MAIL ENVIADO PARA AMIGOS

PENSAMENTO SOBRE A VIDA (DE CONSU-
MO) COMO FREQUENTEMENTE É.

* Ouvi comentário no rádio assim:

"COMPRAMOS COISAS DE QUE NÃO PRECI-
SAMOS; COM DINHEIRO QUE NÃO TEMOS
E QUE NÃO É NOSSO (POR FINANCIAMEN-
TO); PARA IMPRESSIONAR CERTAS PESSO-
AS QUE NÃO GOSTAMOS"!
...........................................
* Tendo colocado esta frase à análise e su-
gestões de amigos, resultou parecer ser me-
lhor reescrevê-la assim:

"MUITAS VEZES COMPRAMOS COISAS DE
QUE NÃO PRECISAMOS; COM DINHEIRO
QUE NÃO TEMOS E QUE ATÉ NEM É NOS-
SO (POR FINANCIAMENTO); NÃO RARO, A-
TÉ APENAS PARA IMPRESSIONAR PESSO-
AS".
..............................................
* Bom, depois desta retificação, complemen-
to simplesmente encaixando as observações
finais do comentário, com teor meramente e-
xemplificativo:

"Por exemplo, comprar um carrão impor-
tado não é um bom negócio, no sentido 'E-
conômico' da palavra: desvaloriza 60% em
4 anos e, assim, desperdiçamos um dinhei-
ro que poderia ser investido numa poupan-
ça e/ou na aposentadoria".
................................................................
* Então, agora eu fecho: salvo ser você
muito rico (e, até mesmo assim); há de
ainda considerar-se o estresse necessário
para produzir este dinheiro, mediante o seu
trabalho, estará selado o descontentamen-
to, pois este dinheiro descerá pelo ralo na
forma de desvalorização do bem, digo, do
mal.
De forma alguma sou contra o consumo;
mas do consciente, não do consumismo.
'Torneiras abertas' lhe exigem produção
constante. Produção constante implica em
empreendimento de tempo e mais tempo.
Tempo tende a ser tudo que precisamos.
Assim, lá se vai o tempo livre para faze-
res o que gostas, no ócio criativo.
A não ser, não gostar de mais nada, que
não seja trabalhar.
Observe que até a panela de pressão tem
válvula de escape, caso contrário...
Ricardo Bing Reis.

   

MAIL ENVIADO PARA AMIGOS

INFELICIDADE DE PESSOAS POR EXCESSOS DA GANA CON-
SUMISTA.

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@hotmail.com
Date: Sat. 27 aug., 2011 23:24:54 0000

Aos meus amigos médicos e TODOS os demais internautas,
não sei o que anda acontecendo com as pessoas. Parece que
vão perdendo o bom humor ao longo da vida.
Vão deixando pelo caminho. Um pouco aqui, outro pouco
ali, como se bom humor gastasse. Mas desaparece, cede aos

percalços da vida. Isto sim.
Não gostaria de viver desse jeito.
Vou morrer falando minhas certas bobagens.
Se a vida é difícil, e é, tem que tentar descontrair, e não

vai adiantar ir jogar golfe se vive mal humorado. Vai se irritar

se errar a tacada!...
Acho que muitas pessoas pensam que só serão felizes se

conseguirem o kit felicidade. A saber:
1- AP classe AA na cidade em que mora,
2- 2 ou 3 carrões na garagem;
3- casa na praia, impecável;
4- algo na serra pro inverno;
5- muitas viagens pro exterior, com muitas compras;
; 6- iPod, iPad, smart-fone e o útimo multi-processador;
E, principalmente, o abominável "amo o que faço..." na pro-

fissão.

O pior de tudo, talvez seja conquistar tudo isto e, só então,

perceber que a amargura estava todo tempo dentro de si, e não

fora, nestas coisas buscadas.

Já estive nesta vida. A frustração foi grande.

Tal vazio não justificaria o suicídio de certos príncipes encan-

tados e barbies?
Eu tô fora disso tudo, graças a Deus.

Não é regra. Pode dar certo e ser muito bom.
Ricardo Bing Reis.

EMAIL ENVIADO PARA AMIGOS

SOCIEDADE COMO CONTAGIANTE FONTE DE ANGÚSTIA.

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986_ufrgs@provedor.com
Date: Tue, 26 Jul 2011 19:50:38 +0000

Aos meus amigos-médicos e TODOS os demais internautas,
raiva excedente, causa este quadro biológico que é conhe-
cido por 'estresse'.
Uma dose moderada de estresse é fundamental, por ser
a força motriz das iniciativas e persistências. Mas o além dis-
to, começa a causar danos, passando agora de um estresse
bom (eustresse), para um estresse ruim (distresse).
É o popular 'engolir sapos', fundamental saber para viver
em sociedade.
Mas, é claro, também saber quando rodar a baiana para
auto-defesa. Esta linha tênue entre o sapo e a baiana é, sim,
muitíssimo difícil de estabelecer, já que muitas são as varian-
tes e as imprevisibilidades.
Quando um limite é indemarcável, costuma-se lavar as
mãos e dizer que deve 'prevalecer o bom senso', possível no
momento.
Talvez daí, o às vezes confuso, Confúcio, dizer: 'eu sou eu
e minhas circunstâncias!...'
Concluindo: se eu tivesse que marcar em uma prova obje-
tiva de escolhas múltiplas, apontaria, para a vida atual, o es-
tilo do trabalho massante de hoje, onde a pressão para cum-
primento de metas amassa o trabalhador!
Metas estas que vem de cima ou que a própria pessoa se
auto-impõe. É o grau de exigência.
Li em algum lugar: é impossível ser feliz com a agenda
cheia. E não precisa ser a agenda de pacientes por atender,
como exemplo; mas agenda de afares do cotidiano, etc. Qual-
quer agenda. Qualquer 'tem que!...'
O 'talvez' talvez seja mais saudável que o 'tem que!...' res-
salvando as circunstâncias em que talvez 'tem que' mesmo.
Pior ainda para o perfeccionista, que nunca realizará suas
fantasias, pela singela e popularizada razão do 'ni nguém é per-
feito'.
Comece por tentativas em tolerar-se melhor. Primeiro por
auto-controle e, depois, por automatismo, adquirido apartir do
passo inicial reiteradas vezes repetido. O consciente, por repe-
tição, acaba se tornando inconscinte, no sentido de ato reflexo,
a nível encefálico.
É o princípio da terapia cognitivo-comportamental. Cogniti-
vo ao identificar o problema; comportamental por repetição de
conduta nova mais adequada, até ao automatismo. Boa aplica-
ção em obsessões-compulsões.
Ricardo Bing Reis.

EMAIL ENVIADO PARA AMIGOS

SUICÍDIO LENTO(?) E PREMEDITADO.

From: rbrd_redacaoshm@hotmail.com
To: medicina1986-UFRGS@provedor.com.br
Date: Sun. 21 Aug. 2011 13:43:24 00000

Aos meus amigos-médicos e TODOS demais internautas,
é difícil para mim escrever sobre drogas pois nunca tive
experiências com elas, nem nunca participei de grupos on-
de havia usuários.
Então, escrevo de forma dedutiva, com pouca vivência.
Acho que para um texto ser suficientemente convincente,
deve trazer fatos reais e, melhor, experiência própria, com
descrição de seus sentimentos frente aos relatos.
Mas vou tentar escrever um pouquino que seja sobre o
crack e o óxi.
Imagino qu e, quando sua vida já está insuportavelmente
caótica, sem solução aparente, chegando à aflição, desespe-
ro, falta de qualquer tipo de expectativa e motivação, emo-
ção ou prazer zeros; o raciocínio talvez passe a ser o seguin-
te:
1- já não quero mais viver mesmo, por falta de sentido
em dar continuidade à vida;
2- já considerei ou considero a hipótese de suicídio;
3- o crack pode me dar uma sobrevida de baratos, embo-
ra depravada, por 2 anos;
4- prefiro viver 2 anos a mil que 30 anos da forma que es-
tá!.
Possível conclusão final e conduta desta pessoa: "...vou a-
derir por não ter mais nada a perder e sim em ganhar em 'ba-
ratos', por 2 anos, e aí acaba tudo, pois o suicídio já era mais
ou menos o que me restara mesmo!...
Para fechar, vejo no jornal de hoje, em reportagem desta-
cada na capa: "Idosa, ex-professora, se desdobra entre o sus-
tento da casa, a vigília à filha viciada em crack e a criação do
neto, rejeitado pela mãe".
E acredite, não é tão raro, agora sim por testmunho meu
de casos já conversados por mim com pacientes idosas.
Ricardo Bing Reis.

POSTADOEM REDES SOCIAIS

'WE HAVE TO CHANGE' (GEORGE HARRISON) > Em 'Living in the Material World', preconiza um desapego ao materialismo. Provavelmente isto tenha relação com sua passagem pela Índia e a ligação com conceitos esotéricos e de transitoriedade. Por outro lado, era muito rico e, penso, fica mais fácil pregar-se tudo isto estando com sobras. Mas acredito também, que era sim sincero no que pregava. "Living in the Material World' seria uma frase que se prestaria à ótica transcendental; mas também à prática do consumismo cotidiano. Vejo esta última, como fundamental para que bem se passe pela vida de forma suficientemente satisfatória. Quanto ao 'Além', é assunto além do que meus pensamentos alcançam, pela complexidade.

Ricardo Bing Reis Não é difícil concordar-se que, pregar desapego à bens materiais, é bem mais fácil quando se é proprietário de uma fortuna e não se passa dificuldades. Assim, talvez, George tenha se referido esotericamente ao tratar deste tema. Mas talvez estivesse se referindo à sociedade de consumo ocidental, hoje globalizada. Talvez uma possível busca pelo enriquecer tenha lhe feito tanto mal no passado, que, repensando, caso previamente tivessido sido advertido, teria levado uma vida diferente. Isto pois, parece-me uma pessoa pura e sincera. A timidez era sua marca registrada. Perderíamos nós, sem suas composições, guitarra, cítara e voz característica.
23 de novembro de 2012 às 23:00 ·

 

POSTADO EM REDES SOCIAIS

'QUEM PROCURA ACHA'!... É VERDADE, QUEM PROCURA ACHA PRECOCE E TEM CHANCES ENORMES DE CURA. QUEM NÃO PROCURA, QUANDO ACHA, GERALMENTE JÁ É TARDE DEMAIS. NÃO ACREDITO QUE A FRASE 'QUEM PROCURA ACHA' SEJA FRUTO DE BURRICE, MAS SIM DE MEDO. NINGUÉM PODE SER TÃO BURRO...

POSTADO EM REDES SOCIAIS

INSÔNIA > Muitos estudiosos sonegaram a si mesmos, noites de sono para publicar artigos, teses e compêndios gigantescos sobre a insônia. É multi-fatorial. Pessoalmente, tenho insônia quando deito e fico pensando ansiosamente nos vários afazeres do dia seguinte (na proporção inversa do tempo progredindo no visor do relógio de números fluorescentes); diminuindo o tempo necessário para o descanço, que viabilizaria a energia para as execuções do dia chegando. Entro em um círculo vicioso, entre a insônia se perpetuando e a luta contra o relógio (que nunca pára). Assim, o mecanismo das minhas (raras) insônias, é a ansiedade.

 

POSTADO EM REDES SOCIAIS

'WE HAVE TO CHANGE' (GEORGE HARRISON) >

Ricardo Bing Reis Não se pode viver só de espiritualidade. Não se pode viver só de consumo. Os exageros parecem ser inadequados e lesivos, quer na espiritualidade, quer no consumo. Fervor religioso tende à fanatismo que cega; o consumismo tende à dívidas e vontade de ficar cego quando da chegada da fatura do cartão e/ou extrato bancário. Dinheiro não é tudo, mas tudo pode ser a falta do dinheiro. Se você tiver muita fé em obter um Plano de Saúde ou pegar remédios em uma farmácia, esta fé somente obterá seu êxito na obtenção, se vier acompanhado de dinheiro, cartão ou cheque.
23 de novembro de 2012 às 23:08 ·

Ricardo Bing Reis Minha filha, com apenas 10, sem que ninguém dissesse nada, comentou que achava os 4 bem distintos. O Paul cantava o cotidiano; o Lennon cantava sua ótica política pacificadora; Ringo era o irônico e irreverente; George o místico. É, talvez, uma das melhores constatações onde as diferenças se complementam e não se afastam (como muitos podem pensar).
23 de novembro de 2012 às 23:17

POSTADO EM REDES SOCIAIS

Ricardo Bing Reis Gosto de todos os 4. Por algum motivo, em escala de gostar, o menos apreciado por mim é John Lennon, embora ainda genial. Ele próprio não gostava de sua voz e pedia para que se usassem recursos eletrônicos para 'distorcê-la'. Por isto, parece que está sempre cantando ao telefone.
23 de novembro de 2012 às 23:19

NA PRÁTICA DO COTIDIANO, NÃO É FÁCIL DEIXAR DE FAZER DO CÍRCULO UM QUADRADO. TALVEZ UMA MENSAGEM GRAVADA QUE SE REPETISSE CONTINUAMENTE EM NOSSOS OUVIDOS PUDESSE AJUDAR. MAS O INFERNO DELA NOS NEUROTIZANDO O DIA TODO, NOS FARIA PREFERIR O QUADRADO AO CÍRCULO.

Ricardo Bing Reis Ser feliz é um fruto de vida coletiva, em um círculo virtuoso(?); ou fruto de 'cada um no seu quadrado'(?). Acho que ambos, hora um, hora outro. Com preferência e predominância do primeiro. Porém, é, de fato, muito bom ter seus momentos sozinho e de privacidade, no seu quadrado.
23 de novembro de 2012 às 21:26

POSTADO EM REDES SOCIAIS

CONSUMISMO > Conhecimentos oriundos da psicanálise, no século XX, serviram de substrato para que se manipulassem as INSATISFAÇÕES DAS PESSOAS. Foi um 'mau uso' de algo fundamentado para o bem pessoal. Daí minha hipótese de suposto 'ETERNO E INATO DESCONTENTAMENTO BASAL DE TODOS OS SERES HUMANOS'. E, esta fragilidade, nos tornou presas fáceis para os industriais, as financeiras, 'fluxos de capitais especulativos egoístas', etc. É a ganância. Mas não haveria os gananciosos citados, não houvesse as pessoas gananciosas, que deixaram sua conotação de 'seres humanos' para adquirirem a condição de 'consumidores e clientes'. Assim, ganância generalizada; ganância esta, que é, um dos não poucos filhos do egoísmo. Isto não é mundo!... Daí, o aumento vertiginoso da insatisfação e infelicidade, pois COISAS não aplacarão o que faz parte de nós mesmos, à nível neuro-bioquímico mental e; depois ainda, ambiental e social. ...'Você jamais será feliz se não adquirir aquele multi-processador'...; que veja, irá para o armário e quase nunca será usado!

