to; e indireto, do alívio da dor. Também em quadro cárdio-
vascular chamado edema agudo de pulmão.
A maconha é mui to eficiente para náusea e vômitos.
Mas, como disse, uso m-é-d-i-c-o.
Na medicina, a palavra 'droga' tem conotação de 'medi-
camento' e; para o sentido 'droga' como se menciona popu-
larmente, diferencia-se usando o qualificativo 'drogas ilícitas'.
Ricardo Bing Reis.

CONJECTURANDO EXEMPLOS DE CIRCUNSTÂNCIAS DE
PESSOAS DROGADTAS. - PARTE QUARTA -

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Sun. 21 Aug. 2011 13:43:24 00000

Aos meus amigos-médicos e TODOS demais internautas,
parece claro que existe personalidades mais a ver com a
drogadição
Talvez exista alguma relação mais íntima entre droga-
dição e bipolaridade, personalidade boarderline/limítrofe,
personalidade sociopata e psicopata, e os matadores em
série/serial killers. 'Neuroses' e Psicoses.
O anti-social, é uma nova nomenclatura para psicopa-
ta e sociopata. Não se deve confundir com timidez, que
não é situação anti-social (como popularmente se diz!),
este, o tímido, se aproxima do que se chama 'fobia soci-
al'.
Aos cinquenta, já passei do FM para o AM e, em pro-
grama de comentários, ouvi que foram flagrados quilos de
crack em presídio de algum lugar.
Mas, sem dúvida, qualquer tipo de personalidade pode
aderir à qualquer tipo de droga, em qualquer lugar, e de
qualquer característica sócio-cultural, até monges zens que
não assimilaram bem os princípios desta ordem religiosa-fi-
losófica.
E vão-se ao Nirvana...
Na minha opinião, basta haver o sofrimento humano, in-
terpretado pelo que padece, como insustentável, para dar
seu 'start'. Já não sei se, apartir daí, a dependência ganha-
ria independência ou se haveria sempre, ou quase, o sofri-
mento constante como fundamento. Acho que ambas 'pos-
sibilidades são possíveis'.
Caso seja assim mesmo, a drogadição seria uma auto-
medicação, usando 'medicamentos' errados, sem conheci-
mento de causa, um chute. Que nunca vai no gol. O cor-
reto é esta pessoa procurar um neuro-comportamental,
psiquiatra e/ou psicoterapeuta.
Talvez muitos pensem que psiquiatra é coisa para ma-
luco, não indo por este conceito erroneamente pré conce-
bido.
Ricardo Bing Reis.

CONJECTURANDO EXEMPLOS DE CIRCUNSTÂNCIAS DE
PESSOAS DROGADITAS. - PARTE QUINTA -

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Sun. 21 Aug. 2011 13:43:24 00000

Aos meus amigos-médicos e TODOS demais internautas,
por nada além de um acaso, justo hoje uma senhora de
38 anos me contou que estava dependente de álcool e
drogas, tendo se "entregado" voluntariamente à serviço
em município vizinho ao seu.
Lá, sem qualquer medicação, e com palavras Bíblicas,
conseguiu, por força extrema, libertar-se.
Não importa qual a metodologia usada para a recupe-
ração, se com ajuda esotérica, para quem crê, ou não,
importa o resultado final.
Mas o certo para ela é que, sua força motriz foi amor.
A mor pelos seus filhos, dos quais havia perdido a guar-
da e que, com esta superação, recuperou.
Acho que só uma grande paixão para se recuperar com
maior segurança do inferno. Se não por si próprio (amor
próprio/auto-estima), por outrem, e, neste particular, fi-
lhos e filhos. No caso citado, eles tem hoje seis e nove a-
nos, retomando-os há 1.
Estava com as crianças junto e pude testemunhar o a-
mor delas pela mãe. Acha que se não por elas, se por si
só, não teria se recuperado e sim morrido nas drogas.
Seu auto-amor não era suficiente. Já seu marido, usu-
ário de crack, segundo ela, não ama a si mesmo, nem a
ela, nem aos filhos.
Hoje ele vive em mendicância embaixo de uma ponte,
a despeito de todos esforços dela de resgatá-lo. Dito por
ela. Ela acha que se você tem uma motivação, ocorre uma
auto-indignação, que desencadeia auto-raiva, sendo esta
o suporte de uma suficiente força de vontade para árdua
reversão.
Não me foi o primeiro exemplo onde os filhos motiva-
ram a recuperação. Uma outra mulher, usuária de drogas
e álcool desde 14 anos de idade, foi abandoná-las apenas
aos 28, por paixão pelo seu filho&nb sp;ainda na gestação.
Os filhos são mais que nós mesmos, para quem ama.
Ricardo Bing Reis.

CONJECTURANDO EXEMPLOS DE CIRCUNSTÂNCIAS DE
PESSOAS DROGADITAS DIFÍCEIS DE AJUDAR.
- PARTE SEXTA -

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Sun. 21 Aug. 2011 13:43:24 00000

Aos meus amigos-médicos e TODOS demais internautas,
não conheço grupos de Alcoólatras Anônimo (AA) ou Nar-
cóticos Anônimos (NA), mas suspeito que os coordenado-
res dos grupos são ex-alcoólatras e ex-drogados.
Muito embora eles mesmo se digam que não existe
'ex' em se tratando de álcoolismo e drogadição; ou seja,
precisariam passar o resto da vida se auto-policiando.
Se assim for, vejam o mérito de uma pessoa destas.
Consegue enfrentar suas próprias dores de seus so-
frimentos 'pano de fundo', a síndrome de abstinência, tal-
vez fissura por recaída e ainda conseguem ajudar os ou-
tros, dando demonstração de belo altruísmo, liderando re-
uniões de form a voluntária.
Claro que não faltará quem diga, que talvez estejam
ali por vaidade, para demonstrar aos outros a força que te-
ve e que tem. Pois digo a estes que, justo este, é o lado
bom da vaidade, se auto-valorizar por orgulho próprio em
ajudar os outros.
Ah, e quem pensou diferente, que trate de tratar seu
destrutivismo; no mínimo, não atuando sua inveja negativa
desta forma.
Também existem fazendas de recuperação e ainda ou-
tros serviços, que nada sei sobre.
Com relação ao sofrimento humano, pano de fundo do
uso de álcool e dos narcóticos, ambos anestésicos das do-
res da mente, falaremos aqui e ali, todo tempo.
Ricardo Bing Reis.

CONJECTURANDO EXEMPLOS DE CIRCUNSTÂNCIAS DE
PESSOAS DROGADITAS DIFÍCEIS DE AJUDAR.
- PARTE SÉTIMA -

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Sun. 21 Aug. 2011 13:43:24 00000

Aos meus amigos-médicos e TODOS demais internautas,
sobre o tabagismo já comentamos, assim como sobre o
alcoolismo.
Maconha, ainda não. Vai agora algo sobre.
Aproveito para registrar que sou contra a legalização
da maconha, como equivocadamente preconiza o ex-pre-
sidente FHC.
Leigo, talvez não devesse poder opinar sobre assuntos
médico-psiquiátricos, principalmente sendo importante for-
mador de opiniões. Mas num país onde o ministro da saú-
de pode ser um economista e o ministro da economia po-
de ser um médico, tudo se espera.
Até aceito que me digam que , de qualquer forma, o a-
cesso já é muito fácil; todavia também aceitem estes, por
obviedade, que ficará ainda mais fácil e, acreditem, 'a oca-
sião ainda faz o ladrão', ou seja, não são poucos os jovens
que estão entre o uso ou não uso; e esta facilide adicional
pode ser o diferencial para o uso.
A dificultação proibitiva, por menor que possa parecer,
faz diferença na obtenção, mais a sensação de contraven-
ção, que ainda é limitante em alguns. Isto já justificaria a
proibição.
Já nos nossos tempos de estudante de medicina, a Ho-
landa era pioneira nesta de liberaração, até como forma de
controlar o mal por saber onde está. Nunca deu certo, ex-
ceto ter aquela patética cena de babacas na frente da esta-
ção ferroviária de Amsterdan, nos 80's.
Liberar para controlar é piada. Dizer-se que a droga é
fraca também, abobalha por redução em 30% da sua me-
mória e atenção.
Ricardo Bing Reis.

CONJECTURANDO EXEMPLOS DE CIRCUNSTÂNCIAS DE
PESSOAS DROGADITAS DIFÍCEIS DE AJUDAR.
- PARTE OITAVA -

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Sun. 21 Aug. 2011 13:43:24 00000

Aos meus amigos-médicos e TODOS demais internautas,
imagine-se pai de um jovem de 20 anos, usuário de co-
caína e que costuma drogarse e fazer rachas na Lagoa
Rodrigues de Freitas! Chega sempre às madrugadas. E
após anos, acaba se envolvendo em acidente de carro
com uma morte por atropelamento.
Vai à julgamento por homicídio.
A cocaína é poderosíssimo estimulante, com alto
grau de dependência. Se, o seu sofrimento mental é tão
grande que te exige ser "absoluto" em perfeição, leia-se
megalomaníaco, ou simplesmente maníaco, qualquer con-
tato com algo ou alguém que pareça melhor, já pode lhe
gerar recusa, aversão, raiva do outro e de si mesmo.
Em suma, conflito ou guerra interna, entre o que pen-
sa ser, o que se exige que seja e o que realmente é.
Usando a cocaína, se sente mais próximo da superhe-
roidade, afastando-se da 'comoeurealmentesouidade'.
Diminui a frustração, e, quanto mais usa, mais ainda
reduz a frustração, até que, na empolgação, e também já
na perda de noção que a droga traz, ultrapassa o limite de
dose não-mortal, vindo a arritmia cardíaca ventricular fibri-
latória, parada cardíaca e morte; a chamada morte por o-
verdose.
Assim, se alguém escrever num papel 'Here, I'm the
best', estará escrevendo, inconscientemente e em código,
'Overdose à vista'.
Ricardo Bing Reis.

CONJECTURANDO EXEMPLOS DE CIRCUNSTÂNCIAS DE
PESSOAS DROGADITAS DIFÍCEIS DE AJUDAR.
- PARTE NONA-

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Sun. 21 Aug. 2011 13:43:24 00000

Aos meus amigos-médicos e TODOS demais internautas,
é difícil para mim escrever sobre drogas pois nunca tive
experiências pessoais com elas, nem nunca participei de
grupos onde havia usuários.
Então, escrevo de forma dedutiva, com pouca vivên-
cia. Acho que para um texto ser suficientemente convin-
cente, deve trazer fat os reais e, melhor, experiência pró-
pria, com descrição de seus sentimentos frente aos rela-
tos.
Mas vou tentar escrever um pouquino que seja sobre
o crack e o óxi.
Imagino eu que, quando sua vida já está insuportavel-
mente caótica, sem solução aparente, chegando à aflição,
desespero, falta de qualquer tipo de expectativa e motiva-
ção, emoção ou prazer zeros; o raciocínio talvez passe a
ser o seguinte:
1- já não quero mais viver mesmo, por falta de senti-
do em dar continuidade à vida;
2- já considerei ou considero a hipótese de suicídio;
3- o crack pode me dar uma sobrevida de baratos, em-
bora talvez depravada, por 2 anos;
4- prefiro viver 2 anos a mil que 30 anos da forma que
está!.
Possível conclusão final e conduta desta pessoa: "...vou
aderir por não ter mais nada a perder e sim em ganhar em
'baratos', por 2 anos, e aí acaba tudo, pois o suicídio já era
mais ou menos o que me restara mesmo!...
Para fechar, vejo no jornal de hoje, em reportagem des-
tacada na capa: "Idosa, ex-professora, se desdobra entre o
sustento da casa, a vigília à filha viciada em crack e a cria-
ção do neto, rejeitado pela mãe"...
Ricardo Bing Reis.

____________________________________________

A PROVÁVEL INDEFERENÇA, E ATÉ MALDADE, DOS EX-
CESSIVAMENTE EGOÍSTAS.

From: rbrd_redacaoshm@@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Sat, 3 Sep 2011 00:55:13 +0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS demais internautas,
conforme eu comentava, desempenhar uma tarefa altru-
ísta isoladamente, quando deveria ser coletivamente, é
tão louvável quanto lamentável.
A parte louvável comentei no email anterior.
Mas lamentável, pois, saindo do sentido substanti-
vado da expressão, entramos no campo metafórico de
'burro' no sentido de bobo, tolo. E o erro por se permitir
à isto! Por se permitir ser explorado.
Isto pode acontecer por omissão dos irmãos; mas
também pode ser fruto de uma grave limitação do aju-
dante-mor, ou seja, sua narcísica onipotência de ser o
sabichão, oniciente, até onipresente. Dispensando, cons-
ciente ou inconsciente, qualquer tipo de ajuda, por achar
-se melhor, saber fazer melhor. Não raro em maníacos e
também em maniáticos perfeccionistas.
E não é sinal de competência deixar-se explorar, por
mais nobre que seja a ação. Não que você vá abandoná-
la, mas trazer, diplomaticamente os outros à participarem. < /div>
Dividindo tarefas.
Para fazê-lo, basta utilizar-se de sinceridade no trato
das questões e vir montado na verdade, demonstrando su-
as limitações, sua sobre-carga e necessidade urgente de di-
visão dos afazeres.
Quem se negar, bem, quem se negar, não merece o
título de 'Humano"; 'Ser' já lhe é muito. O termo 'Humano',
mesmo substantivado, lembra adjetivado.
E acreditem, já ouvi no consultório o relato de pacien-
tes que zelavam por seus pais enfermos, enquanto os ou-
tros torciam para que o desfecho fosse a morte deles, para
poder acessar a herança. Já veze-s, no plural!
É claro que, se a maldade dos outros é tal, mantenha-
se no sacrifício e faça sua parte, nem que seja tudo, pois
seus pais supostamente merecem e; pior sentimento é a
'pós', por saber não ter dado teu esforço de forma que po-
derias.
Não confundir com a culpa, fruto de 'achar' que pode-
ria ter feito mais, quando empreendeu sim todo seu esfor-
ço viável.
Ricardo Bing Reis.

_____________________________________________

SOCIEDADE COMO CONTAGIANTE FONTE DE ANGÚSTIA.

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986_ufrgs@provedor.com
Date: Tue, 26 Jul 2011 19:50:38 +0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS os demais internautas,
raiva excedente, causa este quadro biológico que é conhe-
cido por 'estresse'.
Uma dose moderada de estresse é fundamental, por ser
a força motriz das iniciativas e persistências. Mas o além dis-
to, começa a causar danos, passando agora de um estresse
bom (eustresse), para um estresse ruim (distresse).
É o popular 'engolir sapos', fundamental saber para viver
em sociedade.
Mas, é claro, também saber quando rodar a baiana para
auto-defesa. Esta linha tênue entre o sapo e a baiana é, sim,
muitíssimo difícil de estabelecer, já que muitas são as varian-
tes e as imprevisibilidades.
Quando um limite é indemarcável, costuma-se lavar as
mãos e dizer que deve 'prevalecer o bom senso', possível no
momento.
Talvez daí, o às vezes confuso, Confúcio, dizer: 'eu sou eu
e minhas circunstâncias!...'
Concluindo: se eu tivesse que marcar em uma prova obje-
tiva de escolhas múltiplas, apontaria, para a vida atual, o es-
tilo do trabalho massante de hoje, onde a pressão para cum-
primento de metas amassa o trabalhador!
Metas estas que vem de cima ou que a própria pessoa se
auto-impõe. É o grau de exigência.
Li em algum lugar: é impossível ser feliz com a agenda
cheia. E não precisa ser a agenda de pacientes por atender,
como exemplo; mas agenda de afares do cotidiano, etc. Qual-
quer agenda. Qualquer 'tem que!...'
O 'talvez' talvez seja mais saudável que o 'tem que!...' res-
salvando as circunstâncias em que talvez 'tem que' mesmo.
Pior ainda para o perfeccionista, que nunca realizará suas
fantasias, pela singela e popularizada razão do 'ni nguém é per-
feito'.
Comece por tentativas em tolerar-se melhor. Primeiro por
auto-controle e, depois, por automatismo, adquirido apartir do
passo inicial reiteradas vezes repetido. O consciente, por repe-
tição, acaba se tornando inconscinte, no sentido de ato reflexo,
a nível encefálico.
É o princípio da terapia cognitivo-comportamental. Cogniti-
vo ao identificar o problema; comportamental por repetição de
conduta nova mais adequada, até ao automatismo. Boa aplica-
ção em obsessões-compulsões.
Ricardo Bing Reis.

_____________________________________________

PSICOLOGIA POSITIVA.
- PARTE SEGUNDA -

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Sat, 15 Oct 2011 21:24:14 +0000

Aos meus amigos médicos e TODOS demais internautas,
radiopilhiando, estava eu justo agora a escutar a rádio
CBN, que recomendo a todos, até para percebermos, nós
gaúchos, uma forma mais suave e cortês de falar; não
que sejamos mal educados, mas não tão polidos quanto
os do sudeste.
Pois entrevistavam uma psicóloga brasileira que está
morando na Pensilvânia, para estudos nesta modalidae
de psicologia positiva, até então esconhecida para mim
e, segundo ela, no Brasil em geral.
As aplicações vão desde o nível individual, até de cole-
tividades, passando antes pelo empresarial, visando me-
lhor prestação de serviços ou produtividade.
E, de curiosidade, fiquei sabedor que esta Universida-
de é a primeira a ser fundada nos EUA, pelo brilhante Ben-
jamin Franklin.
E, de aprendizado, sábias palavras, para minha forma-
ção pessoal. Segundo ela, cujo nome ficarei devendo, pois
veio antes de eu saber que me interessaria, as pessoas em
muito geral, valorizam mais os fatos cotidianos negativos
do que positivos.
Meu interesse decorreu de eu já ter percebido outrora,
ter sim este tipo de comportamento.
E seguia ela dizendo: é como se os acertos fossem uma
obrigação, de tal sorte que, quando atingidos, daria uma sen-
sação de mera neutralidade, como se fora um 'não estar fa-
zendo mais que a obrigação'...
Se você não é o super-super, como eu, sabe que o dia é
carregado de coisas ruins, adversidades; não raro solucio-
náveis, quando muito, pelo sistema ensaio e erro.
Ora, assim, ao fim e ao cabo de um dia, terei eu somado
várias circunstâncias de fracasso. Neste caso, só me resta a
obviedade de terminar os dias com sensações de dever não
cumprido. De onde imagino derivar emoções de auto-raiva e,
principalmente, auto-descontentamento.
Vou continuar.
Ricardo Bing Reis.

CONJECTURANDO EXEMPLOS DE CIRCUNSTÂNCIAS DE
PESSOAS DROGADITAS DIFÍCEIS DE AJUDAR.
- PARTE DÉCIMA -

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Sun. 21 Aug. 2011 13:43:24 00000

Aos meus amigos-médicos e TODOS demais internautas,
alguns do primeiro mundo dizem que a droga é mal do
terceiro mundo.
Mas quem são os principais receptadores?
O uso de ácool e drogas parecem ter também um com-
ponente cultural.
Não sei bem, mas suponho que o uso de cannabis na
Jamaica não seja infrequente.
Já o mesmo valeria para Holanda, e não somente ma-
conha.
Certa feita, viajando por uma cidade da Suíça, lembro-
me ter passado por local que era tido como drogódromo,
em fim dos 80's; supervisionado pela polícia e ambulância
com para-médicos, para a segurança do usuário.
Em, Helsinki, vi muitas, e mais muitas pessoas alcooli-
zadas às 15hs. Vodka. Coisa provavelmente não rara em
todas as margens de todo Mar Báltico, incluindo interior
da Rússia.
A cerveja na Alemanha e Inglaterra.
; O meu imaginário, até pouco tempo, associava muito
certos estilos com drogas: mega-tatuagens, dark, funk, he-
avy metal e, lógico, reggae e surf-music com maconha. Ali-
ce Cooper e a banda "Kiss", meio zumbis, sempre me de-
ram sensação de drogadição, talvez sem razão de ser.
Já o estilo do 'The Cure' é paranóico, fóbico: vocalista
Robert Smith referiu que perceberam que o medo fascina
as pessoas e seguiram por este caminho para criar seu pe-
culiar estilo musical.
A lista de roqueiros que morreram de overdose é tão
grande que nem saberia por onde começar.
Ricardo Bing Reis.

_________________________

DESENCADEAMENTO DE EMOÇÕES E SENTi-
MENTOS NO ALTRUÍSTA.

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Fri, 2 Sep 2011 23:50:42 +0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS internautas,
aquele boa pessoa que procura ajudar estas que
padecem, por transtornos e/ou distúrbios menta-
is; ou ainda somáticos (por doenças localizadas ou
sistêmicas), podem ter um turbilão de emoções e
sentimentos, perfeitamente compreensíveis, tolerá-
veis, aceitáveis e, por que não dizer, esperados e
salutares: compaixão/pena que espera-se, seja o
predominante; mas também raiva, culpa e medo.
Imagino que a pessoa que se dispõe a ajudar te-
nha um nível no mínimo bom de altruísmo, o que é
louvável. Assim, lhe é inerente a compaixão.
Este sentimento é tão óbvio que o Pedro Bó iden-
tificaria. Já os demais sentimentos que listei, são a-
penas suposições minhas, pois não são tão óbvios as-
sim, pelo menos para um não profissional da área da
psicologia.
Se você ajuda, e de verdade(!), se desgasta e só
por aí já temos o cansaço, astenia, talvez dores no
corpo, sonolência, sono, sentimento de fraqueza, té-
dio e finalmente, desânimo e depressão.
Aquela linhagem, por continuidade incessante,sem
períodos de alívio ou remissão, leva, por est ímulo re-
petitivo, à irritabilidade, pois estamos falando de se-
res humanos e não de robôs. Justifica-se a raiva. Se
não aparecer, suspeite-se de 'corpo mole'.
Simplesmente por sentir irritabilidade ou raiva pa-
ra com quem está padecendo, sobrevém, neste altru-
ísta e, justo por sê-lo, sentimento de culpa, como se
cruel fosse.
Medo; de ficar igualmente padecente. Ou de tudo
acabar mal. Ou ainda, se crente, de ser punido pelas
'Forças do Além', caso não cumpra suas funções terre-
nas pré destinadas, ficando à deriva dele, que o con-
duziria à arder nas labaredas do inferno vulcânico...
Calma, não misture todas estas emoções (e senti-
mentos) descritos.
Saiba separá-las, saiba analisá-las, saiba entendê
-las e não se permita falsas conclusões, para não cair
no círculo vicioso do turbilhão de emoções negativas,
colocando-se no caos e, ao fim, passando você a não
ter mais condições de ajudar, exigindo-se o auto afas-
tamento e; quiçá, passar a ser uma pessoa doente e
difícil de ajudar. O que piora o já não bom.
Observação: pela minha classificação não-oficial,
teríamos como emoções a raiva, o medo e a depres-
são. Como sentimentos citados, os seguintes: compai-
xão/pena e a culpa.
Ricardo Bing Reis.

______________________________________________

PSICOLOGIA POSITIVA.
- PARTE PRIMEIRA -

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Sat, 15 Oct 2011 21:24:14 +0000

Aos meus amigos médicos e TODOS demais internautas,
radiopilhiando, estava eu justo agora a escutar a rádio
CBN, que recomendo a todos, até para percebermos, nós
gaúchos, uma forma mais suave e cortês de falar; não
que sejamos mal educados, mas não tão polidos quanto
os do sudeste.
Pois entrevistavam uma psicóloga brasileira que está
morando na Pensilvânia, para estudos nesta modalidae
de psicologia positiva, até então esconhecida para mim
e, segundo ela, no Brasil em geral.
As aplicações vão desde o nível individual, até de cole-
tividades, passando antes pelo empresarial, visando me-
lhor prestação de serviços ou produtividade.
E, de curiosidade, fiquei sabedor que esta Universida-
de é a primeira a ser fundada nos EUA, pelo brilhante Ben-
jamin Franklin.
E, de aprendizado, sábias palavras, para minha forma-
ção pessoal. Segundo ela, cujo nome ficarei devendo, pois
veio antes de eu saber que me interessaria, as pessoas em
muito geral, valorizam mais os fatos cotidianos negativos
do que positivos.
Meu interesse decorreu de eu já ter percebido outrora,
ter sim este tipo de comportamento.
E seguia ela dizendo: é como se os acertos fossem uma
obrigação, de tal sorte que, quando atingidos, daria uma sen-
sação de mera neutralidade, como se fora um 'não estar fa-
zendo mais que a obrigação'...
Se você não é o super-super, como eu, sabe que o dia é
carregado de coisas ruins, adversidades; não raro solucio-
náveis, quando muito, pelo sistema ensaio e erro.
Ora, assim, ao fim e ao cabo de um dia, terei eu somado
várias circunstâncias de fracasso. Neste caso, só me resta a
obviedade de terminar os dias com sensações de dever não
cumprido. De onde imagino derivar emoções de auto-raiva e,
principalmente, auto-descontentamento.
Vou continuar.
Ricardo Bing Reis.

____________________________________________

CONJECTURANDO EXEMPLOS DE CIRCUNSTÂNCIAS DE
PESSOAS IRRITADAS DIFÍCEIS DE AJUDAR.
- PARTE PRIMEIRA -

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986_ufrgs@provedor.com
Date: Tue, 26 Jul 2011 19:50:38 +0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS demais internautas,
as pessoas irritadas são irritantes. Irritam a si mesmas e
àqueles que com quem convivem, frentistas em postos
de gasolina, empacotadores de lojas, vigias de estaciona-
mentos, porteiros, padres, seus psicoterapeutas e assim
vai.
Eu, muitas vezes, me irrito 24 vezes por dia, sendo
que durmo 8 horas, perfazendo quase uma vez a cada
20 minutos em vigília, quando estou calmo.
Mas praticamente nunca atuo a irritação, nunca ten-
do ido à vias de fato em todos meus quase 50, exceto com
um colega aos 10 anos de idade, numa daquelas saídas en-
trópicas de colégio.
E com meus 2 irmãos. Mas brigas de criança com ir-
mãos não contabilizam, pricipalmnte quando o mais velho
tinha 10, eu 9 e o caçula, mas mais forte dos três, 8 anos.
Ricardo Bing Reis.


 

DESCONTENTAMENTO POR IRRITAÇÃO/RAIVA.

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986_ufrgs@provedor.com
Date: Tue, 26 Jul 2011 19:50:38 +0000

Aos meus migos-médicos e TODOS os demais internautas,
as pessoas irritadas são iritantes. Irritam a si mesmas e à-
queles que com quem convivem, meros interlocutores, e
assim vai.
Eu, muitas vezes, me irrito 24 vezes por dia, sendo que
durmo 8 horas, perfazendo quase uma vez a cada 20 minu-
tos em vigilia, só quando estou calmo.
Mas praticamente nunca atuo a irritação, nunca tendo i-
do à vias de fato em todos meus quase 50, exceto com um
colega aos 10 anos de idade naquelas saídas de colégio; e
com meus 2 irmãos. Mas brigas de criança com irmãos não
valem, pricipalmnte quando o mais velho tinha 10, eu 9 e o
caçula, mas mais forte dos três, 8 anos.
Significa bom auto-controle da minha raiva, não pequena
segundo minha esposa.
É uma forma de tolerância e até compreensão, consigo e
com os outros. Mas internalizo minhas raivas, psicossomati-
zando na lombar. A bem dizer, seria isto uma forma de vias
de fato, onde agridiria minha própria lombar, como se me
auto soqueasse até sentir a dor.
; Sob esta forma de pensar, a psicossomatização seria uma
forma de masoquismo, que nada mais é que o auto-sadismo.
Já outros preferem descarregar, agredindo os outros, pas-
sivamente, verbalmente e/ou fisicamnte. Aí teríamos o sadis-
mo. Neste caso, seria tudo sadismo. Para fora ou o sadismo
propriamente dito; e para dentro, em auto-sadismo, dito ma-
soquismo. Como o sadismo é o fruto da irritabilidade, ambas
situações são raiva-dependentes.
Esta semana morreu Peter Falk, um dos meus dois ídolos
dos 70's. Era o detetive Columbo do seriado de mesmo no-
me, "Os detetives". O outro era Hercule Poirot, também de-
tetive, da escritora Agatha Christie. O que eles tinham em co-
mum? Duas coisas. A primeira, neles mesmos: muita inteligên-
cia/perspicácia e, principalmente, muita frieza e auto-controle
de seus temperamentos na solução dos crimes. A outra coisa
era o fato de seus investigados serem assassinos "frios", pré-
meditados mas não vitimavam com requintes de tortura. A-
gressivos sim , óbvio, mas não ao grau máximo.
Já outros tem prazer e necessidade em torturar antes de
matar. O que quero dizer com tudo isto? Que existem graus
variados de agressividade, ira, raiva, ódio, irritação.
Desde aquele amigo passivo-agressivo até um matador
descontrolado, serial-killer.
Aí, já estaríamos entrando no campo do sociopata e psico-
pata, e que não serão nosso tema neste momento.
Vamos começar pelo irritado que não vai à vias de fato ou,
se vai, não chega a prejudicar tão significativamente sua víti-
ma, embora toda agressão física seja possivelmente crimino-
sa, e até a verbal, pelos danos morais.
Embora cercado de advogados em minha família, nada sei
de direito e vou deixar por este pouco dito, que mesmo pou-
co, já pode estar errado.
Basta juntar duas pessoas para que, agora sim, com toda
certeza, comecem irritações mútuas, em graus variados, mes-
mo que não aparentemente. E, se não houver a outra pessoa,
pode até demorar um pouco, mas o solitário acabará se irri-
tando por estar só, preferindo até se irritar com outrem, para
ele menos mal que a situação de isolamento.Muitas vezes gos-
to de estar só, sem ser só.
Se você é casado, te 98,73% de chance de estar lembran-
do do seu casamento. Observo que existe 1,27% de casais
que não se irritam uni ou bilateralmente. É o casal margari-
na, que deve ser meio chato, irritantes não entre eles, mas a-
té aqui um casal estaria desencadeando irritação, agora para
quem contempla, isto parece garantido.
Ouvi um programa de interatividade entre participantes e
um psiquiatra respondendo. A interlocutora perguntou por
que hoje tem-se tantas pessoas morando sozinhas. Respon-
deu que pensam antes estar sozinhas que mal acompanha-
das. E completou: ..."como toda pessoa casada é mal acom-
panhada, por consequência temos esta derrama de divórcios
por aí"... Mas notei que quis mais fazer uma graça que de
fato, um fato. Exagerou. Mas as risadas do pessoal no estú-
dio foram daquelas boas de ouvir.
E aqueles todos que dizem que, se queres desunir um ca-
sal, basta uní-lo.
Já vi casal se implicar, brigar todos os dias e o dia todo e
nunca se separar, embora ameaças diárias, por 50 anos cor-
ridos, e, ao morrer um, o outro fica falando saudosamente do
falecido, vindo a morrer não muito depois pela angústia da
solidão, do vazio deixado pelo outro, à Romeu e Julieta. Co-
mo explicar isto?
Falta de dinheiro pode causar um clima de insegurança tal
que acaba por desencadear raiva por sentir-se prolongada-
mente ameaçado pelo medo e geralmente um acaba culpando
o outro; até dizendo algo indevido. Pronto, é o estopim para a
separação.
Não é fácil um casamento resistir à prolongada e/ou grave
crise financeira sem que tenha uma fundação muito sólida do
relacionamento.
As pessoas cri-cri, perfeccionistas e que exigem o mesmo
de seu companheiro, como se aquele comportamento dele
fosse o correto - e sempre se acham o correto - irritando-se
pois sempre estão irritadas e,pela cri-crilhice tenta te trazer ao
mesmo patamar.
Cuidado, este tipo de pessoa nunca parará de contra-argu-
mentar, melhor ainda para ela se for um tons progressivamen-
te mais alto e irritadiço. É a gritaria generalizada. Péssimo am-
biente para crianças. O texto tomou rumo de temática terapia
de casal, mas não é este o objetivo, e sim a terminologia irri-
tação. É que, em se tratando disto, casamento casa.
Voltando à miscelânea de circunstâncias, temos as crianças
muito pequenas ainda, 2 anos ou menos, com temperamento
forte e alto grau de raiva, trazendo a teimosia, a birra e ata-
ques de fúria em casa ou ambientes públicos, principalmente
em lojas de brinquedos e supermercados. Caso seja genético e
tal característica tenha sido herdado da mãe, tem ela mãe, a-
gora, a chance de ver na filha como é para outra pessoa lidar
com ela, mãe irritadiça; que paga geral, sobrando quase sem-
pre mais para o marido. Vice-versa se a irritabilidade do bebê-
criança veio da genética paterna.
Tentei mudar de circunstâncias mas, caí de novo no ambi-
ente familiar e de casal. Mas agora vai: consultou comigo ago-
ra à tarde uma senhora de 83 anos que me disse ter tomado
Lexotan no domingo pois fora tocar no piano uma música ma-
is elaborada e teve erros. Aquilo lhe causou tamanha irritação
que começou a ter palpitações. Isto é como se, por descarga
de raiva, desse choques elétricos em alguém, só que em si
mesmo, no seu próprio coração. É uma auto-eletrocutação.
Disse: 'a senhora, provavelmente é uma pessoa perfeccio-
nista, que se cobra muito, também dos outros e, por conta de
tudo isto, contrastando com a realidade,&nbs p;se irrita e irrrita os
outros. Concordou. Então completei: veja só o que aconteceu,
a senhora foi se distrair e se divertir; conseguiu o contrário...
Em vida social, onde muito observo a raiva das pessoas é
no jogo de futebol entre amigos e também no trânsito. Mesmo
entre amigos, volta e meia o sangue esquenta e vem os pitos,
empurrões e até socos.
Claro, se vai à via de fato, estamos entrando no campo da
criminalidade.
Sem esquecer dos estádios, com briga de torcedores e de
torcidas, infiltradas até por brigões de grupos disfarçados de
torcedores, pretexto. Hooligans na Inglaterra.
No trânsito as pessoas se fecham, se chingam, se anteci-
pam à outras pela vaga de estacionamento, sinais de luz por
carros que vem na velocidade da luz na auto-estrada, zigue-
zagues, fechadas, todos tipos de atitudes por raiva trazida de
casa ou adquirida ali mesmo. Pisca-pisca hoje deve ser um dos
opcionais nas revendas de carros.
Sem falar nos espertinhos que vem por fora da fila para
conversão e se antecipam à todos entrando antes, lá na fren-
te, deixando bem claro que se acha melhor que todos nós, ba-
bacas à visão deles.
Com certeza s ão assim em tudo na vida e tendem a pegar
um esquentadinho por aí, e a cobra fuma.
Um paciente meu, de 22 anos, fez aquela antecipação de es-
tacionamento em lancheria e o baixinho prejudicado engoliu em
seco. Quando estava saindo da lancheria, viu o baixinho voltan-
do à pé, se aproximou e deu-lhe um tiro que o colocou na UTI
por 7 dias, com a bala à 2 cm da coluna vertebral lombar.
Dizem que os baixinhos são mais irritados. Não sei se é fato,
mas a história me fez lembrar disto.
Na TV tinha aquele cara do "eu sou noooormall", o Ringue 12
no final dos 60's, mas que era mero teatro com o Ted Boy Ma-
rino, depois o Tele-Catch e agora o Premiere UFC.
Estimula a gurizada a imitar. Deveria ser proibido, bem como
o box. As artes marciais, para quem insiste na modalidade de es-
porte agressivo, parecem mais elaboradas e disciplinadas.
Quando rosariense, no segundo grau, hoje ensino médio, ti-
nha dois brigões, muito marombados, que faziam musculação e
box para se pegaram mais ou menos semanalmente na praça São
Sebastião, na frente do colégio. Era uma coisa doentia. Sempre
me esforcei muito para ser grande amigo eles... nunca quis ma-
goá-los ou irritá-los...
Parece haver uma inter-relação entre raiva, medo e depres-
são. Qualquer que seja a emoção primária, pela persistência e/ou
intensidade do sintoma, acaba por atiçar os outros 2 secundari-
amente, formando um círculo vicioso meio caótico, ou bastante.
A raiva fomentada, reprimida e então transbordada, é a mãe
da sociopatia e psicopatia, mas assunto para depois. Talvez por
isto, Dante Alighieri, na Divina Comédia, classificcou a ira como
um dos 7 pecados capitais, por ser grave gerador de desordem
e desagregador de grupos sociais e, como diria ele mesmo, que
inferno dantesco ser assim ou tentar ajudar estes.
Ricardo Bing Reis.

CONJECTURANDO EXEMPLOS DE CIRCUNSTÂNCIAS DE
PESSOAS IRRITADAS DIFÍCEIS DE AJUDAR.
- PARTE SEGUNDA -

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986_ufrgs@provedor.com
Date: Tue, 26 Jul 2011 19:50:38 +0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS demais internautas,
percebo que me irrito muito mais com coisas ou circuns-
tâncias que propriamente com pessoas.
Julgo ter bom auto-controle da minha raiva, não pe-
quena, segundo minha esposa; observação que sempre
me deixa irritado.
Auto-controle sobre a raiva é uma forma de tolerânci-
a e até compreensão, consigo e com os outros.
Mas internalizo minhas raivas, psicossomatizando na
lombar. A bem dizer, seria isto uma forma de vias de fato,
onde agridiria minha própria lombar, como se me auto so-
queasse até sentir a dor?
Sob esta forma de pensar, a psicossomatização seria
uma variante de masoquismo, que nada mais é que o au-
to-sadismo.
Já outros preferem descarregar, agredindo os outros,
passivamente, verbalmente e/ou fisicamente. Aí teríamos o
sadismo.
Neste caso, seria tudo sadismo.
Para fora, ou o sadismo propriamente dito; e para den-
tro, em auto-sadismo, dito masoquismo.
Como o sadismo é o fruto da irritabilidade, ambas situ-
ações são raiva-dependentes. Agressivas.
Agressividade não é necessariamente maléfica, tem suas
utilidades e, sem ela, bio-antropologicamente falando, não
estaríamos aqui. O que, para alguns, seria melhor.
Ricardo Bing Reis.

CONJECTURANDO EXEMPLOS DE CIRCUNSTÂNCIAS DE
PESSOAS IRRITADAS DIFÍCEIS DE AJUDAR.
- PARTE TERCEIRA -

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986_ufrgs@provedor.com
Date: Tue, 26 Jul 2011 19:50:38 +0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS demais internautas,
vamos começar pelo irritado que não vai à vias de fato,
ou, se vai, não chega a prejudicar tão significativamente
sua vítima, embora toda agressão física seja potencial-
mente criminosa, e até a verbal, pelos danos morais.
Embora cercado de advogados em minha família, na-
da sei de Direito. Vou deixar por este pouco dito, que mes-
mo pouco, já pode estar errado.
Basta juntar duas pessoas para que, agora sim, com
toda certeza, comecem irritações mútuas, em graus varia-
dos, mesmo que não aparentemente. E, se não houver a
outra pessoa, pode até demorar um pouco, mas o solitá-
rio acabará se irritando por estar só, preferindo até se ir-
ritar com outrem, para ele menos mal que a situação de
isolamento.
Muitas vezes gosto de estar só, sem ser só.
Ricardo Bing Reis.

