POSTADO EM REDES SOCIAIS

ÓCIO CRIATIVO > TRICÔ: obviamente tricotar não faz parte do arsenal terapêutico nos Compêndios Médicos qua abordam Oncologia. Mas, já está suficientemente bem comprovado que o sistema imunológico bem ativo, ajuda e até pode ser decisivo no tratamento de tumores malignos. Assim, ócios criativos e fé/crenças, podem sim, por serem prazerosos, diminuir a ansiedade. Menos ansioso, a psicossomatização/distresse, em 'feedback' negativo, atenua, e os resultados melhoram. O cerne é o incremento do sistema imunilógico, por eutresse em 'feed back' positivo. Isto se obtèm por efeitos ansiolíticos pelos ócios criativos. Se tricô, também croché, bordado, pintura de telas, etc.

PRAIA > Admirá-la, seria a contemplação do 'vazio cheio'? Vazio pela sensação da imensidão, do infinito, do espaço ao horizonte. Em contra-partida ao cheio, pelo colorido (do mar, da areia, do relevo, da vegetação), animais marinhos, odor e som característico da maré, luz solar intensa. Estaria eu cheio ou vazio de razão? Viajei?

Ricardo Bing Reis A CADEIRA QUE MUDOU DE LUGAR > quando solteiro, mesmo já não tão jovem, costumava botar minha cadeira de praia/alumínio, já nos primeiros centímetros de água. E ficava ali ao sol, por 2, 3, 4 horas, tomando caipirinha, contemplando o mar e apreciando biquinis. Hoje, minha cadeira foi lá para os cômoros, de onde posso vigiar melhor minhas filhas de 5 e 10, atrás dos sombreiros, de onde só vejo os pneus dos tios. Não que minha esposa seja ciumenta, o que felizmente não é, mas porque preciso zelar pelo que é meu, isto é, minhas filhas. Já vi Kombi passando a 70 na beira dos cômoros, onde crianças brincam. E, a principal causa de morte até 20 anos são os acidentes. E, tentar previní-los, é a única alternativa; sem que isto chegue ao grau de 'paranóia'. Então, transferi minha cadeira. Preocupo-me quando os pais dizem que filhos não dão trabalho. Acho que filhos são geradores de sacrifícios sim, mas, paradoxalmente, sacrifícios compensadores. Será que na terceira idade, minha cadeira vai voltar para a beira, à 'velho babão'? Se 'velho babão', não pode ser a melhor idade!...
15 de novembro de 2012 às 13:33

POSTADO EM REDES SOCIAIS

SALVO DISTÚRBIOS, SOU UM TANTO QUANTO CONTRA A PESSOA VIOLENTAR SUA NATUREZA. E, NA PRÁTICA DE EXERCÍCIOS, NÃO PODERIA SER DIFERENTE. EXERCITAR-SE SEM GOSTAR, PODERIA SER COMPARÁVEL À UMA TORTURA, MASOQUISMO. SERIA, PARADOXALMENTE, UM DESENCADEANTE DE DISTRESSE (ESTRESSE RUIM). NESTE CASO, O EXERCÍCIO ESTARIA FAZENDO MAIS MAL DO QUE BEM; SENDO MELHOR ATÉ NEM FAZER, PENSO EU. MAS, TAMBÉM CONSIDERAR QUE GOSTO É GOSTO. O DISTRESSE É QUE ENCURTA A VIDA, DEIXANDO-A AINDA EM PIOR QUALIDADE (E, ATÉ POR ISTO, É FATOR ABREVIADOR DE LONGEVIDADES). OS EXERCÍCIOS CITADOS E SUGERIDOS, TODOS COM MODERAÇÃO, OBSERVE, SÃO PASSEIOS COM CAMINHADAS, BICICLETAS. ACRESCENTARIA A NATAÇÃO. MAS, AS PALAVRAS-CHAVE PARECEM SER PASSEIO, DIVERSÃO, PRAZER E EUSTRESSE (ESTRESSE BOM, POR DESCARGA DE ENERGIAS NÃO SAUDÁVEIS, GERADORAS DE RADICAIS LIVRES OXIDANTES).

SABEMOS QUE A 'PREGUIÇA' É UM DOS 7 PECADOS CAPITAIS. MAS DESCONFIO QUE FOI INCLUÍDO, COMO FORMA DE EVITAR AQUELES QUE SERVIAM DE 'PESO' PARA O GRUPO SOCIAL NOS IDOS 1.500. NOS DIAS DE HOJE, NÃO SENDO UM PESO PARA O GRUPO POR ESTAR SUFICIENTEMENTE SATISFEITO COM O QUE JÁ TEM, A MIM PARECE MAIS UMA QUALIDADE QUE DEFEITO. SERIA, INCLUSIVE, UMA REDUÇÃO DO TEMPO DE TRABALHO PARA AUMENTO DO TEMPO LIVRE PARA O 'ÓCIO CRIATIVO'; QUE PODE SIM SER MERA CONTEMPLAÇÃO DO MAR NUMA REDE NORDESTINA. É PARA QUEM PODE. LOGO, AO MEU VER, PODE SER COISA (MUITO) BOA.

Ricardo Bing Reis QUANDO ME REFIRO À 'PREGUIÇA BOA', NÃO ESTOU INCLUINDO A 'PREGUIÇA PLASTA'. BOA, É QUANDO, JÁ EXECUTADA UMA PRUDENTE DOSE DE TRABALHO (NÃO AUTO-CANIBALESCA), VOCÊ CHEGA EM CASA E FAZ APENAS ALGO OU NEM ISTO. JÁ OS 'CONTRA-PREGUIÇA BOA', ISTO É, OS 'WORKAHOLIC', ESTÃO COM OS BOLSOS CHEIOS E PAGANDO PONTES SAFENAS, PONTES MAMÁRIAS E COLOCANDO STENTS; ALÉM DE 1/2 KG DE MEDICAMENTOS CARDIOLÓGICOS DIARIAMENTE.
13 de novembro de 2012 às 21:16 ·

POSTADO EM REDES SOCIAIS

SABEMOS QUE A 'PREGUIÇA' É UM DOS 7 PECADOS CAPITAIS Cont.

Ricardo Bing Reis HOJE MESMO ATENDI PACIENTE COM 52 ANOS QUE EM AGOSTO ÚLTIMO BOTOU 2 SAFENAS. REPETINDO, 52 ANOS. É DONO DE UMA EMPRESA DE REPRESENTAÇÃO DE MATERIAL MÉDICO DOS ESTADOS UNIDOS E TEM 50 FUNCIONÁRIOS. A DITA FÁBRICA AMERICANA IMPÕE-LHE METAS INALCANÇÁVEIS SOB PENA DE TIRAR-LHE A CONCESSÃO. COMO FAZER? DESISTIR DE TUDO E INDENIZAR UMA QUANTIDADE DE FUNCIONÁRIOS QUE LHE ACARRETARIA A FALÊNCIA? CONTINUAR ASSIM E INFARTAR?
13 de novembro de 2012 às 21:21 ·

Ricardo Bing Reis ONTEM, LI EM UM LINK MÉDICO, QUE MORRE 1 BRASILEIRO A CADA 4 MINUTOS, POR PARADA CÁRDIO-RESPIRATÓRIA, DECORRENTE DE DOENÇAS CÁRDIO-NEURO-VASCULARES. É FÁCIL ENTRAR NESTA ESTATÍSTICA. BASTA FAZER UMA DÍVIDA QUE COMPROMETA 1/3 DE SEU ORÇAMENTO BRUTO. ENQUANTO ESCREVI ISTO, JÁ MORREU OUTRO...
13 de novembro de 2012 às 21:24

Ricardo Bing Reis FRASE SOLTA, DE UM PACIENTE OCTAGENÁRIO QUE AINDA TRABALHA: "GANHO POUCO, MAS O POUCO QUE GANHO, É MUITO PARA O QUE EU FAÇO". INSTIGANTE.
15 de novembro de 2012 às 03:06

_________________________________________________

 

 

POSTADO EM REDES SOCIAIS

 

_________________________________________________

XADREZ > ÓCIO CRIATIVO, DESENVOLVIMENTO DA INTELIGÊNCIA E INTUIÇÃO MENTAL, DISCIPLINA ESCOLAR: Ontem, voltando de São Paulo, no avião, passava este interessantíssimo documentário. Acho que o original tem aproximados 30 minutos de duração. Aqui, uma 'minuta'. Discorre-se sobre sua carreira como jogador profissional de xadrez, seus feitos incríveis na prática e suas posições políticas. Mas, dentre tudo, pincei algo que me foi muito destacável. Sua idéia, já em curso, de divulgar, mundo afora (inclusive no Brasil e Argentina), a prática do xadrez como 'ócio criativo', pois distrai, melhora a concentração, desenvolve o raciocínio matemático e a intuição. Assim, melhora o desempenho escolar; com benefícios não somente de ensino, mas também em educação (já que ensina a ganhar e a perder). E, não precisa de um campo de futebol, quadra de volei, etc. Até computadores oferecem aplicativos para praticar, embora o tabuleiro tenha seu glamour e ser mais dimensional; além do quê, permite observar a fisionomia do oponente, como em blefes no pocker. É uma réplica da vida como ela é.

 

 

POSTADO EM REDES SOCIAIS

TIME PINKFLOYD

Ricardo Bing Reis TEMPO LIVRE > Para a prática do 'ócio criativo', há de se ter, evidentemente, 'Tempo Livre'. Também para a família. Assim, contra-indicaria o 'workaholicismo' até por 'consumismo'; os 2 maiores males do mundo moderno. É como uma auto-escravidão, geradora dos maléficos estresses frustrantes.
21 de junho de 2012 às 23:33

Ricardo Bing Reis E, convenhamos, tempo não só é tudo que precisamos, como é tudo que nos resta até a morte. Aproveite seu tempo; e, assim, sua vida, antes que ele, seu tempo, se acabe.
21 de junho de 2012 às 23:36 ·

Ricardo Bing Reis Faz sentido. Muitas vezes, não há meios de reduzir o tempo de trabalho para tê-lo livre, visando o ócio criativo'. Paciência. Mas, desde que esta necessidade financeira seja 'por si', e não por consumismo, onde a pessoa teria condições de ter o tempo livre, mas o desperdiça em prol dos 'teres materiais'. Por outro lado, se tem bastante 'bens materiais' por achá-los importantes, e, não estando isto lhe exigindo 'workaholicismo', ou seja, ainda consiga bastante tempo livre para o ócio criativo; mais completo ainda e tanto melhor.
23 de junho de 2012 às 15:42

Ricardo Bing Reis TEMPO > Temos; até que termine. E, para mim, tudo que precisamos é justo 'tempo livre para o ócio criativo' (melhor forma de aplacar suficientemente bem o suposto 'eterno e inato descontentamento de todos seres humanos'). E, vale aplicar fração dele para assistir este vídeo com a música 'Time (Pink Floyd)', às ilustrações das pinturas do 'genial e excêntrico gênio genioso' Salvador Dali.
3 de julho de 2012 às 01:00

_________________________________________________

 

 

_________________________________________________

 

_________________________________________________

 

_________________________________________________

AMIZADE > Não há necessidade de convivência. Assim como existe EAD ('Ensino à Distância'), existe AAD ('amizade à distância'). Não que seja virtual, pela internet; mas por não se verem mesmo. O que mais vale, pelo que observo, é terem se conhecido na infância, de tal forma, que um conhece o histórico de vida do outro, já sabendo, de antemão, o que o outro vai pensar sobre as diversas abordagens. Estes, de fato, quando se encontram, parece que se encontraram ainda ontem, mesmo após 20 anos. Ninguém muda tanto à esquecer seu passado. Embora amizades recentes, também possam adquirir tal afinidade.

Ricardo Bing Reis Acho que nada impede amizade entre homens e mulheres. Também nada impede sexo pelo sexo. Assim, pode ser amizade; ou amizade sexualizada; ou pode ser sexo pelo sexo sem amizade. Acho que depende muito da postura do homen e/ou da mulher. No passado, dependeria mais da postura feminina. Hoje, não saberia dizer se já, incrivelmente, as coisas se inverteram. Tenho para mim, aqui, uma verdade inquestionável: onde 1 não quer, 2 não 'sexam'!
10 de junho de 2012 às 23:50

 

_________________________________________________

 

_________________________________________________

ÓCIO CRIATIVO > COLEÇÕES: nos anos 70, era muito comum colecionadores; e esta prática, distrai muito a pessoa. A mais comum era a filatelia, ou coleção de selos. Hoje, com correio eletrônico (e praticamente nada de correio convencional), os selos são raros e este hobby desapareceu. Havia lojas que vendiam selos importados por preços caros para a época. Usava-se uma pinça para manipulá-los no álbum. A numismática é o estudo e também coleção das moedas, outra modalidade. Outra modalidade que lembro, bastante cruel para os tempos atuais, era a coleção de borboletas, comum ainda nos desenhos animados, onde se as caçava com aquelas redes à biruta. Também relógios antigos. Alguns afortunados, fazem coleção de carros. Sei de um que coleciona modelos variados de época, de Mustang.

_________________________________________________

AMIZADE CONT

Ricardo Bing Reis Meus amigos me perguntam se algumas mulheres, eventualmente, não se insinuam em consultas. Digo que não; e acho que de fato não. Se o médico é focado no trabalho, com atenção sugada por ele, elas percebem. Acho que as mulheres 'captam' muito bem as 'intenções' dos homens. E, caso já tenha havido insinuações, não percebi porque estou focado. É muita 'pobreza' envolver-se com pacientes; não pelo paciente em si, mas pela circunstância em que estão ali. Nada a ver. Mas, acredito que aqueles meio frustrados com sua vida, inclusive sexual mal resolvida ao longo dos anos passados; talvez queiram, 'recuperar o tempo perdido', de forma afoita, desclassificada e vergonhosa. Onde se ganha o pão se come a carne?
10 de junho de 2012 às 23:59

SOBRECARGA > Tempo livre para o ócio criativo é, talvez, o maior atenuante para o estresse, que se sobrepõe ao suposto 'eterno e inato descontentamento de todos seres humanos'.

Ricardo Bing Reis SOBRE-CARGA > Praticamente nem pergunto mais se uma pessoa é estressada ou não. Perda de tempo, quase todos são. Faria parte da vida atual, diferenciando-se em como administrá-lo, se de forma adequada ou inadequada.
4 de janeiro às 23:47 ·

Ricardo Bing Reis O estresse, outrora 'inerente' aos homens, pela conquista do mercado de trabalho, maternidade e multi-ação, hoje também vitimiza até mais as mulheres. E, a sobre-carga de afazeres e variantes emocionais familiares e outros, na primeira infância, podem resultar em estresse precoce nos infanto-juvenis. Por exemplo, crianças que frequentam creches até podem sofrer mais de estresse.
4 de janeiro às 23:51 ·

Ricardo Bing Reis A mim parece que o melhor mecanismo para aliviar o estresse, é reduzir o tempo de trabalho, evitando também má qualidade deste. Nisto, é imperativo diminuição do consumismo para poder dar-se ao luxo de reduzir o período laboral, aumentando o tempo livre para aprática do ócio criativo.
5 de janeiro às 00:20

Ricardo Bing Reis Atenuar o estresse laboral quase sempre é uma tarefa árdua, que exige auto-controle, planejamento e criatividade. Os fins de semana são curtos e, nos períodos de férias, pode chegar à torná-lo um momento de transformar seu cansaço em exaustão. Férias podem, frequentemente, se não bem planejadas, serem ansiogênicas, irritantes e depressivas. É o 'burn out'.
5 de janeiro às 00:25

_________________________________________________

ÓCIO CRIATIVO > Vida campeira gélida, com fogão à lenha. Sem jararacas. Ler o pequeno trecho escrito pelo genial Fernado Pessoa. Recomendaria seus instigantes ensaios, onde usa o pseudônimo de Ricardo Reis; muito próximo de mim, Ricardo Bing Reis. Já decidi que, se precisar de pseudônimo, será Fernando Pessoa.

_________________________________________________

ÓCIO CRIATIVO > Futebol. Gostar de futebol é uma 'benção'. Hoje, já tem fãs na casa de bilhão ou bilhões. Pelo mundo inteiro, sem excessões de povos. É diversão garantida para o antes, durante, depois e conversas ainda posteriores, no mínimo para o dia seguinte. Para fãs, é um excente aplacador dos excessos de sentimentos desagradáveis, ajudando em muito à trazer o 'eterno e inato descontentamento do ser humano' em seu nível não mais que basal; estado máximo de pouca insatisfação que podemos almeijar. Por exemplo, hoje, em Porto Alegre, neste sábado gélido de inverno, onde o ar da rua, 'queima' sua pele, gerando até ardência (queimar e arder não são 'atributos' apenas solares, mas de seu 'oposto', as trevas...); o dia 'está ganho', pois: 13hs> Holanda e Dinamarca pela Eurocopa; 15hs > Alemanha e Portugal também pela Eurocopa; 16hs > amistoso Brasil e Argentina em New Jersey. Páro por aqui, porque mais um jogo já está começando. Fui.

 

_________________________________________________

 

ÓCIO CRIATIVO > O radinho de pilha. Fazer isto nos tempos de hoje, corresponde a assistir televisão Admiral, Telefunken ou Colorado RQ na sua sala, em 2012. Ou usar uma filmadora super-8 de rolo. Tudo conforme retratado neste estúdio de 'som & imagem' de Phil Collins. No entanto, além de manter-te informado, podes, dependendo da estação de rádio, incrementar sua formação. Além de, aprender estilo de comunicação e expressão, mediante observação de como fazem os locutores das emissoras que, não se esqueçam, são profissionais do ramo. Além da sensação de não estar sozinho, afinal, tem alguém falando contigo, mesmo que não ouça tuas respostas em pensamentos.

ÓCIO CRIATIVO, INTROSPECÇÃO, ESTUDO, PROGRESSO > Ficar em casa, tocando instrumento musical; e conversar sobre música, é excelente forma de ócio criativo. Observo que a música é uma forma de introspecção. Da mesma forma, o estudo. Talvez não por acaso, os países não-tropicais, são mais tecnológicos, industrializados e aculturados. Imagino, há muito, que isto tem relação com o clima. Se o frio predomina lá fora por 8 meses, ficar em casa é 'a salvação'. Então, estuda-se mais, pensa-se mais, conclui-se mais. Acho que é muito mais difícil, alguém ficar dentro de casa, com o sol radiante, o mar verde e pessoas bonitas circulando lá fora. Por que 'salvação' se, nestas condições, já está-se, mental e psiquicamente 'salvo'? Ou ainda mais, pode-se até morar em baixo do coqueiro e comer o côco. Isto pode explicar, em parte, repito, em parte, a baixa escolaridade de países tropicais. Aqui, uma distinção entre recurso e requinte: os não-tropicais, ficariam em casa por recurso. Os tropicais, saem de casa longos períodos, por requinte. No entanto, como na 'estória da lebre e a tartaruga'; corre-se o risco da limonada virar limão. O progresso veio daqueles que ficavam em casa por recurso e, agora, vivem com requinte. O atraso veio para aqueles que saiam de casa por requinte e, agora, vivem com poucos recursos. O Rio de Janeiro continua lindo, aquele abraço!...

ÓCIO CRIATIVO > CAVALGAR E CAVALGAR. UM AMIGO ME DISSE AINDA ESTA SEMANA, QUE SOU A PESSOA MAIS URBANÓIDE E ASFALTÓIDE QUE ELE CONHECE. É VERDADE. DE TUDO QUE CONHECI, MAIS GOSTEI FOI DE CHICAGO E TORONTO. MAS ANDAR A CAVALHO, PRINCIPALMENTE EM UMA PAISAGEM ASSIM, É UM 'RIVOTRIL SOBRE 4 PATAS'. AQUI, A FOTO É DE UM PASSEIO NO MUNICÍPIO-BALNEÁRIO DE TORRES, POR VOLTA DO DIA 20/07 DE CADA ANO.