 

POSTADO EM REDES SOCIAIS

CONSUMISMO > CONT.

Ricardo Bing Reis Realmente surpreendente é quando, a pessoa atingiu seus sonhos de consumo via ganância e vaidade; e percebe que o DESCONTENTAMENTO e a INSATISFAÇÃO continuam ali, 'intactos', qual qual era desde o início. Agora, passa a pensar que então, está faltando outra COISA MATERIAL, e assim, sucessivamente, por efeito dominó. Se soubesse do suposto 'eterno e inato descontentamento de todos os seres humanos', talvez não tivesse tomado certas atitudes na vida, talvez não tivesse assumido certas dívidas, talvez não fôsse 'workaholic'; talvez tivesse disponibilizado maior tempo livre para a prática de um prazeroso 'ócio criativo'; embora faça parte do 'kit felicidade' dizer que 'ama o que faz'!...
1 de julho de 2012 às 02:18

Ricardo Bing Reis É o INCONSCIENTE COLETIVO em prol do consumismo. Quando a boiada dispara colina abaixo, fica difícil seguir no sentido inverso. Mas, o 'bom senso' está no 'senso restrito'; e não no 'senso comum', que é dito 'comum', apenas por ser 'maioria' (ou 'da norma', isto é, 'normal'). As pessoas se gabam por dizerem-se 'normais', quando, infelizmente, estes, por efeito boiada (e, evidentemente sem pensar), estão descendo colina abaixo, sabe-se lá para onde. O 'senso comum', é impregnado pelo consumismo (e outras idéias não muito iluminadas correlatas, por serem pouco 'pensantes'). Este vídeo corrobora muito com o que descrevi até aqui. "O SÉCULO DO EU" é dividido em vários episódios, e, cada qual, em partes. Selecionei estes 2, mas todos são interessantíssimos e disponíveis no Youtube.
1 de julho de 2012 às 03:38

CONSUMISMO > CONT.

Ricardo Bing Reis Já fui um gastador compulsivo. Houve quem dissesse que eu não sabia dar valor ao meu dinheiro. E, estavam corretos. Fui obrigado, pelas circunstâncias, a mudar minha relação com ele, dinheiro. Quanto aos países, existe uma idéia de que um povo gastador (inclusive por financiamentos múltiplos), à 'american way of life', ajuda no desenvolvimento, por alavancar a indústria e mercado em geral, gerando riquezas. Faz muito sentido. Por outro lado, lembremos também, que o PIB dos Estados Unidos é de 15 trilhões anuais; sendo o da Alemanha, quase 4 trilhões. Sendo a população da Alemanha 1/4 da americana, em termos relativos, se equivalem (embora em termos absolutos, distantes). E, sabidamente, o povo alemão é mais poupador. Assim, fica relativamente claro que a 'gastança' não é necessária para o desenvolvimento. A ponderação dá o mesmo resultado (o dinheiro armazenado nos bancos, nas poupanças, alavancariam o progresso). O mesmo valeria para o Japão.
1 de julho de 2012 às 12:25

Ricardo Bing Reis BOLHA DA GANÂNCIA > Não me surpreenderia se alguém me dissesse que a atual crise econômica mundial, iniciada nos Estados Unidos em 2008, é consequência da explosão de uma bolha, mas da BOLHA DA GANÂNCIA , que resultou numa bolha econômica/imobiliária. Logo extendeu-se para a Europa (tendo, até o dia de hoje, a Alemanha se poupado relativamente) e BRICS. Foi o explosão da 1/2 BOLHA GANANCIOSA dos 'disponibilizadores de dinheiro (pelo lucro via juro do crédito financiado)'; com a 1/2 BOLHA GANANCIOSA das pessoas, consumistas incontrolados que, frente ao crédito fácil, gastaram mais do que podiam e mais do que tinham. Em grande parte para aparentarem serem o que não são, visto terem caído no conto do 'ter é ser'; conforme nestes 2 vídeos. Resultando em inadimplência das pessoas e quebras de instituições financeiras. Todos se deram mal, pois duas 1/2 bolhas formaram a final resultante gigantesca bolha. Isto não significa que tenhamos que passar para o extremo oposto, da avareza; mas sim da moderação (consumo e poupança conscientes, o que, inclusive, acaba por ser mais ecológico). Não me surpreenderia se me dissessem isto.
1 de julho de 2012 às 12:40

Ricardo Bing Reis Numa livraria, ontem, vi capa de livro assim: "O que o dinheiro não compra - Os limites morais do mercado". O autor, defende que esta é uma época em que tudo pode ser 'comprado e vendido'. Para ele, uma sociedade que coloca tudo à 'compra e venda', está intrinsicamente ligada à desigualdade e corrupção (Michel J. Sandel). Já li 'Sobre a Desigualdade entre os Homens'(ou título parecido, não sei exato); e esta, penso eu, é inevitável, pois não existem 2 seres humanos iguais; daí, por Natureza, ser inviável a 'igualdade', mesmo aproximada. Talvez o muito excessivo contraste, possa sim ser contestado. Com relação à corrupção, parece coerente.
28 de julho de 2012 às 01:07

Ricardo Bing Reis Os governos de estratégias incompetentes, vêem como investimento o setor primário/extrativista (petróleo, minérios, agricultura, pecuária), o setor secundário (indústria, etc), o setor de terciário (de prestação de serviços e comércio), além do setor de infra-estrutura (como energia, estradas, portos, aeroportos, comunicações, etc). Tudo isto, em verdade é sim muito importante. No entanto, as coisas param por aí. Os governos de estratégias competentes, além de valorizar o exposto, valorizam ainda muito mais, suas maiores riquezas, que são suas pessoas. Assim, não vêem como gastos, mas sim como investimentos, aplicar capital em gente: educação, saúde, previdência e segurança. Veja-se a Coréia do Sul desde 1970.
28 de julho de 2012 às 17:47

______________________________________________

 

______________________________________________

 

CONTRA-CULTURA > Diria, 'anti-cultura da aparência'; mas também, ou, até mais, 'anti-cultura' do dinheiro; a qualquer custo, mesmo sendo caro.

______________________________________________

MODA > MODISMO > CORPOLATRIA >'BARBIE & BOB' IN A 'BARBIE & BOB WORLD'. / MODA E MODISMO> Estar na moda, tanto para homens quanto para mulheres e, até crianças, pode ser um bom reforço do Ego, mas os exageros são, provavelmente, maléficos. Vale para cabelos, botox, cirurgias plastificadoras, seios turbinados, jóias, roupas, salas, escritórios, casa, apartamento, carros, etc. Tudo 'da hora', moderno, novo, na moda. Custa caro, para o bolso e para a cabeça. Há até quem se individe para manter o (falso) 'padrão'. Fico a pensar, às vezes, se isto manteria alguma relação com insegurança e necessidade de ser aceito pela sociedade; da qual, sente-se, por algum motivo, meio excluído (?!). CORPOLATRIA > E o culto ao corpo, até com utilização de hormônios derivados da testosterona, tanto em homens quanto em mulheres, para marombar em academias (onde mais se paquera do que se pratica exercícios saudáveis); teriam efeito similar de insegurança e necessidade de aprovação social??

______________________________________________

SHOPAHOLIC > Não tive conato com esta palavra até sábdo de tarde quendo entrei com a família na Livraria. E, um dos livros tinha esta palavra na capa. É perfeita. Uma tradução mais adequada seria comprador-maníaco; pois este tem a ver com euforia/destemido; e nada com o cri-cri maniático, qiue é ansioso. Dizer comprador obsessico - compulsivo, soa bem aos ouvidos, mas, tecnicamente, mantém de novo, mantém mais relação com a ansiedade, o medo, as fobias. É o 'comprador desenfreado'; um maníaco/eufórico, uni ou bipolar; em tendência, não em certeza. E, alguém, senão ele próprio, terá que ser o 'workaholic' para compensar. Já tive experiências muito negativas neste sentido e posso garantir, era uma ânsia, um ímpeto, um fascínio por comprar. Gerava, com todo exagero, uma satisfação quase orgástica. Não chegava a ser uma fissura, como na drogadição. Já fui financeiramente inconsequente e, a vida me surrou. Baixei a cabeça e aprendi. Mudei. Talvez o 'shopaholicismo' tenha relação com o mundo da moda ( de roupas, relógios, acessórios; eletrônicos, carros, casas, apartamentos; aqui, lá e acolá...). Assunto para outro trecho.

______________________________________________

BOB & BARBIE 'ENVELHESCENTES' IN A BOB & BARBIE WORLD > TUDO PELA ESTÉTICA E A 'VIDA DO APARENTE'. POUCO PARA A MENTE E PSIQUISMO. SERIA ISTO INSEGURANÇA E NECESSIDADE DE REFORÇO PESSOAL, DE UMA SUPOSTA APROVAÇÃO DOS OUTROS, DE SI? NÃO SEI. MAS PODE SER.

POR 1 MINUTO > 'Chegará o momento em que, todo dinheiro do mundo será incapaz de dar-lhe mais 1 minuto sequer'. Alguém criou esta frase; sei, com certeza, que não fui eu, embora gostasse ter sido. Então, mediante cremação (ou decomposição natural), 'Dust in the Wind'...

______________________________________________

'PIB & FIB' > O Mito da felicidade

______________________________________________

NOVAS FORMAS DE VIVER. ISTO SERIA DE INTERESSE DO 'MUNDO FINANCEIRO'? MAIS IMÓVEIS PARA VENDER, MAIS CARROS, MAIS LOCAÇÕES. ENFIM, 'MAIS' TODOS OS TIPOS DE DESPESAS.

Ricardo Bing Reis A 'INDÚSTRIA DO DIVÓRCIO' E DOS 'ETERNOS SOLTEIROS' DEVE SER TRILHARDÁRIA...
27 de maio de 2012 às 19:05

Ricardo Bing Reis FAZ-SE E INVENTA-SE DE TUDO PARA TIRAR O DINHEIRO DO CONSUMIDOR. QUE, INADVERTIDAMENTE, OU ATÉ POR INEXPERIÊNCIA, CEDE. TUDO É MUITO BEM FEITO, VIA INVEJÁVEL PUBLICIDADE E PROPAGANDA, QUE SÓ VENDEM ALEGRIAS E FELICIDADES!... ATÉ NOVOS COSTUMES SÃO INCENTIVADOS, SE FÔR NECESSÁRIO, PARA ESTES FINS. UM DIA SURGIRÁ 'TERAPIA FONOAUDIOLÓGICA PARA TOSSE DE CACHORRO EM CÃES'?
27 de maio de 2012 às 19:12 ·

Ricardo Bing Reis "BRASIL DESPONTA EM NÚMERO DE 'SOLITÁRIOS' DENTRE OS EMERGENTES".
5 de janeiro às 18:43 ·

______________________________________________

É BEM ASSIM!

É BEM ASSIM! cont.

Ricardo Bing Reis SOBRECARGA DE TRABALHO PARA QUITAR AS CONTAS, SOBRECARGA DE RESPONSABILIDADES, SOBRECARGAS DE PRESSÕES VARIADAS DE TODOS OS LADOS, SOBRECARGA DE IMPREVISTOS, SOBRECARGAS FAMILIARES; DÁ NISTO! NÃO É NADA DIFÍCIL ENTENDER DE FORA, NEM EXPLICAR DE DENTRO.
5 de maio de 2012 às 15:25 ·

Ricardo Bing Reis NÃO BASTASSE, SE VOCÊ AINDA PARTICIPA DE TOLOS E INFANTIS MEIOS COM 'JOGOS DE VAIDADES DOS MÉDICOS', AÍ SIM FICA PIOR AINDA.
5 de maio de 2012 às 15:27

Ricardo Bing Reis OS SACRIFÍCIOS ESTUDANTIS PARA CHEGAR, SÃO IMPRESSIONANTES. CASO VOCÊ, MÉDICO, TENHA CURSADO VISANDO FORTUNA, SUA CHANCE DE FRUSTRAÇÃO É DE 99,5%. NÃO SE PRESTA MUITO PARA ISTO. EMBORA POSSA ACONTECER. AQUI, O 'ETERNO E INATO DESCONTENTAMENTO DO SER HUMANO', PODE ENCONTRAR, NO EXERCÍCIO DA MEDICINA, UM 'ALIADO' FORTÍSSIMO PARA SUA AMPLIFICAÇÃO, MEDIANTE O 'WORKAHOLICISMO'.
5 de maio de 2012 às 17:24

Ricardo Bing Reis AINDA AGORA ESTAVA CONVERSANDO COM COLEGA MÉDICA QUE ME DISSE NÃO TER TEMPO DURANTE A SEMANA PARA RESOLVER PENDENGAS, E AS DEIXA PARA O FIM DE SEMANA. RESULTA, QUE ACABA SE AUTO-IMPONDO UMA 'AGENDA PESSOAL DE AFAZERES', QUE LHE TOMA O JÁ INSUFICIENTE PERÍODO LIVRE QUE TERIA SE ESTA AGENDA EXTRA TIVESSE. ALÉM DO FILHO DE 4 ANOS; QUE AO FIM, SUSPEITO FICAR CARENTE... ENTÃO PERGUNTO: ISTO É VIDA? DAÍ, NESTA FOTO, ESTA MÉDICA ENCOSTAR-SE NA PAREDE, FATIGADA E ANGUSTIADAMENTE. E, INCRÍVEL, AS FILAS DE CANDIDATOS NOS VESTIBULAES PARA ENTRAR NESTE 'WAY OF LIFE' NÃO PARAM DE AUMENTAR. FALTA DE ORIENTAÇÃO?
12 de maio de 2012 às 12:48 ·