CONJECTURANDO EXEMPLOS DE CIRCUNSTÂNCIAS DE
PESSOAS IRRITADAS.
- PARTE QUARTA -

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986_ufrgs@provedor.com
Date: Tue, 26 Jul 2011 19:50:38 +0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS os demais internautas,
as pessoas cri-cri, perfeccionistas, exigem o mesmo de seu
companheiro, como se aquele comportamento dele, perfec-
cionista, fosse o padrão correto - e sempre se julgam no pa-
drão correto - e, como as coisas não são assim, sempre es-
tão irritadas. Por fim, pela própria cri-crilhice, tenta te trazer
ao mesmo patamar: irritado e irritante.
Cuidado, este tipo de pessoa nunca parará de contra-ar-
gumentar; e, pior, sem tanto compromisso com a coerência.
Melhor ainda para ela se for um tons progressivamente
mais alto e irritadiço. É a gritaria generalizada, histeria que
lhe serve.
Talvez seja este bom, um exemplo de família caótica.
Péssimo ambiente para crianças.
O texto tomou rumo de temática terapia de casal, mas
não é este o objetivo, e sim a terminologia irritação.
É que, em se tratando disto, casamento casa.
Então, voltemos à irritante irritação.
Uma senhora de 75 anos, contou-me, se divorciou do
marido de 50 anos de casamento, tendo comemorado bodas
de ouro no mesmo ano, um pouco depois de ele se aposen-
tar na prática, já que, de direito, aposentara-se há 10anos;
mas continuava na ativa.
Saindo da ativa, passou à uma inativa crônica dentro de
casa. Ranzinza, insatisfeito e descontente com tudo, tornou o
ambiente doméstico tão desagradável que ela atingiu grau de
irritabilidade insustentável. Preferiu separar-se.
Confesso que me soou estranho! Será que conviveu com
um 'estranho' por 50 anos?
Ainda outra senhra, tem marido treinador de futebol. E-
la, mora aqui em Porto Alegre e ele, em São Paulo ou outras
regiões que não aqui; pois, se em ca sa, 'atrapalha', por não sa-
ber o que fazer, também ranzinzando. Ela própria referiu que o
casamento só já dura 55 anos pois não moram juntos.
Ricardo Bing Reis.

CONJECTURANDO EXEMPLOS DE CIRCUNSTÂNCIAS DE
PESSOAS IRRITADAS.
- PARTE QUINTA -

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986_ufrgs@provedor.com
Date: Tue, 26 Jul 2011 19:50:38 +0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS os demais internautas,
já vi casal se implicar, brigar todos os dias e o dia todo e nun-
ca se separar, embora ameaças diárias, por 50 anos corridos,
e, ao morrer um, o outro fica falando saudosamente do faleci-
do, vindo a morrer não muito depois pela angústia da solidão,
do vazio deixado pelo outro, à Romeu e Julieta. Como explicar
isto?
Outra. Falta de dinheiro pode causar um clima de insegu-
rança, tal que acaba por desencadear raiva, por sentir-se este
cônjuge, prolongadamente ameaçado pelo medo e, geralmen-
te, um acaba culpando o outro; até dizendo algo indevido.
Pronto, é o estopim para a separação.
Não é fácil um casamento resistir à prolongada e/ou grave
crise financeira sem que tenha uma fundação muito sólida do
relacionamento.
Ricardo Bing Reis.

CONJECTURANDO EXEMPLOS DE CIRCUNSTÂNCIAS DE
PESSOAS IRRITADAS.
- PARTE SEXTA -

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986_ufrgs@provedor.com
Date: Tue, 26 Jul 2011 19:50:38 +0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS os demais internautas,
temos as crianças que, muito pequenas ainda, 2 anos ou
menos, com temperamento forte e alto grau de raiva, tra-
zendo a teimosia, a birra e ataques de fúria em casa ou am-
bientes públicos, principalmente em lojas de brinquedos e
supermercados.
Caso seja genético e tal característica tenha sido herda-
da da mãe, tem ela, mãe, agora, a chance de ver na filha
como é para outra pessoa lidar com ela, irritadiça e que pa-
ga geral; sobrando quase sempre mais para o marido.

Vice-versa se a irritabilidade do bebê-criança veio da ge-
nética paterna.
O que se espera é que, mediante esta auto-constatação,
o progenitor promova a si mesmo, evolução elaborativa; ou
por outra, crescimento psíquico, amadurecimento.
Mas a maioria nega o que vê no seu espelho (o filho), e
perde a chance de evoluir.
Os filhos são fontes de substratos para auto-análise dos
pais. Muito pelos componentes genéticos da mente, outro tan-
to, pelos psíquicos.
Ricardo Bing Reis.

CONJECTURANDO EXEMPLOS DE CIRCUNSTÂNCIAS DE
PESSOAS IRRITADAS.
- PARTE SÉTIMA -

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986_ufrgs@provedor.com
Date: Tue, 26 Jul 2011 19:50:38 +0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS os demais internautas,
consultou comigo agora à tarde uma senhora de 83 anos que
me disse ter tomado Lexotan no domingo, pois fora tocar ao
piano uma música mais elaborada e cometeu muitos erros.
Aquilo lhe causou tamanha irritação que começou a ter cri-
se hipertensiva e palpitações.
Isto é como se, por descarga de raiva, desse choques elé-
tricos em alguém, só que em si mesmo, no seu próprio cora-
ção. É uma auto-eletrocutação.
Disse: 'a senhora, provavelmente é uma pessoa perfeccio-
nista, que se cobra muito, também dos outros e, por conta de
tudo isto, contrastando com a realidade, ;se irrita e irrrita os ou-
tros...
Concordou!
Então completei: veja só o que aconteceu, a senhora foi se
distrair e se divertir; conseguiu o contrário...
Mas bastam 2 neurÕnios para deduzir o que deduzi.
Ricardo Bing Reis.

CONJECTURANDO EXEMPLOS DE CIRCUNSTÂNCIAS DE
PESSOAS IRRITADAS.
- PARTE OITAVA -

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986_ufrgs@provedor.com
Date: Tue, 26 Jul 2011 19:50:38 +0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS os demais internautas,
na vida social, onde muito observo a raiva das pessoas é no
jogo de futebol entre amigos e também no trânsito.
Mesmo entre amigos, volta e meia o sangue esquenta e
vem os pitos, empurrões e até socos.
Claro, se vai à via de fato, estamos entrando no campo
da criminalidade.
Sem esquecer dos estádios, com briga de torcedores e
de torcidas, infiltradas até por brigões de grupos disfarçados
de torcedores, pretexto. Os Hooligans na Inglaterra.
No trânsito as pessoas se fecham, se chingam, se ante-
cipam à outras pela vaga de estacionamento, sinais de luz por
carros que vem na velocidade da luz na auto-estrada, zigue-
zagues, fechadas, todos tipos de atitudes por raiva trazida de
casa ou adquirida ali mesmo.
Pisca-pisca hoje deve ser um dos opcionais nas revendas
de carros. Ninguém usa.
Sem falar nos espertinhos que vem por fora da fila para
conversão e se antecipam à todos entrando antes, lá na fren-
te, deixando bem claro que se acha melhor que todos nós, ba-
bacas à visão deles.
Ricardo Bing Reis.

CONJECTURANDO EXEMPLOS DE CIRCUNSTÂNCIAS DE
PESSOAS IRRITADAS.
- PARTE NONA -

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986_ufrgs@provedor.com
Date: Tue, 26 Jul 2011 19:50:38 +0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS os demais internautas,
os maluquetes tendem a se achar. Sempre que vem um ma-
luco na estrada, repare que logo atrás vem mais 2 ou 3.
Vão se puxando por identificação de 'serem os galos da
estrada'.
E nunca sabemos com quem estamos lidando. Por isto,
cuidadO com os gracejos e forma de falar, para não deixar
margem à má interpretação.
Comunicação adequada implica em interpretação adequa-
da; má interpretação gera a má comunicação, o mal entendi-
do, que deve ser muito mais frequente que imaginamos; prin-
cipalmente pela internet, onde temos escrita sem a entonação
da voz. Guarde esta palavra: 'interpretaç ão'.
Os esquentadinhos e/ou espertinhos, com certeza, são as-
sim em tudo na vida e tendem, mais cedo ou mais tarde, a pe-
gar um semelhante seu por aí, e a cobra fuma.
Um paciente de 22 anos, contou-me que fez aquela ante-
cipação de estacionamento em lancheria, e o baixinho prejudi-
cado engoliu em seco.
Quando estava saindo do, viu o baixinho voltando à pé; se
aproximou e deu-lhe um tiro que o colocou na UTI por 7 dias,
com a bala à 2 cm da coluna vertebral lombar. Não ficou para-
pégico por 2 centímetros.
Dizem que os baixinhos são mais irritados. Não sei se é fa-
to, mas esta história me fez lembrar disto.
Ricardo Bing Reis.

CONJECTURANDO EXEMPLOS DE CIRCUNSTÂNCIAS DE
PESSOAS IRRITADAS.
- PARTE DÉCIMA -

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986_ufrgs@provedor.com
Date: Tue, 26 Jul 2011 19:50:38 +0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS os demais internautas,
na TV tinha aquele cara do "eu sou noooormall", depois o
Tele-Catch e agora o Premiere UFC ou coisa parecida.
Os desenhos computadorizados para crianças, de ho-
je, em grande parte, são de uma agressividade despropor-
cional, uma chuva de socos e raios...
Estimula a gurizada a imitar. Deveria ser proibido, bem
como o box.
As artes marciais, para quem insiste na modalidade de
esporte agressivo, parecem mais elaboradas, éticas e disci-
plinadas.
& nbsp; Quando rosariense, no segundo grau, hoje ensino mé-
dio, havia dois brigões, muito marombados, que faziam mus-
culação e box para se pegaram mais ou menos semanalmen-
te na praça São Sebastião, na frente do colégio.
Era uma coisa doentia.
Sempre me esforcei muito para ser um grande amigo de
cada um deles... nunca quis irritá-los...
Bing Reis.

CONJECTURANDO EXEMPLOS DE CIRCUNSTÂNCIAS DE PES-
SOAS DEPRIMIDAS. - PARTE PRIMEIRA -

From: redacaoshm@hotmail.com
To: medicinaUFRGS1986@provedor.com.br
Date: Sun. 18 March, 2012.

Aos meus amigos médicos e TODOS os demais internautas,
alento é uma palavra que eu, de pronto, associaria à lentidão,
mas significa estímulo. Assim, falar do deprimido significa falar
do desalento.
Anedonia é uma palavra que eu, de pronto, associaria à fal-
ta de humor, por não gostar de anedotas, mas significa falta de
vontade ou incapacidade de sentir prazer e satisfação.
De qualquer forma, onde não há graça nenhuma é em ser
portador de depressão ou em ser auxiliar de um.
Não vou diferenciar aqui o deprimido por tristeza (por exem-
plo, por luto de perda real ou imaginária) do deprimido por doen-
ça orgânica neuro-bioquímica. A primeira, seria com "d" minús-
culo adjetivado e a segunda, com "D" maiúsculo substantivado.
Da mesma forma que a expressão "doente mental" minúscu-
lo significaria conotação popular e pejorativa, enquanto que "Do-
ente Mental" em maiúsculo, significa terminologia médica.
Para evitar confusões e preconceitos é que prefiro falar em
"Distúrbios e Transtornos Mentais",embora ainda dê margem aos
pejorativados "deturpados" e "transtornados". Estou à busca de
uma nomenclatura para melhor descrever estas situações.
Vou mencionar "depressão" em generalização.
Ricardo Bing Reis.
CONJECTURANDO EXEMPLOS DE CIRCUNSTÂNCIAS DE PES-
SOAS DEPRIMIDAS. - PARTE SEGUNDA -

From: redacaoshm@hotmail.com
To: medicinaUFRGS1986@provedor.com.br
Date: Sun. 18 March, 2012.

Aos meus amigos médicos e TODOS os demais internautas,
o deprimido pode rejeitar qualquer iniciativa de tentarem
lhe gerar ânimo. Inclusive irritar-se com isto.
Todos argumentos que lhe são oferecidos, são pronta-
mente rejeitados. Consolá-lo implicará em nada. Entre uma
coisa e outra, poderás ser contemplado por crises de choro,
aflições e reclamações contra seu destino, tudo, todos. E o
mundo.
Lamúrias, facies azeda, olhar vazio e perdido, semblante
pesado. Pode acontecer destas pessoas estarem beirando o
desespero e aflição.
A sua forma escolhida de tentar obter ajuda pode ser e-
xacerbando suas expressões corpóreas, lamentos e prantos.
Considere que não há falsidade nisto.
Mas, seguramente, não é uma maneira adequada de fa-
zê-lo, pois acaba descontrolando tanto emocionalmente o aju-
dante, que este finda por nem conseguir mais pensar numa
forma de socorrer. Acho que o mais rendoso é falar com mui-
ta sinceridade sobre o que está lhe acontecendo, verbalizando
com detalhes e claramente. Auto-ampliações teatrais do seu
quadro clínico é um tiro no pé.
Ricardo Bing Reis.

CONJECTURANDO EXEMPLOS DE CIRCUNSTÂNCIAS DE PES-
SOAS DEPRIMIDAS. - PARTE TERCEIRA -

From: redacaoshm@hotmail.com
To: medicinaUFRGS1986@provedor.com.br
Date: Sun. 18 March, 2012.

Aos meus amigos médicos e TODOS os demais internautas,
grandes pinturas do passado, já retrataram, justo a angústia,
que faz de um vivo, como que quase um morto. Vivo-morto.
Como naquele retrato do Van Gogh, sabido bipolar.
O homem sentado em uma cadeira, encurvado para fren-
te, com os cotovelos apoiados nos joelhos e os punhos apoian-
do o queixo bilateralmente; e mãos espalmadas sobre o rosto.
Sinto como os punhos dando sustentação à cabeça, que
estaria muito pesada por sobrecarga de tormentas, e a palma
sobre a face como uma tentativa de não querer ver mais nada,
ou chorando.
Desânimo, incapacidade de tomar qualquer iniciativa, mui-
tas vezes nem sai de casa. Acha tudo insatisfatório. Tristeza per-
manente, falta de perspectivas, falta de motivações, falta de me-
tas, falta do porque viver e até idéias e/ou insinuações suicidas.
Alterações no sono, dificuldades de concentração, sensa-
ção cansaço e até de fadiga, perda de energia, dor física-psíquica-
mental, lentidão.
Podemos ter também ainda, agitação ansiosa secundária, a-
lém da raiva e do medo, por inconformismo. Finda como uma mis-
tura de tudo já descrito, que vai e volta, que alivia e aperta, ontem,
agora e amanhã, de manhã, de tarde, de noite.
Que tortura esta, que remói mais e mais. Haja auto-controle.
Desespera.
Impotência para quem sofre a tristeza, e para quem tenta a-
nimar; que ficará triste por tabela. Frustração em suas tentativas in-
frutíferas de apoio. Sensação de niilismo para quem tenta estimular.
Tristeza generalizada, que contágia tal se fosse uma gripe es-
panhola. Que inferno dantesco estar ou ser assim; e ser ajudante de
quem está ou é assim!
Ricardo Bing Reis.

CONJECTURANDO EXEMPLOS DE CIRCUNSTÂNCIAS DE PES-
SOAS ANSIOSAS. - PARTE PRIMEIRA -

From: rbrd_redacao@hotmail.com.br
To: medicina1986-UFRGS@hotmail.com
Date: Sun. 18 March, 2012

Aos meus amigos médicos e TODOS demais internautas,
a ansiedade é a imagem especular do medo. Não seria e-
xagero dizer que o medo é o pior dos sentimentos pois ge-
ra a insegurança e a iminência de algo ruim por acontecer.
Pode, realmente, estar algo ameaçador por ocorrer.
Mas também pode estar presente, sem que haja ne-
nhum indício de adversidade.
Se transpor os limites de contenção cerebral, esta sen-
sação mega-desagradável vai transbordar tal uma piscina, e
a água excedente, que sai pelas bordas, sai pelos neurôni-
os eferentes, estimulando órgãos e estruturas do aparelho
locomotor ósteo-esquelético. Aí, sobrevem aquelas muito an-
tigas palavras, hipocondria e angústia.
Mais adequado parecer ser psicossomatização( psiquis-
mo refletido no soma/corpo).
Hipocondria, pois se achava que as dores abdominais e-
ram fruto do fígado, que fica no hipocôndrio direito, e serve
de 'bode-expiatório'.
Assim como o labirinto na tontura. É o 'culpado' de tudo
que marea ou gira. Labirintopatias e a labirintite existem, mas
bem mais raramente do que se preconiza.
Ricardo Bing Reis.
CONJECTURANDO EXEMPLOS DE CIRCUNSTÂNCIAS DE PES-
SOAS ANSIOSAS. - PARTE SEGUNDA -

From: rbrd_redacao@hotmail.com.br
To: medicina1986-UFRGS@hotmail.com
Date: Sun. 18 March, 2012.

Aos meus amigos médicos e TODOS os demais internautas,
a angústia viria da somatização no mediastino, em "angor",
aperto em grego, tal em "angor pectoris" ou angina de peito.
Aí, temos toda uma gama de variantes, sendo as mais
comuns lombalgias, cervicalgias, cefaléias, peristaltismo gás-
tricos e seus meteorismos, azia, dispepsia e, de novo, a ton-
tura.
Outra palavra que vem casada é a paranóia, não na con-
cepção médica, mas como sinônimo de insegurança, sempre
eu(!), tudo eu(!), por que estas coisas só acontecem comigo!...
Agora, imagine sua filha sofrendo de ansiedade generali-
zada, onde quer que esteja, quando não quer que seja.
Sempre em sobressaltos, duvidando de você e de todos,
sempre um não em primeiro lugar, até rejeita ajudas, interpre-
tando até estas pelo lado negativo.
Desconfia dos remédios ansiolíticos e boicota as tomadas.
Depende de você para tudo, sempre que pode, está gru-
dada, dependente, até parsitando-a. Olhos arregalados e/ou
em canto da fenda ocular, fisionomia franzida, cheia de dúvidas,
dependente e se adere a quem dê um mínimo de atenção e de-
monstração de interesse.
Ricardo Bing Reis

CONJECTURANDO EXEMPLO DE CIRCUNSTÂNCIAS DE PESSOAS

ANSIOSAS. - PARTE TERCEIRA -

From: rbrd_redacao@hotmail.com.br
To: medicina1986-UFRGS@hotmail.com
Date: Sun. 18 March, 2012.

Aos meus amigos médicos e TODOS os demais internautas,
o ansioso tem vazio impreenchível. Questiona tua receita mé-
dica ao extremo da paciência de quem receitou, dando sensa-
ção de ser um irritante passivo-agressivo; talvez goste de tes-
tar a paciência dos outros, e, se reclamado disto, compra a bri-
ga até as últimas consequências.
Gosta de saber que fulano está se ralando aqui e ali.
Frequentemente fofoqueiro.
É a antiga neurose fóbica ou de ansiedade.
Enquanto os maníacos são eufóricos, e, por isto mesmo,
dispersivos e até desorganizados, são diagramalmente inversos,
maniáticos ao invés de maníacos.
O 'cheio de manias' é o maniático, ou o que hoje se cha-
ma 'Transtorno Obsessivo-Compulsivo', com sua sigla de mun-
do contemporâneo, o 'TOC'.
São os perfeccionistas, que precisam que os lápis fiquem
todos em sequência das cores, mais fortes para mais fracas e
que, se puseres um diferente no meio, descontrola-se.
Ricardo Bing Reis.

CONJECTURANDO EXEMPLOS DE CIRCUNSTÂNCIAS DE PESSO-
AS ANSIOSAS. - PARTE QUARTA -

From: rbrd_redacao@hotmail.com.br
To: medicina1986-UFRGS@hotmail.com
Date: Sun. 18 March, 2012.

Aos meus amigos médicos e TODOS os demais internautas,
o ansioso pode perceber-se como um cri-cri, e frequntemen-
te, de fato é, mas luta cri-crimente para convencer o outro
de que não é.
Consegue, com isto, mesmo sabendo que não tem ra-
zão, irritar o inter-locutor, o que já alivia, e muito.
Talvez se irritem consigo mesmo, e fantasiem aliviar su-
a auto-irritação, provocando o outro, que seria o fio-terra da
sua irritabilidade, por transferência via espaço sideral.
Em casos crônicos, sem períodos de alívios, o grau de
irritabilidade pode ficar tão grande, que transborda além do
que uma psicossomatização consegue dar vasão, evoluindo
à condição de vulcão, cuspindo lavas. É a fúria.
Por outro lado, não raro, temos a crise de ansiedade,
o que outrora se denominava de ataque de histeria ou 'Hy'.
Mais intenso ainda, Crise de Pânico; que, em situação
de continuidade, é Síndrome do Pânico.
É o quadro "O grito". Síndrome do Pãnico, como toda
Síndrome, é um conjunto de sinais e sintomas que nos apon-
tam para certo diagnóstico, no caso, quiçá Transtorno de Ansi-
edade e/ou Trastorno de Pânico.
Ricardo Bing Reis.

CONJECTURANDO EXEMPLOS DE CIRCUNSTÂNCIAS DE PESSO-
AS ANSIOSAS. - PARTE QUINTA -

From: rbrd_redacao@hotmail.com.br
To: medicina1986-UFRGS@hotmail.com
Date: Sun. 18 March, 2012.

Aos meus amigos médicos e TODOS os demais internautas,
o ansioso pode perceber-se como um cri-cri, e frequntemen-
te, de fato é, mas luta cri-crimente para convencer o outro
de que não é.
Consegue, com isto, mesmo sabendo que não tem ra-
zão, irritar o inter-locutor, o que já alivia, e muito.
Talvez se irritem consigo mesmo, e fantasiem aliviar su-
a auto-irritação, provocando o outro, que seria o fio-terra da
sua irritabilidade, por transferência via espaço sideral.
Em casos crônicos, sem períodos de alívios, o grau de
irritabilidade pode ficar tão grande, que transborda além do
que uma psicossomatização consegue dar vasão, evoluindo
à condição de vulcão, cuspindo lavas. É a fúria.
Por outro lado, não raro, temos a crise de ansiedade,
o que outrora se denominava de ataque de histeria ou 'Hy'.
Mais intenso ainda, Crise de Pânico; que, em situação
de continuidade, é Síndrome do Pânico.
É o quadro "O grito". Síndrome do Pãnico, como toda
Síndrome, é um conjunto de sinais e sintomas que nos apon-
tam para certo diagnóstico, no caso, quiçá Transtorno de Ansi-
edade e/ou Trastorno de Pânico.
Ricardo Bing Reis.

CONJECTURANDO EXEMPLO DE CIRCUNSTÂNCIAS DE PESSOAS

ANSIOSAS. - PARTE SEXTA -

From: rbrd_redacao@hotmail.com.br
To: medicina1986-UFRGS@hotmail.com
Date: Sun. 18 March, 2012.

Aos meus amigos médicos e TODOS os demais internautas,
outra forma da ansiedade manifestar-se, é a dissociação,
onde, ao contrário de 'explodir', a pessoa 'implode', como
ocorre quando engenheiros conseguem 'dinamitar para den-
tro(!)'.
É a Histeria Dissociativa, ou atual Transtorno Dissociativo.
Ou 'desmaio', de origem psíquico-mental.
Todo o comentado, tende a ter pano de fundo orgânico,
ou, no mínimo, cultural, enraizado às camadas mais profundas
daquilo que chamam de inconsciente.
Em tempo, acuso situação de ansiedade-medo adquirida,
batizada de 'Síndrome do Estresse Pós-Traumático', por contato
muito próximo com risco de vida; como assaltos, sequestros,
tsunamis, raios, tempestades, quedas, choques, acidentes de
carro ou outros sustos de toda ordem. Aqui entram os proble-
mas socias do banditismo; da parte anti-social (psicopata ou
sociopata) da sociedade gananciosa. É o 'traumatizado'.
Enquanto escrevo, minha filha está assistindo televisão ali
adiante, aqui na sala, e o locutor de um intervalo comercial de
filme, disse sábia frase:
"O contato íntimo com a morte, simplesmente é um renascer".
Ricardo Bing Reis.

CONJECTURANDO EXEMPLO DE CIRCUNSTÂNCIAS-
DE PESSOAS ANSIOSAS. - PARTE SETIMA -

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@hotmail.com
Date: Sun, 18 March, 2012.

Aos meus amigos e TODOS demais internautas,
a mim parece que o medo proporcional, por cir-
cunstância fundada, é o sentimento mais impor-
te que existe, pelo lado positivo, pois é a força
motriz da precaução e 'pré-visão'.
É, para mim, o cerne da maturidade.
E em pensar que, à ótica de 97,7653 % da so-
ciedade, ele é, paradoxal e parvamente, motivo
de vergonha; por ter significado ao portador dele,
ser um 'amarelão' ou covarde.
Os extremos sim, podem traduzir o ápice da i-
maturidade, tanto para mais, nas fobias (medos
que se apresentam como 'o das coisas bobas e
estranhas' ao expectador; tanto para menos, co-
mo nos maníacos, que passam por 'má-loucos' aos
expectadores.
Ricardo Bing Reis.

CONJECTURANDO EXEMPLO DE CIRCUNSTÂNCIAS DE PESSO-
AS ANSIOSAS. - PARTE OITAVA -

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@hotmail.com
Date: Sun, 18 March, 2012.

Aos meus amigos e TODOS demais internautas,
já a ansiedade é a imagem especular do medo
em inadequação. Não seria exagero dizer que o
medo desproporcional é o pior dos sentimentos,
pois gera a insegurança e a iminência de algo ru-
im por acontecer, podendo nem haver indício de
que, de fato, está por ocorrer algo desagradável.
Agora, se há de fato um motivo para ter o me-
do, já estamos invadindo o terreno do bom-senso,
cujo carro chefe é a precaução.
Coragem não é não ter medo, isto é a burrice.
Coragem é saber identificar seu medo, e mantê-
lo sob controle, para poder administrá-lo e viabilizar
consegir agir da melhor forma possível frente ao
problema gerador deste medo.
É sensato saber observar que o medo é um avi-
so bom, embora descofortável e desagradável.
Visa manter a integridade do portador, e que a-
cendeu a luz amarela, ou já vermelha.
Foi a forma que encontrou a natureza para nos
pôr em situação de fuga ou luta, quando nos depara-
mos com um leão.
Tal qual a dor, para avisar-nos de que há algo de
errado naquele ponto dolorido.
São os tais 'males necessários'.
Ricardo Bing Reis.

CONJECTURANDO EXEMPLO DE CIRCUNSTÂNCIAS DE PESSOAS

ANSIOSAS. - PARTE NONA -

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@hotmail.com
Date: Sun, 18 March, 2012.

Aos meus amigos e TODOS demais internautas,
o perfeccionista tende a ser ansioso e, o ansioso,
perfeccionista.
O cri-cri, compra a briga até últimas conse-
quências, incluindo uma baixaria de bate-boca, que
sempre 'vence' no grito e/ou arsenal inacreditável de
argumentos; muitos malucos, muitos desdizendo di-
to no passado, tirando o corpo fora nos erros; uso
desenfreado do 'eu te disse', muitos 'a culpa é tua',
- invertendo a verdade - irando o inter-locutor, pois
a injustiça é um dos piores sentimentos.
E, no barraco, ele se sente melhor, pois tudo se
nivela por baixo (é lá que ele se sente estar, pelo
sentimento de inferioridade).
Poder-se-ia dizer que não tem compromisso com
a coerência. Há quem diga que as mulheres seriam as-
sim, talvez por ser maior o contingente de ansiedade
e verbalização entre as mulheres.
Mas é inadequado assim pensar, pois a quantida-
de de homens ansiosos é ainda assim muito significa-
tiva.
Leva e traz, gerador de intriga. Quem sabe, por
componente de inveja daquele criativo, que constrói e
tem empreendedorismo. Tendem à serem menos cria-
tivos; e até por isto, mais destrutivos, tendendo às ati-
vidades mais burocráticas, funcionais e executivas.
Mas que, reitero, tem tanto valor, que formam a
coluna dorsal da sociedade.
Ricardo Bing Reis.

CONJECTURANDO EXEMPLOS DE CIRCUNSTÂNCIAS DE PESSO-
AS MANÍACAS. - PARTE PRIMEIRA -

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Sun. 18 March, 2012. 00000

Aos meus amigos-médicos e TODOS demais internautas,
os maníacos, caracterizam-se pelo baixo nível de medo e
alto de onipotência (megalomania).
São realizadores. Embora, possam não ser, caso o pen-
samento seja acelerado demais; pois então, as idéias bro-
tam em tamanha quantidade, que acabam por não conse-
guir botar nada em prática.
O maníaco julga-se como um super-herói.
Acredito que muitos maníacos, tenham sido fundamen-
tais na História bélica da des-humanidade.
Mas também do lado construtivo.
Lembro a mitologia grega à cultuar os destemidos.
Depois as Velhas Escrituras que deveriam desestimular,
mas fomentaram passagens verdadeiramente sanguinárias
de matanças doidas, até finalmente os Super Heróis Marvel,
onde são todos tolamente dotados de ultra-poderes, deste-
midos, e até por isto salvadores de tudo e de todos.
Os justiceiros da sociedade pelas próprias mãos. Aí estão
todos os meus ídolos de infância, contaminando meu incons-
ciente, fomentado pelo do coletivo, talhado pela mídia.
Como não empolgar-se com eles, para mim, encabeçados
pelo Batman, em criativo antropomorfismo.
Seguido do Super Homem (semi-Deus), Homem Aranha,
Capitão América, Hulk, Thor, Zorro, Homem de Pedra, Ho-
mem de Ferro, Space Ghost e Flash, dentre vários outros.
E, para não dizer que os maníacos não são só os homens,
fruto do machismo dominante na época (embora haja sim es-
ta predominância, pelo efeito biológico da 'agressiva testos-
terona'), temos a maravilhosa Mulher Maravilha, e, mais re-
centemente, as Meninas Super Poderosas. Já os Incríveis vol-
taram. E não esqueçamos do novo Ben 10.
Tudo isto, volta e meia, vai e volta via filmes campeões de
bilheteria nos cinemas.
Ricardo Bing Reis.

CONJECTURANDO EXEMPLOS DE CIRCUNSTÂNCIAS DE PESSO-
AS MANÍACAS. - PARTE SEGUNDA -

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Sun, 18 March; 2012 00000

Aos meus amigos médicos e TODOS demais internautas,
alguns maníacos, hoje, se traduzem nestes tolos que fa-
zem esportes radicais com jumps de todas naturezas; a-
plicações suicidas em bolsas de valores, no tudo ou na-
da na busca desenfreada da fortuna para satisfazer suas
ganâncias.
E os gastos, para alavancar suas megalomanias e
arrogâncias, o tal 'sou o cara do momento', sou o super-
super'.
Quando o outro diz 'deixa comigo', aí sim é que co-
meço a me preocupar.
Aqui entram os jogos de azar e, claro, os cassinos,
que dizimam famílias.
Os destemidos são os maiores tolos dos tolos. E, se
vão em acidentes, mortes, falências, desgraças.
Não esquecendo das locuras que executam nas es-
tradas, fazendo delas pistas de corrida. Já dizia um lido em
algum lugar: 'se faz muito na moto/carro, faz pouco na mu-
lher'...
Se perguntares 'o que é para ti um bom motorista'(?),
87,9865% dirá que é o habilidoso, zigue-zagueador, o dos
130/hora para cima, que não batem, até que se espatifem.
Já o cauteloso, precavido, que tenta evitar acidentes,
cuidando de si e cuidando-se dos outros, é tido como mau
motorista ou amarelão.
Mas que não se confunda este descrito, com aquele
que atrapalha o bom fluir do trânsito, e que faz manobras
como se a avenida estivesse vazia; pois este é o 'barbeiro'.
O maníaco, desenfreado, não é motorista, é um piloto;
devendo descarregar suas frustrações e compensações em
pista de autódromo, e não nas vias públicas.
Já o motorista, de direção defensiva, não tem nada
para fazer numa pista de corrida.
Mas nem todos maníacos são assim; vários canalizam
bem suas energias, tornando-se grandes artistas pelo poder
de criatividade; empreendedores de sucesso, imprescindíveis
para a sociedade, por serem os mestres da prática da econo-
mia de produção, supostamente a maior fonte de renda de
um país de fato desenvolvido.
Ricardo Bing Reis.

CONJECTURANDO EXEMPLOS DE CIRCUNSTÂNCIAS DE PESSOAS COM OUTROS
DISTÚRBIOS MENTAIS. - PARTE PRIMEIRA -

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Sun. 18, March; 2012 0000000

Aos meus amigos-médicos e TODOS demais internautas,
aqui vou fazer apenas breve rascunho sobre quadros
complexos, até porque sei de meus limites, logo ali.
Outrora se usava o termo psicose com mais frequên-
cia que hoje. A palavra ficou um pouco estigmatizada co-
mo 'coisa do mal', por causa do filme do Hitchcock, mas
é um erro esta associação.
Tínhamos a psicose maníaco-depressiva, a psicose pa-
ranóide, a psicose catatônica e a psicose esquizofrênica.
Hoje deve estar tudo na base de 'Transtorno'.
A psicose maníaco-depressiva é o 'Transtorno de per-
sonalidade bipolar'; a psicose paranóide deve ser algo co-
mo 'Transtorno de personalidade paranóide'; a psicose ca-
tatônica deve hoje ser 'Transtorno de personalidade cata-
tônica'; e, a psicose esquizofrênica, um 'Transtorno de es-
quizofrenia'.
Eram tidas como doenças ou distúrbios de fundo or-
gânico, com forte componenete genético; influenciado, ló-
gico, por fatores ambientais.
Nunca fui muito bom nos diagnósticos, quando nas dis-
ciplinas de psiquiatria; e notava que os então residentes ti-
nham também dificuldades extremas, cobravam-se um di-
agnóstico meio que na primeira consulta, seguindo uma es-
tratégia diagnóstica padronizada.
Cartesianismo excessivo.
Como médico, evidentemente que sou cartesiano,mas
em transtornos psico e psico-mentais, há de se acrescen-
tar o componente ambiental, que não pode ser medido de
forma paradigmática.
Penso que hoje a complexidade é tanta, que há de ser,
calma para trabalhar, objetivando obter diagnóstico o mais
certeiro possível.
Por exemplo, imaginava o bipolar como com emoções
'io-io', e hoje, percebo que um pouco é assim, mas as va-
riantes de quadro clínico também são em 'io-io'.
Imaginava o paranóico como um cara que se comporta
como se auto-vitimando, em qualquer lugar, todos os dias
e o dia todo.
O catatônico, no meu imaginário, se confunde com o
autista, tal e qual no filme Philadéifia de Tom Hanks.
Mas os quadros não são bem assim. Recomendaria aos
interessados, conversarem com um especialista. Em geral,
apenas ler sobre é insuficiente. Somente a prática diária pa-
ra boa compreensão. E eu não tenho.
Ricardo Bing Reis.

CONJECTURANDO EXEMPLOS DE CIRCUNSTÂNCIAS DE PESSOAS COM OUTROS
DISTÚRBIOS MENTAIS. - PARTE SEGUNDA -

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Sun. 18, March; 2012 0000000

Aos meus amigos-médicos e TODOS demais internautas,
já o esquizofrênico, seria a mente relativamente caótica.
Mas no sentido de arranjo da mente, jamais no sentido
pejorativo. Se há lugares onde sentidos pejorativos são
rejeitados ao máximo, é na área 'psi'.
Entendia que em todos os tipos de psicose poderia ha-
ver alucinações visuais, auditivas, persecutórias, etc; mas
muito em especial na esquizofrenia.
Imagino como estação de rádio com interferências cons-
tantes, entrando programas nada a ver, de estações de rá-
dios, por entre o programa base, que seria o pensamento
principal do doente; vítima de uma das maiores cruelda-
des da natureza.
Pelo que entendi na época, 'frênico' seria um termo re-
lacionado com mente; 'esquizo' (partido). Assim, significa-
ria 'mente partida' ou esquizofrenia.
Mas são conceitos de estudos passados.
Uma outra combinação, qual seja, de 'oligo' (seco) e frê-
nico (mente), resulta em 'oligofrenia' (QI baixíssimo).
As doenças sindrômicas, hoje podem usufruir de melho-
res recursos, como na Síndrome de Down, mas ainda são,
na minha opinião, situações muito delicadas de lidar. Ain-
da teremos mais significativos progressos.
Também lembro das Síndromes Cerebrais Orgânicas
(SCO), que é o conjunto de sianis e sintomas que caraceri-
zam os Distúrbios do Funcionamento Cerebral Superior
(DFCS).
'DFCS' seria a doença, e a 'SCO', a forma como ela se
manifesta. Aqui, estariam as demências vasculares senis, Al-
zheimer, outras doenças degenerativas e limitantes do encé-
falo. Com suas manifestações como depressão, esquecimen-
to, desequilíbrio, alucinações, catatonia, etc, etc.
Nunca mais esqueci que, alterações súbitas de compor-
tamento, em qualquer idade, exige investigação de tumor ce-
rebral.
Ricardo Bing Reis.

AGRESSIVIDADE.

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986_ufrgs@provedor.com
Date: Tue, 26 Jul 2011 19:50:38 +0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS demais internautas,
tudo tem seu início. Comentei que a maldade eclode após
ter se acumulado à nível impossível de armazenamento
complementar; o excesso sai como lava vulcânica incon-
trolável,caso você já tenha contemplado um em erupção,
o que nunca fiz.
Mas a fomentação, imagino, começa em casa, medi-
ante família caótica, maus tratos por espancamentos, ma-
us tratos por abusos sexuais, maus tratos psíquicos por
pais que brigam entre si ou com eles a qualquer coisa,ma-
us tratos por terem como modelos de pessoa pais alcoóla-
tras ou drogaditos, maus tratos por terem pais agressivos,
doentes mentais complexos, e quiçá, já psicopatas ou so-
ciopatas.
Sou entusista de televisão, mas com limites. Acho que
certas emissoras estão abusando no grau de agressividade
de suas programações infantis, muito soco, muito tiro,
muito extermínio, muitas falas agressivas, pouca educação,
pouco pai e pouca mãe; tal qual os lares descritos no pará-
grafo anterior.
Agora também os adultos nestes canais pagos de luta
livre de fato. Estimula a gurizada a imitar. Também até os
pais. Deveria ser proibido, bem como o boxe, banido como
esporte.
Esporte é para ser promotor de saúde, não de traumas
cranianos. As artes marciais, para quem insiste na modali-
dade de esporte agressivo, parecem mais elaboradas e dis-
ciplinadas.
Quando rosariense, no segundo grau, hoje ensino médi-
o, havia dois brigões, muito marombados, que faziam mus-
culação e boxe para se pegaram mais ou menos semanal-
mente na praça São Sebastião, na frente do colégio.
Era uma coisa doentia.
Sempre me esforcei muito para ser um grande amigo de
cada um deles... e nunca quis magoá-los ou irritá-los...
Ricardo Bing Reis.

AGRESSIVIDADE.