Ricardo Bing Reis Gosto muito da natureza; tanto é que preconizo e pratico contemplação de paisagens. Principalmente do litoral, mar e sol. Quando ainda estudante em ensino médio, ficava 3 meses por ano na praia, com futebol, sol, etc. Meus amigos classificam-me como 'urbanóide' por outro motivo: nunca ter mantido qualquer tipo de contato com a cultura do interior, desconhecendo todos costumes, hábitos, regionalismos e terminologias pertinentes, principalmente relacionados à fauna, flora e cotidiano.
9 de junho de 2012 às 03:59 ·

ANIMAL DE ESTIMAÇÃO > ACABO DE VER NA 'DISCOVERY H&H': 'PESQUISA REALIZADA ENTRE CORRETORES DA BOLSA DE NEW YORK, DEMOSNTROU QUE, AQUELES COM MASCOTE EM CASA, TINHAM BEM MENOR ÍNDICE DE HIPERTENSÃO ARTERIAL QUE SEUS COLEGAS SEM'. ACHO QUE NÃO PRECISA DIZER MAIS NADA.

MOLECAGEM > OUTRO EXEMPLO DE 'MOLECAGEM-SAUDÁVEL', MEDIANTE APARIÇÕES PARA MICRO-APRESENTAÇÕES SURPRESA. DESTA FEITA, EM UM ESTACIONAMENTO. SEM PREJUÍZO PARA NINGUÉM, MAS SIM MOMENTO PRAZEROSO DE RARÍSSIMA QUALIDADE MUSICAL. PRIMEIRO, O TALENTO DO GUITARRISTA JACK WHITE, MAS EM USO DE UM VIOLÃO MARAVILHOSO. LOGO APÓS, O LENDÁRIO GUITARRISTA SEASICK STEVE, COM SUA ETERNA E 'CARCOMIDA' GUITARRA. SÃO TÃO COMPETENTES, QUE SE BASTAM. NEM ACOMPANHAMENTO PRECISAM. 10.

CIDADES > ESTE LOCAL, É TUDO QUE NÃO QUERO: PEQUENO DEMAIS, MAL CUIDADO, CINZENTO, FRIO, ÚMIDO, FOLHAS AO CHÃO, TRAILLER PRÉ-APOCALÍPTICO, PESSOAS MELANCÓLICAS, NEURAS, CONFUSÕES, ENCONTROS E DESNCONTROS; E ATÉ UM GHOST. TERIA PEGADO IMEDIATAMENTE, O 'LAST TRAIN TO LONDON'; COMO NO VÍDEO-CLIP DA SEQUÊNCIA'.

E, POR MAIS INCRÍVEL AINDA, 20 OU 30 ANOS DEPOIS VAI PERCEBER QUE ERA MAIS QUE BOM AQUELE RESULTADO PADRONIZADO, E QUE, NUNCA PRECISAVA TER ESPERADO POR RESULTADO DIFERENTE. ERA DESNECESSÁRIO. O CERNE DA INSAISFAÇÃO, PODE, NESTE CASO, TER SIDO O 'ETERNO E INATO DESCONTENTAMENTO DO SER HUMANO'.

Ricardo Bing Reis MAS, CASO O RESULTADO DE SEMPRE SEJA MESMO PÍFIO, A MUDANÇA SE IMPÕE. E, NADA SE CONSEGUE SEM MUITA LUTA, NESTE MUNDO ONDE TUDO PARECE CONSPIRAR CONTRA. NÃO POR ACASO, JULGO QUE TODOS OS SERES VIVOS, COMO NÓS, SÃO 'MÁQUINAS ANTI-MORTE'.
18 de maio de 2012 às 21:05 ·

ÓCIO CRIATIVO > NOTÍVAGO. É AQUELE QUE GOSTA DA NOITE, PURA E SIMPLESMENTE POR ELA, NOITE. INDEPENDENTEMENTE SE HÁ BOEMIA. ATÉ PREFERE SEM. FICA CAMINHANDO, MOTOCICLETEANDO, VENDO TV, OUVINDO MÚSICA, ESCREVENDO, ESTUDANDO, DESENHANDO, NAMORANDO, CONVERSANDO COM OS FILHOS, TELEFONANDO, NAVEGANDO NA INTERNET, ETC. COMO SE AS ONDAS ELETROMAGNÉTICAS DA NOITE FAVORECESSEM AS SUAS SINAPSES CEREBRAIS, SEM QUE ISTO TENHA NENHUM SIGNIFICADO TRANSCENDENTAL.

Ricardo Bing Reis TAMBÉM NOTÁVEL NA PRAIA, ONDE PESSOAS ANDAM, VAGUEIAM PELAS AREIAS, CALÇADÕES, OU, SIMPLESMENTE, ABREM SUAS CADEIRAS DE RECOSTAR NA AREIA, E FICAM A MIRAR AS ESTRELAS, OUVINDO O BARULHO DAS ONDAS DO MAR, SEM SEQUER ENXERGÁ-LO, DEPENDENDO DA LUA.
18 de maio de 2012 às 19:12

ÓCIO CRIATIVO > NOTÍVAGO CONT. Ricardo Bing Reis AS PESSOAS NOTÍVAGAS PODEM SER MENOS DESCONTENTES, POIS SÃO MAIS CONTEMPLATIVAS, O QUE, ALÉM DO CUSTO ZERO, É RELAXANTE, ANTI-ESTRESSANTE. ALÉM DE, EVENTUALMENTE, ENCONTRAREM OUTRAS PESSOAS DE PAZ, EMBORA GOSTEM MESMO DE ESTAR SÓ, SEM SER SÓ; ISTO É, SEM SENTIMENTO DE SOLIDÃO. ATÉ PELO CONTRÁRIO, SENTEM-SE ACONCHEGADAS, POR SI SÓ E PELA NATUREZA. É DIFÍCIL OU IMPOSSÍVEL DE ENTENDER O DESCRITO, SE NÃO SE É NOTÍVAGO. APENAS UM NOTÍVAGO PODE ENTENDER O OUTRO.
18 de maio de 2012 às 19:18 ·

Ricardo Bing Reis GOSTO MUITO MAIS DA NOITE DO QUE DO DIA. QUANDO SOLTEIRO, ERA BOÊMIO. AGORA, CASADO, SOU NOTÍVAGO CASEIRO. MAS SEMPRE CURTINDO A NOITE.
18 de maio de 2012 às 19:20

Ricardo Bing Reis O NOTÍVAGO NÃO CASEIRO, 'DA RUA', CIRCULA NA PAZ DOS QUE NÃO ESTÃO SE ATIRANDO NA LUTA INSANA DA VIDA; ESTÃO À MARGEM DA AGRESSIVIDADE DAQUELES QUE ESTÃO TRABALHANDO DURANTE O DIA, NA LUTA PELA SOBREVIVÊNCIA; UMA 'GUERRA', QUE DESENCADEIA ANSIEDADES E IRRITAÇÕES.
18 de maio de 2012 às 19:23

_________________________________________________

TALVEZ A MELHOR SINTONIA ENTRE ALEGRIA E MEIO AMBIENTE JÁ PERFORMADA. PARECE QUE A NATUREZA CONTAGIA OS MÚSICOS; E A MÚSICA SAI 'AO/E DO' NATURAL, FÁCIL, ALEGRE. COMO TAMBÉM ESTE ALEGRE PÔR-DO-SOL, MIRADO DO ÁPICE DA MONTANHA, COM CORREDEIRAS. O TÍTULO FICA PERFEITO DESTA ÓTICA: 'ALIVE AND KICKING'. MOMENTOS ASSIM NA VIDA, SÃO BEM RAROS. QUANDO VIVÊ-LOS, VIVA-OS.

Ricardo Bing Reis OUTRO EXCELENTE EXEMPLO DE COMO A SIMPLES CONTEMPLAÇÃO PODE TE DEIXAR 'ALIVE AND KICKING'. E, NUNCA CANSO DE DIZER: É GRÁTIS; INCLUSIVE A BRISA.
16 de maio de 2012 às 21:08

ÓCIO CRIATIVO > BOEMIA. PERCORRER BARES E DANCETERIAS; CONVERSANDO, BEBENDO, CANTANDO, DANÇANDO E PAQUERANDO; CARACTERIA A SAUDÁVEL BOEMIA; DESDE QUE NÃO IMPLIQUE EM BRIGAS, DROGADIÇÃO E ALCOOLISMO. NEM DIRIGIR PÓS BEBER.

_________________________________________________

A NOITE > ASSIM COMO PODE SER SAUDÁVEL, COMO 'ÓCIO CRIATIVO', DE BOAS DIVERSÕES E ALEGRIAS; PODE SER MUITO FRUSTRANTE E DECEPCIONANTE, PELOS MAIS VARIADOS MOTIVOS. INCLUINDO INADEQUAÇÃO DE PARCEIROS DISPONÍVEIS. DE ONDE PODE-SE SIM, TIRAR APRENDIZADOS, POIS ESTES MELHOR PROVÉM DAS FRUSTRAÇÕES, JÁ QUE DEIXALM MARCAS. MAS, SE A NOITE ESTÁ TE SERVINDO COMO 'VÁLVULA DE ESCAPE' PARA O JÁ PESADO COTIDIANO, NÃO É DAÍ QUE SE QUER TIRAR APRENDIZADOS! MAS ELES NÃO TEM HORA...

CONTEMPLAÇÃO DE PESSOAS > TENHO ISTO MUITO PRESENTE EM MIM. GOSTO NÃO SÓ DE CONTEMPLAR PESSOAS INDISTINTAMENTE, MAS TENTAR ENTENDÊ-LAS. FICO OBSERVANDO-AS. TALVEZ QUERENDO TIRAR DELAS PARÃMETROS DE UME SER MAIS OU MENOS MALUCO. E, CONCLUÍ QUE SOMOS BALAS SORTIDAS, CADA QUAL COM SUA 'SORTE'. CADA UM É UM UNIVERSO, GENÉTICO E AMBIENTAL, E CADA UM DÁ NO QE DÁ, NÃO AO ACASO. MAS, NA BASE, VEJO ALGO EM COMUM: 'ETERNO E INATO DESCONTENTAMENTO DO SER HUMANO', EM GRAUS RAZOAVELMENTE OU BEM VARIADOS. QUANDOMOREI NA ALEMANHA, GOSTAVA DE FICAR EM BAR DE CALÇADA, TOMANDO UMA CERVEJA ENQUANTO OBSERVAVA AS PESSOAS PASSANDO: PASSEANDO OU NO CORRE-CORRE. OBSEVAVA COMO CADA UM SE COMPORTAVA. E, NESTA ÓTICA, FICAVA-ME A SENSAÇÃO DE COMO DEVEMOS NOS PREOCUPAR COM COISAS NO COTIDIANO QUE NADA SIGNIFICARÃO LÁ ADIANTE, AOS 70 ANOS. E, COMO BEM DISSE MINHA AVÓ, NÃO SERIA ENTÃO DE PENSAR A VIDA DA FRENTE PARA TRÁS, AO INVERSO DO QUE FAZEMOS. OU SEJA, PENSAR, PARA CADA COISA, SE AQUILO QUE ESTAMOS CORRENDO ATRÁS HOJE É DE TAL MONTA SIGNIFICATIVO QUE NOS LEMBRAREMOS NO FUTURO. ASSIM, PODERÍAMOS NOS DESPREOCUPAR DE 'PICUINHAS' E NOS ATER UM COISAS MAIORES. TEMPO ECONOMIZADO PARA SER LIVRE AO 'ÓCIO CRIATIVO'. QUANDO VIAJO, GOSTO DAS CIDADES EM DIAS ÚTEIS, QUANDO ELA ESTÁ 'VIVA', COM SEU COTIDIANO EM CURSO. NÃO GOSTO DE CIDADES EM FERIADOS, FINS DE SEMANA E PERÍODOS DE FÉRIAS. COM CERTEZA, TENHO UMA FIXAÇÃO EM SERES HUMANOS, NO QUE PENSAM E NO QUE SENTEM. E GOSTO DE OBSERVÁ-LOS. TALVEZ UM 'FETICHE PELO HUMANO'. PODE TER SIDO MEU NORTE PARA OPTAR PELA MEDICINA, APESAR DE SEU COTIDIANO NÃO FÁCIL. NÃO PODERIA TAMBÉM MORAR EM LOCAIS PACATOS. GOSTO DE MOVIMENTO, E, PASMEM, BARULHO, SEM EXCESSOS. GOSTO DE SABER QUE HÁ PESSOAS POR PERTO, MESMO QUE NÃO AS VEJA; E, EM GERAL, NEM QUERO. COMO DIRIA CHRISSIS HYNDEE

Ricardo Bing Reis ÓCIO CRIATIVO > CONTEMPLAÇÃO DE PESSOAS, ALÉM DE PRAZEROSO PARA ALGUNS, OU MUITOS; É FATOR DE CRESCIMENTO PESSOAL, MEDIANTE A OBSERVAÇÃO DE COMPORTAMENTOS. CONSTATE QUE MUITAS PESSOAS, POR EXEMPLO, EM PARQUES, O EXERCEM, INDISTINTAMENTE; EMBORA OUTROS POR PAQUERA. MAS, MESMO AQUI, PODE SER BOM COMEÇO PARA A PRÁTICA; OU JÁ A É, EMBORA DE FORMA FOCADA!...
16 de maio de 2012 às 22:26

ENRIQUECER > NÃO ACHO QUE SEJA ASSIM TÃO IMPORTANTE PARA DIMINUIR O 'ETERNO E INATO DESCONTENTAMENTO DO SER HUMANO'. TER O SUFICIENTE (E MAIS UM POUQUINHO) BASTA. A BUSCA DA RIQUEZA PODE EXIGIR-TE O 'WORKAHOLICISMO'. SE ASSIM FÔR, TENDERÁ A SER, JUSTO ELA RIQUEZA, TUA RETA À INFELICIDADE.

 

ÓCIO CRIATIVO > CONTEMPLAÇÃO. É GRATUITO.

Ricardo Bing Reis ESTE VÍDEO É PARA MIM. SEMPRE GOSTEI DE MINHA CADEIRA DE PRAIA OLHANDO O MAR. EM VIAGENS, NUNCA ME PASSOU PELA CABEÇA EM FAZER COMPRAS. CAMINHO PELAS CIDADES, CONTEMPLO MONTANHAS, LAGOS, ILHAS GREGAS, VIAGENS DE TREM, ETC. E, COMO DIZ 'DEPECHE MODE', APRECIANDO O SILÊNCIO. MAS É PESSOAL; OUTROS TEM GANA POR LOJAS. NADA DE ERRADO NISTO. APENAS FORMAS DIFERENTES DE SER. JÁ OUTROS GOSTAM DAS 2 COISAS. E, UM QUARTO GRUPO, DE NADA.
29 de abril de 2012 às 03:52

 

NEM SÓ UMA COISA, NEM SÓ A OUTRA. POR QUE O HÁBITO DE 'OU/OU' AO INVÉS DO 'E/OU'? POR QUE SER PELA METADE (?), SE PODE-SE SER MAIS COMPLETO? TALVEZ PORQUE PENSAR EXIGE REFLEXÃO, CONHECIMENTOS E INTELIGÊNCIA. E, TALVEZ, ISTO NÃO SEJA COMUM À TODOS!... / DAÍ O RECURSO: ...'SIGA SUAS EMOÇÕES'... / MAS ISTO PASSA LONGE DO REQUINTE: ...'ELABORE SUAS EMOÇÕES!'... / É COMO A PEDRA BRUTA E A PEDRA LAPIDADA. A PREGUIÇA TE DEIXA COM A PEDRA BRUTA. BEM, DEPOIS NÃO SE QUEIXE...

TEEN ROCK > PARA MIM, DESDE A INFÂNCIA, TEMOS MOMENTOS PÉSSIMOS, MOMENTOS RUINS, MOMENTOS RAZOÁVEIS, MOMENTOS BONS, MOMENTOS ÓTIMOS E MOMENTOS EXCELENTES. PARA ADOLESCÊNCIA, CLASSIFICARIA ESTE, COMO UM MOMENTO EXCELENTE.

 

'AMULETO-CRUFIFIXO' CONTRA O ENCARDIDO 'ETERNO E INATO DESCONTENTAMENT DO SER HUMANO': COMO COMENTADO, O BOM HUMOR. E, ESTE, PRECISA DE TEMPO LIVRE PARA FLORESCER MEDIANTE O 'ÓCIO CRIATIVO', QUE VIABILIZA SEUS PRAZERES. QUE PODEM SER TÃO SIMPLES QUANTO OUVIR UMA MÚSICA ENERGIZANTE. AGORA, SE VOCÊ PROVOCA A SORTE COM MÚSICAS 'DOWN', RECONHEÇO-TE COMO, PELO MENOS, CORAJOSO. EMBORA GOSTO SEJA GOSTO. 'LET'S GO' ENERGIZA; 'LET'S STAY' LENTIFICA O JÁ ARRASTADO.

'ETERNO E INATO DESCONTENTAMENTO DO SER HUMANO' < JAMAIS DÊ PAZ À ELE. INFERNIZE-O. COMBATA-O TODOS OS DIAS E O DIA TODO, COM TODAS ARMAS DISPONÍVEIS. E CERQUE-SE DE VÁRIAS DELAS. E, O 'CRUCIFIXO-AMULETO' CONTRA ESTA 'IMPREGNAÇÃO DEMONÍACA', É O BOM HUMOR. ESTE, CAUSA AO 'DESCONTENTAMENTO' UMA MAL-ESTAR QUAL, QUE ELE ACABA POR TENTAR FAZER UM PACTO CONTIGO: 'EU NÃO SAIO MUITO DAQUI, E TU NÃO VENS MUITO PARA CÁ'. FAÇA UMA CARA DE POUCOS AMIGOS, MAS ASSINE O CONTRATO!

CASO MINHA HIPÓTESE DO 'ETERNO E INATO DESCONTENTO DO SER HUMANO' SEJA COERENTE; DE NADA ADIANTARÁ CHUTAR TUDO ISTO, NÃO PODENDO VOCÊ CHUTAR PARA FORA SEUS NEURÔNIOS DA 'ÁREA CEREBRAL DA FRUSTRAÇÃO'! ISTO É NEURO-CIÊNCIA, ENTÃO, POUPE SEUS SAPATOS.

 

ACHO QUE ISTO VAI DAS NECESSIDADES DE CADA UM. E, A NECESSIDADE QUE, AO MEU VER, MAIS TE FAZ PENSAR NAS COISAS, É 'O ETERNO DESCONTENTAMENTO INATO DO SER HUMANO'. JÁ O PRIMEIRO PRÉ-REQUISITO PARA PENSAR, É UM MÍNIMO DE INTELIGÊNCIA. O OUTRO PRÉ-REQUISITO, É A FORÇA DE VONTADE PARA GARIMPAR PREMISSAS, QUE TE PERMITAM BOAS ANÁLISES E SÍNTESES.

 

ÓCIO CRIATIVO > SAIR À NOITE E BALADAS, SÃO EXCELENTES FORMAS DE DISTRAIR SEU CÉREBRO. MAS CUIDADO. SE O AMBIENTE EM CASA É CAÓTICO, TALVEZ VOCÊ SAIA APENAS PARA PODER REFUGIAR-SE DELE. MAS AÍ, POR PRÉ PERTURBAÇÃO VINDA DE CASA, PODE CAIR NA ARMADILHA DE AGREGAR-SE À OUTROS AMBIENTES, DE NOVO CAÓTICOS. E A NOITE, EM GERAL, É CHEIA DE SORTILÉGIOS...