Ricardo Bing Reis EM OUTRO TRECHO, DESTAQUEI A IMPORTÂNCIA DO ENFERMEIRO. CONHEÇO BEM O TRABALHO DELES POIS CONVIVIA DURANTE MEUS TEMPOS DE HOSPITAL. E, JÁ NAQUELA ÉPOCA, ACHAVA QUE QUEM MANTINHA O HOSPITAL VERDADEIRAMENTE FUNCIONANTE, ERA O ENFERMEIRO; ESTES HERÓIS DO BEM. ACHO QUE JUNTO COM OS BOMBEIROS, DOADORES DE SANGUE E ÓRGÃOS, E AINDA TRABALHADORES VOLUNTÁRIOS; SÃO OS 'GRANDES DA GRANDEZA'. INCLUO OS PARA-MÉDICOS DAS ESTRADAS. DENTRE OUTROS QUE AGORA ESQUEÇO MAS ME ADIANTO A PEDIR DESCULPAS PELA FALHA. E OS 'MÉDICOS SEM FRONTEIRAS' > www.msf.com

ECONOMIA MUNDIAL > SERIADO 'TERRA DE GIGANTES' > FOI UM SERIADO DO FINAL DOS ANOS 60. NÃO PODERIA EU, COM 7 ANOS, IMAGINAR QUE, UM DIA, VIVERIA SENTINDO-ME ESTAR EM 'TERRA DE GIGANTES'. NOS CAPÍTULOS, UMA TRIPULAÇÃO DE PESSOAS NORMAIS, FICOU À DERIVA E ATERRISOU NUM MUNDO ONDE TUDO ERA GIGANTE EM RELAÇÃO AO NOSSO MUNDO, DE ONDE SAÍRAM. POIS, EM RELAÇÃO À ECONOMIA MUNDIAL, SINTO-ME HOJE COMO AS MINÚSCULAS PESSOAS, PERANTES OS GIGANTES. TODO AQUELE QUE POSSUI CIFRAS ATÉ O NÍVEL DE MILHÕES, ESTÁ DO LADO DE CÁ, DOS PEQUENOS (EMBORA MUITOS MILHONÁRIOS SE ACHEM!...). E, DO LADO DOS GIGANTES, ESTÃO AQUELES INDIVÍDUOS OU GRUPOS ECONÔMICOS DOS (VÁRIOS) BILHÕES E TRILHÕES. ESTAMOS CAPTURADOS NA MÃO DELES, MÃOS GIGANTESCAS, QUE NOS AMASSAM ECONOMICAMENTE, QUANDO E COMO QUISEREM!

Ricardo Bing Reis IMAGINO QUE ESTES GANANCIOSOS 'GRUPOS SUPRA-MUNDO', PROCUREM, MUNDO AFORA, ONDE ESPECULAR, ONDE GANHAR COM O JURO. E, O 'MODO OPERANTE' É NA GANÂNCIA DAS PESSOAS DO MUNDO REAL. DESTA FORMA, FICA GANÂNCIA POR GANÂNCIA, DE TAL FORMA QUE MUITOS POUCOS PODEM SE QUEIXAR. FAZER EMPRÉSTIMOS PARA CASO DE NECESSIDADE COMO DOENÇA; OU COMPRA DE CASA PRÓPRIA E CARRO (MAS COM PARCELAS TOTALMENTE DENTRO DAS CONDIÇÕES FINANCEIRAS, COM MUITAS SOBRAS); TUDO BEM! MAS COMPROMETER GRANDE PARTE DA RENDA PARA TER O QUE NÃO PODERIA E/OU APARENTAR SER O QUE NÃO SE É; É LINHA RETA PARA INADIMPLÊNCIA, BUSCA E APREENSÃO. ALÉM DE INCÔMODOS, ABORRECIMENTOS, FRUSTRAÇÕES E AGRAVAMENTOS AGUDOS DO DESCONTENTAMENTO (QUE, QUIÇÁ, FORA JUSTO A CAUSA DO 'PASSO MAIOR QUE AS PERNAS'). DOENÇAS PSICO-MENTAIS PODEM SE DESENCADEAR POR UMA GRAVE CRISE FINANCEIRA DESTA NATUREZA.
1 de maio de 2012 às 00:05 ·

 

ECONOMIA MUNDIAL CONT.

Ricardo Bing Reis QUEM SERIAM ESTES 'GRUPOS SUPRA-MUNDO' DONOS DOS 'FLUXOS DE CAPITAIS ESPECULATIVOS'? NÃO SABERIA RESPONDER. MAS TALVEZ ALGUNS BANCOS, ALGUMAS MEGA-EMPRESAS, ALGUMAS ORGANIZAÇÕES DE VARIADAS NATUREZAS, ALGUNS DITADORES, ETC.
1 de maio de 2012 às 00:08

Ricardo Bing Reis ACHO QUE NÃO RARO TAIS INVESTIMENTOS TEM SEU FOCO RECENTE NO MERCADO IMOBILIÁRIO, POR LUCROS IMEDIATOS, COMO É O DESEJO. MAS TAMBÉM FINANCIAMENTO DE OUTROS BENS(?) DE CONSUMO: SETOR AUTOMOBILÍSTICO, ELETRO-ELETRÔNICOS E DE TECNOLOGIA. ACHO.
1 de maio de 2012 às 00:11 ·

Ricardo Bing Reis CERTO É QUE, EM SAÚDE, EDUCAÇÃO E PREVIDÊNCIA É QUE NÃO SE PODE INVESTIR; POIS ISTO É VISTO COMO GASTO, E NÃO LUCRO. PARECE NÃO INTERESSAR AS PESSOAS, MAS O DINHEIRO, MUITO APENAS.
1 de maio de 2012 às 00:13 ·

Ricardo Bing Reis NÃO DUVIDARIA SE O 'SUB-MUNDO' DA CRIMINALIDADE TAMBÉM TOMASSE PARTE DE ALGUMA FORMA, MAS QUE DESCONHEÇO. É MERA CONJECTURA. FATO É QUE, OUVI EM RÁDIO CONCEITUADA QUE, EM 2012, A CRIMINALIDADE JÁ É A VIGÉSIMA ECONOMIA DO MUNDO. MAS DO QUE SE TEM COMPROVAÇÃO. E, DESDE QUANDO O SUB-MUNDO SE DEIXA EMERGIR ÀS EVIDÊNCIAS? ASSIM, FICA DIFÍCIL EM REAL AVALIAR O PODER DA CRIMINALIDADE; QUE INCLUI O NARCOTRÁFICO.
1 de maio de 2012 às 00:17 ·

Ricardo Bing Reis PARA QUE ESTES 'FLUXOS DE CAPITAIS ESPECULATIVOS' ENTREM NA ECONOMIA DE UM PAÍS, TAMBÉM NÃO DUVIDARIA DE PARTICIPAÇÃO DE ALGUNS OU MAIS POLÍTICOS OU FORÇAS POLÍTICAS. SE HÁ O CORRUPTO, É PORQUE HÁ O CORRUPTOR. DE NOVO, GANÂNCIA COM GANÂNCIA.
1 de maio de 2012 às 00:18

Ricardo Bing Reis NÃO TENDO SIDO INVESTIDO EM SAÚDE, EDUCAÇÃO, ENSINO E INDUSTRIALIZAÇÃO SUSUTENTÁVEL; QUANDO ESTE MEGA-CAPITAL MIGRAR PARA UM MERCADO MELHOR, COMO FICA?
1 de maio de 2012 às 00:19

Ricardo Bing Reis O POVO DAQUELE PAÍS, RECEPTOR DESTES FLUXOS, PELA CIRCULAÇÃO DE 'DINHEIRO FÁCIL POR MERCADO SUPER-AQUECIDO PELOS EMPRÉSTIMOS FACILITADOS E NÃO-CRITERIOSOS', PODE TORNAR-SE MERO 'PRESTADOR DE SERVIÇOS'; SEM A PRODUÇÃO DE RIQUEZA ENDÓGENA, QUE SERIA INDUSTRIAL, DE ONDE SE OBTÉM O CAPITAL PRÓPRIO DAQUELE PAÍS; PARA NÃO TER SURPRESAS E 'SER PEGO DE CALÇAS CURTAS'. CASO CONTRÁRIO, FICARÁ DEPENDENTE APENAS DO RENDIMENTO DO SETOR PRIMÁRIO; O QUE PARECE NO MÍNIMO TEMERÁRIO.
1 de maio de 2012 às 00:25 ·

ECONOMIA MUNDIAL CONT.

Ricardo Bing Reis ASSIM, HAVERIA DE SE CONTROLAR A ENTRADA DESTES FLUXOS, ATÉ PARA QUE NÃO SE PERCA A AUTONOMIA NECESSÁRIA DE HONRAR OS DEVERES PARA COM A SAÚDE E PREVIDÊNCIA; ALÉM DE FAZER O MAIOR E MELHOR INVESTIMENTO DE TODOS: A EDUCAÇÃO.
1 de maio de 2012 às 00:28

Ricardo Bing Reis OUVI AINDA HOJE, NA MESMA RÁDIO, QUE A ECONOMIA É COMO COBERTOR CURTO: 'PUXA DAQUI, FALTA ALI; CORRIGE AQUI, ESTRAGA ALI(!)'... E TUDO ISTO PODE RESULTAR NA (IMPRUDENTE E PERIGOSÍSSIMA) REDUÇÃO DA COMPETITIVIDADE DAS EMPRESAS DAQUELE PAÍS.
1 de maio de 2012 às 00:34

Ricardo Bing Reis MEDIADAS DE PROTEÇÃO DO PAÍS TALVEZ DEVESSEM SER TOMADAS, PELOS SEUS 'BANCO CENTRAL', SEM QUE ISTO REPRESENTE 'PROTECIONISMO'.
1 de maio de 2012 às 00:36

Ricardo Bing Reis A IDÉIA CENTRAL, TALVEZ FOSSE INVESTIR EM ENSINO DE PONTA EM CIÊNCIAS, DESDE CEDO, NAS ESCOLAS. A FALTA DE ENGENHEIROS (DE TODAS ESPECIALIDADES) NO BRASIL, POR EXEMPLO, É MUITO GRANDE; E, OS QUE ESTÃO AÍ, NÃO BASTASSE, TEM DEFICIENTE OFERTA DE EMPREGOS REALMENTE GRATIFICANTES. A 'INDÚSTRIA' DESTE SÉCULO, ISTO SIM JÁ COM CERTEZA, É A DO CONHECIMENTO; E ESTAMOS EM GRANDE DESVANTAGEM. INCLUI SETOR DE TECNOLOGIA DA COMPUTAÇÃO, MUITO OBVIAMENTE.
1 de maio de 2012 às 00:43

Ricardo Bing Reis É TUDO FRUTO DA GANÂNCIA, POR TODOS OS LADOS, DE (QUASE) TODOS, DE (QUASE) TODOS PAÍSES. AS COISAS NO MUNDO NÃO SÃO DA FORMA QUE SÃO POR ACASO. COSTUMAMOS CULPAR OS MEGA-ESPECULADORES GANANCIOSOS, OS POLÍTICOS GANANCIOSOS, O SUB-MUNDO DA CRIMINALIDADE GANANCIOSA; MAS EVITAMOS RECONHECER QUE TUDO ISTO SÓ É POSSÍVEL POIS NÓS, AQUI DO MUNDO REAL, SOMOS, (QUASE) TODOS, GANANCIOSAMENTE RECEPTORES... ASSIM, (QUASE) TODOS NÓS, DE (QUASE) TODO MUNDO, SOMOS FARINHA DO MESMO SACO.
1 de maio de 2012 às 00:51

GANÂNCIA MUNDIAL > NÃO É SOMENTE DOS MEGA-IMVESTIDORES DOS 'FLUXOS DE CAPITAIS', MAS DE QUASE TODAS PESSOAS DO MUNDO, QUE, AVIDAMENTE, CORREM ATRÁS DESTES DINHEIROS (POR FINANCIAMENTOS, PARA TER O QUE AINDA NÃO DEVERIAM; OU ATÉ VIVER DE APARÊNCIAS). AO FIM, SE FIZERMOS UM 'MEA CULPA', CONSTATAREMOS QUE ESTES 'GRUPOS DE FLUXOS MACRO-CAPITALISTAS SELVAGENS', SE, SÃO 'ASSASSINOS ECONÔMICOS'; NÓS, AQUI DO MUNDO REAL TERRENO, SOMOS, POR OPÇÃO, 'AUTO-ASSASSINOS ECONÔMICOS', OU SEJA, 'SUICIDAS ECONÔMICOS', POIS NOS DEIXAMOS CAIR NAS ARTIMANHAS, TAMBÉM EM FUNÇÃO DO MESMO SENTIMENTO: A GANÂNCIA. ESTA, PARECE PERMEAR (QUASE) TODOS SERES HUMANOS. OS QUE OFERECEM O DINHEIRO PELO JURO; OS QUE VÃO ATRÁS DELE, A DESPEITO DO JURO. ENTÃO, NO FIM, TUDO É MONEY, MONEY, MONEY... E, NÃO CULPEMOS (SÓ) OS OUTROS PELAS NOSSAS FRAQUEZAS!

 

GANÂNCIA MUNDIAL CONT.

Ricardo Bing Reis Assim como não existe o tráfico de drogas sem o usuário; assim como não existe o corruptor sem o corrupto; assim como não existe o desmanche de carros sem os receptores; assim também, o ganancioso 'mercado econômico mega-especulador' não existe, sem a ganância de nós, 'meros componentes da sociedade civil'! Mas, como em tudo, o ser humano sempre acha uma explicação externa para suas limitações. Que até podem explicar, mas não justificar. Desta forma, o usuário de drogas pode alegar incontrolável e inevitável dependência à fissura pelos químicos que usa. Desta forma, o corrupto pode alegar que sua mãe está enferma e que o Sistema Ùnico de Saúde não dá conta das necessidades dela. Desta forma, o proprietário de carro, pode alegar que o preço cobrado por peças nas concessionárias é impraticável. Desta forma, o ganancioso que financia bens (ou seriam males?) desregradamente, pode alegar que a vida é uma só, ela está passando rápido e ele precisa aproveitar (e, com bens materiais!)...
29 de outubro de 2012 às 16:23 ·

Ricardo Bing Reis A Sociedade, por explicação e/ou justificativa de seus atos e consequentes dificuldades, pode sim, de uma forma ou de outra, 'culpar' o 'mercano econômico mega-especulativo' por suas mazelas, até porque, muitas vezes, pode ser mesmo esta mega-economia, um dos geradores de pobreza, ou ainda menos recursos para um povo e/ou nação. Assim, justificaria-se, por este último lado, providências preventivas contra possíveis artimanhas da 'mega-economia'. Como fazer?
29 de outubro de 2012 às 16:28

 

GANÂNCIA MUNDIAL CONT.