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986_ufrgs@provedor.com
Date: Tue, 26 Jul 2011 19:50:38 +0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS demais internautas,
tudo tem seu início. Comentei que a maldade eclode após
ter se acumulado à nível impossível de armazenamento
complementar; o excesso sai como lava vulcânica incon-
trolável,caso você já tenha contemplado um em erupção,
o que nunca fiz.
Mas a fomentação, imagino, começa em casa, medi-
ante família caótica, maus tratos por espancamentos, ma-
us tratos por abusos sexuais, maus tratos psíquicos por
pais que brigam entre si ou com eles a qualquer coisa,ma-
us tratos por terem como modelos de pessoa pais alcoóla-
tras ou drogaditos, maus tratos por terem pais agressivos,
doentes mentais complexos, e quiçá, já psicopatas ou so-
ciopatas.
Sou entusista de televisão, mas com limites. Acho que
certas emissoras estão abusando no grau de agressividade
de suas programações infantis, muito soco, muito tiro,
muito extermínio, muitas falas agressivas, pouca educação,
pouco pai e pouca mãe; tal qual os lares descritos no pará-
grafo anterior.
Agora também os adultos nestes canais pagos de luta
livre de fato. Estimula a gurizada a imitar. Também até os
pais. Deveria ser proibido, bem como o boxe, banido como
esporte.
Esporte é para ser promotor de saúde, não de traumas
cranianos. As artes marciais, para quem insiste na modali-
dade de esporte agressivo, parecem mais elaboradas e dis-
ciplinadas.
Quando rosariense, no segundo grau, hoje ensino médi-
o, havia dois brigões, muito marombados, que faziam mus-
culação e boxe para se pegaram mais ou menos semanal-
mente na praça São Sebastião, na frente do colégio.
Era uma coisa doentia.
Sempre me esforcei muito para ser um grande amigo de
cada um deles... e nunca quis magoá-los ou irritá-los...
Ricardo Bing Reis.

DOENÇA MANÍACA: LUXÚRIA SENIL.
- PARTE PRIMEIRA -

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Fri, 26 Aug 2011 02:09:33 +0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS demais internautas,
meu amigo Cézar me encomendou um texto sobre 'sexo
na terceira idade'. Achei que estava de gozação e então
respondi-lhe como um grande pauta pontilhada em bran-
co.
Não sabia do que estava por saber.
Esta semana, meu incurável hábito de puxar conversa
com pacientes, me troxe à tona uma história que jamais
imaginara. Uma paciente minha de 77 anos me contou
que sua irmã, de já 80 anos, é sexo-maníaca ou maníaca-
sexual, como queiram.
Me lembra bipolaridade onde componente maníaco se-
ria preponderante, ou unipolaridade maníaca.
Também pensei em tumor cerebral, ou qualquer outro
processo expansivo, mas ela me disse que não, desde jo-
vem é assim. Não tendo seu casamento vingado, pois o
marido não aguentou. Precisaria ser um semelhante, ma-
níaco. Ele está absolvido.
Vamos aos fatos. Se comporta à Michael Douglas e, pa-
ra continuar dando sequência aos seus hábitos de luxúria,
faz suas preparações mediante lifts, botox, boca ginecoló-
gica, batatas da bochecha em seios apontando, abdomino-
plastia, estética toda hora, pinturas exóticas, assim por di-
ante e etc.
Resulta que só transa com homens de 20 à 25 anos, pa-
gando, obviamente. Homens de 30 já não servem. Eu seria
apedrejado.
Ricardo Bing Reis.

DOENÇA MANÍACA: LUXÚRIA SENIL.
- PARTE SEGUNDA -

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986@provedor.com.br
Date: Fri, 26 Aug 2011 02:21:08 +0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS demais internautas,
lembro da faculdade que jovem gostar de transar com i-
doso tinha um nome, quiçá presbifilia ou algo diferente
disto.
Vi um filme 'Ensina-me a viver' onde se retratava al-
go meio parecido, um dos mais chatos que já vi.
Nas aulas de psiquiatria, lembro de um desvio/distúr-
bio sexual que até hoje acho inacreditável; a necrofilia,
que é transar com cadáver. Se não for loucura, o que se-
ria?
Voltando; sob a ótica do jovem que encara, não se
poderia usar o rótulo de 'presbifilia', pois não se deve à
paixão pelo ato sexual pelo idoso em si, mas sim, paixão
pelo dinheiro do idoso, o que é bem diferente.
Pois esta vovó digna de 'Sex-Hot', gasta 3 mil por mês
nestas orgias, à Baco, já tendo vendido 3 imóveis para
manter sua gula e arrefecer o calor. E a gurizada explo-
rando!...
Ainda me disse que a família tenta interdição, mas que
está difícil e nunca conseguem.
Por último, já que vive este drama familiar com relação
à vovó tarada, me disse que ficou sabendo de vários outros
relatos e que isto não é nada raro. Foi o que ela disse, mas
eu acho que é raro sim.
Imaginava eu que com o climatério, muito do tesão das
mulheres atenuava demais, mas nisto tenho hoje sensação
que peco, em especial se reposição hormonal. Mas que exige
maior controle de câncer de mama. Daí a polêmica, de fazer
ou não a reposição.
Ricardo Bing Reis.

PSIQUISMO: UM EXEMPLO DE SUAS MODELAÇÕES.

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Sat, 27 Aug 2011 19:54:59 +0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS de-
mais internautas,
com relação à conotação religiosa, dos 7
pecados capitais e 10 mandamentos, acho
que as coisas foram feitas do tipo queres
5 pede 10.
A anarquia e bagunça no mundo devia
ser tanta, que se recorreu à radicalização
para manter a ordem, mediante estes 2 ar-
tifícios, que serviram como uma Cons titui-
ção.
Como era impossível uma polícia efeti-
va da sociedade, inteligentemente criou-se
este sistema de auto-policiamento por for-
mação de super-ego individual repressor.
Para mim é claro que, aquele que não
fez uma leitura ponderada daquilo, neuroti-
zou, e a neurose generalizou, pois quase
ninguém tinha recursos para pesquisar e
ponderar melhor, formando-se assim, uma
sociedade auto-reprimida, pelo menos até
os anos 60.
Temas como sexo viraram tabu e hoje
são temas banalizados, talvez até exagera-
damente, para o outro lado. Se, com 10
queriam 5, parece que num primeiro momen-
to tiveram o 10 e agora o zero.
Ainda nos faltaria finalmente chegar ao
5!
Ricardo Bing Reis.

"LIGEIROS": CONJECTURANDO EXEMPLOS DE CIRCUNS TÂNCIAS DE
PESSOAS PSICOPATAS E SOCIOPATAS.

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986_ufrgs@provedor.com
Date: Tue, 26 Jul 2011 19:50:38 +0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS os demais internautas,
os maluquetes tendem a se achar. Sempre que vem um ma-
luco na estrada, repare que logo atrás vem mais 2 ou 3. Vão
se puxando por identificação de 'serem os galos da estrada'.
E nunca sabemos com quem estamos lidando.
Por isto, cuidade com os gracejos e forma de falar para
não deixar margem à má interpretação.
Os esquentadinhos e/ou espertinhos, com certeza, são as-
sim em tudo na vida e tendem, mais cedo ou mais tarde, a pe-
gar um semelhante seu por aí, e a cobra fuma.
Um paciente de 22 anos, contou-me que fez a quela ante-
cipação de estacionamento, e o baixinho prejudicado engoliu
em seco. Quando estava saindo da lancheria, viu o baixinho
voltando à pé, se aproximou e deu-lhe um tiro que o colocou
na UTI por 7 dias, com a bala à 2 cm da coluna vertebral lombar.
Dizem que os baixinhos são mais irritados. Não sei se é fato,
mas esta história me fez lembrar disto. Não deve haver esta re-
lação.
Ricardo Bing Reis.

"LIGEIROS": CONJECTURANDO EXEMPLOS DE CIRCUNS TÂNCIAS DE
PESSOAS PSICOPATAS E SOCIOPATAS.

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986_ufrgs@provedor.com
Date: Tue, 26 Jul 2011 19:50:38 +0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS os demais internautas,
os maluquetes tendem a se achar. Sempre que vem um ma-
luco na estrada, repare que logo atrás vem mais 2 ou 3. Vão
se puxando por identificação de 'serem os galos da estrada'.
E nunca sabemos com quem estamos lidando.
Por isto, cuidade com os gracejos e forma de falar para
não deixar margem à má interpretação.
Os esquentadinhos e/ou espertinhos, com certeza, são as-
sim em tudo na vida e tendem, mais cedo ou mais tarde, a pe-
gar um semelhante seu por aí, e a cobra fuma.
Um paciente de 22 anos, contou-me que fez a quela ante-
cipação de estacionamento, e o baixinho prejudicado engoliu
em seco. Quando estava saindo da lancheria, viu o baixinho
voltando à pé, se aproximou e deu-lhe um tiro que o colocou
na UTI por 7 dias, com a bala à 2 cm da coluna vertebral lombar.
Dizem que os baixinhos são mais irritados. Não sei se é fato,
mas esta história me fez lembrar disto. Não deve haver esta re-
lação.
Ricardo Bing Reis

A PROVÁVEL INDEFERENÇA, E ATÉ MALDADE, DOS EXCESSIVAMENTE EGOÍSTAS.

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Sat, 3 Sep 2011 00:55:13 +0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS demais internautas,
conforme eu comentava, desempenhar uma tarefa altru-
ísta isoladamente, quando deveria ser coletivamente, é
tão louvável quanto lamentável.
A parte louvável comentei no email anterior.
Mas lamentável, pois, saindo do sentido substanti-
vado da expressão, entramos no campo metafórico de
'burro' no sentido de bobo, tolo. E o erro por se permitir
à isto! Por se permitir ser explorado.
Isto pode acontecer por omissão dos irmãos; mas
também pode ser fruto de uma grave limitação do aju-
dante-mor, ou seja, sua narcísica onipotência de ser o
sabichão, oniciente, até onipresente. Dispensando, cons-
ciente ou inconsciente, qualquer tipo de ajuda, por achar
-se melhor, saber fazer melhor. Não raro em maníacos e
também em maniáticos perfeccionistas.
E não é sinal de competência deixar-se explorar, por
mais nobre que seja a ação. Não que você vá abandoná-
la, mas trazer, diplomaticamente os outros à participarem. < /div>
Dividindo tarefas.
Para fazê-lo, basta utilizar-se de sinceridade no trato
das questões e vir montado na verdade, demonstrando su-
as limitações, sua sobre-carga e necessidade urgente de di-
visão dos afazeres.
Quem se negar, bem, quem se negar, não merece o
título de 'Humano"; 'Ser' já lhe é muito. O termo 'Humano',
mesmo substantivado, lembra adjetivado.
E acreditem, já ouvi no consultório o relato de pacien-
tes que zelavam por seus pais enfermos, enquanto os ou-
tros torciam para que o desfecho fosse a morte deles, para
poder acessar a herança. Já veze-s, no plural!
É claro que, se a maldade dos outros é tal, mantenha-
se no sacrifício e faça sua parte, nem que seja tudo, pois
seus pais supostamente merecem e; pior sentimento é a
'pós', por saber não ter dado teu esforço de forma que po-
derias.
Não confundir com a culpa, fruto de achar' que pode-
ria ter feito mais, quando empreendeu sim todo seu esfor-
ço viável.
Ricardo Bing Reis.

SENTIMENTOS DE QUEM TENTA AUXILIAR AS PESSOAS
DIFÍCEIS DE AJUDAR.

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Fri, 2 Sep 2011 23:50:42 +0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS internautas,
inicio anotando que considero toda pessoa neces-
sitada de algo, difícil de ajudar, pois não somos
dotados assim de tantas sobras físicas, mentais e
psíquicas.
Embora muitos achem que são; mas são isto
sim, os principais candidatos a serem, mais cedo
ou mais tarde, exato os que passariam de ajudan-
tes a necessitados!
Aquele boa pessoa que procura ajudar estas
que padecem, por transtornos e/ou distúrbios men-
tais; ou ainda somáticos (por doenças localizadas
ou sistêmicas), podem ter um turbilão de sentimen-
tos, perfeitamente compreensíveis, toleráveis, acei-
táveis e, por que não dizer, esperados e salutares.
Se você ajuda, se desgasta e só por aí já te-
mos o cansaço, astenia, talvez dores no corpo, so-
nolência, sono, sentimento de fraqueza, tédio e ou-
tros desta linhagem.
Não cair no círculo vicioso do turbilhão de sen-
timentos negativos, colocando-se no caos e, ao fim,
passando você a não ter mais condições de ajudar,
exigindo-se o auto-afastamento e; quiçá, passar a
ser uma pessoa doente e difícil d e ajudar.
O que pioraria o já não bom.
Ricardo Bing Reis.

POSSÍVEL DEPRESSÃO EM QUEM TENTA AJUDAR ALGUÉM
EM SOFRIMENTO.

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Fri, 2 Sep 2011 13:55:35 +0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS demais internautas,
uma pessoa necessitada de ajuda por transtorno mental
ou doença somática local ou sistêmica, sem que seja in-
tencional, causa um roubo energético naquele que lhe a-
juda, podendo gerar-lhe depressão, talvez mais ainda se
o diagnóstico do necessitado é também uma Depressão.
Também pelo sentimento de culpa por eventuais mo-
mentos de raivas, emprego de tempo, faltas ao trabalho,
redução do tempo com sua família basal, gastos extras de
dinheiro, etc.
E pior, muitos que padecem e/ou são deprimidos, fun-
cionam como que buracos negros, que consomem todas
as energias que se apresentarem ao seu redor.
Ajudar uma pessoa assim, demanda energia do apoi-
ador. Se o doente não reage, toda energia despendida ten-
de a ser em vão.
Como, até a energia nuclear tem limite, entende-se que
a da tua cuca também vai acabar, talvez até antes do que
acabaria a de uma usina nuclear.
E a pessoa continuará lá, tal e qual quando deste início
à ajuda apoiativa em estimulação animatória. E, a única di-
ferença em relação ao estágio inicial, é que agora também
você acaba como ele; ele que continua a se encontrar co-
mo se encontrava.
Talvez por isto se diz que o pessimismo contamina. Tam-
bém por isto um mega-empresário americano(ou não), que
não sei quem é, se recusa a sentar numa mesa de negocia-
ções, se nela tiver um único pessimista que seja.
Ricardo Bing Reis.

VIDA EM SOCIEDADE: OS ESPAÇOSOS E FOLGADOS.

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986_ufrgs@provedor.com
Date: Tue, 26 Jul 2011 19:50:38 +0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS demais internautas,
em vida social, onde muito observo a raiva das pessoas é
no jogo de futebol, entre amigos ou nos estádios; e tam-
bém no trânsito.
Mesmo entre amigos, volta e meia o sangue esquenta
e aí vem os pitos, empurrões e até socos. Claro, se vai à
via de fato, já estamos entrando no campo da criminalida-
de.
Como esquecer dos estádios, com briga de torcedores
e de torcidas, infiltradas até por brigões de grupos disfar-
çados de torcedores, pretexto para criminalidade.
Felizmente são minoria.
Lembrem os 'Hooligans', baderneiros na Inglaterra.
No trânsito as pessoas se fecham, se chingam, se ante-
cipam à outras pela vaga de estacionamento, os sinais de
luz por carros que vem na velocidade da luz na auto-estra-
da, zigue-zagues, fechadas, todos tipos de atitudes. Pisca-
pisca hoje deve ser um dos opcionais nas revendas de car-
ros, e parece que ninguém adere à aquisição.
Por raiva trazida de casa, do trabalho, da vida social, de
sua própria compleição genético-biológica e/ou da sua pró-
pria formação psíquica. Ou raiva desencadeada ali mesmo.
Sem falar nos espertinhos que vem por fora da fila para
conversão, se antecipando à todos, entrando antes pelo la-
do de fora, lá na frente, deixando bem claro que se acha
melhor que todos nós, babacas na fila, à visão deles.
Se reclamar, corre o risco de levar um tiro ou facada. De
uma pessoa destas, pode-se esperar de tudo.
Ricardo Bing Reis.

VIDA EM SOCIEDADE: OS ESPAÇOSOS E FOLGADOS.

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986_ufrgs@provedor.com
Date: Tue, 26 Jul 2011 19:50:38 +0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS demais internautas,
em vida social, onde muito observo a raiva das pessoas é
no jogo de futebol, entre amigos ou nos estádios; e tam-
bém no trânsito.
Mesmo entre amigos, volta e meia o sangue esquenta
e aí vem os pitos, empurrões e até socos. Claro, se vai à
via de fato, já estamos entrando no campo da criminalida-
de.
Como esquecer dos estádios, com briga de torcedores
e de torcidas, infiltradas até por brigões de grupos disfar-
çados de torcedores, pretexto para criminalidade.
Felizmente são minoria.
Lembrem os 'Hooligans', baderneiros na Inglaterra.
No trânsito as pessoas se fecham, se chingam, se ante-
cipam à outras pela vaga de estacionamento, os sinais de
luz por carros que vem na velocidade da luz na auto-estra-
da, zigue-zagues, fechadas, todos tipos de atitudes. Pisca-
pisca hoje deve ser um dos opcionais nas revendas de car-
ros, e parece que ninguém adere à aquisição.
Por raiva trazida de casa, do trabalho, da vida social, de
sua própria compleição genético-biológica e/ou da sua pró-
pria formação psíquica. Ou raiva desencadeada ali mesmo.
Sem falar nos espertinhos que vem por fora da fila para
conversão, se antecipando à todos, entrando antes pelo la-
do de fora, lá na frente, deixando bem claro que se acha
melhor que todos nós, babacas na fila, à visão deles.
Se reclamar, corre o risco de levar um tiro ou facada. De
uma pessoa destas, pode-se esperar de tudo.
Ricardo Bing Reis.

VIDA EM COMUNIDADE: OS LIMITES SOCIAIS.


From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Sat, 27 Aug 2011 19:54:59 +0000


Aos meus amigos-médicos e TODOS de-
mais internautas,
com relação à conotação religiosa, dos 7
pecados capitais e 10 mandamentos, acho
que as coisas foram feitas do tipo queres
5 pede 10.
A anarquia e bagunça no mundo devia
ser tanta, que se recorreu à radicalização
para manter a ordem, mediante estes 2 ar-
tifícios, que serviram como uma Cons titui-
ção.
Como era impossível uma polícia efeti-
va da sociedade, inteligentemente criou-se
este sistema de auto-policiamento por for-
mação de super-ego individual repressor.
Para mim é claro que, aquele que não
fez uma leitura ponderada daquilo, neuroti-
zou, e a neurose generalizou, pois quase
ninguém tinha recursos para pesquisar e
ponderar melhor, formando-se assim, uma
sociedade auto-reprimida, pelo menos até
os anos 60.
Temas como sexo viraram tabu e hoje
são temas banalizados, talvez até exagera-
damente, para o outro lado. Se, com 10
queriam 5, parece que num primeiro momen-
to tiveram o 10 e agora o zero.
Ainda nos faltaria finalmente chegar ao
5!
Ricardo Bing Reis.

FILHO DROGADITO.

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Sun. 21 Aug. 2011 13:43:24 00000

Aos meus amigos-médicos e TODOS demais internautas,
imagine-se pai de um jovem de 20 anos, usuário de coca-
ína e que costuma drogar-se e fazer rachas na Lagoa Ro-
drigues de Freitas! Chega sempre às madrugadas. E após
anos, acaba se envolvendo em acidente de carro com u-
ma morte por atropelamento.
Vai à julgamento por homicídio.
A cocaína é poderosíssimo estimulante, com alto grau
de dependência. Se, o seu sofrimento mental é tão gran-
de que te exige ser "absoluto" em perfeição, leia-se me-
galomaníaco, ou simplesmente maníaco, qualquer conta-
to com algo ou alguém que pareça melhor, lhe gera recu-
sa, aversão, raiva do outro e de si mesmo.
Em suma, conflito ou guerra interna, entre o que pen-
sa ser, o que se exige que seja e o que realmente é.
Usando a cocaína, se sente mais próximo da superhe-
roidade, afastando-se da 'comoeurealmentesouidade'.
Diminui a frustração, e, quanto mais usa, mais ainda
reduz a frustração, até que, na empolgação, e também
já na perda de noção que a droga traz, ultrapassa o limi-
te de dose não-mortal, vindo a arritmia cardíaca ventricu-
lar fibrilatória, parada cardíaca e morte; a chamada mor-
te por overdose.
Assim, se alguém escrever num papel 'Here, I'm the
best', estará escrevendo, inconscientemente e em código,
'Overdose à vista'.
Ricardo Bing Reis.

SAÚDE PÚBLICA: ASPECTOS CULTURAIS DA DROGADI-
ÇÃO.

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Sun. 21 Aug. 2011 13:43:24 00000

Aos meus amigos-médicos e TODOS demais internautas,
alguns do primeiro mundo dizem que a droga é mal do
terceiro mundo.
Mas quem são os principais receptadores?
O uso de ácool e drogas parecem ter também um com-
ponente cultural.
Não sei bem, mas suponho que o uso de cannabis na
Jamaica não seja infrequente.
Já o mesmo valeria para Holanda, e não somente maco-
nha.
Certa feita, viajando por uma cidade da Suíça, lembro ter
passado por local que era tido como drogódromo, em fim dos
80's; supervisionado pela polícia e ambulância com para-mé-
dicos, para a segurança do usuário.
Em, Helsinki, vi muitas, e mais muitas pessoas alcooliza-
das já às 15hs. Vodka. Coisa provavelmente não rara em to-
das as margens de todo Mar Báltico, incluindo interior da Rús-
sia.
A cerveja na Alemanha e Inglaterra. Whisky na Escócia.
; O meu imaginário, até pouco tempo, associava muito cer-
tos estilos com drogas: mega-tatuagens, dark, funk, heavy
metal e, lógico, reggae e surf-music com maconha. Alice Co-
oper e a banda "Kiss", meio zumbis, sempre me deram sen-
sação de drogadição, talvez sem razão de ser.
Já o estilo do 'The Cure' é paranóico, fóbico: Robert Smith
referiu que perceberam que o medo fascina as pessoas e se-
guiram por este caminho para criar seu peculiar estilo musical.
A lista de roqueiros que morreram de overdose é tão gran-
de que nem saberia por onde começar.
Ricardo Bing Reis.

SAÚDE PÚBLICA: O EQUÍVOCO DA LIBERAÇÃO DA MA-
CONHA E OUTRAS.

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Sun. 21 Aug. 2011 13:43:24 00000

Aos meus amigos-médicos e TODOS demais internautas,
sobre o tabagismo já comentamos, assim como sobre o
alcoolismo.
Maconha, ainda não. Vai agora algo sobre.
Aproveito para registrar que sou contra a legalização
da maconha, como equivocadamente preconiza o ex-pre-
sidente FHC.
Leigo, não deveria poder opinar sobre assuntos médi-
co-psiquiátricos, principalmente sendo importante faze-
dor de opiniões. Mas num país onde o ministro da saúde
pode ser um economista e o ministro da economia pode
ser um médico, tudo se espera.
Até aceito que me digam que, de qualquer forma, o
acesso já é muito fácil, todavia também aceitem estes,
por obviedade, que ficará ainda mais fácil e, acreditem, a
ocasião ainda faz o ladrão, ou seja, não são poucos os jo-
vens que estão entre o uso ou não uso; e esta facilide ad i-
cional pode ser o diferencial para o uso.
A dificultação proibitiva, por menor que possa parecer,
faz diferença na obtenção, mais a sensação de contraven-
ção, que ainda é limitante em alguns. Isto já justificaria a
proibição.
Já nos nossos tempos de estudante de medicina, a Ho-
landa era pioneira nesta de liberaração, até como forma de
controlar o mal por saber onde está. Nunca deu certo, ex-
ceto ter aquela patética cena de babacas na frente da esta-
ção ferroviária de Amsterdan, nos 80's.
Liberar para controlar é piada. Dizer-se que a droga é
fraca também, abobalha por redução em 30% da sua me-
mória e atenção
Ricardo Bing Reis.

DROGAS/ÁLCOOL E 'DSTs'.

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Mon, 25 July 2011 0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS demais internautas,
então, bebe o homem, bebe a mulher, bebe o hétero, be-
be o homo-afetivo, bebe o velho, bebe o coroa, bebe o a-
dolescente, bebe o padre, bebe a madre superior, bebe a
vadia, bebe o malandro, bebe o abstêmio, bebem os tra-
ficantes.
Ficantes, ao beber, por vezes perdem a noção e ficam,
também, com herpes e/ou papiloma vírus (na língua boba,
na garganta profunda, no cólo do útero, pinto, ânus e ore-
lha).
E as outras DSTs, como aids, sífilis, gonorréia, por não
uso de preservativo da marca "não dá nada, já dando".
Álcool suprime seu senso de precaução, te trazendo ro-
letas russas. E sempre tem 1 bala em 6.
Ricardo Bing Reis.

DROGAS/ÁLCOOL E GRAVIDEZ.

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Mon, 25 July 2011 0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS demais internautas,
então, bebe o homem, bebe a mulher, bebe o hétero, be-
be o homo-afetivo, bebe o velho, bebe o coroa, bebe o a-
dolescente, bebe o padre, bebe a madre superior, bebe a
vadia, bebe o malandro, bebe o abstêmio, bebem os fican-
tes.
Ficantes, ao beber, por vezes perdem a noção e ficam,
também, gestantes. E tendem a serem gestações indeseja-
das, na hora errada, com a pessoa errada, tendo tudo para,
muitas vezes, mas não sempre, dar no que dá.
Álcool suprime seu senso de precaução, te trazendo ro-
letas russas. E sempre tem 1 bala em 6.
Ricardo Bing Reis.

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX 

 

PAI ABE-BERRANTE.

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Subject: Pai abe-berrante.
Date: Mon, 25 July 2011 0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS demais internautas,
temos aquele gourmet ou churrasqueiro, que cozinha mas
não para comer, para beber.
E em acreditar de amigos que bebem juntos via webcam,
um em São Paulo e o outro em Toronto?
Mas existem.
São pinguços online. Tecno-borratchos.
Como fica a cabeça do filho de dez anos, que passa na sa-
la e vê seu pai nesta web-erração?
Ricardo Bing Reis.

AMIGOS COMPLICADOS.
- PARTE PRIMEIRA -

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Mon, 25 July 2011 0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS demais internautas,
outro ainda bebe e fica agressivo. Você desce a longa es-
cada de um bar em Buenos Aires, ou Venâncio Aires, e fi-
ca lá embaixo esperando este amigo descer.
Então, ouve-se barulhos e a seguir ele desce as esca-
das, mas rolando. Pós soqueado.
Vai todo mundo para delegacia, e você junto para ten-
tar ajudar.
Como ajudar este cara que você tem vontade de torcer
o pescoço.
Quando você menos espera, nestas noitadas de solteiro,
pode ser chamado à herói ou depender de um.
Alegrão levou um soco e caiu de cabeça ao lado da roda
de um carro que estava por arrancar. E, um herói de ocasião,
lhe arranca a cabeça dali antes que o carro o fizesse.
Ricardo Bing Reis.

AMIGOS COMPLICADOS.
- PARTE SEGUNDA -

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Mon, 25 July 2011 0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS demais internautas,
um chato pede carona para dupla de amigos que estava
se divertindo no bar Delírius.
É na beira da praia, mas sobre penhasco.
Para descer, cada qual tem que segurar o caronista se-
mi-inconsciente, um de cada lado. Sendo muito íngreme e
com pedregulhos, o trio escorrega e se esfola todo por cin-
co metros de escorregões.
O que fazer com um cara destes?
E aquele teu primo que se separa da namorada que gos-
tava, por estranha iniciativa própria, mas aí cai na noite e se
embebeda de segunda à segunda, falando o tempo todo de-
la, enquanto bebe!
Ricardo Bing Reis.

___________________________________________

"LIGEIROS": CONJECTURANDO EXEMPLOS DE CIRCUNSTÂNCIAS
DE PESSOAS PSICOPATAS E SOCIOPATAS.

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986_ufrgs@provedor.com
Date: Tue, 26 Jul 2011 19:50:38 +0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS os demais internautas,
os maluquetes tendem a se achar. Sempre que vem um ma-
luco na estrada, repare que logo atrás vem mais 2 ou 3. Vão
se puxando por identificação de 'serem os galos da estrada'.
E nunca sabemos com quem estamos lidando.
Por isto, cuidade com os gracejos e forma de falar para
não deixar margem à má interpretação.
Os esquentadinhos e/ou espertinhos, com certeza, são as-
sim em tudo na vida e tendem, mais cedo ou mais tarde, a pe-
gar um semelhante seu por aí, e a cobra fuma.
Um paciente de 22 anos, contou-me que fez a quela ante-
cipação de estacionamento, e o baixinho prejudicado engoliu
em seco. Quando estava saindo da lancheria, viu o baixinho
voltando à pé, se aproximou e deu-lhe um tiro que o colocou
na UTI por 7 dias, com a bala à 2 cm da coluna vertebral lombar.
Dizem que os baixinhos são mais irritados. Não sei se é fato,
mas esta história me fez lembrar disto. Não deve haver esta re-
lação.
Ricardo Bing Reis.

AMIGO (?).

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Mon, 25 July 2011 0000

Aos meus amigos-médicos TODOS demais internautas,
aquele seu amigo(?) desmiolado pede seu carro empres-
tado e você, mais desmiolado ainda, empresta.
Sai à noite e, de madrugada, bebum, resolve voltar pe-
la orla do balneário, atolando seu carro na areia fofa, vin-
do agora o mar em onda prolongada para junto, também
encomendando uma ferrugem.
Vem ajudantes(?) que, te vendo ali encalacrado e torto,
desatolam para ti o carro, mas levam-o, talvez como for-
ma de retribuição à ajuda.
Será que o carro tinha seguro?
Como ajudar este cara que você tem vontade de torcer
o pescoço?
Ricardo Bing Reis.

_______________________________________________

A PROVÁVEL INDEFERENÇA, E ATÉ MALDADE, DOS
EXCESSIVAMENTE EGOÍSTAS.

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Sat, 3 Sep 2011 00:55:13 +0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS demais internautas,
conforme eu comentava, desempenhar uma tarefa altru-
ísta isoladamente, quando deveria ser coletivamente, é
tão louvável quanto lamentável.
A parte louvável comentei no email anterior.
Mas lamentável, pois, saindo do sentido substanti-
vado da expressão, entramos no campo metafórico de
'burro' no sentido de bobo, tolo. E o erro por se permitir
à isto! Por se permitir ser explorado.
Isto pode acontecer por omissão dos irmãos; mas
também pode ser fruto de uma grave limitação do aju-
dante-mor, ou seja, sua narcísica onipotência de ser o
sabichão, oniciente, até onipresente. Dispensando, cons-
ciente ou inconsciente, qualquer tipo de ajuda, por achar
-se melhor, saber fazer melhor. Não raro em maníacos e
também em maniáticos perfeccionistas.
E não é sinal de competência deixar-se explorar, por
mais nobre que seja a ação. Não que você vá abandoná-
la, mas trazer, diplomaticamente os outros à participarem.
Dividindo tarefas.
Para fazê-lo, basta utilizar-se de sinceridade no trato
das questões e vir montado na verdade, demonstrando su-
as limitações, sua sobre-carga e necessidade urgente de di-
visão dos afazeres.
Quem se negar, bem, quem se negar, não merece o
título de 'Humano"; 'Ser' já lhe é muito. O termo 'Humano',
mesmo substantivado, lembra adjetivado.
E acreditem, já ouvi no consultório o relato de pacien-
tes que zelavam por seus pais enfermos, enquanto os ou-
tros torciam para que o desfecho fosse a morte deles, para
poder acessar a herança. Já veze-s, no plural!
É claro que, se a maldade dos outros é tal, mantenha-
se no sacrifício e faça sua parte, nem que seja tudo, pois
seus pais supostamente merecem e; pior sentimento é a
'pós', por saber não ter dado teu esforço de forma que po-
derias.
Não confundir com a culpa, fruto dAe 'achar' que pode-
ria ter feito mais, quando empreendeu sim todo seu esfor-
ço viável.
Ricardo Bing Reis.

FORMAÇÃO DE PESSOAS: O EGOÍSMO E A MODÉSTIA; A
HUMILDADE E O ALTRUÍSMO.

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com.br
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Fri. 26 Aug., 2011. 00000

Aos meus amigos-médicos e TODOS demais internautas,
reza a boa 'educ-ação', que se agradeça, e de 'cor-ação';
à críticas recebidas, que me foram sempre para o bem, no
sentido de manter se está ok; no sentido de melhorar, se
nem tanto.
Agradeço à todos os quase 60 colegas que estão em
rede na internet, por ocasião da organização da festa co-
memorativa dos nossos 25 anos de formatura, em dezem-
bro de 1986, pela Faculdade de Medicina da Universidade
Federal do Rio Grande do Sul.
Não esquecerei das sinceras palavras de incentivo,
que enviaram-me, principalmente relativo ao email "Retro-
visor", mas em vários outros também.
Não é novidade para mim, nem para vocês, que confe-
tes e serpentinas me servem.
Certa feita li algo que me caiu justo. Conforme já men-
cionei, nada tenho contra certos livros de auto-ajuda. Muito
das críticas que a eles se faz, são decorrentes que as pesso-
as querem soluções mágicas, não querem se esforçar para
botar em prática o que lêem.
Foi em algum livro desta temática que encontrei, pela
primeira e única vez, a grande diferença que existe em sig-
nificado e significância, entre duas palavras que, para mim,
até então, soavam como meros sinônimos: 'modesto' e 'hu-
milde'.
'Modesto' é aquele que se faz de humilde para receber
confetes. Guarda relação com imaturidade, necessidade de a-
parecer, carência e assim vai. Nisto eu sempre fui perito.
A modéstia é filha do egoísmo.
J á 'humilde' é aquele que, verdadeiramente, conhece ra-
zoavelmente bem suas limitações, e sabe se auto-colocar no
lugar, deixando de ser tão espaçoso. Tem a ver com maturi-
dade, auto-conhecimento e 're-conhecimento' da suas fragili-
dades, frustrações e maldades. Nada a ver com o inadequado
uso relativo à palavra 'pobreza (financeira)'; até porque é per-
tinente ao campo semânticoA da palavra 'riqueza(psíquica)',
que qualquer pessoa poderá atingir, independentemente de
sua situação sócio-econômica.
Eu acho a conquista da humildade, a mais difícil realiza-
ção de uma pessoa, pelo efeito sombra dos mecanismos de de-
fesa do ego, dentre os quais, o projetivo; minha principal arma
para livrar-me dos meus 'podres', vendo-os nos outros, mas
nunca em mim!... É menos doloroso assim, não acham? Mas
impede o crescimento, filho da dor. É aquela tal frase: 'crise é
oportunidade'. Para refletir, ponderar, decidir, agir, e memori-
zar para 'a-preender' a lição, reaplicável num futuro, se neces-
sário for; ou auxiliar alguém que precisa deste aprendizado, não
raro os filhos. É o pai experiente.
A humildade é mãe do altruísmo.
Mas este amadurecimento psíquico, não guarda conotação
necessária com a idade, embora seja de se esperar nos mais i-
dosos, pelo somatório de mais experiências. No entanto, sem-
pre temos aqueles vários que não evoluem, até involuindo à
menos que nada com o passar dos anos, em contraste com jo-
vens que amadurecem cedo. Porém cuidado, maduro demais cai
do galho e apodrece.
Aí comecei a entender o "conhece-te a ti mesmo", difícil de
achar dentre o "só sei que nada sei" de mim mesmo, por minhas
próprias negações.
Ricardo Bing Reis.

EMAIL ENVIADOS PARA AMIGOS

POSSÍVEL DEPRESSÃO EM QUEM TENTA AJUDAR
ALGUÉM EM SOFRIMENTO.

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Fri, 2 Sep 2011 13:55:35 +0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS demais internautas,
uma pessoa necessitada de ajuda por transtorno mental
ou doença somática local ou sistêmica, sem que seja in-
tencional, causa um roubo energético naquele que lhe a-
juda, podendo gerar-lhe depressão, talvez mais ainda se
o diagnóstico do necessitado é também uma Depressão.
Também pelo sentimento de culpa por eventuais mo-
mentos de raivas, emprego de tempo, faltas ao trabalho,
redução do tempo com sua família basal, gastos extras de
dinheiro, etc.
E pior, muitos que padecem e/ou são deprimidos, fun-
cionam como que buracos negros, que consomem todas
as energias que se apresentarem ao seu redor.
Ajudar uma pessoa assim, demanda energia do apoi-
ador. Se o doente não reage, toda energia despendida ten-
de a ser em vão.
Como, até a energia nuclear tem limite, entende-se que
a da tua cuca também vai acabar, talvez até antes do que
acabaria a de uma usina nuclear.
E a pessoa continuará lá, tal e qual quando deste início
à ajuda apoiativa em estimulação animatória. E, a única di-
ferença em relação ao estágio inicial, é que agora também
você acaba como ele; ele que continua a se encontrar co-
mo se encontrava.
Talvez por isto se diz que o pessimismo contamina. Tam-
bém por isto um mega-empresário americano(ou não), que
não sei quem é, se recusa a sentar numa mesa de negocia-
ções, se nela tiver um único pessimista que seja.
Ricardo Bing Reis

PAIS OFUSCADOS E PERTURBADOS PELO TRABALHO.

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
Subject: Conjecturando... -20.
Date: Mon, 25 July 2011 0000

Aos meus amigos-médicos TODOS demais internautas,
quando aluno da disciplina de Psiquiatria na Faculdade
de Medicina da UFRGS, um professor mencionou certo
trabalho científico que apontava que, dentre as profis-
sões, a que tinha maior número relativo de alcoólatras
eram os médicos.
Em casa de ferreito, o espeto é de pau mesmo.
Quase todos médicos são 'workholics', como se isso
fosse uma virtude. Seu trabalho é sim virtuoso, mas a
forma como exercem, em sua maioria não o é, pois sa-
crificam a si e, bem pior, aos seus. E a conta vem...
E, pasmem, dentre estes, os psiquiatras eram os ma-
is numerosos!
Talvez só tenha me pasmado mais ainda quando sou-
be que filho de um psiquiatra, não sei da onde, se suici-
dara. Para minha tola fantasia até então, isto, pela Lógi-
ca, não seria lógico.
Era espeto de pau demais em casa de ferreiro...
'Tô fora'.
Ricardo Bing Reis.

EMAIL ENVIADOS PARA AMIGOS

MODÉSTIA E HUMILDADE.

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com.br
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Fri. 26 Aug., 2011. 00000

Aos meus amigos-médicos e TODOS demais internautas,
reza a boa 'educ-ação', que se agradeça, e de 'cor-ação';
à críticas recebidas, que me foram sempre para o bem, no
sentido de manter se está ok; no sentido de melhorar, se
nem tanto.
Agradeço à todos os quase 60 colegas que estão em
rede na internet, por ocasião da organização da festa co-
memorativa dos nossos 25 anos de formatura, em dezem-
bro de 1986, pela Faculdade de Medicina da Universidade
Federal do Rio Grande do Sul.
Não esquecerei das sinceras palavras de incentivo,
que enviaram-me, principalmente relativo ao email "Retro-
visor", mas em vários outros também.
Não é novidade para mim, nem para vocês, que confe-
tes e serpentinas me servem.
Certa feita li algo que me caiu justo. Conforme já men-
cionei, nada tenho contra certos livros de auto-ajuda. Muito
das críticas que a eles se faz, são decorrentes que as pesso-
as querem soluções mágicas, não querem se esforçar para
botar em prática o que lêem.
Foi em algum livro desta temática que encontrei, pela
primeira e única vez, a grande diferença que existe em sig-
nificado e significância, entre duas palavras que, para mim,
até então, soavam como meros sinônimos: 'modesto' e 'hu-
milde'.
'Modesto' é aquele que se faz de humilde para receber
confetes. Guarda relação com imaturidade, necessidade de a-
parecer, carência e assim vai. Nisto eu sempre fui perito.
Já 'humilde' é aquele que, verdadeiramente, conhece ra-
zoavelmente bem su as limitações, e sabe se auto-colocar no
lugar, deixando de ser tão espaçoso. Tem a ver com maturi-
dade, auto-conhecimento e 're-conhecimento' da suas fragili-
dades, frustrações e maldades. Nada a ver com o inadequado
uso relativo à palavra 'pobreza (financeira)'; até porque é per-
tinente ao campo semântico da palavra 'riqueza(psíquica)',
que qualquer pessoa poderá atingir, independentemente de
sua situação sócio-econômica.
Eu acho a conquista da humildade, a mais difícil realiza-
ção de uma pessoa, pelo efeito sombra dos mecanismos de de-
fesa do ego, dentre os quais, o projetivo; minha principal arma
para livrar-me dos meus 'podres', vendo-os nos outros, mas
nunca em mim!... É menos doloroso assim, não acham? Mas
impede o crescimento, filho da dor. É aquela tal frase: 'crise é
oportunidade'. Para refletir, ponderar, decidir, agir, e memori-
zar para 'a-preender' a lição, reaplicável num futuro, se neces-
sário for; ou auxiliar alguém que precisa deste aprendizado, não
raro os filhos. É o pai experiente.
Mas este amadurecimento psíquico, não guarda conotação
necessária com a idade, embora seja de se esperar nos mais i-
dosos, pelo somatório de mais experiências. No entanto, sem-
pre temos aqueles vários que não evoluem, até involuindo à
menos que nada com o passar dos anos, em contraste com jo-
vens que amadurecem cedo. Porém cuidado, maduro demais cai
do galho e apodrece.
Aí comecei a entender o "conhece-te a ti mesmo", difícil de
achar dentre o "só sei que nada sei" de mim mesmo, por minhas
próprias negações.
Ricardo Bing Reis.