ÓCIO CRIATIVO > PRATICAR UM ESPORTE DESCONTRAIDAMENTE, 'JUST FOR FUN'. ENQUANTO ALGUNS AMERICANOS GOSTAM DE HOCKEY, RECOMENDARIA COISAS MAIS 'LIGHTS', COMO BASQUETE, VOLEI, FUTSAL, FUTEBOL DE PRAIA, TÊNIS, FRESCOBOL, ETC. MAS, PENSE 2 VEZES ANTES DE TRANSFORMAR SEU ESPORTE DE DIVERSÃO EM COMPETIÇÕES. ESTAS, PODEM TORNAR A SUA VIDA AINDA MAIS ESTRESSANTE; EM CONTRASTE COM A DESEJADA DESCONTRAÇÃO.

ÓCIO CRIATIVO > SIMPLESMENTE ANDAR DE BICICLETA. EM 1972, ESTAVA EU E MEU PRIMO ARTUR 'DE BOBEIRA', NO INÍCIO DE UMA TARDE TÃO QUENTE QUANTO ESTA NO VÍDEO. NO ENTANTO, ENQUANTO OS COMPONENTES DO 'AMÉRICA', NO VÍDEO, FAZEM SEU TRAJETO DE CARRO; FOMOS DE BICICLETA, DO NOSSO BALNEÁRIO DE ATLÂNTIDA ATÉ O CENTRO DE OUTRO. LÁ CHEGANDO, DADO AO CALOR, POUCOS NA RUA. TAL QUASE O DESERTO DO 'FAR WEST'. ENTÃO, ENTRAMOS NUMA LOJINHA DE ESQUINA E, NUMA CAIXA DE PAPELÃO, HAVIA UM EMPILHADO DE 'LPs'. DE LÁ, SAIU, POR CASUALIDADE, ESTE ÁLBUM, RECÉM LANÇADO. ATÉ ENTÃO DESCONHECIDO PARA NÓS, COMPRAMOS MEIO 'NO CHUTE'. E, COMPRAR 'NO CHUTE' ERA HÁBITO, DE TANTOS LANÇAMENTOS DE DISCOS DE ROCK A CADA MÊS. 2 OU 3 NOVOS GANDES DISCOS POR SEMANA. A BICICLETA ERA COMO UMA CONTINUIDADE DE TODOS NÓS NAQUELES IDOS 70'S. ERA O NOSSO 'CAVALO DE AÇO', NOSSO 'HORSE WITH NO NAME'.

 

PROBLEMAS DO COTIDIANO > ESTE VÍDEO É DE MIM PARA MIM MESMO; QUE RUMINO DESCONTENTAMENTOS COM PROBLEMAS E PROBLEMINHAS DO DIA À DIA. OBSERVAÇÃO: O CÉREBRO É SEU E, COMO TAL, SE PREFERIR, PODE DELETAR OS CONTEÚDOS MAIS ESOTÉRICOS. E, VERÁS QUE, FEITO ISTO, AS INFORMAÇÕES PRECIOSAS AINDA SERÃO DEMAIS FARTAS. SE QUISER, AGREGUE AS CRENÇAS DA FÉ.

Ricardo Bing Reis ÊNFASE > DESCONTENTAMENTOS/INSATISFAÇÕES COTIDIANAS.
24 de março de 2012 às 14:48 ·

Ricardo Bing Reis ELTON JOHN, HOJE FAZENDO 65 ANOS: 'NÃO CONSIGO ACEITER PESSOAS BEM-SUCEDIDAS QUE VIVEM TRISTES'. ESTA FRASE FAZ CERTO SENTIDO, MAS REVELA QUE O GENIAL MÚSICO ESTÁ À MARGEM DA REALIDADE DE BOA PARTE DA HUMANIDADE. E, A MINHA HIPÓTESE DE 'DESCONTENTAMENTO CRÔNICO INATO DO SER HUMANO' PODERIA FAZÊ-LO ENTENDER MELHOR. E, INCLUSIVE, PERCEBER EM SI MESMO TAMBÉM SER PORTADOR, JÁ QUE É BIOLOGICAMENTE IGUAL À TODOS DEMAIS. TALVEZ TIVESSE FALANDO À ÓTICA DE ESFORÇAR-SE PARA MANTER O BOM HUMOR, MESMO QUE O MAU HUMOR QUISESSE EMERGIR. ENTÃO, SIM, CONCORDO; EMBORA A MENTE, EM NÃO RAROS CASOS, POSSA TER DISTÚRBIOS QUE IMPEDEM ESTA REAÇÃO POSITIVA (DEPRESSÃO, ANSIEDADE, ETC).
24 de março de 2012 às 19:40 ·

DESCONTENTAMENTO > SERIA UM POUCO CÔMODO APENAS DIZER QUE O 'DESCONTENTAMENTO' É A 'INSATISFAÇÃO'. DICIONÁRIO: DESCONTENTAMENTO É INSATISFAÇÃO, DESGOSTO, DISSABOR. E, INSATISFAÇÃO, É DESAGRADO. É DIFÍCIL DEFINIR. IMAGINO ALGO EM TORNO DE UMA MUITO LEVE DEPRESSÃO (AINDA MENOR QUE A DISTIMIA DESCRITA ABAIXO, FREQUENTE CAUSA DE MAU HUMOR); COM PINCELADAS DE ANSIEDADE. NÃO HÁ NECESSIDADE DE INVADIR O TERRENO DO MAU HUMOR, PODENDO AINDA, PERFEITAMENTE, MANTER-SE EM ESTADO DE (MUITO) BOM HUMOR. ESTA SUB-DEPRESSÃO, SERVIRIA PARA DAR-NOS A SENSAÇÃO DE UM VAZIO, E DE QUE ENTÃO, ALGO ESTÁ FALTANDO. A SUB-ANSIEDADE, NOS DARIA A SENSAÇÃO DE QUE ALGO TEM QUE SER FEITO, PARA PREENCHER A SUPOSTA CARÊNCIA. ASSIM, A PESSOA SE MEXE EM PROL DE UMA BUSCA, DE UM OBJETIVO. SENDO, O PRIMEIRO, A PRÓPRIA SUBSISTÊNCIA. SERIA ENTÃO, A GASOLINA QUE MOVE O MOTOR; A ENERGIA QUE TIRA O SER HUMANO (E, IMAGINO, TODOS ANIMAIS) DA INÉRCIA. E, SERIA INATO, CONGÊNITO; COMO PARTE DE NOSSA NATUREZA ANIMAL. CASO CONTRÁRIO, POR QUE O PREDADOR SE MOVERIA AO ENCONTRO DA PRESA? IMAGINO COMO CRÔNICO, CONSTANTE, TODOS OS DIAS E O DIA TODO; COM PERÍODOS DE EXACERBAÇÃO E REMISSÃO/ALÍVIO. MAS SEMPRE ALI, PRESENTE.

PREGUIÇA > DICIONÁRIO: 'FALTA DE VONTADE OU DE ENERGIA PARA AGIR, OU DE ATUAR EM CERTA ATIVIDADE'. É IMPORTANTE, ANTES DE ROTULAR ALGUÉM DE PREGUIÇOSO, INVESTIGAR SE HÁ, NESTA PESSOA, ALGUM DISTÚRBIO QUE POSSA ESTAR 'SUGANDO' AS ENERGIAS DELA. ENTÃO, NÃO SE TRATARIA DE PREGUIÇA, MAS ASTENIA, UMA ESPÉCIE DE CANSAÇO POR MOTIVOS ORGÂNICOS. CITARIA, POR EXEMPLO: 1- DOENÇAS HORMONAIS; DA TIREÓIDE (T3, T4, TSH), HORMÔNIOS SEXUAIS (TESTOSTERONA, PROGESTERONA, ESTRÓGENOS), ANEMIAS E OUTRAS HEMATOPATIAS. A RIGOR, A GRANDE MAIORIA DAS DOENÇAS SÃO POTENCIALMENTE CAPAZES DE GERAR ASTENIA E PROSTRAÇÃO; JÁ QUE ELAS FUNCIONAM COMO 'PARASITAS' DE NOSSO CORPO, EXPOLIANDO NOSSAS ENERGIAS. TAMBÉM NÃO ESQUEÇAMOS DA DEPRESSÃO. NESTES CASOS, TEMOS UM DOENTE, QUE PADECE DE SEU VILÃO: UM DISTÚBIO ORGÂNICO. LAMENTAVELMENTE, MUITOS DESTES SÃO ROTULADOS DE VAGABUNDOS. ASSIM, DISCORDARIA EM PARTE DO DICIONÁRIO. DIRIA: 'PREGUIÇA É FALTA DE VONTADE PARA AGIR, APESAR DE ESTAR COM SEU POTENCIAL ENERGÉTICO PRESERVADO. OU SEJA, UM SAUDÁVEL, QUE NÃO SE ESFORÇA, QUE NÃO TEM FORÇA DE VONTADE; E QUE ATUA TAL CONDIÇÃO, POR LERDEZA E MÁ VONTADE'. POR OUTRO LADO, AQUELE QUE TEM FALTA DE VONTADE PARA AGIR, MAS ENFRENTA-SE, AGINDO, NÃO É, PARA MIM, UM PREGUIÇOSO, MAS, EM APARENTE PARADOXO, UM VENCEDOR, QUASE UM HERÓI; VISTO QUE CONSEGUE SUPERAR-SE A SI MESMO. NINGUÉM É OBRIGADO A GOSTAR DE TRABALHAR, ATÉ PORQUE, GOSTO É GOSTO. MAS TRABALHAR MESMO SEM GOSTAR, TENDO AINDA UM RENDIMENTO BOM OU ÓTIMO, É UMA ATITUDE NOBRE. ABRO PARÊNTESE PERTINENTE MAS TALVEZ INADEQUADO: (AMIGO DISSE-ME QUE 'SE TRABALHO ENOBRECESSE, ESTIVADOR ERA CONDE'!). FECHEI O PARÊNTESE. AGORA PENSO NA GRANDE QUANTIDADE DE PESSOAS QUE VEJO DIZER AMAR O QUE FAZEM. MAS AMAM A SEXTA E ODEIAM A SEGUNDA. TALVEZ DIGAM PARA DEMONSTRAREM TER UMA (INEXISTENTE) VIDA PERFEITA, TALVEZ POR MEDO DAS FOFOCAS SOCIAIS QUE PODERIAM CULMINAR COM A PERDA DE SEU EMPREGO OU CLIENTELA, TALVEZ AIND POR MOTIVOS HISTÓRCO-CULTURAIS ONDE ISTO PODERIA SER CONFUNDIDO COM PREGUIÇA E ENQUADRADO ENRE OS 'SETE PECADOS CAPITAIS/MORTAIS. E QUIÇÁ, SECULARMENTE, NINGUÉM QUISESSE ARRISCAR MAU DESEMPENHO NO JUÍZO FINAL... VERDADE É QUE POUCOS DIZEM, ABERTAMENTE, NÃO GOSTAREM DE TRABALHAR. NÃO SIGNIFICA QUE NÃO ESCOLHERAM BEM SUAS PROFISSÕES, MAS SIM DE QUE A ROTINA DESGASTA. ENTÃO, VOCÊ PODERIA PENSAR EM UM OFÍCIO ONDE QUASE NÃO HÁ ROTINA. ALÉM DE, NO MOMENTO, NENHUM ME OCORRER; ARREMATARIA DIZENDO QUE A FALTA DE ROTINA, COM O TEMPO, SE TORNARIA ROTINEIRA. NÃO É PECADO NÃO GOSTAR DE TRABALHAR, DESDE QUE O DESEMPENHE BEM. MAS É INDIGNO SER DESLEIXADO, MAL INTENSIONADO, IRRESPONSÁVEL E, POR CONTA DISTO; COMPROMETER TERCEIROS. CONVERSANDO COM PSIQUIATRA AMIGO, COMENTOU-ME QUE SUPUNHA TERMOS 90% DAS PESSOAS NÃO GOSTANDO DE TRABALHAR E/OU DO QUE FAZEM. UM SEGUNDO AMIGO, ME OBSERVOU QUE 'TRABALHO BOM É O QUE DÁ DINHEIRO'. ENTÃO, ME VEIO UMA LUZ: TALVEZ, AQUELES QUE DIZE 'AMO O QUE EU FAÇO', EM VERDADE, 'AMAM O DINHEIRO FRUTO DO QUE FAZEM'. ASSIM, ENTENDER-SE-IA O 'WORKAHILICISMO', QUE ESTARIA FUNDAMENTADO À PAIXÃO NÃO AO OFÍCIO, MAS AO DINHEIRO: É A GANÂNCIA. AÍ, JÁ ESTARÍAMOS IMPLICANDO EM OUTRO 'PECADO CAPITAL'. A GANÂNCIA. E, SE AINDA 'PÃO-DURO', A AVAREZA. MAS JÁ SÃO ASSUNTOS PARA OUTRAS OCASIÕES. DO OUTRO LADO, TEMOS O DESEMPREGO. SE DINHEIRO NÃO É TUDO, TUDO É A FALTA DE DINHEIRO. PRECISAR E QUERER TRABAHAR, MAS ESTAR PROLONGADAMENTE DESEMPREGADO, TE COLOCA ATÉ À UM GRAU DE AFLIÇÃO. MESMO EFEITO PELA BAIXA DE DEMANDA DE UM PROFISSIONAL AUTÔNOMO. SOMENTE AQUI, CONSTATAR-SE-Á QUE, MESMO NÃO GOSTANDO DE TRABALHAR, FAZÊ-LO, É UM PARAÍSO FRENTE À ANGUSTIANTE SITUAÇÃO DO DESEMPREGO; ONDE ATÉ A AUTO-ESTIMA CAI À LIMITES PERIGOSOS.

O TEMPO VOA > NESTE VÍDEO, ANOITECE E AMANHECE UMAS 5 VEZES EM 4 MINUTOS. DESCOBRI O MOTIVO PELO QUAL A VIDA PASSA TÃO RÁPIDAMENTE. PORQUE HOJE É SEGUNDA E, LOGO, SEXTA. PORQUE HOJE É MARÇO E LOGO, NATAL. PORQUE TIVE 20 LOGO ALI, E JÁ AGORA 50; E 70 ANOS LOGO MAIS ADIANTE. NÃO(!), NÃO É PELO ESTRESSE DA VIDA PÓS-MODERNA. 'É PORQUE É ASSIM MESMO'.

Ricardo Bing Reis Outro ponto de vista do porque a vida passa tão rápido > "Não é que tenhamos pouco tempo, mas sim que perdemos muito tempo". Sêneca em 'Sobre a brevidade da Vida'.
20 de outubro de 2013 às 00:40

 

 

 

DESCONTENTAMENTO PODERIA DESENCADEAR DESCONTROLE EMOCIONAL CAPAZ DE SE REFLETIR EM DESCONTROLE FINANCEIRO; DESCONSIDERANDO, O SEMPRE PRUDENTE, PLANEJAMENTO DO PRESENTE E DO FUTURO?

 

 

PAIS APENAS DE CORPO PRESENTE, NÃO IMAGINAM QUE SÃO MENOS EFETIVOS QUE AQUELES DE CORPO AUSENTE E PREOCUPAÇÕES PRESENTES. ESTAS PODEM SER VEICULADAS MESMO POR TELEFONE, E-MAILS, FACEBOOK, MSN, SKYPE, TORPEDOS, ETC. MAS QUE TAMBÉM TENHA O CORPO PRESENTE BEM MAIS MAIS DO QUE SEMPRE QUE POSSÍVEL.

 

DESCONTENTAMENTO > QUEM IMAGINA UMA VIDA SEM DIFICULDADES E OBSTÁCULOS, É 100% CANDIDATO AO GRUPO INFINITO DOS MUITO FRUSTRADOS; TRANSCEDENTES DO DESCONTENTAMENTO BASAL. ESTA MÚSICA PARECE TER SIDO FEITA À 'GERAÇÃO Y', MESMO ANTES DELA SURGIR. GERAÇÃO QUE TUDO SABE, MENOS LIDAR EMOCIONAMENTE COM A REALIDADE, ONDE TUDO PARECE CONSPIRAR CONTRA. A INFELICIDADE VIRÁ INCRUSTRADA.

DESCONTENTAMENTO PODE SER A FONTE PRIMEIRA DE IRRITABILIDADE, ANSIEDADE ( E SEUS AMPLIFICADOS: FOBIA, SÍNDROME DO PÂNICO E SÍNDROME DE ESTRESSE PÓS-TRAUMÁTICO); E DEPRESSÃO (IRMÃO QUASE UNIVITELINO DO DESCONTENTAMENTO).

O DESCONTENTAMENTO BASAL LHE INDUZ À PROCURA DE NOVAS SENSAÇÕES. E ISTO TENDE A SER BOM. NO ENTANTO, UM DESCONTENTAMENTO EXACERBADO, PODE TE LEVAR A PROCURAR SENSAÇÃO DE ANESTESIA DE SI MESMO; ATRAVÉS DE ÁLCOOL E DROGADIÇÃO. AÍ, AS 'NEW SENSATIONS' PODEM ACABR MAL. NÃO CREIO EM USO DE DROGAS QUE NÃO SEM UM SEVERO DESCONTENTAMENTO COMO PANO DE FUNDO. MAS, SE ME PROVAREM O CONTRÁRIO, PASSAREI A CRER.

ESTE QUADRO É UM COMPLEMENTO PARA O TRECHO SOBRE 'OS DO BEM ENFRENTAREM OS CANALHAS'. OS CANALHAS SÃO COVARDES. OS DO BEM, MUITO 'CORDEIRINHOS', PASSIVOS. DENUNCIE, COM PRECAUÇÕES.

Ricardo Bing Reis O espertinho e canalha não vêem a pessoa do bem como tal, mas sim como trouxa, paspalho, boca-aberta; que merece ser ludibriada. Julgam que o mundo é deles, 'mais fortes', por uma inadequada interpretação Darwiniana de 'Seleção Natrural'.
21 de fevereiro de 2012 às 23:24

ÁS VEZES A PREGUIÇA ME VENCE E NEM COMEÇO 'CERTA ALGUMA COISA'. QUANDO VENÇO A INÉRCIA E COMEÇO, NÃO TERMINO CASO LÁ PELAS TANTAS CONCLUA TER ENTRADO NUMA FRIA OU DADO 'PASSO MAIOR QUE AS PERNAS'. MAS NUNCA DESISTO DE TENTAR. DISSE TENTAR. NUNCA GARANTO RESULTADOS 100%. MAS GARANTO ISTO SIM, 100% DE ESFORÇO E BOA VONTADE. É O QUE POSSO OFERECER.

 

 

 

SER HUMANO 'SERIA UM ETERNO DESCONTENTE'(?). Minha mãe sempre me declarou um 'eterno insatisfeito'. Portanto, dependendo de mim mesmo, esta hipótese (também por mim, bem ou mal, desenvolvida), seria uma realidade. Conforme melhor já descrito aí abaixo; por janeiro. E, os Rolling Stones parecem ser como eu. Vejam a letra original, a tradução para quem quiser e, ainda, um vídeo.

ÁS VEZES (OU MUITAS VEZES) NÃO DÁ VONTADE DE JOGAR TUDO PARA CIMA E SAIR CORRENDO?