Ricardo Bing Reis Aqui cabe, para aqueles que vêem as Redes Sociais como fúteis bobagens, um exemplo de uma extraordinária utilidade destas Redes Sociais pela Sociedade, em prol da defesa de seus interesses contra eventuais abusos governamentais e/ou do 'mercado econômico de mega-fluxos de capitais especulativos'. Pode, a sociedade por ação dos internautas, organizar-se para protestar contra governos abusivos ditatoriais, como a Primavera Árabe, ou abusos econômicos; conforme a seguir, pela 'Revista Veja' de fevereiro de 2012.
29 de outubro de 2012 às 16:37

Ricardo Bing Reis 'Revista Veja' (de fevereiro de 2012) > "O movimento auto-organizado e apartidário, no melhor estilo de política 'faça-você-mesmo' via Redes Sociais, se replicou na Grécia e chegou aos EUA, com o 'Occupy Wall Street'. A manifestação contra o poder excessivo dos BANCOS e das GRANDES CORPORAÇÕES, se iniciou com um pequeno grupo tomando uma praça no coração financeiro de Nova York, e se espalhou por cerca de 1.500 cidades mundo afora".
29 de outubro de 2012 às 16:43 ·

 

 

 

 

CONTENTAMENTO > PROVAVELMENTE A MELHOR CONDUTA PARA ATENUAR O 'ETERNO DESCONTENTAMENTO INATO DO SER HUMANO', É O 'TEMPO LIVRE' PARA SER APLICADO EM 'ÓCIO CRIATIVO'; OU SEJA, EM 'MOMENTOS DE PRAZER / ALEGRIA'; O QUE, SE NÃO CHEGA A TRAZER A FELICIDADE, AO MENOS DIMINUI SIGNIFICATIVAMENTE A INFELICIDADE. E, PARA TER ESTE 'TEMPO LIVRE' (E SER BEM MENOS INFELIZES), 'HÁ DE SE DESEJAR MENOS'. RATIFICANDO: 'HÁ DE SE DESEJAR MENOS'. MENOS 'QUERERES'!...

Ricardo Bing Reis HÁ DE APRENDER-SE A CONTROLAR A GANÂNCIA E AVAREZA. APRENDER A 'DEIXAR DE GANHAR DINHEIRO'. NÃO CONFUNDIR COM 'PERDER DINHEIRO' (ONDE SE DESPERDIÇA O JÁ CONQUISTADO). 'DEIXAR DE GANHAR DINHEIRO' É SABER A HORA DE PARAR DE TRABALHAR, PARA OBTER O 'TEMPO LIVRE', VISANDO O 'ÓCIO CRIATIVO', QUE SÃO SEUS MOMENTOS DE PRAZER E CONTENTAMENTO. APESAR DISTO ATÉ 'CUSTAR' UMA DIMINUIÇÃO DO SEU FATURAMENTO; JÁ QUE, O 'ÚLTIMO TERNO NÃO TEM BOLSO'.
25 de abril de 2012 às 22:28

ACRESCENTARIA ' AUMENTAR O TEMPO LIVRE PARA FAZER O QUE GOSTA'. TALVEZ ISTO ESTEJA INPLÍCITO EM 2 PASSAGENS: 1- ...'DIMINUIR AS EXPECTATIVAS' POIS INCLUIRIA A FACETA DAS EXIGÊNCIAS FINANCEIRAS PROFISSIONAIS; 2 .'ENTENDER QUE O IMPORTANTE É 'SER' E NÃO 'TER' ACHO IMPORTANTE AMBOS, TER E SER. APENAS ACHO QUE O 'TER' NÃO PODE INVADIR A ÁREA DO 'SER'. E, ESTE, INCLUI O 'TEMPO LIVRE PARA O ÓCIO CRIATIVO'. PORTANTO, SABER PARAR DE TRABALHAR E PARAR DE FICAR NA BUSCA DESENFREADA DO DINHEIRO.

Ricardo Bing Reis Tudo conspira contra diminuirmos nossas expecativas. Desde a mídia, até o tsunami do senso comum; até porque este também é o reflexo da mídia. Assim, após 'con-vencer' a si mesmo do que parece ser melhor, há de se ter bem estabelecido dentro de você que seu pensamento será comungado por muito poucas pessoas. E que, talvez, o melhor até seja nem falar; pois, total, ninguém tem nada a ver com o que se passa da sua calota craniana para dentro.
15 de abril de 2012 às 01:51

DESENVOLVIDOS > AO FINAL, QUEM DIRIA, QUEM 'DANÇOU' FORAM OS QUE, ATÉ FINAL DO SÉCULO XX, SE CHAMAVA DE PRIMEIRO MUNDO. DESCONFIO QUE, ESTA CRISE DESDE 2008, TEM RAÍZ NA GANÂNCIA DAS PESSOAS. ESPERO QUE FIQUE O APRENDIZADO DA CAUTELA NO CONSUMO. POR OUTRO LADO, NÃO É DIFÍCIL IMAGINAR QUE A RECUPERAÇÃO, MAIS CEDO OU MAIS TARDE, SERÁ TOTAL, JÁ QUE O NÍVEL DE ENSINO, CULTURAL E DE EDUCAÇÃO É BOM OU MUITO BOM. TEMO MESMO POR AQUELES QUE JULGAM ESTAR O 'BRICS' EM 'EFEITO LOCOMOTIVA'. E, SE A ECONOMIA ESTIVER GIRANDO EM TORNO DE MERAS PRESTAÇÕES DE SERVIÇOS, EM CIMA DOS 'FLUXOS DE CAPITAIS ESPECULATIVOS'? SAINDO ESTE DINHEIRO, COMO FICAREMOS, SE SOMOS O QUINQUAGÉSIMO QUARTO COLOCADO NO RANKING MUNDIAL DE ENSINO E, PIOR, OCTAGÉSIMO SEXTO NO ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO (IDH)? QUEM DANÇAR POR ÚLTIMO, NÃO PODERÁ DANÇAR PIOR?

TEMPO LIVRE > TENDE A NÃO SER MUITO COMPATÍVEL COM EMPILHAR DINHEIRO. SE 'TIME IS MONEY'; ENTÃO, 'MONEY TAKES TIME'. MAS, PENSO EU QUE, QUEM SÓ PENSA EM DINHEIRO POR TRABALHO 'WORKAHOLIC', É ESCRAVO DE SI MESMO. TALVEZ, POR SER TÃO SEM CRIATIVIDADE QUE NÃO TEM COMO OCUPAR-SE PRAZEROSAMENTE EM SUA VIDA. E, RECORRE AO TRABALHO OBSESSIVO. TAMBÉM PODERIA SER MERA FISSURA PELO DINHEIRO E SUA SENSAÇÃO DE PODER. OU ACÚMULO DESTES 'CRÉDITOS ANTI-MORTE' PARA ATENUAR SUAS FOBIAS. NO ENTANTO, O 'ÚLTIMO PALETÓ NÃO TEM BOLSO'. E, O QUE MAIS PRECISAMOS, É DE SUFICIENTE TEMPO LIVRE. PARA OBTÊ-LO, TALVEZ TENHAMOS QUE APRENDER A DEIXAR DE GANHAR DINHEIRO (MUITO DIFERENTE DE PERDER DINHEIRO, QUE SERIA 'BOTAR FORA' AQUELE JÁ CONQUISTADO). QUERER EMPILHÁ-LO, COMO DIZ A LETRA, ... 'GONNA TAKE TIME, A WHOLE LOT OF PRECIOUS TIME'... E, ESTE TEMPO PRECIOSO TOMADO EM BUSCA DA FORTUNA, É TEMPO TIRADO DO ÓCIO CRIATIVO; QUE PODE, POR EXEMPLO, SER CANALIZADO PARA ... 'I GOT MY MIND SET ON YOU'...

'COMPRAS E CONVERSAS' SERIAM O 'ÓPIO' DAS MULHERES? NÃO SABERIA DIZER. NESTA REPORTAGEM, SUGERE-SE 5 POSSIBILIDADES. A TERCEIRA, 'CARTÃO DE CRÉDITO' FARIA PARTE DO CAMPO SEMÂNTICO DE 'COMPRAS'. A QUARTA (AMIGAS) E A QUINTA (CELULAR), FARIAM PARTE DO CAMPO SEMÂNTICO DE 'CONVERSAR'. DE TUDO, DESTACARIA 'CONVERSAR', POIS O EFEITO DE CATARSE É ANSIOLÍTICO E MUITO SAUDÁVEL. À INTERIORIZAR-SE AS ANSIEDADES POR PSICOSSOMATIZAÇÕES, EXTERIORIZARIA-SE ELAS PELOS DIÁLOGOS DE EFEITOS PSICOTERÁPICOS. MAS SÃO APENAS CONJECTURAS.

FASCÍNIO POR CARROS > ACHO NORMAL. NEM POR ISTO VOU SAIR POR AÍ FAZENDO MEGA-PARCELAS DE FINANCIAMENTO PARA COMPRAR UM FORA-DE-SÉRIE. ISTO, AINDA SE POSSÍVEL, ME OBRIGAR A AUMENTAR MINHAS HORAS DE TRABALHO, EM DETRIMENTO DE MINHAS 'SAGRADAS' HORAS LIVRES PARA UM 'ÓCIO CRIATIVO' (PARA MIM, EFETIVO ATENUANTE DO 'ETERNO DESCONTENTAMENTO INATO DE TODOS SERES HUMANOS'). AGORA, SE VOCÊ FOI/É UM BATERISTA PINKFLOYDEANO, MANDA VER!...

FASCÍNIO POR CARROS CONT.

Ricardo Bing Reis O MESMO SERVIRIA PARA 'VESTIMENTAS DE ALTA-COSTURA', CASAS, APARTAMENTOS, ETC. ENFIM, A VIDA DE 'BÁRBIE & POLLY'.
1 de abril de 2012 às 02:05 ·

Ricardo Bing Reis ÓCIO CRIATIVO > Coleção de carros. Se muito rico, tudo bem. Mas, neste caso, não seria má idéia também fazer doações mais generosas para 'Médicos Sem Fronteiras' > www.msf.com
MSF.COM
www.msf.com
If you received SPAM that contains a return address that appears to be @msf.com, please read the SPAM policy located here.
16 de junho de 2012 às 17:29 ·

OBSERVE SE A 'FÓRMULA' USADA NESTE VÍDEO DE MAIS OU MENOS 1984, É APROXIMADAMENTE A MESMA DESTE LANÇAMENTO ABAIXO. MAS CONFESSO QUE GOSTO MUITO DO RITMO INSTRUMENTAL DESTA MÚSICA; E, A LETRA, É A 'VIDINHA COMO ELA É'...

SEI DE MUITAS PESSOAS QUE SÃO MESTRES EM DESTRUIR A CRIATIVIDADE DOS OUTROS; E, INFERNIZAR AS VIDAS DE SUBALTERNOS, COM IDÉIAS BURRAS. PRINCIPALMENTE EM SERVIÇOS PÚBLICOS, ONDE TAL 'CHEFE' CAI DE 'PÁRA-QUEDAS' POR INDICAÇÕES MERAMENTE POLÍTICAS. E VOCÊ, QUE FEZ FACULDADE E PÓS NAQUELE ASSUNTO, VÊ-SE OBRIGADO A CUMPRIR ORDENS ATORLEIMADAS DE UM INCOPETENTE. POR ISTO, INSISTO: SEJA EMPREENDEDOR, PARA NÃO PRECISAR PASSAR POR ESTAS CIRCUNSTÂNCIAS..

ESTRESSE LABORAL > REDUÇÕES DE HORAS DE TRABALHO DENTRO DAS EMPRESAS ESTÁ DENTRE AS SUGESTÕES.

Ricardo Bing Reis Trabalhadores em geral estão reivindicando, no Brasil, redução de 8:45hs para 8:00hs diárias de trabalho. Enfermeiros, 6:00hs. Na Alemanha, boa parte do comércio já fecha por volta das 16 horas. No hospital em que trabalhei também na Alemanha, iniciávamos às 7:45hs e às 15:00 terminavam os afazeres daquele dia (iniciando-se assim cedo do dia, o regime de plantão hospitalar). Tudo isto porque já percebeu-se que há de se ter 'maior tempo livre para o ócio criativo (que nada tem a ver com tédio)'. Trabalhar é bom e importante, mas com limites. Tanto não é bom se em forma de sobrecarga de metas e/ou períodos prolongados, que, se fosse, não existiriam as 'Happy Hour'. Se o dia foi 'happy', por que mais 1h adicional?
20 de julho às 17:48 ·

CONSUMISMO: A MÍDIA BOMBARDEIA AS PESSOAS DE TAL FORMA, QUE NINGUÉM SE ESCAPA; DIRETA OU INDIRETAMENTE. POR MAIS QUE PROCURES TE PROTEGER. CONSOMEM CRIANÇAS, CONSOMEM ADOLESCENTES, CONSOMEM COROAS, CONSOMEM IDOSOS. NÃO É UMA 'LAVAGEM CEREBRAL', MAS UM 'ENCARDIMENTO CEREBRAL'. A RIGOR, PARADOXALMENTE À TERMINOLOGIA CORRENTE, A 'LAVAGEM CEREBRAL' SERIA TENTAR LIBERTAR NOSSOS CÉREBROS DESTA ESCRAVIDÃO PSICO-MENTAL. E, VOCÊ JÁ TENTOU LIMPAR CAMISAS ENCARDIDAS? DAÍ A DIFICULDADE DE REPROGRAMARMOS NOSSOS CÉREBROS. PARA DESPROGRAMAR, TUDO COLABORA, DESDE A MAIS TENRA IDADE, PELA TELEVISÃO E MULTI-MÍDIA. PARA DESARMAR, HÁ DE RECORRER QUASE QUE SÓ A SI MESMO, OBRIGANDO-LHE, INCLUSIVE, A DEFENDER-SE DO 'SENSO COMUM', QUE VEM CONTRA TI COMO UM TSUNAMI, POR ESTARES NA 'CONTRA-MÃO'. SEM QUE ISTO SIGNIFIQUE SER SOVINICE OU AVAREZA. E, O MAIS GRAVE DE TUDO, É O CONSUMISMO DAS CRIANÇAS. COMO ORIENTÁ-LAS, FRENTE AOS BOMBARDEIOS? DE NOVO: ELAS APRENDEM AQUILO QUE VIVENCIAM!