POSTADO EM REDES SOCIAIS

NATAL

Ricardo Bing Reis Assim como no Natal, onde temos os natalianos circunstanciais e os perenes; aqui, também em novoanianos, poderia-se talvez, dizer novamente, que temos os circunstanciais e os perenes.
30 de dezembro de 2012 às 01:26

Ricardo Bing Reis Os novoanianos circunstanciais seriam aqueles do momento, das 23:59:59 para o 00:00:01; com explosão de alegria incontida e até eufórica, quiçá maníaca. Ou de bebedeira mesmo. Muitos abraços demasiado apertados em quem pouco conhecemos, com movimentos lateralizados exagerados nos que conhecemos, gritos de 'hu-húuu' e outras atitudes que, se vista no vídeo no dia seguinte, não fariam assim já tanto sentido.
30 de dezembro de 2012 às 01:31

Ricardo Bing Reis Os novoanianos circunstanciais, tem seus 15 minutos de alegria, pouco mais, pouco menos. Certamente, 15 dias é um prazo exagerado. 5 está bom.
30 de dezembro de 2012 às 01:32

Ricardo Bing Reis Estes, são os que fazem promessas, que tem pedidos, que tem desejos. Que se impõe metas para de um segundo ao outro. São os de soluções instantâneas. São os imediatistas. Aqueles que julgam que suas vidas vão mudar pela simples troca da folha do calendário. Tomam lentilha, usam roupas brancas, pulam no pé direito, pulam 7 ondas... Tudo surreal, tudo num passe de mágica.
30 de dezembro de 2012 às 01:38

Ricardo Bing Reis Prometem que vão emagrecer 8 quilos até o final de janeiro, vão para de fumar às 00:00:01 de 2013, vão ser felizes, finalmente felizes. E, vão parar de tomar Coca-Cola, não vão mais comer doces, farão exercícios, não se envolverão em relacionamentos difíceis, abandonarão seu relacionamento já difícil, entrarão em um relacionamento, mesmo difícil.
30 de dezembro de 2012 às 01:41

Ricardo Bing Reis Estas pessoas buscam uma REVOLUÇÂO. Pretendem revolucionar suas vidas não planejadas, ou muito mal planejadas. Não tem um plano de vida. Não se obstinam em melhorar á longo prazo, não se preparam para a vida. Não tem um projetio de vida. Não sabem que uma vida se faz a cada dia, de miuitos anos. Mas de forma concatenada, elaborada, precavida, com riscos calculados, persistência na busca de um viver suficientemente satisfatório. E, observe que, até agora, não a palavra 'felicidade'. Não tinha falado. Até porque ela não faz parte das necessidades deste dia em si, nem dos demais. Felicidade não é uma necessidade. Nem sei bem o que sria felicidade. cada um julga como quiser. É, talvez, a palavra de mais ampla livre iniciativa interpretativa que conheço.
30 de dezembro de 2012 às 01:48

Ricardo Bing Reis Não querem o ônus, apenas o bônus. Não querem empreender esforços psico-mentais em suas pseudo empreitadas na busca de uma vida suficientemente satisfatória. Vivem empurrando os anos, sempre a mesma coisa. Curioso: são os mais histéricos na virada. Foguetes, rolhas para lá e para lá de novo, etecétera. E parece que se identificam, se encontram para confraternizações verborrágicas hollywoodianas.
30 de dezembro de 2012 às 02:05

Ricardo Bing Reis Concordam-se em tudo. Acharam a lâmpada do gênio. O mundo fica lindo de um instante ao outro. Se auto rotulam de plenamente felizes. Isto tudo é tão tolo que, justo nesta tolice, e por causa dela, acabam mesmo sendo plenamente felizes!...
30 de dezembro de 2012 às 02:31

Ricardo Bing Reis Os novoanianos perenes, paradoxalmente, não vêem assim tanto motivo para alarde na virada. Tudo porque não esperam contraste entre um ano e outro. Buscam uma sequência, uma sucessão de fatos, ora positivos, ora negativos, mas que, no somatório, tem uma resultante-vetor no sentido do objetivo traçado para si, por si, como sendo o caminho correto para uma vida suficientemente satisfatoria. É um dia após o outro. Bem como o dia anterior não foi ruim (embora longe de maravilhoso), este 1° de janeiro seguirá o rumo do ano anterior.
30 de dezembro de 2012 às 02:36

 

POSTADO EM REDES SOCIAIS

Ricardo Bing Reis Estas pessoas não buscam uma REVOLUÇÃO, mas sim uma EVOLUÇÃO. Suas idéias, seus pensamentos concatenados, o direcionam ao amadurecimento de si, tolerância (no sentido de acolhimento), para consigo mesmo e para com os outros. Tem projetos de vida com METAS PROPORCIONAIS E ALCANÇÁVEIS. Dão-se prazos coerente para as execuções. Não raro, de anos.
30 de dezembro de 2012 às 02:39 ·

Ricardo Bing Reis Foi assim com Darwin, que, obstinadamente, perseguiu sua teoria sobre a 'Evolução das Espécies' após 20 anos de pesquisa e auto-didatismo observatório, contemplativo. Lutou quase que contra tudo e contra todos para conseguir expôr sua tese com tamanho fundamento, que apenas radicalistas cegados por suas crenças puderam se opôr à tanta verdade.
30 de dezembro de 2012 às 02:43

Ricardo Bing Reis Com relação à segunda parte da frase acima (...'que 2013 seja um ano de 365 grandes celebrações'...) >Perguntaria: Alguém, em algum lugar do mundo, já ouviu falar que certa pessoa tenha conseguido algo em torno de 20% disto? Caso sim, não seria de revisar e reavaliar suas fontes?
1 de janeiro às 11:05

Ricardo Bing Reis Com relação à primeira parte do pensamento, acho que extraído de música muito popular (...'Este ano, quero paz no meu coração, quem quiser ter um amigo, que me dê a mão'...) > à mim soa como um exemplo típico daquele que pensa poder processar, em si, melhorias por decreto.
1 de janeiro às 11:08

Ricardo Bing Reis Se quer paz no coração, estaria ele em guerra? Se tomado de raiva e irritabilidade desproporcional, medo e ansiedade desproporcional, tristeza e depressão desproporcional; e até já angústia e aflição; a 'solução' é se auto determinar que de agora em diante simplesmente deixará de ser assim?
1 de janeiro às 11:11

Ricardo Bing Reis Se fôsse, como se explicaria o mercado cada vez mais em ebulição para psiquiatras, psicoterapeutas, livros de filosofia e até auto-ajuda? É claro que não se melhora de vida por REVOLUÇÂO, mas sim por EVOLUÇÃO. Se não há planejamento de vida, nada acont...Ver mais
1 de janeiro às 11:22

Ricardo Bing Reis É muito fácil, se auto-determinar que a solução (mágica) se estabelecerá entre 23:59:59 e 00:00:01. É bem difícil planejar-se para ter uma vida suficientemente boa para daqui, por exemplo, 5 anos, mediante esforços e plano de ação. Mas esta segunda par...Ver mais
1 de janeiro às 11:30

Ricardo Bing Reis Isto tudo pois, muitas promessas e desejos, implicam em mudanças de perfil de personalidade e comportamental. Como iniciar estas mudanças se quase todos focos a serem mudados/administrados estão em nossos pontos cegos? É muito difícil passar a vê-los p...Ver mais
1 de janeiro às 11:37

Ricardo Bing Reis Dentre as promessas REVOLUCIONÁRIAS, algumas até podem dar certo, como parar de fumar e parar de beber. Não é fácil, mas pode. Seria o efeito de choque em si mesmo, por raiva de si mesmo em estar se auto-destruindo. Jà a perda de peso, digo, o livrar-se de peso, em geral, exige um certo planejamento. Não perdemos peso, mas livramo-nos dele. É muito difícil vêr-se obesos com mais de 80 anos. Magros, já é frequente.
1 de janeiro às 11:41

Ricardo Bing Reis E o consumismo? Ah, o consumismo... A palavra chave da publicidade e propaganda, parece ser a o termo "FELICIDADE'. Talvez seja o maior objeto de desejo de todos. E, sendo o maior objeto de DESEJO, é o que tem o maior VALOR AGREGADO (leia-se DINHEIRO)....Ver mais
1 de janeiro às 11:48

Ricardo Bing Reis Não acho que seja interessante cobrar-se FELICIDADE, mas acho interessante uma busca incessante por uma VIDA SUFICIENTEMENTE BOA. Apenas diminuindo o grau de exigência consigo mesmo (coisa que o mercado de consumo se encarrega muito bem de sobrecarregá-lo), já o aproxima bastante da segunda proposta.
1 de janeiro às 11:51

Ricardo Bing Reis Como é a festa de Ano Novo do anualista perene? Bem provavelmente animada, embora pareça que, dado o descrito, tender-se à insunuar ser sem graça e alento. Isto por observação da evolução que se obteve (mesmo que discreta) do Ano Novo anterior à este, ...Ver mais
1 de janeiro às 11:57

Ricardo Bing Reis Assim, a melhor promessa de Ano Novo, talvez seja prometer-se que vai deixar 'o desejar de via boa à esforço quase zero, mediante revolução', e tentar passar á uma vida paulatinamente melhor, mediante plano de vida evolutivo. Talvez lento, mas que prog...Ver mais
1 de janeiro às 12:04

Ricardo Bing Reis Se boa parte do que escrevi fôr coerente, poderia concluir, por lógica, a correta forma de desejar à cada qual: 1- se novoniano circunstancial: "Feliz Ano Novo"; 2- se novoniano perene: "Um Ano Novo Sucifientemente Satisfatório". A primeira forma é mais tentadora, a segunda é mais real.
1 de janeiro às 12:12

KKKKKKKKKKKKKKKKKK

Ricardo Bing Reis Aqui, está em tom de ironia, no entanto, é um dos distúrbios mais incríveis da medicina, na minha opinião. Por um lado, pode ser justo o fator de sucesso social de uma pessoa; por outro, uma ruína pessoal. Se os comportamentos são bipolares, as consequências, porque seriam diferentes? Até cabe a ironia, desde que respeitosa àqueles que deste mal padecem. Como em tudo.
9 de dezembro de 2012 às 01:53 · Curtir · 2

Ricardo Bing Reis Até onde eu sei, existem 4 graus de bipolaridade. Vai desde um grau leve (nível 4), algo em torno de ciclotimia, até o grau 1, em penetração máxima da afecção. Acho que as oscilações de emoções/humor fazem parte da vida de um indivíduo normal; na ciclotimia, haveria um plus; e daí seguiria. E, as fomas e frequências como se apresenta tal distúrbio são tão variadas, que não surpreende haver diagnósticos à mais e à menos. Até nisto o distúrbio parece ser bipolar.
9 de dezembro de 2012 às 02:21 · Curtir

Ricardo Bing Reis Um amigo de Rede Social nunca é um intrometido. Mas, um contribuinte. Exceto pessoas inadequadas, que podem então, serem convenientemente bloqueadas, sem que isto signifique desprezo pelo outro (que muitas vezes nem conhece pessoalmente). Uma grave problemática que observo, é a interpretação. É muito fácil uma pessoa interpretar algo escrito por outrem, de forma diferente do que intencionou aquele. O que pode gerar desconfortos. Em uma conversa pessoal, cara à cara, a neurolinguística corpórea, manual e facial, complementam a fala. A escrita é crua. Portanto, muito perigosa. Quem opina e vai por 'achismos', como faço, se expõe muito à possibilidade de erros seriados. Logo, é muito difícil não ter medo de errar. O que, nem sei ser ou não uma qualidade. Quem escreve o que quer, está sempre ao risco de ser, sorrateiramente, socialmente excluído, paulatinamente.
9 de dezembro de 2012 às 02:50

 

POSTADO EM REDES SOCIAIS

TENTAR > Ao tentar uma coisa inédita, a chance de passar por louco é muito grande. Convém nem comentar muito. As pessoas ficam se olhando, como quem pensa e pensando, 'que maluquice, de onde tirou esta idéia'. Se pensar à margem do senso comum, sofre força de resistência no sentido inverso. Foi assim com Darwin. Talvez por isto, muitos somente tem suas obras reconhecidas após a morte; foi assim com Van Gogh.

'NA TEORIA A PRÁTICA É OUTRA' > Em fato, você lê compêndios sobre

Comportamento Humano e depois, aqui no cotidiano, as coisas são diferentes. Falta coisa prática e menos blá, blá, blá. Parece que a solução de todos os males está em academias de ginásticas e esportes em geral. Ou na alimentação. Nada mais se fala além disto, ou muito pouco. As soluções parece que são mágicas, ou escreve-se lá o que dá para botar a poeira debaixo do tapete, o que é mais fácil.

Ricardo Bing Reis TENHO RESTRIÇÕES ÀS 3 FRASES. PODE SER ASSIM, MAS PODE NÃO SER. DEPENDENDO DAS CONDIÇÕES PSICO-MENTAIS E PERFIL DE PERSONALIDADE DA PESSOA ELA PODE: 1- NO 'MOMENTO FELIZ' SUBESTIMAR AS DIFICULDADES (PRINCIPALMENTE SE FIM DE SEMANA, FERIADÕES, FÉRIAS E FESTAS); 2- NO 'MOMENTO TRISTE', PODE SEQUER CONSEGUIR CONCATENAR ADEQUADAMENTE AS IDÉIAS PARA O DIGNÓSTICO E FORMAS DE SAÍDAS DA DIFICULDADE; 3- NO 'MOMENTO DIFÍCIL', PODE-SE TRANSFORMAR FORMIGAS EM ELEFANTES. ACHO.

HISTÓRIA NATURAL E HISTÓRIA DA CIVILIZAÇÃO EM APENAS 2 MINUTOS. INCRÍVEL!

O CONSCIENTE & O INCONSCIENTE, FREUDIANO.

Ricardo Bing Reis Meus conhecimentos não abrangem com segurança o campo do 'inconsciente' psicanalítico. Para mim, ainda é uma coisa meio mágica, misteriosa e instigante. Onde tudo é possível e impossível ao mesmo tempo. Sinto-me inseguro nestas areias movediças. Dizer que nos sonhos o inconsciente viria ao consciente, tem sentido. Mas nunca consegui entender porque o inconsciente viria à tona no chiste. E, parece que Freud também citou a hipnose e as livres associações como outras formas de acesso ao inconsciente. Mas entendo tudo isto mais à nível inconsciente que consciente. Ou seja, praticamente nada.
9 de dezembro de 2012 às 02:01

Ricardo Bing Reis Já o 'inconsciente' psiquiátrico (se é que se pode falar assim), seria um cosmos bioquímico onde, acertar as medicações, exige um dom artístico do médico, nas combinações do arsenal medicamentoso existente. Tal como é uma arte, acertar receitas de culinária. É como a alquimia medieval evoluída ao presente e futuro. Também ainda um campo de estudo muito obscuro; portanto, acho complexo demais.
9 de dezembro de 2012 às 02:08 ·

Ricardo Bing Reis Talvez se pudesse dizer que o primeiro 'inconsciente' fosse adjetivado e, o segundo, substantivado. Caso sim, também substantivado seria o 'inconsciente' neurológico, em semântica de perda da consciência no sentido de vigilia/estar acordado; popularmente o desmaio ou ainda o coma. E por aí vai. Melhor pesquisar...
9 de dezembro de 2012 às 02:14

TANTO QUANTO APRENDER A OUVIR UM NÃO?

Ricardo Bing Reis Talvez a principal reação à qualquer perda, com destaque à morte, seja a NEGAÇÂO.
25 de novembro de 2012 às 00:59 ·

Ricardo Bing Reis Minha mãe já dizia: um 'não' tu já tens ao evitar uma tentativa de conquistar um trunfo. Vai atrás de um possível sim'.
25 de novembro de 2012 às 01:01

POSTADO EM REDES SOCIAIS

TANTO QUANTO APRENDER A OUVIR UM NÃO? CONT

Ricardo Bing Reis Kierkergaard (ou algo parecido) sentenciou: 'Arriscar-se causa ansiedade, mas deixar de arriscar-se, é perder para si próprio'. Algo em torno disto. Então pergunto: existe coisa pior que perder para si mesmo? Sempre que quis uma coisa, tentei. Muitos foram os 'nãos', mas me satisfazia pensar que eu fiz o que podia ter feito e, se não deu certo, era porque não dependia de minhas condições. Dorme-se bem assim, acredite. O 'não' de fora não é perturbador. O 'não' de dentro de si mesmo, é auto-humilhante.
25 de novembro de 2012 às 01:06

Ricardo Bing Reis O 'NÂO' E A 'NEGAÇÂO' > Saber dizer e ouvir, com sinceridade, os 'nãos' verbalizados é sinal de maturidade. Já negar internamente os fatos de forma desproporcional ao que seria de bom senso (isto é, a NEGAÇÂO persistente e perturbadora a perdas das mais variadas origens e intensidades), seria o contrário: imaturidade. Logo, as alavras 'não' e 'negação', embora possam ter a mesma raíz, produzem árvores e frutos bem distintos.
25 de novembro de 2012 às 01:12 ·

Ricardo Bing Reis Acho que a 'negação' é necessári em certos momentos. Ruim quando exagerada e que nos cega. Por exemplo, pensar na morte e em sofrimentos o tempo todo é ruim. Há de se negar boa parte por mecanismo de defesa. Por outro lado, negar isto totalmente, também não é bom. O equilíbrio se impõe. Como? Não sei bem!...
25 de novembro de 2012 às 12:12
Ricardo Bing Reis NEGAÇÂO > Minha avó costumava dizer que muitas pessoas mentiam para os médicos. Na faculdade, também alerta-se os acadêmicos desta possibilidade. Mas, hoje em dia, penso ser raro tal atitude. Mas, 'um exemplar' dos idos tempos, com 82 anos, esteve comigo consultando 4 vezes nos últimos 6 meses. E, em todas as primeiras 5, disse que NUNCA fumou. Na última, esta semana, foi pela primeira vez com a esposa, e perguntei de novo, apenas para confirmar, e a esposa disse que fumara até os 50anos (e por 30 anos)! Teria ele faltado com a verdade com medo de um diagnóstico desagradável? Seria então medo? Acho que a NEGAÇÂO é uma forma de evitação, talvel undamentada pelo medo. Medo do sofrimento, das perdas e da morte. A ansiedade e a fobia impediriam a pessoa de buscar a verdade, mesmo que tal proceder lhe auto-prejudique? A sonegação de informação destas, pode sim ser um divisor de águas no diagnóstico. Espero que os jovens nunca venha a dar-se tiros no pé desta forma. Vale principalmente para o toque retal no exame de próstata.
30 de novembro de 2012 às 22:34 ·

Ricardo Bing Reis Troquei a ordem entre 4 e 5.
30 de novembro de 2012 às 22:35

FAZ-SE MAIS SIMPATIAS PARA CONSIGO MESMO DESCREVENDO-SE POR VIDA FÁCIL, BOAS NOTÍCIAS E BEM VIVER (?); OU O CONTRÁRIO? COMENTÁRIO 'ACHISTA': JÁ QUE A VIDA É DIFÍCIL MESMO E ESTAMOS NO MESMO BARCO, ACHO QUE NINGUÉM GOSTA DE VER SALTAREM DO BARCO DEIXANDO DE REMAR JUNTO CONTRA A MARÉ, NADANDO PARA A PRAIA MAJESTOSA PEGAR SOL!... PODE SER TRISTE PENSAR ASSIM, MAS A MIM PARECE QUE É ASSIM QUE FUNCIONA.

Ricardo Bing Reis Logo, talvez não se trate exatamente de 'inveja', mas de sentir-se traído no colúio e cumplicidade que a civilização teria na luta grupal (e em mutirão) contra a Natureza que, se de um lado nos trouxe e nos ajuda, de outro quer nos levar...
25 de novembro de 2012 às 12:49

LAMENTO OS PARVOS QUE JULGAM SER SINAL DE FRAQUEZA TER OU PASSAR POR DIFICULDADES; TER OU PASSAR POR TRANSTORNOS E/OU DISTÚRBIOS MENTAIS. TAIS PARVOS É QUE SÃO FRACOS CULTURALMENTE. NÃO SABEM PARA QUE SEUS NEURÔNIOS VIERAM À SUAS CABEÇAS E, SE TAIS NEURÔNIOS NÃO TIVESSEM VINDO, NADA MUDARIA.

NÃO VEJO MAL NENHUM EM ABSORVER OS PENSAMENTOS DE UM SÁBIO. TODOS NÓS NASCEMOS COM NOSSOS CÉREBROS VAZIOS DE INFORMAÇÕES. TALVEZ COM POTENCIAIS DIFERENTES, MAS VAZIOS. ASSIM, APENAS MEDIANTE OBTENÇÃO DE PREMISSAS PODE-SE PENSAR. LOGO, TODOS SOMOS A CONCATENAÇÃO APARTIR DO QUE FORAM (E FOI PENSADO) DOS QUE NOS ANTECEDERAM NO MUNDO. ACHO.

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

 

ACIDENTES > Pessoas competentes estão também sob constante risco de acidentes profissionais. Você pode fazer TUDO certo durante 20 anos de profissão. Basta 1 engano, erro ou acidente para ser crucificado. É assim com todo mundo em todos os lugares do mundo. E ainda corre o risco de ser processado. No processo, ninguém vai analisar tudo o que você fez de correto, vão se ater apenas naquele lapso específico. Tecnicamente e Juridicamente (com'J' maiúsculo) pode ser perfeito; mas, ao meu ver, não é muito moral e nem justo (com 'j' minúsculo). Mera opinião, sujeita à muita tormenta!

Ricardo Bing Reis Agora, que foi gozado foi. Acompanho futebol há 45 anos, pois meu pai, fanático, já me levava ao futebol com 3 ou 4 anos. Naquela época, não havia perigo algum nos estádios, nem em transitar à noite. Em todos estes anos, destacaria este, pois, como pode-se ver no minuto 1:10, a bola quase atingre a câmera que foca 'do céu'. Gozado, mas não crucificável!
16 de novembro de 2012 às 12:19

Ricardo Bing Reis E, só erra quem faz. Ele tem cabeça boa. Riu de si mesmo e disse que a cobrança foi horrorosa. Isto é bom humor e vivência; reiterando que não foi a primeira vez que errou penalty e nem será a última.Aquela distância exagerada que toma e a estranha corrida em zig-zags, até o escorregão, fez-me lembrar o Jerry Lewis.
16 de novembro de 2012 às 12:22

 

SOCRÁTICOS, EPICURISTAS, CÍCERO, SÊNECA, MONTAIGNE E DESCARTES SERIAM BONS EXEMPLOS DISTO?

Ricardo Bing Reis Não concordo muito que os Filósofos citados sejam exatamente exemplos disto. Embora criativos (principalmente René Descartes), vejo neles nem tanto criação, mas muito mais a MATURIDADE. Suas vivências profundamente elaboradas e transferidas ao papel ou similar, que se tornou, por felicidade nossa, em eternos ensinamentos; permitindo-nos, tomar atalhos ao melhor viver. Pena que muitos fiquem pelo funk, pelo pagode e novelas, ao invés de lê-los. Nada contra diversão, mas deixar esta se expandir ao fútil, é como metástases da tolice. Também nada contra funk e pagode, desde que eu não precise ouvir.
15 de novembro de 2012 às 14:30

 

Gaste seu tempo

Ricardo Bing Reis SEI DE UM EMPRESÁRIO, MAS NÃO SEI QUEM É, QUE DIZ NÃO SENTAR-SE EM UMA MESA DE REUNIÃO, POR EXEMPLO, COM 20 EXECUTIVOS SE, DENTRE ELES, HOUVER 1 PESSIMISTA QUE SEJA. É O SUFICIENTE PARA JOGAR ÁGUA GELADA NOS PLANOS E IDÉIAS DE TODOS OS OUTROS. É CONTAMINANTE, TAL GRIPE ESPANHOLA. COMPORTAM-SE COMO AQUELE CACHORRINHO DA 'CORRIDA MALUCA' DOS ANOS 70: 'ISTO NÃO VAI DAR CERTO'!...
13 de novembro de 2012 às 22:33 ·

FILOSOFAR É APRENDER A MORRER > SEI QUE PRATICAMENTE NINGUÉM SE INTERESSA POR ESTE TIPO DE ASSUNTO. SEI QUE PRATICAMENTE NINGUÉM QUER FILOSOFIA APROFUNDADA E SIM ASSUNTOS AMENOS E DIVERTIDOS. MAS TAMBÉM SEI QUE HÁ UMA MINORIA QUE PERCEBE ESTAR, JUSTO NOS ASSUNTOS 'INDIGESTOS', A BOA 'DIGESTÃO' DA VIDA. PENSO ASSIM. E, SE MONTAIGNE, QUE É MONTAIGNE, TAMBÉM PENSA ASSIM, SINTO-ME MUITO BEM RESPALDADO PARA VIR 'MONTADO NA VERDADE'... MAS, RESPALDO É SÓ UM RESPALDO, NADA MAIS! IMAGINE SE ELE ESCREVESSE POSTAGENS NO FACEBOOK? SERIA EXECRADO POR MUITOS E MUITOS. SORTE DELE QUE MORREU À SÉCULOS.

XXXXXXXXXXXXXXXXXX

O APOCALIPSE MICROBIANO> 'LEI DO MAIS FORTE: ONDE O MAIS FORTE EXTERMINA O MAIS FRACO'. ESTA TOLA LEI, SE É QUE EXISTE, EXISTE APENAS NA CABEÇA DESTES, TOLOS. NÃO É UMA LEI DARWINIANA. 'LEI DO MELHOR ADAPTADO': ESTA LEI SIM É GENIAL, É SIM UMA LEI DARWINIANA, DE UM GÊNIO, CHARLES DARWIN E SEUS SEGUIDORES, OS NEODARWINISTAS. ASSIM, O (BEM) MENOR, PODE, COM MUITA FACILIDADE, EXTERMINAR O 'GRANDÃO'. SÃO OS VÍRUS E AS BACTÉRIAS, DENTRE OUTROS MICROORGANISMOS, QUE PODEM NOS MATAR EM 24 HORAS... HAVERIA NO FUTURO UM APOCALIPSE INVISÍVEL A OLHO NÚ, POR CONSEQUÊNCIA DAS DEVASTAÇÕES ECOLÓGICAS DO PLANETA E SEUS DESEQUILÍBRIOS NAS FORMAS DE VIDA, PRINCIPALMENTE AS INVISÍVEIS?

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

CASO VOCÊ TENHA UM DISTÚRBIO E/OU TRANSTORNO PSICO-MENTAL, É FÁCIL IMAGINAR QUE MUDANÇAS DE LUGAR NÃO APLACARÃO O DEFICIÊNCIA, EMBORA POSSA ATÉ ATENUAR. VISTO ESTAR DENTRO DE SI, E NÃO FORA DE SI. CASO VOCÊ OS TENHA, MAS ESTEJAM ADEQUADAMNETE EQUACIONADOS POR TRAMENTO PSICO-MENTAL; OU NÃO TENHA QUALQUER TRANSTORNO E/OU DISTÚRBIO MENTAL SIGNIFICATIVO, AINDA ASSIM, UM CRÔNICO E LEVE MAL ESTAR TENDE A ACOMPANHÁ-LO ONDE QUER QUE ESTEJAS. PORQUE DE NOVO, ESTÃO DENTRO DE SI, E NÃO NOS FATORES AMBIENTAIS. ISTO É APENAS UMA SUPOSIÇÃO MINHA. VEJO ISTO COMO 'INSATISFAÇÃO CRÔNICA BASAL/MÍNIMA'. ASSIM, IDEALIZEI MINHA INÉDITA TEORIA HIPOTÉTICA DO 'ETERNO E INATO DESCONTENTAMENTO INERENTE A TODOS OS SERES HUMANOS'. MESMO NOS DITOS SAUDÁVEIS. É UM PLATÔ MÍNIMO DE DSECONTENTAMENTO, SEM O QUAL, AS ESPÉCIES NÃO DIVAGARIAM, POR EXEMPLO, À PROCURA DE COMIDA PARA SUA FOME. É UM SENTIMENTO PARA O BEM DA ESPÉCIE, EMBORA RAZOAVELMENTE DESAGRADÁVEL. ATIVIDADES VARIADAS PODEM 'MASCARÁ-LO'. ASSIM. MESMO QUE VOCÊ ESTEJA EM UM FLAT NA VIEIRA SOUTO (RJ) DE FRENTE À IPANEMA, FRENTE AO MAR, SE ALI FICARES PARADO CONTEMPLANDO, LÁ PELAS TANTAS TENDERÁ A VIR TAL SENTIMENTO BASAL. É UMA PRAGA QUE GRUDA COMO UM CHICLETE SE ADERE APARTIR DA CADEIRA À CALÇA DE TERGAL, DE ESTUDANTE VÍTIMA DAS SACANAGENS DE QUARTA SÉRIE NOS ANOS 70!...

XXXXXXXXXXXXXXXXXX

XXXXXXXXXXXXXXXXXX

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

 

SARTRE > O mestre do 'Existencialismo', que não 'existe' mais fisicamente; mas sim pela sua obra, que 'existirá' para sempre. É bela forma de eternizar-se: deixar pensamentos. Eu, pessoalmente, não temeria tanto em me arriscar, acrescentando que "viver é tentar equilibrar-se, o tempo todo, por 'tentativas e erros'; na minha opinião, tentativas que resultam em muito mais erros que acertos". Daí não desanimar; daí a necessidade do equilíbrio, por auto-controle constante e contínuo. Senão, vamos chutar tudo que 'existe'; numa forma bizarra de 'existencialismo'.

FELICIDADE - Adote atitudes que elevam esse sentimento

Ricardo Bing Reis ÓCIO CRIATIVO > Preconizo o 'ócio criativo', ou seja, o culto aos seus prazeres, como a forma mais adequada para trazer ao nível mínimo/basal do, por mim, suposto e provável, "Eterno e Inato Descontentamento do Ser Humano" (já discutido em outros trechos).
21 de junho de 2012 às 23:30

Ricardo Bing Reis Pode parecer pouco, mas ter níveis significativamente menores do 'eterno e inato descontentamento dos seres humanos', já é muito; se não fôr, ainda, o máximo possível...
21 de junho de 2012 às 23:39

Ricardo Bing Reis Caso você seja ou esteja muito infeliz, considere seriamente, como sucesso e ser vitorioso, conseguir diminuir seu grau de infelicidade; mesmo que ainda infeliz.
23 de junho de 2012 às 23:36

Ricardo Bing Reis Cuidado com o anseio de ter uma 'Família Margarina', onde tudo dá certo, onde tudo é perfeito. No (quase total) mais das vezes, isto é irreal; embora o ambiente possa sim ser bom ou suficientemente bom.
1 de julho de 2012 às 13:01

PROCRASTINAÇÃO > Até que ponto você está 'empurrando' tudo sempre para amanhã? E ainda mais, até que ponto você está empurrando também sua felicidade sempre para amanhã? Resumindo, até que ponto você está deixando sua vida passar?

Ricardo Bing Reis Na foto ilustrativa do artigo, tem-se um homem digitando no facebook; imagino que insinua-se que 'perde' muito tempo na rede social; tempo que deveria estar usando para outras atividades, mas não as executa, empurra para cada amanhã que vem, diariamente.
21 de junho de 2012 às 20:52

Ricardo Bing Reis Outra limitração das redes sociais seria o uso prolongado, indo-se dormir tarde demais, fazendo com que seu dia seguinte seja um martirio, pelo cansaço, determinado pela privação do sono. E, consequente, ansiedade, irritabilidade e depressão, inerentes anexos da sonolência. Viajar dirigindo nestas condições seria de grande perigo. Caso objetive, por exemplo, dormir às 24 hs, abandone o uso às 23 hs, visto levar 1 hora para baixar a adrenalina de um cerebro em atividade. Se desligar às 11:50 para dormir às 24hs, em verdade deormirias apenas à 1h da madrugada.
21 de junho de 2012 às 21:01

FELICIDADE ADOTE ATITUDES QUE ELEVAM ESSE SENTIMENTO.

Ricardo Bing Reis Meia-idade > alguns, dizem-me estar eu com pensamentos e comportamentos de 80 aos 50; quando, segundo eles, inconvenientemente e precocemente, sinto a idade estar chegando e não serem as coisas tão 'vivas' quanto outrora; embora não melhores. Então, fico a pensar, sem certezas: 'será que tais pessoas não viveram tal um cinquentão dos 20 aos 40? Ou seja, será que não foram 'mornos' durante todos estes 20 anos, de tal forma que, hoje, estando, tal qual eu, aos 50, não notam diferença do que sempre foi, por ter sido sempre assim? Coincidentemente, observo que aquele que me dizem isto, são, na minha lembrança os mornos de outrora. Nada mais lógico que continuarem mornos; nada diferente de sempre. Já aqueles que conhece com vidas energéticas e emocionantes, concordam mais comigo. Talvea até pudesse se dizer feliz dos mornos crônicos, que não sente o tempo passar, sendo tudo eternamente igual para eles. Não sentem decadência, isto é, não sentem o apogeu e o ocaso, pois nunca atingiram o apogeu. Logo, como ter o ocaso? Viveram num paltô onde nunca nada de tão especial acontece. E, extrapolando, o mesmo vale para beleza física. Uma pessoa mais bela, talvez tenda a sofrer mais com a perda da sua beleza, pois foi bela. Já a não bela, talvez não sinta tanto a decadência física, pois nunca experimentara a beleza. Desta forma, aquele que teve vida energética e/ou fisicamente bela ou ambos, tende a ter vivido a vida dos 20 as 40; em contra-partida, aquele que não teve vida energética e/ou fisicamente bela ou ambos; tende a não ter vivido a vida de forma viva dos 20 aos 40. Assim, aos 50, 60, 70, 80; continua tudo igual. Talvez por isto, muitos digam que, aos 80, se sentem como tivessem 20! Também pudera... Este texto é polêmico e tende muito mais à discordâncias que concordâncias; se é que há concordâncias.
21 de junho de 2012 às 22:18

Ricardo Bing Reis A beleza perdida mediante a idade chegando, pode ser um fator de frustração. E, este fator de frustração, pode ser o vetor à busca do 'forever young', mediante procedimentos e/ou cirurgias plásticas estéticas de rejuvelhescimento. Acho. Já os jovens que recorrem às plásticas, talvez o façam por verem em si deformidades reais que lhe causem constrangimentos (e até bullyings). Mas também poderia ser por uma necessidade competitiva de ser melhor que os outros, numa busca neurótica pela beleza acima de tudo; até acima do bom senso. Já aquele que se vê dismorficamente perante o espelho, enchergando em si o que não existe, deve ser encaminhado para acompanhamento psiquiátrico/psicoterapêutico. Acho.
18 de agosto de 2012 às 17:52

Ricardo Bing Reis Segundo Epicuro e os epicuristas, a felicidade (ou menor infelicidade), estaria em um tripé de custo zero: 1- Amigos; 2- Vida de auto-análise, auto-conhecimento e auto-controle; 3- Não me lembro. Acrescentaria o que preconizo: 'tempo livre para a prática do ócio criativo'. Considero-me um epicurista ciceriano senecariano.
18 de agosto de 2012 às 17:59

MORTE > Uma visão mais espiritualizada, da vida e da morte. Abordagem não neurocientífica. É, no mínimo, um vídeo histórico.

Ricardo Bing Reis Nos primórdios, ele e Freud eram muito amigos, trocando cartas e idéias. Com o tempo, Jung começou a tender para uma faceta mais esotérica, o que desagradou de tal maneira à Freud, que romperam a amizade. Em sua origem, Freud era um médico Neurologista, que estudadra na França com Charcot ('top' na época), tendo depois participados de estudos sobre a histeria, no final do século XIX. Também mantinha amizade com um Otorrinolaringologista chamado Fliess (ou algoo assim), e elocubraram que a respiração nasal teria relação com transtornos mentais. Até que operaram um padecente mental e, no trans-operatório da cirurgia do septo nasal, o sangramento foi tão grande, que o paciente quase morreu. O susto foi tão grande que nunca mais tocaram no assunto. Felizmente. Sangramento nasal, em termos médicos, é 'epistaxis'; sendo 'epi' do grego 'cabeça', e 'taxis' do grego 'sangue'. Isto porque achavam que o sangue que saía pelo nariz, vinha da cabeça, ou seja, do cérebro. De uma certa forma, não é risível, pois crises de hipertensão podem causar epistaxis, o que, por raciocínio em extensão, serviria como aviso de que, o próximo sangramento poder ser no próprio cérebro, isto é, um 'derrame cerebral', dito AVC Hemorrágico. Assim, não por linhas tortas, mas por linhas inversas, os gregos estariam certos.
24 de junho de 2012 às 00:47

FELICIDADE ADOTE ATITUDES QUE ELEVAM ESSE SENTIMENTO. CONT.

Ricardo Bing Reis Corpo são, mente sã! (?). Tenho minhas dúvidas. Já vi muitas e muitas pessoas fisicamente saudáveis, até 'saradas', doidas. Muito doidas. Logo, discordo. Até exercitarem-se de forma 'adoidada'. Pessoalmente, penso que os exercícios físicos, moderados, tem 2 principais finalidades: 1- melhorar as fibras musculares estriadas, diminuindo as dores articulares e musculares; 2- melhorar o sistema cárdio-vascular. E ponto. Inclusive como fator de emagrecimento, julgo, em minha visão particular, que o exercício é, de longe, um sub-produto de uma ingesta controlada à níveis reduzidos. As pessoas que querem emagrecer, talvez devessem sim, fechar mais a boca. Até acho (muitíssimo) perigoso obesos fazendo certas séries de exercícios.
28 de outubro de 2012 às 00:47

Ricardo Bing Reis Já o exercício forçado, teriam, também ao meu ver, os seguintes efeitos: 1- desgastes articulares dos pés, dos joelhos, dos tornozelos, do quadril, da coluna vertebral (toda); 2- sobrecarga cárdio-vascular, com efeito inverso ao do execício moderado, com risco, inclusive, de infarto; 3- possível até masoquismo inconsciente, disfarçado de prazer (prazer em se auto-mutilar); 4- divulgar o trabalho de preparadores físicos através da 'saradice' de seus alunos (como que vitrine de seus trabalhos). Felizmente, poucos são os profissionais de Educação Física com este comportamento egoísta, em detrimento da real saúde de seus alunos. Os que conheço, são competentes e cientes. Além da falsa idéia veiculada por 'alguns certos' preparadores físicos (?), de que o exercício forçado faz bem, visando assim aumentar seu mercado de trabalho. Isto tudo, sem mencionar o mercado financeiro, com propagandas estimulandos empreitadas físicas, para vender tênis, camisetas ultra-leves e outras mirabolâncias desportivas. É assim todos os dias e o dia todo no jornal, televisão, mídias online, etc. É um 'bombardeio' de que 'quanto mais sarado melhor(!)'...
28 de outubro de 2012 às 00:59 ·

FELICIDADE ADOTE ATITUDES QUE ELEVAM ESSE SENTIMENTO. CONT.