Ricardo Bing Reis ESTE ADORA A SEXTA E ODEIA A SEGUNDA, CERTAMENTE. ACHO QUE 90% DAS PESSOAS SE ENQUADRAM AQUI. ACHO. OS WORKAHOLICS OU SIMPLESMENTE OS QUE 'AMAM O QUE FAZEM', ADORAM A SEGUNDA E ODEIAM A SEXTA?
18 de fevereiro de 2012 às 20:41

Ser empreendedor, empresário, autônomo; gera ansiedade porque corre-se mais riscos. E está suceptível à oscilações de mercado. Mas, como disse Kierkegard(se é que se escreve assim, e se é que foi ele mesmo), ...'arriscar-se causa ansiedade, mas, deixar de arriscar-se, é perder a si próprio'... Não necessariamente nestas palavras, mas no sentido, sim. Escrevi mesmo com medo de errar, já que não sou um intelectual, pois é muito pertinente. Este seria o principal 'lado negativo'. Mas o positivo é não ter medo de perder o emprego, já que é o empregador. E, se você é o empregador, não precisa se submeter à chefes; o que, imagino, não deva ser lá uma coisa agradável. Já a alegação do emprego público concursado com salários ditos altos, tem a 'condenação' de ser aquilo por 30 anos e nada mais; sem qualquer espectativa de crescimento. Imagino ser massante demais estas repartições públicas onde nada acontece de novo, onde não surgem fatos novos, onde se conta os dias para se aposentar, onde um temta 'puxar o tapete do outro' pela promoção. Mas, é claro, isto vai do perfil da personalidade. Pessoas com maior grau de insegurança podem se sentir bem nestas circunstâncias, por conta da compensadora 'estabilidade': salário garantido no dia 30 + férias + décimo terceiro + aposentadoria até integral, etc. Para outros perfis, mais seguros, tal situação pode gerar tal tédio, que violará sua natureza. Se eu pudesse opinar, diria para trabalhar o mais afinado possível com o seu perfil de pessoa, e não o contrário; adaptar o seu perfil ao trabalho. Embora isto possa ser necessário, única saída. O imutável é que, seja qual for sua escolha, estar atualizado por estudos continados na parte técnica, de gestão e, principalmente auto-conhecimento, até para melhorar suas relações inter-pessoais. Como podem ver, todas estas circunstâncias de trabalho tem suas vantagens e desvantagens. Sugiro à interessados que acessem a página de Abílio Diniz no Facebook.

 

DESCONTENTAMENTO/INSATISFAÇÃO > Se você não tem estes 'kits felicidade', esqueça. Você jamais será feliz(!)(?). Enquanto isto, procrastinaremos a felicidade. Em verdade, penso que o descontentamento permaneceria, a despeito destes 'kits'. Aumentaria, isto sim, sua perplexidade, do quanto o 'ETERNO DESCONTENTAMENTO DO SER HUMANO' pode até ser atenuado por 'kits' e/ou estímulos ambientais(externos), mas será um mero mascaramento parcial do pano de fundo orgânico, da insatisfação crônica. E, não sabedor do que está acontecendo, isto é, do que está enraizado em seu cérebro, procurará na lógica, aqui ilógica, uma explicação, mas que não justificará. Algo em torno de ...'preciso de um helicóptero igual ao do Obama, e não este vermelho; por isto ando me sentindo meio estranho!... LEIA MAIS LOGO ABAIXO.

Ricardo Bing Reis ESCLARECIMENTO: o vídeo apenas exemplifica circunstância onde julgamos que estaria a felicidade. Imagino que não mais que parcial. O esclarecimento diz respeito de não ser uma constatação relacionada às pessoas que aparecem no vídeo, mas sim a TODOS os Seres Humanos. Inclusive os ricos do vídeo; inclusive os pobres favelados do vídeo; inclusive TODOS nós 7 bilhões.
3 de fevereiro de 2012 às 00:57

MINHA HIPÓTESE DO ETERNO DESCONTENTAMENTO.

Ricardo Bing Reis TENHO PARA MIM QUE O PANO DE FUNDO DA MENTE HUMANA É DE UM CRÔNICO DESCONTENTAMENTO. ELE ESTARIA SEMPRE PRESENTE, INTERCALADO POR PERÍODOS DE MASCARAMENTO EM SITUAÇÕES DE ALEGRIA. CLARO QUE, ESTE DESCONTENTAMENTO PODE SER MAIOR OU MENOR. OS EXTREMOS TALVEZ TIVESSEM QUE SER MELHOR ANALISADOS POR ESPECIALISTA DA ÁREA 'PSI'. EM MAIOR OU MENOR GRAU, TODOS TERÍAMOS. CONSIDERE QUE OS PRIMATAS TIVESSEM TODOS OS DIAS, PELA MANHÃ, UM 'PRATO CHEIO DE COMIDA E UM COPO DE ÁGUA' À DISPOSIÇÃO. SAIRIAM DALI PARA QUÊ? 'O PRATO E O COPO VAZIOS' FAZEM MELHOR ALUSÃO À REALIDADE EVOLUTIVA DAS ESPÉCIES. É A NOSSA NATUREZA BIO-GENÉTICA, ORIUNDA DE NOSSOS ANCESTRAIS, CONFORME BEM DESCRITO NA ANTROPOLOGIA BIOLÓGICA; REPARTIDO COM TODOS DEMAIS ANIMAIS. - BEM, ASSIM, VAMOS À LUTA, JÁ QUE ESTAMOS INSATISFEITOS COM OS 'RECIPIENTES' VAZIOS. O ETERNO DESCONTENTAMENTO SERIA A FORÇA MOTRIZ PARA ESTARMOS SEMPRE TENTANDO MELHORAR. SE ISTO CORRESPONDE À VERDADE, LAMENTA-SE OS SATISFEITOS, POIS ESTACIONAM NA INÉRCIA. E, SE TEMOS QUE IR À LUTA, PRECISAMOS DE ENERGIA: TAL A RAIVA E O MEDO, NOSSOS COMBUSTÍVEIS BIO-ENERGÉTICOS. É O TAL MECANISMO DA 'FUGA OU LUTA'. NO ENTANTO, ESTA HIPÓTESE FOI FUNDAMENTADA BASEADA EM MIM MESMO, NÃO TENDO ASSIM, RESPALDO CIENTÍFICO; MUITO EMBORA JÁ TENHA SIDO IDENTIFICADA A 'ÁREA CEREBRAL DA FRUSTRAÇÃO'. SE NÃO IGUAL, TALVEZ PARECIDA. TERÍAMOS MAIS OU TERÍAMOS MENOS FRUSTRAÇÃO; MAS SEMPRE, JÁ QUE A ÁREA ESTÁ LÁ (A NÃO SER QUE SE PASSASSE POR PERÍODOS DE LATÊNCIA, EM LAMPEJOS DE SENTIMENTOS DE FRUSTRAÇÃO). TALVEZ ISTO TUDO EXPLIQUE PORQUE, 1 ANO APÓS COMPRAR UM CARRÃO, JÁ SE QUER OUTRO (OU OBJETO ANÁLOGO EM OUTREM). E TALVEZ ISTO TAMBÉM EXPLIQUE PORQUE MINHA MÃE VIVIA ME DIZENDO: ...'RICARDO, TU ÉS UM ETERNO INSATISFEITO'!... TERIA A NATUREZA FEITO TODOS ASSIM? EU SIM! SEJA COMO FOR, PARECE QUE OS ROLLING STONES SÃO COMO EU, CONFORME A MÚSICA DO MICK JAGGER E KEITH RICHARDS: 'I CAN'T GET NO SATISFACTION'. CLARO QUE A LETRA NÃO É BEM ASSIM, MAS TAMBÉM NÃO É TÃO NÃO ASSIM. RICARDO BING REIS.
1 de fevereiro de 2012 às 21:02

MINHA HIPÓTESE DO ETERNO DESCONTENTAMENTO. CONT

Ricardo Bing Reis Este descontentamento não teria compromisso com a lógica. 'É porque é'! Estaria organicamente em nossas mentes. Não adianta 'espernear'. Mas há de se lutar contra. Então, relato conversa minha com paciente mulher, de 54 anos. Tendo um filho de 34 anos com Déficit Mental, e outro de 30 anos com Déficit Motor, perguntei-lhe: 'Sua vida não deve ser nada fácil'! . Ao que me respondeu:'em verdade, não é nada fácil, mas ainda assim consigo ser feliz'! Satisfação seria a sensação do dever cumprido?
2 de fevereiro de 2012 às 13:37

Ricardo Bing Reis Tendo em vista o escrito no trecho imediatamente acima; não tendo compromisso com a lógica, não faz efeito frases do tipo 'mas logo você que tem uma família tão linda e seu trabalho estável'!... 'pense naqueles que passam fome na África e pare de se queixar'!... Claro que observações como estas, são lógicas; mas não aplacariam, pois não haveria como arrancar de nós mesmos o que a Natureza arquitetou em nossas mentes.
2 de fevereiro de 2012 às 13:44 ·

NADA É POR ACASO. AS PESSOAS HOJE SÃO COMO SÃO, POIS O SÃO. TAMBÉM, CADA POVO TEM O GOVERNO QUE MERECE. É CLARO QUE, MUITOS, MERECERIAM COISA MELHOR, MAS VÃO-SE NO TSUNAMI DA IGNORÂNCIA E PEQUENEZAS. O JUSTO, À ÓTICA DO 'LIGEIRO', É UM TROUXA. MAS NÃO É. NÃO HÁ DE SE SENTIR VERGONHA, JAMAIS, POR SER DO BEM. SE O MUNDO AINDA É MUNDO, O É POR CONTA DESTES; QUIÇÁ JÁ MINORIA. QUERO CRER QUE NÃO. SER HONESTO É DEVER, É OBRIGAÇÃO; NÃO É FAVOR. E, PRINCIPALMENTE, NÃO É SER TROUXA. ESTES, PRECISAM, ISTO SIM, IMPOR-SE; NÃO PERMITINDO QUE OS ESPAÇOSOS, SEMPRE COVARDES, SE ESPANDAM. HÁ DE SE ENFRENTÁ-LOS, DENTRO DA JUSTIÇA, MAS ENFRENTÁ-LOS. E, AO FAZÊ-LO, PERCEBERÃO QUE 'ENCOLHEM' RAPIDINHO, RAPIDINHO. O ESPAÇOSO É COVARDE, ELE É ASSIM: TENTA SE ESPANDIR, MAS SE PRONTAMENTE CONFRONTADO EM PALAVRAS, MURCHA COMO UM BALÃO CUJO NÓ NÃO FOI CONCLUÍDO.

 

 

 

 

Saber resistir ao tsunami do senso comum em consumir, pode representar um enfrentamento à resistência social. Mas que isto não signifique um problema, mas sim, uma circunstância.

Ricardo Bing Reis O cuidado com as finanças, imagino, devesse ser item de educação, isto é, vir de casa, pelos pais. No entanto, muitas vezes, justo eles, pais, são os protagonistas da deseducação. Acaba assim, sendo importante a escola acrescentar pelo menos algo sobre ensino de controle orçamentário básico pessoal. Seria uma reeducação financeira, para evitar que os jovens se tornem consumidores exagerados; consumindo com consciência. Além dos aspectos pessoais, o assunto 'finanças e consumo' tem implicação ecológica, dentre tantas outras.
11 de janeiro de 2013 às 17:34

 

Esta situação, não rara, é, para mim, uma das maiores crises emocionais pela qual uma pessoa pode passar. Claro que existem múltiplos exemplos de situações bem mais complexas, mas isto não anula a gravidade daquela. Mais que ansiogênica, pode ser angustiante e, mais ainda que angustiante, pode chegar ao grau de extremo desconforto, qual seja, a aflição. Por isto talvez, cada vez mais devamos, na formação do ensino fundamental/médio/superior, estimular o empreendedorismo, apesar de todas suas limitações e dificuldades também aqui.

OU POR OUTRA: 'MESMO QUE O SOFRIMENTO SEJA PARA SEMPRE, NUNCA DESISITIR DE LUTAR'. - EU -

Ricardo Bing Reis Acho que vale para tudo: casamento, paternidade ascendente e descendente, irmandade, trabalho, finanças, férias, viagens, estudos, previdência, saúde, educção, ensino, aprendizado, hobby, paixões clubísticas/políticas/culturais, competitividade, voluntariado; e, claro, dentista.
15 de janeiro de 2012 às 03:27 ·

OU POR OUTRA CONT

Ricardo Bing Reis Muito bem pensado. Não fosse o DESCONTENTAMENTO, sair e lutar pela vida por que? Trocaríamos o DESCONTENTAMENTO pelo tédio, que, ao fim, é a mesma coisa. E, já que teríamos que trocar algo pelo mesmo algo, vamos 'à luta' procurar algo diferente. Eu diria, uma diferente forma de sobrevivência. Afinal, a função de todo corpo humano não seria levar o cérebro para passear? Até porque, em tempos anteriores, quando inexistia aposentadoria, o TÉDIO era a linha reta para miséria, doença e morte certa. Talvez por isto, Dante Alighieri classificou a PREGUIÇA como um dos pecados capitais. E, esta INSATISFAÇÃO que nos dá a sensação 'algo tem que ser feito' é justo a força motriz anti-tédio, anti-preguiça. Minha mãe sempre me dizia que sou um 'ETERNO DESCONTENTE'. Hoje, percebo que isto não é ruim. Mas que ela tinha razão, tinha.
15 de janeiro de 2012 às 12:24

Ricardo Bing Reis SERIA A FORÇA-MOTRIZ PARA A INÉRCIA. CASO SIM, MOVE EU, VOCÊ E O MUNDO...
15 de janeiro de 2012 às 12:33

Ricardo Bing Reis Mas temos os radicais. Malucos, que pregam que as guerras são necessárias para 'ativar a economia e o mundo andar'!!!!!!!!! Ou seria desandar?
15 de janeiro de 2012 às 19:51

Minha experiência com ciúmes é muito peculiar. Era o tal 'ciúme doentil', ou seja, não havia nas mulheres justificativa para ele. Foi então que, pesquisando exaustivamente na obra de Freud, no vigésimo quarto volume, que achei: ...'ciúme projetivo é aquele em que você tem vontade de trair, mas projeta no outro'... Foi aí que percebi, em verdade, que a vontade de trair estava dentro de mim. Não que atuasse a traição frente às minhas namoradas, mas tenho consciência que, por esta limitação minha, prejudiquei psicologicamente algumas mulheres, por conta desta tortura que é o ciúme. E, acreditem, o ciúmes traz ainda mais danos ao portador que ao vetor. Ao elaborar esta informação, como que por mágica, instantâneamente nunca mais senti qualquer ciúmes. Penso que o amor verdadeiro está construído sobre a confiança. Não discordo de quem diz ser até saudável uma 'pontinha de ciúmes'. Mas que não seja mais que zêlo! Tal descoberta viabilizou casar-me, no momento adequado.

Minha experiência com ciúme CONT

Ricardo Bing Reis OS TERMOS CIÚME E INVEJA TAMBÉM GERAM EVENTUAIS CONFUSÕES PELO ORADOR, SENDO USADOS DE FORMA TROCADA OU ALEATORIAMENTE; QUANDO SÃO BEM DISTINTOS.
5 de maio de 2012 às 15:59

Ricardo Bing Reis O FATÍDICO 'NÚMERO 3': CIÚME; COMPLEXO DE ÉDIPO; TRIÂNGULO AMOROSO(?); INVEJA; ID/EGO/SUPEREGO; SANTÍSSIMA TRINDADE...
5 de maio de 2012 às 16:02

A paixão é como que uma psicose. Ficamos enebriados em nós mesmos, achando, tolamente, que é pelo outro. Talvez por isto memsmo a sabedoria popular refere que o amor é cego, surdo e burro. Na verdade, troquemos aquela palavra amor por paixão. Amor é diferente. Enquanto a paixão é egoísta, o amor é altruísta. Enquanto na paixão 'não posso mais viver sem mim', projetado no outro; no amor temos a tolerância, a realidade. Agora, isto posto, pode parecer estar a paixão em opsição semântica com amor. E talvez seja assim mesmo; mas não se pode negar que o amor pode ser o 'filho bom' da paixão. Passada esta fase de 'loucura' chamada paixão, o que resta pode ser o nada, pode ser algo suficiente para ambos. Se assim for, que se desenvolva à categoria de amor. Amor é para pessoas em maturidade. A paixão atesta um pouco à imaturidade, embora não seja necessariamente ruim. Já a paixão própria é a arrogância, o amor-próprio, a sensatez do saber de seus limites, geralmente logo ali.

Ricardo Bing Reis TERMOS E CONCEITOS NÃO RARO CONFUNDIDOS E USADOS ALEATORIAMENTE: AMOR, PAIXÃO, VAIDADE E AMOR-PRÓPRIO. TUDO ISTO É DISTINTO ENTRE SI.
5 de maio de 2012 às 15:57

A paixão é como que uma psicose. Ficamos enebriados em nós mesmos, achando, tolamente, que é pelo outro. Talvez por isto memsmo a sabedoria popular refere que o amor é cego, surdo e burro. Na verdade, troquemos aquela palavra amor por paixão. Amor é diferente. Enquanto a paixão é egoísta, o amor é altruísta. Enquanto na paixão 'não posso mais viver sem mim', projetado no outro; no amor temos a tolerância, a realidade. Agora, isto posto, pode parecer estar a paixão em opsição semântica com amor. E talvez seja assim mesmo; mas não se pode negar que o amor pode ser o 'filho bom' da paixão. Passada esta fase de 'loucura' chamada paixão, o que resta pode ser o nada, pode ser algo suficiente para ambos. Se assim for, que se desenvolva à categoria de amor. Amor é para pessoas em maturidade. A paixão atesta um pouco à imaturidade, embora não seja necessariamente ruim. Já a paixão própria é a arrogância, o amor-próprio, a sensatez do saber de seus limites, geralmente logo ali.

Ricardo Bing Reis TERMOS E CONCEITOS NÃO RARO CONFUNDIDOS E USADOS ALEATORIAMENTE: AMOR, PAIXÃO, VAIDADE E AMOR-PRÓPRIO. TUDO ISTO É DISTINTO ENTRE SI.
5 de maio de 2012 às 15:57

Amor-próprio e auto-estima não seriam terminologias de um mesmo comportamento? E, este comportamento me parece adequado. Tenho a sensação de ser fruto do narcisismo (no sentido
de onipotência) que todos temos de forma inata, canalizada para o bem; de si mesmo - auto-estima/amor-próprio - ou para outem - altruísmo; em contraste com o excesso, voltado para si mesmo, em egoísmo. Tal 'eu me amo e não posso mais viver sem mim!'.

Portante, havendo relação causa/efeito entre dores e/ou distúrbios do sono, ao invés de ficar tomando analgésicos e sedativos, vá direto ao ponto : 'ataque' a depressão. Com medicações, se preciso e se indicado por médico competente. Analgésicos e sedativos como complementos se necessário, mas não como tratamento primário; e sim, complementar.

CIDADANIA MUNDIAL > Eco-ambientalismo: o consumo de plástico e papel que vejo no dia a dia, em fast foods, restaurantes, confeitarias, panfletos de lançamentos imobiliários, encartes em jornal, embalagens, malas diretas, cartórios, escritórios, hospitais, serviços públicos, lojas, shoppings, lixeiras, etc; dão-me uma sensação de impotência e consequente tristeza frente ao que tememos saber poder devir, senão tanto para nós, muito tanto para nossos filhos e netos. Sequer conseguimos apontar um norte para eles, filhos. Algo teórico talvez, na prática, zero.

> "DISCIPLINA DESCONTENTAMENTO".
SERIA DE UTILIDADE COLETIVA/PÚBLICA, AGREGAR-SE AO ATUAL ESTUDO CURRICULAR ESCOLAR, A "DISCIPLINA DESCONTENTAMENTO" (TANTO NO ENSINO FUNDAMENTAL QUANTO NO ENSINO MÉDIO)?... O ESTUDO DA "DISCIPLINA DESCONTENTAMENTO", ENSINARIA INFORMAÇÕES PARA A FORMAÇÃO DA PESSOA; FOCANDO ENFATICAMENTE (NO ENTANTO, TAMBÉM DENTRE VÁRIOS OUTROS CONTEÚDOS), 'O ETERNO E INATO DESCONTENTAMENTO ENDÓGENO INERENTE A TODOS OS SERES HUMANOS'! Por Ricardo Bing Reis.