Ricardo Bing Reis INCLUI CRIANÇAS.
25 de março de 2012 às 00:19

 

___________________________________________

 

·

ISTO É GRAVÍSSIMO. MUITO CUIDADO EM SEUS NEGÓCIOS. PESSOAS EXCESSIVAMENTE ARROJADAS, ASSIM COMO PODEM VINGAR POR SUA AUDÁCIA, PODEM SE DAR MAL. COMO JÁ DISSE, HOJE VALORIZO FRASES FEITAS. E, AQUI, CABE: 'QUEM TUDO QUER, TUDO PERDE'. TAMBÉM, NÃO FICAR COM SUFICIENTES RESERVAS PARA UMA EVENTUALIDADE, TAL DOENÇA GRAVE, PODE RESULTAR NO MESMO. O DESCONTROLE EMOCIONAL COM GASTOS EXORBITANTES, DE FORMA MEGALOMANÍACA, NEM SE FALA. JÁ OS EMPREGADOS, PRECISAM CONSIDERAR A POSSIBILIDADE DE DESEMPREGO. JÁ O EMPREENDEDOR, PODE COMPROMETER O 'FLUXO DE CAPITAL' DE SUA EMPRESA E 'MATAR A VACA DE ONDE PROVINHA O LEITE'. E AS SEPARAÇÕES ENTÃO(?!). E, COMPRAR NA EMPOLGAÇÃO/PAIXÃO, 'DANDO UM PASSO MAIOR QUE AS PERNAS', IMPLICA MUITAS VEZES EM TER QUE VENDER ÀS PRESSAS, ABAIXO DO PREÇO DE MERCADO, OU ATÉ, DEVOLVER O IMÓVEL PARA A FINANCEIRA. PASME, ÀS VEZES O COMPROMETIMENTO DA RENDA É TAL QUE, NEM SOBRA PARA PAGAR O CONDOMÍNIO; INDO À LEILÃO. CONSIDERE, POR ÚLTIMO, QUE POUCOS CASAMENTOS RESISTEM A UMA GRAVE CRISE FINANCEIRA (ALGUÉM PODE CULPAR ALGUÉM). PENSE EM SUA FAMÍLIA, ANTES DE COMPRAR IMÓVEL. 'QUEM CASA QUER CASA, E PODE DESCASAR POR ISTO'.

 

 

___________________________________________

INTERESSANTE. CHEGA A SER RISÍVEL.

Ricardo Bing Reis CONHEÇO PESSOAS MUITO RICAS, COM VIDAS CAÓTICAS, POR FALTA DE EQUILÍBRIO EMOCIONAL. SÃO BONS PARA NEGÓCIOS, MAS DIAGRAMALMENTE INCOMPETENTES PARA A VIDA DE RELECIONAMENTOS AFETIVOS DE TODA ORDEM. EMBORA POSSAM, PROFISSIONALMENTE, RELACIONAR-SE BEM.
18 de março de 2012 às 00:48

DINHEIRO É MUITO, MUITO, MUITO BOM. SOMENTE UM DOIDO PARA NÃO GOSTAR. OU UM ZEN, PARA O QUÊ NÃO TENHO VOCAÇÃO. NO ENTANTO, ACHO QUE TRABALHAR JÁ NÃO É LÁ TÃO BOM ASSIM. ENTÃO, PELO MENOS PARA MIM, TENHO QUE MANTER UMA PROPORÇÃO ENTRE O QUE TOLERO TRABALHAR E O MÍNIMO QUE TOLERO RENDER. E FICO POR ALI. PARA MIM, MELHOR AINDA QUE DINHEIRO, É TEMPO LIVRE PARA FAZER AS COISAS QUE EU GOSTO. NÃO RECOMENDO A NINGUÉM 'PERDER DINHEIRO', POIS ISTO É ABSURDO, MAS RECOMENDO QUE SE APRENDA A 'DEIXAR DE GANHAR DINHEIRO'. PODE PARECER SER A MESMA COISA, MAS SÃO COISAS MUITO DISTINTAS. VOCÊ SOMENTE PERDE O QUE JÁ TEM. É O TAL 'BOTAR DINHEIRO FORA', POR GASTANÇAS PERDULÁRIAS E/OU NEGÓCIOS MAL PENSADOS. JÁ PASSEI POR ISTO E, GARANTO, É BEM RUIM. NÃO RECOMENDO. MAS, DEIXAR DE GANHAR DINHEIRO É CONSEGUIR, BEM ANTES DE CHEGAR AO LIMITE DE SUA TOLERÃNCIA LABORAL, FECHAR AS PORTAS E IR FAZER AS COISAS QUE LHE TRAZEM PRAZER, MESMO QUE TIVESSE OPORTUNIDADE DE AUMENTAR O RENDIMENTO NAQUELE DIA. NÃO SE ESQUEÇA QUE, ÀS VEZES, NÃO ESTAMOS DEPRIMIDOS, MAS COM FALTA DE PRAZER. NUNCA ESQUECENDO TAMBÉM, QUE FAMÍLIA REQUER TEMPO DOS PAIS. ASSIM, DIRIA QUE DINHEIRO É EXCELENTE, DESDE QUE O TRABALHO PARA OBTÊ-LO NÃO INVADA O TEMPO QUE DEVERIA SER LIVRE PARA SEUS PRAZERES. CASO CONTRÁRIO, NÃO SERIA ELE CONTRA PRODUCENTE E VEÍCULO, JUSTO ELE, DA INFELICIDADE? SE, DE FATO TEMOS UM INATO DESCONTENTAMENTO CRÔNICO, NÃO SERIA IMPERATIVO APLACÁ-LO SUFICIENTEMENTE COM ÓCIO CRIATIVO? OU ESPORTE? OU NADISMO (PARA QUEM APRECIA)? JÁ O 'WORKAHOLISMO' É, PARA MIM, O CAMINHO MAIS RETO PARA A INFELICIDADE, POR MAIS RICO QUE FIQUE EM FUNÇÃO DISTO. O ÚLTIMO PALETÓ NÃO TEM BOLSO. SUGERIRIA PONDERAÇÃO ENTRE O QUE VOCÊ JULGA NECESSÁRIO E SUFICIENTE, COM PRAZERES. A NÃO SER QUE DINHEIRO SEJA TUDO PARA VOCÊ. CASO SIM, DANCE: 'MONEY, THAT'S WHAT I WANT'.

Ricardo Bing Reis SE EU FÔSSE PSIQUIATRA ESPECIALIZADO EM CONFLITOS MUSICAIS, DIRIA QUE OS 'BEATLES' SOFREM DE UMA BIPOLARIDADE TEMÁTICA: SE, UM DIA CANTAM 'MONEY (THAT'S WHAT I WANT); EM OUTRO, CANTAM 'ALL YOU NEED IS LOVE'. É AQUELA TAL PONDERAÇÃO QUE MENCIONEI, E QUE ESTARIA FALTANDO NOS 4EVER DE LIVERPOOL.
15 de março de 2012 às 01:48 ·

ALGUNS MOTORISTAS DIRIGEM DE FORMA IGUAL, HAJA CHUVA OU SOL. E SÃO 2 CIRCUNSTÂNCIAS COMPLETAMENTE DIFERENTES. COM 2 CM DE ÁGUA SOBRE A PISTA, NADA RARO JÁ EM CHUVAS MODERADAS, SEUS PNEUS ESTARÃO SOB RISCO DE SURFAREM A QUALQUER MOMENTO. O PNEU DE CHUVA DIMINUI A POSSIBILIDADE, MAS NEM TANTO, NÃO SE ILUDA. AINDA MAIS IMPORTANTE DO QUE DECORAR ALGUNS SINAIS DE TRÂNSITO; UMA DISSERTAÇÃO SOBRE AQUAPLANAGEM DEVERIA SER OBRIGATÓRIA EM TODOS OS TESTES PARA CARTEIRA DE MOTORISTA. E, ATÉ A UMIDADE DE UMA GAROA JÁ AUMENTA DEMAIS O RISCO DE DERRAPAGEM. MAS MUITOS NÃO TEM PACIÊNCIA PARA NADA E, PIOR, PODEM NOS LEVAR JUNTO NA COLISÃO RESULTANTE. TAMBÉM JÁ ME PASSOU PELA CABEÇA QUE NÃO SEJA IMPACIÊNCIA, OU SOMENTE, MAS BURRICE MESMO.

Ricardo Bing Reis ACABO DE CHEGAR DA ESTRADA. COMO DISSE UMA AMIGA QUE CONSULTOU COMIGO HÁ 15 ANOS ATRÁS, 'CHOVIA CÂNTAROS'. DEVE TER APRENDIDO ESTA EXPRESSÃO COM A BISAVÓ. FUI ULTRAPASSADO POR TODO MUNDO COMO SE ESTIVESSE PARADO, À 80, PELO VOLUME DE CHUVA. MAS ULTRAPASSEI UM CARRO, QUE ESTAVA NO RECUO ESPERANDO A CHUVA DIMINUIR.
14 de março de 2012 às 18:14 ·

 

MUITOS, PARECEM SOMENTE VER CIFRÕES (R$) PELA FRENTE. NÃO PODEM DIVIDIR NADA DE SEU TEMPO NEM COM PESSOAS AFLITAS, DESESPERADAS POR 1O MINUTOS DE ATENÇÃO, CARINHO, APEGO, APERTO DA MÃO. UM DIA, ESTES EGOÍSTAS GANANCIOSOS, PODERÃO ESTAR NESTE LUGAR. E, ACREDITEM, ACHO QUE MERECEM PASSAR POR ISTO, PARA FINALMENTE PERCEBEREM OS MONSTROS QUE FORAM.

Ricardo Bing Reis ROTULAR O SOFRIMENTO DE PAIS QUE PERDERAM UM FILHO, COMO 'DOENÇA DEPRESSIVA', PELO SIMPLES FATO DE TER ULTRAPASSADO 14 DIAS DE EVOLUÇÃO É, PARA MIM, R-E-V-O-L-T-A-N-T-E. EU, PARTICULARMENTE, EM CONTRA PARTIDA, FECHARIA MEU DIAGNÓSTICO PARA TAL MÉDICO(?): PRIMEIRO, NÃO É UM MÉDICO DE FATO/NA PRÁTICA (EMBORA POSSA SER DE DIREITO/DIPLOMADO); SEGUNDO: MALUCO. OU SERÁ QUE ISTO SERIA UMA 'TRAQUINAGEM' DA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA, QUE VISARIA VENDER AINDA MAIS REMÉDIOS? NÃO ACREDITO QUE POSSA SER TAMANHA A GANÂNCIA !!! OU AINDA, ATÉ 'DOPAR' OS PAIS, PARA PROPORCIONAR À ELES, MÉDICOS(?), MENOS ESTRESSE EMOCIONAL NA HORA DE MANEJAR ESTES PAIS. MAS NÃO POSSO ACREDITAR AINDA MAIS NISTO !!! SE ASSIM FOSSE, FARIA, AQUI TAMBÉM, SENTIDO O QUE ESCREVI LÁ EM CIMA. MAS RESSALVO: NÃO TENHO NENHUM COLEGA MÉDICO CONHECIDO MEU QUE ACEITARÁ ROTULAR 'LUTO' NORMAL POR PATOLÓGICO. E, AINDA VOU MAIS ALÉM. TODO LUTO DE PAI POR PERDA DE FILHO É E-T-E-R-N-O. CLARO QUE, EM ALGUMAS CIRCUNSTÂNCIAS, AGREGAM-SE ELEMENTOS QUE, AGORA SIM, JUSTIFIQUEM UM NEUTRO E ADEQUADO DIAGNÓSTICO DE 'LUTO PATOLÓGICO', OU 'DOENÇA DE LUTO DEPRESSIVO', COMO QUEIRAM. SEMPRE LEMBRANDO QUE ESTE, PODE SER MERA EXACERBAÇÃO DE DOENÇA PRÉ-EXISTENTE OU QUE ESTAVA LATENTE, OCULTA ATÉ ENTÃO. SOMENTE UM PROFISSIONAL DA ÁREA PODE FAZER ESTE DIAGNÓSTICO.
13 de março de 2012 às 21:10 ·

Ricardo Bing Reis O COMENTÁRIO LÁ DE CIMA, É COM REFERÊNCIA AO ADULTO EM TERMINALIDADE, PARA OS QUAIS MUITOS PROFISSIONAIS, ÁS VEZES, SÃO INTOLERANTES. ESTES SIM, MERECERIAM PASSAR PARA ESTA SITUAÇÃO TERMINAL SEM APOIO HUMANO. DE MANEIRA ALGUMA ME REFERI 'À PERDA DOS FILHOS'; POIS AS CRIANÇAS, INOCENTES, NÃO TEM PARTICIPAÇÃO NESTAS DESUMANIDADES.
13 de março de 2012 às 21:13 ·

Ricardo Bing Reis TAMBÉM LEIAM OS INTERESSANTES COMENTÁRIOS DOS INTERNAUTAS, SOBRE O ASSUNTO, NO LINK.
13 de março de 2012 às 21:13 ·