Ricardo Bing Reis Então, o que eu consideraria 'exercício moderado'? Natação em 'quilometragem' pré-calculada por especialista; e, caminhadas: meia-hora 3 vezes por semana, está mais que bom; segundo Dr. Prof. Adib Jatene. Observação: em piso regular, para evitar entorses e desgastes às articulações, músculos, fáscias e tendões.
28 de outubro de 2012 às 01:04 ·

Ricardo Bing Reis Corridas, musculação no limite (tem gente que chega a gemer se exercitando!), a mim parece exageros. Esportes a nível de competição, tal os Olímpicos, somente fazem bem (?) aos sádicos que assistem. Embora belos esportes, seriam, acho, 'bonitos mas ordinários'. Pense bem antes de sair por aí correndo e levantado 'sacos de cimento'. Consulte antes um médico especializado em Medicina do Esporte. Avalie suas condições físicas cárdio-vasculares, respiratórias, metabólicas, musculares, ósseas, articulares e outras. Não se auto-medique através dos esportes.
28 de outubro de 2012 às 01:09

Ricardo Bing Reis Se o que escrevi estiver correto, parece mais coerente a frase 'psiquismo maduro, mente (quiçá ainda medicamentosamente regulada) sã'. Mente sã, seria fruto de mente sã. Já os exercícios, seriam ótimos complementos. Se você sofre de um Transtorno Psíquico e/ou Mental, pode ficar todos os dias 4 horas na academia que de nada vai adiantar. Procure ajuda profissional adequada e complemente com exercícios. Mas não faça destes exercícios, sua tábua da salvação. Acho.
28 de outubro de 2012 às 01:15

ENTENDENDO PORQUE O NOME DO MEU SITE É "O SOFRIMENTO HUMANO E A MORTE" E NÃO "A FELICIDADE HUMANA E A VIDA". Ricardo Bing Reis.

Ricardo Bing Reis www.citador.pt

Citações e Frases - Citador - Citações, Frases, Aforismos e Pensamentos por milhares de temas e auto
www.citador.pt
Maior Base Temática de Citações e Frases em Lingua Portuguesa. Milhares de Frases e Citações
18 de junho de 2012 às 01:02

ARRISCAR-SE > "Arriscar-se, recomendável e prudente apenas dentro de uma boa dose de bom-senso, também causa ansiedade. Deixar de arriscar-se, é perder para si próprio". Por alguém e daptado, talvez Kierkegard (e, talvez, se escreva assim).

APAIXONADO(A) MALA > É o(a) que 'pega no pé'. Fissurado(a), persegue, é onipresente. Aparece onde quer que você esteja. Não respeita limites, nem que impostos pela 'vítima'. Como ele bem diz no vídeo: 'você deve achar que sou bobo, louco e histérico'. E, é bobo, louco e histérico.

SAUDADE > Quando se mora no exterior, muitas vezes nos dizemos:...'quero ver minha família, meus amigos e amigas'. É o 'homesickness'? É como se não tivéssemos passado. Como se não tivéssemos passado naquele país; porque não se tem mesmo. E, não ter passado, é algo de 'vazio' dentro de si. Chegar de pára-quedas num mundo estranho. Ninguém sabe como você é; e, muito menos, se entende porque se é assim.

MÚSICAS 'DOWN' > Músicas tristes me mazem ficar triste, músicas alegres me fazem ficar alegre. Como eu prefiro ficar alegre à triste, ouço apenas músicas alegres. O mesmo vale para filmes e leituras. Já estudar 'o sofrimento humano e a morte' não me gera tristeza, mas fortificação. É diferente. É real. Nem chega a ser triste, já que é pensar sobre a vida como ela é, sem disfarces. Retornando, minha filha estava triste vendo um filme onde um cão espera seu dono voltar de uma viagem que não terá volta, pois morreu. Mas ele, fiel, fica ali na estação do trem dias e dias.

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

VALORIZANDO A TEMPORALIDADE > Se o passado te causa depressão, administre-o. Não há como esquecê-lo, está registrado em sua memória. Esta frase, quanto ao passado, não resultará efeito, pelo fato de não ter, por si só, capacidade de espanar o sua mente. Quanto ao futuro, obviamente ele é ansiogênico, pois lá estão as incertezas. As dúvidas e o oculto, quanto à velhice, causam, naturalmente e, inequivocamente, ansiedade. A única certeza do futuro é a morte. Assim, por tudo isto, esta frase não aplacará as invitáveis dificuldades devir. Então, também administrar a invitável ansiedade e programar sua velhice, para atenuar as surpresas. E, o presente, este é um presente. Tentar aproveitar, à despeito de depressões e ansiedades. Ah, e as irritações seria particularidade do presente? Pergunto, pois não foi citada, apenas a utópica paz absoluta. Já a paz, a penso em, no máximo, relativa; e, ainda, aquela relativa à maturidade e tolerância.

PRESTAÇÃO DE SERVIÇO E EMPREENDEDORISMO > Ouvi agora às 17:30 no rádio. Um executivo americano, precisando de cartões urgente, foi à uma gráfica em San Francisco, onde letreiro dizia:
'Oferecemos:
* Qualidade;
* Rapidez;
* Preço baixo'.
O cliente sempre quer tudo; assim, este letreiro é tudo que um cliente deseja encontrar. Mas, o fornecedor nunca pode dar tudo o que o cliente quer, senão, fecha! Desta forma, o letreiro, logo abaixo das 3 qualidades, tinha escrito:
' - Escolha 2 - '
Genial.
Se você quer 'qualidade' e 'rapidez', o preço não pode ser baixo.
Se você quer 'qualidade' e 'preço baixo', só farão quando puderem.
Se você quer 'rapidez' e 'preço baixo', não pode ser de tanta qualidade.
Portanto, tenha bom senso. Quando atrás de um produto e/ou fazendo uma encomenda, considere que, o que você quer é tudo; o que o prestador/fornecedor pode dar é um par. Embora haja excessões.

VALORIZAÇÃO TEMPORAL > Este valorizou o passado, também o presente. E, nos seus últimos escritos, o futuro; principalmente em 'O Mal Estar da Civilização' e troca de cartas com Albert Einstein. Então, fica difícil dar crédito para frases que recomendam negligenciar o passado e o futuro, em prol do presente.

 

 

XXXXXXXXXXXXXXXX

'NÃO SABER' > O 'não saber' é o ponto de partida, e o ponto final. Quanto mais se estuda, qualquer assunto, mais aumenta a fronteira para com o desconhecido. E, quando percebe o quanto não sabe, é que sabe o máximo possível.

QUALIDADE DE VIDA > Muitos falam sobre isto. Mas nada dizem além de atividades físicas, alimentação saudável e estresse laboral. Absolutamente nada se fala sobre a parte mental-psíquica. Se, os itens citados fossem suficientes, os atletas do mundo seriam, todos, ou quase, muito felizes. Nunca li nada a respeito de que isto seja uma comprovação científica. Ignora-se os 'Transtornos e Distúrbios Psico-Mentais', um possível 'eterno e inato descontentamento do ser humano', vidas de cotidianos difíceis, vidas de existência difícil, obstáculos múltiplos e coisas correlatas, necessidade de 'tempo livre para o ócio criativo'. Nisto, ninguém fala. É muito mais fácil levar a temática para uma ótica objetiva, que para uma complexa ótica mista, objetivo-subjetiva. Até porque, implicaria em um universo de variáveis. E, o mundo cartesiano, principalmente o ocidentalizado, tem dificuldades em lidar com as múltiplas possibilidades. Precisa de fatos concretos, bem delimitados, matematicamente estruturados e, se possível, com setas explicativas em eneagramas, além dos percentuais. O 'e' e o 'ou', sempre superam o 'e/ou'. Mas, com certeza, René Descartes, um gênio, estivesse vivo, não aprovaria tal forma limitada de pensar, e mais, ficaria triste em saber que à isto se dá o nome de cartesianismo. Ele não merece.

Ricardo Bing Reis Nuno Cobra > dizia que às vezes não estamos doentes, mas com falta de saúde. E que, às vezes, não estamos deprimidos, mas com falta de prazer. É verdade. Mas, falando assim, ele volta ao ponto de partida do que disserto. Refiro-me à um sentido mais amplo, que transcende a ótica física; e não somente a relação específica com saúde física.
12 de junho de 2012 às 00:26 ·

XXXXXXXXXXXXXX

 

ALEGRIA > Em janeiro, estava no Rio de Janeiro e peguei um táxi. Como as distâncias são longas e os taxistas quase sempre gostam de conversar, ia dialogando com um deles e, não lembro porquê, veio conversa sobre ele ter sido motorista de um diplomata estrangeiro riquíssimo, por 2 anos. E, que certa feita, um destes meninos de rua que fazem malabarismos básicos com bolas de tênis no semáforo fechado, estava o fazendo com alegria, com sorriso. E, o taxista complementou que frente à isto, a esposa do diplomata olhou para ele e sentenciou: ...'veja só, aquela criança muito pobre é mais feliz que você, com toda esta tua fortuna, mas sempre de cara amarrada!... Este vídeo, explicita isto pela menina.

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

ARTIMANHAS COMPORTAMENTAIS> Pessoas de pouca criatividade, talvez tenham inveja das criativas. São burocráticas e não construtivas. Logo, em caso do controverso, não conseguem desenvolver seus pareceres de forma pessoal, já que dali, não se cria nada de novo. Assim, a única arma é tentar trazer-te para o lugar comum, do senso comum, onde é expert. Mas este lugar comum, 'é irritante ao criativo, pela falta de criatividade'. E, assim, a artimanha do não-criativo se consolida: a irritação dificulta a razão, tendendo à 'ganhar no grito', no que, o destrutivo também é expert. Ou seja, na baixaria, no bate-boca. Para tudo isto ser possível, o cri-cri terá que ter te deslocado do local incomum, ou restrito senso. Por outro lado, se você cai nessas, é porque seu 'restrito senso' não está tão apurado assim. Está faltando-lhe capacidade de perceber e detectar com que cérebro está conversando. Considere que estes tipos de cérebros não tem nenhum compromisso com a coerência e que, portanto, não vale a pena entrar nesta conversa caótica. O melhor, talvez seja dizer: '...Não adianta jogar a isca lá adiante, pois não vou buscar!'... Acho.

BIPOLARIDADE > Van Gogh (nuca tenho certeza das escritas dos nomes), em suas cartas ao irmão Theo, deixava transparecer suas oscilações de humor entre depressão e euforia/mania. Também isto se refletia na sua pintura. Nas fases maníacas, muitas cores. Nas fases depressivas, muito cinza, preto, corvos e nuvens de chuva. Em certa ocasião, cortou um pedaço da orelha. Li, num periódico, que sofria de um zumbido insuportável e acreditava que, cortando parte da orelha, poderia livrar-se dele. Obviamente não funcionou. Ou teria sido, isoladamente, por auto-mutilação. Vendeu apenas 1 quadro em vida; e sobrevivia por escassas doações mensais de seu irmão Theo. Diz-se que se suicidou. Mas, há poucos dias, ouvi no rádio que estudioso da vida dele, considera a hipótese de ter sido assassinado!? Não tenho certeza de nada do que escrevi.

Ricardo Bing Reis Li que todos temos uma oscilaçãao de humor como parte do fisiológico. Um grau levemente aumentado, seria a ciclotimia, da mesma forma que uma leve depressão, algo um pouco acima do fisiológico, seria a distimia. Em graus mais acima, teremos assim a bipolaridade e a depressão unipolar. Portatanto, sim.
7 de junho de 2012 às 04:03

CRAZY > LOUCO E LOUCURA: sua definição é difícil, pois é palavra popular, não médica; que talvez, seja utilizável para qualquer 'transtorno e/ou distúrbio da mente' que transcendem os limites da 'normalidae' (que nada mais é que o 'comum'). Ser normal, não é necessariamente ser 'saudável', significa meramente estar na 'norma', ou seja, no 'senso comum'. Que, convenhamos, de saudável não tem lá muito. Alguns enchem a boca para se dizerem serem 'normais'. E, acreditem, são mesmo, pois dali, nada além de um mero 'senso comum' sairá.

Ricardo Bing Reis Assim, sendo o 'senso comum', comum, estes, por maioria, tácitamente, por medo de serem loucos (e, por consequente auto-defesa), rotulam-se como não-loucos; enquanto que, todos aqueles diferentes deles, seriam então os loucos.
3 de junho de 2012 às 23:50

Ricardo Bing Reis Assim, os loucos seriam aqueles do 'senso restrito', ou seja, uma minoria. E, esta minoria, se divide em duas partes: aqueles que tem um 'transtorno e/ou distúrbio mental' de grau grave/severo; e aqueles do 'bom senso'.
3 de junho de 2012 às 23:53

CRAZY > LOUCO E LOUCURA CONT.

Ricardo Bing Reis Ambos são estranhos à ótica popular comum, portanto, loucos; já que o diferente não poderia ser o saudável, com o que sobraria à eles, o não-saudável.
3 de junho de 2012 às 23:55

Ricardo Bing Reis Assim, rotula-se de louco o padecente de distúrbio mental severo; rotula-se de louco os 'geniais', que tendem a ver o outro lado da moeda nas diferentes temáticas. Não são poucos os gênios na História da Humanidade que são 'tirados para loucos'; até Albert Einstein e Salvador Dali. São excêntricos, mas geniais.
3 de junho de 2012 às 23:58

Ricardo Bing Reis Talvez a 'loucura' seja a temática mais ansiogênica, depois da temática 'morte'. Por que o medo de ser louco ou de vir a enlouquecer? Talvez por que, na Idade Antiga e Idade Média, eram crucificados, enforcados, decapitados, etc.
4 de junho de 2012 às 00:00

CRAZY > LOUCO E LOUCURA CONT.

Ricardo Bing Reis Mas, registraria ainda que, todo aquele que consegue chegar ao 'senso restrito', em sua parcela de 'bom senso'(no sentido de 'sofisticação' da palavra 'bom'); o fêz por ter uma motivação, e esta, até prove em contrário, a mim parece ter partido do outro pólo do 'senso restrito', ou seja, daqueles padecentes de severos distúrbios mentais. Mas que não foram suficientemente limitantes, conseguindo assim, fazer a virada, passando de 'louco' para 'louco de bom', por auto-ajuda ou hétero-ajuda (palavra que não tem conotação nenhuma com sexualidade). Fêz do limão, limonada. Mas, se rigoroso formos, tendo partido de onde partiu e ficado excêntrico (mesmo que pelo bom senso), será ainda assim rotulado de louco, justo pela excentricidade. Agoera, certo é que, aquele oriundo do 'senso comum', ´por falta de motivação, jamais chegará a lugar nenhum do 'senso restrito'; e, se chegar, será pela faceta do severo distúrbio da mente.
4 de junho de 2012 às 00:10

CRAZY > LOUCO E LOUCURA CONT.

Ricardo Bing Reis Pessoas do 'senso comum', tem dificuldade de abordar, com serenidade, a temática 'velhice' e 'morte'. Pois, mal conseguem controlar suas ansiedades (se de perfil mais fóbico); nem suas negações (se de perfil mais maníaco).
4 de junho de 2012 às 00:13

Ricardo Bing Reis Justo aí pode estar o componente da 'loucura humana'. Fomos jogados aleatoriamente num planeta, onde muito mais não sabemos do que sabemos. E, os 'saberes', sempre tem ainda uma grande margem para dúvidas. E, onde a única certeza é a finitude, a morte. Isto não é enlouquecedor?
4 de junho de 2012 às 00:16

Ricardo Bing Reis No vídeo, 'saem' várias pessoas de dentro de uma. Para mim, ficou uma interpretação pessoal das 'distintas formas de loucura' que podemos ter dentro de cada um de nós. Medo, ansiedade, fobia, pânico, estresse pós-traumático, depressão, vazio, negação, inconformismo, mania, bipolaridade, estado boarderline, psicose, estado catatônico, paranóia, esquizofrenia, agressividade. E, os que extrapolam, ou seja, os anti-sociais, psicopatas e sociopatas.
4 de junho de 2012 às 00:24

 

CRAZY > LOUCO E LOUCURA CONT.

Ricardo Bing Reis Gostaria ainda de destacar, que tudo relatado no comentário anterior, sobre a descrição das 'distintas formas de loucura', não são loucuras à ótica médica; até porque, 'loucura', nem sequer é uma terminologia médica. São diagnósticos e, todos, perfeitamente passíveis de melhorismos; mediante medicamentos e/ou técnicas psicanalíticas. Nada de 'hospícios', que, de uma certa forma, eram 'depósitos' ou 'reservatórios' de 'loucos'. Daí também o medo de 'ser ou ficar louco'; isto é, acabar lá!
4 de junho de 2012 às 00:29 ·

Ricardo Bing Reis Já que, todos temos, no mínimo, traços de personalidade que incluem umas ou várias 'distintas formas de loucura'; somos, como popularmente se diz, todos loucos; ou, para-fraseando Caetano Veloso(?), 'de perto ninguém é normal(no sentido de saudável mental)'.
4 de junho de 2012 às 00:32

Ricardo Bing Reis Sob a luz da ciência médica, isto posto sobre 'sermos todos loucos', não é compatível; sendo classificados como 'Transtornos e/ou Distúrbios' do psiquismo e/ou da mente. Nunca como 'loucura'; de onde, agora, paradoxalmente, deriva o 'ninguém é louco'. Que loucura isto tudo!
4 de junho de 2012 às 00:35

Ricardo Bing Reis Como talvez tenha-se observado, não citei o 'TOC', ou 'Transtorno Obsessivo-Compulsivo'; propositalmente, para ilustrar que, esta música, soa fascinante para mim, parece hipnotizar, pela miscelânea de sentimentos que me desencadeia. E, ainda é daquelas que, obsessiva e compulsivamente, não sai da nossa cabeça pelo resto do dia. Embora, nem sequer seja bem do meu estilo preferencial.
4 de junho de 2012 às 00:39

 

 

CRAZY > LOUCO E LOUCURA CONT.

Ricardo Bing Reis Finalizando, que sejamos 'loucos do bem', ou o 'bomluco'; e não o 'louco do mal (psicopata)', que é o 'mal-louco(maluco)'. Agora, desconfiem mesmo, daqueles que se auto-intitulam como 'normal com toda certeza'!...
4 de junho de 2012 às 00:46 ·

Ricardo Bing Reis Os bebês recém-nascidos (30 dias iniciais de vida), teriam um cérebro caótico, muito além de uma 'psicose fisiológica'; e, a medida que vai se desenvolvendo o período de lactente (até 2 anos de vida), ocorreria a integração de si mesmo em si mesmo. Por exemplo, evolutivamente, passaria a reconhcer aqueles pés que passou a ver, como sendo seus, e assim por diante. Isto até poderia ser considerado uma forma de loucura. Felizmente, ninguém rotula os sedutores bebês de loucos. A 'loucura' poderia ser reproduzida em conteúdo de sonhos (tenho alguns aberrantes), e em situações de certas paixões, onde perde-se a noção.
4 de junho de 2012 às 21:22 ·

Ricardo Bing Reis Situações de perigo e risco de vida, como, por exemplo, um assalto armado, pode desencadear uma crise ('surto') de pânico, quando o cérebro, por excesso de descarga de catecolaminas/adrenalina, entra em 'colapso', instalando-se um caos cerebral, onde perde-se grande parte do poder de raciocínio. É a popular 'atucanação'. E, as sequelas, semelhante mas em menor grau de intensidade, seria a síndrome do estresse pós-traumático. Também desencadeia o mesmo mecanismo, uma crise de raiva/ira, ou seja, fúria. Assim, o mecanismo é comum de 2, sendo o medo e a raiva os 'gatilhos'. Tal caos cerebral, poderia ser considerada uma forma de 'loucura aguda', súbita.
4 de junho de 2012 às 21:57 ·

EU, EU, POR MIM MESMO > Assisti um DVD sobre a vida e morte de George Harisson, que referia a separação dos Beatles por 'egos inflamados', em especial de Paul e John. Vida entre sócios de empresa pode ser parecido. Casamentos também. Onde há quaisquer 2 seres humanos também. Mas voltando aos 4ever, o caso deles foi agravado, incrivelmente, pelo que todo mundo quer: criatividade. Talento demais atrapalharia? Devido ao excesso de criatividade, sobravam músicas excelentes, que não mais cabiam nos diversos discos; principalmente em 67, 68, 69. Daí as brigas pelas gravações. George não conseguia espaço para as suas, tanto que, assim que separaram-se, lançou um álbum triplo, de nome significativo (em desabafo e avalanche de músicas represadas): 'All the songs should pass' (ou mais ou menos isto).

DEPRESSÃO, CANSAÇO, SONOLÊNCIA DIURNA > A SONOLÊNCIA DIURNA E SEU CONSEQUENTE CANSAÇO, PODE SER CONFUNDIDO, PELA PRÓPRIA PESSOA E/OU PROFISSIONAL 'PSI', COMO DEPRESSÃO; POIS ESTA, TAMBÉM, NÃO RARO, SE ACOMPANHA DE SONOLÊNCIA E CANSAÇO. MAS PODE SER, MERAMENTE, POR PRIVAÇÃO DE SONO. PARA DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL, TALVEZ SEJA INTERESSANTE UM 'TESTE BELO(A) ADORMECIDO(A)', TENTANDO AUMENTAR AS HORAS DE SONO. OU SONO QUALITATIVAMENTE INSUFICIENTE, POR EXEMPLO, POR RONCO COM APNÉIA. MAS, SEMPRE CONSIDERAR UMA INVESTIGAÇÃO SISTÊMICA, INCLUINDO OS HORMÔNIOS SEXUAIS, DA TIREÓIDE, ETC; E AS DEZENAS DE OUTRAS AFECÇÕES QUE PODEM CAUSAR ASTENIA (PARA NÃO DIZER, POTENCIALMENTE, TODAS OU QUASE TODAS DOENÇAS). POR FIM, TAMBÉM CONSIDERAR O 'BURN OUT', OU FADIGA CRÔNICA; POR 'WORKAHOLICISMO'. ALÉM DE FILHO RECÉM-NASCIDO...

TRISTEZA E DEPRESSÃO > ASSISTA OS 15 CURTOS VÍDEOS SOBRE O ASSUNTO. MUITO ESCLARECEDOR.

Ricardo Bing Reis É genética. Tende a se manifestar 'per si', mais cedo ou mais tarde; embora situações de perdas na vida possam antecipar o desencadeamento, como um estopim. Por exemplo, não passar no vestibular, divórcio, negócios mal feitos, perda de pessoa querida, etc.
2 de junho de 2012 às 21:00

ESCOLA DA VIDA > APRENDENDO COM OS PRÓPRIOS ERROS: HÁ QUEM RECOMENDE APRENDER COM OS ERROS DOS OUTROS, OU POR LEITURAS. TAMBÉM É VÁLIDO, MAS NÃO TENDEMOS A ACHAR QUE CONOSCO SERÁ DIFERENTE? ATÉ QUE ACONTECE. SOMENTE ENTÃO SE APRENDE.

RESSALVA > NÃO EXISTE QUEM SEMPRE VENÇA. ACREDITO EM 2 TIPOS DE PESSOAS FRENTE ÀS DERROTAS, PERDAS, FRUSTRAÇÕES E FRACASSOS: 1- AQUELA QUE SE ABATE E PÁRA DE TENTAR, POR MEDO DE MAIS E MAIS FRACASSOS. OU SEJA, SE RETRAI; 2- AQUELA QUE SE AFETA, MAS VAI DE NOVO (DESDE QUE NÃO SEJAM INVESTIDAS 'SUICIDAS', ISTO É, DENTRO DA REALIDADE POSSÍVEL E VIÁVEL). ENFRENTA, LUTA, TEM FORÇA DE VONTADE. MAS, CONVENHAMOS, É MUITO DIFÍCIL, EMBORA NECESSÁRIO TENTAR, MANTER-SE SEMPRE NESTE 'ITEM 2'.

Ricardo Bing Reis NÃO SOMENTE NÃO ACREDITO EM QUEM 'SEMPRE VENÇA', QUANTO EM QUEM CONSIGA, SEQUER, MAIS GANHAR DO QUE PERDER. NA VIDA EM GERAL. E, SEM QUE ISTO SIGNIFIQUE SER FRACASSADO. PENSO EM FRACASSO, SE DESISTIR SEM 'LUTA'. DESISTIR, MAS TENDO LUTADO, ALÉM DE SER UMA VITÓRIA PESSOAL DE SI PARA CONSIGO (EMBORA SEM TRIUNFO E SEM TRUNFO), É CONFORTANTE, CONSOLADOR; E, INTELIGENTE.
3 de junho de 2012 às 01:58

 

VERDADEIROS PROBLEMAS > AMIGO MEU, ESTEVE JANTANDO COM CASAL DE CONHECIDOS E, ESTE, DESABAFOU DIZENDO-LHES QUE HOJE, ELES TEM RAIVA DAS PESSOAS QUE SE QUEIXAM DA VIDA POR MOTIVOS QUE, À ELES, SOAM BOBOS, RIDÍCULOS, MESQUINHOS. MOTIVO: A FILHA DELES, DE 15 ANOS, ESTÁ SOFRENDO DE DOENÇA NEUROLÓGICA RARA; E, PRATICAMENTE, JÁ PERDEU A VISÃO POR ISTO, DENTRE VÁRIAS OUTRAS LIMITAÇÕES GRAVES. QUANDO SOB EFEITO DO 'ETERNO E INATO DESCONTENTAMENTO DO SER HUMANO', LEMBRAR DE COISAS ASSIM, SERIA ATENUANTE, EM FUNÇÃO DO FATOR COMPARATIVO. MAS NA PRÁTICA, RARAMENTE NOS LEMBRAMOS DE PENSAR ASSIM. PENA.

XXXXXXXXXXXXXXX

XXXXXXXXXXXXXXXX

Acho melhor ?????????????

Especial pra vc Ricardo,
"Quanto mais nos elevamos, menores parecemos aos olhos daqueles que não sabem voar." (Friedrich Nietzsche).

Ricardo Bing Reis EM APARENTE RACIOCÍNIO OPOSTO; MAS EM VERDADE, O MESMO: 'QUANTO MAIS SE SABE E ESTUDA, MAIS AUMENTA A MARGEM (OU BORDA LIMITE) PARA COM O DESCONHECIDO'. ATÉ QUE, DE TANTO SABER, SE CONCLUI: 'SÓ SEI QUE NADA SEI'. MESMO NO QUE SOMOS 'EXPERT' PROFISSIONALMENTE, MUITÍSSIMO MAIS NÃO SABEMOS QUE SABEMOS. E, PARA MIM, O REALMENTE BOM 'EXPERT' SABE DISTO. SE NÃO SABE, AINDA NÃO CHEGOU AO NÍVEL IDEAL. NO MÍNIMO, AINDA FALTA MATURIDADE PROFISSIONAL. QUE NÃO SIGNIFICA, NECESSAIAMENTE, ANOS E ANOS DE PRÁTICA; EMBORA PENSE EU QUE, ISTO É SIM, MUITÍSSIMO IMPORTANTE. E, ASSIM, TAMBÉM NA VIDA. OS TOMBOS E ESCORIAÇÕES ENSINAM A CAMINHAR.
26 de maio de 2012 às 15:32

HUMILDADE > ESTA, OUVI HOJE NO RÁDIO, E COMPLEMENTO POR UMA LEITURA DE 5 ANOS ATRÁS. 'HUMILDADE' NÃO TEM QUALQUER RELAÇÃO COM POBREZA. DIZER QUE ALGUÉM É DE 'ORIGEM HUMILDE' NO SENTIDO DE 'POBRE', NÃO PARECE SER ADEQUADO. NÃO QUE O POBRE NÃO POSSA TAMBÉM, SIMULTANEAMENTE, SER HUMILDE. TANTO QUANTO O RICO PODE SÊ-LO. GUARDA AINDA MENOR RELAÇÃO COM A 'SUBSERVIÊNCIA', SUBMISSÃO. A ORIGEM ETIMOLÓGICA DA PALAVRA 'HUMILDADE', VEM DE 'HUMOS'. AQUELA TERRA ESCURA, RICA EM MINHOCAS, ULTRA-FÉRTIL. ASSIM, SERIA AQUELA 'PESSOA COM O PÉ NO CHÃO (TERRA)'. OU SEJA, QUE NÃO VIVE EM FANTASIAS MIRABOLANTES, QUE NÃO VIVE NO MUNDO DA LUA, QUE NÃO SE IMPÕES METAS INALCANÇÁVEIS, QUE NÃO SE ACHA O(A) CARA, NÃO QUER SER MAIS DO QUE É, NÃO QUER VIVER DE APARÊNCIAS. VIVE A REALIDADE. REPETINDO, VIVE A REALIDADE. E, VIVER A REALIDADE É CONHECER A SI MESMO, SABER DE SUAS LIMITAÇÕES E NÃO TENTAR DIZER E/OU FAZER O QUE NÃO SABE. MAIS AINDA, SABER QUE TENDE A ESTAR CERCADO DE PESSOAS IMATURAS E COMPREENDER ISTO COMO SENSO COMUM, NÃO SE IRRITANDO COM ELE. É A TOLERÂNCIA, MARCA REGISTRADA DA MATURIDADE. ISTO NÃO SIGNIFICA NÃO TER SONHOS, MAS SIM, COMENSURADOS. O QUE, AINDA, DIMINUI AS FRUSTRAÇÕES. O HUMILDE, É, POR PERFIL PSICO-MENTAL, UM SÁBIO DA VIDA, UM LÍDER; NÃO NECESSARIAMENTE UM CHEFE. POR ÚLTIMO, MAS NÃO MENOS IMPORTANTE, HÁ DE SE DESFAZER TAMBÉM OUTRA CONFUSÃO, QUE TEM CONOTAÇÃO COM A PALAVRA 'MODÉSTIA'. O MODESTO, É UM NARCÍSICO, QUE 'SE FAZ' DE HUMILDADE PARA RECEBER ELOGIOS, CONFETE, POR ALGUM FEITO QUE CONSIDERA O 'MÁXIMO', E QUE PRECISA REFORÇO EXTERNO PARA CONFIRMÁ-LO. DIRIA, QUE É UM ANTI-HUMILDE.

COTIDIANO > PARTICULARMENTE, VEJO O DIA A DIA TAL QUAL ESTÁ AÍ NA FIGURA ABAIXO. UMA SÉRIA DE OBSTÁCULOS; ONDE TUDO PARECE CONSPIRAR CONTRA. E, ISTO, PARA MIM, NÃO TEM NADA A VER COM SER OTIMISTA OU SER PESSIMISTA. TEM A VER COM REALIDADE. O OTIMISTA TAMBÉM TERÁ QUE PASSAR POR ELES. OU SERÁ QUE O 'OTIMISMO', POR SI SÓ, REMOVE ESTES 'QUEBRA-MOLAS' OU 'QUEBRA-MIOLOS'? PODE MUDAR A FORMA ANÍMICA DE COMO SE ENFRENTA AS DIFICULDADES, ALIVIANDO-AS, PELO EFEITO DO BOM-HUMOR. MAS, APLACAR, CLARO QUE NÃO. O OTIMISMO NÃO É, COMO DIRIA O 'QUEEN', 'A KIND OF MAGIC'; MAS SIM, UM ESTADO DE HUMOR.

Ricardo Bing Reis O COTIDIANO URBANO OU RURAL, DA FORMA COMO SE APRESENTA HOJE, É UMA EVOLUÇÃO DAS SAVANAS DA PRÉ-HISTÓRIA; MEDIANTE A SÁBIA CRIAÇÃO, POR PARTE DOS HOMINÍDEOS E HOMEM MODERNO, DO SISTEMA DE TROCAS. ASSIM, PULAR ESTES QUEBRA-MOLAS É, AINDA BEM MAIS FÁCIL QUE, LITERALMENTE, MATAR UM LEÃO POR DIA NA DITA SAVANA.
23 de maio de 2012 às 01:30

EXCETUANDO CASOS EXCEPCIONAIS, PROCURE JAMAIS DEIXAR INIMIGOS NO RASTRO DE SUA VIDA. NÃO SÓ PODEM PUXAR SEU TAPETE, COMO PODEM SER IMPORTANTES PARA VOCÊ LÁ NA FRENTE. E, SE FORES DESTRATADO, PODE LEVAR ANOS E ANOS, MAS AQUELE DESTRATOR, AINDA SE LEMBRARÁ DE TI COMO OPÇÃO PARA ALGUM SUFOCO POR QUE ESTEJA PASSANDO. NAS DIFICULDADES, TENDEMOS A FAZER UM 'FEED-BACK' PROCURANDO MENTALMENTE POR PESSOAS QUE PODEM LHE AMPARAR. OBSERVEM COMO O CÍRCULO DE AMIZADE SEU, TEM DEZENAS DE CONHECIDOS COM DIVERSOS OUTROS CÍRCULOS DE AMIZADE. E, ASSIM, TODOS NÓS, SOMOS, SOCIALMENTE, MUITO MAIS CONHECIDOS DO QUE PODEMOS IMAGINAR. DESTA FORMA, POR EXEMPLO, UM DESCONHECIDO SEU, PODE SABER DE SUA INFÂNCIA, MAIS QUE SEU IRMÃO.

ARRISCAR-SE CAUSA ANSIEDADE, DEIXAR DE ARRISCAR-SE, É PERDER PARA SI PRÓPRIO'. SE VOCÊ QUER E TENTA, MAS NÃO CONSEGUE; NÃO HÁ DO QUE SE ARREPENDER. A POSSIBILIDADE DE ARREPENDIMENTO NÃO ESTÁ NA PRIMEIRA SENTENÇA, COMO SE APRESENTA. ESTÁ NA SEGUNDA, ONDE DEIXOU-SE DE TENTAR, DESPERDIÇANDO A CHANCE DE, TALVEZ, CONSEGUIR. ACHO O RACIOCÍNIO INVERTIDO. O ANSIOSO, LÊ PELA FIGURA. O CONFIANTE, LÊ PELO INVERSO.

Ricardo Bing Reis ACHO QUE A PRIMEIRA FRASE TEM A VER COM NÃO SABER 'LIDAR COM O NÃO'. MEDO DAS NEGAÇÕES; AUTO-ESTIMA MEIO BAIXA. A SEGUNDA, É AINDA PIOR. O MEDO É TÃO GRANDE, QUE NEM FOI À LUTA!... ESTAS 2 SENTENÇAS, 'SENTENCIAM' A 'BAIXA AUTO-ESTIMA'; SENDO A SEGUNDA, AINDA MAIS BAIXA QUE A PRIMEIRA. SÃO VIDAS QUE, MESMO NEGANDO, PERDEM MUITO EM 'VIVER'. USAM O PRETÉRITO IMPERFEITO: 'SE EU TIVESSE TRABALHADO...; 'SE EU TIVESSE TENTADO'... E, TAMBÉM, GOSTAM DO 'CONDICIONAL' DA PALAVRA 'SE': ... 'SE EU TIVESSE PASSADO NO VESTIBULAR DE FÍSICA, COM CETEZA ESTARIA TRABALHANDO NA NASA'...
23 de maio de 2012 às 01:41

FAZENDO APOSTAS SEM APOSTAR > ERA TANTA A PRODUÇÃO DE ÁLBUNS NOVOS DE ROCK À CADA SEMANA PELA INDÚSTRIA FONOGRÁFICA; QUE, AO FIM, VOCÊ JÁ NEM SABIA QUEM ERA QUEM. A TODA HORA ERAM LANÇADAS BANDAS E ÁLBUNS INÉDITOS. E, O PRIMEIRO ÁLBUM DO ENTÃO AINDA DESCONHECIDO 'DIRE STRAITS' AQUI NO BRASIL FOI ESTE 'SULTANS OF SWING'. EU E MEUS 2 IRMÃOS COMPRAMOS EM 'CHUTE CONSCIENTE'. AMIGOS TAMBÉM ROQUEIROS QUE FREQUENTAVAM NOSSA CASA, OUVIAM E DIZIAM QUE TÍNHAMOS BOTADO DINHEIRO FORA. DEPOIS DO SUCESSO, SE ARREPENDERAM E LEVARAM PARA GRAVAR. O ROCK TEM MUITO DE 'ACOSTUMAR O OUVIDO'. COMPREENDO OS JOVENS QUE NÃO GOSTAM, POIS NÃO TIVERAM OU TEM O TEMPO E O ACESSO SUFICIENTE PARA 'CRIAR O GOSTO'. E, MUITAS VEZES TAMBÉM, FALTA DE ORIENTAÇÃO DE PAIS QUE CONHEÇAM. ACHO QUE O MESMO VALE PARA MÚSICA CLÁSSICA.

TUDO TEM UM COMEÇO > INICIEI MINHA CAMINHADA PELO ROCK JÁ COM 4 ANOS DE IDADE (1967). MINHAS TIAS TINHAM UM DISCO DESTE SCOTT McKENZIE, E EU OUVIA 20 À 30 VEZES POR DIA, PORQUE NÃO TINHA OUTRO. E, PODE TER SIDO BOM, PARA ACOSTUMAR O OUVIDO LENTAMENTE. SE TIVESSE COMEÇADO COM JIMMY HENDRYX, ACHO QUE PODERIA TER DESISTIDO. PARECE QUASE UMA 'CANÇÃO DE NINAR', COM UMA LETRA TÃO BOBA, QUE, SE SOUBESSE A TRADUÇÃO, TAMBÉM TERIA DESISTIDO: ''IF YOU'RE GOING TO SAN FRANCISCO, BE SURE TO WEAR FLOWERS IN YOUR HAIR". QUE HORROR!

Ricardo Bing Reis NO ANO SEGUINTE, JÁ ENTROU OBLADI-OBLADA. OUVIA NO RÁDIO AM; NEM EXISTIA RÁDIO FM (1972). TELEVISÃO, SÓ PRETO & BRANCO, COM SELETOR MANUAL DE CANAIS, E 3 BOTÕES: BRILHO, CONTRASTE E SINTONIA FINA. MAS ERA EM 3D, POR CAUSA DOS 'FANTASMAS' DAS ANTENAS EXTERNAS MAL POSICIONADAS PELA AÇÃO DO VENTO, DE TV ABERTA. AS 'TORRES DE TRANSMISSÃO' DESLIGAVAM À MEIA-NOITE E ENTRAVA UM CHUVISQUEIRO NO MONITOR, E UM CHIADO NO PRECÁRIO AUTO-FALANTE. BONS TEMPOS. VERDADE.
20 de maio de 2012 às 02:13

EMOÇÕES > SÃO ATIVADAS APARTIR DAS INFORMAÇÕES ORIUNDAS DOS SENSÓRIOS. TEM SEDE NA MENTE HUMANA. PORTANTO, FUNDO NEURO-BIOQUÍMICO. NADA TEM A VER COM 'ALMA' E OUTRAS 'TRANSCENDENTALIDADES'. DESTACARIA O 'MEDO' E SUA FILHA, A 'ANSIEDADE'. DESTACARIA A 'RAIVA OU IRA' E SUA FILHA, A 'AGRESSIVIDADE'. DESTACARIA A 'DEPRESSÃO' E SUA FILHA, A TENDÊNCIA À 'DESISTÊNCIA'.