Ricardo Bing Reis Ouvi em rádio AM ainda agora em final de tarde, que foi realizada uma pesquisa nos Estados Unidos e reproduzida no Brasil de igual forma. Indagou-se (para respostas espontâneas), aos jovens entre 18 e 25 anos, o que mais desejavam de uma empresa onde supunham um dia poderem vir a trabalhar. Foram 4 os 'desejos' bem mais citados dentre vários outros: 1- empresa que proporcione uma carga horária de trabalho diária mais flexível, de forma a viabilizar tempo livre para qualidade de vida; 2- empresa ética e sólida, sem riscos de 'quebrar'; 3- empresa com perspectivas para seu crescimento profissional pessoal, aperfeiçoamento (com possibilidade de promoções); 4- bom salário. / Isso, válido para as pesquisas nos 2 países. / Na sequência, perguntou-se por exemplos de empresas onde gostariam de trabalhar. Tanto nos Estados Unidos quanto no Brasil, os jovens pretendentes a tais cargos executivos, citaram variadas, das quais 4 tiveram uma sensível maior preferência. Todas essas empresas citadas, caracterizavam-se por bons salários, às custas de jornadas de trabalho exageradas, sob grande pressão e metas. E a reportagem ficou por isso.
3 de outubro de 2013 às 00:37

Ricardo Bing Reis Ora, se é assim, qualquer um, a princípio, de pronto, perceberia que os jovens dessas 2 pesquisas (EUA e Brasil), entre 18 e 25 anos, abrem mão do tempo livre para sua melhor qualidade de vida (dispensando a prática do ócio criativo, que seria o atenuante do 'eterno e inato descontentamento endógeno inerente a todos os seres humanos'); em prol do dinheiro. Conclui-se, estariam 'condenados' a uma vida de auto escravidão, pelas cifras, consumismos, coisas e mais coisas... Viveriam no ritmo 'time is money'. Quiçá sejam mentes precocemente encardidas pela publicidade e propaganda consumista (pós revolução industrial do século XIX), de intensidade e frequência martelante (e, desde tenra idade!), de que o dinheiro não só traz, como seria até, quem sabe, a própria felicidade. E, lá adiante de suas vidas, talvez aos 50 ou 60 anos, venham a perceber que foram iludidos e que as suas existências (então desperdiçadas), passaram por contínuas angústias e em vão, atrás de muito dinheiro. Somente então, perceberão que 'time ain't money' e que, já na velhice, acúmulo de dinheiro (além do básico necessário), não passa de 'money for nothing'!...
3 de outubro de 2013 às 01:01

Ricardo Bing Reis Não escrevo sobre o que não faço. Atendo exclusivamente em minha Clínica, em mais nenhum lugar. Minha primeira consulta é às 7:40 e a última às 14:30. Não paro ao meio dia para almoçar. Estou acostumado; e, um pouco de jejum, segundo os hindus, faz muito bem à saúde. E de fato, salvo doenças metabólicas como, por exemplo, diabetes, tende a fazer bem, além de me manter, ainda hoje, no mesmo peso que eu tinha aos 17 anos, mesmo 33 anos depois (76 kgs para 1,79). Após às 15 horas, estou sempre liberado para fazer as coisas de que gosto e buscar minhas filhas no colégio. Sendo, 15 horas, início de tarde, poderia perfeitamente ir trabalhar em algum hospital para procedimentos e cirurgias, o que, no mínimo, duplicaria minha renda. Entretanto, assim procedendo, chegaria em casa às 20 horas ou mais. Não teria tempo para dar afeto, limites e criar vínculo com as minhas 2 filhas. E a esposa 'estouraria' por estafa, em ter que fazer tudo sozinha, até porque também é médica e também trabalha. Há muito percebi que, chegar lá na frente e só ver trabalho na retrospectiva de sua própria vida, é o protótipo do fracasso e insucesso de uma vida; muito embora, tolamente, 99% das pessoas, quando mencionam felicidade e sucesso, pensam em vida profissional e dinheiro; por terem sido iludidas pelo senso comum. Não que dinheiro não seja muito importante, o são e muito, mas porque está muito longe de ser o único valor, sequer o melhore aplacador de 'eterno e inato descontentamento endógeno e inerente a todos os seres humanos'. Talvez isso seja a própria justificativa do 'workaholicismo' dessas pessoas dinheiristas, isto é, a incapacidade dela em lidar com seus descontentamentos e limitações psico emocionais. Acabam com coisas e mais coisas amontoadas, contas bancárias recheadas, mas a um custo emocional de uma vida (que, convenhamos, é única!) impagável, por uma existência insuficientemente boa.
4 de outubro de 2013 às 14:46

Ricardo Bing Reis Uma boa parcela de meus colegas médicos, trabalham 12 à 15 horas por dia. Saem de casa antes dos filhos terem acordado, voltam para casa quando já foram dormir! São pais nulos; e, não raro, quando em companhia dos filhos, o fazem apenas de 'corpo presente', pois um (pai/mãe) é um estranho para o outro(filho/a), por afinidade limitada, por falta de convivência e conhecimento entre eles próprios. Está aqui desenhado o nicho perfeito para um jovem drogadito no futuro; e, seria bastante plausível concluir que tal jovem, tenderia a ter distúrbios e/ou transtornos mentais mais provavelmente do que se fosse diferente. E, a problemática não se resume ao filho, mas também à infelicidade do próprio 'workaholicista dinheirista'. Pelo menos nos anos 80, professor de psiquiatria apresentou um trabalho de revista reconhecida, de que o maior índice de alcoolismo em profissionais, era entre médicos; e, dentre esses, pasme, psiquiatras. E, o suicídio, seguiria aproximadamente a mesma linha. Nesses anos todos, tudo pode ter mudado para melhor, mas não duvidaria se tiver mudado para (bem) pior. Peguei o exemplo dos médicos, mas serve, imagino, para todos, em todas profissões. É o mundo das aparências, onde ter dinheiro é sinônimo de felicidade, conceito que serve ao mercado econômico, industrial e comercial, enquanto que, para os 'cegos de suas próprias vidas', gera caos generalizado, para si, para os seus, para tudo. Daí o senso comum não servir, daí a necessidade de implemento do senso restrito, até o ponto em que se invertam, finalmente assim, estabelecendo-se e imperando o bom senso; muito raro hoje na forma como as coisas estão.
4 de outubro de 2013 às 15:09 ·

POR QUE (MUITAS) MULHERES SATURAM OS HOMENS DE TANTO FALAR (?), INCLUSIVE, NÃO RARO, SEM QUALQUER COMPROMISSO COM A COERÊNCIA? OBSERVAÇÃO > MUITA ATENÇÃO, NÃO É GERAL, ENTÃO, NÃO GENERALIZAR-SE... DIRIA QUE SOMENTE UNS 98%!

POR QUE (MUITAS) MULHERES CONT.

Ricardo Bing Reis TENHO UMA PACIENTE QUE HÁ 10 DIAS ME LIGA EVENTUALMENTE POR ESTAR POR VIR. HOJE FALTOU A VOZ E VEIO CORRENDO. O QUE HÁ DE SER DE UMA MULHER SEM VOZ?
1 de agosto de 2013 às 15:26

Ricardo Bing Reis Acho que pertencer aos 2% talvez seja uma desvantagem. Não estamos acostumados com o silêncio absoluto, apenas relativo. Silêncio relativo é aquele onde 'criamos' um botão imaginário atrás das orelhas, o qual, também por força do imaginário, é desligado, com efeito bilateral. Desta forma, ouvimos mas não escutamos. O silêncio absoluto dos 2%, pode estragar este botão, causando-nos um ruído de alta frequência tal um zumbido. Pegou?
1 de agosto de 2013 às 16:32

Ricardo Bing Reis A gente reclama mas não consegue viver sem as mulheres. Vejam o exemplo de muitas viúvas. Vivem melhor após a ida de seus 'véios'(vão ao shopping, reformam a casa, etc); em contrapartida, vejam os muitos viúvos que não duram muito após a ida de suas 'véias'.
1 de agosto de 2013 às 16:39 ·

Ricardo Bing Reis O cérebro masculino parece ser mesmo unifocal. E, o feminino, multifocal. Logo, há forte tendência de as mulheres saírem-se muito bem em atividades plurais e simultâneas. Particularmente, tenho extrema dificuldade em resolver problemas. Se conseguir resolver um banal por dia é muito. No mesmo período, minha esposa faz várias coisas. Acho que isto é uma tendência de Gênero sim, entretanto, conheço vários homens que se saem muitíssimo bem em multiações. E vice-versa. Mas a tônica pode ser mesmo uma maior dinâmica na estrutura do cerebro feminino. As justificativas poderiam ser encontradas na Antropologia Biológica, de onde derivou-se esta Antropologia Social e; em sequência, comportamental atual. Porém, acho que não existe necessariamente um cérebro melhor e um pior. Cada qual tem suas vantagens e desvantagens. Por exemplo, ter um cérebro unifocal pode favorecer o desenvolver de atividades unifocais, e contrário para o cérebro multifocal. Seria apenas questão da circunstância em que o executor de certa tarefa se encontra: determinado cérebro poderia ser melhor em certa circunstância, e pior em outra. Entretanto, considero que o mérito maior está naquele que consegue se superar e desenvolver com desenvoltura, atividades para as quais seu cérebro nem é tão talhado; pelo seu próprio esforço e obstinação. Não é bem meu caso. Sou acomodado no que posso fazer bem, mas não me esforço tanto em expandir minhas habilidades, por exemplo, na solução de vários outros tipos de problemas. Infelizmente. Ou felizmente.
2 de agosto de 2013 às 01:40

POR QUE (MUITAS) MULHERES CONT.

Ricardo Bing Reis Parece razoavelmente claro que o homem não tolera tão bem escutar simplesmente por ter um cérebro de monoação. Tanto quanto parece ser razoavelmente claro, que a mulher é mais eloquente, não pelo fato de ser provida de um cérebro de multiação. Não obstante, pode sim haver um único motivo (de origem) para que o cérebro do Gênero masculino seja, ao mesmo tempo monoativo e pouco auditivo (porém, mais visual); enquanto que o cérebro do Gênero feminino seja, ao mesmo tempo multiativo e muito verbalizado (porém, menos visual). Estas características descritas, tanto no cérebro masculino quanto no feminino, encontrariam o originário lugar comum na Antropologia Biológica, onde o macho ia caçar e a fêmea ficava na caverna com a prole. Caça-se no silêncio, escondido, olhando cuidadosa e meticulosamente para todos os lados. Até porque, de caçador pode passar a presa. Zela-se pela prole de forma explícita, compartilhando (linguisticamente) ajudas mútuas com outras fêmeas ali também nesta caverna presentes em uma vida gregária, colhendo informações de como melhor proceder com os filhotes e melhor organizar a caverna em que estão.
3 de agosto de 2013 às 01:17

Ricardo Bing Reis Comentei que ao final registraria de onde tirei a ideia do enunciado. E o final chegou. Estava eu esperando a hora de pegar minhas filhas na saída do colégio, mas, tendo chegado muito cedo, fui a um estabelecimento que serve sucos, sorvetes e coisas do gênero. Sentei-me lá adiante, na última mesa. Um pouco depois, sentou-se na mesa ao lado, um casal de amigos de uns 16 anos, deduzo. Ela falava sobre um recente ex namorado. Ele, parece que é amigo ou conhecido do tal ex. A bela jovem falou compulsivamente por, sem exagero algum, 45 minutos, sem que ele tivesse direito a qualquer aparte para ao menos introduzir uma concordância verbalizada ou um contraditório. Parecia ter o direito de apenas movimentar a cabeça de forma aprovativa. Lá no epílogo, eu, já angustiado por ele, fui agraciado pela façanha dele pegá-la na vírgula, ensaiando que conseguiria falar seus 45 segundos. Em vão, no trigésimo segundo ela interrompeu, retomou a palavra e seguiu. Não sei mais por quanto tempo ainda, pois as aulas do colégio já finalmente tinham terminado e fui. Ah, não estava bisbilhotando (tanto), a proximidade das mesas era tal que, mesmo se 50% surdo fosse, tudo ouviria. Principalmente as 90 vezes que ela disse a palavra 'exatamente' cada vez que ele mexia a cabeça aprovando sabe-se lá o quê. Estaria ele, neste meio tempo todo, fingindo ouvir, mas em fato planejando como conseguiria uma carona para ir ao futebol com seus amigos no domingo?
3 de agosto de 2013 às 01:34 ·

Ricardo Bing Reis Por último, não custa nada lembrar que as diferenças mencionadas entre os cérebros masculinos e femininos, não incluíram, em nenhum momento, o qualificativo 'grau de inteligência'. Esta, se minha memória não está me aplicando, teria sede em outro local cerebral, julgo que na região frontal medial. Parece ser certo consenso que a inteligência teria um fundo endógeno genético neuro bioquímico, embora tal terreno deva ser semeado por informações e premissas advindas do ensino, do estudo, da vida e do pensar em cima de tudo isto posto. Assim, pode-se dizer que um não iluminado biologicamente, pode compensar com estudo e treino de metodologia de raciocínio, tanto que certo alguém muito famoso dizia, mais ou menos, que o sucesso do intelecto, seria fruto de 10% de inspiração e 90% de transpiração. Pessoalmente acho estes percentis exagerados, dizer 50% por 50% já estaria mais que bom. E, contrário, um agraciado biologicamente pela 'luz da lucidez' de raciocínio, com menos informações e esforço, iria, por abstrações mais dinâmicas, bem além.
3 de agosto de 2013 às 01:47 ·

POR QUE (MUITAS) MULHERES CONT.

Ricardo Bing Reis Claro que uma pessoa de alto grau de QI e que ainda seja um nerd (cdf) competente, poderia até pleitear um posto no rol das genialidades. E, vice-versa para um postulante a anta do ano. No cotidiano, eu diria não perceber diferença significativa entre o QI de homens e mulheres. Assim sendo, acabo eu por achar valor em quem sabe prever fatos, deduzindo-os através de premissas que garimpa em meios de comunicação que tenha um razoável grau de confiabilidade (nada frequente). Além, claro, de ser ainda um pensante sobre a vida, provindo daí a 'vivência elaborada', que resulta em maturidade; maturidade esta que é mãe da empatia, mãe do altruísmo, mãe da resiliência, mãe da tolerância (não no sentido petulante da circunstância 'tolerar alguém', mas sim no sentido de ACOLHIMENTO das diversidades de pensamentos, inclusive raciais e étnicos). E ainda, muito principalmente, um falar serenamente com as adversidades, com as doenças, com a terminalidade (dos outros e de si), e em especial, de falar serenamente com a morte. É por tudo isto, que não raro, tenho surpresas grandes com pessoas que supunha eu serem inteligentes. Por exemplo, um advogado genial especializado em determinada área do Direito. Sabe tudo sobre aquele objeto de estudo, escreve livros que beiram a genialidade técnica, são professores, tem destaque no meio social de seus colegas, etc. Espera-se que tal pessoa, por ter tamanhos predicados, seja inteligentíssima. Não obstante, ao conversar-se com esta pessoa sobre outros assuntos, da vida em si, das vivência, percebemos, decepcionantemente, que não passam de parvos que canalizaram todo seu potencial para um tema quase pontual. Dali, (quase) mais nada sai. Por melhor que seja tecnicamente, esta pessoa, à minha ótica, não é uma pessoa inteligente; podendo ser ainda até um incompetente para consigo e para com os outros de sua vida não profissional. Assim, sucesso profissional não joga mais areia em meus olhos (de forma a me levar a falsas conclusões precipitadas e equivocadas em classifica-lo como inteligente, embora pontualmente 'perfeito', mesmo que o mais competente profissional do mundo em sua especialidade laboral). Hoje tento não me deixar enganar. Até porque, um macaco adestrado, que faça a mesma coisa, 30 vezes por dia, durante 30 anos, acaba expert em suas micagens (sem desmerecer o macaco, até porque sou um amante e defensor dos animais; e, fã dos nossos avós, os primatas).
3 de agosto de 2013 às 02:25

Ricardo Bing Reis Eduardo Beck Paglioli, quando faço remoção de cera do canal auditivo de uma pessoa casada, digo a ela que provavelmente se arrependerá. O casamento tenderá a correr risco, visto que passará a haver a versão e o controverso. É muito arriscado. E, digo que não adianta depois voltar para pedir o tampão de volta, pois já os enviei ao Guaíba via ralo. Ainda não havia pensado nisto, mas o trabalho conjunto entre Otorrino e Terapeuta de Casal seria profícuo. Talvez pensar possa nos ajudar a ser um trigal que doura ao sol; mês, como escreveste, bem pode sim, não. Por isto escrevo em dias de chuva. Grande abraço.
3 de agosto de 2013 às 22:37 ·

MEDOS NA HISTÓRIA DA CIVILIZAÇÃO

Ricardo Bing Reis "O GRITO (1893)" > Nascido em 1863, Edvard Munch foi o artista mais popular da Noruega. Seus quadros melancólicos e angustiantes exerceram um papel fundamental no desenvolvimento do Expressionismo. Durante a infância, a morte dos pais, do irmão e da irmã; e, a doença mental de uma outra irmã, foram de grande influência na sua arte. Em sua obra, Munch não abandonou a memória da doença, da morte e do sofrimento. Durante a carreira, Munch cada vez mais voltou-se para um estilo de conteúdos altamente pessoais, cada vez mais comprometidos com imagens de doença e de morte. No decorrer do ano de 1892, passou a adotar uma linguagem 'sintetista', como se vê em "O GRITO (1893)"; considerado um ícone, e o retrato da angústia existencial e espiritual da humanidade moderna. Munch pintou diferentes versões desta obra. Não era raro encontrar em sua obra o retrato simbólico de temas como sofrimento, doença e morte. Em muitos retratos, as poses dos personagens eram escolhidas de forma a captar-lhes os seus estados mentais e as suas condições psicológicas. Tal recurso proporcionava também uma qualidade estática e monumental às suas pinturas. No final do século XIX, a Associação de Artistas de Berlim expôs suas obras na 'Mostra de Novembro'. Os quadros provocaram tamanha controvérsia e hostilidade que resultaram no fechamento da Mostra já uma semana depois. Em 1908, a ansiedade de Munch se agravou e ele foi hospitalizado. Voltou à Noruega em 1909. Na década de 30 e 40, os nazistas rotularam suas obras de 'arte degenerada' e removeram seus trabalhos dos museus alemães. Morreu perto de Oslo em 1944. (Livro '1.000 Obras-Primas da Pintura'; pg. 393; figura 727).
2 de agosto de 2013 às 02:28

MEDOS NA HISTÓRIA DA CIVILIZAÇÃO CONT.