COMPORTAMENTO HUMANO E A ECONOMIA > SE, CORRETA FOR A MINHA CONJECTURA DE O DINHEIRO SIGNIFICAR 'CRÉDITOS ANTI-MORTE'; NADA MAIS FÁCIL QUE IMAGINAR SER ELE, O DINHEIRO, O APARENTE OBJETO DE DESEJO PRINCIPAL DA MAIORIA DAS PESSOAS. DIGO 'APARENTE', POIS CHEGAM A SE OFUSCAR DO REAL PANO DE FUNDO: O APEGO/AFETO (REAL ATENUADOR SIGNIFICATIVO DO MEDO). ASSIM, (QUASE) TODO MUNDO, INADVERTIDAMENTE, CORRE ATRÁS DE MUITO DINHEIRO. E ISTO TEM UM LADO POSITIVO, POIS 'GIRA A ECONOMIA'. MAS, HÁ DE SE RESSALTAR QUE, UMA VEZ TENDO VOCÊ CONQUISTADO SEU DINHEIRO, AS EMPRESAS DE PRODUÇÃO E PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS, DESEJARÃO OBTER DE VOCÊ, SEUS 'CRÉDITOS ANTI-MORTE'; PARA QUE ELAS SOBREVIVAM, A DESPEITO DE SEU DESAMPARO. ENTÃO, INVOCAM SEU 'PONTO FRACO': O DESCONTENTAMENTO DO SER HUMANO'. QUE JULGO SER CRÔNICO E ETERNO; TODOS OS DIAS E O DIA TODO. DO NASCIMENTO À MORTE. ATÉ QUANDO CONTENTE (O QUE PODERIA SER INTERPRETADO COMO CIRCUNSTÂNCIA DE ATENUAÇÃO DO DESCONTENTAMENTO). ENTÃO, A PUBLICIDAE, A PROPAGANDA, VEICULADO PELA MULTI-MÍDIA, COMEÇA UM VERDADEIRO BOMBARDEIO DE OFERTAS DE MEIOS ANTI-DESCONTENTAMENTO. 'ESTE IMÓVEL É TUDO QUE VOCÊ SEMPRE SONHOU! ENCONTRE NELE SUA FELICIDADE!' IGUAL PARA CARROS, VIAGENS, PERFUMES, SAPATOS E MICRO-PROCESSADORES. E LÁ VAI O DINHEIRO, E O DESCONTENTAMENTO VOLTA JÁ NO AMANHECER SEGUINTE. EM SUCESSIVAS E INFINDÁVEIS TENTATIVAS DE FINALMENTE ATINGIR O NIRVANA. MAS QUE NUNCA VEM E QUE NUNCA VIRÁ; POIS O DESCONTENTAMENTO ESTÁ INCRUSTRADO EM SEUS NEURÔNIOS. É A FORÇA MOTRIZ PARA A MANUTENÇÃO DAS ESPÉCIES, POR ESTIMULAR CADA ELEMENTO ISOLADO A SOMAR À SI E, ASSIM, AO GRUPO. CASO ISTO SE COMPROVE, ESTARÍAMOS ENTENDENDO PORQUE A NATUREZA HUMANA SERIA O LEME DE TODOS OS COMPORTAMENTOS DAS PESSOAS; OBJETO DE ESTUDO DA PSICANÁLISE E FILOSOFIA. POR LINHAS RETAS, PORÉM INCRIVELMENTE NÃO ÓBVIAS, SERIA IGUALMENTE O LEME DA ECONOMIA E AS VARIADAS FORMAS DE SE RELACIONAR COM O DINHEIRO: GANÂNCIA, AVAREZA, GASTANÇAS PERDULÁRIAS, DESPREENDIMENTO EXCESSIVO, PONDERAÇÃO, ETC. E, NÃO ESQUECENDO, O 'WORKAHOLICISMO' QUASE GENERALIZADO DE HOJE, PARA QUITAR SEUS CARTÕES DE CRÉDITO, BOLETOS BANCÁRIOS E DÉBITOS EM CONTA; QUE SÓ FAZEM AUMENTAR AINDA MAIS O DESCONTENTAMENTO. NUM CÍRCULO VICIOSO.

 

COISAS DA VIDA > APÓS MUITO TRABALHO E ESTRESSE, VOCÊ, MERECIDAMENTE, SE AUTO-PRESENTEIA E INVESTE NUMA VIAGEM PARA UM LUGAR PARADISÍACO; ONDE SOMENTE CHOVE 7 DIAS POR ANO. E VOCÊ PEGA 1 SEMANA DE CHUVA...

VALORIZE SEU DINHEIRO > O COMPORTAMENTO 'EASY COMES, EASY GOES' É TUDO O QUE O 'OS FLUXOS DE CAPITAIS ESPECULATIVOS' QUEREM DE VOCÊ. PROCURE TOLERAR DA MELJOR FORMA POSSÍVEL A FONTE DE SEU DINHEIRO; SEU TRABALHO. NÃO SE ABORREÇA SE OUTREM FATURA MAIS, POR MENOS TRABALHO. 'CADA MACACO NO SEU GALHO'!

RELAÇÕES TRIANGULARES > AS RELAÇÕES TRIPARTITES SÃO DE GRANDE COMPLEXIDADE EM SENSAÇÕES. O TRIÂNGULO FORMADO POR 2 PESSOAS NA BASE, QUE DISPUTAM UMA TERCEIRA PESSOA (REAL OU IMAGINÁRIA) DO ÁPICE, CARACTERIZARIA O CIÚME. O TRIÂNGULO FORMADO POR 2 PESSOAS NA BASE, QUE DISPUTAM UMA COISA QUALQUER (REAL OU IMAGINÁRIA) DO ÁPICE, CARACTERIZARIA A INVEJA. MUITAS VEZES ESTES TERMOS SÃO USADOS ALEATORIAMENTE, COMO SE FOSSEM A MESMA COISA.

 

 

 

 

HOJE, MUITAS CRIANÇAS SOMENTE FALAM EM MILHÕES. A 'GERAÇÃO DO MILHÃO' NÃO SERÁ A 'GERAÇÃO DA FRUSTRAÇÃO EXTREMA'? FALTAM LIMITES PATERNOS E REALIDADE NOS PLANOS DE VIDA. APENAS POUCOS CHEGARÃO AOS MILHÕES(CORREÇÃO MONETÁRIA À PARTE).

 

 

GANÂNCIA > ALGUÉM JÁ VIU ALGUMA GUERRA QUE NÃO FOSSE POR RIQUEZAS, DIRETAS OU INDIRETAS? RIQUEZAS À PARTE, NENHUMA 'DIFERENÇA' PARECE SER CONSISTENTE O SUFICIENTE PARA MOVER TANTAS ENERGIAS. DO MAL. ESTAS TAIS OUTRAS DIFERENÇAS ALEGÁVEIS, TENHA CERTEZA, SEMPRE SERÃO MEROS PRETEXTOS. ATÉ 'EM NOME DA DEMOCRACIA'. NÃO RIA!...

IRRITABILIDADE DESENCADERIA ENERGIA QUE, EM EXCESSO, SERIA DESCARREGADA COMO 'RAIOS' VIA NERVOS EFERENTES, VITIMANDO PARTES VARIADAS DO CORPO. SÃO ALERTAS DE QUE A 'BOMBA ESTÁ ARMADA'. VALORIZE ESTES SINAIS. TOME PROVIDÊNCIAS ANTES QUE EXPLODA/'BURN OUT'; E SUAS POSSÍVEIS CONSEQUÊNCIAS EXTREMAS, COMO DOENÇAS CÁRDIO-VASCULARES, ETC.

Certa feita li em algum lugar: "É impossível ser feliz com agenda cheia". Ainda completaria: sob pressão por metas ou auto-metas. A corrida contra o relógio desencadeia irritabilidade, ansiedade, angústia e psicossomatização. É irmã da falta de prazer, do descontentamento; motores da depressão.

Penso que, talvez, fosse de retomar a diferença antiga entre a terminologia 'Distúrbio', que tinha relação mais íntima com quadro orgânico; com 'Transorno', que tinha relação mais íntima com quadros psíquicos. Haveria-se assim, unificando tudo em torno do termo 'Transtorno', recorrido a um recurso para uma forma de classificação com menor comprometimento com o diagnóstico da origem do quadro?

DIRIGINDO NO TRÂNSITO URBANO OU NO TRÁFEGO DAS ESTRADAS... > HÁ DE SE TER 'SORTE NA VIDA' OU 'VIDA NA SORTE'?

Ricardo Bing Reis Há uns 20 anos, estava eu na estrada e por subir a serra à Caxias do Sul. Sendo à noite, a estrada estava totalmente vazia. Então, fui inventar de trocar o CD. Isto toma certo tempo e implica em imperdoável irresponsabilidade por desatenção. Quando levantei os olhos, estava a uma distância muito curta do início em 'V' de um canteiro. O choque era inevitável, apenas posicionei o carro para o dano ser o menor possível. Bati no meio fio e o carro deu um giro de 180 graus ou mais. Então, veio um camburão lotado de policiais, e eu não estava entendendo aquilo. Tive que botar as mãos sobre o carro e ser revistado. Depois me identifiquei com documentos e me disseram que era conduta de rotina, pois este tipo de coisa só ocorre com bandidos afoitos. Então entendi! É que o canteiro era do Posto da Polícia Rodoviária Federal, que fica ao pé do morro!...
22 de agosto de 2013 às 13:41 ·

Ricardo Bing Reis No outro dia de manhã, meu tio, cedo, como de rotina, estava ouvindo rádio AM; e, fizeram o tradicional contato com as ocorrências policiais da noite. Foi dito no programa que a noite fora muito calma, exceto por um motorista, Ricardo Bing Reis, que adentrou o canteiro da Polícia Federal, e quase capotou. Mico!
22 de agosto de 2013 às 13:44 ·

DIRIGINDO NO TRÂNSITO URBANO CONT

Ricardo Bing Reis Inexplicavelmente, o carro, aparentemente, nada sofrera, exceto arranhões. Fui liberado e segui viagem. Então, já na madrugada, à época muito destemido, resolvi voltar em meio às trevas da serra. Foi aí que bateu o desespero no destemido. A luz do farol começou a ficar lenta mas progressivamente mais fraca. Foi então que percebi que o 'alternador' havia sido atingido. Até que a luz praticamente se foi e fiquei no breu absoluto dos morros. Sentei-me na mureta da estrada torcendo para não descer nenhuma carreta que jogaria o carro no vale. Além do risco ao motorista do caminhão. Então arrisquei explorar o resquício de luz lunar e consegui fazer a próxima curva, quando, por abuso da sorte, avistei lá embaixo o mesmo Posto da Polícia cujo canteiro subira. Tendo esta referência, cheguei ao solo. Os policiais não podiam acreditar que era eu de novo, e sem faróis ligados!
22 de agosto de 2013 às 14:38

Ricardo Bing Reis Em outra ocasião, vinha fazendo uma ultrapassagem na Estrada do Mar, e naquele dia os policiais, desconheço porque, haviam colocado mais cones na linha divisória que o usual, tal eu estava acostumado. Desta forma, quando fui tentar voltar para a pista da direita, não havia mais como, pois os cones me impediam, mantendo-me na pista da esquerda. Não vindo carro de lá para cá, atravessei o Posto da Polícia Rodoviária Federal na contramão mesmo. Os policiais riam tanto, que nem me pararam e nem me multaram.
22 de agosto de 2013 às 17:17

Ricardo Bing Reis O comum por aqui é resolver os buracos das ruas com um 'tapa buracos' de asfalto rudimentar. Com as chuvas, este material vagabundo sai dos buracos deixando 'crateras' pela cidade. Como a natural visibilidade já é péssima na chuva, minha roda dianteira esquerda caiu em um destes, e culminou em estrondo que mais parecia outro trovão. Por milagre, não furou o pneu, não amassou a roda e não quebrou a suspensão. Por milagre. Também pode causar desvios de rota indesejados, com acidentes graves.
26 de agosto de 2013 às 11:13 ·

Ricardo Bing Reis Nas estradas, não é diferente. Consertos ainda tem uma agravante. Não são feitos considerando o caimento para drenagem da água excedente da chuva, acumulando em ' pequenos lagos', onde a perigosíssima aquaplanagem (se é que se escreve assim) causa muitos acidentes com mortes.
26 de agosto de 2013 às 11:18

APOCALIPSE > "NÓS QUE OUVIMOS 'ROCK AND ROLL' SOMOS LOUCOS; ELES QUE DESTROEM O PLANETA, SÃO NORMAIS". - CAZUZA - . COM RELAÇÃO AOS ECO-CHATOS, SERIAM ELES REALMENTE CHATOS? ANTES DE RESPONDER AFIRMATIVAMENTE, ASSISTA ESTE VÍDEO SIMPLESMENTE FANTÁSTICO; ONDE TAMBÉM SÃO RETRATADAS PAISAGENS ONDE "PAÍSES INTELECTUALMENTE DESENVOLVIDOS DO G8" JÁ FIZERAM ATÉ MESMO TESTES ATÔMICOS! OU SERÁ QUE NÃO?!...

O "TIME IS MONEY" E OS SEUS EXTREMOS > O GANANCIOSO, O AVARENTO, O SOVINA, O PERDULÁRIO!... E O AMBICIOSO?... E O MODERADO?

TIME IS MONEY.