SENSAÇÕES (PARTE: OUTRA METADE) > CITARIA A 'SENSAÇÃO DE VAZIO' QUE INDUZ MUITOS À GULA, SOBREPESO E OBESIDADE. PODE TER A VER COM TRISTEZA E ANSIEDADE. CITARIA, EM CONTRA-PARTIDA, A 'SENSAÇÃO DE PLENITUDE', QUE PODE TER A VER COM ALEGRIA E CONTENTAMENTO. E, AINDA, CITARIA A 'SENSAÇÃO DE MORTE IMINENTE' NA 'SÍNDROME DO PÂNICO'. PARA FECHAR, CITARIA O CHAVÃO DA 'SENSAÇÃO DE LIBERDADE' DE QUEM SALTA DE PÁRA-QUEDAS OU SURFA UMA MAVERICK.

SENTIMENTOS > SÃO PROCESSADOS APARTIR DAS EMOÇÕES 'DISPONIBILIZADAS' PELA MENTE ORGÂNICA. SÃO O RESULTADO DO PSIQUISMO (ABSTRAÍDO DA PRÓPRIA MENTE), RACIOCINANDO 'SOBRE' AS EMOÇÕES (QUE SÃO BASAIS). DESTACARIA A SOBERBA, A GANÂNCIA, A AVAREZA, A ONICIÊNCIA, A INVEJA, O CIÚME, A HUMILDADE, O ALTRUÍSMO, A TOLERÂNCIA, A PACIÊNCIA E A CALMA; DENTRE DEZENAS DE OUTROS.

__________________________________________________

EMOÇÕES CONT

Ricardo Bing Reis E, AINDA TENTARIA EMPURRAR PARA DENTRO DESTE VAGÃO, A 'ONIPOOTÊNCIA', A 'PAIXÃO' E O 'SEXO'. MAS NÃO SEI, COMO SEMPRE, AO CERTO, SE CABE!
20 de maio de 2012 às 01:06 ·

XXXXXXXXXXXXX

SENSÓRIOS > SÃO: VISÃO, AUDIÇÃO, OLFATO, GUSTAÇÃO E TATO. E, PROCESSADOS PELOS 'ÓRGÃOS DOS SENTIDOS', QUE EU, ACHO, MELHOR DIRIA, 'ÓRGÃOS SENSORIAIS': OLHOS, OUVIDOS, NARIZ, LÍNGUA E PELE.

Ricardo Bing Reis AQUI, FIZ UMA POSTAGEM DE VÍDEO PELO 'ENGEMBRATION SYSTEM'. VISANDO COMPARTILHAR ESTE ÓTIMO REMIX DO 'UB40' DA MÚSICA DO 'THE POLICE', FORCEI A BARRA E ASSOCIEI 'RESPIRAÇÃO' COM NARIZ E, DAÍ, A CORRELAÇÃO AO OLFATO, CHEGANDO ASSIM, POR LINHAS ESPIRAIS, À TEMÁTICA 'SENSÓRIOS'. 'VAREU'?
20 de maio de 2012 às 00:49

 

BOM HUMOR PARECE TER A VER COM 'RIR DE SI MESMO'. PARA ISTO, HÁ DE SE ACEITAR; HÁ DE SE TOLERAR; HÁ DE SE TER A PRÓPRIA DIMENSÃO 'DIMENSIONADA'. E, ISTO É UMA FACETA DA MATURIDADE. E, ESTA, NÃO DEIXA DE SER PROPORCIONADORA DE INTELIGÊNCIA E EQUILÍBRIO EMOCIONAL (DITOS AQUI, 'POTÊNCIA INTELECTUAL').

Ricardo Bing Reis POR OUTRO LADO, PARA TER BOM HUMOR, HÁ DE SE FAZER EMPROVISOS COM PODER DE DESENCADEAR RISO EM SI E/OU NO INTERLOCUTOR. ISTO IMPLICA EM COMPLEXAS METÁFORAS E METONÍMIAS; QUE SOMENTE UM CÉREBRO, AO MESMO TEMPO MATEMÁTICO E LINGUÍSTICO, É CAPAZ DE FAZER. PORTANTO, INTELIGÊNCIA, OU 'POTENCIAL INTELECTUAL'.
20 de maio de 2012 às 02:39

(QUASE) SEMPRE.

Ricardo Bing Reis IMAGINE SE, CADA VEZ QUE NOS PERGUNTAM 'TUDO BEM(?)', INVENTARMOS DE FALAR A VERDADE(!). ACHO QUE NINGUÉM GOSTARIA DE OUVIR OUTRA RESPOSTA QUE NÃO O TRADICIONAL 'TUDO(!)'; A NÃO SER EM SEUS ENTES E AMIGOS. ATÉ PORQUE, A TENDÊNCIA, É (QUASE) TODOS ESTAREM JÁ SOBRECARREGADOS EM SUAS VIDAS. SENÃO, TODOS ENLOUQUECERIAM À TODOS. MAS SEMPRE TER EM QUEM CONFIAR E PODER CONFIDENCIAR, COM SINCERIDADE, O 'NEM TUDO BEM(!)'.
19 de maio de 2012 às 00:52 ·

DESAPARECER > QUEM NÃO TEM VONTADE DE 'JOGAR TUDO PARA CIMA (SAINDO DE BAIXO!) E DESAPARECER' DE QUANDO EM VEZ? COMO ELE MESMO DIZ: TODOS ESTES PROBLEMAS, TODAS ESTAS LÁGRIMAS. AQUI, TRANSPARECE CERTA GRAVIDADE. O 'ETERNO E INATO DESCONTENTAMENTO DO SER HUMANO', QUE PRECONIZO, TEM LIMITE. QUANDO CHEGA À UM GRAU ASSIM, HÁ DE SE RECORRER À UM PROFISSIONAL DA ÁREA, UM PSIQUIATRA E/OU PSICOTERAPEUTA. AQUI, ELE INSINUA QUERER DESAPARECER DO MUNDO. E, HÁ QUEM DIGA QUE, ESTA MÚSICA, FOI 'SUA PISTA DADA' E, TALVEZ, 'SEU PEDIDO DE SOCORRO', ANTES DE CONSUMAR SEU REAL DESAPARECIMENTO DO MUNDO, MEDIANTE SUICÍDIO QUE TERIA COMETIDO; NÃO SEI SE POR OVERDOSE. QUANTO À ISTO, TENHO POUCOS CONHECIMENTOS. E AGORA, NÃO FAZ MAIS DIFERENÇA. O QUE PARECE DE PERTINÊNCIA RESSALTÁVEL, É QUE OS POTENCIALMENTE SUICIDAS, TENDEM A DAR ALGUMAS PISTAS AQUI E ALI; DE QUE AS COISAS NÃO LHE ANDAM NADA BEM. PORTANTO, FIQUEM ATENTOS ÀQUELES QUE TE RODEIAM, PRINCIPALMENTTE FAMILIARES. MAS NADA DE SENTIR CULPA CASO ACONTEÇA E, DEPOIS, POR ASSOCIAÇÕES, IDENTIFICAR QUE AS PISTAS FORAM DADAS E QUE VOCÊ NÃO PERCEBEU. NINGUÉM É OBRIGADO A SER UM PSIQUIATRA, SEM SÊ-LO. E, ACREDITEM, ATÉ COM PSIQUIATRAS PODE ACONTECER; POIS SOMOS TODOS, SEM NENHUMA EXCESSÃO SEQUER, SERES HUMANOS FALÍVEIS.

Ricardo Bing Reis ESTA É UMA DEFINIÇÃO PERFEITA DE MATURIDADE, ONDE A CHAVE É A TOLERÂNCIA, A ACEITAÇÃO E O CONFORMAR-SE. MAS QUE NÃO SE CONFUNDA COM CONFORMISMO, IRMÃO DA PREGUIÇA. NO CONFORMISO NÃO HÁ LUTA, APENAS DESISTÊNCIA OU 'NÃO COMEÇO'. NO CONFORMAR-SE HÁ LUTA, MAS ACEITAÇÃO QUANDO A FORÇA CONTRÁRIA É MAIOR; COMO NA PASSAGEM DO TEMPO E A CHEGADA DA VELHICE. LOGO, É A TOLERÂNCIA E ESTA, MANTÉM O 'EQUILÍBRIO EMOCIONAL' EM 'EQUILÍBRIO'.
18 de maio de 2012 às 21:02

VIVENDO O DIA DE HOJE' > MUITAS FRASES QUE CIRCULAM PELO MUNDO DESDE QUE ELE É ELE, PARECEM-ME TÃO INEFICIENTES QUANTO BOBAS. E, DENTRE A MISCELÂNEA, DESTACARIA A COMUNSÍSSIMA 'VIVA O DIA DE HOJE, NÃO O PASSADO NEM O FUTURO'. COMO PODE ALGUÉM CITAR UMA BOBAGEM TAL ESTA? VIOLENTA A NATUREZA DA MENTE, DOTADA DE MEMÓRIA. SOMENTE UM GRAVE DESMEMORIADO PODE IGNORAR O PASSADO, CUJAS MÁS LEMBRANÇAS, SEMPRE PODEM SIM TRAZER TRAUMAS, MAS TAMBÉM AS BOAS LEMBRANÇAS, QUE VEJO COMO A BASE DA SAUDADE. NO OUTRA PONTA, IGNORAR O FUTURO, SÓ É VIÁVEL ÀQUELE SABEDOR QUE AINDA HOJE MORRERÁ. NÃO RECOMENDO ESTA SITUAÇÃO. LOGO, MANTER VIVO EM SI O PASSADO DA MELHOR FORMA POSSÍVEL, VIVER 'O HOJE' DA MELHOR FORMA POSSÍVEL; MAS JAMAIS SUBESTIMAR O FUTURO, 'WHEN TOMORROW COMES'.

VIVENDO O DIA DE HOJE CONT. icardo Bing Reis NÃO É BEM O CASO DO VÍDEO, MAS SUPOMOS QUE VOCÊ DÊ OUVIDOS À TOLA FRASE 'VIVA O HOJE COMO SE FOSSE O ÚLTIMO DIA DA SUA VIDA, COMO SE NÃO HOVESSE O AMANHÃ'! EIS QUE APARECE UMA OPORTUNIDADE AMOROSA. ÀQUELA ÓTICA, POR QUE NÃO? E VAI. MAS 'WHEN TOMORROWS COMES', CASO TENHA FICADO UMA PAIXÃO UNI OU BILATERAL, A COBRA VAI FUMAR, CASO UM OU AMBOS SEJA CASADO.
18 de maio de 2012 às 18:10 ·

Ricardo Bing Reis NA PARTE FINAL DESTE EXCELENTE VÍDEO, ANNE LENNOX SIMULA UMA MULHER QUE CHEGA ÀS MARGENS DA HISTERIA, DE DIZER QUE 'MAL PODE ESPERAR O AMANHÃ CHEGAR', PARA VÊ-LO DE NOVO. IMAGINE SE VOCÊ CONSEGUIRIA COLOCAR NO PRUMO ESTE ALGUÉM QUE TENHA FICADO FISSURADO COMO ANNE SIMULA. SERIA FACTÍVEL QUE ELA, EM FATO, NÃO SUPORTASSE ESPERAR O AMANHÃ, E VOLTAR AINDA 'NO HOJE'. ENTÃO, SE SUA ESPOSA FICASSE SABENDO, RESULTARIA EM TALVEZ NÃO HAVER O SEU AMANHÃ. NESTE CASO SIM, A FRASE TERÁ FEITO SENTIDO POR RAZÃO DE SER. MAS IMAGINO QUE O AUTOR DA FRASE NÃO A TENHA TECIDO POR ESTE RACIOCÍNIO, VOLTANDO ELA ENTÃO, A SER IMPRUDENTE E BURRA.
18 de maio de 2012 às 18:23

TRIÂNGOLO AMOROSO > ASSIM, DE PRONTO, ME LEMBRO DE TRÊS CIRCUNSTÂNCIAS. A PRIMEIRA, É AQUELA ONDE, NA BASE, TEMOS DUAS PESSOAS QUE DISPUTAM A OUTRA APICAL. DAQUI, RESULTA O CIÚME. A SEGUNDA CIRCUNSTÂNCIA, É QUANDO AS DUAS DA BASE COMPARTILHAM A APICAL. AQUI, É A FAMOSA 'TRANSA À TRÊS'. A TERCEIRA CIRCUNSTÂNCIA, É COMO SE FÔSSE UM TRIÂNGULO INVERTIDO, ONDE O FILHO, NA PONTA DE BAIXO, DISPUTA O PAI OU A MÃE, DISTINTAMENTE. EM OUTRO TRECHO, MENCIONEI SOBRE A 'INSPIRAÇÃO'. E, FREUD, INSPIROU-SE MUITO NA CULTURA CLÁSSICA, EM DESTAQUE, PARA O SEU DESCRITO 'COMPLEXO DE ÉDIPO', DE 'ÉDIPO REI'. ESTA ÚLTIMA FORMATAÇÃO DE TRIÃNGILO SERIA EDÍPICA. E, DESTA, PODERIA DERIVAR-SE O HOMOSSEXUALISMO. DEPOIS, APROVEITOU E TROUXE PARA SUAS TEORIAS, OS OUTROS DOIS TRIÂNGULOS: CIÚME E SEXO À TRES; FECHANDO UM ÚNICO PACOTE. É O INCRÍVEL NÚMERO '3'. FREUD TAMBPÉM INSPIROU-SE MUITO EM SHAEKESPEARE (É ASSIM QUE ESCREVE?). EU, JÁ PREFIRO SCHOPENHAUER, MONTAIGNE, CÍCERO E SÊNECA.

INSPIRAÇÃO > AS BANDAS DE ROCK SÃO AUTÊNTICOS EXEMPLOS DE COMO 'SE TEM MÚSICOS DISCÍPULOS DE OUTREM'. 'LLOYD COLE & (SUA BANDA) THE COMMOTIONS', FOI O MELHOR SUCESSOR DO ESTILO DE ELVIS PRESLEY; TANTO EM FISIONOMIA QUANTO EM VOZ. MAS 2 COISAS PARECEM TER SEPARADO ELE DO REI: TIMIDEZ E FALTA DE UMAS COREOGRAFIAS PARA DANÇAR. ALÉM DISTO, SEU ROCK ERA MUITO ELABORADO, DISTANCIANDO-SE DO 'POP-ROCK', PREFERIDO PELAS RÁDIOS. TALVEZ POR ISTO, TENDO SIDO MENOS TOCADO EM RÁDIOS, NÃO CHEGOU MAIS LONGE; QUE ERA SEU LUGAR MERECIDO.

Oito soluções para os dilemas do romance no trabalho

Ricardo Bing Reis TRABALHO E ROMANCE > Para ficar-se mais à vontade, talvez fosse melhor não manter romance no trabalho. Mas, se acontecer, aconteceu. Porém, se inevitável, jamais permitir que interfira no rendimento laboral e elegância social. Opinião, apenas.
17 de junho de 2012 às 00:29

(PRÉ)VISÃO > CASUALMENTE, ONTEM, ATENDI UMA SENHORA DE 77 ANOS, QUE SALVOU-SE DE UM INCÊNDIO EM SEU APARTAMENTO. TOMOU FORTE SEDATIVO PARA DORMIR, USANDO COBERTOR ELÉTRICO. QUANDO PERCEBEU, O APARTEMENTO JÁ ESTAVA EM CHAMAS E, QUANTO MAIS TENTAVA APAGAR, PIOR FICAVA; POIS, AGORA SABE, A MAIORIA DOS OBJETOS HOJE SÃO SINTÉTICOS. ENTÃO OCORREU-LHE ABRIR A JANELA. NADA PODERIA SER PIOR: AÍ SIM, COMO QUE EXPLODISSEM AS CHAMAS, SENDO QUEIMADA POR ARDENTES LÍNGUAS DE FOGO. MESMO COM A CHEGADA DOS BOMBEIROS, JÁ TENDO SAÍDO, VOLTOU PARA BUSCAR SEU FIEL CÃO; SEMI-INCONSCIENTE. DISSE-ME QUE ESTE EPISÓDIO FOI DIVULGADO NA MÍDIA E INTERNET, COMO A 'SENHORA QUE NÃO ABANDONOU O CÃO(!)'. VÁRIAS COISAS ME DEIXOU PENSATIVO: 1) O QUANTO, AO TENTAR APAGAR, FOMENTAMOS; 2) O EFEITO DO AR CORRENTE; 3) O AMOR PELOS ANIMAIS; 4) O QUANTO ESTAMOS SEMPRE APRENDENDO, MESMO AOS 77 ANOS; 5) COMO A VIDA 'NOS PREGA' SURPRESAS, MESMO AOS 77 ANOS (QUANDO ELA IMAGINARIA QUE ALGO ASSIM PODERIA OCORRER-LHE AINDA NESTA IDADE!). MAS, O PRINCIPAL É: 'PREVER'. PREVER, É, PARA MIM, TALVEZ A MAIOR CONSTATAÇÃO DO GRAU DE INTELIGÊNCIA DE UMA PESSOA. E ISTO NADA TEM A VER COM SER VISIONÁRIO, MAS IMAGINAR O QUE PODE ACONTECER FRENTE À CERTAS ATITUDES. MUITOS PRECAVIDOS, SÃO TIRADOS PARA 'PARANÓICOS', 'MEDROSOS', 'PESSIMISTAS', 'CATASTRÓFICOS','AMARELÕES', 'FÓBICOS', ETC; QUANDO, NA VERDADE, EXAGEROS À PARTE, SÃO INTELIGENTES POR PONDERAÇÃO E VISÃO DE FUTURO (SEM BOLA DE CRISTAL, MAS POR DEDUÇÕES ATRAVÉS DE PREMISSAS!). E, SE OCORRE COM IDOSOS; IMAGINE VOCÊ COM CRIANÇAS E ADOLESCENTES. ATÉ 20 ANOS DE IDADE, A PRINCIPAL CAUSA DE MORTE SÃO OS ACIDENTES. EM CRIANÇAS PEQUENAS, POR AFOGAMENTOS EM PISCINAS E ATÉ EMBORCANDO EM VASOS SANITÁRIOS E BANHEIRAS DE ÁGUA MESMO BEM RASA, QUEDAS DO CHÃO, QUEIMADURAS NA COZINHA, QUEDA DE ALTURA POR EDIFÍCIOS (JANELAS SEM TELAS), INTOXICAÇÕES POR REMÉDIOS EXPOSTOS, ETC. NA ADOLESCÊNCIA, ACRESCENTA-SE ACIDENTES DE CARROS E MORTES PELA CRIMINALIDADE (COM OU SEM USO DE ÁLCOOL OU DROGAS). PENSE NISTO > PREVISÃO. ESTE VÍDEO CAIU-ME POR ACASO. LÓGICO QUE TAMBEM EXISTEM VÁRIAS OUTRAS FOMAS DA CAMA PEGAR FOGO...

Depois dos 30, faça bom uso da maturidade e viva melhor

Ricardo Bing Reis MATURIDADE > Não sei se a maturidade já chega aos 30 anos. Talvez ainda nem aos 40. Talvez, nestas etapas etárias, você ainda esteja subindo a montanha. Provavelmente aos 50, é que você atingiria o topo e, finalmente, veria o que tem além dela. Infelizmente, alguns nunca amadurecem e, pelo contrário, ficam cada vez mais imaturos, pelo processo do 'Forever Young'.
17 de junho de 2012 às 01:59

LEVOU UM "PÉ" DA SUA EMPRESA? TIRE LIÇÕES VALIOSAS DO OCORRIDO E VÁ EMFRENTE

Ricardo Bing Reis DEMISSÕES > Mas nunca esquecer, que muitas vezes, o motivo da demissão não está em você, mas em um remanejo estrutural da empresa onde trabalhavas, ou até, redução do quadro de funcionários por motivos econômicos pela redução nas vendas, etc.
17 de junho de 2012 às 18:41

Preguiça matutina? Veja dicas que podem ajudar a despertar com pé direito

Ricardo Bing Reis PREGUIÇA MATUTINA > Levantar-se imediatamente, por ato reflexo, ajudaria? Observação: não recomendável para idosos ou cervicopatas, pois o levartar rápido pode desencadear 'hipotensão ortostática (queda de pressão postural)', sobrevindo tontura; e, nos casos mais graves, até isquemia cerebral transitória. Recomenda-se sentar-se antes de levantar, por 60 segundos.
17 de junho de 2012 às 18:34

TRABALHO > TENDÊNCIAS À PROCRASTINAÇÃO.

Ricardo Bing Reis 'DESCONFIE DAS ARMADILHAS DA PREGUIÇA QUE O LEVA A INTERROMPER A TAREFA INICIADA'. SOU MEIO MESTRE EM COMETER ESTE ERRO. TENHO UM PERFIL DE PERSONALIDADE QUE ME ATRAI AO NOVO, NO SENTIDO DE NIVIDADE. E, COM O TEMPO, VOU 'ENJOANDO' E PROCURO UMA OUTRA INÉDITA PARA MIM. E, ASSIM VAI. NO ENTANTO, SOU OBSTINADO EM MEU TRABALHO E COM MINHA FAMÍLIA. MAS PODERIA MELHORAR.
15 de maio de 2012 às 01:37

 

AUTO ESTIMA > ESTE TEXTO É INTERESSANTE, POIS A MIM PARECE QUE SE TRATA DE 'UMA ESPOSA AFLITA' MAS POR 'BAIXA AUTO-ESTIMA'. EU NÃO SOBRECARREGARIA DEUS COM MEUS PROBLEMAS (ATÉ PORQUE NÃO SEI BASEADO EM QUAL MOTIVO ELE OS RESOLVERIA PARA MIM). ACHO QUE NOS BOTOU NO MUNDO COM LIVRE ARBÍTRIO, E AINDA TE DEU UM CÉREBRO PARA RESOLVER-TE, POR TUAS PRÓPRIAS INICIATIVAS. SE A BARRA ESTÁ PESANDO, QUE TAL UM PSICOTERAPEUTA E/OU PSIQUIATRA; MAIS QUILOS DE LEITURA? PREGUIÇA? BEM, O 'LORD' MESMO TERIA DETERMINADO, QUE ESTE É UM DOS SETE PECADOS CAPITAIS. PORTANTO, NÃO SERÁ TEU CÚMPLICE. VÁ À LUTA. QUANTO A TER FÉ, A TENHA, SIMPLESMENTE POR A TER; E NÃO POR NECESSITAR TER.

PARA SER PROFISSIONAL NESTE TIPO DE OFÍCIO, HÁ DE SER TER MUITO BAIXO COMPONENTE CEREBRAL DA EMOÇÃO 'MEDO'. E, TAL DESTEMOR, PODE SUGERIR 'TRANSTORNO MANÍACO', QUE NADA TEM A VER COM 'MANIÁTICO' (QUE PODE SUGERIR SER EXATO O CONTRÁRIO).

'FOLK ROCK' > É UMA DAS FORMAS DE 'ROCK CAIPIRA'. O OUTRO 'ROCK CAIPIRA' SERIA O 'COUNTRY ROCK'. 'FOLK' É DO SUL DOS ESTADOS UNIDOS; O 'COUNTRY', UM POUCO MAIS PARA O OESTE. SE NÃO FÔR ASSIM, NÃO É.

CULPA > O SENTIMENTO DE 'CULPA' TEM MUITO A VER COM O CONCEITO DE 'PECADO'. E, EM SE TRATANDO DE PECADO, MUITO RESULTA DOS 'DEZ MANDAMENTOS' E DOS 'SETE PECADOS CAPITAIS'. MAS, OBVIAMENTE, JÁ EXISTIA A CULPA INTRÍNSICA, DESDE ANTES DO INÍCIO DA CIVILIZAÇÃO (NA MESOPOTÂMIA, DO TRIÂNGULO FÉRTIL); TÁCITAMENTE E/OU POR REGULAMENTOS E CÓDIGOS, EM TODAS AS ORIGENS HUMANAS, COM VARIAÇÕES ÉTNO-CULTURAIS. MAS NUNCA DEIXARAM DE ESTAR PRESENTE EM TODAS; JÁ QUE SUA AUSÊNCIA, IMPLICARIA EM DESORGANIZAÇÃO SOCIAL E PROVÁVEL DEGRADAÇÃO DAQUELE GRUPO HUMANO. ASSIM, ESTE SENTIMENTO DE CULPA E AUTO-POLICIAMENTO, AJUDA A MANTER A ORDEM E O PROGRESSO. A MORAL É FUNDAMENTAL. NO ENTANTO, OS EXCESSOS, TRANSPÕE-LHE AO 'MASOQUISMO', QUE É UM SOFRIMENTO DESPROPORCIONAL, PELOS 'NÃO PODER'. HÁ DE SE TER UM PONTO DE EQUILÍBRIO. E, BOM SENSO PARA PONDERAR QUE MUITA COISA 'PREGADA POR CATEQUIZAÇÃO', FOI NECESSÁRIA NUM DADO MOMENTO HISTÓRICO DA SOCIEDADE PELA ANARQUIA VIGENTE. PELO PENSAMENTO 'QUER CINCO, PEDE DEZ(!)', PROVOCOU-SE, EM MUITOS, UMA HIPER-CORREÇÃO. CULMINANDO EM SENTIMENTO DE CULPA DE INTENSIDADE E MOMENTOS INADEQUADOS. A CULPA GERA DEPRESSÃO E, A DEPRESSÃO, GERA SENSAÇÃO DE CULPA. PORTANTO, CUIDE-SE QUANTO À ISTO. PODE ARRUINAR SUA VIDA, DE UMA FORMA OU DE OUTRA. PODES SER EXPLORADO POR TERCEIROS QUE O VÊEM COMO PASPALHO, QUE TUDO DOA, E QUE A TUDO CEDE. O NÃO SABEDOR DE DIZER 'NÃO'! CONSIDERE QUE, AGORA, MUITOS (PRÉ)CONCEITOS PODEM SER REVISADOS EM FORO ÍNTIMO (COM OU SEM AJUDA PROFISSIONAL).

ALUCINAÇÕES > PODEM SER VISUAIS, AUDITIVAS E ATÉ OLFATIVAS. TRADUZEM 'DISTÚRBIO DA FUNÇÃO CEREBRAL SUPERIOR(DFCS)'; DE NATUREZA PSIQUIÁTRICA E/OU NEUROLÓGICA. OS SINAIS E SINTOMAS DOS 'DFCS' CONSTITUEM O QUE SE CARACTERIZA COMO 'SÍNDROME CEREBRAL ORGÂNICA (SCO)'.

PRESUNÇOSO > SEGUNDO O DICIONÁRIO, NÃO É QUEM FAZ O PRESUNTO; MAS QUEM 'CONTEMPLA-SE' COM A PRESUNÇÃO: 'CONVICÇÃO, MUITAS VEZES INFUNDADA DAS PRÓPRIAS QUALIDADES; PRETENSÃO, EMPÁFIA'. EM SUMA, UM ONIPOTENTE, UM ONICIENTE, UM ARROGANTE, UM VAIDOSO PSICO-MENTAL, UM JACTANTE. OU, EM AINDA OUTRAS PALAVRAS, UM CHATO INSUPORTÁVEL. E, NISTO, ELE REALMENTE É O MELHOR: É O MAIS CHATO DOS MAIS CHATOS. E, NA SOCIEDADE, É O QUE NÃO FALTA. AQUI, O TEEN-ROCK DE HANNA MONTANA (QUASE) BEM DIZENDO 'NOBODY IS PERFECT'. DISCORDO: O PRESUNÇOSO É UM 'PERFEITO IDIOTA'.

TRABALHO

Ricardo Bing Reis 'AMANDO O QUE SE FAZ'! TRABALHAR NO QUE NÃO SE GOSTA PODE SER UM MARTÍRIO. MAS, POR OUTRO LADO, SE PENSARMOS ASSIM, FICA DIFÍCIL ACHAR UM EMPREGO OU DESENVOLVER-SE COMO AUTÔNOMO OU EMPREENDEDOR/EMPRESÁRIO. COSTUMO DIZER, COM FRANQUEZA, À MINHA FILHA, QUE ESTUDAR E TRABALHAR NÃO É PARA SER (NECESSARIAMENTE) BOM, EMBORA EVENTUALMENTE POSSA SER. É PARA FAZER O PONTO. QUE PERCENTUAL DE PESSOAS GOSTA DE TRABALHAR EM SUA OPINIÃO? VOCÊ DIRIA QUE TALVEZ NEM 10%? ISTO NÃO SIGNIFICA INDIGNIDADE NEM O 'PECADO DA PREGUIÇA'; PELO CONTRÁRIO, VEJO O INVERSO: AUTO-CONTROLE ENORME PARA DESEMPENHAR AS TAREFAS QUE JULGA CHATAS E DESAGRADÁVEIS, E EXECUTANDO-AS MUITÍSSIMO BEM, E PONTO. OBSERVO QUE A GRANDE MAIORIA DAS PESSOAS, TOLAMENTE, TEM VERGONHA EM DIZER QUE NÃO GOSTA DE TRABALHAR E, MENOS AINDA, QUE 'NÃO AMA O QUE FAZ'. PARTICULARMENTE, EM VERDADE, VEJO O MÉRITO MAIOR JUSTO NAQUELE QUE, MEDIANTE ESTAS CONDIÇÕES DESFAVORÁVEIS À SI, AINDA DESEMPENHA SUA PROFISSÃO COM AFINCO, DESTREZA E ATÉ OBTÉM FAMA SOCIAL DE DESTACADO PROFISSIONAL, PELA COMPETÊNCIA. PARABÉNS À ESTES.
12 de maio de 2012 às 00:56

SOLIDÃO: 'SER SÓ', É BEM DIFERENTE DE 'ESTAR SÓ'.

Ricardo Bing Reis 'SER SÓ' > PARA MIM, GUARDA RELAÇÃO COM SEUS PRÓPRIOS SENTIMENTOS. COMO VOCÊ SE SENTE CONSIGO MESMO. É A SOLIDÃO PROPRIAMENTE DITA. DESTA FORMA, VOCÊ PODE SENTIR SOLIDÃO CERCADO DE PESSOAS, DESDE QUE INTERPRETE QUE ELAS ESTÃO CONSIGO BUROCRATICAMENTE, MAS O QUE PODE NÃO SER ASSIM. OU SOLIDÃO POR DE FATO NÃO TER NINGUÉM. AQUI, VAI UM POUCO DE FORÇA DE VONTADE DE MUDAR ISTO. CASO NÃO CONSIGA, CONSIDERE ESTAR EM DEPRESSÃO.
1 de maio de 2012 às 15:16

SOLIDÃO: 'SER SÓ', É BEM DIFERENTE DE 'ESTAR SÓ'.CONT.

Ricardo Bing Reis 'ESTAR SÓ' > DIFERENTEMENTE DO 'SER SÓ' QUE É A REAL 'SOLIDÃO', 'SESTAR SÓ' PODE SER APENAS 'TER SEUS (ADEQUADOS E ATÉ NECESSÁRIOS) MOMENTOS DE ISOLAMENTO CONSIGO MESMO, COM SUAS COISAS; ATÉ PARA A PRÁTICA PRAZEROSA DE SEUS 'ÓCIOS CRIATIVOS', SEM QUE NADA DISSO SIGNIFIQUE DESAMOR AOS OUTROS. ACHO MUITO SUDÁVEL, DESDE QUE SEM EXCESSOS.
1 de maio de 2012 às 15:19

Ricardo Bing Reis 'SÍNDROME DO NINHO VAZIO' > A VIDA MAIS ISOLADA DE CERTOS , PODE SER 'SER SÓ', PODE SER 'ESTAR SÓ', PODE SER AMBOS; OU NENHUM. APENAS CONVERSANDO E OBSERVANDO O IDOSO PARA SABER. PARECE SER FREQUENTE A CARÊNCIA DO IDOSO, FÍSICA E PSICO-MENTAL.
1 de maio de 2012 às 15:22

Ricardo Bing Reis 'SÍNDROME DO NINHO VAZIO' > A VIDA MAIS ISOLADA DE 'CERTOS' IDOSOS, PODE CULMINAR EM SER SOLIDÃO OU 'ESTAR SÓ/SEM DESAGRADO SIGNIFICATIVO'. PODE SER AMBOS. CONVERSAR SOBRE O ASSUNTO E OBSERVÁ-LOS PODE SER INSUFICIENTE. MUITOS DISSIMULAM PARA NÃO OCUPAR FILHOS E NETOS; ACHANDO ATER SUAS ATENÇÕES ATRAPALHARIA SUAS VIDAS ATRIBULADAS DO NOVOCOTIDIANO. NÃO CONFIE TANTO NO QUE DIZEM. VÁ VISITÁ-LOS PERIODICAMENTE, DIGAM O QUE DIGAM!
1 de maio de 2012 às 15:46

MELHORISMOS 'POR DECRETO' > NÃO EXISTE. DE NADA ADIANTAM MÚSICAS, POSTAGENS, PANFLETOS, ADÁGIOS, DITADOS POPULARES, PROVÉRBIOS, ETC; REFERINDO 'NÃO SE PREOCUPE, SEJA FELIZ'. ESTAS FRASES NUNCA NADA MUDARÃO. PORTANTO, CASO VOCÊ NÃO FAÇA ALGO DE PRÁTICO E EFETIVO PARA MELHORAR SUA VIDA, TENHA CERTEZA QUE NADA DE EVOLUTIVO VAI ACONTECER. POSTAGENS EM REDES SOCIAIS SÃO BACANAS DE LER MAS, 30 SEGUNDOS APÓS TÊ-LAS LIDO, TALVEZ VOCÊ SEQUER SE LEMBRE DO QUE MESMO ESTAVA ALI ESCRITO, E QUE VOCÊ ATÉ 'CURTIU'. E MAIS AINDA, NA MINHA OPINIÃO, VOCÊ NUNCA CONSEGUIRÁ 'DON'T WORRY' E NEM 'BE HAPPY' COMO SONHA. MAS PODE ISTO SIM, MEDIANTE MUITO ESFORÇO, VIVER NO NÍVEL MÍNIMO BASAL DO 'ETERNO E INATO DESCONTENTAMENTO DO SER HUMANO'; O QUE, ESTÁ LONGE DE SER RUIM, EMBORA NÃO PLENO.

'ALGUMAS MUITAS' PESSOAS (ATÉ VISIONÁRIAS), ACREDITAM EM 'SOLUÇÕES MÁGICAS' PARA SEUS PROBLEMAS. DE FORMA MÍSTICA, ESOTÉRICA, NÃO SEI... ESTA MÚSICA DO 'THE CARS' É SOBRE 'MÁGICA'; E, TALVEZ, POSSA SER ADAPTADA PARA 'VIDAS MÁGICAS'. OS PERSONAGENS DO VÍDEO APONTAM PARA RESULTADOS NÃO MUITO BONS. MAS É APENAS UM VÍDEO. NÃO TENHO CONHECIMENTOS DE CAUSA MÍNIMOS PARA FAZER REGISTROS SOBRE ESTA TEMÁTICA.

Ricardo Bing Reis O TRECHO ACIMA NÃO DIZ RESPEITO ÀS RELIGIÕES, ÀS CRENÇAS, ÀS TRANSCENDÊNCIAS, AOS ESPÍRITOS; ABSOLUTAMENTE NADA DISTO. MAS SIM, QUE TALVEZ NÃO DEVAMOS FICAR ESPERANDO SOLUÇÕES DE FORA DE NOSSO MUNDO REAL. HÁ DE SE EXECUTAR O ESFORÇO NECESSÁRIO PARA MELHORAR NOSSAS VIDAS. SEM ESFORÇO, NÃO VEJO COMO ISTO POSSA OCORRER; EMBORA JÁ TENHA LIDO SOBRE RITUAIS E CRENÇAS QUE PROPICIARIAM TAIS MELHORIAS. CONSTATO ISTO SIM, COM CERTEZA, QUE A RELIGIOSIDADE CONSEGUE REVERTER A DEPENDÊNCIA DE MUITOS DROGADITOS. E, A SEGUNDA E ÚLTIMA CERTEZA QUE TENHO EM RELAÇÃO À TUDO ISTO, É QUE MAIS IMPORTANTE QUE O 'ESPÍRITO EM SI'; É A 'ESPIRITUALIDADE', QUE SERIA SINÔNIMO DE ALTRUÍSMO. NÃO SERIA ISTO O PRIMEIRO MANDAMENTO DOS DEZ?
29 de abril de 2012 às 23:53

TALENTO > 'ALGUMAS MUITAS' BANDAS, COM INSTRUMENTOS COMPUTADORIZADOS, CONSEGUEM FAZER 'LIXOS ELETRO-TECNOLÓGICOS'; ENQUANTO DEVERIAM CONSTRANGER-SE EM VER ESTES 4 EXECUTAREM, COM QUALIDADE, 'MÚSICA ARTESANAL UNPLUGGED, COM INSTRUMENTOS VERDADEIRAMENTE RUDIMENTARES'. CROSBY JR., STILLS JR., NASH JR. & YOUNG JR. ; OU NETOS.

_______________________________________________

DEPRESSÃO SAZONAL > SEGUNDO LITERATURA CIENTÍFICA, É POR BAIXA NOS NÍVEIS DA MELATONINA CEREBRAL. SE JÁ EM CLIMAS NEM TÃO DESFAVORÁVEIS (COMO NO SUL DO BRASIL), PADEÇO DESTE FENÔMENO NATURAL (PELO FRIO E FALTA DE LUZ SOLAR); IMAGINE NUM LUGAR EXTREMO-NÓRDICO COMO ESTE!

ALGUNS DOS FANTASMAS NOTURNOS QUE NOS TIRAM O SONO SÃO, PARA MIM, PENSAMENTOS RUMINANTES DE AFAZERES ANSIOGÊNICOS. PELO MENOS PARA MIM, ESTES SÃO MEUS FANTASMAS TIRADORES DE TRAVESSEIRO.

_______________________________________________

O SER HUMANO É MAIS NOBRE NOS MOMENTOS EM QUE DEMONSTRA SUAS SINCERAS ADMIRAÇÕES PELO QUE O OUTRO FAZ; PRINCIPALMENTE SE É UM EXPERT NAQUILO QUE O OUTRO ESTÁ FAZENDO. AQUI, A ADMIRAÇÃO MÚTUA DE 3 GÊNIOS DA GUITARRA. OBSERVE AS EXPRESSÕES FACIAIS.

'PERSONAGENS ATUANDO PESSOAS MUITO ESTRANHAS' > POSSÍVEIS, E ATÉ PROVÁVEIS, 'DISTÚRBIOS E/OU TRANSTORNOS MENTAIS COMPLEXOS'.