Ricardo Bing Reis " A IDADE DAS TREVAS" > O 'breu' da Idade Média (mais ou menos por aí!) pode ser um pouco avaliado pela descrição a seguir da 'Peste Negra' > "Um terrível desastre assola Milão. Dezenas de milhares de pessoas já morreram. É impossível dar meia dúzia de passos sem topar com algum pobre coitado corpo morto, vítima da maldita peste. Há moribundos e mortos por toda parte. Não é de espantar que as coisas tenham chegado a esse ponto. A gente desta cidade vive amontoada. Tem sujeira por toda parte; e, o ar que respiramos fede a doença e morte! O que Milão necessita é de uma gigantesca e definitiva reforma". / Sucedeu-se um período de 'trégua' da peste, para nova recaída, na primavera de 1.485 / "A Peste Negra está de volta! Nossos cidadãos estão morrendo como moscas. Há corpos apodrecendo por toda parte, pois os parentes não tem como pagar os enterros. Se um de seus entes queridos tiver o azar de pegar a peste, siga as recomendações de sempre: mantenha-o longe de si e das outras pessoas, queime suas roupas de corpo e de cama; e, reze para que você e os outros familiares escapem! Esperamos que seja um surto menor, de uma ou duas semanas apenas". (Linguagem simples, por ter sido retirado do livro juvenil "Leonardo da Vinci e seu Supercérebro"; páginas 86 e 87; que comprei para minha filha ler, mas que nunca o fez, acabando eu mesmo o lendo).
3 de agosto de 2013 às 02:55 ·

Ricardo Bing Reis "A Peste Negra foi a Peste Bubônica, que atingiu a Europa em 1347, provavelmente trazida da Ásia Central por ratos negros (daí o nome da peste) e suas pulgas. Por volta de 1351, o total de vítimas da peste era estimado em 25 milhões - mais de um terço de toda população europeia. Em Paris, a 'Peste Negra' chegou a matar 800 pessoas por dia. Nem mesmo os médicos conheciam suas causas: acreditava-se que se podia contrair a doença somente ao olhar para uma de suas vítimas. A praga gerou a escassez de mão-de-obra, precipitando o fim do feudalismo. Em algumas áreas, a densidade populacional só foi recuperada no século XVI". - Enciclopédia Seleções, pg. 155 - / Então, imagine-se no lugar de uma pessoa, ao perceber ter sido vitimada pela doença, sendo assim condenada a morrer na solidão do isolamento social, sociedade que a ti temia, que a ti via como ameaça fatal; como se não bastasse o extremado sofrimento intrínseco da doença em si, e sua morte cruel. Tal circunstância não é fator suficiente de pânico generalizado? / Obs: e, é nas dificuldades que sobressaem-se os gênios: Leonardo da Vinci supôs que a imundície da época, por falta de esgotos, contribuía. Criou um exótico vaso sanitário, cujo desenho vi não sei aonde, tanto quanto esta passagem textual descrita, que também não sei mais de onde tirei.
21 de agosto de 2013 às 01:02

Ricardo Bing Reis Indochina > Vietnã, Camboja e Laos foram ocupados pelos japoneses durante a Segunda Guerra Mundial. Com a derrota desses, o país foi dividido entre o comunismo no então novo Vietnã do Norte e o não-comunista Vietnã do Sul. A intervenção dos EUA para evitar o V. Norte comunista unificar, gerou a 'Guerra do Vietnã', entre 1964 e 1973, tendo o V. Sul sido ocupado pelo V. Norte em 1975, mesmo ano em que os comunistas também anexaram o Laos e o Camboja. O regime comunista foi brutal, sob o qual 2 milhões de pessoas morreram. - Enciclopédia Seleções pg. 191 -
30 de agosto de 2013 às 00:27 ·

Ricardo Bing Reis Ataque ao World Trade Center > 'Na manhã de 11 de setembro de 2001, o mundo testemunhou a mais terrível e impressionante série de atentados terroristas da História. Dois aviões comerciais norte-americanos foram sequestrados por membros da Al Qaeda e a atirados contra o complexo empresarial e financeiro World Trade Center (Torres Gêmeas), na cidade de Nova York. Um terceiro avião atingiu o Pentágono, em Washington. Acredita-se que um quarto avião tinha como alvo a Casa Branca, porém este foi abatido em uma área despovoada na Pensilvânia. Os ataques deixaram milhares de mortos'. - Enciclopédia Seleções pg. 192 -
30 de agosto de 2013 às 00:36

MEDOS ATUAIS.

Ricardo Bing Reis Acaba de me ligar uma paciente, pois a família foi roubada ontem à noite na Rua Cel. Bordini. 2 'sujeitos' armados abriram a porta do carro enquanto ainda estacionado, mandaram sair sem que levassem nada consigo. Ela, o marido e o filho de 15 anos. Foi carro, foi iPhone, foi iPad, computador, a bolsa e uma mala. Felizmente não levaram ninguém. Quando foi fazer o Boletim de Ocorrência na Delegacia, chegaram mais 2 casais que foram assaltados com este mesmo carro que roubaram deles. Ligou-me, pois foram junto os remédios que eu receitara, e refaço a receita. Que tal (mais) esta?
25 de julho de 2013 às 12:37 ·

Ricardo Bing Reis Muitos de nós são, ou deveriam ser, saudáveis paranoicos . Então, teríamos o Transtorno ou Distúrbio de Paranoia; e, a Paranoia Saudável. Os 2 primeiros, talvez vejam perigo onde não existe, um perigo imaginário, não concreto. Por outro lado, caso precaver-se venha a guardar alguma relação com inteligência (pré-ver), pelo menos os inteligentes hão de ser portadores da Paranoia Saudável; os quais, à ótica dos menos iluminados, são medrosos exagerados. Fato é que ficar parado dentro do carro em qualquer lugar do Brasil é 'dar mole', é dar chance ao azar. Quando tenho que parar, até em semáforos, começo um monitoramento sequencial pelos 3 espelhos: retrovisor da esquerda, depois interno, depois da direita, volta para o da esquerda e aí em sequência até poder ir. Parece loucura, mas, se bem pensando, é um comportamento compatível com a Paranoia Saudável.
25 de julho de 2013 às 15:34

Ricardo Bing Reis Paciente de 48 anos, contou-me que foi assaltada na calçada por 2 garotos de aproximadamente 14 anos, armados de 2 revólveres. Ela, agarrou-se na bolsa (nada inteligente!) e quase morreu por isso. Disse que foi um ato reflexo, sendo que segundos após teve um clic e retificou, dando a eles a bolsa, como auto preservação (atitude inteligente!). Claro que se sucederam os transtornos: levaram o carro, os celulares, as bolsas com as chaves do apartamento em Porto Alegre e da casa da praia, cartões de crédito, carteira de identidade, talão de cheques. Teve que tomar todas precauções e providências pertinentes, perdendo muito tempo. E agora está recebendo ligações telefônicas 'mudas'... Entretanto, o que realmente importa é que está viva, até para receber ligações 'mudas' assustadoras.
30 de agosto de 2013 às 00:48 ·

MEDOS ATUAIS. CONT

Ricardo Bing Reis Paciente de 58 anos, contou-me que é consultora empresarial e trabalha em casa. Não mais que de repente, simplesmente ouve ruído na fechadura da porta de entrada e adentram 2 sujeitos bem vestidos, de boa aparência e aparentemente não drogados. Inclusive 'bem educados'. Referi a ela, ironicamente, que isto atestava que a 'Educação no Brasil' não está assim tão precária!... Mas as coisas se complicaram. Um deles puxou um revólver e pasme, o outro, em requinte de crueldade, puxou um facão enorme. Ela ilustrou que eram os legítimos canalhas, pois não precisariam fazer aquilo se quisessem vida diferente daquela. Depois de mexer em tudo, deixaram escapar a frase 'quem disse que as joias estavam neste apartamento, vai se ver conosco e se dar muito mal'... Então percebeu que havia informação privilegiada e que se enganaram de apartamento. Mas não deixaram de levar 2 computadores, 1 iPhone, aparelho de som e uma boa quantidade em dinheiro (que recém havia recebido de um cliente).
30 de agosto de 2013 às 01:01 ·

Ricardo Bing Reis Como outra evidência de que a 'Educação no Brasil' não está assim tão deficitária, achei esta manchete no jornal mais popular da cidade: "Educadinho, mas ordinário > A polícia tenta identificar criminoso que ataca clínicas e consultórios nos bairros Rio Branco e Bom Fim, em Porto Alegre. Segundo as vítimas, ele é moreno, simpático, polido e fala bem".
30 de agosto de 2013 às 01:07

DESCONTENTAMENTO/INSATISFAÇÃO > OS PRÓPRIOS 'ROLLING STONES' JÁ SENTENCIARAM OUTRORA: 'I CAN'T GET NO SATISFACTION'... SEM TANTO MEDO DE ERRAR, ARRISCARIA DIZER QUE OS SERES HUMANOS CONVIVEM COM CONSIDERÁVEL DOSE DE DESCONTENTAMENTO/INSATISFAÇÃO DIÁRIA. ENTÃO PERGUNTARIA: "TERIAM, TODOS OS SERES HUMANOS, UM INERENTE ENDÓGENO, INATO E ETERNO DESCONTENTAMENTO"? E, PETULANTEMENTE, INDO AINDA MAIS ALÉM, SUPORIA SER ESTE, O NECESSÁRIO MECANISMO QUE SERVE COMO 'PANO DE FUNDO' PARA NOS TIRAR DA INÉRCIA DA TAL ZONA DE CONFORTO; INQUIETANDO-NOS DE FORMA PROVIDENCIAL, PARA MARCHARMOS NA BUSCA DOS SUBSTRATOS NECESSÁRIOS À SOBREVIVÊNCIA (ISTO, DESDE OS PRIMÓRDIOS DA ANTROPOLOGIA BIOLÓGICA, ASSIM COMO EM TODO DEMAIS REINO ANIMAL); E AINDA (NA VIDA PRÁTICA ATUAL), MELHORISMOS PESSOAIS E COLETIVOS. AO MENOS MINHA MÃE COSTUMAVA ME REPETIR: 'RICARDO, TU ÉS UM ETERNO INSATISFEITO'!...

Ricardo Bing Reis Refrão (ou 'estribilho', para os bem mais velhos): "Eu não consigo ficar satisfeito; e eu tento; e eu tento; eu não consigo, não consigo; oh não, não, não; hei, hei, hei, é o que eu digo".
23 de junho de 2013 às 05:28

DESCONTENTAMENTO/INSATISFAÇÃO CONT.

Ricardo Bing Reis Parte primeira: "Quando estou dirigindo o meu carro, e aquele homem aparece no rádio dizendo mais e mais sobre uma informação inútil, supostamente tentando pôr fogo em minha imaginação, eu não consigo ficar satisfeito"... / Refrão.
23 de junho de 2013 às 05:33 ·

Ricardo Bing Reis Parte segunda: "Quando estou assistindo minha TV, e aquele homem vem e me diz o quão brancas minhas camisas podem ser, eu não consigo ficar satisfeito"... / Refrão.
23 de junho de 2013 às 05:38

Ricardo Bing Reis Parte terceira: "Quando estou dirigindo pelo mundo, quando estou fazendo isto e assinando aquilo, quando estou tentando conhecer uma garota que me diz ...'querido, é melhor você vir semana que vem porque, veja só, estou passando por uma maré de azar'... , eu não consigo ficar satisfeito"... / Refrão.
23 de junho de 2013 às 05:43

Ricardo Bing Reis Parte quarta: "Eu quero que você me mostre a satisfação, eu quero ver onde é a satisfação, eu quero ser a satisfação; eu não consigo ficar satisfeito"... / Refrão.
23 de junho de 2013 às 05:45 ·

Ricardo Bing Reis "TODOS OS SERES HUMANOS TERIAM A CARACTERÍSTICA DE QUEREREM SEMPRE MAIS, POR MAIS QUE TENHAM; EM FUNÇÃO DE UM 'ETERNO ENDÓGENO E INATO DESCONTENTAMENTO/INSATISFAÇÃO INERENTE A TODOS OS SERES HUMANOS". PERGUNTA > "SE OS 'ROLLING STONES' PARECEM TAMBÉM SEREM INSATISFEITOS (SENDO O QUE SÃO!), O QUE RESTARIA PARA OS NÃO STONES'?! ESTE PENSAMENTO ESPECÍFICO SOBRE OS 'STONES' É VÁLIDO? TALVEZ NÃO. DEPENDERIA TAMBÉM DO GRAU DE MATURIDADE OU NÃO, QUE VEM OU NÃO, AGREGADO EM SEUS PERFIS DE PERSONALIDADE. ACHO.
18 de julho de 2013 às 20:23

OS PRÓPRIOS 'ROLLING STONES' JÁ SENTENCIARAM OUTRORA: 'YOU CAN'T ALWAYS GET WHAT YOU WANT'... JULGO QUE NÃO PODEMOS, COM MUITA FREQUÊNCIA, CONSEGUIR O QUE QUEREMOS (CONSIDERANDO-SE OS MAIS VARIADOS VALORES); NÃO POR INCOMPETÊNCIAS, MAS POR SER A VIDA TAL COMO É. AS SEQUENCIAIS (E NORMAIS) ADVERSIDADES, PERDAS E FRUSTRAÇÕES DO COTIDIANO DE TODOS OS SERES HUMANOS (EMBORA GERALMENTE NÃO TÃO INTENSAS, MAS AINDA ASSIM PODENDO SER); NÃO DEVEM, OU NÃO DEVERIAM, NO MAIS DAS VEZES, CONSEGUIREM APLACAR A DOSE DE BOM HUMOR QUE TEMOS DISPONÍVEL DENTRO DE NÓS PARA AQUELE DIA. MESMO QUE, NÃO RARO, SEJA DIFÍCIL MANTE-LO (POR PARECER ATÉ, QUE TUDO ESTÁ A CONSPIRAR CONTRA)... É JUSTO SUSTENTA-LO SUFICIENTEMENTE, A VITÓRIA DE CADA DIA!

Ricardo Bing Reis AMBIÇÃO, COMEDIMENTO, PLANEJAMENTO E FORÇA DA VONTADE > Estas 4 virtudes, penso eu, são as melhores amigas (cada qual, de si, para com as outras 3). Se complementam, na busca de uma vida suficientemente boa, 'evitando ao máximo as frustrações evitáveis'. 'Ambição' não deveria ser confundida com 'ganância'. Enquanto a ambição é compatível com a realidade (e, uma realidade não egoística); a ganância seria desproporcional, seria uma vontade de ter (quase) tudo para si, um sentimento até surreal de um egoísmo divagante a esmo, talvez na ânsia de preencher seu abismal vazio interior, com coisas que nem sabe tão bem para que lhe realmente serviriam (gana por 30 montanhas de dinheiro, já tendo 1 enorme e infindável por 10 gerações!). Logo, o bom senso e o senso de proporcionalidade, permite à pessoa 'co-medir' o tamanho do seu desejo, conseguindo poda-lo a um tamanho factível de ser realizado. O excedente disto, seria, inevitavelmente, a fatia da frustração (e a sensação de fracasso e insucesso que poderia advir desta expectativa 'des-medida'). Porém, infelizmente, muitos vivem em um mundo mental em que as coisas parecem não terem limites controláveis e, até pior, identificáveis. Pode ser o caso de Maníacos, que se beneficiariam, possível e provavelmente, de medicações que, acredite, melhoram em muito a capacidade de 'co-mensurar' o real, fatiando-o da fantasia ilimitada excedente. Pois, tendo a 'vontade' sido podada pelo comedimento, temos a 'vontade do tipo ambição'; e não a 'vontade do tipo ganância'. Partindo deste fundamento basal, pode-se traçar um plano estratégico de atitudes e atuações a serem executadas, um 'planejamento de ações'. Agora, finalmente o terreno estará arado e fértil para ser semeado. Não obstante, este trabalho de adubar, semear, regar e zelar, somente resultará no esperado (que é a colheita), se, neste trâmite todo, tiver reinado a obstinação, a vontade de dar certo, a vontade de muito querer conseguir o que se deseja, em suma, a 'força da vontade'. De onde se deduz, que mesmo para aqueles nascidos em berço esplêndido, 'a vida não é nada fácil para ninguém', até porque uma vida suficientemente boa, exige do postulante, muito mais que apenas as coisas materiais. O primeiro passo para não ser infeliz (ou pelo menos tão infeliz), parece-me ser, ter em mente que "YOU CAN'T ALWAYS GET ALL YOU WANT". Há de se manter a ONIPOTÊNCIA (inerente e inata característica de todos os seres humanos) sob controle, bem administrável e administrada. Sob pena de uma vida em tormentas. Acho.
4 de agosto de 2013 às 05:01 ·

Ricardo Bing Reis "No, you can't always get what you want; you can't always get what you want; you can't always get what you want. But if you try, sometimes you'll might find, you'll get what you need; oh baby, yeah, yeah, oh yes! Woo! You'll get what you need - yeah, oh baby! Oh yeah, ah yes"...
4 de agosto de 2013 às 05:16

Ricardo Bing Reis "I saw her today at a reception, A glass of wine in her hand, I knew she would meet her connection, At her feet was her footloose man". / Refrão.
4 de agosto de 2013 às 05:31 ·

Ricardo Bing Reis "And I went down to the demonstration, To get my fair share of abuse, Singing 'we are gonna vent our frustration, if we don't, we are gonna blow a 50-amp fuse'; Sing it to me now"...
4 de agosto de 2013 às 05:44 ·

Ricardo Bing Reis "I went down to the Chelsea drugstore, To get your prescription filled, I was standing in the line with Mr.Jimmy, And man... did he look pretty ill, We decided that we would have a soda, My favorite flavor, cherry red, I sung my song to Mr.Jimmy, Yeah, and he said one word to me and that was 'dead', I said to him... / Refrão.
4 de agosto de 2013 às 05:51

ANTI-APOCALIPSE > EMBORA O "HOMO SAPIENS QUE ACHA QUE SAPIENS SP.", INSISTA EM DESTRUIR SEU PRÓPRIO PLANETA-CASA, POR TOLA GANÂNCIA; ESTE MUNDO PARECE SER TÃO BEM ESTRUTURADA AO LONGO DE BILHÕES DE ANOS, QUE, SUPONHO, PERMANECERÁ, MESMO FERIDO; ENQUANTO O DESTRUIDOR, SUMIRÁ; POR INCAPACIDADE DE ADAPTAR-SE A TEMPO, AO QUE FEZ (E AINDA FARÁ) A SI MESMO, PELO RESULTANTE EFEITO REBOTE DA TERRA. O NOSSO PLANETA JÁ PASSOU POR SITUAÇÕES MUITO PIORES QUE MERAMENTE ENFRENTAR A MEGALOMANIA DE 1 ÚNICA ESPÉCIE, MESMO (IR)RACIONAL, DENTRE OS SEUS
OUTROS 'MILHÕES DE BILHÕES' DE FILHOS VIVOS (ANIMAIS, VEGETAIS, PROTISTAS, FUNGOS, BACTÉRIAS, VÍRUS, ETC). ELA NÃO PRECISA DE NÓS! NÓS É QUE PRECISAMOS DELA. A SENSAÇÃO DE SERMOS O CENTRO DO MUNDO (SERIA UMA FORMA METAFÓRICA DE 'GEOCENTRISMO'?); A SENSAÇÃO DO UNIVERSO GIRAR EM TORNO DE NOSSOS UMBIGOS (SERIA UMA FORMA METAFÓRICA DE EGOCENTRISMO?), A SENSAÇÃO DE QUE O HOMEM SEMPRE CONSEGUE 'DAR UM JEITO'; NÃO SERIAM FRUTOS INERENTES ÀS NOSSAS MENTES POUCO ELABORADAS? SE DE FATO NÃO SUPORTARMOS, O MUNDO E O UNIVERSO AGRADECERÃO ALIVIADOS. OU, ATÉ HOJE, TALVEZ SEQUER UM DIA TOMARAM CONHECIMENTO DESTE POBRE SER DESUMANO, O "HOMO NON SAPIENS QUE NON SAPIENS SP" ("O HOMEM QUE NÃO SABE QUE NÃO SABE SP."). DESTA FORMA, O APOCALIPSE É DE NÓS PARA NÓS MESMOS, NÃO DO MUNDO, COMO QUEREMOS CRER, PARA NOS VITIMAR, MEDIANTE A AUTO COMPAIXÃO, UMA DAS CARACTERÍSTICAS BASAIS DA IMATURIDADE. ACHO.

"ÚNICA PISADA NA BOLA, QUE EU SAIBA, DESTES GÊNIOS DO ROCK CHAMADOS 'VAN HALEN': CRIANÇA FUMANDO NA CAPA DE UM LONG PLAY, NOS ANOS 80".