Ricardo Bing Reis O ganancioso, o avarento, o sovina e o perdulário tem algo em comum. Todos os 4 são os filhos quadrigêmeos do EGOÍSMO. Ou por outra mais especificamente, do EGOÍSMO em sua relação para com o dinheiro. Para estes, cada segundo é valiosíssimo na gana em busca de dinheiro. Money, money, money: é este um comportamento paradigmático para os dias de hoje? O dinheiro deve ser para estes, extremada fonte de prazer. Mas o trabalho exaustivo à quase o 'burn out' em busca dele, compensa? Tenho quase certeza que, para boa parte sim. Mas, para uma parte bem maior, não; embora ele, dinheirista, não perceba assim, até por não conhecer, em trocadilho, o 'outro lado da moeda'. Penso que riqueza financeira é grande virtude, principalmente se fruto de empreendedorismo gerador de empregos. O dinheirismo, para minha ótica, não é a riqueza, embora o dinheirista possa ser rico; mas o pensar constante em dinheiro. Um pensamento obsessivo, com comportamento compulsivo estereotipado, sempre voltado às cifras e ao lucro. De tal sorte então, que um pobre também pode ser um dinheirista; e, frequentemente o é.
1 de junho de 2013 às 19:11

Ricardo Bing Reis Tenho para mim, que uma das piores sensações é 'correr atrás do relógio'. Principalmente quando ele já está bem inalcançável. Por exemplo, atraso de 1 hora no atendimento dos pacientes, em relação à hora que eles marcaram; não por chegar atrasado ou lerdeza, mas porque, eventualmente, alguns casos são tão complexos que tomam o tempo de 3 ou 4 consultas convencionais; não havendo como prevê-los. Ou aparecem sem marcar, as nada raras urgências, em que o atendimento não pode ser postergado, 'apertando' a agenda. Esta ansiedade, é lesiva. Mas depende do perfil de personalidade do profissional. Não são poucos os que não se preocupam com o tempo das outras pessoas. Para aqueles profissionais em que 'time is money', pode acontecer de, voluntariamente sobrecarregarem suas agendas muito além do tolerável, dando para cada qual, escassos minutos para serem atendidos.
1 de junho de 2013 às 19:22 ·

TIME IS MONEY. CONT

Ricardo Bing Reis Vale para médicos, dentistas, veterinários, advogados, contadores, arquitetos, empresários, funcionários públicos, políticos, etc, etc. Nunca imaginei, mas vi que até padres tem agenda extensa para atendimento de fiéis em particular, atuando como orientadores comportamentais, tendo a fé, crença e esperança, como pano de fundo. E, a palavra 'esperança' é tudo em quem padece de alguma mazela.
1 de junho de 2013 às 19:27

Ricardo Bing Reis EGO > O eu do indivíduo; o eu. / EGOCÊNTRICO > Que se considera o centro das atenções. / EGOÍSTA > Pessoa que cuida exclusivamente de seus próprios interesses. Pessoa egocêntrica, individualista, autocentrada, orgulhosa, presunçosa, prepotente, soberba, jactante, arrogante, narcisista, pretensiosa, pedante. Os egoístas podem ter problemas para trabalhar em equipe, a não ser que ditem as normas. Pessoas egoístas acreditam que todos são motivados por interesses pessoais,. A dificuldade de admitir falhas provém do seu temperamento egoísta. Antidemocráticos, não diplomáticos, ditatoriais e totalitários. Onipotentes, oniscientes, onipresentes e absolutos. São mesquinhos, gananciosos, misantropos, vaidosos, apegados. "Eu ainda diria > SÃO INDIFERENTES PERANTE AO PRÒXIMO; E, ASSIM, REPRESENTANTES MÁXIMOS DA IMATURIDADE".
2 de junho de 2013 às 01:42 ·

Ricardo Bing Reis Ensimesmado > concentrado, absorto, distraído, desligado, fechado, retraído, reservado, introvertido. Estava ensimesmado e não ouviu a campainha tocar. Seu jeito ensimesmado não facilita a aproximação das pessoas. / Portanto, ensimesmado parece ter uma...Ver mais
2 de junho de 2013 às 01:51 ·

Ricardo Bing Reis "A MATURIDADE COMEÇA A SE MANIFESTAR QUANDO SENTIMOS QUE NOSSA PREOCUPAÇÃO COM OS OUTROS É MAIOR DO QUE COM NÓS MESMOS" - ALBERT EINSTEIN (1879-1955).
2 de junho de 2013 às 02:00

Ricardo Bing Reis O altruísmo seria, penso, fruto da empatia, capacidade de se colocar no lugar do outro. Generosidade, caridade, filantropia, humildade, renúncia, abnegação. É a preocupação com o outro, enquanto a palavra 'egoísmo' tem origem do latim 'ego', isto é, 'eu' (preocupação quase exclusiva com o próprio 'eu'). O altruísmo é a máxima manifestação da MATURIDADE. Pode ser exercida, por exemplo, mediante "Médicos Sem Fronteiras": www.msf.org.br

Ajuda Humanitária | Médicos Sem Fronteiras
www.msf.org.br
Médicos Sem Fronteiras é uma organização médico-humanitária internacional, indep...Ver mais
2 de junho de 2013 às 02:09

TIME IS MONEY.

Ricardo Bing Reis Se o amor à palavra é a fonte de cultura, os maravilhosos dicionários são os portadores da cultura em ordem alfabética. Vejamos a palavra 'dicionário' ao dicionário (o que não deixa de ser uma auto biografia dele, dicionário) > Livro que contém uma lista de palavras de uma língua ou de termos referentes a determinada matéria, colocados geralmente em ordem alfabética e acompanhados de informações, como definições, uso, etimologia. Obs > Etimologia: estudo da origem e evolução Histórica das palavras; origem de uma palavra.
1 de junho de 2013 às 19:47

Ricardo Bing Reis Então, pesquiso ao dicionário em busca de definições para os extremados filhos quadrigêmeos do EGOÍSMO.
2 de junho de 2013 às 01:58

Ricardo Bing Reis O GANANCIOSO > Que tem desejo incontrolado de querer tudo para si. Avidez, cobiça, cupidez. 'A ganância do fazendeiro pela posse das terras não tinha limites'... / Já 'gana' é vontade, desejo, avidez, vivacidade, sofreguidão; e, guarda certa relação com a emoção de raiva/ódio, e os sentimentos de rancor e desejo de vingança.
2 de junho de 2013 às 02:19

Ricardo Bing Reis O AVARENTO (Pessoa avara) > Que tem desejo incontrolado de guardar e acumular todo dinheiro que fatura. Mesmo que sovina, mesquinho. É o popular muquirana, pão-duro, mão-de-vaca, mão-fechada, unha de fome. Exemplo: Tio Patinhas. / 'Sua avareza não lhe permitia desfrutar de nenhum conforto'... / 'Se dependesse daqueles clientes avarentos, jamais ganharia uma gorjeta'...
3 de junho de 2013 às 00:02

TIME IS MONEY. CONT

Ricardo Bing Reis O SOVINA > Exatamente o mesmo que AVARENTO. Sinônimo de 'avarento'. / 'O sovina economiza até com o necessário'... / 'A tia dizia que não era sovina, e sim, econômica'...
3 de junho de 2013 às 00:06 ·

Ricardo Bing Reis O PERDULÁRIO > Aquele que põe tudo a perder. Que gasta excessivamente; gastador, esbanjador, desperdiçador, dissipador, dilapidador, mão-aberta. / 'Vovô dissipou a fortuna'... / 'Como ganhava muito dinheiro, tornou-se um perdulário'!... / 'Nasceu em uma família perdulária e nunca aprendeu a economizar'...
3 de junho de 2013 às 00:16

Ricardo Bing Reis Enquanto o 'avarento e o sovina' são a mesma coisa; parece que o 'ganancioso' pode, caso consiga razoável parte "do todo que sempre quer para si", pode agir de 2 formas: ou se comporta de forma avarenta/sovina, ou de forma perdulária. Nos dias de hoje, suspeito que, mundo afora, cada vez mais e mais pessoas estão se comportando de forma 'perdulária', mediante financiamentos vários, compras a crédito (e no rotativo do cartão), dívidas; e, por consequência, inadimplências e descontrole emocional secundário. Embora, convenhamos, ser justo este descontrole emocional o ponto de partida primário, estabelecendo-se assim, um círculo vicioso.
3 de junho de 2013 às 00:30

Ricardo Bing Reis A VIDA LEVADA COMO "JOGO DE XADREZ" > por muito, já estive intrigado com observação de pessoas que se preocupam, se empenham, se angustiam e até ficam aflitas, pela ânsia de 'sair-se em vantagem' em toda e qualquer situação da vida em que se encontram. Pode, acho, ter relação com distúrbio mental, mas pode não ter. E/ou pode, acho, ter relação com transtorno psíquico por fatores de vivências passadas ou culturais, mas pode não ter. Suponho que a tendência mais direta seria imaginar ser isto preponderante em pessoas egoístas, gananciosas, avarentas/sovinas; mas pode também não ser. Paradoxal e incrivelmente, também pode ser em pessoas perdulárias. E, acrescentaria, sem muito medo de errar, também inclui as pessoas de comportamentos normais.
23 de junho de 2013 às 14:23

Ricardo Bing Reis A VIDA LEVADA COMO "JOGO DE XADREZ" > arrisco aqui alguns exemplos para menos mal me fazer entender. Se esta pessoa está a jogar cartas com apostas ínfimas, que só servem para dar uma sensação ilusória de valor, se angustiam se perder aquela quantia irrisória. Se vão jogar um futebol de areia onde todos participantes querem apenas relaxar, levam para o lado competitivo e querem vencer a todo custo. Se vão às compras, insistem em descontos e barganhas totalmente desnecessárias para si, até em produtos de valores baixos; ou caminham por todo Shopping em busca do mesmo produto em valor 0,1% mais barato.
23 de junho de 2013 às 14:30

TIME IS MONEY. CONT

 

Ricardo Bing Reis A VIDA LEVADA COMO "JOGO DE XADREZ" > dentro de meu achismo, penso que isto poderia, de certa forma ao menos, ser explicado mediante um elo de ligação, entre a 'onisciência' de cada um, para com seu próprio ego. Já comentei, que quiçá, o mais significativo valor pessoal de uma pessoa, é, na minha opinião, o seu saber e a sua inteligência (ambos razoavelmente relacionados). Ou seja, seria a onisciência a fantasia 'mor' do ego, a pedra fundamental da pessoa, talvez porque signifique segurança para ela mesmo. Por isto ferir tanto ser chamado de 'burro'. Caso seja assim, seriam, ao fundo, por dedução de obviedade, pessoas justamente inseguras. Pelo menos para foro íntimo, precisam imaginar fortemente que são mais inteligentes que as outras (e, supostamente 'melhores/superiores'). Daí agirem, quase inconscientemente, como se tivessem que levar vantagem em tudo, mediante raciocínio 'esperto'... Embora, reiteraria, não haja relação com pessoas trapaceiras e de má índole, pois assim, o poder do raciocínio estratégico em si, perderia o valor. Estou me referindo à pessoas que querem vencer sempre, e necessariamente 'dentro das regras do jogo', senão não há uma superação genuína do 'adversário' (apenas covardia; e, convenhamos, isto, qualquer covarde sabe exercer). Embora também possa esta característica estar presente no 'espertinho', no sociopata e psicopata, obviamente.
23 de junho de 2013 às 14:46 ·

Ricardo Bing Reis "JOGO DE XADREZ" > se é assim, também isto aconteceria frente ao tabuleiro? Muito provavelmente pode ocorrer. Em vídeo, um campeão mundial de xadrez militava a favor da prática do xadrez nas escolas; em prol do desenvolvimento do poder de concentração, do desenvolvimento do raciocínio estratégico (inclusive do devir), do desenvolvimento do controle da ansiedade e angústia, do desenvolvimento do 'saber vencer e saber perder'. Por outro lado, esta temática do 'xadrez', me remeteu à famosa passagem em que perguntaram à Freud se seu hábito de fumar charutos não seria um 'fascínio fálico inconsciente'; ao que respondeu que "ás vezes um charuto é só um charuto". Logo, valeria, imagino, também poder dizer que "às vezes, um jogo de xadrez é só um jogo de xadrez"...
23 de junho de 2013 às 14:54 ·

TIME AIN'T MONEY.

Ricardo Bing Reis Frase curiosa de um paciente de 80 anos, empreendedor e que ainda trabalha > "Estou com minha saúde melhor que muitos e pior que poucos; minha jornada de trabalho nunca foi longa, sempre 6 horas/dia, pois sabia que lesaria meu bem estar. E, a saúde, é o mais importante da vida. Com relação ao dinheiro pelo menos trabalhar, faço ofício qualificado; e abri mão de ganhar bem mais, pois isto me geraria uma sobrecarga insana. Optei por faturar menos, mas este menos que faturo, é muito para o que eu faço"!
1 de junho de 2013 às 18:52 ·

Ricardo Bing Reis Grande amigo e colega, muito rico, vejam só, postou justo hoje, em rede social, o que segue: "Meu velho e simples Corsa já tem 250 mil quilômetros e ainda não queima óleo. Antigamente, carros com 50 mil quilômetros tinham que ser trocados por já estarem queimando óleo. Então, a troca de carros hoje em dia não é tão necessária, a não ser para acalentar o ego"...
2 de junho de 2013 às 02:44

 

TIME AIN'T MONEY. CONT

Ricardo Bing Reis Houve época, hoje, felizmente, já superada, em que eu comprava ótimo carro; e, em 6 meses, já estava descontente e queria troca-lo, sem qualquer motivo coerente e aparente que justificasse minha vontade impulsiva. E nem poderia ter havido, visto sempre ter sido fruto de minha até então eterna insatisfação interna projetada. Já auto estima baixa, embora sempre possível, não é provável, pois sou meio narcísico demais para esta ser a causa.
2 de junho de 2013 às 03:22

Ricardo Bing Reis O AMBICIOSO > Arrojado, ousado, audacioso, desafiador, destemido; aquele que tem aspiração/pretensão/objetivo/intento/propósito/desígnio/desejo/vontade/anseio/sonho. // 'Duplicar a produção até o fim do ano é uma meta ambiciosa'... / 'Sua ambição era ser piloto de avião'... / 'Ele sempre ambicionou ter uma união estável com alguém'...
3 de junho de 2013 às 00:47

Ricardo Bing Reis O MODERADO > Que não é excessivo, exagerado, extremado ou radical. Controlado, auto controlado, comedido, contido, parcimonioso, equilibrado, circunspecto, prudente, razoável, regular, mediano, meio-termo, ameno, temperado, austero, menos intenso. / 'Modere-se em tudo o que fizer'...
3 de junho de 2013 às 01:01

Ricardo Bing Reis AMBIÇÃO > Então, acabo concluindo (com provável boa margem de segurança, visto ter me socorrido de dicionários), que a AMBIÇÂO tem compromisso com a palavra MODERAÇÃO (não no sentido de 'dimensão média', mas no sentido de serem tais valores desejados, factíveis). O objetivo pode até ser bem grandioso, mas há de ser factível. É o 'sonhar acordado' dentro da realidade. Ainda, para este 'sonho ambicionado' realizável, de fato se torne real, há de se ter um planejamento perfeitamente executável, considerando-se as condições de percurso do AMBICIOSO. Então, o AMBICIOSO é um MODERADO; e a MODERAÇÃO é um dos mecanismos vitais pertinentes à realização ambiciosa. Por outro lado, o 'sonhar acordado não factível' é o delírio, a mirabolância, a megalomania; podendo traduzir distúrbios, transtornos; e, não esqueçamos, a possibilidade da Mania, tal na bipolaridade. Ou simplesmente um engodo para consigo mesmo e/ou para com os outros, por insegurança pessoal, na tentativa de ser-se o que não se é, em tentativa de gerar inveja para os outros, o que ele, supõe, o engrandece frente aos demais na sociedade (de onde até poderia objetivar obter um emprego de alto cargo, por ser um 'VIP'). Acho.
23 de junho de 2013 às 21:34

MONEY FOR NOTHING.