Ricardo Bing Reis O QUE EU, DENTRO DAS MINHAS LIMITAÇÕES, PODERIA CLASSIFICAR COMO 'DISTÚRBIOS MENTAIS COMPLEXOS'? TALVEZ OS 'BIPOLARES DE GRAU 1 (GRAU MÁXIMO, EM PSICOSE MANÍACO-DEPRESSIVA)' SEM TRATAMENTO, POIS, TRATADOS, SÃO BEM EQUACIONADOS. TALVEZ OS 'BORDERLINE' SEM TRATAMENTO, POIS, TRATADOS, SÃO BEM EQUACIONADOS. TALVEZ OS 'PSICÓTICOS PARANÓIDES' SEM TRATAMENTO, POIS TRATADOS, SÃO BEM EQUACIONADOS. TALVEZ OS 'PSICÓTICOS CATATÔNICOS' SEM TRATAMENTO, POIS, BEM TRATADOS, SÃO BEM EQUACIONADOS. TALVEZ OS 'AUTISTAS' SEM TRATAMENTO, POIS TRATADOS, SÃO BEM EQUACIONADOS. TALVEZ OS 'PSICÓTICOS ESQUIZOFRÊNICOS' SEM TRATAMENTO, POIS TRATADOS, SÃO BEM EQUACIONADOS. E O 'TRANSTORNO DE PERSONALIDADE ESQUIZÓIDE' OU 'ESQUIZITÍPICO'; DENTRE VÁRIOS OUTROS. PODEM PARECER 'PESSOAS ESTRANHAS' AOS OLHOS DO LEIGO, MAS O PROFISSIONAL DA ÁREA 'PSI' SABE QUE DEIXAM DE SÊ-LO, FRENTE À UM ADEQUADO E EFETIVO TRATAMENTO. ISTO É O QUE REALMENTE IMPORTA.
28 de abril de 2012 às 15:15 ·

Ricardo Bing Reis AH, EM TEMPO, OS DROGADITOS, QUE, SE BEM TRATADOS, TAMBÉM, FELIZMENTE, SÃO PASSÍVEIS DE RECUPERAÇÃO. INCLUI, ÓBVIO, O ALCCOLISMO.
28 de abril de 2012 às 15:22

OS TIPOS DE PENSADORES. PARTICULARMENTE, ACHO QUE BIZARRO MESMO SERIA A DESCRIÇÃO DOS 'TIPOS DE ANTAS NÃO-PENSADORAS'!

Ricardo Bing Reis O PENSADOR, ALÉM DE SENTIR PRAZER PESSOAL EM FAZÊ-LO, DIVULGANDO, ENRIQUECE O MUNDO. SE BEM PENSARMOS, A LEGIÃO DE SÁDIOS E FILÓSOFOS POR TODO MUNDO, EM TODOS OS TEMPOS, É MUITÍSSIMO PEQUENA. ACHO QUE MUITOS OUTROS SÁBIOS, VIVERAM E MORRERAM COM SUAS SAPIÊNCIAS; O QUE NÃO É LÁ MUITO SÁBIO... E, BOM MESTRE, É AQUELE QUE CONSEGUE FAZER DE SEU ALUNO, UM ALGUÉM MELHOR QUE ELE, POIS ENSINOU A PENSAR E AINDA TRANSMITIU O QUE SABIA. COM TANTAS PREMISSAS, E, TENDO APRENDIDO A DINÂMICA DA ANÁLISE E SÍNTESE, VAI MAIS LONGE QUE O MESTRE ANTECESSOR. CASO CONTRÁRIO, ESTAMOS DIANTE DE UM MERO LIMITADO.
27 de abril de 2012 às 22:30 ·

Ricardo Bing Reis PARA MIM, O IMPORTANTE MESMO É SER UM PENSADOR VOLTADO PARA SUAS LIMITAÇÕES, VISANDO ATENUÁ-LAS. ASSIM, MELHORANDO À SI, MAIS ADEQUADAMENTE CONSEGUIRÁ AJUDAR SUA FAMÍLIA E SEUS GRUPOS SOCIAIS.
28 de abril de 2012 às 14:06

'TESTE SOBRE QUE TIPO DE PENSADOR VOCÊ É'! NÃO FIZ O TESTE, MAS POSTEI. É UMA FORMA DE PENSAR.

Ricardo Bing Reis HAJA VISTO NAS REDES SOCIAIS, POUCAS PESSOAS DE FATO SE DÃO TRABALHO DE PENSAR. PEGAM FRASES FEITAS E RACIOCÍNIOS PRONTOS; E POSTAM, REFERINDO CONCORDAR OU DISCODAR. MAS NADA, OU QUASE NADA, DESENVOLVEM SOBRE O TEMA POR OPINÕES PRÓPRIAS. POR OUTRO LADO, ISTO NÃO CHEGA A COMPROVAR QUE NÃO RACIOCINEM, MAS TALVEZ TEMOR EM EXPOR O QUE REALMENTEM PENSAM E, PRINCIPALMENTE, SENTEM. TEMEM REJEIÇÃO POR NÃO RECEBEREM O POLEGAR PARA CIMA DO 'CURTIR'. NESTE CASO, MESMO SENDO UM PENSADOR, O É NA CONDIÇÃO DE AINDA TER MUITO O QUE PENSAR, POIS NÃO CHEGOU ATÉ AGORA NA TEMÁTICA 'DO CONTRADITÓRIO E TOLERÂNCIA'. MENOS AINDA DE ACEITAÇÃO, DE SUAS LIMITAÇÕES. OU AUTO-CONHECIMENTO MESMO. LONGO CAMINHO À PERCORRER. MAS, 'JOGAR' SUAS IDÉIAS, TALVEZ LHE DÊ RETORNO DE PREMISSAS PARA ACELERAR SUA EVOLUÇÃO. MAS, ISTO, CASO ENCONTRE UM BOM PENSADOR, O QUE, NEM PENSAR(!), É FÁCIL.
28 de abril de 2012 às 14:03

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

____________________________________________

 

 

____________________________________________

NEM SÓ UMA COISA, NEM SÓ A OUTRA. POR QUE O HÁBITO DE 'OU/OU' AO INVÉS DO 'E/OU'? POR QUE SER PELA METADE (?), SE PODE-SE SER MAIS COMPLETO? TALVEZ PORQUE PENSAR EXIGE REFLEXÃO, CONHECIMENTOS E INTELIGÊNCIA. E, TALVEZ, ISTO NÃO SEJA COMUM À TODOS!... / DAÍ O RECURSO: ...'SIGA SUAS EMOÇÕES'... / MAS ISTO PASSA LONGE DO REQUINTE: ...'ELABORE SUAS EMOÇÕES!'... / É COMO A PEDRA BRUTA E A PEDRA LAPIDADA. A PREGUIÇA TE DEIXA COM A PEDRA BRUTA. BEM, DEPOIS NÃO SE QUEIXE...

 

EMOÇÕES E SENTIMENTOS> HISTÓRICO MILENAR, SECULAR E ATUAL DOS CHAMADOS 'SETE PECADOS CAPITAIS'; QUE COMO PODE-SE VER, SÃO MERAS EMOÇÕES E SENTIMENTOS: 1-SOBERBA; 2-AVAREZA; 3-IRA; 4-INVEJA; 5- LUXÚRIA; 6- PREGUIÇA; 7- GULA.

Ricardo Bing Reis RACIONALIZAÇÃO > AQUI ESTÃO INCLUÍDOS AS 'SETE VIRTUDES', PARA COMBATER OS 'SETE PECADOS CAPITAIS': 1- HUMILDADE (SOBERBA); 2- GENEROSIDADE (AVAREZA); 3- PACIÊNCIA (IRA); 4- CARIDADE (INVEJA); 5- CASTIDADE (LUXÚRIA); 6- DISCIPLINA (PREGUIÇA); 7-TEMPERANÇA (GULA).
23 de abril de 2012 às 22:48

Ricardo Bing Reis NÃO ESTOU FAZENDO RACIOCÍNIO DE JUÍZO, MAS DE ILUSTRAÇÃO.
23 de abril de 2012 às 22:49

Ricardo Bing Reis OS 'SETE PECADOS CAPITAIS', PELO RIGOR, PODEM TER CAUSADO UM EFEITO HIPER-CORRETIVO EM MUITAS PESSOAS, GERANDO NELAS 'SENTIMENTO DE CULPA'.
30 de abril de 2012 às 00:36

CONTENTAMENTO > SERIA UM MENOR DESCONTENTAMENTO.

Ricardo Bing Reis MELHORISMO > CONSIDEREMOS QUE A PESSOA NÃO TENHA ALTERAÇÃO PATOLÓGICAS NOS NÍVEIS NEURO-BIOQUÍMICOS DO MEDO, DA RAIVA OU ÂNIMO/DEPRESSÃO; OU, SE TENDO, MAS CONSEGUIU UMA ADEQUADA COMPENSAÇÃO POR AÇÃO MEDICAMENTOSA JUNTO AO PSIQUIATRA; ENTRAMOS NUM PASSO SEGUINTE.
26 de abril de 2012 às 18:26

Ricardo Bing Reis MELHORISMO > AGORA, TEMOS AINDA A PARTICIPAÇÃO DOPSIQUISMO, QUE TEM RELAÇÃO AOS FATORES AMBIENTAIS. DESDE O NASCIMENTO, ATÉ A MORTE. O AMBIENTE FAMILIAR NA SUA INFÂNCIA, OS APRENDIZADOS DE VALORES OU DESVALORES NAQUELA FAMÍLIA, ETC. DEPOIS, APRENDIZADOS NA ESCOLA, COM OS COLEGAS, COLEGAS-AMIGOS E AMIGOS; ALÉM, CLARO, DOS PROFESSORES. DEPOIS, NOS PRIMEIROS RELACIONAMENTOS AMOROSOS E GRANDES TESTES PROFISSIONAIS COMO ESTÁGIOS, CURSINHOS, CURSOS, VESTIBULAR, PROVAS SERIADAS, ETC. TAMBÉM FORMAÇÃO RELIOSA, CRENTE OU NÃO.
26 de abril de 2012 às 18:31 ·

Ricardo Bing Reis MELHORISMO > TAMBÉM VAGUEIA AQUI PELO PSIQUISMO, TUDO QUE ASSIMILAMOS VIA JORNAIS, REVISTAS, TELEVISÃO, INTERNET, ETC. TUDO FOMENTANDO NOSSAS FANTASIAS, DE FORMA FAVORÁVEL E/OU DESFAVORÁVEL.
26 de abril de 2012 às 18:34

Ricardo Bing Reis MELHORISMO > ACHO QUE O PSIQUISMO É TOMADO POR UM 'TSUNAMI' DE INFORMAÇÕES, QUE NOS ATINGEM DE FORMA ATABALHOADA, ORIUNDAS GERALMENTE, DE UM 'POBRE' 'SENSO COMUM'!... COMO PENSAR BEM SE, O 'SENSO COMUM PENSA DE FORMA COMUM', E TE CONVOCA A VIR JUNTO, CEGAMENTE?! ALÉM DO QUÊ, COMO ESPERAR QUE, POR EXEMPLO, UM JOVEM DE 18 ANOS JÁ SAIBA DISCERNIR-SE POR ENTRE ESTAS COMPLEXAS ENTRANHAS?
26 de abril de 2012 às 18:38

Ricardo Bing Reis MELHORISMO > ENTÃO, O PSIQUISMO DE CADA PESSOA É UM UNIVERSO, COM VARIANTES INFINITAS; E QUE, AINDA PIOR, SE SOBREPÕE À MENTE-ORGÂNICA, OUTRO UNIVERSO. TE´RIAMOS ENTÃO. UM UNIVERSO DENTRO DE OUTRO.
26 de abril de 2012 às 18:40

Ricardo Bing Reis MELHORISMO > COMO, O QUE SE PASSA DE PSÍQUICO NA CABEÇA DAS PESSOAS SÃO 'BALAS SORTIDAS', CADA QUAL TEM SUAS DIFERENTES PREMISSAS E SEUS DIFERENTES ESTILOS DE PENSAMENTO, MAS GERALMENTE CIRCUNSCRITO AOS LIMITES DO 'SENSO COMUM'. PARA PROFISSIONAIS PODEREM EXERCER OS TRATAMENTOS NESTA ÁREA UNIVERSAL, FREUD FUNDAMENTOU A 'TEORIA DA DINÂMICA PSICANALÍTCA', QUE, DE UMA CERTA FORMA, 'JÁ CIRCULAVA POR AÍ', NÃO TENDO SIDO CRIADA POR ELE, MAS SIM FUNDAMENTADA, ORGANIZADA POR ELE. APARTIR DESTA, AGORA SIM, LITERALMENTE CRIOU UMA 'TÉCNICA PSICANALÍTICA TERAPÊUTICA', OU SIMPLESMENTE CHAMADA 'PSICANÁLISE'. SEU MODELO INICIAL, FOI APERFEIÇOADO POR DIVERSOS COLABORADORES, DESDE LOGO, ATÉ OS DIAS DE HOJE. É UMA TÉCNICA SEMPRE EM EVOLUÇÃO.
26 de abril de 2012 às 18:51

CONTENTAMENTO > SERIA UM MENOR DESCONTENTAMENTO. CONT.

Ricardo Bing Reis DEPOIS, SURGIRAM ADAPTAÇÕES PARA FORMATAÇÕES TÉCNICAS MAIS SIMPLIFICADAS, DE ACORDO COM AS NECESSIDADES E POSSIBILIDADES DAS PESSOAS. SURGIRAM ENTÃO, AS PSICOTERAPIAS. E, ESTAS, SÃO DE VARIAÇÕES TÉCNICAS MUITO NUMEROSA. SÃO AS DIFERENTES PSICOTERAPIAS.
26 de abril de 2012 às 18:54

Ricardo Bing Reis A 'TÉCNICA PSICANALÍTICA' É EXERCIDA PELOS PSICANALISTA; A 'TÉCNICA PSICOTERÁPICA', PELO PSICOTERAPEUTA. E, ENTÃO, CUIDAR PARA NÃO CONFUNDIR-SE COM O CAMPO DE AÇÃO DO PSIQUIATRA OU NEURO-PSIQUIATRA. SÃO ÁREAS DISTINTAS; ONDE 'CADA MACACO TENDE A FICAR NO SEU GALHO'. MAS ISTO NEM SEMPRE É ASSIM. PROFISSIONAIS DA ÁREA ORGÂNICA INTERFEREM NA PSÍQUICA, E VICE-VERSA. MAS CUMPRE-SE NOTAR QUE MUITOS APRESENTAM FORMAÇÃO MISTA E PODEM SIM EXERCER AMBAS COM DESTREZ, JÁ QUE SÃO AFINS E SE COMPLEMENTAM.
26 de abril de 2012 às 18:58

Ricardo Bing Reis MELHORISMO > VAMOS AGORA CONSIDERAR QUE, MEDIANTE PSICANÁLISE OU PSICOTERAPIA, O NECESSITADO POR 'DESAJUSTE' PSÍQUICO TENHA, POR ELABORAÇÃO DA RAZÃO, ADQUIRIDO O SATISFATÓRIO NÍVEL PSÍQUICO. E TAMBÉM CONSIDEREMOS AQUELE QUE NUNCA CHEGOU A PRECISAR DE PSICOTERAPIA (COISA QUE DUVIDO QUE EXISTA, MAS ESTÃO TODOS 'SOLTOS' POR AÍ, EM SEUS 'SENSOS COMUNS'!).
26 de abril de 2012 às 19:02

Ricardo Bing Reis MELHORISMO > CONTINUANDO NOSSO EXERCÍCIO DE RACIOCÍNIO, NESTE MOMENTO, FINALMENTE ESTARÍAMOS 'ZERADOS'. UM FICTÍCIO, MAS SATISFATÓRIO 'ZERO KM NEURO-BIOQUIMICAMENTE' E ACRESCIDO DE FICTÍFIO, MAS SATISFATÓRIO 'ZERO KM PSÍQUICO'. OK? SIM!
26 de abril de 2012 às 19:05 ·

Ricardo Bing Reis ESTRUTURA E DINÂMICA PSICO-MENTAL > JÁ RENÉ DESCARTES, HÁ SÉCULOS, EMBORA NEM SEQUER MÉDICO FOSSE, CONSEGUIU DEFINIR ISTO MELHOR QUE MUITOS NEURO-CIENTISTAS E PSICANALISTAS DE HOJE CONSEGUEM FAZER. O LIVRO 'O ERRO DE DESCARTES' TALVEZ FOSSE MELHOR ENTITULADO 'OS INCONTÁVEIS ACERTOS DE DESCARTES(!)'. JÁ LEA DESCREVIA A LINHA TÊNUE QUE SEPARA A 'NEUROBIOQUÍMICA MENTAL ORGÂNICA' DO 'PSIQUISMO ABSTRAÍDO DA PRIMEIRA'. OBSERVE QUE DISTÚRBIOS (DOENÇAS) QUE ATINGEM AS ÁREAS DO MEDO, E/OU DA RAIVA, E/OU DA DEPRESSÃO; TENDEM A DESCOMPENSAR, E MUITO, O PENSAMENTO DAQUELE PADECENTE, SEU PSÍQUICO PASSA A RACIOCINAR, TENDO, POR EXEMPLO, O MEDO, A RAIVA, A DEPRESSÃO COMO PANO DE FUNDO. EXEMPLIFICANDO, EM DEPRESSÃO ORGÂNICA, O SENTIMENTO DE DESÂNIMO LEVA A PESSOA A RUMINAR PENSAMENTOS DE FRUSTRAÇÃO E FRACASSOS. EM CONTRA-PARTIDA, OS PENSAMENTOS EM ESTADO DE 'TRANSTORNO', ATIVAM AS ÁREAS DO MEDO, E/OU DA RAIVA, E/OU DA DEPRESSÃO. 'PODE-SE ENTRAR NUMA ESTRADA DE POEIRA ONDE NINGUÉM SE ENCONTRA'!...
26 de abril de 2012 às 19:55

Ricardo Bing Reis MELHORISMO > ALÉM DE TUDOO, MUITOS QUADROS SÃO MISTOS, UMA CONJUGAÇÃO ENTRE O ORGÂNICO / 'NATURE' COM O PSÍQUICO / 'NURTURE'. DAÍ, MUITAS VEZES, ESTAR INDICADO TRATAMENTO TAMBÉM MISTO: PSIQUIÁTRICO/MEDICAMENTOSO E PSICANALÍTICO/PSICOTERAPÊUTICO. HAJA DINHEIRO PARA PAGAR PASIQUIATRA, COM PRAR REMÉDIOS E AINDA O PSICOTERAPEUTA!...
26 de abril de 2012 às 20:10

Ricardo Bing Reis MELHORISMO > QUANDO POR SUBMETER-SE À TUDO ISTO, IMAGINA-SE QUE, COMO RESULTADO FINAL, ATINGIR-SE-Á O 'NIRVANA'. MAS, PELO MENOS À NÍVEL PSICO-NEUROBIOQUÍMICO, ESTE NÃO EXISTE, SENDO, PORTANTO INALCANÇÁVEL. ACHO EU. E, AO TERMINAR AS FASES DIAGNOSTICADAS COMO TEREM QUE SER PERCORRIDAS, QUAL A SURPRESA DE NÃO CHEGAR-SE À FELICIDADE; SENDO ISTO UM POUCO DECEPCIONANTE, SENDO ISTO UM POUCO FRUSTRANTE, MESMO TENDO SIDO O RESULTADO SUFICIENTEMENTE SATISFATÓRIO!...
26 de abril de 2012 às 20:15 ·

CONTENTAMENTO > SERIA UM MENOR DESCONTENTAMENTO. CONT.

Ricardo Bing Reis MELHORISMO > DESTE PONTO EM DIANTE, NADA MAIS SE ENCONTRA EM COMPÊNDIOS DE PSIQUIATRIA E NEUROCIÊNCIA. NADA MAIS SE ENCONTRA EM COMPÊNDIOS DE PSICANÁLISE E PSICOTERAPIAS. ACHO. ALGO EM FILOSOFIA, E ERA ISTO!
26 de abril de 2012 às 20:17

ROQUÍMICO E TAMBÉM O PROCESSO 'PSICOTERAPÊUTICO' POR LONGOS PERÍODOS (DE ANOS), PERCEBI QUE SEMPRE FALTAVA UM 'ALGO MAIS' QUE NINGUÉM INTERPRETAVA POR 'DESCONTENTAMENTO'. TUDO, MENOS 'DESCONTENTAMENTO'.
26 de abril de 2012 às 20:20

Ricardo Bing Reis MELHORISMO > FOI ENTÃO QUE COMECEI A TRABALHAR EM CIMA DE UMA FACILIDADE QUE TENHO, O 'AUTO-DIDATISMO' E ESTUDO INDIVIDUAL. FOCADO NA TEMÁTICA. LIDO COM ESTES ASSUNTOS HÁ 30 ANOS OU MAIS; SEM SER PSIQUIATRA, MAS TENDO FEITO UM CURSO DE QUALIFICAÇÃO EM PSICOTERAPIA, POA ANO E MEIO; VISANDO NÃO CLINICAR, MAS PURAMENTE PARA ACULTURAÇÃO. VISAVA PREMISSAS PARA MELHOR NORTEAR MEUS PENSAMENTOS. APRENDI MUITO NESTE 'CURSO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL PSICOTERÁPICA'.
26 de abril de 2012 às 20:23

Ricardo Bing Reis MELHORISMO > E, GRANDE PARTE DOS PSIQUIATRAS E/OU PSICOTERAPEUTAS, NÃO PODEM, PELA LÓGICA, COMUNGAREM COM ESTE MEU PRINCÍPIO DO 'DESCONTENTAMENTO', VISTO SEREM WORKAHOLICS (NEM TODOS!), O QUE SERIA A ANTÍTESE DO MELHORISMO QUE PRECONIZO PARA ESTA INSATISFAÇÃO BASAL.
26 de abril de 2012 às 20:30

Ricardo Bing Reis MELHORISMO > E, COMO EU MESMO DEFINIRIA 'DESCONTENTAMENTO'? DIFÍCIL PERGUNTA, MAS OUSARIA EM RESPONDER, QUE SERIA UMA MISTURA DE: UMA DOSE LEVE DE MEDO/ANSIEDADE + UMA DOSE LEVE DE IRRITABILIDADE + UMA DOSE LEVE DE DEPRESSÃO/DESÂNIMO/VAZIO. E, ESTE BARRIL DE PÓLVORA, FORMADO DE PEQUENAS DOSESE, MAS DE TUDO, PODEM, DEPENDENDO DO TAMANHO DO PAVIU, EXPLODIR MAIS OU MENOS NO COTIDIANO, DEPENDENDO TAMBÉM DELE, COTIDINO.
26 de abril de 2012 às 20:34

Ricardo Bing Reis MELHORISMO > E É JUSTO NO 'MEXER DO COTIDIANO' QUE PODE-SE ATENUAR MAUITO O DESCONTENTAMENTO, TRAZENDO À UMA SITUAÇÃO QUASE BASAL. E, O QUE SERIA A SITUAÇÃO BASAL? NÃO SABERIA QUANTIFICAR, MAS IMAGINARIA QUE VARIA EM INENSIDADE E QUALIDADE, DE PESSOA PARA PESSOA; POIS, COMO JÁ MENCIONEI, CADA CÉREBRO É UM CÉREBRO E CADA QUAL COM SUAS CIRCUNSTÂNCIAS.
26 de abril de 2012 às 20:37 ·

Ricardo Bing Reis MELHORISMO > É CHEGADO UM MOMENTO, ONDE NEM MAIS OS PSIQUIATRAS NEM OS PSICOTERAPÊUTAS, PODEM MUITO MAIS LHE AJUDAR. É A HORA DO 'CADA UM PER SI'. OU SEJA, A HORA DE CADA UM ANALISAR, PENSAR E CONCLUIR SOBRE, O QUE LHE DÁ OU NÃO PRAZER.
27 de abril de 2012 às 22:57

Ricardo Bing Reis E, OFERECER-SE PRAZER, POR INCRÍVEL E PARADOXAL QUE POSSA PARECER, EXIGE ESFORÇO. MUITO ESFORÇO. JAMAIS ESPERE QUE ELE VENHA ATÉ VOCÊ. VOCÊ TEM QUE IR, OBSTINADAMENTE, ATRÁS DELE. QUEM ESPERA, RECEBE O 'NADISMO', OU SEJA, OU 'NÃO FAZER NADA', QUE, PARA MIM, É O TÉDIO. ESTE, À MIM, É DESAGRADÁVEL. À OUTROS, PODE ATÉ SER AGRADÁVEL, ACREDITE. SE, PARA VOCÊ, ASSIM COMO PARA MIM, O TÉDIO É DESAGRADÁVEL, EMPENHE-SE EM ATIVIDADES ANTI-TÉDIO. QUAIS?
27 de abril de 2012 às 23:01

 

 

CONTENTAMENTO > SERIA UM MENOR DESCONTENTAMENTO. CONT.

Ricardo Bing Reis AS ATIVIDADES ANTI-TÉDIO, EXIGEM CRIATIVIDADE SUA EM DESCOBRIR DE SI MESMO, O QUE O DEIXA MENOS ANSIOSO; E, ATÉ, MUITÍSSIMO EMPOLGADO. É O QUE CHAMO DE 'ÓCIO CRIATIVO'.
27 de abril de 2012 às 23:03

Ricardo Bing Reis A EXPRESSÃO 'ÓCIO CRIATIVO': FOI IDEALIZADA POR 'DOMÊNICO DEMASI'; MAS A UTILIZO NUM SENTIDO DE IDA E DE VOLTA. DE IDA: PARA TER O ÓCIO, HÁ DE SE TER TEMPO. PARA SE TER TEMPO, HÁ DE SE DESCONTÁ-LO DE UM POSSÍVEL EXCESSO DE TRABALHO ('ANTI-WORKAHOLICISMO'). TENDO O TEMPO LIVRE 'LIBERADO', EXERCER, NELE, AQUELA(S) ATIVIDADE(S) QUE LHE TRAZEM PRAZER, OU MAIS, EMPOLGAÇÃO. VOCÊ 'CRIOU' EM SI MESMO, NÃO IMPORTANDO O QUE É. PODE SER JOGAR BOLITAS OU PING-PONG.
27 de abril de 2012 às 23:16 ·

Ricardo Bing Reis DE VOLTA: O TEMPO LIVRE NÃO PODE SER DESPERDIÇADO, OU SEJA, NÃO PODE SER ENTREGUE AO TÉDIO, A NÃO SER QUE JUSTO ESTE TE SEJA PRAZEROSO, PELO 'NADISMO'; COISA QUE NÃO ACREDITO MUITO. LUTE POR ACHAR SUAS ATIVIDADES PREFERENCIAIS E PELO DIREITO EM EXERCÊ-LAS. ESTÁ NA MODA O QUE, PARA MIM, É UMA EXPRESSÃO QUE ME SOA DESAGRADÁVEL, POR MOTIVO QUE EU MESMO DESCONHEÇO. TALVEZ PELA RELAÇÃO CAUSA-EFEITO: 'QUALIDADE DE VIDA'. OBSERVE VOCÊ QUE QUALQUER REPORTAGEM, ARTIGO (INCLUSIVE MÉDICO), PROGRAMAS DE TELEVISÃO, DOCUMENTÁRIOS, ETC; IMEDIATAMENTE, ATO DIRETO PADRONIZADO, INICIAM E TERMINAM EM FALAR NOS EXERCÍCIOS E ALIMENTAÇÕES SAUDÁVEIS. NADA, NADA MAIS SE TIRA DESTA EXPRESSÃO, QUE, PORTANTO, DESPREZO E NÃO USO. EXERCÍCIO NÃO É PRAZEROSO PARA MUITA GENTE. COMO PARA MIM NÃO É. COMER DE FORMA SAUDÁVEL, NÃO É UM PRAZER DE MINHA VIDA, EMBORA IMPORTANTE QUE SE FAÇA.
27 de abril de 2012 às 23:23

Ricardo Bing Reis ORA, SE EU DEPENDER DESTES 2 FATORES PARA TER A BOBA 'QUALIDADE DE VIDA', ESTOU CONDENADO À MELANCOLIA ETERNA!
27 de abril de 2012 às 23:24 ·

Ricardo Bing Reis NÃO SE DISCUTE QUE, ASSIM COMO A FAMÍLIA É TRABALHOSA PARA OS PAIS E/OU FILHOS DE PAIS ANSIÃOS; TANTO TAMBÉM O É PRAZEROSA. MAS NÃO É DESTE PRAZER COLETIVO DE QUE FALO, EMBORA IMPORTANTÍSSIMO E, ATÉ, SUFICIENTE PARA MUITOS. PARA MIM, ALÉM DESTE PRAZER FAMILIAR, PRECISO DE PRAZERES INDIVIDUAIS; QUE NÃO SÃO COMUNGADOS PELOS DEMAIS DA MINHA FAMÍLIA. E, NEM PRECISARIA, POIS 'GOSTO É GOSTO'.
27 de abril de 2012 às 23:27

Ricardo Bing Reis O QUE GOSTO DE FAZER JÁ MUDOU DEZENAS DE VEZES DURANTE AS DIFERENTES FASES DO DESENVOLVIMENTO DA MINHA VIDA. E, ACREDITO, CONTINUARÃO EM DINAMISMO. BASTA 'ENJOAR', QUE MUDO.
27 de abril de 2012 às 23:29

Ricardo Bing Reis NO MOMENTO, GOSTO DE FUTEBOL, FAZER MEUS SITES, ALGUNS RAROS FIÉIS AMIGOS E PRONTO. ISTO JÁME TOMA TODO TEMPO LIVRE, QUE LUTO DIARIAMENTE PARA OBTER. NÃO SOU VICIADO EM COMPUTADOR, MAS NOS MEUS SITES QUE ESTÃO DISPONÍVEIS À MIM VIA COMPUTDOR. MAS É FASCÍNIO, NÃO FISSURA. EM BREVE, MUDO DE VALORES SE A MIM FOR CONVENIENTE. E, NÃO RARO, O FAÇO.
27 de abril de 2012 às 23:33

Ricardo Bing Reis COM TUDO ISTO, TENTO REDUZIR MEU 'ETERNO DESCONTENTAMENTO INATO' EM SEU MÍNIMO BASAL. REPITO, TENTO.
27 de abril de 2012 às 23:34

Ricardo Bing Reis ME PARA-FRASEANDO: RELATIVO AO CONTENTAMENTO; PROVAVELMENTE A MELHOR CONDUTA PARA ATENUAR O 'ETERNO DESCONTENTAMENTO INATO DO SER HUMANO', É O TEMPO LIVRE', PARA SER APLICADO EM 'ÓCIO CRIATIVO'; OU SEJA, EM 'MOMENTOS DE PRAZER / ALEGRIA'; O QUE, SE NÃO CHEGA A TRAZER A FELICIDADE, AO MENOS DIMINUI SIGNIFICATIVAMENTE A INFELICIDADE. E, PARA TER ESTE 'TEMPO LIVRE' (E SER BEM MENOS INFELIZES), 'HÁ DE SE DESEJAR MENOS'. RATIFICANDO: 'HÁ DE SE DESEJAR MENOS'. MENOS 'QUERERES'!...
28 de abril de 2012 às 01:43 ·

Ricardo Bing Reis PARA QUERER MENOS, ACHO QUE EXIGE UMA DOSE DE TREINAMENTO. RESISTIR RELATIVAMENTE A CERTOS DESEJOS. ENTÃO, COMEÇA-SE A PERCEBER QUE AQUELAS COISAS, MUITAS DELAS, SÃO PRESCINDÍVEIS, OU O SÃO PELO MENOS NAQUELE MOMENTO. UMA DAS TÉCNICAS PSICOTERÁPICAS MUITO EM VOGA ATUALMENTE É A 'TERAPIA COGNITIVO-COMPORTAMENTAL'. DIRIA QUE APRENDE-SE A QUERER MENOS TAL COMO SE FUNDAMENTA ESTA TÉCNICA: POR COMPREESÃO / 'COGNIÇÃO', IDENTIFICA-SE A ATITUDE NÃO DESEJADA (NO CASO, O CONSUMISMO) E PRETICA-SE REITERADAS VEZES O NÃO CONSUMIR SUPÉRFLUO. REPETIR, REPETIR, REPETIR; ATÉ TORNAR-SE UM HÁBITO, UM 'ATO REFLEXO' DE NÃO DESEJAR TANTO. DE FORMA ALGUMA PRECONIZO O DESPREENDIMENTO DE COISAS MATERIAIS; QUE ME AGRADAM E MUITO. MAS SIM, CONSUMIR SEM COMPOROMETER MUITO SUA RENDA, PARA DAR-SE AO LUXO DE PODER TRABALHAR MENOS, DAR-SE AO LUXO DE PODER DEIXAR DE GANHAR DINHEIRO. SEM AQUELE CARNET GROSSO DE PARCELAS ENORMES NO CANTO DA MESA, VOCÊ PODE OUSAR TER O DOMÍNIO DE SUA VIDA; AO INVÉS DE SER DOMINADO PELO CARNET. ASSIM, SE OBTÉM O TEMPO LIVRE. E NELE, SE CULTIVA O 'ÓCIO CRIATIVO'.
28 de abril de 2012 às 01:54

CONTENTAMENTO > SERIA UM MENOR DESCONTENTAMENTO. CONT.

Ricardo Bing Reis NO ENTANTO, TUDO, MAS TUDO MESMO QUE RELATEI, PARA MIM, SÃO ATENUANTES. SÃO MEDIDAS QUE VISAM REDUZIR AO MÁXIMO POSSÍVEL O 'ETERNO DESCONTENTAMENTO INATO DO SER HUMANO', QUE PENSO VARIAR DE PESSOA PARA PESSOA. DESTA FORMA, O TAL DE 'NIRVANA', PARA MEUS PENSARES NÃO EXISTE, MAS NÃO FALTAM LITERATURAS E PREGADORES EM CONTRÁRIO; DE QUE, ADERINDO-SE À CERTAS CRENÇAS, SEITAS E MIRABOLÂNCIAS, ATINGIRÁS A PLENA FELICIDADE. MEDIANTE MEDITAÇÕES, PRÁTICAS ORIENTAIS DE LEVITAÇÃO DO ESPÍRITO, ETC. ACHO QUE AS INQUIETUDES SE ATENUAM, MAS NÃO DESAPARECEM JAMAIS.
28 de abril de 2012 às 02:00

Ricardo Bing Reis ASSIM, FICARÁ SEMPRE UM RESÍDUO DE ANSIEDADE, COM UM RESÍDUO DE IRRITABILIDADE, COM UM RESÍDUO DE DEPRESSÃO / VAZIO; IMAGINO QUE EM TODOS OS SERES HUMANOS, DURANTE TODA SUAS EXISTÊNCIAS.
28 de abril de 2012 às 02:01

Ricardo Bing Reis MAS NUNCA FALTARÃO AQUELES QUE DIZEM SER 'MUITO FELIZES', TEREM TUDO QUE GOSTAM, TEREM TUDO QUE PRECISAM. RICOS OU POBRES, BRANCOS OU NEGROS, CULTOS OU INCULTOS, BELOS E FEIOS; ETC. SEMPRE ENCONTRAR-SE-Á OS 'EXEMPLOS DE FELICIDADE', QUE PODERIAM ESCREVER O LIVRO 'ENSINO-TE A SER FELIZ'. QUE DESCONHEÇO EXISTÊNCIA.
28 de abril de 2012 às 02:05

Ricardo Bing Reis DITO TUDO ISTO, NÃO ME CAUSA SURPRESA SE UMA CRIANÇA OU ADOLESCENTE DISSESSE-ME AO ACORDAR: 'DEUS MEU, VAI COMEÇAR OUTRO DIA, TUDO DE NOVO, COMO TODOS DIAS, O DIA TODO'! ISTO NÃO ME CAUSARIA NEM PREOCUPAÇÃO. E, PASME, ME CAUSARIA ESPANTO POR VER NAQUELA PESSOA, JÁ EM TÃO TENRA IDADE, EM SUA PERCEPÇÃO, DE QUE A VIDA É PARA ELE, COMO EM REALIDADE É. ANIMARIA-ME COM SUA INTELIGÊNCIA E PODER DE DEDUÇÃO DESDE JÁ DAS DIFICULDADES DO COTIDIANO. DE QUE TEMOS QUE LUTAR (QUASE) TODOS OS DIAS E (QUASE) O DIA TODO. O QUE DIZER À ELE? A VERDADE.
28 de abril de 2012 às 02:12

Ricardo Bing Reis A VERDADE É QUE, ACORDAR CEDO, PARA IR ESTUDAR É TRABALHOSO E CHATO. ESTUDAR MUITAS VEZES É CHATO. E, DIZER, PRINCIPALMENTE, QUE ESTAS COISAS CHATAS JAMAIS ACABARÃO. POIS DEPOIS DE ESTUDAR, TERÁ QUE ACORDAR CEDO PARA IR TRABALHAR, E TRABALHAR, MUITAS VEZES É CHATO.
28 de abril de 2012 às 02:14

Ricardo Bing Reis ALGUMAS CRIANÇAS DIZEM GOSTAR DE IR À ESCOLA. ESMIUÇANDO A CONVERSA, QUASE SEMPRE ACABO OUVINDO DELAS QUE GOSTAM É DO RECREIO, DA MERENDA, DA EDUCAÇÃO FÍSICA, DE VER E CONVERSAR COM OS AMIGOS. JÁ É ALGO, MAS DA AULA EM SI, NINGUÉM NADA FALA. E, QUANDO A CRIANÇA REFERE QUE GOSTA ATÉ DA AULO, FICO COM UMA MOSCA ATRÁS DA ORELHA EM DESCONFIANÇA DE QUE TALVEZ O AMBIENTE FAMILIAR NÃO SEJA AGRADÁVEL, NÃO SEJA SUFICIENTEMENTE ATRATIVO; 'REFUGIANDO-SE' NA ESCOLA. ISTO, SEM NEM ENTRAR NO CAMPO DOS MAUS TRATOS E CASOS DE FAMÍLIAS CAÓTICAS.
28 de abril de 2012 às 02:17

Ricardo Bing Reis ASSIM, PARADOXALMENTE, FICO FELIZ QUANDO MINHAS FILHAS REFEREM PREFERIR FICAR EM CASA. ISTO SIGNIFICA PARA MIM QUE O AMBIENTE EM CASA ESTÁ SUFICIENTEMENTE BOM. SALVO TAMBÉM CASOS DE BULLYING QUE NÃO VOU COMENTAR AQUI, JÁ QUE ESTOU VOLTADO PARA O GROSSO MODO, E NÃO PARA AS EXCESSÕES.
28 de abril de 2012 às 02:19

Ricardo Bing Reis ACHO UM ABSURDO CERTOS PAIS QUE DIZEM AOS FILHOS: 'FULANO, É TÃO BOM IR PARA ESCOLA; VAMOS QUE É BACANA'!... NA MINHA OPINIÃO, O QUE ESTE PAI ESTÁ, AO FINAL, FAZENDO, É GERAR UM CONFLITO INTERNO NO JOVEM, POIS O PAI LHE DIZ SER BOM ALGO QUE ELE, JOVEM, ACHA CHATO. VAI QUE ACABA POR JULGAR-SE ANORMAL. SEMPRE DIGO À MINHAS FILHAS: 'ESTUDAR NÃO É PARA SER BOM, É PARA FAZER E PRONTO; ASSIM COMO, NO FUTURO, TRABALHAR NÃO É PARA SER BOM, É PARA SE FAZER E PRONTO'.
28 de abril de 2012 às 02:23

Ricardo Bing Reis EVIDENTEMENTE HÁ JOVENS QUE DE FATO GOSTAM DE IR ÀS AULAS E ESTUDAR. EU, PARTICULARMENTE, NÃO GOSTAVA DE IR ÀS AULAS, MAS GOSTAVA DE ESTUDAR SOZINHO, DE FORMA AUTO-DIDATA. TAMBÉM SEI DE PESSOAS QUE GOSTAM DE TRABALHAR, MAS NÃO SERIA POR NÃO SABEREM O QUE FAZER COM O TEMPO LIVRE CASO O OBTIVESSE, NÃO TENDO CRIATIVDADE PARA ÓCIO CRIATIVO'. O MODELO POPULAR É O 'WORKAHOLIC' QUE SE DIZ TER QUALIDADE DE VIDA PORQUE NO FIM DO DIA VAI PARA A ACADEMIA FAZER MUSCULAÇÃO OU UMA CORRIDA. PODE ISTO SER SIM PRAZEROSO (EMBORA PARA MIM NÃO SEJA), MAS É MUITO POBRE COMO REAL PRAZER DE EFEITO PROLONGADO. E, O WORKAHOLIC GOSTA DE TRABALHAR MESMO OU É FISSURADO PELO 'FATURAR DINHEIRO'? AMIGO ME DISSE QUE TRABALHO BOM É TRABALHO QUE DÁ MUITO DINHEIRO. ATÉ PODE SER MESMO, MAS A FISSURA É O DANOSO.
28 de abril de 2012 às 02:28

Ricardo Bing Reis OBSERVO O 'KIT-FELICIDADE' > COBERTURA NA CIDADE QUE MORA, CASA EM CONDOMÍNIO NA PRAIA, FLAT NA SERRA, 2 CARROS IMPORTADOS, MUITAS VIAGENS PARA O EXTERIOR EM HOTÉIS 5 ESTRELAS E TOP EM TECNOLOGIA (SEMPRE COM AS ÚLTIMAS E MAIS CARAS PARAFERNÁLIAS ELETRO-ELETRÔNICAS).
28 de abril de 2012 às 02:31

CONTENTAMENTO > SERIA UM MENOR DESCONTENTAMENTO. CONT.