Ricardo Bing Reis A boa notícia é que, desde a época desta capa para cá (porém, uma coincidência, nada a ver com ela, capa), os jovens e adultos jovens, cada vez fumam menos. Em consultório já havia observado como fumam pouco hoje em dia. Depois, em artigo, li que houve redução no tabagismo nestas fases etárias em até 50% nos Estados Unidos e até 33% no Brasil. E, o comentário do artigo é que isto deva-se às campanhas publicitárias de esclarecimento, lugares públicos onde é proibido fumar. A tal facha etária é de 15 à 35 anos.
11 de junho de 2013 às 00:22 ·

Ricardo Bing Reis Particularmente, observo que a causa para redução do tabagismo, vai bem além disto. Estes jovens de hoje, viram e veem o que aconteceu e/ou acontece com seus pais tabagistas, tios, pais de amigos e conhecidos, etc. Tanto a nível de doenças cardiovasculares quanto à câncer de vias respiratórias; dentre outras várias que já descrevi outrora. Principalmente onde o tabagismo e alcoolismo é endêmico, como municípios produtores de cana (cachaça 'de graça'), e o quase casado fumo de palheiros, hábito dos colonos.
11 de junho de 2013 às 00:28 ·

ÚNICA PISADA NA BOLA CONT

Ricardo Bing Reis Tomo como exemplo o resultado de uma Tomografia de Tórax que solicitei há 30 dias para senhora fumante há 40 anos, 1-2 carteira(s) por dia; cuja tosse permanecia há 4 meses. Hoje com 60 anos. "Dilatação da traqueia com espessamento da sua mucosa. Espessamento difuso das paredes brônquicas por broncopatia. Várias áreas de enfisema, com difusas bolhas enfisematosas, inclusive subpleurais". / Obs > Até aqui, as alterações são compatíveis com Doença Bronco Pulmonar Obstrutiva Crônica (DBPOC), por Traqueobronquite Crônica e Enfisema. E, depois segue > "Lesão nodular sólida com infiltração periférica, medindo 2,0 x 1,5; fortemente sugestiva de lesão neoplásica primitiva pulmonar". / Obs> Para bom entendedor, nada mais precisa ser dito. Encaminhei para Pneumologista. Paciente ficou transtornada. Pior momento para qualquer médico, sem dúvida, é dar más notícias. Uns tem menos dificuldades (talvez apenas aparentes). Não quer dizer que não sejam empáticos e não sofram junto. É apenas um perfil de personalidade do médico e/ou forma de reagir ao mesmo fato.
11 de junho de 2013 às 00:47 ·

Ricardo Bing Reis O hábito do homem fumar começou mesmo na Primeira Guerra Mundial, onde cigarros eram distribuídos aos soldados, da então guerra de trincheiras, para atenuar suas ansiedades e aumentar o convívio entre eles, por descontração. Assim, os efeitos do tabagismo se fez nos homens antes que nas mulheres. Estas, adquiriram o hábito principalmente na Segunda Guerra, para atenuar as ansiedades das desgraças: maridos e filhos mortos, estupros e todo tipo de atrocidades.
11 de junho de 2013 às 00:52 ·

Ricardo Bing Reis Ora; filhos, netos e bisnetos de tabagistas que tiveram suas vidas ceifadas precocemente pelo tabagismo assassino, não tendem a ter uma ação reativa, uma aversão, uma maior conscientização? Acho que sim. Assim como suponho que o fator de fundamento para a insônia é a ansiedade, também suponho que a ansiedade é o tendão de Aquiles do tabagismo.
11 de junho de 2013 às 00:56

Ricardo Bing Reis A capa do Long Play do 'Van Halen' não é assim tão 'louca', tão surreal> crianças fumando incrivelmente existe: não há muitos anos, um adulto jovem me disse que começou a fumar com 5 anos de idade, pois seu pai, colono, indo às lides do campo, o levava junto. Sem imaginar que o tabagismo dá no que dá, oferecia-lhe palheiros; e, ele fumava junto... Estava com câncer de laringe aos 38 anos de idade!
11 de junho de 2013 às 01:04 ,

NÃO CONSIGO DORMIR

Ricardo Bing Reis Estava frente ao balcão de uma farmácia e senhora perguntou por medicamento para insônia. Foi então que a balconista, já minha conhecida, sempre espontânea, sentenciou: "Para que isto(?!), alguém consegue dormir direito neste mundo? Foi, em fato, uma brincadeira, mas que a mim registrou que há grande fundo de verdade disto em grande número de pessoas, provavelmente nela também. A privação de sono causa cansaço (astenia) e fraqueza (prostração), além de mal estar e irritabilidade. O dia parece não acabar nunca, e você se arrasta. É um importantíssimo diagnóstico diferencial da Depressão; embora, um também caiba dentro do outro. Suponho.
22 de junho de 2013 às 22:30

Ricardo Bing Reis Uma postagem que fiz outrora, perguntava a milenar e enigmática frase: "O que as mulheres realmente querem"?... ou algo em torno disto. E, fiz alguns comentários naquela ocasião, porém apenas girando em torno da temática de bens materiais; contudo, ao final, observei que ainda sequer havia registrado sobre meus achismos de outros 'quereres femininos' não materiais; de outros valores. Pois, em minha mais sincera suposição, julgo ser o que as mulheres mais querem (com grande margem de distância para um determinado valor em segundo lugar), é O BEM ESTAR DE SEUS FILHOS. Salvo nem tão raros casos nos dias de hoje, onde muitas mulheres não querem, por opção, a maternidade. Uma mãe é capaz de atitudes de superação tão intensas para prover o bem estar de seus filhos, que aceitam mesmo se deixar chegar à exaustão, como se tivessem terminado uma maratona; estando, inacreditável e novamente pronta para despender ainda mais energia, em caso de nova circunstância extra que assim exija. O filho é TUDO para uma mulher. Muito depois é que vem os outros valores e 'quereres'.
22 de junho de 2013 às 23:05 ·

Ricardo Bing Reis Participação do pai é muito importante, ao menos para servir de anteparo para a mãe descarregar a 'loucura acumulada' pelo trato com o bebê. Muitos e muitos bebês são sabidamente tranquilos, tanto de dia, quanto de noite, atravessando quase ou até toda noite em sono sereno. Mas não parece ser a regra, inclusive pela (importantíssima) amamentação. ..."O leite de vaca é para o terneiro, o leite materno sim é para o bebê"... já dizia professor de pediatria nos idos 1984. E, some-se a isto, no outro dia, cedo pela manhã, muitas mães tem que ir trabalhar, e ainda aumentam seus dramas internos por ficarem divididas ao deixar seu bebê na creche. É muita carga física e emocional. Há de se descarregar. E, o marido, pai do bebê, tem que ao menos ter paciência para fazer a catarse, atuar como se um fio terra fosse, ou a válvula de escape da panela de pressão. Imagine-se então se ainda tiver mais 1, 2, 3 ou 4 filhos? E, se entre eles tivermos um hiperativo?
23 de junho de 2013 às 20:49

Ricardo Bing Reis Pode acontecer do pai, paradoxalmente ao que se espera, ao invés de 'babar o bebê', sentir uma certa aversão, por ciúme de sua chegada. A atenção da esposa se transfere, por obviedade, para o bebê e, por mais que se esforce, não terá mais como, neste momento, dedicar o mesmo carinho até então habitual a ele, marido/pai. Não que haja má vontade do homem, mas sim, prováveis fatores levando-o a assim se comportar: distúrbios, transtornos, egoísmo, inseguranças, dificuldades em dividir, abandono pelo seu próprio pai na infância, abusos, etc, etc. O que já era difícil para a mulher, fica ainda pior visto que, além de não ter a sua disposição o anteparo para 'descarregar', tem um fator a mais para acúmulo em energia de distresse. É como se passasse a ter 1 filho a mais, o próprio marido/pai! 'Dito fogo amigo'...
23 de junho de 2013 às 21:00

Ricardo Bing Reis Recomenda-se que se ponha telas nas janelas ao nascimento para não correr-se risco de acidentes, a principal causa de morte até 20 anos de idade no mundo, embora no Brasil, tenha se tornado a segunda, não por melhoria com relação a primeira, mas infeliz e catastrófica ultrapassagem dos 'maus tratos para com a criança em casa (incluindo homicídio)'. Custo a creditar nisto e até duvido que seja mesmo. Voltando, alguns casais se desentendem tanto com a chegada trabalhosa de um 'filho não tão cooperativo', que a tela passa a ter dupla função, sendo a segunda, impedir que os pais se joguem pela janela... Algumas mães viram uma leoa, completamente obcecada. É um momento difícil para o marido até conseguir se inserir nesse novo contexto, se é que vai conseguir, pois a mãe tem participação até nisto, se vai permitir ou não que ele se insira. Enquanto isto, se o homem não tiver a paciência necessária para servir de anteparo à 'loucura materna', as discussões (irritadiças e aos gritos) se sucederão, propiciando um ambiente inadequado familiar, onde o bebê estará (mal) engajado.
29 de junho de 2013 às 21:55 ·

Ricardo Bing Reis CRIAR, EDUCAR E ENSINAR FILHO(A), É TAL JOGUINHOS ELETRÔNICOS DE COMPUTADOR: CADA VEZ QUE SE SUPERA UMA FASE DO JOGO, TUDO FICA AINDA MAIS DIFÍCIL NESTA NOVA ETAPA.
29 de junho de 2013 às 21:57

O QUE VOCÊ SENTE VENDO ISTO?

Ricardo Bing Reis Tenho a sensação de que esta criança está em desespero e aflição. E mais, que não é esporádica, algo por fato isolado. Parece-me um sentimento crônico, continuado, diário (não só de todos os dias, mas de quase o dia todo); por algo que o martiriza, que o faz sofrer muito. Permeia o desespero e vontade de desisitir de tudo. Poderia ser por fatores ambientais como um lar caótico, sofrimento de bullying (se é que se escreve assim mesmo), ou ambos; dentre outros vários.
10 de maio de 2013 às 01:30

Ricardo Bing Reis Mas também, imagino, poderia ser por um distúrbio/transtorno mental que requer uso de intervenção psiquiátrica visando, talvez, medicação; mas o que acaba, muitas vezes por não ocorrer, já que não raro as crianças não tem insight e maturidade suficiente para se auto-perceberem doentes. E ainda, não gostando de demonstrar este tipo de dificuldades pessoais, acabam por esconder do ambiente social e familiar que se sentem assim. Ou, simplesmente acham que as coisas são assim mesmo. Lá aos 40 anos, por exemplo, é que vão descobrir que padeciam, desde tenra idade, de um mal administrável, e que aqueles 40 anos podiam terem sido bem melhores, caso tivessem recebido o auxílio médico ou 'psi' pertinente. Não raro em Depressões orgânicas e Bipolaridade; suponho. Impera conversar com um especialista, caso suspeite de algo estranho estar ocorrendo com seu filho, aluno, etc. No futuro, o desfecho pode ser trágico.
10 de maio de 2013 às 01:39

O QUE VOCÊ SENTE VENDO ISTO? CONT

Ricardo Bing Reis O futuro, perfeitamente, poderá ser o alcoolismo, a drogadição; e, até, suponho, o suicídio. A pessoa que faz uso abusivo de álcool e drogas, em verdade, está padecente; tende a não usar porque quer, mas porque precisa, para aliviar suas inquietações, seus tormentos, suas angústias, suas ansiedade e medos, sua timidez, suas aflições, seu ego irreal por megalomania (e suas inerentes frustrações), suas tempestades internas, seu caos interior, seu desespero e aflição. De causa orgânica e/ou ambiental. O álcool e as drogas entram aqui como se fosse uma AUTOMEDICAÇÃO, que funcionaria como válvula de escape, por motivos variados: fácil acesso, influência de amigos, vergonha de ir a um psiquiatra (devido a preconceitos vindo de um passado não tão longínquo, onde seria taxado de louco, se o fizesse), falta de esclarecimentos, falta de apoio, falta de recursos financeiros até para medicações... E por aí vai uma lista sem fim.
29 de junho de 2013 às 17:41

Ricardo Bing Reis O álcool é a droga mais consumida, por ser lícita aos em maioridade etária; e, de fácil acesso, sendo ele também uma porta de entrada para drogas mais 'pesadas'. Há forte apelo de amigos que consomem (a partir inclusive de seus exemplos familiares, dos pais que bebem além do bom senso). Nas festas, as pessoas mais desembaraçadas e risonhas tendem a ser as que bebem, daí também a sensação de se divertirem mais. Fica-lhe a ideia de que "se todo mundo bebe, por que eu não beberia"?
29 de junho de 2013 às 17:50 ·

Ricardo Bing Reis Os indícios podem ser diversos, todos de domínio público. Isolamento, desânimo, irritabilidade, agressividade, intolerância. Contudo, convenhamos, estes achados também podem fazer parte do processo evolutivo normal de uma adolescência sem drogas. Participação em grupos da amizades suspeitas e, desaparecimento de bens em casa (que serviriam de moeda de troca por drogas). Por fim, até, se extremado, medo constante por estar devendo a traficantes. Também mudanças de comportamento radicais, tendendo ao vandalismo, abandono do lar (até para morar na rua). Sempre lembrando que mudanças súbitas de comportamento exigem, antes, uma avaliação neurológica, na pesquisa de uma síndrome cerebral orgânica devido a, por exemplo, um tumor cerebral.
29 de junho de 2013 às 17:58

Ricardo Bing Reis A família sofre junto, no mais das vezes; tanto quanto o usuário, daí dizer-se com frequência e coerência, 'estar a família alcoolista' e/ou 'estar a família drogadita'. Tal situação pode desestruturar e até desfazer famílias, que não suportam tal pressão. Muitos pais sentem-se culpados por pensarem serem eles os culpados pelo filho ter iniciado o consumo, em não tê-lo evitado. Entretanto, muitas vezes este sentimento de culpa procede mesmo, pois, por exemplo, podem ter sido pais apenas de 'corpo presente', sem orientá-los, educa-los, dar-lhes carinho e limites. Porém, em se objetivando reverter a situação, talvez não seja a melhor hora de ficar batendo nesta tecla. Estes se preguntam constantemente 'onde foi que eu errei(?)', 'eu dei a ele tudo que uma pessoa pode desejar (em bem materiais, mas não em apego!)'... Há se se salientar, que o alcoolismo também tem uma considerável tendência hereditária (famílias com histórico de doença por álcool e/ou drogas, tem uma predisposição maior para que seus filhos o sejam).
29 de junho de 2013 às 18:13 ·

O QUE VOCÊ SENTE VENDO ISTO? CONT

Ricardo Bing Reis O sentimento de impotência dos pais ao perceber que não tem condições de resolver a problemática, parece ser o primeiro e basal passo para a busca de ajuda externa; e, melhor se, acompanhado de uma auto reflexão do próprio jovem de que realmente está dependente, de que realmente aquela dependência está lhe prejudicando e de que providências terão que ser tomadas para melhorar sua vida. Algo em torno de 'ficar com raiva de si mesmo por estar se autodestruindo', querendo uma vida melhor. Nada disto é fácil. Nada disto é provável que aconteça assim sem muita luta, insistência, obstinação; tanto da família quanto do padecente. Tentar afastá-lo do ambiente que facilita-lhe o acesso ao álcool e as drogas, bem como amigos inapropriados, pode dar um resultado inicial. Disse inicial. Mais adiante, também psiquiatra (para, inclusive, a síndrome de abstinência, medicações pertinentes), psicoterapeutas, assistentes sociais, etc. É uma caminho árduo a ser percorrido. Muitos jovens já passaram por isto e conseguiram se recuperar com ajuda externa. Além de uma terapia familiar, por obviedade. Acho que é mais ou menos isto que eu saberia dizer sobre esta complexíssima temática; sobre os dramas pessoais; e, graves problemas de saúde pública.
29 de junho de 2013 às 18:27

Ricardo Bing Reis Ainda uma outra circunstância de vida, que afeta os jovens, muito (e cada vez ainda mais) comum, é o divórcio dos pais; em especial naqueles em que os pais se separam e, equivocadamente, deixam seus ressentimentos - negativos - pelo antigo cônjuge afetarem a relação com os filhos; em outras palavras, quando 1 ou ambos os pais começa a 'minar' o outro ex-cônjuge através de 'fazer a cabeça do filho' contra ele. A criança/jovem fica esmagada entre sua paixão por ambos e este 'fogo cruzado".
29 de junho de 2013 às 22:16 ·

Ricardo Bing Reis É importante que os pais não se esqueçam que, mesmo não sendo mais um casal, continuam sendo pais. Tem que evitar (tem que poupar os filhos) de serem colocados, por eles mesmos, pais, no meio de seus conflitos (usando-os como lanças e escudos, em leva-traz onde um desvaloriza o outro, ou os tomando como julgadores e intermediadores de conflitos deste antigo casal). É mister os pais terem em mente a diferenciação de que, "ser" pai ou mãe é uma condição "definitiva"; e que "estar" casado é uma condição "transitória" (ou não).
29 de junho de 2013 às 22:32 ·

Ricardo Bing Reis Ainda que o divórcio vá proporcionar uma melhor condição de vida para todos daquela família que se desfez, é comum que todos estes da família sintam graus variados de sofrimento emocional. Mesmo em 'condições favoráveis', frente ao divórcio, os jovens se sentem preocupados e inseguros para com a questão de como será a nova vida. Também não é raro que se sintam culpados e responsáveis pela separação dos pais, um peso tão esmagador, que gerará depressão, com ou sem ansiedade agregada. A depressão nos jovens (crianças e adolescentes), podem se manifestar com sintomas distintos dos convencionais para os adultos; mas o mais corriqueiro seria: insônia, distúrbios alimentares, irritabilidade, problemas até então ausentes de comportamento inadequado na escola, dificuldade de atenção e queda no rendimento do ensino escolar.
29 de junho de 2013 às 22:47 ·

PARA LER QUANDO TIVER 3 HORAS DISPONÍVEIS.