Ricardo Bing Reis Já fui, por 10 anos, 'rato de bancas de revistas'. Muito dinheiro colocado fora, pois não li nem 1/32 do que comprei. Mas alguma coisa ficou na memória. Eventualmente, se algo muito interessante, ainda compro. Foi o caso de hoje > Revista Mente Cérebro: "Insatisfação - O constante esforço para ser sempre melhor, produzir mais e desfrutar do maior número possível de oportunidades, de preferência no menor tempo, pode trazer mais problemas que bem-estar".
31 de maio de 2013 às 22:15

MONEY FOR NOTHING. CONT

Ricardo Bing Reis Criei, sem qualquer base científica ou fundamento teórico, por conta e risco, a teoria do "Eterno e Inato Descontentamento Inerente a Todos os Seres Humanos". Mas esta minha teoria achista e opiniática, é muito distinta do comentário anterior. Não que eu veja distinções entre os termos 'insatisfação' e 'descontentamento', pelo contrário; mas sim porque a 'frase chamada' da revista diz respeito à fatores ambientais, do cotidiano, das intercorrências da vida e do modo de vida. Já meu pensamento diz respeito a uma característica da bioquímica da mente cerebral, da parte orgânica (Nature) e não psíquica (Nurture). Claro que uma, suponho, interfere (quase) sempre com a outra. Nem por isto são a mesma coisa; e sim distintas, embora, não raro, inclusive também com manifestações semelhantes.
31 de maio de 2013 às 22:27

Ricardo Bing Reis Nesta música, pelo que ouvi por aí, e capto, carregadores de refrigeradores por carreto, teriam comentado que ele, Mark Knopfler, 'ganhava' a vida' apenas dedilhando guitarra, enquanto que eles forcejavam. Daí a necessidade do estudante qualificar-se para exercer um ofício laboral elaborado. Não se toca guitarra daquele jeito sem centenas de horas de estudo e treino. Ah, nisto eles não pensaram!... E, antes que passe batido, ele não 'ganha a vida', mas faz seu trabalho render. Isto faz-me lembrar de senhora que teve seu também refrigerador estragado e não havia quem conseguisse consertar. Mais de 10 tentaram em vão. Foi então que lhe indicaram um 'tal especialista'. Ele olhou, pegou uma chave de fenda, girou um parafuso e o refrigerador voltou a funcionar. Cobrou 300 reais. Estupefata, a senhora exclamou: 300 reais só para girar 1 parafuso? Ao que retrucou: - " Não, para girar o parafuso é 1 real; para saber qual parafuso girar, 299"!...
31 de maio de 2013 às 22:38

MONEY FOR NOTHING. CONT

Ricardo Bing Reis O título desta música "Money for Nothing", de pronto me remete a uma frase que li em rede social: "há um dado momento em sua existência, em que todo dinheiro do mundo será incapaz de lhe dar sequer mais 1 minuto de vida". Desconheço o autor que teve este lampejo de genialidade. E, já a tendo em mente, estive, a posteriori, no velório de um grande amigo do meu pai, cuja família muito frequenta minha clínica. E lá, ao lado do caixão, fiquei pensando do que adiantou toda fortuna por ele acumulada a partir de sua renomada e grande empresa!... Estava ele ali, na minha frente, como se fosse uma 'lâmpada incandescente', cuja resistência se rompeu e simplesmente teve sua luz apagada para todo o sempre. Interpretação até pode ser um tanto cruel, mas é sim, para mim, uma triste realidade. Embora para alguns não seja assim. Então, para meu modo de ver, "Money for Nothing, Money para sequer mais 1 minuto de prorrogação"!...
1 de junho de 2013 às 01:08

Ricardo Bing Reis O título (não a letra) desta música "Money for Nothing", em complemento ao comentário anterior, também seria pertinente ao que sempre dizia e ainda diz meu tio: "Ricardo, o último paletó não tem bolso, aproveita a vida". Frase esta que, sabiamente, se integra perfeitamente com outra, de minha avó, mãe deste meu tio, que eu ouvi dela ainda criança: "Viva a vida analisando-a de frente para trás, justo o contrário do que fazem todos, do senso comum. Procedendo assim, conseguirás mensurar melhor o que REALMENTE vale ou não a pena nesta vida. Senão, formigas podem virar elefantes (por majoração); e, elefantes podem virar formigas (por negação). São limitações pessoais muito frequentes e que, mediante este artifício e exercício de raciocínio, tendem a ceder espaço à dimensão REAL que cada circunstância tem. Isto pois, olhando da frente (velhice) para trás (juventude, no momento em que as coisas estão acontecendo); ter-se-á uma razoável noção do que fará ou não a diferença lá na frente!... A percepção da REAL situação, tende a ceder mais espaço ao 'bom' bom senso! E, vendo as coisas sem lunetas ou microscópios, na mediada em que se apresentam, se saberá relevar o que nos levará a nada, a médio ou longo prazo.
1 de junho de 2013 às 01:39

Ricardo Bing Reis PREFIRO MORRER DO QUE DEIXAR ESTA VIDA...
23 de junho de 2013 às 21:38

O TORMENTO DA NEURALGIA DO TRIGÊMEO E DO ZUMBIDO.

Ricardo Bing Reis Um professor de Urologia, certa feita, alertara-me que a 'pior dor da medicina' era do cálculo renal. Pior que do parto. Claro que isto, imagino, em comparações de graus intensos, pois haveria graus intermediários.
15 de maio de 2013 às 00:34

Ricardo Bing Reis 1 de minhas filhas nasceu de parto normal, mas eu não senti nada, pois foi minha esposa que fez. A outra, por cesariana. Acho que nesta, nem eu nem ela sentimos nada. Assim, não tenho como testemunhar a dor de um parto. É um pouco cruel falar pelo que nunca se passou. Por outro lado, já fui contemplado por 2 horríveis crises de dor aguda lancinante e em cólica por cálculo renal. Na primeira, tentava, em vão, encontrar uma posição no banco do carona que a aliviasse, até chegar ao hospital. Não consegui. Mal caminhava e, ao chegar, as recepcionistas 'passam direto' para atendimento aqueles com cálculo renal, tamanha a 'fama' da dor devastadora. Também imagino que em alguns não seja tão intensa, ou até quase nada dói. Na segunda vez, às 3 horas da manhã, acordei-me com o início da dor e imediatamente a identifiquei, pois quem tem a primeira, registra em seu cérebro de tal sorte que não deixa dúvida. Ainda ao sair de casa, desmaiei de tanta dor e bati com a cabeça na porta, como martelo e bigorna. Nunca desmaiei em toda minha vida, apenas aqui. E, a dor do trauma na cabeça nem me foi perceptível visto que a lombar era tão maior. Não faltarão amigos (e esposa) que diga que esta queda na quina da porta justifique muitas de minhas idéias tresloucadas do presente.
15 de maio de 2013 às 00:50

O TORMENTO DA NEURALGIA DO TRIGÊMEO E DO ZUMBIDO. CONT

Ricardo Bing Reis Se você já passou por uma destas 2, poderia imagina-las se manifestando na sua face? Obs > de novo imagino que a Neuralgia/Nevralgia do Trigêmeo, possa ter graus variados, mas, embora sem aviso prévio de que assim faria, estou tratando dos extremos de todas estas 3 dores descritas.
15 de maio de 2013 às 00:56

Ricardo Bing Reis 3 relatos > ...."a Neuralgia/Nevralgia do Trigêmeo provoca uma dor absolutamente inesquecível; é uma dor muito, muito forte que atinge o lado da face, é paroxística"... / ..."é uma dor aguda semelhante a um choque elétrico em partes do rosto; acho que é uma das piores dores que o ser humano pode sofrer"... / ... "é uma dor de início súbito, lancinante e de intensidade ultra forte"...
15 de maio de 2013 às 01:01

Ricardo Bing Reis Talvez meu professor de Urologia nunca tenha padecido de uma Nevralgia do Trigêmeo, nem de um parto, nem sequer de cálculo renal (seu objeto de estudo). Para não ser 'injusto' de nenhuma dor para com a outra (considerando estarem em suas intensidades severas), vamos dá-las por empatadas, já que são todas terríveis.
15 de maio de 2013 às 01:05

Ricardo Bing Reis Hoje mesmo, em coincidência, um senhor me disse que tem gota e que, quando em crise, a dor em seu hálux ('dedão do pé') é violentíssima, aguda e contínua; até que seja medicada. Na vigência da dor, até o lençol ou uma folha de papel é insuportável sobre este dedo. Depois, uma mulher veio com severa otalgia ('dor de ouvido') e, curioso, perguntei a ela se aquela era a pior dor que já sentira até então. Para minha surpresa, deu uma resposta, para mim, inédita: ...'a pior dor é a da hora'...
15 de maio de 2013 às 23:42

Ricardo Bing Reis Por felicidade, tenho uma grande amigo, Dr. Eduardo Beck Paglioli (de 78 anos, grande e renomado neurocirurgião, e que, heroicamente, ainda exerce seu ofício com paixão); o qual me enviou o seguinte e-mail há alguns dias: "Caro amigo e colega Ricardo, um doente me procura no consultório! Paciente privado, mas vejo notas de 20 reais. Provavelmente, penso eu, em dificuldades financeiras e de saúde preocupantes! Diagnostiquei Nevralgia do Trigêmeo. Peço a burocracia para fazer esta cirurgia pelo sistema público de saúde. A burocracia é extensa e, pior, vai demorar muito para chegar a vez deste paciente. Uns 30 dias! Tomei iniciativa própria de, em gratuidade, operar o pobre paciente, aturdido pela 'dor assassina'! No dia 10, vem tirar os pontos e me mostra uma carta do primo do seu colega de trabalho na oficina. É uma 'carta de despedida'; sofria de Nevralgia do Trigêmeo, e se matou no fundo do quintal, tendo referido nunca ter conseguido alguém com solução para sua dor extremada e não mais suportável"!
22 de maio de 2013 às 00:29

O TORMENTO DA NEURALGIA DO TRIGÊMEO E DO ZUMBIDO. CONT

Rcardo Bing Reis Em verdade, os sintomas são desconfortos. Muito provavelmente o pior, e aparentemente, talvez, também o mais comum, é a dor. Mas vários outros sintomas/desconfortos são extremamente desagradáveis: tontura, disfonia (rouquidão), dispneia ('sensação de falta da ar'), palpitação, disfagia (dificuldade para engolir), inapetência, náusea, peristaltismo e meteorismo intestinal, astenia ('fraqueza'), prostração ('abatimento'), sonolência e tantos mais tantos outros. Grosseiramente (para simplificar o complexo), o que o padecente apresenta de queixas na anamnese ('conversa do médico com o paciente') seria 'sintoma'; e, o que o médico constata no exame físico (inspeção, palpação, percussão e ausculta), seriam os sinais (por exemplos: garganta com placas, 'chiado pulmonar', sopro cardíaco, inchaço articular e centenas de outros). Até agora foi comentado apenas a dor física, com ênfase na Nevralgia do Trigêmeo (embora dentre outras descritas antes desta).
26 de maio de 2013 às 00:12 ·

Ricardo Bing Reis Um sintoma que pode ser extremamente desagradável é o zumbido. Por algum motivo que desconheço, as coincidências não são raras na medicina. Na mesma semana que recebi o já exposto e-mail do Dr. Eduardo Beck Paglioli, recebi um paciente que referia um tão intenso zumbido unilateral (no ouvido direito), que já pensou, há 5 anos atrás, em 'fazer besteira contra si mesmo'; risco que diz desconsiderar totalmente de lá para cá. Convive com este zumbido há 10 anos. Já consultou com vários otorrinos, inclusive com o que eu considero 'o melhor' em oto-neuro; sem resultado. Pedi um pouco mais de paciência a ele e iniciei investigação. Não tenho a menor pretensão de dar assistência a ele sozinho, vou procurar ajuda de colegas, em outras especialidades também.
26 de maio de 2013 às 00:21 ·

Ricardo Bing Reis É perfeitamente crível que pessoas se suicidem por dores insuportáveis (ou outros sintomas desagradabilíssimos tal zumbido azucrinante); principalmente se manifestos todos os dias e o dia todo; e, ainda, caso já desiludido que algum médico efetivamente poderá auxilia-lo de forma significativa. Perda de esperança. Mas há de se considerar também, ser possível que nestas circunstâncias críticas, haja, por trás do quadro existente, um fator coadjuvante como inúmeros transtornos psico-mentais que potenciem a dor (ou qualquer outro sintoma), tornando-o, agora sim, crítico o suficiente para atentado contra si mesmo. Vicent Van Gogh, pelo que já li (embora de fonte suspeita), sofria de zumbido insuportável. E, em sua avaliação já desesperada, supôs que se cortasse um pedaço de sua própria orelha em automutilação, poderia obter êxito em se 'livrar' da mazela. Certamente não funcionou...
26 de maio de 2013 às 00:35 ·

A/C MINHA MÃE E MINHA FILHA, NESTA SEQUÊNCIA QUE É NOSSAS VIDAS. EM CÍRCULOS OU EM FILA, UM SE CONTINUA PELO OUTRO; E, AO SOMATÓRIO, A HUMANIDADE SE MANTÉM. ENTRE AS 2, ESTOU EU, JÁ MEIO CANSADO, JÁ AINDA RESISTENTE. E, ASSIM VOU!...

___________________________________________

EM MINHA INFÂNCIA, JULGAVA SER, A FRASE CORRENTE MAIS PIEGAS, AQUELA QUE REITERADAS VEZES ERA CITADA POR MINHAS AVÓS E MINHA MÃE. O CLICHÊ "SAÚDE É O QUE INTERESSA". NOS TEMPO ATUAIS, FOI REPAGINADA PARA "SAÚDE É O QUE INTERESSA, O RESTO A GENTE CORRE ATRÁS". E, NÃO É QUE HOJE, SOMENTE AOS 50, PERCEBO, PARA MEU ESPANTO, QUE ESTA FRASE ESTÁ CERTA! PENSO QUE QUANDO JOVENS, NOSSOS 'QUERERES' MASCARAM ESTA VERDADE