Ricardo Bing Reis TALVEZ MUITAS PESSOAS ADOTEM O 'KIT-FELICIDADE' NO SEU TODO OU EM PARTES, PARA JUSTIFICAR SUAS INFELICIDADES. POR EXEMPLO, 'NÃO ESTOU FELIZ PORQUE NÃO ESTOU CONSEGUINDO COMPRAR O ÚLTIMO MODELO DO MULTI-PROCESSADOR'. VAI QUE ACABA COMPRANDO E PERCEBE QUE A INFELICIDADE NÃO ERA POR AQUILO, MAS PELO CARRO QUE PRECISA SER TROCADO. E, ASSIM, SUCESSIVA E INFINITAMENTE. NESTES CASOS, TEMOS UMA INADEQUADÍSSIMA AMPLIFICAÇÃO E DESAJUSTE DO 'ETERNO E INATO DESCONTENTAMENTO DO SER HUMANO'; QUE NÃO É PARA SER DE TANTO.
28 de abril de 2012 às 02:35

Ricardo Bing Reis NÃO HÁ SAÍDA; NO SENTIDO DE NÃO HAVER COMO APALCAR TOTALMENTE O DESCONTENTAMENTO. MAS, AQUI, TRAÇO UMA ANALOGIA COM O MEU COTIDIANO PROFISSIONAL. MUITAS PESSOAS DESANIMAM AO SABER QUE AS ALERGIAS RESPIRATÓRIAS NÃO TEM CURA, VISTO SEREM DE FUNDO GENÉTICO; E NÃO HAVER COMO ALTERAR-SE OS GENS. PELO MENOS POR ENQUANTO. E, PERCEBO NA MAIORIA DAS PESSOAS, UMA TENDÊNCIA À UM IMPULSO DE ENTÃO NADA FAZER. É ENTÃO QUE DIGO: NÃO HÁCURA, MAS HÁ COMO ADMINISTRAR A ALERGIA, DE FORMA A ATENUÁ-LA TÃO SIGNIFICATIVAMENTE, QUE TE FAZ VIVER QUASE COMO SE NÃO ALÉRGICO FOSSE.
28 de abril de 2012 às 02:39

Ricardo Bing Reis DA MESMA FORMA, SENDO O DESCONTENTAMENTO INATO, GENÉTICO, INERENTE AO CÉREBRO DE TODA A ESPÉCIE HUMANA, COMO EM GERAL, DE TODOS ANIMAIS; TEMOS QUE TENTAR ATENUÁ-LO AO SEU ESTADO BASAL, OU SEJA, AO SEU ESTADO 'MAIS MÍNIMO' POSSÍVEL. E ACEITAR O RESIDUAL. ACEITAÇÃO TEM A VER COM CONFORMAR-SE. ACEITAÇÃO TEM A VER COM TOLERÂNCIA. MAS, ACEITAÇÃO NÃO TEM NADA A VER COM CONFORMISMO. NA ACEITAÇÃO HÁ LUTA. NO CONFORMISMO, NÃO HÁ LUTA. NA ACEITAÇÃO, O INDIVÍDUO PERCORREU ÁRDUAMENTE TODOS OS RECURSOS À SI NECESSÁRIOS, PARA SER O MENOS DESCONTENTE POSSÍVEL, O QUE NÃO DEIXA DE SER UMA FORMA DE FELICIDADE (CASO FELICIDADE FOSSE UMA CIRCUNSTÂNCIA SEMI-CRÔNICA DE POUCA INFELICIDADE). EM OPOSIÇÃO, O CONFORMISMO NÃO TEM LUTA. O INDIVÍDUA DEIXA TUDO POR ISTO MESMO, NÃO PERCORRE AS ETAPAS QUE DEVERIA PARA ATENUAR SEU DESCONTENTAMENTO. FICA UM DESCOMPENSADO CRÔNICO. ESTE, QUE VÁ ATRÁS DO 'KIT-FELICIDADE MATERIAL', MAS QUE É DE FELICIDADE PARA O FABRICANTE, NÃO NECESSARIAMENTE PARA O CONSUMIDOR NÃO RESPONSÁVEL, OU CONSUMISTA.
28 de abril de 2012 às 02:48

Ricardo Bing Reis ACEITEMOS E NOS CONFORMEMOS COM O 'ETERNO DESCONTENTAMENTO INATO DO SER HUMANO', MAS NÃO SEJAMOS CONFORMISTAS FRENTE À ELE. QUEM IMAGINAVA UMA FÓRMULA MINHA PARA APLACÁ-LO, TENHA CERTEZA DA DECEPÇÃO. DE MIM, ISTO NUNCA SAIRÁ. AGORA, SE POR PREGUIÇA OU QUALQUER OUTRO FATOR, RESOLVERES PEGAR UM ATALHO E ADERIR À CRENÇAS TRANSCENDENTAIS, BOA SORTE.
28 de abril de 2012 às 02:52

Ricardo Bing Reis AH, AINDA EM TEMPO, FAZ PARTE DO 'KIT-FELICIDADE' O TRADICIONAL 'AMO O QUE FAÇO(!)'...
28 de abril de 2012 às 02:53

Ricardo Bing Reis E, PARA FINALIZAR, TE TRANSCREVO, IMEDIATAMENTE ABAIXO, E, NA ÍNTEGRA, UM TEXTO QUE CONFECCIONEI PARA O MEU SITE www.osofrimentohumanoeamorte.com.br
28 de abril de 2012 às 04:02

Ricardo Bing Reis SENDO MENOS INFELIZ > NADE CONTRA A CORRENTE E SALVE-SE O QUANTO E ENQUANTO PUDER. ENTRE EM UM 'CÍRCULO-VIRTUOSO' QUE, SE NÃO É GARANTIA DE FELICIDADE, MUITO PROVAVELMENTE TE SERÁ UM FATOR GERADOR DE MENOR DESCONTENTAMENTO, IRMÃO DA INFELICIDADE. PROCURE OBTER MAIS TEMPO LIVRE, PARA, NO ÓCIO CRIATIVO, FAZER AS COISAS QUE GOSTAS. CONSIDERE, E COM CONICÇÃO, QUE MUITAS VEZES NÃO ESTAMOS TRISTES, MAS COM FALTA DE PRAZER. MUITAS VEZES NÃO ESTAMOS DOENTES, MAS COM FALTA DE SAÚDE. PROCURE COLECIONAR MAIS MOMENTOS DE ALEGRIA, MESMO NÃO ATINGINDO, A TALVEZ UTÓPICA E SURREAL FELICIDADE. PROCURE DELETAR AS TRISTEZAS DELETÁVEIS, PARA TE AFASTAR AO MÁXIMO DAQUELA QUE, DE UMA CERTA FORMA, EM CONTRA-PARTIDA, É O PANO DE FUNDO DA EXISTÊNCIA, O DESCONTENTAMENTO E SUA IRMÃ: A INFELICIDADE. VALORIZE O QUE DEIXO ESCRITO AGORA: SER MENOS INFELIZ É UMA GRANDE FORMA DE SUCESSO; É UMA FORMA NOBRE DE SER UM VITORIOSO NUMA VIDA ONDE TUDO PARECE CONSPIRAR CONTRA. ESTE PENSAR DIMINUI EM VOCÊ A COBRANÇA DA FELICIDADE, DIMINUI O PESO À CARREGAR. SABENDO VALORIZAR, COMO SUFICIENTEMENTE SATISFATÓRIO, SER MENOS INFELIZ; FICA MAIS FÁCIL SE APROXIMAR DA SATISFAÇÃO, JÁ QUE, ESTARÍAMOS ASSIM, VENDO O COPO 1/2 CHEIO AO INVÉS DE 1/2 VAZIO. RICARDO BING REIS.
28 de abril de 2012 às 04:17

 

 

 

 

 

 

 

 

FORÇA DE VONTADE E ESTRATÉGIA NORTEIAM PARA MAIOR TENDÊNCIA DE CHEGADA AO SUCESSO ALVO. E, MUITAS VEZES, É UM CAMINHO DIFERENTE DO QUE OS OUTROS COSTUMAM TRILHAR. OUÇA OS OUTROS, PONDERE CONSIGO MESMO, PENSE/ANALISE E TENHA CONVICÇÃO NA SUA CONCLUSÃO. SE SURGIREM OUTRAS EVIDÊNCIAS ATÉ ENTÃO OCULTAS, MUDE A ROTA, MAS NUNCA A FORÇA DE VONTADE. E, SE NÃO CONSEGUIR, NÃO TERÁ SIDO POR DERROTA À SI PRÓPRIO, MAS FATORES EXTERNOS, EXTRA-VOCÊ.

INTERESSANTE. MAS GOSTARIA DE RELATAR QUE OBSERVO EM CERTAS MULHERES, QUE 'TENTAM A RELAÇÃO AFETIVA' COM SABIDOS CANALHAS; JULGANDO SER ELE UM GALINHA POR NUNCA TER ENCONTRADO, ATÉ ENTÃO, UMA MULHER COMO ELA(!). É O PONTO CEGO DO NARCISISMO, FONTE DESTA MAIS UMA 'VÍTIMA'...

UMA DAS SITUAÇÕES POSSÍVEIS DE ISTO ACONTECER, É QUANDO A PESSOA TEM UM QUADRO NEURO-BIOQUÍMICO CAUSADOR DE DEPRESSÃO, ANSIEDADE, AGRESSIVIDADE, ETC. NÃO ADIANTA TANTO FICAR CONVERSANDO COM ESTA PESSOA (EMBORA SEMPRE SEJA UMA ATITUDE ÚTIL E LOUVÁVEL). MAS HÁ DE SE MEDICAR. SEM MEDICAÇÃO, QUALQUER PALAVRA DE APOIO PODE SER SIMPLESMENTE INÚTIL E SEM QUALQUER SIGNIFICADO PARA QUEM OUVE. E, CASO VOCÊ DIGA ...'VOCÊ TEM QUE REAGIR'... TENHA QUASE CERTEZA QUE ESTARÁS PIORANDO AS COISAS, POIS O PADECENTE FICARÁ COM RAIVA, VISTO QUE JÁ TENTA REAGIR À MUITO E NADA ADIANTA. É FALAR MENSPREZANDO OS JÁ TANTOS ESFORÇOS DELE, TENTADOS PARA MELHORIAS. DIZER À QUEM ESTÁ TRISTE É UMA COISA, À QUEM ESTÁ COM DEPRESSÃO ORGÂNICA É OUTRA BEM DISTINTA.

NO ENTANTO, QUANDO VOCÊ QUER REALMENTE RESOLVER UMA QUESTÃO QUE SE ARRASTA, DE UMA VEZ POR TODAS, A SOLUÇÃO É FALAR DE FORMA 100% FRANCA. VIR MONTADO NA VERDADE, TIRA O CONTRA-PONTO, APLACA A CONTROVÉRSIAS.

ACHO QUE NÃO CUSTA NADA OUVIR O QUE OS OUTROS ESTÃO DIZENDO DE TI; OU MELHOR AINDA, QUE COM SINCERIDADE, QUEREM TE FALAR. ROTULAR-SE ONICIENTE É O CAMINHO MAIS RETO PARA ARROGÂNCIA E PERDA DE OPORTUNIDADES; SENDO A PRINCIPAL, MELHORAR CONSIGO MESMO, DIMINUINDO O SEU DESCONTENTAMENTO.

Ricardo Bing Reis O QUE PROCURO FAZER É 'JUNTAR' O QUE OS OUTROS PENSAM AO QUE EU PENSO; DE MIM MESMO, DOS OUTROS, DE OUTRAS COISAS. DEPOIS, PENERO E USO O QUE SAI DE BOM, QUER TENHA VINDO DE MIM, QUER DOS OUTROS. NÃO TENHO A PRETENSÃO DE SER 'A LUZ DAS TREVAS'. POIS O QUE IMPORTA É O 'INSUMO CONSTRUTIVO'. SÓ ISSO.
16 de abril de 2012 às 18:51 ·

O ANSIOSO, POR MEDO EM DESAJUSTE, TEM RECEIO EM MUDAR. ACABA PENSANDO SEMPRE DA MESMA FORMA. O PENSAMENTO LHE É OBSESSIVO, E, SEUS ATOS, COMPULSIVOS. QUEM SE PERMITE PENSAR DE FORMAS DIVERSAS, OBTÉM, POR MAIOR OFERTA, MELHORES ESCOLHAS. ASSIM PENSAR SEMPRE IGUAL NÃO É SINÔNIMO DE 'DETERMINISMO', MAS DE 'CABEÇA-DURA'. ADAPTAR OS PENSAMENTOS QUANDO ADEQUADO, NÃO É 'FALTA DE CONVICÇÃO', MAS ASTÚCIA. O PRIMEIRO, ESTÁ SE DEIXANDO FICAR TOLO, ENQUANTO JULGA O OUTRO COMO 'FRACO'. O SEGUNDO, SENTE-SE SEGURO E LAMENTA-SE PELO PRIMEIRO SER COMO É. SEMPRE FOI E SEMPRE SERÁ ASSIM.

ACHO QUE SOMENTE AS MOTIVAÇÕES PODERIAM VIABILIZAR ISTO. E, TALVEZ, A 'CRIATIVIDADE ENDÓGENA' SEJA A FONTE DOS 'SONHOS REALISTAS' GERADORES DE MOTIVAÇÕES. E, ESTE 'ENGENHO ENDÓGENO', PRECISA ESTAR SEMPRE PRODUZINDO MAIS E MAIS IDÉIAS-SONHOS. SENÃO, A VIDA ACINZENTA E VIRA BREU.

HÁ UNS 10 ANOS, VI DOCUMENTÁRIO NA DISCOVERY CHANNEL, SOBRE A IMPORTÂNCIA DA FOFOCA. ELA TERIA SIM ESTA FACETA MALIGNA, POR DESTRUTIVIDADE. MAS, PARADOXALMENTE AO QUE PENSAMOS SOBRE ELA VIA SENSO COMUM, TEM SIM UMA FUNÇÃO SOCIAL VITAL. É DELA, AQUELA QUE TALVEZ SEJA A MELHOR FORMA DE NOS AUTO-REPRIMIRMOS (NUM SENTIDO POSITIVO DE MANUTENÇÃO DA ORDEM PÚBLICA). É O AUTO-POLICIAMENTO. E, ESTA, SE FAZ ATRAVÉS DA 'DENÚNCIA'. QUANTOS CRIMES DE TODAS NATUREZAS JÁ FORAM ELUCIDADOS PELA DENÚNCIA? E, QUANTOS OUTROS PREVINIDOS? A DENÚNCIA É FORTE ARMA POPULAR TAMBÉM CONTRA CORRUPÇÕES. E, NESTE PARTICULAR, GOSTARIA QUE O JORNALISMO ESPECULATIVO E INVESTIGATIVO, GANHASSE AINDA MAIS FORÇA; DESDE QUE COM SERIEDADE. A DENÚNCIA JUSTA, SERIA A FACETA BOA DA FOFOCA. O DENUNCISMO (DENÚNCIA INJUSTA) E/OU 'FALAR MAL DOS OUTROS' POR INVEJA OU FALTA DE ASSUNTO; A FACETA NOCIVA. SEMPRE LEMBRANDO QUE O CRI-CRI, POR SEU SENTIMENTO DE INFERIORIDADE EM RELAÇÃO AOS OUTROS (DEVIDO AO SEU BAIXO GRAU DE CRIATIVIDADE), CRITICA OS CRIATIVOS, ACHANDO ASSIM ESTAR DESTRUINDO SUAS CRIAÇÕES; COM O QUE SE SENTE MELHOR, NA MÉDIA, NIVELADA POR BAIXO...

Ricardo Bing Reis DIGA 'NÃO' À FOFOCA DESTRUTIVA E 'SIM' À FOFOCA CONSTRUTIVA (DITA 'DENÚNCIA DO BEM'), QUE AJUDA A CUIDAR DA VIDA DE TODOS NÓS.
15 de abril de 2012 às 23:32

SOU FÃ DESTE CARA. ONDE MENCIONA 'ESPÍRITO', TALVEZ SEJA DE INTERPRETAR 'PSIQUISMO'. MUITO SÁBIO COM RELAÇÃO AO 'SOFRIMENTO HUMANO' E O 'ETERNO DESCONTENTAMENTO DO SER HUMANO (INATO, CRÔNICO E CONGÊNITO)'.

Ricardo Bing Reis ATÉ MEADOS DO SÉCULO PASSADO (XX), USAVA-SE INDISTINTAMENTE AS PALAVRAS ESPÍRITO E/OU ALMA, PARA SIGNIFICAR PSIQUISMO OU A BEM DISTINTA CONOTAÇÃO ESOTÉRICA DAS PALAVRAS. HOJE NÃO HÁ COMO SE CONFUNDIR AS TERMINOLOGIAS. O SENTIDO 'REAL' DE ESPÍRITO E/OU ALMA É O 'IRREAL', O ESOTERISMO. O SENTIDO DE PSIQUISMO É O DA PSICANÁLISE (UMA CIÊNCIA). NADA TEM A VER UMA COISA COM A OUTRA. O QUE VOCÊ PODE ATÉ CONSIDERAR, É QUE UM PARTICIPE DO OUTRO. MAS AÍ VAI DAS CRENÇAS DE CADA UM. O QUE NÃO SE PODE, É BOTAR TUDO EM UMA PANELA SÓ, COMO SINÔNIMOS.
15 de abril de 2012 às 01:18 ·

DEIXAR DE ARRISCAR-SE (DENTRO DA SEGURANÇA FÍSICA), É PERDER PARA SI PRÓPRIO; E, É A PIOR DAS DERROTAS. TENTAR E NÃO CONSEGUIR, PARA MIM NÃO É FRACASSAR. É SIMPLESMENTE NÃO CONSEGUIR. NEM TENTAR, ISTO SIM É FRACASSAR. DEPOIS, FICARÁ NO 'AH, SE EU TIVESSE TENTADO AQUILO, MINHA VIDA PODERIA TER SIDO ASSIM'... TENTOU(!), NÃO DEU? BEM, PELO MENOS FICOU A CERTEZA DE QUE, SE A VIDA NÃO É MELHOR, NÃO FOI POR OMISSÃO (IRMÃ DA COVARDIA, QUE, PARA MIM, NÃO É O MEDO DOS OUTROS, MAS DE SI MESMO, DE SEU SUPOSTO MUITO LIMITADO POTENCIAL). O PRETÉRITO IMPERFEITO E O CONDICIONAL 'SE', ME SOAM COMO VERBALIZAÇÕES DE DERROTISTAS. O QUE TENTA E NÃO CONSEGUE, NÃO TEM PORQUE SENTIR-SE INFELIZ RELATIVO ÀQUELE FATO. APENAS NÃO CONSEGUIU. NADA MAIS.

 

NENHUMA DAS MINHAS RESPOSTAS VIERAM PELO VENTO. MAS SIM, OU POR 'RALAR-ME PELA VIDA', OU PSICOTERAPIA, OU CURSOS, OU LEITURAS, OU MEDICAÇÕES. INVEJO O 'BOD' QUE OBTEVE TUDO PELO VENTO(EMBORA, CONVENHAMOS, SEJA APENAS UMA METÁFORA, DA QUAL ME APROVEITEI PARA PROVOCAÇÃO). E, NÃO RECOMENDARIA QUE SE ESPERERASSE POR FÓRMULAS MÁGICAS. MUITO MENOS PELOS VENTOS. MAS SIM, POR ESFORÇO E MAIS ESFORÇO. MAS É CLARO QUE, POR VENTURA, SOPRAR UM VENTO ENCANTADO, INSPIRE FUNDO.

HORMÔNIOS > ELES TEM AÇÃO MUITO DETERMINANTE EM NOSSOS CÉREBROS. TANTO QUE EXISTE UMA SUB-ESPECIALIDADE DA NEUROLOGIA, OU ENDOCRINOLOGIA; CHAMADA ENDOCRINO-NEUROLOGIA. ASSIM, SÃO DEERMINANTES DE NOSSO COMPORTAMENTO E HUMOR. TEM AÇÃO DIRETA SOBRE NOSSAS EMOÇÕES (RAIVA, MEDO, DEPRESSÃO) E SENTIMENTOS. COMO PRINCIPAIS EXEMPLOS, CITARIA AS MANIFESTAÇÕES COMPORTAMENTAIS NA ADOLESCÊNCIA, CLIMATÉRIO/MENOPAUSA E ANDROPAUSA. DESTA FORMA, PESSOALMENTE, ANTES DE UM DIAGNÓSTICO PSIQUIÁTRICO, NÃO É DESPREZÍVEL A IDÉIA DE UMA AVALIAÇÃO NEUROLÓGICA COMPLETA, COM EXAMES DE IMAGEM SE NECESSÁRIO; E, NO REFERENTE À ENDOCRINO-NEUROLOGIA, CABERIA, AO MENOS, PESQUISA DA FUNÇÃO DA TIREÓIDE (T3-LIVRE, T4-LIVRE, TSH ULTRA-SENSÍVEL), TESTOSTERONA LIVRE, ESTRADIOL LIVRE, PROGESTERONA LIVRE, CORTISOL SÉRICO; DENTRE OUTROS. A ISOLADA REPOSIÇÃO HORMONAL PODE SER SUFICIENTE PARA REESTABELECER O EQUILÍBRIO EMOCIONAL.

HORMÔNIOS > SÃO NOSSOS ALIADOS NA MANUTENÇÃO DA MÁQUINA CORPÓREA ATIVA, COMO MEDIADORES DE REAÇÕES BIO-QUÍMICAS DE FORMA DIFUSA. NO ENTANTO, EM CASO DE 'MAU USO DA MÁQUINA CORPÓREA' POR SOBRE-CARGA, PODEM TER SEUS PODERES DE COMPENSAÇÃO SUPERADOS. ENTÃO, PASSAM A PROPORCIONARMOS DESAJUSTES. É O CASO MAIS TÍPICO DO DISESTRESSE (ESTRESSE DESPROPORCIONAL). A SOBRECARGA DE TRABALHO, AS PRESSÕES COTIDIANAS, PROMOVEM A SECREÇÃO ERRÁTICA DE ADRENALINA E CORTISOL SÉRICOS, APARTIR DA SUPRA-RENAL. RESULTADO SE FAZ EM TODO CORPO HUMANO: AUMENTAM AS 'QUEIMAS CELULARES', DO QUE PROVÉM LIBERAÇÃO DE TOXINAS CHAMADAS DE RADICAIS-LIVRES. EVIDENTEMENTE QUE CADA CÉLULA TEM SEU PODER DE ELIMINAR ESTAS TOXINAS. MAS SE TRANSCENDIDO, O ACÚMULO 'INTOXICA' A CÉLULA, CAUSANDO ENFRAQUECIMENTO DA MESMA. DAÍ A MAIOR PREDISPOSIÇÃO À DOENÇAS E AO ENVELHECIMENTO PRECOCE DOS QUE VIVEM SOB ESTRESSE. BOA ALIMENTAÇÃO E ESPORTE AJUDAM, MAS SE VOCÊ NÃO CONSEGUE MODERAR-SE NO TRABALHO, ACABAM SENDO MEDIDAS MUITO INSUFICIENTES. ALÉM DOS PREJUÍZOS NOS EQUACIONAMENTOS DAS EMOÇÕES E SENTIMENTOS, POR CARÊNCIA DE PRAZERES OUTROS.

 

ACHO QUE ISTO VAI DO PERFIL DA PESSOA. IMAGINO QUE O LÍDER É CONSTRUTIVO, TEM EMPATIA E APOIA, MOTIVA. O CHEFE, É MENOS CONSTRUTIVO E MAIS BUROCRÁTICO. POR OUTRA, O LÍDER ESTARIA MAIS PREOCUPADO COM OS RESUTADOS DO QUE O CHEFE. OU AINDA MAIS, O LÍDER É (MUITO)MAIS INTELIGENTE QUE O CHEFE. MAS JUSTIÇA SE FAÇA, MUITOS CHEFES TAMBÉM SÃO LÍDERES.

 

ÓCIO CRIATIVO > DANÇAR. SE VOCÊ ESPERAR POR FESTAS, NÃO PREENCHERÁ SEU TEMPO. AULAS DE DANÇA, BALÉ, ETC, OCUPAM. MAS, FAZER COMO BILLY IDOL, 'DANCING WITH MYSELF', EXIGE UM GRAU DE ALEGRIA ENDÓGENA NÃO TÃO COMUM (COMO VISTO PELOS PERSONAGENS DESTE VÍDEO DO DAVID BOWIE, QUE 'DANÇAM' MAIS NA VIDA QUE NO HOBBY). E, ASSIM, GERALMENTE É: MAIS SE 'DANÇA' NO DIFÍCIL COTIDIANO QUE NO RITMO. OBVIAMENTE QUE O DANÇAR VEM AGREGADO ÀS MÚSICAS. AGORA, SE VOCÊ DANÇA A MÚSICA QUE VOCÊ PRÓPRIO(A) CANTA, PARABÉNS...

QUEM É VOCÊ? PARECE SER A PERGUNTA MAIS FÁCIL DE RESPONDER. PARADOXALMENTE, É A MAIS DIFÍCIL, BEIRANDO O IMPOSSÍVEL. NÃO DUVIDARIA QUE 97,45% DAS PESSOAS NÃO SE AUTO-CONHECEM O SUFICIENTE PARA RESPONDER ESTA PERGUNTA; FICANDO, ASSIM, ATÉ MAIS FÁCIL PERGUNTAR À OUTREM SOBRE VOCÊ DO QUE À VOCÊ MESMO. NO ENTANTO, O QUE VIRIA COMO RESPOSTA, NÃO SERIA TAMBÉM DE GRANDE VALIA; EMBORA MENOS MAL. SOMENTE VOCÊ PODE BEM RESPONDER ESTA PERGUNTA, MAS IMPLICARÁ EM ANOS E ANOS DE AUTO-REFLEXÕES. E, QUAIS MOTIVAÇÕES PARA FAZÊ-LAS? ESTAS, EM GERAL, SÃO OS SOFRIMENTOS, POIS 'A DOR ENSINA A GEMER'. É O MESMO PRINCÍPIO DO DESCONTENTAMENTO CRÔNICO DO SER HUMANO: SE NÃO EXISTISSE, MOVIMENTAR-SE PARA CAÇAR POR QUE? SEGUINDO NESTA LINHA, O QUE FARIA PENSAR, AQUELE QUE SE SATISFAZ LEVANDO AS COISAS, RAZOAVELMENTE, AOS TRANCOS E BARRANCOS? AO FIM, NÃO SERIA CONTRA-SENSO DIZER QUE, UMA BOA DOSE DE SOFRIMENTO NA VIDA, É BENÉFICA PARA PROPORCINAR AMADURECIMENTO. AQUELE QUE, SOFRIDO, SAI 'DE TRÁS'; POR ESFORÇO PSICO-MENTAL, ACABA DEIXANDO, O SUPOSTO 'BEM VIVENTE', POR SUA PRÓPRIA ACOMODAÇÃO, 'PARA TRÁS' (EMBORA NINGUÉM AQUI ESTEJA INTERESSADO EM COMPETIÇÃO, APENAS POR COMPARAÇÃO). PARA 'WHO ARE YOU(?)', SÓCRATES RESPONDERIA 'SÓ SEI QUE NADA SEI, E ENTÃO, NEM A MIM MESMO CONHEÇO(!)'?

'ELVIS VIVE' > O TÍTULO DESTA MÚSICA, SE JUSTIFICA AO SE ASSISTIR O VÍDEO. O CARA ERA BONITÃO, MILHONÁRIO, PAI E REI DO ROCK, MULHERES ÀS PENCAS, FAMOSO E, COM TUDO QUE A BELEZA FÍSICA E O DINHEIRO PODEM COMPRAR. TALVEZ NUNCA MAIS EXISTA NO MUNDO UM 'PROTÓTIPO TÃO PROTÓTIPO' DE FELICIDADE, DE 'WONDERFUL LIFE'. E, POR INCRÍVEL QUE POSSA PARECER, 'ACABOU-SE' POR OVERDOSE DE DROGAS E ÁLCOOL. AFINAL, FOI DO CÉU AO INFERNO; E DAÍ PRO CÉU DE NOVO? NÃO ENTENDO MAIS NADA. MAS ENTENDO ISTO SIM, QUANDO DIZEM 'ELVIS VIVE'! E DIGO PORQUE, PERGUNTANDO: QUANTOS E QUANTOS MINI-ELVIS RODAM POR AÍ E, DE UMA FORMA OU DE OUTRA (NÃO NECESSARIAMENTE POR DROGADIÇÃO), ACABAM LEVANDO UMA VIDA DE FORMA MELANCÓLICA. POR ISTO, OS 'ELVIS VIVEM'; E MORREM.

PERDOADO, NÃO ESQUECIDO > IMAGINO QUE MUITAS PESSOAS CONFUNDEM PERDÃO COM 'PASSAR UMA BORRACHA'. PERDÃO É PERDÃO; E PONTO. MAS AQUILO FEITO, FICA ALI REGISTRADO ATÉ COMO PROTESTO. SIM, O PERDÃO PODE VIR ACOMPANHADO DE PROTESTO. E, PERDOAR ALGUÉM, NÃO SIGNIFICA TER QUE REATAR O RELACIONAMENTO AMOROSO OU DE AMIZADE. E, IMAGINO QUE EXISTA QUEM VÁ CONFUNDIR TUDO ISTO QUE ESCREVI COM RANCOR. MAS NESTE, NÃO HOUVE O PERDÃO.

Ricardo Bing Reis O contrário do amor não me parece ser o ódio, mas a indiferença. Seria então chegar à um estágio de indiferença?
4 de abril de 2012 às 01:43

 

CIDADES > TOP 10.

Ricardo Bing Reis DISCORDO EM BOA PARTE DAS ESCOLHAS. ALGUMAS NÃO TEM O CAPRICHO NECESSÁRIO PARA ESTAREM ENTRA 'AS 10 MAIS'. ESTÃO, TALVEZ, MAIS POR TRADIÇÃO DO QUE MERECIMENTO.
3 de abril de 2012 às 21:58

 

 

 

·

'EAD' E 'RAD' > O PRIMEIRO É 'ENSINO À DISTÂNCIA'. O SEGUNDO, É 'RELACIONAMENTO À DISTÂNCIA'. O PRIMEIRO, ENCURTA DISTÂNCIA. O SEGUNDO, ALONGA DISTÂNCIA. QUANTO MAIS VOCÊ SE APAIXONA, MAIS LONGE PARECE FICAR O NAMORADO(A). POR OUTRO LADO, DEPENDENDO DO PERFIL, A DISTÂNCIA PODE SER JUSTO O FATOR DO PERDURAR. CASO NÃO SEJAS DESTE PERFIL, SUGIRO QUE FAÇAS UM 'EAD' DE COMO NÃO SE ENVOLVER EM 'RAD'.

CABE ÀQUELES QUE ATRIBUEM SEUS DESCONTENTAMENTOS AO CÔNJUGE, COMPANHEIRO, AMIGO, COLEGA, CHEFE, SÓCIO, ETC. E ATÉ À COISAS MATERIAIS. E, O CURIOSO É QUE, SE AFASTAR TODAS ESTAS COISAS DE SI (OU AINDA SE SATISFIZER SEU CONSUMISMO); O DESCONTENTAMENTO CONTINUARÁ ALI DENTRO DE VOCÊ. PORQUE NUNCA ESTEVE FORA.

CIÊNCIA E FÉ > ÀS VEZES, AMBAS SÃO MESTRES EM TENTAR RESPONDER PERGUNTAS SEM RESPOSTAS. POR EXEMPLO, DE ONDE VIEMOS. A RELIGIÃO FALA EM 'FIAT LUX' POR DEUS; A CIÊNCIA FALA EM 'BIG BANG' ASSIM DO NADA. A RELIGIÃO FALA EM APOCALIPSE; A CIÊNCIA FALA EM 'BIG CRUNCH', ASSIM PARA O NADA. E O 'TAL

 

CIÊNCIA E FÉ > CONT.

Ricardo Bing Reis SE FORMOS ANALISAR, SÃO FORMAS DE DESCREVER AS MESMAS COISAS; MAS COM NOMENCLATURAS, INFORMAÇÕES E DADOS DISPONÍVEIS PARA CADA ÉPOCA. SEJA COMO FOR, FALANDO A MESMA COISA OU NÃO POR LINHAS TORTAS; SÃO PERGUNTAS SEM RESPOSTAS E QUE SÓ TE TRAZEM PERDA DE TEMPO. A NÃO SER PARA CENTENAS DE AUTORES DE NÃO RAROS LIVROS DE MIL PÁGINAS SOBRE ESTAS TEMÁTICAS, ONDE, A ÚLTIMA PÁGINA, DEIXA MAIS DÚVIDAS QUE A PRIMEIRA.
1 de abril de 2012 às 04:07 ·

Ricardo Bing Reis COM RELAÇÃO AO 'CREACIONISMO' VS. 'EVOLUCIONISMO'; JÁ COMENTEI EM OUTRO TRECHO.
1 de abril de 2012 às 04:08

Ricardo Bing Reis BANDA 'THE SCRIPT'.
1 de abril de 2012 às 04:09

HÁ 10 ANOS, ASSISTI DOCUMENTÁRIO QUE ABORDAVA O ASSUNTO DO 'DISCUTIR A RELAÇÃO'. EXPLICAVA QUE, ANTROPOLOGICAMENTE, A MULHER FALA MUITO MAIS QUE O HOMEM. ISTO PORQUE, NOS PRIMÓRDIOS, A FÊMEA FICAVA NAS CAVERNAS CUIDANDO DA PROLE; SE COMUNICANDO BOA PARTE DO DIA COM AS COMPANHEIRAS E FILHOTES. É A CUIDADORA. JÁ O MACHO, SAÍA PARA CAÇAR, VISTO SER O PROVEDOR. E, CONVENHAMOS, AO CAÇAR, SE FICARES CONVERSANDO, A PRESA FOGE. PORTANTO, PASSAVA HORAS E HORAS EM SILÊNCIO, OBSERVANDO. ASSIM, DESENVOLVEU SUA PERCEPÇÃO VISUAL E ESPACIAL/GEOMÉTRICA/MATEMÁTICA. DESTA FORMA, NÃO POR MALDADE, A MULHER SE IRRITA QUANDO O HOMEN FICA IMPACIENTE POR TER QUE FICAR ESCUTANDO-A. E, TAMBÉM POR ISTO, NÃO POR MALDADE, O HOMEM SE IRRITA POR TER QUE FICAR OUVINDO-A. RESULTA QUE, A MULHER ACABA FALANDO DEMAIS, O HOMEM DE MENOS. A MULHER PODE INTERPRETAR O COMPORTAMENTO DO HOMEM COMO DE DESINTERESSE. O HOMEM PODE INTERPRETAR O COMPORTAMENTO DA MULHER COMO HISTERIA E ATÉ FALTA DE COMPROMISSO COM A COERÊNCIA (POR EVENTUAIS APARENTES CONTRADIÇÕES). E TUDO ACABA ASSIM, SEM ACABAR. SE OS CASAIS COMPREENDESSEM MELHOR ESTA DINÂMICA, TALVEZ OS RESULTADOS FOSSEM MELHORES. AO FIM, A FONTE DESTAS IMPACIÊNCIAS É A POUCA TOLERÃNCIA. O DOCUMENTÁRIO FECHA DANDO UMA SUGESTÃO QUE ATÉ HOJE NÃO SEI SE FOI JOCOSA OU NÃO: A MULHER CONVIDARIA O HOMEM PARA JANTAR NUM RESTAURANTE. LÁ CHEGANDO, DISPORIA O HOMEM EM UMA CADEIRA VOLTADA PARA PAREDE, APLACANDO SUA TENDÊNCIA VISUAL E ESPACIAL DE OLHAR PARA OS LADOS. ENTÃO SIM, COMEÇAR O DIÁLOGO, OU 'MONÓLOGO BILATERAL'(PERGUNTA E RESPONDE ENQUANTO O OUTRO CONCORDA COM A CABEÇA). NESTE LOCAL, NÃO TENDO O HOMEM POR ONDE FUGIR, HÁ MAIOR CHANCE DE UM ENTENDIMENTO. SÃO CARACTERÍSTICAS NEURO-BIOQUÍMICAS DE CÉREBROS DINAMICAMENTE DISTINTOS; E ISTO, PODE SIM, SER INTERPRETADO COMO MÁ VONTADE OU DESPEZO; QUANDO ISTO NÃO ESTÁ OCORRENDO. E NADA MAIS IRRITANTE E FRUSTRANTE QUE CONVERSAR SEM RETORNO, OU RETORNAR O QUE NÃO QUER, APENAS 'PARA SE LIVRAR'. PARTICULARMENTE, ACREDITO QUE DAÍ EMANAM MUITAS SEPARAÇÕES DE CASAIS, DESFAZENDO CASAMENTOS QUE FORAM DIFÍCEIS DE CONSTITIR, COMO SEMPRE.

 

______________________________________________

PRIMATAS PÓS-MODERNOS > A SOCIALIZAÇÃO TORNOU A NOSSA VIDA ANIMAL MENOS DIFÍCIL; PORÉM, NÃO MAIS QUE MENOS DIFÍCIL. AINDA TEMOS DENTRO DE NÓS, O LOBO DO MAL E O LOBO DO BEM. PREVALECERÁ AQUELE QUE VOCÊ, POR OPÇÃO(OU QUASE), ALIMENTAR MAIS. OU QUE JÁ VIER, NEURO-BIOQUIMICAMENTE, MAIS ENERGIZADO PELA PRÓPRIA NATUREZA. AS NECESSIDADES SÃO AS MESMAS DO AUSTRALOPITECUS, APENAS EM CONFIGURAÇÕES ADAPTADAS À CADA ERA CRONOLÓGICA, TENDO NÓS CHEGADO AONDE CHEGAMOS. É O PONTO DE CONVERGÊNCIA ENTRE A ANTROPOLOGIA BIOLÓGICA E A ANTROPOLOGIA SOCIAL.