Ricardo Bing Reis Mesmo que o divórcio venha efetivamente a trazer uma qualidade de vida melhor para todos os membros da família que se fragmenta, é perfeitamente compreensível que todos passem por sintomas de sofrimento emocional humano. Sendo então, toda separação dolorosa para todos os membros da família, é comum que os pais experimentem tristeza, angústia, medo, ansiedade, raiva, irritabilidade; e, até aflição. Os filhos também. Entretanto, por mais que os pais sofram, eles precisam fazer um esforço muito grande de superação, para não deixar que a crise caia com tudo sobre a cabeça de seus filhos. Não podem esquecer jamais que deixaram de ser um casal (situação transitória); contudo, continuam a ser pais (situação definitiva). Se não estiverem atentos a esta necessidade de um esforço extra de proteção às emoções dos filhos (ficando, eles, ensimesmados em seus conflitos, sofrimentos, novos afazeres, e até discussões de quem é o culpado da separação), estarão negligenciando suas básicas funções paternas de apego, proteção e anteparo (das angústias dos filhos).
29 de junho de 2013 às 23:07 ·

PARA LER QUANDO TIVER 3 HORAS DISPONÍVEIS. CONT

Ricardo Bing Reis Algumas coisas talvez devessem ser bem pensadas antes de se considerar a separação. Até porque, tais pensamentos, podem reforçar e estreitar os laços de seu casamento em curso. Você teria disponibilidade emocional para sair novamente nas noitadas? Claro que isto não é uma obrigatoriedade, mas considerar. Você mulher, acha que a gama de homens que se sujeitam a adquirir o 'kit completo mãe/filhos' é grande (quantos estariam sujeitos a educar e gastar com o filho dos outros, por mais que a pensão do pai não falte)? Pode não ser assim, mas considerar. 'Quem casa quer casa': o novo imóvel com novos móveis, talvez automóvel?! Pode não ser problema para alguns, mas muitos teriam o que ponderar. Talvez a nova esposa e o novo marido queiram um filho consigo, o que, quem sabe, não seja mais de interesse seu, até porque ainda tem que zelar pelos filhos do primeiro casamento. Isto não raro pode não chegar a ser um problema, mas pode ser. Há de se ter muito cuidado que pessoa será 'colocada dentro de casa', com seus filhos. Padrastos e madrastas, pelo menos nas ficções, podem 'aprontar' com os seus filhos, com abusos emocionais, físicos e até sexuais. Não se esqueça que o demônio é dissimulado. Não bastasse este risco sob o seu teto, com quem estará vivendo seu 'ex' sob outro teto? Será seguro para seus filhos quando lá estão? A tendência é de que isto não seja problema, mas pode ser. Você ainda está disposto a mudar/acrescentar novas pessoas ao seu grupo familiar e círculo de amizades? Também considerar isto, os amigos do primeiro casamento se somarão. Geralmente isto não é limitação, mas pode ser. E, se você não está nem sequer interessado em um casamento novo, está disposto(a) a uma 'solidão relativa' para com a privação de um companheiro estável? Pode ser administrável, mas ponderar que quando a paixão bate, pode ser arrebatadora!... Por último, levar em consideração que, quando menos se espera, a nova relação está quase igual à outra; isto é, volta a ser tudo como era antes...
30 de junho de 2013 às 00:05 ·

PARA LER QUANDO TIVER 3 HORAS DISPONÍVEIS. CONT

Ricardo Bing Reis Para ilustrar, conversando com 3 pacientes homens separados, os 3 referiram que suas vidas pioraram pós separação e formação de nova família. Claro que 3 pessoas não é amostragem para absolutamente nada. Porém, é uma trio que se presta para servir de mera ilustração. Um deles ainda mencionou que, casou-se na segunda vez, com mulher egoísta e que, julgava ser dela, todo dinheiro dele. Aceitava, obviamente que pagasse a pensão para os filhos do primeiro casamento, mas não aceitava 'chamadas extras' espontâneas dele para aqueles filhos. Por exemplo, se ele desse de presente um chuteira para um (ao passear com ele no Shopping), ela fazia uma associação com a bota que deixara de comprar para economizar. Aí fica difícil mesmo, mas se aconteceu com ele, pode acontecer com outros, tal como tudo em tudo.
30 de junho de 2013 às 00:28

Ricardo Bing Reis A palavra chave (não mágica) para manutenção de um casamento por anos e anos, longevo, parece ser mesmo a 'tolerância, a flexibilidade e a resiliência'. Saber, acima de tudo, que não existe harmonia eterna, que o casamento dos sonhos tende a ser uma fantasia infantil. Estar ciente que as rusgas/desavenças/brigas/arranca-rabos eventuais, fazem parte da normalidade de um casamento convencional; e que, o conluio é importante, mas nem tão frequentemente alcançável. Também não esquecer que as mulheres tendem a falar demais, enquanto que os homens tendem a falar de menos. Nenhum nem outro está certo ou errado em função destas distintas características, que tem suas origens na antropologia biológica comportamental evolutiva dos 2 gêneros; e que precisam ser compreendidas. Também acrescentaria que um tentar mudar o outro, além de frustrante, é gerador de atritos que podem se agravar. Adaptar o outro, com certa moderação sim; já tentar mudar o outro profundamente, para ele(a) ser como você quer que ele(a) seja, soa prepotência (filha primogênita da intolerância). O mesmo vale para o narcisismo e prepotência de um querer considerar-se melhor que o outro. Esta circunstância, pode gerar a inveja competitiva entre o casal; além da já não rara participação do ciúme. E, se a palavra chave, conforme dito na frase inicial é mesmo 'tolerância', com intolerâncias diversas você estará fazendo gols contra. A tolerância, a flexibilidade e a resiliência teriam conotação íntima, penso, com a palavra ADMINISTRAR suficientemente bem, um ao outro. Acho.
30 de junho de 2013 às 00:50

A REALIDADE CONTINUA ATRAPALHANDO A MINHA VIDA

Ricardo Bing Reis Em uma ilustração, figurava um destes antigos (e saudosos) cinemas de rua; o qual apresentava filmes distintos em cada uma de suas 2 salas de cinema disponíveis. Na sala 1, estava anunciado o filme "Verdades Inconvenientes". Sem fila, nenhum cliente. Já na sala de cinema 2, passaria o filme "Mentiras e Ilusões Reconfortantes". Para este, em frente à bilheteria, uma fila que dobrava quarteirão.
22 de abril de 2013 às 00:35

A REALIDADE CONTINUA ATRAPALHANDO A MINHA VIDA CONT

Ricardo Bing Reis Quando aluno de medicina, a idéia era (e suponho que talvez ainda seja), de que a fantasia inadequada e/ou desproporcional é que 'atrapalha a vida'. Esta à parte, te proporcionaria, finalmente, a oportunidade de te colocar frente à realidade. Assim, frente aos fatos tais como são e, na proporção exata em que são, você pode ter a chance de tomar as melhores opções de soluções e satisfação; ou, como queiram, de uma vida suficientemente boa (ou menos ruim) dentro das circunstâncias. Ainda comungo deste ponto de vista. Mas entendo aqueles (muitíssimos) frequentes que preferem falar de sonhos e mais sonhos, quase a um nível delirante do 'você pode se acha que pode' ou, ainda pior, já vivendo esta fantasia do 'comigo ninguém pode'. 'Comigo ninguém pode' é adequado, no máximo, para nome de planta; nada mais. Claro que a terminologia 'sonho' e 'fantasia' tem um campo semântico tão vasto quanto o cosmos, mas, nesta pequena narrativa, me fiz valer dos significados menos mirabolantes.
22 de abril de 2013 às 00:47

Ricardo Bing Reis Já o medo de enfrentar os fatos tais como são, isto é, a realidade, leva legiões de pessoas a fugir dela, realidade, como se um monstro fosse. É a fantasia transformada em FANTASMA. Ah, os famigerados FANTASMAS. É a tão comentada NEGAÇÃO. E, alguém pode mesmo ser feliz vivendo uma NEGAÇÃO de si, ou por outra, sendo uma farsa de si mesmo? Claro que a negação tem sim sua face útil, mas não foi este o foco para agora. Foram os FANTASMAS; em si, de si, para si.
22 de abril de 2013 às 00:53

DE SEGUNDA À SEXTA...

Ricardo Bing Reis Em DVD mais recente, Robert Smith comentou que na primeira fase deles as músicas eram mais alegres. Na segunda, não passaram a ser 'down', mas 'paranóicas'; visto ter ele percebido que (muitas) pessoas gostam de sentir medo. Pessoalmente, prefiro a primeira fase deles, embora a segunda seja instrumentalmente bem interessante.
23 de março de 2013 às 02:26 ·

 
O Sofrimento Humano e a Morte
O Sofrimento Humano e a Morte
O Sofrimento Humano e a Morte

Diferencie a tristeza comum da depressão

Atualmente, a depressão afeta 340 milhões de pessoas em todo o mundo, ou seja, uma em cada cinco pessoas em algum momento da vida já apresentou ou apresentará quadro depressivo. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), essa deve se tornar a principal doença nos próximos vinte anos.

Você reconhece os sintomas de depressão?

Mal compreendida e ainda cercada de preconceito, a depressão aflige muita gente que prefere guardar o silêncio quanto à doença em vez de dividir o problema com os amigos ou as pessoas próximas: dificuldades de relacionamento e baixa autoestima tornam cada dia um obstáculo duro de vencer. Sentir tudo isso na pele dói e, atualmente, mais de 17 milhões de brasileiros sofrem com os sintomas da depressão, de acordo com a Organização Mundial da Saúde - no mundo, os números ultrapassam 120 milhões de diagnósticos.

Você é feliz?

Para muitos, ela está ligada ao dinheiro. Para outros, o amor é quem define. Há também quem relacione à saúde. É difícil achar uma definição absoluta para felicidade e é impossível encontrar quem jamais tenha pensado nela. Para a psicóloga Angelita Scardua, pioneira nos estudos de Psicologia Positiva (Psicologia da Felicidade) no Brasil, a felicidade é bem mais do que uma condição emocional. "Ela é um estado de disposição, que nos leva a manter relações positivas com as pessoas e as situações ao nosso redor", afirma. "Mas é preciso entender que nunca teremos tudo. A felicidade inclui as experiências negativas e depende de você o impacto que elas terão em sua vida". Assim, para você descobrir se é realmente feliz, o Minha Vida elaborou o teste a seguir com a supervisão da especialista.

Ansiedade e depressão não são quadros opostos

Muitas pessoas acreditam que depressão e ansiedade são quadros opostos, mas isto não é verdade. Existem muitos estudos a cerca destas doenças, e o que se pode observar é que o diagnóstico de depressão pode passar para um quadro de ansiedade em 2% dos casos e no sentido contrário, ansiedade para a depressão em 24% dos casos. Por isso é importante buscar a ajuda de um especialista para evitar que o quadro se agrave.

As novas tecnologias estão mudando nossa memória?

Pouco se conhece ainda sobre a capacidade que a tecnologia pode ter de alterar as nossas funções cognitivas, em particular, a memória. O que parece, entretanto, é que, paulatinamente, esta tecnologia vem se tornando uma extensão de nossa memória.

Você é vítima de estafa mental?

Fazer exercícios físicos em excesso deixa seu corpo exausto durante dias, o mesmo acontece com a mente quando há excesso de atividades intelectuais e pressão por raciocínios complexos. "Se os lobos frontais do cérebro são usados em excesso, ele entra em processo de esgotamento e não trabalha direito", afirma o neurocirurgião Fernando Gomes Pinto, do Hospital das Clínicas de São Paulo.

Tire um fim de semana para relaxar das tensões

O ano vai passando e sua cabeça já está em parafuso? A correria habitual somada as preocupações costumam causar estresse e cansaço. Que tal tirar um final de semana relaxante? E, para isso, não é preciso passar dias em silêncio absoluto.

Estudo nos EUA diz que homens e mulheres pensam diferente

Homens e mulheres têm conexões cerebrais muito diferentes, revela um estudo publicado nesta segunda-feira (3), que parece confirmar estereótipos sobre atitudes e comportamentos próprios de cada sexo.

 

 

 

Estudo nos EUA diz que homens e mulheres pensam diferente

Homens e mulheres têm conexões cerebrais muito diferentes, revela um estudo publicado nesta segunda-feira (3), que parece confirmar estereótipos sobre atitudes e comportamentos próprios de cada sexo.

 

Magda Reis , Carolina Brrs , Carina Ferreira , Lucas Engel , Ricardo Bing Reis , Luelyn Jockyman e quem mais se interesse, achei tão lindo...Achei bonito um assunto que nunca tentei deixar bonito , sempre foi ( e é...) apenas lógico...Mas é isto achei bonito e quis dividir com vocês! Beijos!!

"O ateísmo nada tem a me oferecer
ele não me trás conforto ou certeza
Nele não há nenhum ensinamento ou

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Duas caras, maldade ou doença (resumo p/ SHM)

O pior dos indivíduos chamados "Duas Caras" é que são pessoas extremamente ardilosas e falsas ao ponto de querer prejudicar, a todo custo, aqueles de quem não gostam ou se sentem ameaçados.

O Amor tem estrita relação com a filosofia, pois, nasce como um amor pelo saber que se compreende na procura de mais conhecimento segundo Platão (427-343 a.C.) no famoso livro O Banquete.Se bem que, para as pessoas o verdadeiro amor é um

 

“Toda pessoa não suficientemente realizada em si mesma tem a instintiva tendência de falar mal dos outros. Qual a razão última dessa mania de maledicência?
É um complexo de inferioridade unido a um desejo de superioridade.
Diminuir o valor dos outros dá-nos a grata ilusão de aumentar o nosso valor próprio.
A imensa maioria das pessoas não está em condições de medir o seu valor por si mesmo.

Psicanalítica, a mente é a sua inimiga (superficial SHM)

Freud imaginava a psique (ou aparelho psíquico) do ser humano como um sistema de energia: Cada pessoa é movida, segundo ele, por uma quantidade limitada de energia psíquica.

 

Sobre estar sozinho…

Não é apenas o avanço tecnológico que marcou o inicio deste milênio. As relações afetivas também estão passando por profundas transformações e revolucio

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

I

TEMPO > TEMOS; ATÉ QUE TERMINE. E, PARA MIM, TUDO QUE PRECISAMOS, É DE 'TEMPO LIVRE PARA O ÓCIO CRIATIVO' (MELHOR FORMA DE APLACAR SUFICIENTEMENTE BEM O 'DESCONTENTAMENTO CRÔNICO DO SER HUMANO').

Efectos positivos del entrenamiento musical en el cerebro

Un reciente estudio ha concluido que practicar música en la infancia se traduce en una mejora de las funciones cerebrales en el adulto. Aunque son muchas las investigaciones que han analizado cómo la música afecta a nuestro cerebro y cuerpo, el estudio ahora presentado se ha centrado más en analizar qué ocurre después de que los niños dejen de tocar un instrumento musical si sólo lo han hecho durante unos pocos años.

O Sofrimento Humano E a Morte. QUANTAS E QUANTAS VEZES, JÁ ME SENTI COMO NESTA PINTURA MAGNÍFICA DE SALVADOR DALÍ; PARA MIM, UM GÊNIO. DESCONTENTAMENTO, DESÂNIMO, CANSAÇO, ESTRESSE. MAIS AINDA, SENSAÇÃO DE QUE TUDO CONSPIRA CONTRA. NÃO NECESSARIAMENTE DEPRESSÃO, MAS FALTA DE PRAZER. EMBORA, DEPRESSÃO TAMBÉM. ATÉ AFLIÇÃO, EVENTUALMENTE. EM VERDADE, INVERTI A PINTURA. A POSIÇÃO CORRETA, PASSA-ME A SENSAÇÃO DE ALGUÉM DORMINDO POR EXAUSTÃO, FADIGA, 'BURN OUT'. MAS, GOSTARIA DE RETRATAR, NESTE SITE, O COTIDIANO, QUANDO SENTIMO-NOS ASSIM, SEM PODER IR DORMIR, SE É QUE SE CONSEGUIRIA, CASO HOVESSE ANSIEDADE ASSOCIADA, GERADORA DE INSÔNIA. ASSIM, OUSADAMENTE E, TALVEZ ATÉ, ARROGANTEMENTE, INVERTI A FOTO, COMO QUE QUERENDO, POSSIVELMENTE DE FORMA FRUSTRADA, QUERER REPRESENTAR O DECORRER DO DIA, E NÃO NO REPOUSO, SUPOSTAMENTE NOTURNO. OU NÃO SERIA ARROGÂNCIA OUSAR ALTERAR, DESTA FORMA, A OBRA DE UM GÊNIO? JULGAR-ME-IA ASSIM, MAIS GÊNIO QUE O GÊNIO? NADA DISTO, MERO ARTIFÍCIO.
18 de março de 2012 às 02:28

CONTINUAÇÃO

O Sofrimento Humano E a Morte 99% DAS PESSOAS, QUANDO OUVEM O NOME-TÍTULO DO SITE, EXPRESSAM CERTA REPULSA. NÃO SEI SE ISTO SE EXPLICARIA POR SER UMA REPULSA, NÃO PELO NOME EM SI, MAS PELO FATO DO ABORDADO SER O 'SOFRIMENTO HUMANO' E A 'MORTE'. SÃO ASSUNTOS TABUS, NUM MUNDO JÁ QUASE SEM TABUS. MAS SOMOS FORMADOS PELA NATUREZA, NEURO-BIOQUIMICAMENTE, PARA FUNCIONARMOS COM 'MÁQUINAS ANTI-MORTE'. DAÍ, TALVEZ, A AVERSÃO À ESTES 2 ASSUNTOS. TAMBÉM PENSO SER, O SER HUMANO, BIOLOGICAMENTE DOTADO DE UM MENTAL DESCONTENTAMENTO, QUE SERIA, PARADOXALMENTE, JUSTO A FORÇA MOTRIZ PARA VENCER A INÉRCIA E 'IR À LUTA'; QUE NOS NOSSOS PRIMÓRDIOS PRIMATAS, SIGNIFICAVA, NO MAIS DAS VEZES, CAÇA ÀS PREZAS E/OU GRANDES ESCAPADAS, DOS PREDADORES. ASSIM PENSANDO, E, CONSIDERANDO SER ESTA UMA FORMA CORRETA DE FAZÊ-LO, CONHECER NOSSA NATUREZA DE 'ETERNO DESCONTENTE', NOS AJUDA A SER, PELO MENOS, MENOS INFELIZ. SE É QUE EXISTE FELICIDADE, COMO TAL, VERBORRAGICAMENTE, SE FALA POR AÍ. ACREDITO QUE, PARA SER MENOS INFELIZ OU SUFICIENTEMENTE FELIZ, HÁ DE SE CONHECER OS CAMINHOS E DESCAMINHOS DO 'SOFRIMENTO HUMANO' E DA 'MORTE'. CIENTE DELES, OU SEJA, 'SABENDO ONDE E COMO AGEM OS SUPOSTOS INIMIGOS', É QUE, DE UMA FORMA MAIS SÓLIDA, CHEGA-SE AO GRAU DE SATISFAÇÃO POSSÍVEL. ENQUANTO QUASE TODOS SUGEREM 'WWW.AFELICIDADEHUMANAEAVIDA.COM.BR', INSINUANDO OTIMISMO; EU ACHO QUE OTIMISMO É JUSTO 'SANGRAR DA PRÓPRIA CARNE', METAFORICAMENTE FALANDO, PARA AS COISAS MELHORAREM. ASSIM, 'WWW.OSOFRIMENTOHUMANOEAMORTE,COM.BR' É O TÍTULO QUE MELHOR CARACTERIZA A REALIDADE. PORQUE, DE FANTASIA E SURREALISMO, QUALQUER LITERATURA TOLA ABORDA EXAUSTIVAMENTE. MAS SEM QUALQUER RESULTADO PRÁTICO. NÃO QUE MEU SITE TERÁ; MAS TENTARÁ, DENTO DA ÓTICA 'A VIDA COMO ELA É'. OU SERÁ QUE VOCÊ PREFERE SE ENGANAR, E VIVER SUBMERSO NO SURREAL MUNDO DO 'SENSO COMUM'?...
18 de março de 2012 às 03:28 ·

CONTINUAÇÃO

O Sofrimento Humano E a Morte. www.facebook.com/O Sofrimento Humano E a Morte
10 de abril de 2013 às 15:49

COMENTÁRIOS:

Luciane Wellausen
Sucesso Ricardo!!! aliás tenho que voltar no consultorio!! abração
Curtir · · 12 de abril de 2013 às 10:24 próximo a Porto Alegre

Teresa Cristina Machado
Nas 4 nobres verdades de Buda, vamos encontrar que a causa da dor está em confundirmos realidade com ilusão e o esforço que fazemos para conservar o que é destinado a extinguir-se. Assim, direcionamos energia para um mundo mutável onde nada perdura.

Muito legal esta fanpage, Ricardo Bing Reis, é importante discutir esses temas em alguns lugares para tentar alimentar as virtudes humanas, acredito que isto poderia levar à redução de alguns sofrimentos em determinadas fases da vida.
Curtir (desfazer) · · 11 de abril de 2013 às 01:21 próximo a Brasília

Andre Oliveira de Souza
quedele os originais do livro, para eu fazer o prefácio?
Curtir (desfazer) · · 10 de abril de 2013 às 16:27

Leila Werrespublicou em?O Sofrimento Humano E a Morte.
13 de março de 2012
Isso é coisa prá curtir???????????????????
Morte não tem como evitar,mas sofrimento???To fora!!!

Adão Machado Puxa! Felizmente alguns conseguem transformar em arte sua dor, e assim minimizar o sofrimento de milhões.
6 de agosto de 2012 às 01:25 ·

Ricardo Bing Reis
Médico na empresa Diretor Médico da Clínica Bing Reis.
Estudou Alls-nasen-ohren na instituição de ensino Städtisches Klinikum Karlsruhe
Mora em Porto Alegre
18 de março de 2012 às 02:53 · Curtir · Remover visualização

O Sofrimento Humano E a Morte. AUTOR > RICARDO BING REIS (NASCIDO EM 26/07/1963). MÉDICO GRADUADO PELA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RGS/UFRGS (1986). ESPECIALIZADO NO HOPITAL DE CLÍNICAS EM PORTO ALEGRE (1987/88) E HOSPITAL DA UNIVERSIDADE DE FREIBURG (STADISCHES KLINIKUM KARLSRUHE - 1989) - ALEMANHA.
18 de março de 2012 às 03:57 ·